【FIXO】Caixas acústicas e alto-falantes - Para tentar tirar todas as duvidas

Autor Mensagem
opinduquinha
Veterano
# 25/abr/19 10:15
· votar


Sonorização para igrejas não é aconselhável utilizar única fonte sonora (frontais) potentes. Inclusive já estive nessas igrejas novas que possuem bateria e utilizam Line Array, é uma M... tive que sair em 15 minutos de missa pois o som era insuportavelmente Alto, chegava a doer os ouvidos.

O mais sensato são várias caixas laterais de baixa potência, assim o som fica "ambiente".

Ismah
Veterano
# 26/abr/19 05:23
· votar


Isso é o que tu pensa... Um problema nada tem com o outro...
O conceito de line array ainda é o melhor* para aplicações internas, já que a maior diretividade facilita. Ao ar livre, o agravante sempre é onde está o povo, talvez pelo custo envolvido, mas o melhor resultado que já tive foi com point source...

Espalhando caixas sem processamento, é cagar no pé da cruz... Muita reverberação - e em igrejas, isso já é problema! - e consequente perda de inteligibilidade...

* Na real se pensa logo stereo, o melhor é um sistema MONO, ao centro do ambiente, que pode ficar o mais equidistante possível de todos... Não importa muito se é em line ou point source, mas depende das caixas de delay, etc...

WiliamKarlos
Membro Novato
# 21/mai/19 01:28
· votar


Galera bom dia, me deem uma ajuda por gentileza. Eu tenho uma caixa 2.1 que comprei faz um tempinho. Ela tem 2 alto falantes de 3 polegadas, e 1 de 4 polegadas (2*5W+20W). O tamanho dela é aproximadamente 13 de largura, 30 de profundidade, e 30 de altura. O subwoofer fica em baixo, e os falantes normais na frente. E tem um duto atrás.

O módulo MP3 dela queimou e eu resolvi fazer logo um upzinho. Comprei 6 alto falantes de 2 polegadas 5W e vou substituir o sub dela por 1 de 5 polegadas 30W. O amplificador vou colocar o TPA3110D2 Digital 2.1 60W. Vou fazer as ligações de modo que cada falante fique com mais ou menos 5W, e o sub vai ficar com 30W.

Como vai faltar espaço vou mandar fazer uma caixa nova. Pesquisando um pouco resolvi dobrar as medidas da caixa antiga e fazer uma mini torre, ficando 13 de largura, 30 de profundidade, e 60 de altura, e adicionaria mais 1 duto igual ao antigo. Todos os 8 falantes normais vão ficar na frente e o subwoofer na parte de baixo. Será que fica bom? Minha principal preocupação é relação a litragem(não sei calcular a necessária), não quero exagerar e queimar os alto falantes. Os alto falantes são genéricos. Desculpem a textão e desde já obrigado!

WiliamKarlos
Membro Novato
# 21/mai/19 09:20
· votar


Salve galera! Desenhei a caixa para ter mais ou menos uma noção de como vai ficar. Acabei diminuindo a profundidade e aumentando a altura para ficar melhor. Ficou com 13,5 de largura, 18 de profundidade e 79 de altura. E ficou assim como está na imagem abaixo: Desenho da caixa

acabaramosnicks
Membro Novato
# 21/mai/19 10:59
· votar


Bom dia.

Cara, abandone o termo "litragem" pois está errado, isso é neologismo dos brabos. É a mesma coisa que falar voltagem e amperagem, o pedreiro fala e entende, mas isso não quer dizer que está certo, o certo seria tensão e corrente, respectivamente. O correto pra "litragem" é volume interno, já que Litro é unidade de medida de volume, e o que vc quer calcular é o volume do ar que vai ressoar dentro da caixa.

Dito isso, o que queima o falante não é o volume interno da caixa, é a potência aplicada ao falante. Sabendo disso, se o falante é de 5w, vc não pode mandar mais que 5w nele pq vai queimar. O ideal é que o falante seja sempre de uma potência maior do que aquela que será aplicada. Por exemplo, potência (amplificador) de 50w, o falante tem que ser maior que 50w, de preferência o dobro, mas pode botar uns 20% a mais que não é pra dar pau, a menos que vc vá utilizá-lo próximo do limite o tempo todo, daí é melhor deixar o dobro da potência mesmo.

