Funk carioca pode ser considerado música?

Autor Mensagem
Ismah
Veterano
# out/15
· votar


Partamos do pressuposto que vc mesmo é um "idiota de pensamento único"... Eu penso A, posso estar certo, contextualizado na minha condição real ou fictícia.

makumbator
Veterano
# out/15
· votar


pianoid
onde idiotas de pensamento único tentam calar os que são de opinião contrária na base de polegar pra baixo.

É que nesse tópico sua opinião é a mesma que a da polícia do pensamento (então pra eles tudo bem), mas experimente direcionar sua metralhadora ao rock pra você ver...a casa cai manolo...

Wade
Membro Novato
# out/15
· votar


Vou creditar essa sua afirmação à sua pouca idade e ao seu desconhecimento de questões sociais e históricas profundas da nossa civilização.

Como me conhece ao ponto de fazer tais afirmações sobre o que conheço ou desconheço?

pianoid
Veterano
# out/15
· votar


com certeza

rock é igualmente música vagabunda, mas pelo menos ainda instrumental e com umas notas a mais kkkkkk

o que mais me aporrinha na polícia do pensamento único é que ela quase sempre é composta de moleques ignorantes que acham que o ignorante é o cara da opinião contrária, mesmo que ele apresente fatos que atestem a ignorância do energúmeno

nem estou falando de ninguém aqui. Tirando técnica formidável, música não deixa de ser arte e toda arte é inútil e depende da interpretação de seu público: um bando de ignorantes vai preferir música pobre pq é o tanto que consegue entender. Estou é desabafando sobre o estado atual do reddit na parte de programação. Parece ter sido tomada por um bando de enterprise script kiddies sem o menor senso de humor e ignorância generalizada sobre aspectos técnicos. é triste

FELIZ NATAL
Veterano
# out/15
· votar


bom tópico, ta rolando 2 ou 3 tretas simultaneamente

Wade
Membro Novato
# out/15
· votar


Que não vão dar em nada. Como sempre.

Um pescando pra todo lado, um viajando nos cogumelos e o tiozão know-it-all irredutível.

Pena do makumbator que vem com seriedade e sensatez no meio desse circo haha.

Ismah
Veterano
# out/15
· votar


pianoid
nem estou falando de ninguém aqui. Tirando técnica formidável, música não deixa de ser arte e toda arte é inútil e depende da interpretação de seu público: um bando de ignorantes vai preferir música pobre pq é o tanto que consegue entender. Estou é desabafando sobre o estado atual do reddit na parte de programação. Parece ter sido tomada por um bando de enterprise script kiddies sem o menor senso de humor e ignorância generalizada sobre aspectos técnicos. é triste

São por coisas assim que ainda leio o que vc posta... Dentre coisas sem pé nem cabeça que partem do princípio de tu estar plenamente correto, vc fala coisas formidáveis, do tipo que merecem um quadro na parede.

entamoeba
Membro Novato
# out/15 · Editado por: entamoeba
· votar


Ken Himura
Ética? Ética moral, né? E fortemente influenciada pelo código de conduta do cristianismo. Eu, sinceramente, nem vou entrar nessa discussão porque por mim isso nem existia mais - talvez como peça de museu.

Que coisa nonsense!!! De onde saiu isso???

Wade
Que não vão dar em nada. Como sempre.

Nunca irá dar em nada para quem não está aberto ao diálogo.

