Funk carioca pode ser considerado música?

Autor Mensagem
pianoid
Veterano
# out/15
· votar


só pode se for até o fim do século XVIII. Depois é tudo lixo.

que nada

enquanto acadêmicos ficam chorando por seus rabiscos sem talento, artistas de verdade estão criando produtos magníficos, como os caras da Pixar ou esses:

http://www.cgsociety.org/gallery/cgchoice/views/desc

cafe_com_leite
Veterano
Esse post foi marcado como inapropriado mostrar
O autor recebeu uma advertência por publicar conteúdo contra as regras do fórum.

out/15

entamoeba
O que você quer saber?


Onde é o cu da minhoca.

entamoeba
Membro Novato
Esse post foi marcado como inapropriado mostrar
O autor recebeu uma advertência por publicar conteúdo contra as regras do fórum.

out/15

cafe_com_leite
AQUI

Wuju Wu Yi
Membro Novato
# out/15
· votar


eu acho que vocês filosofam muito pra achar o significado de algo que é meio natural pessoal.

não vou me alongar muito mas, penso que todo mundo sabe que funk é música. está claro, evidente.

quem quer debater afirmar que funk não é música o faz por discriminação.

essa é a minha sincera opinião. nem estou a fim de dar muito pitaco.

cafe_com_leite
Veterano
Esse post foi marcado como inapropriado mostrar
O autor recebeu uma advertência por publicar conteúdo contra as regras do fórum.

out/15

entamoeba


entamoeba
Membro Novato
# out/15
· votar


É óbvio que funk-rj é música!

É óbvio que funk-rj é uma merda!

Wuju Wu Yi
Membro Novato
# out/15
· votar


funk.. sertanejo.. pagode... axé... etc. pra você é tudo merda.

eu não consigo levar a sério. sorry acho sua opinião muito tendenciosa.

Wade
Membro Novato
# out/15
· votar


existem músicas sem melodia, sem harmonia e sem ritmo

Não.

Wuju Wu Yi
Membro Novato
# out/15
· votar


na verdade existe. principalmente sem harmonia. uma peça solo para flauta transversável por exemplo, não tem harmonia.

Wade
Membro Novato
# out/15
· votar


Não.

entamoeba
Membro Novato
# out/15
· votar


É só pensar...

Como uma música se posiciona na cultura? O que ela "vende"?

...e poderemos avaliar os aspectos éticos dela.

Nesse caso, como já explicou Mauricio Luiz Bertola, o funk "é uma sub-cultura que resvala na criminalidade, na indigência cultural e na pobreza espiritual e no 'hype' da indústria cultural(". Ele também nos alertou que ciência não é juízo de valor. Mas talvez não seja o caso das ciências normativas, e a Ética é uma delas!

Conclusão 1: Então, do ponto de vista ético, o funk pode ser considerado ruim!

Agora vamos assumir, momentaneamente, que funk é arte para fins de elucidação (vou evitar distinções para não tornar o problema ainda mais difícil).

Wuju Wu Yi, se não me engano, já disse em outro momento que não acredita que a arte produza efeitos relevantes sobre a cultura e o comportamento coletivo (se não foi ele, estou misturando as histórias, mas o que importa é que tem muita gente que tem essa impressão). Eu discordo! A arte faz parte de um sistema de crenças e o realimenta. Tenho a impressão (e vou pesquisar isso) que a estética é porta de entrada para a maioria das crenças, além de contribuir para a sua fixação. As crenças imunes à lógica são "coladas" na estética (vide as religiões, a propaganda). Acho até que a própria lógica se submeta à estética.

Ok, até agora só disse que a estética facilita a entrada e a fixação de crenças ruins, mas que elas são ruins do ponto de vista ético. Ainda não demonstrei como o funk-rj é ruim esteticamente (sim, a Estética é uma ciência normativa).

A estética entra nessa história por pareamento, na constituição de uma linguagem. Escrevi uns parágrafos sobre isso, mas está em um outro computador - em breve virará um tópico, para alegria dos meus fãs!

A condenação da estética do funk-rj ficará para o próximo capítulo!

Lelo Mig
Membro
# out/15
· votar


De boa, acho que vocês procuram chifre em cabeça de cavalo.

A coisa, ao meu ver, é meio óbvia, e poderia ser condensada em apenas 2 pontos:

1- Funk carioca pode ser considerado música?
Sim!

2- É bom?
Têm quem goste, eu acho uma merda!

