(Vídeo) Minha Dunamiz ficou pronta!

Autor Mensagem
Sub_Zero
Veterano
# 09/mar/21 20:42
· votar


Tenso essa situação, tenho uma strato e uma telecaster deles, e não tive problemas, além da demora (no caso da strato).
Já tive uma strato de outra luthieria famosa (que juntei dinheiro durante 3 anos pra comprar), que veio com um "problema" que me incomodou bastante até vendê-la. A strato, provavelmente, estava com o corpo preparado pra uma ponte de 2 pivos, e eu pedi uma strato com ponte vintage (6 parafusos), isso ocasionou uma "grande fresta" entre a ponte e o corpo, como se fosse uma ponte com ponte flutuante, fiquei muito frustrado com a situação.

Hitman
Veterano
# 09/mar/21 21:45 · Editado por: Hitman
· votar


Del-Rei
Hoje estou arrependido de ter comprado o instrumento. Não que ele seja exatamente ruim ou queira me desfazer. Mas porque o posicionamento da empresa não me agradou. Se voltasse no tempo, não compraria novamente.

Po cara, que pena hein.. Tanto dinheiro investido e tanto tempo querendo o algo criado pra voce pro resultado ser esse. Foda brother..

Mas o que me incomoda mais atualmente não são nem esses problemas - que alguns resolvi e outros vão ficar assim mesmo. Me incomoda mais os caras não pedirem uma desculpa, nem que seja aquele papo clichê “Desculpe pelo o ocorrido, esse não é nosso padrão, foi uma falha, vamos melhorar nosso controle de qualidade, bla bla bla”.

Pois eh... complicado isso ai. Talvez ate vejam esse topico e te mandem uma desculpinha dessas mas depois desse tempo todo, da atencao e servico que te deram, ja nao cola mais.

Pena mesmo brother.. Me sinto mal por voce!

Fico triste pela Fullertone, que fez esse captador bem legal e o dono (Edu) é gente finíssima. Ele chegou a postar o vídeo nas redes dele. Mas depois talvez eu faça outros vídeos pro captador.

Cara, sei la.. Troquei idea com o Edu anos atras sobre talvez encomendar uns caps e ele foi bem arrogante e aspero em sua abordagem.
Perguntou quais guitarras eu tinha e me soou que o cara estava despresando meu, equipo. Algo na linha de "meus captadores limpam o chao com essa sua r9 ai". Ja faz alguns anos e nao me lembro exato mas algo assim..
A experiencia me deixou com mal gosto e dexei de fazer negocio com o cara pelo tratamento.

Um pouquinho de humildade faria bem pra essa galera..

Num ramo tao pequeno, foda tratar clientela assim.. Eu mesmo queria bastante e planejava encomendar com os caras mas depois de ver o que fizeram e como te trataram, dificil hein. Ainda mais morando longe.

Del-Rei
Veterano
# 09/mar/21 22:10 · Editado por: Del-Rei
· votar


renatocaster
Cara, e vou te falar outra parada.
Tenho quase certeza de que eles "erraram" o braço da minha.

Eu havia pedido uma LP com as specs da 1960 no braço, porque a minha é 1960 slim e gosto muito, então queria algo semelhante. Entretanto recebi uma 58 cujo braço é uma TORA. Tenho sérias dúvidas se atentaram pro fato do braço diferenciado que pedi.

A minha "sorte" é que eu achei o braço grande, porém bem confortável, o que foi uma surpresa pra mim.

Como me adaptei ao braço, nem quis saber se eles atentaram pra esse ponto durante a construção, pra não ter que ouvir papo furado. Se isso que recebi é braço nas specs das 1960, suspeito que o braço da 58 seja um tronco de árvore.


Eu lembro dessa sua guitarra. Era a N4, né?
Acho que eu não lembrava de você ter comentado desses percalços também. Que bad, cara. Pior que até pra tentar acompanhar todo o processo hoje é complicado, porque eles mesmos evitam isso. Pelo menos na dunamiz. Nas próprias palavras deles:

"(...) podemos lhe atualizar a medida em que a construção avança, nos pontos mais importantes, não podemos nos comprometer a registrar todas as etapas pois isso pode gerar algumas coisas que podem vir a atrapalhar. Tipo alguma interpretação errada sobre algum detalhe que ainda está sendo feito e isso interferir no curso natural do projeto".

Eu acho que entendo o lado deles - até certo ponto. Eles disseram que eu poderia escolher madeiras, e quando vi já estavam escolhidas.... Só me mandaram as fotos do relic porque pedi, e aí falaram "se você tiver alguma colocação a fazer, a hora é agora". Porra, como assim "a hora é agora" se nem tinham me mandado nada? Só mandaram porque eu pedi....

Cara, infelizmente, acho que todos os handmades que comprei, acabei tendo coisa pra resolver depois de entregue. Resolvem bem, mas sempre tem algo, e como geralmente essa galera toda é de SP, se você mora em outro estado tudo fica mais difícil.

De fato, estou fora de encomendas com prazo de entrega. Pelo menos por enquanto, porque estou traumatizado, rsrs.


ejames
EduJazz
Complicado.
Desencanei de handmade.
Tô fora - pelo menos por enquanto, rs.

Pior que os caras, quando respondem, são atenciosos e tal... Mas não dá pra aceitar esse papo de justificar erro com "acontece com Gibson também". E daí??

Parece debate de defensores de políticos:
- O seu candidato roubou!
- Ah, mas o seu roubou antes!

Tá de sacanagem, né?
Pede desculpas e pronto, assume o filho com micose, porra... Não estou pedindo indenização nem nada...


Sub_Zero
Que bom, cara. Deve ser uma sensação bem legal receber um instrumento e pensar "Era exatamente isso que eu esperava!!"


"A strato, provavelmente, estava com o corpo preparado pra uma ponte de 2 pivos, e eu pedi uma strato com ponte vintage (6 parafusos), isso ocasionou uma "grande fresta" entre a ponte e o corpo, como se fosse uma ponte com ponte flutuante, fiquei muito frustrado com a situação."

Mas essas coisas são realmente complicadas. Falou com eles?


Hitman
Caramba... Olha só como são as coisas, né?
Parece que não há padrão mesmo. Sempre tem gente pra contar as mais diferentes experiências com handmade.

Essas coisas deviam ter tópicos específicos, rs. Até porque acho que às vezes os caras podem estar num péssimo dia e com a cabeça a mil teve a infelicidade de ser grosso com o cliente - o que não justifica, mas você percebe que não é um padrão do cara.

Acho que essas histórias todas deveriam estar na internet. Seria até legal se eles se manifestassem aqui. Mas duvido, sinceramente.


Pois eh... complicado isso ai. Talvez ate vejam esse topico e te mandem uma desculpinha dessas mas depois desse tempo todo, da atencao e servico que te deram, ja nao cola mais.

Eu mandei última mensagem pra eles dia 26/02, na qual detalhei todos os problemas. No dia seguinte o Fernando respondeu dizendo que entende minha frustração e que iria repassar aos caras. Silêncio total... rs


Um aceno de longe!!!

NeoRamza
Veterano
# 09/mar/21 23:03
· votar


Hitman
Del-Rei

Eu também fui sempre muito bem atendido pelo Edu. Atendimento muito acima do normal mesmo. O cara me falava todos os detalhes de tudo, tudo que eu perguntava ele respondia. Comprei com ele duas vezes e nas duas a experiência foi a mesma. Depois de um tempo depois da compra ele até perguntava o que eu tinha achado e trocava uma ideia.

makumbator
Moderador
# 10/mar/21 02:40 · Editado por: makumbator
· votar


Del-Rei

Eu só faria instrumento de luthier local, em que eu possa visitar pessoalmente para checar todo o processo e conversar mais facilmente com a pessoa. Há uns anos atrás eu esperei demais para a fazer um baixo do jeito que eu queria com um luthier que era muito meu amigo por mais de 15 anos (e durante um tempo eu quase que viva na oficina dele). Infelizmente quando eu tinha a grana pra pagar tudo ele morreu.