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# out/15
· votar


makumbator
Não tenho nada à ver com a opinião dos outros. Apenas concordo ou discordo, e, se discordo, digo o porque.
O fato de terem existido racistas inteligentes e que contribuíram com a sociedade não quer dizer que devamos hoje aceitar tal conduta.
Sim, o racismo era visto como normal quando ele se tornou a regra (coisa que não cobre toda a História), mesmo assim autores coevos, como Bartolomeu de Las Casas criticaram frontalmente tal postura na época, É nesses, e nos atuais que devemos nos espelhar.
Eu, de maneira alguma pretendo "ditar" às pessoas o que ouvir. Apenas quero observar o que NÃO se deve apoiar ou aceitar, e porque...
A violência só tem um aspecto no qual ela é "legal" ou moralmente aceitável (e isso consta inclusive do Código Penal e da Declaração dos Direitos do Homem): Na defesa de sí mesmo e de seus familiares e contra a opressão. Você sabe disso.
Ken Himura
Interferir na decisão (e no livre-arbítrio) alheia(o) torna você um déspota. E aí, como proceder?
Déspota!!?? Então o que vc acha dos tropas do Exército Vermelho que destruíram os campos de concentração Nazis? Eles foram Déspotas!?? Já que não era "da conta deles" eles não tinham que fazer nada? Quanta bobagem....
Bom, então temos que banir o sertanejo universitário, toda a cena eletrônica, o pop quase inteiro, o hip hop, o hard rock, o hair metal, aqueles ultra death black metal norueguês da vida, o Iggy Pop e as trilhas sonoras de videogames.
Não se faça de tolo. Não é disso que estou falando e vc sabe disso... Nem eu acho que qualquer estilo musical deva ser "banido" per se. Não de uma de "João sem braço" pra cima de mim não...
Abç

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# out/15
· votar


Wade
Como me conhece ao ponto de fazer tais afirmações sobre o que conheço ou desconheço?
Se alguém afirma algo dessa natureza sob a capa de um "codinome", a interpretação é essa. Você simplesmente não sabe do que está falando.
Abç

pianoid
Veterano
# out/15
· votar


Ismah
Dentre coisas sem pé nem cabeça que partem do princípio de tu estar plenamente correto, vc fala coisas formidáveis, do tipo que merecem um quadro na parede.

valeu, guri

as vezes é a voz da experiência, mas na maior parte é a voz das musas

Wade
Membro Novato
# out/15
· votar


Mauricio Luiz Bertola
Ao meu ver, você que não sabe do que está falando.

E não adianta vir passar título acadêmico na cara. Se um doutor em biologia disser que o ser humano respira batata frita, não deixa de ser patético só porque ele é doutor em biologia.

Wuju Wu Yi
Membro Novato
# out/15
· votar


Mauricio Luiz Bertola
Não se faça de tolo. Não é disso que estou falando e vc sabe disso... Nem eu acho que qualquer estilo musical deva ser "banido" per se.

Mas as origens de alguns estilos se encaixam plenamente na tua descrição Bertola. Inclusive o envolvimento com drogas e o crime. Deve haver distinção entre gênero musical e cultura. O problema é a cultura (criminosa e depravada) onde a música está inserida. Não a música por si.



O cara pode inserir uma letra falando de putaria e crimes na música, e também pode fazer coisas interessantes (para alguns, como eu) como as que o Ismah postou ali atrás (que eu também peguei essa época).

Ai você comparar um gênero musical ao racismo, como se possuissem pesos meramente semelhantes, soa incoerente. sacou? Basta deslocar o gênero funk carioca culturalmente, e o problema some. Logo, o que deve ser combatido é a cultura criminosa, ostentadora, e de depravação moral. O Funk é apenas um gênero musical que está sendo moldado por essa cultura, e se está fazendo alguma influência negativa, é devido a este fato.

Ismah

As paradas na onda de MC Léozinho, Amilcka e Chocolate, até o Furacão 2000, e trabalhos antigos do Dj Beto Marlboro

Rsrs. Nostálgico. Minha defesa ao gênero funk é por gostar dessa época, que teve muito espaço durante a minha infância.

Hoje rolou uma decadência. Hora ou outra se acha algo interessante. Mas é raro. O colega Lelo Mig até brincou que pelos meus filtros, então eu não ouviria quase nada, e tem verdade nisso. Rsrs Negócio tá complicado hoje. Se tu coloca Funk no youtube, aparecem sets e sets de músicas falando sobre a novinha sentando na pika dura com cantores caricatos. Eu tento achar coisas no estilo que você postou nos pads ali, mas não é fácil não.

