Funk Carioca. Cultura Brasileira

Autor Mensagem
damiusc
Veterano
# nov/13


Eu vejo uma galera falando mal do Funk Carioca. Mas penso eu que apesar das letras indigentes e sujas, que colidem contra o conceito moral da sociedade, ele não deixa de ser cultura brasileira. Bom ou ruim, faz parte da nossa música, da nossa arte. Isso é um fato inegável.
Pudera então os músicos brasileiros trabalharem para subir a qualidade desse estilo que se consolida em grande parte do território nacional. Música boa vem de músicos bons. Modéstia, humildade e parceria também faz parte disso.

Comentem, julguem, critiquem. Fiquem a vontade, a casa é sua!! heheh

Rednef2
Veterano
# nov/13
· votar


Não vejo como cultura brasileira.

Até porque dizer isso, é como querer falar que toda mulher brasileira curte mostrar a bunda por ai.


Mas falando em termos de letras, a galera do rock é um pouco hipocrita.
Já que trocentas bandas de rock n roll tem letras mais obscenas do que os funks.

damiusc
Veterano
# nov/13 · Editado por: damiusc
· votar


ok, exemplo: música gaúcha é cultura brasileira, mas isso não significa que todas as mulheres gostam e/ou se vestem de prendas. Música nordestina é cultura brasileira, mas nem todas as mulheres aderem as características do estilo. E o mesmo vale para o funk.

É importante a gente entender a definição de cultura. E o Funk é sim, cultura popular. Isso já faz parte da vida corriqueira de muitos brasileiros.

AllanGouveia
Membro
# nov/13
· votar


não entendo funk ostentação... eles ostentam com o que no inicio da carreira já que moram na favela?

N to discriminando a favela, mas que para o cara ostentar, ele tem quer ter algo, e se tivesse uma condição boa, n estariam n favela... ao meu ver...

podem até discordar, mas que não faz sentido p mim, n faz...

makumbator
Veterano
# nov/13
· votar


Pra mim, o chamado funk carioca já obviamente faz parte da cultura brasileira. Isso não quer dizer que seja arte, que seja maravilhoso, que todos tem que gostar etc.. mas negar que faz parte da cultura popular (e é um importante fenômeno social para muita gente) me parece um tanto discriminatório.

AllanGouveia

mas que para o cara ostentar, ele tem quer ter algo

Mas é por terem pouco que a ostentação se torna ainda importante para esses grupos. A ostentação acaba virando uma forma de demonstrar os objetos de desejo e conceitos do que seria sucesso pessoal naquelas comunidades. Para mim é perfeitamente compreensível.

Observe que a importância do "ter" e ele se fundir com o "ser" não é exclusividade da "favela". Em larga medida isso está entranhado em todas as classes sociais. O funk ostentação é meramente o exagero disso.

AllanGouveia
Membro
# nov/13
· votar


makumbator
Realmente, olhando desse ponto de vista faz sentido...

mas continuo detestando funk... os meus vizinhos ouvem todos os dias e é uma pornografia pior que a outra...

Mas existem também funk mais consciente e sem ser pornográfico...

Casper
Veterano
# nov/13
· votar


Minha tese:

http://menegasso.blogspot.com.br/2012/12/akai-x-funk-carioca.html

Thiago Livgren que toca mais ou menos
Membro Novato
# nov/13
· votar


"Cultura" pode até ser, mas música não é nem a pau.

Lelo Mig
Membro
# nov/13
· votar


damiusc

Vivemos "chatos" tempos de politicamente correto...

Tudo tenho que considerar, tudo tenho que ver por outro ângulo, tudo tenho que aceitar.

Faz parte da cultura popular moderna? Faz!
É a voz de uma periferia sem cultura e educação? Sim!
É subproduto de uma sociedade superficial e fútil? É!

Ok, entendo tudo isso, mas acho uma bosta e ponto!

VelhoMoço
Membro Novato
# nov/13
· votar


acho uma bosta e ponto!
(2)

MauricioBahia
Moderador
# nov/13
· votar


Quando a Globo resolve bancar, já era...

Lord-g
Veterano
# nov/13
· votar


Patrimônio cultural carioca.

Falando no Funk ostentação nem os ícones do gênero parecem saber explicar.

No de frente com Gabi os mc's Gui e Guime se enrolaram legal pra explicar ^^, mas fazer o que nosso povo gosta de bancar esses caras por isso eles ostentam.

Pronto falei.

El_Cabong
Veterano
# nov/13
· votar


Tá certo que gosto é gosto.
Cada um tem o direito de ouvir o que quiser, desde que não perturbe os outros.

AGORA !

Se Funk Carioca é Cultura, então uma bosta de vaca servida num prato é Gastronomia !!

MauricioBahia
Moderador
# nov/13
· votar


Esse funk putaria, "pancadão, com letras e dancinhas só falando de sexo, é a anti-cultura em estado bruto. Baixo nível total, no meu entender.

Isso reflete bem a condição do carioca nas últimas décadas. Sem ensino, sem governo, sem família constituída, sem noção, sem ajuda... e sob o teto dos "bigode grosso", ostentando cordões de ouro, apoiados pelo governantes. Tudo se encaixa.