Antes da pandemia pensava em fazer um baixo com outro luthier daqui, mas aí ficou tudo em suspenso.

Curly
Veterano
# 10/mar/21 09:19
· votar


Então velho, lendo o seu relato não posso deixar de comentar!

Nos conhecemos há muitos anos, já até fizemos negócios, rs e sei que vc é um cara que entende muito de equipamentos e um ótimo músico.

Creio que 90% das guitarras de luthieria apresentarão falhas quando analisadas por olho um experiente. O que ocorre é que os donos levam algum tempo para perceber essas falhas e quando percebem, não querem contar em público, seja para não desvalorizar um instrumento que vão vender, seja para não passar por enganados, então esse seu relato é muito útil, parabéns!

Eu não conheço os instrumentos dessa luthieria mas entendo bem como funciona essa questão do hype em fóruns e comunidades. Em geral, quem encomenda instrumentos assim é galera que está prestes a adquirir o seu primeiro instrumento top (que obviamente não é o seu caso), ficam empolgados o hype, com os vídeos e tal e esses luthiers SABEM disso, qualquer reclamação ou observação são replicadas tipo "vc nem sabe o que está falando".

A arrogância, o tempo de espera, a falta de feedback, tudo isso faz parte do marketing desses caras, isso permite que eles imponham os seus preços e suas condições do jeito que querem.

Eu tô fora de guitarra de luthier por princípio, acho válido encomendar um baixo ou um violão, talvez uma semi acústica, mas guitarra sólida, considerando a oferta de instrumentos e customização que temos hoje não vejo motivo. Todos os instrumentos de luthier que eu tive me decepcionaram em algum ponto, principalmente na questão peso e balanço.

Enfim, vc é um cara experiente e vai saber como agir, eu talvez pedisse um instrumento novo, mesmo sabendo que dificilmente seria atendido, apenas uma forma de não deixar que esses manipulem a narrativa a favor deles.

Abç e boa sorte!

felipe bento pereira
Membro Novato
# 10/mar/21 09:32
· votar


eu aprendi a ser exigente, e a cada dia fico mais, ainda mais se envolve meu dinheiro! hahahahaha
pelas experiências relatadas aqui, duvido muito que algum dia eu vá encomendar instrumento com luthier!
obvio que tem muitos que fazem um ótimo trabalho, mas a expectativa em cima desse tipo de produto são altas pelo fato que quem está produzindo ter contato direto com cada fio, cada parafuso e afins!!...
estou surpreso por alguém falar que conseguiu vender uma guita de luthier acima do valor que pagou! hahahaha

renatocaster
Moderador
# 10/mar/21 09:45
· votar


Del-Rei

Eu lembro dessa sua guitarra. Era a N4, né?
Acho que eu não lembrava de você ter comentado desses percalços também. Que bad, cara.


Então, na época eu nem cheguei a comentar pq não foi nada tão absurdo que tenha me prejudicado em termos de tocabilidade e timbre. Mas eu olhava para alguns desses detalhes negativos e eles de fato me incomodavam de certa forma.

Eles disseram que eu poderia escolher madeiras, e quando vi já estavam escolhidas.... Só me mandaram as fotos do relic porque pedi, e aí falaram "se você tiver alguma colocação a fazer, a hora é agora". Porra, como assim "a hora é agora" se nem tinham me mandado nada? Só mandaram porque eu pedi....

Cara, eu posso até estar sendo meio leviano em falar isso. Mas creio que a medida em que as encomendas vão se avolumando e os prazos vão se apertando, existe a tendência deles acelerarem algumas coisas no processo de construção acabar impactando no resultado final.

Sei lá, acho meio escroto esse approach aí. Vc tá pagando por um instrumento que tem um valor altamente significativo e os caras colocando a faca no teu pescoço pressionando por definições que talvez vc não queira adotar agora. Afinal de contas, o instrumento é customizado ou não é? E se eu quiser mudar alguma coisa durante o processo, não pode? Ahn, mas isso vai impactar no prazo e no custo. Ok, então vamos avaliar e negociar.

Mas esse tom aí que vc relatou é de uma postura praticamente unilateral. Enfim...

acabaramosnicks
Membro Novato
# 10/mar/21 12:18
· votar


JJJ
Imagina se celulares ou TVs fossem feitos a mão, a merda que seria... hehehe

Eu já trabalhei em fábrica de eletrônicos. Se tu soubesse o tanto de coisa que é feita à mão no processo de fabricação... Claro que as peças são todas feitas por máquina, mas a montagem do bixo é quase toda à mão, na grande maioria dos eletrônicos.

Del-Rei
Pode parecer que sou cricri... Que são coisas pequenas... Mas imagina pagar quase 18K e ter que consertar jack que quebra os cabos, consertar furo espanado, vão do captador aparecendo, plate torto sem possibilidade de reposição sem furar novamente, guitarra enviada sem regulagem....

A frustração não seria infundada. A impressão que eu tenho é que o trabalho individual de cada funcionário em cada etapa do processo é feita com esmero, mas que o processo em si é quebrado e dá muita margem para erros. Os sub processos não conversam entre si, não há feedback de um padrão outro.

A impressão que dá é que nunca veio um cara pra fazer o seu papel e pegar a guitarra no colo e tirar meia horinha pra bizoiar tudo, plugar ela e tocar pra ver se tá em ordem, realmente fingir que a guitarra é dele por um instante e ver se há algo errado.

Em poucas palavras, falta o controle de qualidade. Falta um rapaz no final da "linha" que vai verificar a entoação de todas as guitas, vai verificar se todas dão som e se os controles e Jack's estão em ordem, se nenhuma tá com plate faltando, enfim, se está dentro da especificação.

Tipo, quem fez esse trampo é você! Nesse gap de 8 mil reais de uma Gibson só as peças montada por você e uma Dunam, tem que estar incluso o trabalho desse cara que é o responsável por ver o produto final.

Lelo Mig
Têm que ser chato, chato prá caralho. Chato feito um americano ou alemão. Não têm que ficar quieto não, algumas coisas como "ponte sem regulagem", "pino da correia espanado", "jack prendendo porque encosta na madeira" e etc, são inadmissíveis num instrumento deste valor.

Perfeita colocação.

Pra finalizar... É como disseram aí que o negócio começa a virar uma empresa de verdade e a coisa descamba, mas ainda há espaço e tempo para a empresa melhorar. Nada que foi relatado até aqui me assusta. O que realmente me deixou de cabelo em pé é o atendimento (ou a falta dele hehe).

Mano, o bagulho é personalizado. Para tanto, o mínimo que se espera é uma boa comunicação entre as partes. Se não tiver isso, é óbvio que cê tá dando brecha pra dar merda, e das grandes. Inadmissível! Perguntas sem respostas? Nem ao menos uma migué? Nem pra mandar um padrão cópia e cola de desculpa que a empresa não tem esse padrão de qualidade? Mano...

Que nem esse lance dos knobs. Que loucura cara, que absurdo! Nem responderam! Eles poderiam simplesmente mandar "caro del rei, não temos aqui o knob que vc queria e não tem previsão de chegar novos... Pode ser uma das opções abaixo?" Do jeito que tu é desencanado, era capaz de tu comprar os knobs e mandar entregar lá na Dunam kkkkkkk

Imagine que tu tá falando com alguém na rua, vc faz uma pergunta e a pessoa, que estava olhando nos teus olhos e te escutando e respondendo até agora, simplesmente vira as costas e caminha ao longe em silêncio. É uma falta de respeito, não é? Agora pense que tu tá pagando o salário desse maldito audacioso kkkkkkk

Velvete
Veterano
# 10/mar/21 13:07
· votar


acabaramosnicks

Ghosting o nome disso...

lamas92
Membro Novato
# 10/mar/21 13:47
· votar


(Anotação mental: nunca comprar uma Dunamiz... Só estou mais tranquilo porque nunca teria essa grana mesmo.)

renatocaster
Moderador
# 10/mar/21 14:56 · Editado por: renatocaster
· votar


acabaramosnicks

Pra finalizar... É como disseram aí que o negócio começa a virar uma empresa de verdade e a coisa descamba

Se de fato viraram uma empresa, então precisam demonstrar que posssuem uma estrutura de uma empresa propriamente dita. Com métodos e processos de controle de qualidade, inspeção, manuais, etc...O que não dá pra aceitar é ficarem intercalando num híbrido entre uma empresa e uma oficina de luthieria e ficar se apropriando ocasionalmente de um perfil ou outro conforme a conveniência.