Meu pai já dizia "nasceu no meio de nego, não podia negar as origens, e não gostar tanto de um batuque".

Sábio seu pai.

makumbator
Veterano
# out/15 · Editado por: makumbator
· votar


Mauricio Luiz Bertola
O fato de terem existido racistas inteligentes e que contribuíram com a sociedade não quer dizer que devamos hoje aceitar tal conduta.

Claro, nem eu acho que devamos estimular tal conduta. Entretanto, não concordo que impedir e alienar a opinião dos próprios racistas ajude a tornar o mundo melhor. Ao contrário, pra mim, permitir que um racista se exponha é o ideal. Acho que a liberdade de expressão vale até pra eles. E que eles lidem com as consequências.

Por exemplo, eu não concordo com a KKK, mas acho legítimo que eles exponham seu discurso, e cada um que ouça e tire suas conclusões (um site como o deles seria banido pela polícia do pensamento e o politicamente correto, mas está online).

Então o que vc acha dos tropas do Exército Vermelho que destruíram os campos de concentração Nazis? Eles foram Déspotas!??

Stalin era um déspota, e suas tropas de alguma forma o simbolizavam. O fato de ter sido um dos que lutou contra Hitler não faz dele menos déspota. Aliás, tem aquela frase que diz que qualquer discussão na internet sobre qualquer assunto vai chegar a citar os nazistas. Pois bem, essa é a segunda aparição deles no tópico. Talvez estejamos indo além da conta nesse assunto.

Eu, de maneira alguma pretendo "ditar" às pessoas o que ouvir. Apenas quero observar o que NÃO se deve apoiar ou aceitar, e porque...

Mas quando você coloca o funk (ou qualquer coisa parecida) como inaceitável eu vejo como uma tentativa de ditar ás pessoas o que ouvir, por achar que ouvir funk é errado. Pelo menos foi essa maneira que entendi seu pensamento.

Já contei aqui a história do maestro que me dirigiu em orquestra durante muitos anos (mais de 15 anos). Pra ele (que era uma ótima pessoa, aliás), toda música que não fosse erudita era quase sempre uma verdadeira bosta (quando muito, ele apreciava um Pixinguinha da vida, mas nada muito fora disso. Jazz pra ele era enganação sem valor). Foi uma pessoa extremamente culta (não apenas em música), viajada e experiente (morou na Alemanha, Itália e andou o mundo todo tocando). Conheceu e tocou com todos os grandes músicos (dos brasileiros cito Villa-Lobos, Mignone, Radamés, Guerra-Peixe, Nelson Freire, e muitos outros)

Pois bem,dentro da ótica dele, o rock que você tanto gosta é tão ruim quanto o funk (ou nas palavras dele, até pior, por tentar se travestir de música, enquanto o funk já é de cara algo baixo).

Se fosse dado a ele o controle de qual música todos poderiam ouvir não iria sobrar um rock pra contar história hein...você precisava ver a cara de decepção que ele ficou quando descobriu que eu tocava contrabaixo elétrico e guitarra e gostava de rock. Felizmente ele também observou que eu já apreciava muito a música erudita, então em matéria de música só conversávamos sobre ela, pra não dar briga...

Wade
Membro Novato
# out/15 · Editado por: Wade
· votar


Então o que vc acha dos tropas do Exército Vermelho que destruíram os campos de concentração Nazis?

Nego confunde demais as coisas por não prestar atenção. Combater Hitler não era combater um racista. Era combater um criminoso. Ele tornou o seu racismo crime. São coisas completamente diferentes. Já é sabido, inclusive, que ele tinha sérios distúrbios mentais. Por que servir de exemplo? (Aliás, seu exemplo favorito).

Existiram (e ainda existem) milhões e milhões de racistas mundo afora que nunca cometeram um crime, nem sequer discriminação.

Vocês adoram confundir as coisas. Racismo, por si só, é apenas um pensamento como qualquer outro. E como tal, completamente íntimo e pessoal.

As ações que o torna explícito é que são problema, como discriminação por preconceito, discurso de ódio e etc. Que são problemas de caráter, não de ideologia.