Porém, como em qualquer estilo musical, tem coisa boa, com mensagens que fazem sentido, sem apelação.

damiusc
Veterano
# nov/13
· votar


Primeiro ponto, volto a falar, precisamos entender realmente o que é cultura.
Eu encaixo esse estilo dentro da Cultura Popular:

CULTURA POPULAR
A interação de várias pessoas em uma sociedade, na troca e envolvimento de conhecimentos e influências acaba gerando uma tendência cultural, é o que chamamos de Cultura Popular.
Não é possível definir uma regra exata para o que seja ela, visto que é totalmente flexível por questões de origens, nacionalidade, classe social e transformações sociais.
O que é cultura popular em um país, nem sempre será a mesma em outro. Talvez nem mesmo mudando de um Estado para outro.
Então é importante ressaltar que Cultura Popular é totalmente influente, influenciada e metamórfica.


Outro ponto extremamente importante! Eu questiono: nos passar dos séculos em que a arte evolui chegando até a atualidade. Todas as expressões artísticas são algo bom, positivo e/ou agradável?
Certamente não. A arte é um veículo de manifestação e de expressão dentro de seus meios (musica, dança, artes plásticas, artes visuais). Desde que essas manifestações aconteçam, o conteúdo acaba ficando em segundo plano. E quanto ao conteúdo, ele nem sempre vai ser bom, agradável. Contudo, de forma alguma deixa de ser arte.

Julia Hardy
Veterano
# nov/13
· votar


Se é cultura ou não, um sociólogo(ou qualquer um desses estudiosos que gostam de pobre)pode explicar melhor. Musicalmente, tem as coisas boas e ruins.

Mas falando em termos de letras, a galera do rock é um pouco hipocrita.Já que trocentas bandas de rock n roll tem letras mais obscenas do que os funks.

Pois é.

"Queria ser o banquinho da bicicleta pra ficar no meio das pernas..."

"Chegou a hora de tu sentar na pika tá?"

É a mesma bosta.

E o Funk é sim, cultura popular. Isso já faz parte da vida corriqueira de muitos brasileiros.

Mas, não de todos.

_bielmaia
Membro Novato
# nov/13
· votar


damiusc
Outro ponto extremamente importante! Eu questiono: nos passar dos séculos em que a arte evolui chegando até a atualidade. Todas as expressões artísticas são algo bom, positivo e/ou agradável?
Certamente não. A arte é um veículo de manifestação e de expressão dentro de seus meios (musica, dança, artes plásticas, artes visuais). Desde que essas manifestações aconteçam, o conteúdo acaba ficando em segundo plano. E quanto ao conteúdo, ele nem sempre vai ser bom, agradável. Contudo, de forma alguma deixa de ser arte.


Desculpa, falar q é funk é arte é um tiro no meu peito...

_bielmaia
Membro Novato
# nov/13
· votar


Talvez funk seja cultura em lugares pobres, e até no rio, mas em outros com certeza não é.

Thiago Livgren que toca mais ou menos
Membro Novato
# nov/13
· votar


_bielmaia
Desculpa, falar q é funk é arte é um tiro no meu peito... (2)
Pra mim, para ser arte o cara tem no mínimo saber o que está fazendo.
Pra ser música, o cara tem que saber o que está fazendo, além de ter algum instrumento musical que oferece certa dificuldade em ser tocado, de preferencia que não seja de percursão (sem preconceito contra bateristas), e digamos, apertar um botãozinho que faz tocar um gemido ou qualquer parte de uma música aleatória até uma criança de 2 anos faz.

Porém, como em qualquer estilo musical, tem coisa boa, com mensagens que fazem sentido, sem apelação.
Funk Melódico?

damiusc
Veterano
# nov/13 · Editado por: damiusc
· votar


Thiago Livgren que toca mais ou menos
de preferencia que não seja de percursão

Discordo completamente! heheh
O Olodum da Bahia e o Maracatu de Pernambuco tem uma riqueza e uma importância gigantesca pra nossa cultura brasileira. E ambos em sua maioria trabalham especificamente instrumentos variados de percussão, não necessariamente melódicos ou harmônicos.

El_Cabong
Veterano
# nov/13
· votar


damiusc
Eu questiono: nos passar dos séculos em que a arte evolui chegando até a atualidade. Todas as expressões artísticas são algo bom, positivo e/ou agradável? Certamente não.

... E isso concorda com a comparação que eu fiz lá em cima.

A bosta de vaca servida no prato é então uma gastronomia não agradável.

_bielmaia
Membro Novato
# nov/13
· votar


Thiago Livgren que toca mais ou menos
Respondeu pro damiusc e me colocou? :o haha


Pra mim, para ser arte o cara tem no mínimo saber o que está fazendo.
Pra ser música, o cara tem que saber o que está fazendo, além de ter algum instrumento musical que oferece certa dificuldade em ser tocado, de preferencia que não seja de percussão (sem preconceito contra bateristas), e digamos, apertar um botãozinho que faz tocar um gemido ou qualquer parte de uma música aleatória até uma criança de 2 anos faz.
(tirando a parte de baterista, que já vi fazerem músicas e solos da hora)[2]

damiusc
Discordo completamente! heheh
O Olodum da Bahia e o Maracatu de Pernambuco tem uma riqueza e uma importância gigantesca pra nossa cultura brasileira. E ambos em sua maioria trabalham especificamente instrumentos variados de percussão, não necessariamente melódicos ou harmônicos.

