Dispensada a exigência da carteira dos musicos em São Paulo!

Autor Mensagem
mazza
Veterano
# fev/07


Dispensada a exigência da carteira dos musicos em São Paulo!

mazza
Veterano
# fev/07 · Editado por: mazza
· votar


Olá

Estou repassando email recebido de fonte confiável, para conhecimento de todos.
Será verdade???
Abraços


Subject: CARTEIRA DA ORDEM DOS MÚSICOS É DISPENSADA EM SÃO PAULO-INFORMAÇÃO
ÚTIL


> Subject: CARTEIRA DA ORDEM DOS MÚSICOS É DISPENSADA EM SÃO
> PAULO-INFORMAÇÃO ÚTIL
>
>
> Assunto: CARTEIRA DA ORDEM DOS MÚSICOS É DISPENSADA EM SÃO
> PAULO-INFORMAÇÃO ÚTIL
>
> Olá, amigos músicos e/ou cantores. Recebi essa informação de fontes
> confiáveis e estou repassando aos interessados e/ou que desconhecem
> ainda essa informação :
>
>
> Carteira da Ordem dos Músicos é dispensada em São Paulo
> O Governador José Serra aprovou nesta quinta-feira, 1 de fevereiro,
> projeto
> de lei do Deputado Alberto Turco Loco Hiar - PSDB/SP, que dispensa a
> apresentação da Carteira da Ordem dos Músicos do Brasil na participação de
> músicos em shows, e espetáculos afins que se realizem no Estado de São
> Paulo.
> Como a medida decretada pela Assembléia Legislativa e promulgada pelo
> governador, a lei será regulamentada no prazo de 60 (sessenta dias), a
> contar de sua publicação, estabelecendo os critérios e as penalidades a
> serem impostas aos infratores.
> Segundo o Deputado Turco Loco, autor do projeto de lei, "essa foi uma
> vitória dos músicos brasileiros, que a partir de São Paulo, vão fazer uma
> revolução na música, e ajudar na evolução artística do nosso país."
>
>
> Qualquer dúvida, entrem em contato com a Ordem dos Músicos para
> confiramação sobre a veracidade .
> O objetivo deste e-mail é apenas repassar o que recebi.
>
> Abraços,
> Marcelo

Eduardo 336
Veterano
# fev/07
· votar


Coisa boa saber isso... será que isso vai interferir nos outros estados também??
Acho que se forem exigir a carteira a coisa teria que ser melhor fiscalizada... eu em toda minha vida nunca apareceu UM fiscal em show meu, sendo que comecei a tocar em bares com 14 anos.

gustavorino
Veterano
# fev/07
· votar


Isso ai foi um email que alguem recebeu de fontes confiaveis e enviou para outras pessoas que dizem ter recebido de fontes confiáveis? cujos emails foram repassados para outras fontes confiaveis?

enfim.. se foi de fonte confiável por que você escreveu

Será verdade???

mazza
Veterano
# fev/07
· votar


Isso ai foi um email que alguem recebeu de fontes confiaveis e enviou para outras pessoas que dizem ter recebido de fontes confiáveis? cujos emails foram repassados para outras fontes confiaveis?
rsrsrsrsrs

storrecilha
Veterano
# fev/07
· votar


é verdade,

podem consultar no site do governo do estado de são paulo, (mas como ninguem vai consultar, reproduzo abaixo)


Lei nº 12.547, de 31 de janeiro de 2007


(Projeto de lei nº 1302/2003, do Deputado Alberto "Turco Loco" Hiar - PSDB)

O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO:

Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu promulgo a seguinte lei:
Artigo 1º - Ficam os músicos, no Estado de São Paulo, dispensados da apresentação da Carteira da Ordem dos Músicos do Brasil na participação de shows e afins.
Artigo 2º - Esta lei será regulamentada no prazo de 60 (sessenta) dias, a contar de sua publicação, estabelecendo-se os critérios e as penalidades a serem impostas aos infratores.
Artigo 3º - Esta lei entra em vigor na data de sua pu-blicação.
Palácio dos Bandeirantes, aos 31 de janeiro de 2007.
José Serra
João Sayad
Secretário da Cultura
Aloysio Nunes Ferreira Filho
Secretário-Chefe da Casa Civil
Publicada na Assessoria Técnico-Legislativa, aos 31 de janeiro de 2007.