Eu posso ser racista no sentido de que eu não tenho e não posso ter obrigação nenhuma de gostar de A ou B igualitariamente. Quem pode me impor isso? É surreal. Eu que decido do que eu gosto e ponto final.

Só que eu simpatizar mais com raça A do que com B não implica automaticamente que eu vá caçar indivíduos da raça B simplesmente por serem da raça B. Ou que eu vá tratar um deles mal só por isso. Que eu vou deixar o quesito "raça" se sobressair a todos os outros infinitos quesitos que compõem um ser humano.

Um pensamento não pode ser julgando como crime. Em que mundo vocês vivem? No planeta encantado da Idade Média?

entamoeba
Membro Novato
# out/15 · Editado por: entamoeba
· votar


Wade
Nego confunde demais as coisas por não prestar atenção.

Não. (Aliás, você confunde! Mas nem é falta de atenção, é falta de compreensão.)

ombater Hitler não era combater um racista. Era combater um criminoso. Ele tornou o seu racismo crime. São coisas completamente diferentes. Já é sabido, inclusive, que ele tinha sérios distúrbios mentais. Por que servir de exemplo?

Não.

Vocês adoram confundir as coisas. Racismo, por si só, é apenas um pensamento como qualquer outro. E como tal, completamente íntimo e pessoal.

Não.

As ações que o torna explícito é que são problema, como discriminação por preconceito, discurso de ódio e etc. Que são problemas de caráter, não de ideologia.

Não.

Eu posso ser racista no sentido de que eu não tenho e não posso ter obrigação nenhuma de gostar de A ou B igualitariamente. Quem pode me impor isso? É surreal. Eu que decido do que eu gosto e ponto final.

Não.

Um pensamento não pode ser julgando como crime.

Isso não foi dito. Aprenda a ler!

Wade
Membro Novato
# out/15
· votar


Hurr durr

entamoeba
Membro Novato
# out/15 · Editado por: entamoeba
· votar


Wade
Tô usando o mesmo tipo de retórica que você usou comigo! Tua argumentação é super ingênua, rapaz! Tente entender o meu post que você respondeu desse jeito e o tópico acaba para você!

Tente de novo! Vá lá:

O racismo "interno" só se forma porque o sujeito teve contato com o racismo "externo". Não formamos esse tipo de crença sem o ambiente propício! Não há racismo inato!

renatocaster
Moderador
# out/15
· votar


Bom, vou tentar levar a discussão pro lado "musical" novamente. E vou me arriscar a comparar o funk carioca com o punk rock. No meu ponto de vista, os dois, igualitariamente, são de uma pobreza musical (em termos técnicos e qualitativos) sem precedentes. Mas um é aclamado por boa parte inclusive dos usuários daqui deste fórum, e o outro é execrado.

E se eu fizesse a mesma pergunta, mudando apenas o gênero: Punk rock é considerado música?

Wade
Membro Novato
# out/15
· votar


Punk é música, Funk (carioca) é música. E todos eles tem ou tiveram seu papel na sociedade.

Gostar ou não de um ou de outro é uma questão íntima e pessoal. Não sei nem porque está se discutindo isso. É como discutir se o sol é quente ou não.

JJJ
Veterano
# out/15
· votar


renatocaster
E se eu fizesse a mesma pergunta, mudando apenas o gênero: Punk rock é considerado música?

Eu peguei o punk em cheio. Aliás, minha primeira banda mais... ahn... "profissional"... era quase-punk.

A maioria das bandas punk (aqui ou fora) era uma merda. Simples assim. Mas tinha algumas que conseguiam mostrar algo de realmente interessante.

Particularmente, só curto mesmo Sex Pistols, Ramones e um pouco de Clash, da fase inicial. E há algumas dúvidas se essas duas últimas seriam realmente punks! O resto eu passo.

entamoeba
Membro Novato
# out/15
· votar


Se não formos à base do problema o impasse persistirá! Acredito, observando as argumentações, que uma das crenças que está causando o impasse nessa discussão é o mito da liberdade.