O volume interno afeta principalmente as frequências de ressonância da caixa e a excursão do falante. Se vc deixar um volume muito grande, a resistência do ar vai ser pequena o suficiente pro falante "andar" muito, e isso pode estragar o conjunto. Isso na teoria. Na prática, o que vemos é que, já que tua caixa não é selada (tem um duto), isso acaba alterando tudo na resposta de frequência.

Eu, no teu lugar, separaria (internamente) a caixa entre uma para os falantes menores, que vc não precisa se preocupar tanto assim com o volume interno, e uma para o sub, onde o volume interno é mais crítico e vc calcula tudo certinho.

Não tem erro, volume é altura*comprimento*largura. Se a caixa é 30x30x30 cm, transforme o cm em dm, dividindo por dez, depois multiplica tudo e o resultado fica em litros (porque L = dm³)

30cm x 30cm x 30cm
3dm x 3dm x 3dm = 27L

Pega no datasheet (ficha técnica) do sub que vc tá usando e lá vai estar especificado a "litragem" que o falante está esperando, faça a caixa com alto próximo e já era.

Quanto ao duto, daí eu já não manjo nada. O cara que domina esses assuntos é o [b]Ismah]/b], logo ele responde aí.

WiliamKarlos
Membro Novato
# 21/mai/19 11:45
· votar


[b]acabaramosnicks[/b Bom dia mano! Me perdoe usar o termo errado "litragem" foi desatenção mesmo.
As coisa que você explicou a maioria ai eu já sei, e eu expliquei no meu post qual a potencia do meu amplificador, qual a potencia dos falantes e que eu ligaria eles de forma que não excedessem a potencia suportada. Mas mesmo assim agradeço a paciência de explicar tudo detalhadamente o que vai ajudar outras pessoas que vierem aqui com duvidas.

O alto falante de Sub é um genérico, 5 polegadas, 30W. não tenho mais nenhuma informação a respeito dele.
A caixa está dando um volume de 20 litros aproximadamente, estou pensando em dividir internamente na metade deixando 10 litros para o sub, e 10 para os outros falantes.
O duto por enquanto eu vou apenas adicionar mais um, o dobro do que tinha antes, já que o volume da caixa e a potencia também foram dobrados.

Ismah
Veterano
# 22/mai/19 02:51
· votar


WiliamKarlos
Pesquisando um pouco resolvi dobrar as medidas da caixa antiga e fazer uma mini torre, ficando 13 de largura, 30 de profundidade, e 60 de altura, e adicionaria mais 1 duto igual ao antigo.

Cagou no pau... Não é assim que se faz uma caixa de som...
Dá para CHUTAR um valor baseado na caixa antiga, mas o certo é dar 5 passos para trás e começar do zero, medindo o AF...

Será que fica bom?

Novamente, precisaria medir tudo, mas com uma certa experiência vai fazer barulho, se vai ficar aceitável é loteria... Bom, é ganhar duas vezes seguidas na loteria.

WiliamKarlos
Membro Novato
# 22/mai/19 08:48
· votar


Ismah, caguei mano? kkkk tentei usar algum tipo de lógica pelo menos.

Essas medições do alto falante da para fazer sem ter equipamentos específicos? Quais seriam as medições?

Em um vídeo no Youtube um carinha passou uma formula interessante rsrsr. Ex: Se o alto falante tem 6 polegadas, passando para centímetro fica 15,24 cm, ai ele soma a essa medida mais 5 sempre. Ficando 20,24, e esse seria o comprimento dos lados da caixa se ela fosse feita quadrada: 20,24x20,24x20,24 = 8,3 litros. Ai depois ele pega os 20,24 multiplica por 2 e divide por 4 = 10 centímetros, que seria o comprimento do duto e ai depois ele ainda faz outra calculo e pega o diâmetro do duto kkk.

Não deve esta muito certo ksksksk, mas achei interessante, bem que podia existir uma formula matemática genérica para simplificar os cálculos de caixa de som em pequenos projetos.

Ismah
Veterano
# 22/mai/19 20:59
· votar


Se cagou não sei... Fomos parar na tentativa e erro, não é viável prever como tudo irá se comportar... Pode ser que aconteça qualquer coisa, até funcionar bem...

As medições demandam equipamento especial. Não é nada de outro planeta, mas existem pessoas que façam, então talvez conversando se entendam.
Todavia, é o ponto inicial de um projeto sério, levantar dados e preferencialmente aferir dados dos AF's... Os nacionais são campeões de ter mudanças não citadas...