É muito dinheiro em jogo, a gente rala pra cacete para conseguir adquirir as coisas, junta grana, aperta aqui e ali, pra no final ser tratado dessa forma. Não estamos falando aqui de uma guitarra entry level custa 1000 reais ou menos.

Eu não sei exatamente quanto o Del-Rei pagou pela guitarra, também não perguntei pq não acho ético e nem bacana entrar nesse mérito. Mas li aqui informalmente no tópico as pessoas falando que essas guitarras custam em média 14k, 15k, 18k...podendo até passar disso. É muita grana, dá pra fazer muita coisa com esse dinheiro.

acabaramosnicks
Membro Novato
# 10/mar/21 15:32
· votar


Só como comparação.
Quando eu comprei meu primeiro ampli Alien, usado, entrei em contato no e-mail indicado no site ppra tirar algumas dúvidas técnicas a respeito do trafo e os caras foram super atenciosos mesmo sabendo que eu tinha comprado um ampli usado.
Quando comprei meu segundo Alien, tambem usado, a empresa já estava pra encerrar as atividades. Eu entrei em contato novamente com dúvidas técnicas e eles me atenderam muito bem novamente.

Tipo, eles nem tinham obrigação nenhuma, poderiam dizer "ah, ele não vai comprar nada aqui, foda-se".

Del-Rei
Veterano
# 10/mar/21 20:53 · Editado por: Del-Rei
· votar


O Fernando respondeu minha mensagem. Pra variar, zero pedidos de desculpas. Na verdade, dão desculpas: um dos caras precisou se afastar pra resolver problemas pessoais, o que deixou a equipe sobrecarregada - como eu já sabia, rs...

Apesar da dunamiz se dispor a aceitar a guitarra de volta pra resolver os problemas, o posicionamento da empresa, ao invés de reconhecer erros e pedir desculpas, é:

- Isso também acontece com Gibson
- É tudo feito à mão
- Obrigado pelo feedback
- Enfim, estamos à disposição

Parece que os caras evitam pedir desculpas mesmo. Devem achar que pedir desculpas seria reconhecer um erro que não existe, rs. Tipo "Entendemos que você não ficou satisfeito, talvez você não esteja pronto pra ter um instrumento desse nível, mas como somos legais podemos ajustar o que você precisar".

Inclusive disseram que iriam me mandar 3 jack plates creme. Não sei como, porque precisariam do meu atual pra usar como padrão. Não me surpreenderia se chegassem na minha casa 3 plates padrão Gibson, que não caberiam na minha guitarra. Ou 3 plates feitos à mão, cada um numa medida... rsrs.

Esse papo de "artesanal" tem um quê de romantismo. Soa legal, gera marketing e faz subir o preço. Os caras devem se divertir no processo. Mas com o preço que se cobra, não dá pra usar o processo manual como desculpa pra falhas. Se não sabe, não faz. Soa até tosco dizer que a falha é decorrente de um procedimento manual. Então parece que não dominaram o processo ainda... Tiro no pé usar esse argumento.

Respondi de volta um textão, sei nem se vão ler.

Resumidamente, eu disse que redução da equipe nunca deve ser sinônimo de queda na qualidade do instrumento. Até porque o preço que eu paguei não sofreu redução e que, na verdade, se algo mudou foi o prazo, que quase dobrou - e em momento algum eu reclamei disso, até porque eu preferia ter demorado um pouco mais pra receber, e receber direito. Por fim, disse que me incomodou não receber um pedido de desculpas, que não voltaria a fazer negócio com eles e que retirei o vídeo do ar... rs.

Sei nem se vão ler. Ou responder. Já deduzo que o comportamento dos caras atualmente seja do tipo "obrigado pelo feedback. Um abraço" e pronto.

Não vou devolver a guitarra. Nem pretendo me desfazer por enquanto, entretanto a frustração já existe e quando você pega ranço de uma marca, por mais que o produto seja bom, tem um sentimento ruim que vai te irritando. Espero que passe, rs.

Devolver a guitarra pedindo dinheiro de volta, ainda que com atualizaçao monetária, seria ótimo pra eles, porque venderiam mais caro e colocariam mais dinheiro no bolso. Então também não vou devolver, rs. Se eles anunciarem uma guitarra a pronta entrega, tem gente que paga bem mais pra não entrar na fila de espera bizarramente longa.

Vida que segue.
Aprendizados.


NeoRamza
Hitman
Realmente é uma pena quando recebemos um tratamento desagradável.
Uma curiosidade sobre o Edu, é que ele faz captadores por hobby. Ele trabalha em outro ramo, e aos finais de semana faz os captadores por encomenda.


makumbator
Eu desisti de luthier. Acho que eu tinha uma visão romantizada, achando que seria o instrumento 100% customizado, exatamente como eu esperava. Bate a frustração e você vai começar a pesquisar, aí percebe que várias outras pessoas tiveram experiências parecidas com vários outros luthiers.

Não dá mais pra mim. Meses ou anos, pra saber quais serão as surpresinhas.... E acho até que se eu fosse amigo de um luthier, talvez eu não fizesse negócios com ele, pra evitar até colocar a amizade em risco.... Sei lá. Devo estar traumatizado demais, hahaha.


Curly
Grande Curly!
Que bom que você voltou ao fórum!

Creio que 90% das guitarras de luthieria apresentarão falhas quando analisadas por olho um experiente.

E mesmo quando o "olho" não acha, se colocar o instrumento pra trabalhar, com show e ensaio frequente, os detalhes acabam sendo evidenciados. Instrumento no carro, aguentando trepidação de asfalto irregular, ótimo pra detectar solda meia boca... Aquela luz quente de palco, que desafina as cordas e se a guitarra não for boa, desregula até o tensor... Coloca e tira cabo do jack toda hora... Realidade desses tipos são bem diferentes de um ambiente doméstico.

Instrumento tem que ser avaliado com o uso. Por isso que acho meio bizarras essas "análises" que a galera faz depois de tocar sentado por 5 min... Vai na loja, toca uns minutos e sai fazendo um tratado sobre o instrumento........


felipe bento pereira
Talvez, se achar pronto um instrumento... Seja usado ou estoque, pode ser que valha. Entretanto, de fato tem que se desprender de lucro na revenda. Se conseguir, ótimo. Mas acho que essa não é a regra....


renatocaster
Mas eu olhava para alguns desses detalhes negativos e eles de fato me incomodavam de certa forma.

Te entendo perfeitamente.
Chegou a falar com ele?

Cara, eu posso até estar sendo meio leviano em falar isso. Mas creio que a medida em que as encomendas vão se avolumando e os prazos vão se apertando, existe a tendência deles acelerarem algumas coisas no processo de construção acabar impactando no resultado final.

Se é leviano não sei, mas a impressão que tenho também é essa. Até pela resposta do Fernando hoje.

Esse é um dos problemas de transformar em profissão algo que você fazia inicialmente por paixão. Quando chegam os contratempos, os prazos continuam correndo e você tem que transformar o prazer em obrigação, mesmo irritado ou desmotivado.