---------------------------------------------------------------------- ----------
Publicado em : D.O.E. de 1º/02/2007 - Seção I - pág. 01
Atualizado em: 02/02/2007 16:37

bya
Veterano
# fev/07
· votar


p/ registrar nome de banda precisa ainda? ela foi abolida totalmente?

fernando tecladista
Veterano
# fev/07
· votar


eu não entendendo muito de lei e etc... mas não tem como alguem derrubar isso (liminar ou coisa do tipo) e ai o povo todo ter que pagar até o que ficou pra tras

Mauro Lacerda
Veterano
# fev/07
· votar


Porquê a gente não faz alguma coisa para manter essa lei? Tipo um abaixo assinado ou algo do tipo. É tão raro haver algum tipo de mudança que favoreça nossa classe, que eu fico até intrigado. Sei que já foi deferido, mas acho que tem que ter um apoio! Ás vezes, um gesto de apoio contribui para que tenhamos mais respeito e merecimento (sei que temos, mas temos que dizer isso para os outros). Fica aqui minha satisfação por poder trabalhar sem pagar para isso...
Abraços.
Mauro.

emanuel macedo
Veterano
# fev/07
· votar


remedio que pode virar veneno.

esse negocio de carteira de músicos como já foi discutido em outro tópico
se seria melhor liberar para que todo toquem seja musico profissional ou amador, é uma faca de dois gomos.

o erro está na diretorio da OMB.
leis são feitas para serem comprindas
liberar para que se toque sem a carteira de músico vai virar uma zona total.
sou contra a omb pela sua má administração e altos preços das carteiras
mas essa de músico amador tocar sem carteira para competir
diretamente com profissionais é furada da grande.

o que precisamos é de organização e leis que apoêm os musicos
para que não aconteça o que vem acontecendo em muitos estados
onde um músico e obrigado a tocar pelo um prato de comida.
porque outros só pelo motivos de hoby tocam quase de graça.

ser músico é como qualquer profissão, vc tem que provar o que é
e para exercer vc tem que ter um documento, ou vcs já viram algum advogado sem carteira, qual empresa dará um cargo de motorista sem abilitação, será que é facil tentar dá uma de policia ?

acredito que os que fazem tanto caso para tal liberação, serão os primeiros à tomar do seu próprio veneno.

esta é minha opinião.

vejam a opinião de Priscila Santos
---------------------------------------------------------------------- -----------
Opinião sobre OMB e legislação -advogada do Paraná

De: PRISCILA SANTOS
Assunto: Opinião sobre OMB e legislação

O que é arte? O que é profissão?
Começo minha primeira inserção no grupo Questões Trabalhistas/OMB, com
estas indagações, após ler o livro A INCONSTITUCIONALIDADE DA ORDEM
DOS MÚSICOS DO BRASIL do advogado Cassiano Cordoni.
A resposta a estas duas perguntas foram decisivas, enquanto pensava
sobre a crucial indignação dos músicos do Brasil: OBRIGATORIEDADE DA
CARTEIRINHA DA OMB.

Em análise ao projeto-lei do RJ e demais textos que aqui li, sugeri na
última reunião do GT-Trabalhista do Paraná, realizado ontem
(27/06/05), as seguintes propostas:

1º - Hoje a lei e o projeto do RJ falam em deixar a critério de algum
órgão (seja ele OMB ou Sindicato) definir que pode ser "profissional"
da arte musical, utilizando critérios de uma banca examinadora, ou
ratificar os certificados de algumas instituições.