Precisaria medir a curva de impedância, para descobrir alguns parâmetros... Dá pra estimar injetando uma senoidal @ 0,1 Wrms e quando o AF começa a vibrar (andar) chegamos na Fs...

Essa conta não tem pé nem cabeça... Eu entendo sua ideia, mas já tem softwares (CAD) para isso, não tem como tornar a engenharia mais fácil... Eu me dedico a causa desde 2013, e ainda sei um básico do básico...

A experiência é válida, mas faça do jeito que der, e esqueça as contas... Só vais andar em círculos com isso.

WiliamKarlos
Membro Novato
# 22/mai/19 21:52
· votar


Montei o sistema fora da caixa mesmo para ver como tava, funcionou normal. Ao colocar a mão no falante de sub vi que ele tava vibrando, mesmo sem ter som nenhum tocando, isso é normal? os outros falantes não estavam vibrando.

Vou colocar esses falantes aqui nessa caixa menor que tenho (26,5x28,5x13,5) por enquanto que eu não construo uma maior. Poucos litros não da problema nos falantes não né? só litros em excesso né?

Valeu Ismah

Ismah
Veterano
# 24/mai/19 03:42
· votar


Não sei responder essa. Provável que dependendo quanto a menos, pode forçar o AF a não excursionar o suficiente, logo não refrigerar adequadamente. Assim, vindo a aquecer demasiado, levando a derreter o esmalte do fio, aka a queima dele - fique atento a isso!

Note que eu só "acho", sem parâmetros entramos na zona não-linear, onde não se pode prever nada por cálculos. Seguindo a filosofia do Homero Sette, vulgo "H7", uma das mais respeitadas autoridades do áudio no país, aquilo que não se pode calcular a gente mede... Voltamos ao ponto que o custo é alto...

WiliamKarlos
Membro Novato
# 24/mai/19 10:44
· votar


Acabei descobrindo que o alto falante do sub é o mesmo usado no Home Theater Semp Toshiba XB1207 então vou usar as medidas da caixa de sub dele, e fazer uma parecida, resolvido. Obrigado galera!

WiliamKarlos
Membro Novato
# 26/mai/19 14:18
· votar


Galera boa tarde, vou pedir a ajuda de vocês aqui novamente porque não estou conseguindo encontrar essa informação em lugar nenhum.

O duto para as caixas full ranges num sistema 2.1 deve ser sintonizado em quantos Hz? A caixa tem 4 falantes de 2 polegadas 5 W cada. Vlw

Ismah
Veterano
# 28/mai/19 02:59
· votar


Não está achando, porque essa resposta não existe...
Pode ser em "qualquer" frequência... MAS... PORÉM... ENTRETANTO... Isso mexe com a carga acústica, e outros fatores que de cabeça não recordo...
Por exemplo, está diretamente ligado a potência aplicada (e consequente calor, a Vb solicitada, a F3, Xmax e outras coisas...

Voltamos a questão... Sem saber os parâmetros TS, não tem cálculo pra resolver nada disso... E esses dados que não temos, são realmente um tanto difíceis de obter em casa, portanto são fornecidas pelo fabricante... É isso que tenho tentado dizer a 3 postagens...

Pessoalmente, iria deixar a Fb, no máximo na F3, ou pouco acima e compensar um eventual ganho no HPF do sistema (aumenta o headroom, melhor o amortecimento e coisas assim). Isso também demanda uma medição, que não é tão simples de fazer em casa...

Se o tal AF é usado em determinada caixa, faz todo sentido copiar ela - mas NADA garante que ela seja um projeto sério... Esteja ciente!

Parâmetros TS (Thielle-Small)

Simplista: https://pt.wikipedia.org/wiki/Thiele/Small
https://www.eminence.com/support/understanding-loudspeaker-data/
Completa: http://audiojudgement.com/thiele-small-parameters-explained/
Extras (seção "resources") https://www.tedweber.com/

Teórico sobre como funciona a caixa em questão...

http://audiojudgement.com/bass-reflex-speaker-design/

Exemplo de como se calcula

https://www.htforum.com/forum/threads/ajuda-na-frequencia-dos-dutos.27 6549/

Aqui as contas estão um pouco mais detalhadas

http://www.diysubwoofers.org/misc/portcal.htm

PRA FECHAR... Eu sei que é muito provável que tu vai passar os olhos nos links, achar complicado demais e continuar buscando a fórmula mágica para isso... Talvez apareça um "sapiente" (e eles são muitos) que diga o que tu quer ouvir, mas... Lamento dizer, ele mente...