Cara, fica parecendo que nós, meros consumidores, temos mais noção de empreendedorismo que esses caras. Eu imagino que gerir um negócio seja uma pemba master, entretanto, o trato com o cliente tem que ser a única coisa que não pode falhar. E isso pra mim é claro como água. Mas parece que sempre estamos vendo exemplos práticos de que os empreendedores não entendem nada de relacionamento com clientes. Porque tratar bem enquanto está tudo bem é mole. Quando aparecem os problemas é que a empresa demonstra se sabe ou não lidar com cliente, porque às vezes parece que o problema pra eles não é falha no produto deles, mas sim o cliente chato. Tá de piada.

acabaramosnicks
Em poucas palavras, falta o controle de qualidade.
Tipo, quem fez esse trampo é você!

De fato, comigo foi exatamente isso. Controle de qualidade caiu.

Eu nunca tive um Alien nem entrei em contato com os caras. Mas esse é o tipo do exemplo que faz a gente ainda ter esperanças.

Um aceno de longe!!!

Fedunamiz1
Membro Novato
# 11/mar/21 04:10
· votar


Fala meus queridos Felipe da Dunamiz aqui, tive agora a pouco uma longa conversa com o Delrei e pedi pra ela a liberdade de me redimir aqui no fórum.

Fiquei sabendo por terceiros da existência desse tópico e achei importante me posicionar sobre o assunto.

Primeiramente parabéns pelo vídeo Del Rei, tinham me mostradado a alguns dias atrás e eu e o pessoal todo da Dunamiz (eu Fabra e Fernando) adoramos!

Li todo o tópico aqui e gostaria de dar minha opinião sobre o q foi dito até agora

Pelo visto temos alguns conhecidos no fórum, infelizmente não consegui distinguir todos mas alguns são mais fáceis de identificar, um abraço aos já conhecidos de longa data, Edu (de Uberlândia se não me engano, 2012 fizemos a sua né? Faz tempo haha), Filippo e Maurício!

O Fernando chegou a me falar das insatisfações do Delrei esses dias, a principio eram coisas que eu mesmo não julguei como grandes dores de cabeça, mas depois fiquei intregado com os detalhes mencionados e me tomei consciência de q deveria me atentar mais a tudo que foi mencionado.

Quanto ao vão da moldura segue meu posicionamento:

Como todos sabem nós seguimos os padrões das décadas de 50 e 60, (mais sobre isso a frente) nosso estudo é muito abrangente em muitos detalhes, esse é um dos detalhes que eu (Felipe) venho tentando fazer cada vez mais de acordo com a época, o Mouting ring original de 59 o Famoso M69 é muito específico em suas medidas e material e é algo q eu queria muito trazer a pra nossos instrumentos, porém ainda não tive a oportunidade de medir um original ao vivo e muito mesmo a oportunidade de tirar um molde do mesmo já tive a oportunidade anos atrás mas desmontar uma 58 goldtop seria difícil, (já foi difícil so de pegar na mão e fazer uns acordes), estou coletando fotos e informações sobre essa peça a muitos anos acredito q desde quando fizemos a LP do Edu aqui do fórum, porém nesse meio tempo passei por inúmeros mounting rings das mais variadas medidas e materiais alguns chegam bem próximos dos M69 mas sempre tem uma coisa ou outra que não bate, geralmente na altura do mounting da ponte q sempre vem mais baixo ou mais alto, já usei algumas vezes o mais baixo e não gostei do resultado pois o humbucker ficava muito pra fora do Mouting Ring e isso me incomodava, entao optei pelo mais alto onde posso tirar um pouco da sua altura a mão, porém nem todos os mounting rings mais altos teem as mesmas medidas (vai entender) e como eu sei de fato q o M69 era menor do q os usados hj em dia em diversas guitarras eu fico sempre procurando pelo menor, o q acaba conflitando com o tamanho da cavidade do humbucker, nisso acaba q os dois teem praticamente a mesma medida, a medida do humbucker não posso mexer muito pois o mesmo tem q ter espaço pra subir e descer lá dentro sem esbarrar nas paredes e Tb tem q ter espaço pra ficar com os polos alinhados com as cordas, já ocorreu q no momento da montagem o vão q aparecia era muito evidente e tive que "alargar" (mais pra arrombar mesmo rs) o Mouting ring com calor mesmo porém essa técnica é muito arriscada e posso perder essa peça em um piscar de olhos sem contar q tem o efeito colateral do vão entre o cover do pick-up e a borda da abertura do Mouting aumentar o q Tb é um absurdo, tendo isso em mente as vezes eu prefiro q fiquei um pouco do vão "aparecendo" (se não me engano menos de 1mm, pois mais do que isso pra mim seria inaceitável Tb) do q usar uma moldura maior q ao meu ver fica muito mais feio do q o vão tão milímetroco, diante de tudo que falei aqui é óbvio que pra mim não tenho escapatória, se não produzir os Mouting rings de acordo com os M69 o q já está em andamento! Uhull! Desde de agosto do ano passado estou desenvolvendo um modelo em 3D pelo Rhino e logo logo devo fazer os primeiros testes em uma impressora 3D, a ideia é primeiramente usar as medidas mais corretas possíveis do M69 sem contar as imperfeições do mesmo q são a cereja do bolo ao meu ver, e assim q satisfeitos com o o modelo impresso vamos reclipar ele com molde de silicone com resina plástica bicomponente, que não é o mesmo material da época porém só de ter as medidas certas já será um avanço enorme no meu dia a dia, outra coisa que ao produzirmos os Mouting rings nos mesmos é ter o controle da coloração dessas peças q Tb é sempre um parto pois tem q ser compatível com a cor do escudo, q diga se de passagem outra peça q nos mesmos produzimos, e Tb passamos por muitas tentativas e medidas até chegar no modelo q usamos hj, q aliás são dois gabaritos bem diferentes entre p90 e Humbuckers, o design dessa peça mudou bastante de 51 a 59 e (eu amo escudo só pra constar.. Ahaha) enfim o vão deve sumir por completo nas próximas LPs.

Sobre o Strap Button:

Fiquei surpreso com o fato do strap button estar frouxo, o parafuso é curto mesmo mas isso nunca foi um problema, (aliás outra coisa que já produzimos é o parafuso e o Strap button tanto nos modelos Gibson quanto nos modelos Fender, sim parafusos.. Até isso temos q ir atrás de produzir já q esta cada vez mais raro encontrar parafuso de cabeça dome e nickelados, mesmo os parafusos de fixação de braço nos modelos Fender temos que "mandar fazer") realmente uso a furacão do strap para pindurar os instrumentos na pintura, por isso o furo é tão profundo, imagina o tamanho do gancho q coloco pra q o instrumento não caia, quanto mais comprido melhor! Rs, sem dúvida ficarei mais atento a isso nos próximos instrumentos, pois eu mesmo q montei essa LP e não notei nenhuma anormalidade enquanto parafusava o strap button.

Sobre o Jackplate:

Realmente comi bola nisso, até agora não entendi pq coloquei o preto nesse projeto, sempre fazemos as "standards" com o creme e as custons com preto, outra peça que já está com o a arte pronta só faltou levar as placas para o corte a laser, faço os jackplates a mão a muitos anos e não aguento mais.. Mó trampo de chinês aposentado, só fiz a mão esse tempo todo pq os q víamos por aí da Gibson ou outras marcas eram um padrão q não gostávamos e mais uma vez nunca eram sempre do mesmo tamanho, mas aí pequei em não dar tanta atenção nesse detalhe no passado e continuei fazendo a mão, agora a cor eu realmente não sei como não me toquei.Quando o Fernando me falou sobre isso a única coisa que pensei em fazer seria refazer o plate, mas pra isso precisaria q me envie o preto, enviando via Sedex 10 a peça chega no dia seguinte, faço a peça nova e no mesmo dia (ou no seguinte) já te enviamos o novo, ao meu ver resolveriamos em 3 dias, mas agora conversando com o Delrei decidimos q ele vai me passa as medidas do preto e eu vou fazer outros plates creme pra ele.