Este critério na minha opinião só mascara que o músico não é livre
para tocar, pois deve seguir "critério" de alguém para saber se sabe
ou não tocar/cantar!!!
Este entendimento se prevalecer na nova lei priva a Arte de sua
essencial característica - A LIVRE EXPRESSÃO - INDEPENDENTE DA FORMA
QUE ELA VAI SE MANIFESTAR. Fundamento primordial do direito autoral, e
princípio constitucional ao meu ver.
Desta forma, entendo que cabe a cada artista musical querer se
"PROFISSIONALIZAR", que deve ser entendido TRABALHAR COMO EMPREGADO,
cumprindo horas, ensaiando, obedecendo ao dono do bar, da festa, do
teatro...(nas palavras da Consolidação das Leis do Trabalho, art 3º
"Considera-se empregado toda pessoa física que prestar serviços de
natureza não-eventual a empregador, sob a dependência deste mediante
salário") .

Sugeri que a nova lei deve distinguir entre o músico que quer ser
empregado daquele que apenas quer se manifestar fazer suas
apresentações sem estar subordinado a algum empregador. Em outras
palavras é livre ao artista escolher se filiar a OMB e pagar sua
anuidade, pois neste caso ele se qualificaria como empregado.

Logo, defendo a tese de que o músico "empregado" deve estar REGISTRADO
na OMB, pagar anuidade para que esta instituição, por sua vez, possa
ter recursos para, por exemplo:
-fiscalizar o seu TRABALHO (e não a sua carteirinha) junto aos
estabelecimentos que se utilizam dos músicos;
-promover oficinas, cursos e concursos;
- integrar os associados;
- ter em seu espaço acervo dos associados ou não.

O registro obrigatório de quem quer ser empregado, seria uma forma de
protegê-los de donos de estabelecimentos que não teria como deixar de
registrar na carteira do trabalho, pagar FGTS, INSS, Hora extra, entre
outros direitos de um trabalhador.

Para incentivar o músico que quer ser empregado mas ainda não tem
tanta bagagem de shows, ensaios, CD gravado - cria-se a fase do
pré-profissional. Esta fase seria durante os 2 primeiros anos do
registro na OMB, em que pagaria 50% do valor da anuidade, situação que
poderá ser renovada uma única vez por mais 2 anos, e passará a pagar
75% da anuidade. Mas em contrapartida terá todo o respaldo legal de um
trabalhador. O que não ocorre com o "músico prático" legalmente, e na
prática nem com o "músico profissional".
Após este prazo o músico passa a ser profissional, pagando o valor
total da anuidade.

Assim se alguém quiser tocar em panelas, criar sons através de
programas de computador, cantar desafinado, ou qualquer que seja a sua
manifestação não cabe a uma banca decidir se ele é ou não músico
profissional. Ele trabalhará como empregado e terá o público como a
verdadeira banca examinadora. A decisão de ser músico empregado cabe a
ele, independente de ser bom ou não, de ter público ou não, basta
estar empregado. Caso contrário será músico profissional ou
pré-profissional desempregado.

Em resumo: Estar regulado pela lei trabalhista requer inscrição na
OMB, ser livre para se manifestar e ter outra profissão não cabe a OMB
obrigá-lo a inscrição.

2º - Definição de músico
Definir quem é o músico é definir o que é a livre manifestação de um
artista. É aprisionar a arte numa "forma" de se expressar, deixando
esta de ser LIVRE. Algo comum neste país, que desde o período colonial
reprimia qualquer manifestação de cultura, elaborando como deveria ser
a propagação da cultura.

Porém, quando se trata de PROFISSÃO, e neste sentido caracterizar
alguém como empregado, o artista musical pode ser definido como "o
músico de qualquer gênero ou especialidade que compõe, arranja,
interpreta ou executa obra musical de qualquer natureza, através da
voz ou qualquer outro meio; que rege ou dirige grupos vocais,
instrumentais ou eventos musicais; para efeito de apresentação
pública, fixação, registro, edição, educação, pesquisa e consultoria
musical, e desenvolve suas atividades através de meios de comunicação
de massa e produções artísticas musicais, em locais onde se realizam
apresentações e espetáculos musicais, em estúdios de gravação e
radiodifusão ou em entidades públicas ou privadas de ensino musical."
Acrescentando na definição do projeto RJ o conceito trabalhista "que
presta serviços a empregador , sob a dependência dele, mediante
salário, seja trabalhador permanente ou avulso".
Não sou a favor da definição do projeto RJ na seguinte parte "que
compõe, arranja, interpreta e executa obra musical de qualquer
natureza, por meio de instrumentos ou voz" - visto que a interpretação
da palavra "instrumentos" depende da época e a arte é atemporal,
apenas citando que outrora o violão não era instrumento musical, assim
com se discute sobre a música feita em computador (tecnopop).