WiliamKarlos
Membro Novato
# 28/mai/19 10:03
· votar


Ismah, eu encontrei os parâmetros Thielle Small dos altos falantes. E não, eu não estou apenas passando os olhos pelos links, estou a dias lendo e tentando entender o minimo pelo menos desse assunto, para a caixa não ficar muito ruim. Te agradeço pelos links.

Me parece que coincidentemente a caixa que eu estava projetando para esses full ranges iria atender bem. Vou postar os link aqui das duas imagens dos parâmetros Thielle Small. A caixa vai ter 4,5 litros, e o Fb da caixa resolvi deixar em 90 Hz.

https://drive.google.com/file/d/0B6qELBG3AkB0Z1plS2hoTnhwVFJWcVVzbm9Ma URZRVRidDNz/view?usp=sharing

https://drive.google.com/file/d/14rSI-g1mMufN493Y743Y2-noSO-CL8sg/view ?usp=sharing

Ismah
Veterano
# 28/mai/19 14:15
· votar


A ideia do duto é exatamente extender um pouco mais, a resposta de baixa frequência. Nota-se claramente o roll-off abaixo da Fs.

Temos os demais dados?
Aí posso te ajudar a calcular, mesmo achando mais fácil partir do BassBoxPro... Aliás, os fatores Q são determinantes para o tipo de caixa a ser usado.

WiliamKarlos
Membro Novato
# 28/mai/19 14:56
· votar


Tem os dados todos ai nas imagens que postei, na parte de baixo da imagem do gráfico de impedância.

Coloquei os parâmetros na calculadora do autosom.net, ela sugeriu 2,69 litros e Fb 103, mas já fiz a caixa com 4,621 litros, e com esse valor o gráfico ficou com um pico em mais ou menos 90~100 Hz.

Obs: São três auto falantes em cada caixa de 4,621 litros, duas caixas dutadas, independentes.

WiliamKarlos
Membro Novato
# 28/mai/19 14:59
· votar


Eu já tinha escolhido dutada por ter maior SPL, e a calculadora lá do site autosom.net disse que dutada é melhor para esses falantes. Acho que só falta agora a frequência do duto?

Ismah
Veterano
# 31/mai/19 04:46
· votar


Tá, e se eu disser que a melhor coisa, é fazer uma horn de 34m, o que muda?
Também só estou dizendo algo, mas não estou baseando minha justificativa.

Esse é o problema... Dizer que matou o dragão é a parte fácil, mas cadê a cabeça do bicho? Se matar a cobra, tem que mostrar o pau, e a cobra de preferência... Sacas?

Na minha suposição, de uma horn (corneta) de 34 m, seria para ter duas vezes λ (lambda, em oscilatória representa o comprimento de onda), da frequência mais baixa "audível" 20 Hz. Ou seja, vai reproduzir com extrema diretividade, essa frequência (é viável horns de até 1/4 de λ).

No caso, temos de calcular o EBP - Efficiency Bandwidth Product. Eu não sei traduzir diretamente, mas seria como "faixa eficiente do produto". Basicamente, determina baseado na capacidade do conjunto magnético (Qes) - aka motor - de controlar o conjunto móvel, de frequência de ressonância X (Fs).
Este dado, é o que determina se o AF vai se comportar melhor em uma caixa refletora de graves ("dutada") ou suspensão acústica ("selada")...

Uma suspensão acústica ("selada"), tem um efeito de mola pneumática, então ela ajuda a evitar que o cone sai voando (literalmente) com ondas de baixa frequência e grande amplitude - lembre que a amplitude dobra, cada vez que a frequência cai pela metade.
Enquanto uma refletora de graves ("dutada"), trabalha com a ressonância do ar dentro do duto/câmara - o ressonador de Helmholtz, ou flauta de pan.
Este depende muito mais do conjunto magnético, para controlar o cone, logo sempre teremos magnetos poderosos nesse caso - geralmente grandes, quando cerâmicos, mas o neodímio e AlNiCo são exceção...

Adoro essa definição e experiência
http://www.ifba.edu.br/fisica/nfl/fge2/RessonadorDeHelmholtz/Experimen toRessonadorDeHelmholtz.html

Para resumir...