BrotherCrow
Membro Novato
# out/15
· votar


Eu acho que quem decide o que é música não é um sábio no topo de um castelo. Quem decide o que é música é quem ouve. Sinceramente, não me entra na cabeça alguém dizer que funk carioca não é música. É música sim, seja boa ou não! Eu ouço funk carioca e me divirto. Volta e meia encontro em alguma faixa uma solução interessante de timbres, ou uma letra bem bolada. Claro que não ouço Nego do Borel com o mesmo critério que uso pra ouvir Coltrane, King Crimson ou Liszt. Aliás, não ouço King Crimson com os mesmos critérios que uso pra ouvir Liszt, e assim por diante. É só gostar ou não, e se eu não gosto eu pulo pra próxima faixa.

Quanto ao desconforto que o funk possa causar às áreas urbanas que circundam os bailes, como levantou o Bertola, até entendo. Mas isso não é exclusivo do funk. Quando eu estava na faculdade, morei no Largo da Ordem em Curitiba. É um centro cultural muito bacana, mas volta e meia dava treta porque os bares e teatros faziam muito barulho até de madrugada. Tive um vizinho que reclamou até do barulho que vinha do conservatório que ficava ao lado! Agora eu moro em Brasília, e uns anos atrás metade dos bares da minha quadra fecharam por reclamação de barulho. E era bar que tocava jazz, rock, etc...

Se há uma ligação do funk com facções criminosas, claro que isso não é certo. Mas é hipocrisia agir como se isso não tivesse acontecido com outros estilos. Pensa no MC5, naquela aurora do proto-punk. Pensa nas bandas racistas de Oi! Quer dizer que o lema "sexo, drogas e rock'n'roll" é beleza, mas quando o funk se mete com o tráfico e prega putaria é errado?

pianoid
Veterano
# out/15 · Editado por: pianoid
· votar


^
esse wuju adora criar clones novos pra mostrar sua apreciação por pagode, funk e outros lixos... e dedar a si mesmo kkkk

pq parou com o tecfrente?

Hawklord
Veterano
# out/15
· votar


Morro do dendê é ruim de invadi

Julia Hardy
Veterano
# out/15
· votar


Coisa muito pior é considerada música.

Julia Hardy
Veterano
# out/15 · Editado por: Julia Hardy
· votar


Se considerarmos o parametro melodia, há muito funk bem mais melódico que certos rocks.

Tem sempre um retardado pra criar essa discussãozinha "rock vs o resto". Se o tópico for sobre rumba, vão arrumar um jeito de enfiar rock na discussão.

cafe_com_leite
Veterano
# out/15
· votar


Num fórum de rockeiros onde 90% do assunto é rock, é uma comparação necessária.

entamoeba
Membro Novato
# out/15
· votar


Lelo Mig
De boa, acho que vocês procuram chifre em cabeça de cavalo.

Também acho!

É esse o esporte!

Uma infindável exploração - coisa que sábios não fazem! Sábios já atingiram um nível elevado de serenidade intelectual. Tolos exploram enquanto podem. Exploram até quebrar a cara. Com sorte, tornarão-se sábios - até lá, explorarão feito tolos.

entamoeba
Membro Novato
# out/15
· votar


BrotherCrow
Quer dizer que o lema "sexo, drogas e rock'n'roll" é beleza, mas quando o funk se mete com o tráfico e prega putaria é errado?

Você está repetindo o que o Miranda disse no vídeo que postaram aqui. Me diga uma coisa: você acha que o rock e o funk tratam/trataram dos mesmos temas nos mesmos contextos?

Hawklord
Veterano
# out/15
· votar


Nóis co os alemão vamo se diverti

makumbator
Veterano
# out/15
· votar


andar tranquilamente na favela onde eu naisci

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# out/15
· votar


BrotherCrow
Quanto ao desconforto que o funk possa causar às áreas urbanas que circundam os bailes, como levantou o Bertola, até entendo. Mas isso não é exclusivo do funk. Quando eu estava na faculdade, morei no Largo da Ordem em Curitiba. É um centro cultural muito bacana, mas volta e meia dava treta porque os bares e teatros faziam muito barulho até de madrugada. Tive um vizinho que reclamou até do barulho que vinha do conservatório que ficava ao lado! Agora eu moro em Brasília, e uns anos atrás metade dos bares da minha quadra fecharam por reclamação de barulho. E era bar que tocava jazz, rock, etc...
Reclamar por barulho é uma coisa. Não poder reclamar porque o baile funk é promovido por criminosos fortemente armados é outra. Reclamar por volume alto é uma coisa. Não poder reclamar por uma enxurrada de palavrões, apologia ao tráfico e etc é outra...
Bandas Oi são tão nefastas quanto "proibidões"...