Alguns diriam que nem todos conhecem a teoria musical, e deixar a
alguém a liberdade para se tornar "profissional" acarreta em exercer
profissão como a de professor, que requer maior conhecimento de
teoria, em tese, mas eu defendo que a admissão fica a critério do
empregador ou no caso de emprego público este depende de concurso (que
será formulado nos requisitos que a administração pública achar
essencial ao cargo disponível).
O que não pode é alguém trabalhar como músico e ser visto com livre a
sua manifestação e suprimir o contrato de trabalho.

3º - Sugiro também, que os artistas musicais que não querem se
registrar na OMB, como pré-profissionais ou profissionais, e tem
lucros diretos desta profissão, como é o caso de quem define sua
profissão como "músico" no Imposto de Renda, serão regulados por Lei
Municipal (ou deveria ser Estadual!?) como "autônomos", pagando os
devidos impostos ao Município (ao Estado), e desta forma serem
reconhecidos como trabalhador pela lei.

Valores estes que podem ser menores do que a OMB! Mas em
contra-partida o Município/Estado não esta obrigado a fazer
contraprestações de oficinas, cursos, concursos; nem mesmo integrar
estes músicos.

4º - Quanto às eleições tanto o músico pré-profissional quanto o
profissional terão direito ao voto, "secreto" (hoje pode ser até por
carta enviada à OMB), com valor igual a todos. Acredito que os
pré-profissionais podem sofrer restrições quanto a ocupações de alguns
cargos como diretoria, conselho, fiscalização, mas devem ter direito
na escolha de seus dirigentes.

Cabe , também, uma pesquisa para definir se este voto é obrigatório.
Que ao meu ver não deveria ser.
Sugiro por fim, que as eleições fossem apurados pelo mesmo sistema de
apuração eletrônica instituída para as eleições políticas deste país.

Desculpem-me pelo texto exaustivo, mas gostaria de dividir com vcs
meus pensamentos.
Um abraço, Priscila Santos - Curitiba/PR.
Estou tbm no GT direito autoral.

JoeCruzGuitar
Veterano
# fev/07 · Editado por: JoeCruzGuitar
· votar


Eu não tenho uma opinião formada a respeito da OMB, pelos seguintes motivos :

1) Se a carteira e registro na OMB trouxesse algum beneficio para o musico, eu acredito que fosse realmente interessante paga-la. Mas pelo que a gente ve por ai, os caras só comem dinheiro da galera mesmo. Não tem nenhum tipo de apoio dos caras, sei lá, apoio de qq forma, juridico, contratual, organizacao de eventos, esse tipo de coisa.

2) Se o cara estudou pra ser musico profissional, nada mais justo do que ele ter algo que credencie o estudo dele. Assim como um Engenheiro, um Contador, e um Arquiteto tem.

Ai minha duvida cai no seguinte, musica acima de tudo é arte. E pra fazer arte não é preciso de uma carteira, de um registro, muitas vezes nem mesmo de um estudo formal.

Ai barrar excelentes musicos, pq os caras não tiraram a carteira eu acho sacanagem.

Enfim, tem os dois lados !!!

Mas sei lá, do jeito que estava foi melhor ter cancelado mesmo.

fernando tecladista
Veterano
# fev/07
· votar


não gosto da OMB como ela está, se funcionasse como deveria pagaria e me orgulharia, ai não teria tanto picareta no mercado e teriamos mais reconhecimento e valorização por ai

todo mundo já viu um pai de alguém todo orgulhoso porque o filho passou na prova da OAB e virou "doutor", com a OMB deveria ser igual

E pra fazer arte não é preciso de uma carteira,
se for assim o Oscar Niermayer não precisa do CREA (é brincadeira...) tem advogados, engenheiros e etc que fazem de seu trabalho uma arte

concordo que a arte não deve ter carteira, mas se o cara vive dela ele tem que ter algo pra regulamentar a profissão e não ser um trabalho informal, do modo que está hoje camelô tem mais leis e direitos em defesa deles do que os músicos

JoeCruzGuitar
Veterano
# fev/07
· votar


Mas cara, Oscar Niermayer é Engenheiro, ou Arquiteto, sei lá. heheh

Concordo que existe um grande peso de criatividade no que estes caras fazem, mas ai o lance está todo estruturado na ciencia saca.