EBP > 50 : refletora de graves ("dutada")
EBP < 50 : bass reflex ("selada")

Existem as band-pass, que são associações das anteriores, mas honestamente, tu precisa sobreviver primeiro a essas para pensar nas demais... E aí terá que roer muuuuuuuuuuuuuuita madeira primeiro...

No caso, proposto...

EBP = Fs / Qes
EBP = 122,567 Hz / 0,564
EBP = 217,3174

Isso é o que tu deve buscar. Não é que eu seja ou queira ser melhor, que o outro fórum, mas só falar qualquer um pode... Isso é o que move a fé, mas não a ciência.

O paper abaixo, deve até ser ilegal, mas ele ensina a calcular os demais que tu quer. Mesmo assim, sugiro que parta para um CAD, como o BassBoxPro, LdspCAD, e demais... Pode perguntar na sequência as dúvidas...

https://pt.scribd.com/document/118767107/Calculo-de-caixas

m4kerr
Veterano
# 04/jun/19 12:22
· votar


Boa tarde pessoal. Saberiam dizer se eu utilizar uma caixa 2x12 projetada para horizontal, em pé (na vertical) causa algum tipo de dano aos falantes, etc? Ou posso utilizar assim tranquilamente? Obrigado

acabaramosnicks
Membro Novato
# 04/jun/19 13:01
· votar


m4kerr
Pode usar de pé tranquilamente, não causa dano algum. Só dá uma testada antes pra ver se ela não tomba com a vibração, mas não é pra acontecer, normalmente o próprio peso dela é suficiente pra superfície de apoio. Tipo, coloca ela em pé e dá umas empurradas, se ela se mantém segura, manda brasa.

Ismah
Veterano
# 05/jun/19 04:33
· votar


A diferença mesmo, fica por conta do comportamento acústico.
Eu sugiro, colocar um pano debaixo. Realmente tome cuidado para não tombar. Sugiro que para ficar mais estável, faça dois pés, dobrando/enrolando as pontas do pano pra dentro - deixe mais perto da borda possível...

acabaramosnicks
Membro Novato
# 05/jun/19 07:51
· votar


Ismah
Aproveitando a presença de quem tem connhecimento... Quais seriam as diferenças no comportamento acústico? Mais projeção por ter um falante mais acima?

Ismah
Veterano
# 06/jun/19 05:38
· votar


Mais projeção teria meio que de qualquer forma, já que temos mais ar se movendo, ou seja, maior magnitude.
A diferença fica por conta da figura polar formada. O conjunto é mais direcional no sentido dos dois AF's, e praticamente mantém sua direcionalidade no sentido transversal.
Com 4 AF's, temos ainda mais direcionalidade, mas dessa vez ela é igualmente direcional

A direcionalidade de um AF, é amarrada ao diâmetro do cone. Até onde o diâmetro efetivo do cone representa λ/4 ou ¼λ, temos a menor frequência com CERTA direcionalidade.
Calculado por fc = λ/4d, onde d é o diâmetro efetivo do cone.
Para dois, se tem fc = fc = λ/4d, mas aqui d representa a distância dos centros acústicos - centro do cone, até o centro do outro cone.
Para três empilhados, temos mais direcionalidade no centro do empilhamento para a frequência mais baixa até que λ/4 coincida com a altura total do empilhamento. Porém, o AF1, interage com o AF2 e AF3. Logo temos a interação entre os 3 AF's do conjunto, e entre o AF de cima e o AF de baixo. Isso vale para quantos AF's tu quiser...
Para 3 ou AF's equidistantes, como no Fender Vibro King ou numa Marshall 1960, a direcionalidade é meio equivalente em todos os sentidos, dado pela distância dos centros acústicos...
Num sistema full stack, acontece o mesmo que ao empilhar 2 AF's verticalmente, mas em proporções maiores...
Ainda vale dizer que o chão, dependendo o material absorve alguma coisa de média e alta frequência ou não. Na prática, reflete a maior parte das ondas que chegam nele. Logo, funciona como um espelho acústico, e é como se tivesse mais 2 AF's abaixo dele.
Ainda que tem quem discorde, muitas vezes tem mais sentido usar* o amp no chão, e não sobre uma cadeira, justamente por isso.