Outro detalhe é o Jack duro, por aqui estava mais apertado Tb porém não tanto como no vídeo que vc postou, no momento não foi algo que reparamos como um problema, sem contar q de cabo pra cabo sempre tem uma pequena diferença. Se notar veram q a furação do Jackplate eu faço fora de centro justamente para q a perna do Jack não encoste na parede, provavelmente ele (o Jack) estava virado do lado errado oposto ao do compensamento do furo, se sim falha minha.

Sobre a regulagem da ponte

Sempre faço a instalação da ponte com as cordas no lugar, assim posso garantir o alinhamento das mesma com os pick-ups e Tb da oitava, fiz esse trabalho com uma ponte identica porém sem relic, pois enquanto eu alinhava e instalava a ponte o Fernando estava relicando a sua, no momento das fotos eu já tinha instalado a ponte porém coloquei a relicada, deve ter sido por esse motivo q esvata com os carrinhos retos, entretanto assim q vc regulou teve espaço pra movimentar todos os saddles certo? Se por acaso os carrinhos não estiverem chegando ao ponto certo teriamoa um problema muito grave na afinação do instrumento, o q eu sempre tento evitar ao instalar a ponte somente depois q colocadas as cordas (como?vcs me perfuntam.. Segredo né..) assim garanto que tudo vai se alinhar, e q os carrinhos terão espaço suficiente para se movimentarem.

Outro assunto citado aqui foi a "hype" da Dunamiz, não sei como uma marca é considerada hypada ou não, pra mim na vdd sempre foi um termo pejorativo e nunca quis q a Dunamiz caísse nesse termo, o q posso dizer com certeza é q de forma alguma isso tem influência na precificaçao dos nossos produtos, cada instrumento é precificado de acordo com seu custo de produção, mão de obra e demanda.

Agora pra finalizar, eu entendo que sim os problemas aqui citados no fórum são de suma importância e de fato inadmissíveis pelo preço que cobramos e pelo nome q a marca carrega, importante Tb dizer q essas informações muitas vezes não chegam até nós, é como o próprio Del Rei comentou, "se vc procura na Internet só falam bem da Dunamiz" ou algo parecido, tenho certeza que nunca fizemos nenhum instrumento impecável e perfeito, até pq não é o q procuramos mesmo, levando em consideração q nossa fonte de inspiração era perfeitamente imperfeita e isso ao meu ver é o q diferencia os instrumentos dessa época, por esse motivo deve ter um ou outro cliente q se deparou com alguma imperfeição e não nos comunicou assim como Tb já fomos informados de imperfeições diante os 10 anos de empresa, e sempre demos a assistência necessária, o StrapButon frouxo é algo q nunca chegou ate a mim por exemplo, sempre tive cuidado com isso principalmente no mogno q tem a fama de espantar no strap de baixo, agora com o feedback obvio q vou redobrar a atenção.

Agora um desabafo, a nossa atenção aos detalhes é muito grande porém são muitos detalhes, talvez não dê nem pra contar o tanto de detalhes q temos q considerar em cada projeto, não só pra LP mas pra qualquer modelo q fazemos, desde os mais "simples" q são as Jrs até os mais complexos q são as Custom Black Beauty e afins, todos instrumentos são cheios de detalhes q se eu parasse pra escrever aqui  eu não teria tempo pra fazer os outros 40 instrumentos da fila, os citados acima não chegam a 2% de tudo q fazemos, e todos os outros passam sempre despercebidos quando feitos direito, sinceramente os detalhes citados são os poucos que restam para q cheguemos no ponto em que queremos com esse modelo, já passamos por todas as piores fases, e vamos passapor mais essas, quando fui informado sobre a discussão aqui no fórum fiquei obviamente muito preocupado q tivesse ocorrido algo mais grave e estrutural com o instrumento, fico muito feliz em saber q são detalhes fáceis de evitar nos próximos projetos e estamos 100% dispostos a ajudar o Del Rei nas questões apresentadas.

Deixo o julgamento de fato para aqueles q já teem dois ou mais instrumentos nossos e q acompanham nossa jornada de perto a muito tempo, aos q não nos conhecem e q nunca tocaram ou analisaram um instrumento nosso de perto peço q tirem suas conclusões após de fato tocar e analisar nosso trabalho, convido q façam uma visita em nossa oficina prar conhecer de perto os produtos, óbvio q na medida do possível.

Uma outra coisa pra deixar claro, pois por mais q nos não vendermos nossos produtos dessa forma as pessoas ainda confundem, nos não fazemos instrumentos "custom" (acho q a maioria aqui no fórum já sabe né) em nenhum momento eu ou o Fabra e nem mesmo nosso front man no atendimento, Fernando passa a ideia de que o cliente escolhe tudo no projeto, desde o início deixamos claro que são poucas as aberturas de "customização", damos a liberdade de escolha para poucas especificações, não permitimos escolhas q não são coerentes ao nosso ponto de vista. (tipo Les Paul 59 com floyd, rs)

Não é segredo q nosso objetivo é construir instrumentos a pronta entrega, alguém comentou que ficamos assim por um ano e depois voltamos atrás, essa informação é incorreta, em certo momento decidimos fazer mais instrumentos a pronta entrega 3 a aceitação foi muito boa diga se de passagem, mas  pra isso tivemos que declinar algumas encomendas no mesmo período em q houve um aumento na procura de e comendas, pela insistência continuamos as encomendas com um prazo mais longo, o q inviabilizou os projetos a pronta entrega, contudo voltaremos a disponibilizar mais instrumentos a pronta entrega nos próximos meses e gradualmente desejamos que saiam mais a pronta entrega e deixaremos projetos mais específicos por encomenda.

Depois de longa conversa com o Delrei constatei q de fato nosso maior problema atualmente é a comunicação não só da empresa até o cliente como Tb internamente entre eu Fabrício e Fernando, sem dúvida nenhuma contratar o Fernando para fazer o atendimento foi uma das melhores coisas que já fizemos, porém ao mesmo tempo q tiramos essa carga dos nossos ombros passamos para o dele, e isso não está me parecendo muito justo na vdd, vou fazer uma reunião com todos e vou aliviar o peso do atendimento do Fernando, a ideia q ele faça todo o atendimento inicial e q assim que iniciado o projeto o cliente passe a tratar diretamente com o responsável do mesmo, como a chegada do Fernando é muito recente e nunca tínhamos passado esse bastão (um dos mais importantes diga-se de passagem) para outra pessoa alguns ajustes devem e serão feitos ao longo do tempo, assim como fizemos com todos os modelos q produzimos até agora, um detalhe por vez com o máximo de atenção.

Uma pena que não conseguimos atender o Delrei da melhor forma possível porém dos erros só levamos aprendizado, e sem dúvida nenhuma estamos sempre aprendendo a cada dia.

Grande Abraço!

renatocaster
Moderador
# 11/mar/21 09:18
· votar


Fedunamiz1

Olá, Felipe! Tudo bem? Primeiramente, seja bem vindo ao fórum! Inclusive, seria muito bacana se a sua participação, como representante da marca, se fizesse mais presente aqui no fórum a partir de agora.

aos q não nos conhecem e q nunca tocaram ou analisaram um instrumento nosso de perto peço q tirem suas conclusões após de fato tocar e analisar nosso trabalho

Sobre esse ponto aqui, permita-me gentilmente de discordar. Claro que quem tem ou teve algum contato com algum dos seus instrumentos possui uma percepção maior, mas quem nunca teve também pode ter alguma percepção, mesmo que reduzida, a partir de um relato de um consumidor.

O Del-Rei é um usuário bastante antigo e ativo aqui no fórum, além disso eu o conheço pessoalmente e sei da índole dele. Portanto, eu jamais colocaria em dúvida a insatisfação dele relatada aqui no fórum ou muito menos a desconsideraria, mesmo sem eu nunca ter algum tipo de contato com algum instrumento de vcs.

convido q façam uma visita em nossa oficina prar conhecer de perto os produtos, óbvio q na medida do possível.