Diferente do Zé Ceara que faz repente na praça da sé.

Que ciencia o cara estudou ? Que diploma ele tem ?

Mas o cara faz musica e tals.

É essa minha maior duvida em relacao ao registro na OMB. O tal repentista não vai conseguir uma carteira, o cara não tem estudo, mas é musico tambem pow hehehe

Acredito que musica é 100% arte e 1% ciencia hehehehe

JoeCruzGuitar
Veterano
# fev/07
· votar


Bom sei lá, acho que quem deve opinar mesmo a respeito é quem realmente vive de musica.

Musica pra mim sempre foi apenas hobby. Talvez se eu tivesse estudado formalmente teria uma outra visão da coisa e tals, valorizaria mais a OMB, mas não é o caso.

fernando tecladista
Veterano
# fev/07 · Editado por: fernando tecladista
· votar


JoeCruzGuitar
isso é, tanto é que tem dois tipos de carteira a "profissional" onde o cara faz uma prova teorica e pratica com data marcada e com certas tecnicas obrigatorias pra apresentar ex: escala e tem a carteira de musico pratico onde o cara vai lá e toca/canta alguma coisa do qual tenho algum nexo já sai com a carteira de lá
o "zé ceará" teria a segunda sem problemas e OMB não enche a saco desse tipo de artista, como o CREA não enche o saco de quem construiu sua casa de pau a pique

---------------------------------------
só acho a postura atual da OMB muito comoda
se um advogado vai fazer um financiamento a prova de que ele trabalha é a carteira da OAB, por ser um profissional liberal, tem mês que ele ganha mais e tem mês que ele ganha menos, mas ele tem todas as portas abertas, tapinha nas costas dada pelo gerente devido a postura profissional da OAB
se eu apareço lá depois nesse mesmo lugar com a OMB não vai ser a mesma coisa

sempre se escuta:
no pronunciamento a OAB disse que......
a OAB vai tomar medidas sobre.....
a OAB não concorda com.......
.... isso não cabe a OAB
em carta a OAB retrata que.....

a OMB deveria ser muito mais do que um simples:
com carteira toca / sem carteira não toca"

som
Veterano
# fev/07
· votar


todo mundo já viu um pai de alguém todo orgulhoso porque o filho passou na prova da OAB e virou "doutor", com a OMB deveria ser igual

O correspondente a isso aos músicos é entrar para algum conservatório renomado ou faculdade de música. Agora imaginar alguém vibrando por ter conseguido a cateira da OMB... :\

um pouco estranho

fernando tecladista
Veterano
# fev/07 · Editado por: fernando tecladista
· votar


som
Agora imaginar alguém vibrando por ter conseguido a cateira da OMB... :\

um pouco estranho


tá certo que exagerei no exemplo, hoje soa muito estranho, mas lembro que quando comecei aprender lá pra "1985" (+/-)

tinha alguns comentarios:
e fulano toca bem?
toca... tem até "carteira"

e via alguns casos do pessoal de sopro:
o cara abria o case pra pegar o instrumento e tinha outros dois cochichando:
"olha lá a carteira dele no case.... não falei?

não é o mesmo caso no exemplo que citei acima mas tinha-se um certo status e confiabilidade na carteira, algumas escolas de música daqui cobravam do cara que queria aparecer pra dar aula: ou diploma ou carteira

mas como disse isso foi lá pra 1985, não erai a putaria que está hoje

som
Veterano
# fev/07 · Editado por: som
· votar


fernando tecladista

em 85 nem havia nascido ainda :|

Uma questão para refletir:

Nessa época era "bom mesmo" ou não tinha um meio de comunicação como um fórum, a internet, etc?
O que aconteceu: a OMB piorou ou a comunicação entre os músicos melhorou?