Talvez tenha te ocorrido, que pensando pela direcionalidade apenas, faria todo sentido usar uma caixa com 4 AF's e um amp de pouca potência, num lugar pequeno. Sendo mais direcional, diminuímos as reflexões, aka menos reverberação no ambiente. Como é pequeno, praticamente não vai se movimentar na frente do amp, logo direcional ou não, a diferença é desprezível...
Tão bem como uma caixa com 1 AF pequeno de preferência, e alta potência num ambiente grande. Assim o som é mais uniforme... Mas não exatamente, isso não funciona e por outros motivos, além do volume.
Num lugar com muitas reflexões, temos naturalmente um acréscimo de graves - por acoplamento das ondas refletidas mesmo. Enquanto num lugar grande, não temos essas reflexões, o que dificulta criar direcionalidade para os graves.
Isso por si só, pode ou não atrapalhar, depende unicamente de quanto de graves tem no teu timbre... Se é um timbre mais rock clássico, praticamente não tem grave. Se for afinar uma harpa de 11 cordas, em si fumol, e ainda usar alavancadas, pra tocar djent... Bem, vai precisar de bastante graves.

Se pegar, um amp de estudo, notará que a imensa maioria dos que se acha no mercado tem AF's pequenos. Geralmente 4 a 8 polegadas. São projetados para usar em pequenos ambientes, e quartos. Habitualmente, um quarto tem armários, cama, cortinas e coisas assim, que absorvem alta frequência.
Com o reforço no grave pelas reflexões, aliada a baixa reflexão de agudos, não precisa mais que isso...
Um AF de 12", é mais direcional. Como dito, isso trás menos reflexões, logo o timbre é menos influenciado pelo ambiente.
Na prática, um amp no palco, se comporta mais parecido com um AF pequeno...

*Vale dizer que inclinar o amp, ou por ele sobre uma cadeira, tem seus problemas em determinadas circunstâncias. Se tiver de (ou quiser mesmo) esgaçar o volume, com o amp inclinado e um palco no mesmo nível (ou quase isso), se precisa uma certa distância do amp, para que o som chegue na orelha do músico. Muitas vezes, vejo que o amp dá na bunda do músico, e no pé do ouvido de quem está logo na frente do amp.
Da mesma forma, num palco elevado e com o amp no chão, também dá reto na orelha, de quem está logo a frente do palco. Aí ou inclina, ou põe sobre algo - eu sempre peço cases de moving head ou bean (a nova moda).

WiliamKarlos
Membro Novato
# 17/jun/19 16:11
· votar


Boa tarde galera. Coloquei dois capacitores, um de 330uF e um de 220uF, em serie(negativo com negativo, para cortar a frequência de um conjunto de alto falantes com impedância equivalente de 4 ohm. Liguei botei o som pra testar e...Não aconteceu nada! ta tocando como se não tivesse nenhuma alteração. Coloquei tambem um capacitor de 600uF para cortar o sub em 30hz e parece que não mudou nada tambem. Eh mole? não sei porque essas coisas acontecem comigo...

Ismah
Veterano
# 17/jun/19 21:47
· votar


Ambas as questões, podem ter as mesmas respostas...
AF não reproduz isso (99% de chance de não responder)
O próprio amp não reproduz
A mídia usada não contém/comporta nada nessa faixa (para os graves principalmente)

Qual desses itens? Não tem como saber.

WiliamKarlos
Membro Novato
# 19/jun/19 00:10
· votar


Eu não coloquei as informações completas. O filtro que eu tentei fazer com os capacitores de 330uF e 220uF foi um filtro passa alta a partir de 300Hz, para alto falantes de médio graves/agudos. E o filtro em que usei o capacitor de 600 uF foi para um filtro passa alta a partir de 30Hz para um Subwoofer. Os altos falantes estão bom, e o sistema está tocando normalmente toda a faixa de frequência de 20 a 18Khz. O problema é que esse filtro passivo aí com capacitores não funcionou, em nenhum dos dois alto falantes, está tocando como se não tivesse nada conectado. E quando eu faço um corte via software no sinal de som em 100Hz os graves fortes somem do falante de médios e do SubWoofer normalmente...

Os capacitores estão em série com os alto falantes, no positivo do alto falante.

Ismah
Veterano
# 19/jun/19 08:49
· votar


Pera aí... Você tem ideia do que é necessário para reproduzir 20 Hz?
Não creio que a estrutura do RiR permita isso.