Legal! Deixar esse canal aberto faz parte e ajuda a melhorar o relacionamento com os clientes, sem dúvida. Acho importantíssimo e bem bacana saber que vcs se propõem a isso.

Uma outra coisa pra deixar claro, pois por mais q nos não vendermos nossos produtos dessa forma as pessoas ainda confundem, nos não fazemos instrumentos "custom" (acho q a maioria aqui no fórum já sabe né) em nenhum momento eu ou o Fabra e nem mesmo nosso front man no atendimento, Fernando passa a ideia de que o cliente escolhe tudo no projeto, desde o início deixamos claro que são poucas as aberturas de "customização", damos a liberdade de escolha para poucas especificações, não permitimos escolhas q não são coerentes ao nosso ponto de vista. (tipo Les Paul 59 com floyd, rs)

Outro ponto muito importante, legal vc esclarecer isso aqui. Eu particularmente achei que existia uma brecha maior para escolhas e customizações. Eu não sei se a maioria aqui do fórum já sabia disso como vc disse, mas eu por exemplo não sabia, rsrsrs.

No mais, como usuário e moderador do fórum, realmente agradeço a participação de vcs aqui, falando em nome da empresa. Valeu!

EduJazz
Veterano
# 11/mar/21 10:40
· votar


Fedunamiz1

Muito bacana te ver por aqui!!! De fato, a minha data de 2012, e "envelheceu" muito bem. Como disse páginas atrás, minha experiência com vocês foi 125%!

Sobre o relato do Del-Rei, e o que você relatou agora, torço para que tudo se resolva da melhor forma!

Fedunamiz1
Membro Novato
# 11/mar/21 11:27
· votar


O Del-Rei é um usuário bastante antigo e ativo aqui no fórum, além disso eu o conheço pessoalmente e sei da índole dele. Portanto, eu jamais colocaria em dúvida a insatisfação dele relatada aqui no fórum ou muito menos a desconsideraria, mesmo sem eu nunca ter algum tipo de contato com algum instrumento de vcs.. (dito pelo amigo acima)

Perdão gente não sei usar isso aqui

Tem total razão não descarto nada do q ele comentou aliás agora com mais calma vejo o quanto a empresa pode crescer com um feedback tão sincero como esse.

Tentarei ser mais ativo por aqui sim, espero o tempo seja meu amigo e me permita sempre poder discutir com vocês sobre guitarras velhas, ainda não li tudo do tópico do Edu, mas achei muito interessante q muitos daqui do fórum são pessoas que nos acompanham desde tanto tempo, lembro q na época quem me falou sobre o tópico foi o Edu da Fullertone e lembro de ter lido umas duas páginas, q se não me engano era tudo q tinha mesmo.. Haha

Vi acima Tb q algum de vocês teve uma experiência ruim com o Edu da Fullertone, conheço ele a 10 anos e sei como ele é hahha
Provavelmente ele não teve a intenção de soar arrogante até pq ele tá bem longe disso o cara é um piadista nato ahahah

Mas enfim estou a disposição para ajudar e principalmente para melhorar o atendimento, aos clientes do fórum que estão em nossa fila de espera (não sei se é o caso so do Filippo) estou a disposição a qualquer momento se quiserem conversar sobre o projeto.

Grande abraço

Lelo Mig
Membro
# 11/mar/21 13:26 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Fedunamiz1

Bem vindo ao fórum.

Somos colegas virtuais do Del-Rei (alguns poucos reais), mas mesmo nesta "virtualidade" temos respeito e coleguismo; durante décadas estamos aqui debatendo sobre música e instrumentos, desenvolvemos apreço e carinho pelos usuários.

Então, só o fato de você aparecer por aqui e dar um grande depoimento, explicando ponto à ponto cada detalhe do ocorrido, já faz uma grande diferença. Ficamos tranquilos (pelo menos eu) de que você esta atento e dará toda à atenção que ele merece.

Você leu o tópico todo e deve ter percebido que há muito mais elogios a Dunamiz do que críticas. Isso é mérito seu, parabéns. Porém, estar aqui, atento às críticas que existem, te coloca num diferencial, porque o grande problema da maioria dos Luthiers e Hand Mades nacionais é justamente nessa hora, no pós venda, de aparecer, dar o suporte, explicar suas razões e estar disposto a resolver.

Obrigado por vir aqui, por estar atento de que "sim, problemas existem", e apresentar soluções. É isso que esperamos dos fabricantes.

Apareça de vez em quando, fique atento ao que aqui se comenta, perceba que há muito mais apreciadores de seu trabalho do que críticos, e que as críticas quando ocorrem geralmente são positivas e fundamentadas.

Acredite, o fórum anda meio devagar, mas têm muito músico experiente aqui, com acesso a instrumentos top e que conhecem o assunto.

Valeu por vir ao fórum e por dar à atenção que nosso colega merece. Parabéns!

Filippo14
Veterano
# 11/mar/21 13:29
· votar


Fedunamiz1

Sempre bom falar contigo. Da minha experiência sempre foi tudo tranquilo. No aguardo das próximas kkkk

Abs,

edalko
Veterano
# 11/mar/21 13:42
· votar


Fedunamiz1

Importante a "empresa" se manifestar num caso desse. Parabéns pela iniciativa.

Sugiro, então, que vc aproveite esse fórum para criar um tópico justamente explicando qual a política da empresa no processo de construção de uma guitarra.
Digo isso porque, como ex-cliente da DiCastellis, pensava que a Dunamiz o processo seria igual, em que eu escolheria até o parafuso que vai no escudo e quantos.
Haver uma transparência de como é o processo de escolha da guitarra, customização, o que é feito à mão e o que é obtido junto ao mercado, e objetivo final do instrumento é super importante, até para evitar discussões futuras.

Não posso deixar de mencionar que a guitarra entregue ao DelRei é linda, e com um relic primoroso.
Porém, é chato ter um instrumento em mãos após um tempo considerável e observar algumas imperfeições e falhas que reusltaram numa falta de atenção antes da entrega.
Com certeza acredito que, não havendo problemas graves, pequenos ajustes no processo produtivo devem resolver esses entraves (principalmente em relação ao buraco do captador aparecendo que pra mim é inadmissível!)

JoeCruzGuitar
Veterano
# 11/mar/21 14:31
· votar


Fedunamiz1

Boa a manifestação da empresa, mas o texto é muito longo para algo mais simples, devolve a grana e vende o instrumento, com a descrição exata do que ele é para outro interessado.

Acho que todos os pontos citados foram entendidos por mim, mas o cliente pedir um braço padrão 60s e receber uma tora padrão 58 é simplesmente inaceitável.

Eu havia pedido uma LP com as specs da 1960 no braço, porque a minha é 1960 slim e gosto muito, então queria algo semelhante. Entretanto recebi uma 58 cujo braço é uma TORA. Tenho sérias dúvidas se atentaram pro fato do braço diferenciado que pedi.

JoeCruzGuitar
Veterano
# 11/mar/21 14:46
· votar


Desculpem a lenha na fogueira, mas é um padrão comportamental na prestação de serviços nacional.

Rola uma hype absurda, muitos elogios, e o pequeno empreendedor acaba se achando a ultima bolacha do pacote.

Já vi isto tantas vezes ao longo das ultimas duas décadas, nada novo no horizonte.

Não chegou ser um problema de atendimento, até pq fiz exatamente o sugerido pelo fabricante.

Mas fiz uma rapida consulta sobre um pickup da fullertone, o eruption. Quem me acompanha de longa data sabe que sou fanatico por Van Halen e fico gastando dinheiro com tudo relacionado a banda.

A ideia era coloca-lo numa Jackson que uso como plataforma de customização.