E se foi a OMB que piorou, o que provocou essa piora?

El_Cabong
Veterano
# fev/07
· votar


Este negócio de ter carteira de músico para tocar é uma furada.
Imaginem o fiscal da OMB chegando para um cara que está tocando violão e cantando com uma pandeirola amarrada no pé e um chapéu cheio de moedas, e dizendo: você não está credenciado para tocar.
Mais adiante um pintor que pinta paisagens e retratos de pessoas mediante também algumas moedas, podendo se expressar e trabalhar livremente. Sem carteira da OPB (Ordem dos Pintores do Brasil)

mazza
Veterano
# fev/07
· votar


acredito que tudo tem seus aspectos positivos e negativos, se por um lado o direito à livre expressão artística deve ser garantido, e portanto a obrigatoriedade de filiação à OMB é uma afronta a esse pensamento, por outro lado a OMB impunha ao contratante uma tabela de honorários e consequentemente um pagamento mínimo ao músico profissional, evitanto a concorrência desleal do sujeito que toca a noite toda em troca de meia dúzia de cervejas e nem se toca que tá tirando o ganha-pão de outro músico.

fernando tecladista
Veterano
# fev/07 · Editado por: fernando tecladista
· votar


[i]Uma atriz contou que, de acordo com o sindicato dos atores , eles têm que receber o capítulo para decorar com 72 horas de antecedência, além de serem avisados do roteiro das gravações com 48 horas. Eles recebem os textos às 20h para decorar e gravar no dia seguinte. Um carro da Globo passou às 6h para buscar uma atriz, que tem papel de destaque, em casa e ela ficou esperando até as 14h para gravar.

fonte

eu sei que ficar chorando aqui no FCC não adianta, mas quando eu falo da falta de postura da OMB em defender direitos e comparando com noticias como essa de outras areas de artes, e como já mandei varios e-mails pra omb perguntando sobre se tenho direito a isso ou aquilo, ou como funciona tal coisa e até hoje eu não tive resposta de nenhum, isso me deixa puto
se o tal sindicatos dos atores fosse bunda mole igual, o maximo que teria era um cara na porta da emissora pedindo a carteira de cada ator

mano_a_mano
Veterano
# fev/07
· votar


OMB = máfia

raposavermelha
Veterano
# mar/10
· votar


Parabenizo as pessoas que apoiam a OMB, e repudio o Gov. Serra, pois todas as profissões tem que ter o seu representante:
Os advogados tem a carteira da OAB, os engenheiros tambem, os motoristas tambem, os médicos tambem.....enfim....todos que exercem uma determinada profissão, tem que provar que é um profissional em sua área......é muito facil criticar......mas as criticas à OMB, com certeza partem de quem não tem a competência de ser um musico profissional.......êles falam: que beneficio terei?......óra.....não existe profissão que dê beneficios de graça, qualquer que seja o seu ramo, para obter beneficios você terá que pagar, ou recolher.......Nem imaginem como é importante ter a carteira da OMB, e com isso provar que são profissionais, depois que tirei a minha, centenas de portas se abriram, incluindo trabalhos internacionais, que sem a OMB, é impossivel de conseguir.
A OMB está tirando de circulação todos os picaretas que usam diskets ou leeptop, e não conhecem nada de musica...mas....estão tirando o lugar dos verdadeiros profissionais, pois furam o trabalho por um terço do valor do cachet.
Para quem gosta de criticar, eu vou dar uma dica: tire a sua carteira de musico prático em qualquer delegacia da OMB...basta você mostrar que sabe tocar !!!! fácil né !!!
Vamos apoiar o único órgão que temos em favor da nossa classe...
Parabéns OMB............desculpem se fui contra o argumento de alguem....mas eu penso assim.....tenho orgulho em poder provar à qualquer um, que sou um verdadeiro profissional