Certo, a discussão é funk ou esses ritmos? ele falou só de preferência...

Thiago Livgren que toca mais ou menos
Membro Novato
# nov/13 · Editado por: Thiago Livgren que toca mais ou menos
· votar


damiusc
Eu disse de preferencia, e não obrigatoriamente. : ). Porém digamos que esses caras sabem o que estão fazendo, e não apenas largando o braço aleatóriamente no tambor.

El_Cabong
Foi mal, falta de atenção haha

Quanto a bateristas fazerem músicas, não significa que o batera não manja de notas só porque é batera. Até por isso que eu coloquei "sem preconceito aos bateristas".

little_wolf
Veterano
# nov/13
· votar


Ah, a ortodoxia roqueira...

Pode-se falar o que for do funk carioca, mas não há como negar que eles tem muito mais atitude (principalmente o proibidão) e são muito mais transgressores que pelo menos 95% dos nossos roqueiros.

E essa é uma discussão que dá muito pano pra manga.

_bielmaia
Membro Novato
# nov/13
· votar


Thiago Livgren que toca mais ou menos
De novo? hahahaha desisto! kkkkkkkkk

entendi... é q do jeito q vc colocou, parece [PARECE] que excluiu os bateras...

little_wolf
Ah, a ortodoxia roqueira...

Pode-se falar o que for do funk carioca, mas não há como negar que eles tem muito mais atitude (principalmente o proibidão) e são muito mais transgressores que pelo menos 95% dos nossos roqueiros.

E essa é uma discussão que dá muito pano pra manga.


Atitude tem, transgressores pra caramba... mas mesmo assim não gosto d funk. :p
E também, podem ser como eu [os rockeiros] que ouvem rock, fica de boas, só odeia o funkeiro sem fone com o celular no último tocando os 'batidão' no ônibus

El_Cabong
Veterano
# nov/13
· votar


Eu nunca vi um ouvinte de Funk Carioca colocar a sua música nos seus fones de ouvido e ouví-la com prazer.
Ele não faz isso porque nem ele próprio atura aquela música como algo a ser curtido e desejado.

A graça toda está em tocar no último volume a sua Merda Music, só para perturbar os outros.

Thiago Livgren que toca mais ou menos
Membro Novato
# nov/13 · Editado por: Thiago Livgren que toca mais ou menos
· votar


AllanGouveia
De novo? hahahaha desisto! kkkkkkkkk
Foi mal, agora não vou errar mais hauhauahuahauh

_bielmaia
entendi... é q do jeito q vc colocou, parece [PARECE] que excluiu os bateras...
Eu excluir bateras? Nunca! haha

little_wolf
Pode-se falar o que for do funk carioca, mas não há como negar que eles tem muito mais atitude (principalmente o proibidão) e são muito mais transgressores que pelo menos 95% dos nossos roqueiros.
Esse lance de "precisar" quebrar a lei já foi embora lá pelos anos 70. Inclusive, hoje em dia se um cara achar que precisa ser bandidão e usar drogas para curtir Rock, muito provavelmente será taxado de poser. Quanto à atitude, estranhamente esse estilo á muito curtido por pessoas tímidas.

_bielmaia
damiusc
só odeia o funkeiro sem fone com o celular no último tocando os 'batidão' no ônibus
Eu fico com raiva não só quando é dentro do busanga, mas também quando é em carros. Eu por exemplo poderia sair por aí estourando a Psychedelic Super Jesus nos busangas mas não faço isso, pois sei que lá tem gente que quer ouvir seu próprio estilo, ou quer conversar, dormir, e.t.c., mas me irrita profundamente quando eu to no ponto de onibus e passa um carro tocando porcarias com as frequencias graves no talo (dá vontade de tacar pedra). Dá raiva também quando os metidinhos que não entendem nada de música vem falar coisas idiotas, como: "Rock é do cão", "os Rocks são todos iguais", "Esses caras do Rock não cantam, só gritam que nem mulherzinha", "Blues? Que m. é essa?" "ouve música de gente normal", "começa a ouvir funk, senão vc não vai pegar as minas", essas porcarias em geral.

El_Cabong
Veterano
# nov/13
· votar


Thiago Livgren que toca mais ou menos
Campanha!
Atire uma pedra no vidro traseiro do carro de um funkeiro sem educação.
kkkkkkk

_bielmaia
Membro Novato
# nov/13
· votar


El_Cabong
Thiago Livgren que toca mais ou menos
Campanha!
Atire uma pedra no vidro traseiro do carro de um funkeiro sem educação.
kkkkkkk

Capaz de descerem e derem um tiro! ;p
melhor explodir [GTA mode ON]

Lelo Mig
Membro
# nov/13 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Suas irmãs se divertindo!

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Funk Carioca. Cultura Brasileira