A resposta do construtor foi "esquece o Eruption para esta guitarra", as perguntas feitas até chegar nesta resposta era se a guita era aberta, fechada, tinhas médios, etc... em um momento informei, é uma jacko japa.

A impressão que ficou foi, não vou vender o pickup para esta guitarra. Não fosse isto, talvez rolasse mais alguma investigação até indicar-me um outro pickup da marca. Enfim, minha unica intenção era o tal Eruption, por curiosidade mesmo. Agradeci a consulta e fim de papo.

Talvez tivesse dito que era uma Valley Arts, Anderson, Suhr, ou algo do tipo, tivesse estendido a conversa. Nesta altura da minha vida, to cagando para marca que printa o headstock, se gosto do instrumento e ele é bom pra mim, é mais do que o suficiente, apesar de ter condições de gastar com o que quiser, inclusive num captador nacional, desconhecido, com a chance de não gostar e revende-lo depois.

Esqueci esta possibilidade, simples e binário.

Delson
Veterano
# 11/mar/21 15:26 · Editado por: Delson
· votar


Eu aprecio muito o mercado brasileiro de fabricação de instrumentos e acessórios. Tenho cabos nacionais, já tive captadores e amplificador nacionais. Tudo com qualidade absolutamente INQUESTIONÁVEL.

Me lembro quando adquiri o Pedrone Titan versão combo. O falante estava preso por parafusos que vazavam pelo tecido ortofônico do falante, e o plug do falante era reto e passava pelo limite da traseira do amplificador.
Eu perguntei pro Pedrone se eu poderia arrumar isso tudo por aqui e ele ME ENVIOU as peças pra eu arrumar. Fora o atendimento que, até agora, nenhum handmaker brasileiro me deixou sem resposta, inclusive o pessoal da Dunamiz, em uma pergunta feita pelo Facebook quando a internet era mato kkkkkkk.
A Tecniforte também sempre se prontificou nas respostas, e o Érico Malagoli, nem se fala. Comigo sempre muito prestativo.

O posicionamento da empresa em vir aqui e "dar a cara a tapa" (no sentido construtivo) é louvável, mas ainda assim os defeitos estão na guitarra, e não é da minha conta se serão resolvidos ou não, embora eu espere que sim.

Se eu tenho coragem de fazer uma guitarra com a Dunamiz?



ESPERA SÓ EU JUNTAR A GRANA PRA VOCÊS VEREM! kkkkkkkkkkkkkk

Hitman
Veterano
# 11/mar/21 15:51
· votar


Fedunamiz1
Opa Felipe, que prazer em te-lo no forum!

Sobre a regulagem da ponte

Sempre faço a instalação da ponte com as cordas no lugar, assim posso garantir o alinhamento das mesma com os pick-ups e Tb da oitava, fiz esse trabalho com uma ponte identica porém sem relic, pois enquanto eu alinhava e instalava a ponte o Fernando estava relicando a sua, no momento das fotos eu já tinha instalado a ponte porém coloquei a relicada, deve ter sido por esse motivo q esvata com os carrinhos retos, entretanto assim q vc regulou teve espaço pra movimentar todos os saddles certo? Se por acaso os carrinhos não estiverem chegando ao ponto certo teriamoa um problema muito grave na afinação do instrumento, o q eu sempre tento evitar ao instalar a ponte somente depois q colocadas as cordas (como?vcs me perfuntam.. Segredo né..) assim garanto que tudo vai se alinhar, e q os carrinhos terão espaço suficiente para se movimentarem.


Acho que a pergunta mais importante aqui eh pq a guitarra nao veio regulada por voces ao invez de deixar na mao do cliente que, por sorte, soube regular. Ficaria dificil se ele nao tivesse esse conhecimento e pior ainda, nao tem luthier de confianca na regiao pra pagar dinheiro a mais pra ter a guitarra num estado tocavel apesar de ter comprado-a nova, de um fabricante artesanal.

Deixo o julgamento de fato para aqueles q já teem dois ou mais instrumentos nossos
Mas poxa, pelo que entendo aqui, a pessoa precisa gastar, sei la, 30 pau e comprar multiplos instrumentos pra ter uma opiniao?

Uma outra coisa pra deixar claro, pois por mais q nos não vendermos nossos produtos dessa forma as pessoas ainda confundem, nos não fazemos instrumentos "custom" (acho q a maioria aqui no fórum já sabe né) em nenhum momento eu ou o Fabra e nem mesmo nosso front man no atendimento, Fernando passa a ideia de que o cliente escolhe tudo no projeto, desde o início deixamos claro que são poucas as aberturas de "customização", damos a liberdade de escolha para poucas especificações, não permitimos escolhas q não são coerentes ao nosso ponto de vista. (tipo Les Paul 59 com floyd, rs)
Ate ai tudo bem, entendo nao deixar customizar tudo, mas o que da medo eh pergunta e sugestao ir sem ser resposta e o gerenciamento de expecativas. O cliente deve saber tudo que pode e nao pode customizar na guita, sendo que esta mandando fazer. Valeria muito a pena gastar uns minutinhos pra desenvolver uma listinha pronta pra cliente que perguntar. Economiza seu tempo e te salva ambos voces e o cliente de lidar com surpresinhas pos entrega.
Eu mesmo acompanho o trabalho de voces a anos, ja fui em sua oficina e apertei a sua mao e do Fabricio tambem e adorei tudo que vi e toquei.
Sou amigo de alguns donos das suas guitarras, toquei nelas e sao de fato fenomenais mas assim como nosso amigo Del-Rei, estaria bastante decepcionado se a experiencia dele fosse a minha, esperando tanto tempo, pagando tanto dinheiro e de fato sabendo que o instrumento pode ser to mais alto nivel, com as falhas que lhe foram entregues e o atendimento que lhe foi servido.

Del-Rei
Veterano
# 11/mar/21 17:36 · Editado por: Del-Rei
· votar


Entonces, pípou.
Ontem eu e o Felipe conversamos por umas 4 horas seguidas, rs.

Conforme eu já havia mencionado aqui, as questões da guitarra eu já havia relevado. A questão era mais sobre a conversa com eles que acabou ficando prejudicada. Mas felizmente ontem resolvemos tudo.

Felipe se mostrou atencioso e com toda hombridade reconheceu que houve falhas e se redimiu em nome da empresa. Pra mim, era o que bastava. E ele vai me mandar uns jack plates creme! \o/
Vou encaminhar as medidas pra ele tentar reproduzir igual.

Sou um cara tranquilo, e se me tratar bem eu relevo bastante coisa. Mas é bom que o processo fiquei registrado pra que outras pessoas possam ter melhores experiências que as minhas.


Fedunamiz1
Fala, Felipe.
Bom te ver aqui, representando a empresa, cara.
Seja bem-vindo!

Até então, resolvido. Mas...

Gostaria de expressar algo aqui sobre o Guilherme Spilac, por conta de uma publicação dele hoje no face, no tópico que criei.

O Spilac é o garoto propaganda da Dunamiz. Talvez não haja um contrato formal entre vocês, mas vocês e ele, em conjunto, produzem os vídeos de divulgação da Dunamiz que são atualmente veiculados no perfil da empresa. Então, invariavelmente, atualmente a imagem dele é associada à Dunamiz, querendo ou não.

Não é surpresa pra ninguém aqui que eu havia pedido a vocês pra ninguém tocar na guitarra. E por isso não teve vídeo do Spilac com a minha guitarra. E talvez tenha levado pro lado pessoal, ou mesmo tenha ficado incomodado, sei lá.

Acontece que ele, por mais de uma vez (Instagram e Facebook) fez questão de fazer comentários públicos ácidos e irônicos sobre ninguém poder tocar na minha guitarra. Como se isso em algum ponto dissesse respeito a ele. Como se coubesse a alguém, além de mim, decidir sobre minha guitarra, que eu paguei com meu dinheiro, do meu trabalho diário.