Meu nome é Marcelo, e sou pianista profissional

raposavermelha
Veterano
# mar/10
· votar


Dizem que a OMB não tem postura???? como pode ter, se todos os picaretas só pensam em meter o pau e massacrar ao invés de apoiar?.....estive na (NÓVA OMB) no edificio italia, e constatei a luta de uma equipe altamente competente tentando limpar toda a sugeira deixada pelo Wilson Sandoli, que quase acabou com tudo!!!
Você contrataria um advogado sem a carteira provando que é um profissional ???
Você contrataria um médico sem a carteira provando que é um profissional???
Você contrataria um engenheiro sem a carteira provando que é um profissional competente ???
Você contrataria um veterinário sem a carteira provando que êle é um profissional competente ???
Pois é meus amigos.....tem muita gente que não vai contratar um musico sem que êle próve que é um profissional....incluindo os empresários artísticos internacionais.
Pense nisso....e veja como é facil tirar a sua carteira de musico prático......as portas vão se abrir cada vez mais, ao invés de ficar feito loucos correndo atráz de mandato de segurança, Liminares e outras coisas mais...para que?...para provar que você é um incompetente???

Marcelo -Pianista- de São Paulo

DuduXP
Veterano
# mar/10
· votar


Meu nome é Marcelo, e sou pianista profissional

E tambem faz milagres, ressucita tópicos mortos, rsrsrs.
Brincadeira, concordo com voce, acho que tem que se definir melhor algumas coisas e especificar melhor se o musico é profissional ou pratico, mas é sim muito importante ter um orgão representativo.
Abrass!

MAB Keyboard
Veterano
# mar/10
· votar


DuduXP

especificar melhor se o musico é profissional ou pratico

São a mesma coisa.

Até onde sei, existe um teste na OMB que se chama músico prático, que é o músico dotado de técnica e execução, mas nem sempre domina a teoria. No entanto este músico pode ser profissional tanto quanto um com formação acadêmica. Foi um meio de legalizar a profissão com aqueles que viviam na clandestinidade por nunca ter passado por uma escola de música.

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# mar/10
· votar


raposavermelha
O problema não é carteira em sí, nem a necessidade de um órgão representativo da classe; mas sim o histórico de falcatruas, exploração e corrupção dessa entidade.
Espero que isso mude!
Ademais, como pela Constituição brasileira, são livres as manifestações culturais, a fiscalização de agentes dessa órdem impedindo shows e multando e ameaçando, é claramente inconstitucional, portanto, ilegal.
Abç

makumbator
Veterano
# mar/10 · Editado por: makumbator
· votar


Mauricio Luiz Bertola

Concordo totalmente. Aliás, muitas das preocupações dos músicos podem ser resolvidas pelos sindicatos locais dos mesmos, que apesar dos problemas inerentes a todo o sindicalismo, ainda são mais atuantes. Acho uma bobagem uma organização de classe para músicos, que tenta se sobrepor às responsabilidades sindicais. Ainda mais com o histórico da OMB( autoritária já no nascimento e muito ineficiente em diversos locais, transformando-se em mera instituição de arrecadação de dinheiro). Há locais aonde ela é melhor e até mais correta, mas em muitos outros é de uma inutilidade total.

raposavermelha
incluindo os empresários artísticos internacionais.

Já toquei profissionalmente na Europa, e não precisei de mostrar nada da OMB, até porque, os organizadores europeus nem sabiam o que era isso(para sorte deles). Diversas profissões(a maioria na verdade) não tem órgãos de classe(ou eles são opcionais), e não faz falta para a maioria dos campos de trabalho.

ao invés de ficar feito loucos correndo atráz de mandato de segurança, Liminares e outras coisas mais...para que?...para provar que você é um incompetente???

Em SP nem se precisa mais correr atrás de liminar, a OMB paulista é que tem que correr atrás na justiça para tentar reaver seu poder no estado.

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# mar/10
· votar


makumbator
Exatamente. Eu, por exemplo, sou Historiador (Mestrado e Doutorando), e minha profissão não é reconhecida, o que não me impediu de ter um certo sucesso nela como Professor Universitário e Coordenador.... Se eu dependesse de uma associação de classe, estaría até hoje dando aula em cursinho de fundo de quintal......
Abç

macaco veio
Veterano
# mar/10
· votar


cade o prof. Roselio Araujo, tem raposa na area.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Dispensada a exigência da carteira dos musicos em São Paulo!