O mito da liberdade e da autonomia do sujeito é a religião mais aceita no ocidente. Trata-se de uma crença supersticiosa sustentada, ontologicamente, no realismo ingênuo, na qual se admite que as coisas que parecem ser simplesmente são.

Só que essa crença está errada, pelo menos, do ponto de vista científico. Estudos demonstram que nossos pensamentos são condicionados pelo ambiente, ou melhor, pela relação do ambiente com um sistema biológico - material; células nervosas (o "fantasma na máquina" nunca foi encontrado). Vale para insetos, ratos, cachorros, coelhos, macacos... e humanos!

A diferença é que os humanos são equipados com um negócio chamado linguagem, que NÃO nos é inata! É produto de interações! A linguagem não nos torna autônomos, ela apenas torna nossas respostas mais complexas. (Imagine como seria pensar sem linguagem!) Contudo, um dos "efeitos colaterais" da linguagem é que ela também torna nossas superstições mais complexas, ao ponto de tornarem-se paixões!

A paixão pela autonomia é a essência do ser ocidental, do slogan iluminista à blitzkrieg mercadológica da cultura de consumo! Essa na autonomia é essencial para justificar como nos estruturamos em torno do capitalismo. Além disso, a autonomia também combina com o que prega a maior parte das religiões (stricto sensu) modernas. Tá tudo dominado!

Se recusarmos a autonomia do sujeito, poderemos criticar a cultura sem o entrave causado pelo pretexto da violação da liberdade de pensamento.

entamoeba
Membro Novato
# out/15
· votar


renatocaster

Fiquei pensando...

A comparação com o punk pode ser uma boa mesmo, já que a base de ambos é muito parecida: o DIY, ou "faça você mesmo" e ambos são extremamente viscerais. Eles se separam por sutilezas cruciais!

entamoeba
Membro Novato
# out/15 · Editado por: entamoeba
· votar


...

entamoeba
Membro Novato
# out/15 · Editado por: entamoeba
· votar


...

renatocaster
Moderador
# out/15
· votar


Wade

Punk é música, Funk (carioca) é música. E todos eles tem ou tiveram seu papel na sociedade.

Concordo, eu também tenho isso bem definido na minha cabeça. Mas eu duvido que se a pergunta aqui no tópico fosse o Punk no lugar do Funk carioca, a repercussão seria a mesma. Teríamos um mar de ponderações para tentar justificar o punk como um gênero de "música boa".

Gostar ou não de um ou de outro é uma questão íntima e pessoal. Não sei nem porque está se discutindo isso. É como discutir se o sol é quente ou não

Mas no final das contas é isso que o povo gosta, discutir o gosto alheio, confrontando com o seu gosto pessoal. E na base da imposição, tentar justificar que seu gosto é o melhor ou o mais ideal. É triste, mas acho que preferem gastar essa energia com isso.