Wade
Membro Novato
# out/15
· votar


Tem sempre um retardado pra criar essa discussãozinha "rock vs o resto".

Positivei e foi pra 0

Ken Himura
Veterano
# out/15
· votar


Wade
Não.

Unsuccessful troll is unsuccessful.

Wuju Wu Yi
uma peça solo para flauta transversável por exemplo, não tem harmonia.
Depende do que for escrito. Existe harmonia implícita. Existem composições a 3 vozes pra instrumento melódico assim (Bach era mestre nisso).

Wade
Membro Novato
# out/15 · Editado por: Wade
· votar


A: "O ser humano respira batata frita"

B: "Não. O ser humano respira oxigênio"

A: "Essa é a sua opinião, seu troll"

FCC...

Insufferable Bear
Membro
# out/15
· votar


Wade
Você é o da batata, né? Porque sei lá, mas se fosse pra escolher quem aqui pode definir o que é musica ele estaria em segundo, depois de mim.

BrotherCrow
Membro Novato
# out/15
· votar


entamoeba
Você está repetindo o que o Miranda disse no vídeo que postaram aqui. Me diga uma coisa: você acha que o rock e o funk tratam/trataram dos mesmos temas nos mesmos contextos?
Não vi o video, desculpa se fui redundante. Mas acho que tratam basicamente nos mesmos contextos sim. Não vejo muito diferença entre a putaria do Catra e a putaria do Mötley Crüe. Ou entre a apologia às drogas do funk e do stoner rock. O jazz da melhor qualidade era movido a heroína. O rock oitentista não teria existido sem cocaína. O stoner de hoje funciona na base da maconha. O que você acha diferente? O pessoal acha que o rock é "limpinho", não é nem nunca foi, e muito da força dele vem daí.

BrotherCrow
Membro Novato
# out/15
· votar


Mauricio Luiz Bertola
Reclamar por barulho é uma coisa. Não poder reclamar porque o baile funk é promovido por criminosos fortemente armados é outra. Reclamar por volume alto é uma coisa. Não poder reclamar por uma enxurrada de palavrões, apologia ao tráfico e etc é outra...
Cara, de repente me expressei mal. Não quis dizer que é a mesma situação. Só quis dizer que o desconforto existe, ainda que numa escala infinitesimal. Claro que os exemplos que eu tive na minha vida são bem mais suaves do que morar numa área "pacificada" do Rio.

Mas imagina se você vivesse numa vizinhança do jazz nos anos 60, com a galera injetando o dia inteiro e a polícia descendo o cacete! Ou na Nova Iorque do proto punk, onde tinha banda metida com movimentos terroristas, outras envolvidas com prostituição e tráfico, com luta armada e tudo. Sabe?

Hoje em dia o que sobrou foi a música, se perdendo o contexto no qual ela foi criada. Você pode ouvir Chet Baker sem se preocupar com o tanto de droga que ele tomou, ou o quanto de porrada que ele levou de traficante. Você pode ouvir Sinatra sem se importar pro fato de ele ser financiado por mafiosos. Mas isso tá lá, na gênese dessa música, queira ou não.

Mais ou menos como quando um gringo ouve funk, e simplesmente curte a batida porque ele não está envolvido o suficiente com a nossa realidade pra entender que aquela música foi "adubada" por um ambiente nefasto.

Bandas Oi são tão nefastas quanto "proibidões"...
Nem me fale. É um exemplo de como essa atitude horrível está no rock também.

entamoeba
Membro Novato
# out/15
· votar


BrotherCrow
Não vejo muito diferença entre a putaria do Catra e a putaria do Mötley Crüe.
Nem eu, por isso acho Mötley Crüe uma bosta! O mesmo vale para todas essas bandas de andróginos "comedores" da década de 1980.

O que você acha diferente?
O contexto; a abordagem; o efeito que produz na cultura.

O pessoal acha que o rock é "limpinho"
Não é o meu caso. Quem acha isso é metaleiro de direita que gasta tubos de condicionador.

não é nem nunca foi, e muito da força dele vem daí.
Concordo.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Funk carioca pode ser considerado música?