Fc é o ponto de -3 dBV. Se há um HPF em 30 Hz., em 20 Hz deve haver algo em torno de -4~5 dBV. Ainda assim, não há nada nessa faixa para ser reproduzido. Duvido muito que o aparelho gerador de sinal faça isso, a corrente fica muito alta, e não há informação útil ali.
Como visto, estamos falando de um filtro de primeira ordem (-3 dB/oct), o que é um nada... Talvez esteja notando isso como "problema", via software dá para chegar a 96 dB/oct... O problema é fase...Um filtro tão radical, bagunça muitíssimo a fase...

Outro fator, é que o corte é um valor calculado, e não algo empírico. Se o tal AF tem Fs em 100 Hz, pode enfiar 50 Hz com o nível de sinal que quiser, que ele não reproduz de maneira eficiente, e no máximo vai conseguir danificar o AF.
Outro ponto... Por que deixou uma década para a via de graves? Normalmente se deixa uma oitava e meia a duas oitavas. Supondo que começaria em 30 Hz, seria de 30 - 120 Hz duas oitavas. A via de médios, habitualmente é de uma oitava a uma década - em números, 120 - 1000/1200 Hz. Depende de onde o conjunto de alta frequência consegue chegar. Temos drivers de titânio, que consegue reproduzir a partir de 800 Hz. Tudo depende das via seguinte, e da Fs das duas.

Sem ter como medir, não sei dizer como poderia fazer. O RTA do celular, serve de certa referência, mas não se fie muito nele. Confie, desconfiando.
Sugiro a troca dos capacitores, e análise de qual o tipo usado.

Existem várias topologias, mas nunca vi um HPF usando só um capacitor. Como que tu chegou nesses valores?

WiliamKarlos
Membro Novato
# 19/jun/19 23:44
· votar


O alto falante Subwoofer reproduz 20Hz, eu coloco no youtube um sinal qualquer 20Hz e ele reproduz normalmente. E eu quero atenuar as frequências de 30Hz para baixo para não danificar o alto falante, já que baixas frequências exigem muito do cone e etc. É um alto falante de 5,5 polegadas 8 ohm 30W numa caixa dutada, 13.2 litros com ressonância em 56 Hz, e o amplificador manda pra ele no máximo 30 W.

Não sei o que significa estrutura do RiR.

Não sei o que é deixar uma decada para via de graves, rsrs. O que tenho é que o Subwoofer toca de 10 a 300Hz e os falantes de médio/agudo, que na verdade são full ranges tocam toda a frequência, como o nome já diz, full ranges. Como os full ranges estão distorcendo muito os graves no volume alto, pode até danificar, eu quis fazer um corte neles de 300Hz para cima, isso teoricamente já tiraria a maioria dos graves que está fazendo ele distorcer. E fazendo o corte via software em 100Hz os graves fortes sumiram mesmo e os full ranges tocaram lindamente. As frequências de 300Hz para baixo ficaria a cargo do subwoofer.

Pela lógica se um corte "seco" via software em 100Hz já tira os graves, um corte com capacitores em 300Hz deveria tirar algo também não é?

O Fs dos full ranges é 122 Hz, estão em uma caixa dutada de 4,5 litros, ressonância em 102 Hz.

Sobre HPF usando só capacitor, é o metodo de Butterworth, primeira ordem, corte de 6db por oitava, vou deixar aqui o link com os artigos que usei como base.

Crossovers
http://autosom.net/artigos/crossovers.htm

Como Calcular e Montar Filtros Divisores de Frequência
https://www.newtoncbraga.com.br/index.php/matematica/10912-como-calcul ar-e-montar-filtros-divisores-de-frequencia-m283?fbclid=IwAR1_Z-C8Q47- RlklM5v6Ugz9rSj-DviAGopKBmNYskCfcCQgKvpcsxiqI9w

WiliamKarlos
Membro Novato
# 19/jun/19 23:55
· votar


Os capacitores são eletrolíticos, conectei dois, negativo com negativo, para fazer um despolarizado. Comprei eles, estão novos, só dei uma testada com um multímetro em 1 para ver e estava carregando, e está. Pensei em adicionar indutores para mudar o filtro para segunda ordem e ver o que acontece, mas pesquisando vi que vai ser complicado calcular e montar um indutor na casa dos mH, e eu não tenho nem um aparelho para medir indutância aqui. As caixas estão tocando bem, só queria colocar essa proteções extras ai nos alto falantes, pois perto do volume máximo os Afs começam a distorcer.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a 【FIXO】Caixas acústicas e alto-falantes - Para tentar tirar todas as duvidas