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# out/15
· votar


makumbator
Por exemplo, eu não concordo com a KKK, mas acho legítimo que eles exponham seu discurso, e cada um que ouça e tire suas conclusões (um site como o deles seria banido pela polícia do pensamento e o politicamente correto, mas está online).
Eu não acho correto. Racistas como os KKK ou Nazis devem ser banidos. Ponto-final.
Cara, acho que vc levou longe demais a minha opinião para sustentar seu ponto-de-vista. Se vc reler as minhas postagens aqui verá que sou contra certo tipo de "funk", pelo que ele causa de mal à sociedade (particularmente da minha cidade). Sou à favor de que tal tipo de música exista, seja veiculada, tenha artistas significativos e evolua com uma síntese com outros estilos. Agora, sou contra apologia de facções, do crime e da mais chula pu..... que uma parte (significativa) dele apregoa. Aliás, no Código Penal Brasileiro, o artigo 287, enquadra este tipo de coisa. Aliás também, isso nada tem à ver com um estilo em sí. Aliás, mais uma vez, se vc morasse numa favela aqui ou tivesse que conviver com esse troço e tudo o que está à sua volta e o que ele representa, num instante tu relativizaria essa tua opinião... Que, aliás, respeito.
Outra coisa: Rock é um estilo de música como outro qualquer, e tem coisa ruim e coisa boa. Bandas (oi)que fazem apologia do nazismo, por exemplo, são criminosas, e devem ser reprimidas com base na lei (artigo acima). Não é questão de "gosto pessoal" como vc insinua, mas sim de causa e efeito e da lei.
Wade
O "medieval" aqui é vc, que quer que algo errado não seja, pela cultura, pela educação e por políticas e atitudes positivas, extinto. Parece que vc não apenas não sabe ler ou do que está falando, mas sim que compactua com atitudes como essa, defendendo-a como "coisa mental", "pensamento", etc, numa postura deslocada da realidade e "metafísica", ao achar que tais pensamentos ou atitudes são gerados "do nada", apenas na mente da pessoa. O entamoeba já te demonstrou isso e vc se recusa a aceitar...
Gostar ou não de um ou de outro é uma questão íntima e pessoal. Não sei nem porque está se discutindo isso. É como discutir se o sol é quente ou não.
Olha como vc não entendeu. Ninguém aqui (pelo menos não eu) falou em "gostar", mas sim que determinados estilos propagam coisas ruins, particularmente o tal "funk carioca" ou "proibidão". E aí, certas pessoas vieram em defesa disso, sem sequer se dar conta da realidade (daqui) complexa e nefasta no qual tal estilo está inserido, e toparam com opiniões contrarias e passaram a acusar tais opiniões daquilo que elas não são.
Wuju Wu Yi
Gostaria que vc me citasse um livro, um estudo, um têxto, etc no qual houvesse essa associação (historicamente falando) entre um ou outro estilo musical com o crime (e outras coisas mais) tal qual o dito "proibidão" daqui do RJ.
Abçs

Ken Himura
Veterano
# out/15
· votar


entamoeba
Estudos demonstram que nossos pensamentos são condicionados pelo ambiente, ou melhor, pela relação do ambiente com um sistema biológico
Estudos também demonstram que podemos estar vivendo numa realidade artificial controlada por uma inteligência superior e tem um cientista famoso que jura de pé junto que o HIV é inofensivo.

"Estudos demonstram" como argumento de autoridade é o novo ad-hitlerum, que o Bertola já usou nessa discussão.

o "fantasma na máquina" nunca foi encontrado
"A ausência de evidência não é evidência da ausência".

---
O resto eu não vou nem me dar ao trabalho de responder porque né...

E estou inteiramente de acordo com o renatocaster nesta parte:
Mas no final das contas é isso que o povo gosta, discutir o gosto alheio, confrontando com o seu gosto pessoal. E na base da imposição, tentar justificar que seu gosto é o melhor ou o mais ideal. É triste, mas acho que preferem gastar essa energia com isso.

renatocaster
Moderador
# out/15 · Editado por: renatocaster
· votar


Mauricio Luiz Bertola

Agora, sou contra apologia de facções, do crime e da mais chula pu..... que uma parte (significativa) dele apregoa.

Agora vc colocou um ponto que é fundamental esclarecer (como vc fez): Nem todo funk carioca é isso daí...Assim como outros gêneros musicais, o funk tbm tem várias vertentes. Tem o funk do MC Leozinho, tem o funk do Buchecha, do MC Marcinho...e tem o funk dos proibidões. Assim como lá fora tem o rap mais "tradicional" e o "gangsta rap", que é o que faz apologia ao tráfico, ao uso de drogas, violência contra policiais...igualzinho ao que rola por aqui.

entamoeba
Membro Novato
# out/15
· votar


Ken Himura
Estudos também demonstram...

Me referia àquilo que é amplamente aceito pela comunidade científica.

o "fantasma na máquina" nunca foi encontrado
"A ausência de evidência não é evidência da ausência".


Você vai assumir como premissa que é um "espírito" que toma as decisões e não o corpo (encéfalo)?

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Funk carioca pode ser considerado música?