Na primeira alfinetada dele, eu fiz questão de ser o "gente boa" então mandei uma mensagem privada pra ele, pra tentar resolver qualquer mal entendido - mesmo sabendo que eu jamais precisaria justificar alguma decisão minha pra ele. Mas fiz mesmo assim, porque sou meio ingênuo, talvez.
Minha mensagem pra ele foi exatamente essa:

Fala aí, Spilac.
Tudo bem?
Cara, Del Rei aqui. O dono daquela Dunamiz DZ58 que saiu esses dias.
Só pra te dizer que não foi nada pessoal não, valeu? Não te conheço pessoalmente mas pelo que vejo, você é um cara gente fina.
Eu sou ciumento com instrumento, rsrs, e pedi pra que ninguém além deles lá tocassem a guitarra.
Só pra você saber. Nada pessoal. Nem teria como ter. Valeu?
Abração, cara!


O cara se limitou a responder com um emoji com o boneco "dando de ombros". Fim de conversa. Nem sei o que ele quis dizer exatamente, mas ok. Encerrou a conversa.

No Facebook foi a mesma coisa. Novas piadas por não ter podido tocar na minha guitarra.
Deve estar bem incomodado. Como se ele tivesse algum direito sobre a minha guitarra......

Então, no Facebook fiz questão de mandar essa mensagem:

Eu já esperava receber críticas pelo post, claro. Faz parte do tribunal da internet. As pessoas não me conhecem e pelo visto não sabem o que houve (não se deram ao trabalho de ler) mas já formaram suas impressões sobre mim e tomaram como certeza. Já virei o cara que pede pra mudar o projeto a todo momento. Nem me dou ao trabalho de responder.
Mas não esperava, mais uma vez, receber farpada do garoto propaganda da marca, o Guilherme Spilack. Por mais de uma vez (tanto aqui quanto no Instagram), ele fez questão de mencionar o fato de eu ter pedido pra ninguém tocar na guitarra, em tom ácido, como se isso em algum ponto dissesse respeito a ele. Como se coubesse a alguém, além de mim, decidir sobre minha guitarra, que eu paguei com meu dinheiro, do meu trabalho diário.
Mas ele se esquece que ele está diretamente ligado à imagem da empresa, querendo ou não, já que a própria Dunamiz produz em conjunto com ele os vídeos de divulgação dele com os instrumentos e veiculam no perfil da empresa. Querendo ou não, ele tem a imagem associada.
E a postura infantil e anti profissional dele resvala na Dunamiz, invariavelmente. No final, parece que estou tentando resolver algo com a empresa, mas sou ridicularizado publicamente pelos próprios colaboradores. E isso não é impressão só minha.
Passou da hora de entender que quando a adolescência termina e você vira profissional, o comportamento tem que ser diferente. A internet não é mais o quintal da sua casa. E a empresa tem uma mensagem a zelar.
Ontem eu e o Felipe tivemos uma longa conversa e tudo foi resolvido sobre o instrumento. A comunicação de fato é a maior forma de resolver as coisas.



A resposta do garoto propaganda da Dunamiz foi:

assim falou um nickname e uma mão se mexendo na guitarra. Agradeço as criticas e deixo publicamente a gratidão as pessoas que acham legal ver seu instrumentos aparecendo em vídeos que me esforço em todas as minhas capacidades técnicas para realizar. Captação de áudio, video junto com o pessoal da Dunamiz, iluminação, estrutura de captação e etc. Acho q vc tem razão qdo diz q tenho a imagem associada a marca, afinal desenvolvo esse trabalho com a paixão que você, pelo seu comportamento, não parece ter.
Achei e ainda acho ridículo essa postura mimada de "é meu e ninguém pode encostar", ainda mais numa guitarra relic, como se fosse fazer alguma diferença na pintura e etc se alguém pusesse suas mãos sobre o instrumento que vai ser seu. Mais peculiar é me colocar como parte da empresa e ao mesmo tempo ter essa posição de que não pode encostar no seu bebe, "como carro novo" como descrito em alguma resposta pra outra pessoa ai encima. Vc acha q ninguém sentou no "carro zero" q o seu dinheiro pode comprar?
Meu acido não vem por não tocar a sua guitarra, sim por esse seu comportamento infantil. Fala que adultos tem q se portar como tal e dá esse showzinho na internet "como se fosse o quintal de sua casa". Vc é muito mimado.
Fico feliz que tenha se resolvido com o Felipe e espero que aproveite a sua guitarra que ninguém pode encostar!


Seguem os prints:

Print da minha mensagem depois das várias farpas do Spilac.

Print da mensagem do cara que está atualmente em todos os vídeos publicados pela Dunamiz.


Sério, Felipe. A postura de TODOS os colaboradores que estão associados a vocês deve ser impecável. Inadmissível um cliente virar chacota pública por alguém que faz propaganda pra vocês. Eu gostaria MESMO que você revisse isso. Isso deveria ser inadmissível não só pra mim, mas na verdade a perplexidade deveria partir de vocês - desde as primeiras alfinetadas.

Isso me incomodou e acho que a Dunamiz precisa se manifestar sobre isso.

Não me incomodaria se fosse uma opinião externa (assim como alguns me massacraram no tópico do face, sem saber da história toda), mas faz parte e eu relevo. Mas jamais poderia vir da pessoa que está com o rosto em atualmente todas as divulgações da Dunamiz, no próprio perfil da Dunamiz.

A Dunamiz publica quase que diariamente vídeos de um cara que ridiculariza publicamente o cliente da própria Dunamiz.
Se contar, ninguém acredita. Estou pasmo que publicamente a empresa esteja se fingindo de morta quanto a isso.

Infelizmente isso está fazendo parte da minha "experiência" Dunamiz. Veio no pacote.

Como você sabe, são 10 anos de uma imagem a zelar.
E a gente não quer nada diferente da qualidade que tanto lemos por aí.


Um aceno de longe!!!

Sub_Zero
Veterano
# 11/mar/21 19:23
· votar


Del-Rei
A resposta do garoto propaganda da Dunamiz foi:
Rapaz, isso sim é uma postura extremamente infantil. Você comprou o instrumento e está no seu direito de não querer que outras pessoas toquem nele, e não há problema algum nisso. Realmente, a partir do momento que uma pessoa está fazendo vídeos de divulgação pra marca, sua imagem vai ficar atrelada. Acredito que qualquer guitarrista que faça propagando pra qualquer marca tenha que ter um postura mais "diplomática", ele pode até pensar um monte de bobagem, mas ir a público com esses comentários é extremamente anti-profissional.
No mais, fico feliz que tenha resolvido os problemas com o pessoal da Dunamiz. Nas minhas experiências de compra sempre fui muito bem atendido por eles, e o fato dele vir aqui explicar o ocorrido me deixa mais tranquilo, porque penso em adquirir outro instrumento com eles em breve e vejo que a preocupação deles com seus clientes continua a mesma da época que comprei minha primeira guitarra.

LeandroP
Moderador
# 11/mar/21 22:43
· votar


Conheço também o Del-Rei de longa data aqui do fórum. Um dia ainda terei a oportunidade de dar um aceno de perto.

\m/


Fedunamiz1

Bem vindo ao fórum e sinta-se a vontade pra falar do seu trabalho. Se precisar de alguma orientação em relação à plataforma, pode entrar em contato através da Central de Ajuda (link no rodapé de todas as páginas).

MatheusMX
Veterano
# 12/mar/21 03:57
· votar


Ihh, parece que a coisa anda quente por aqui hein galera, rs

Tenho uma strato em fase final lá na Dunamiz, com o Fabrício, e até pelo fato de ter tomado conhecimento pelo Maurício MMI que é, na minha opinião, o maior expert em guitarras aqui do fórum, tenho uma grande expectativa sobre essa guita!

Enfim, eu acredito no trabalho da Dunamiz, na qualidade dos instrumentos, e na capacidade de seus profissionais.
Da mesma forma, nosso colega forista Del-Rei tem sua boa reputação por aqui e sabemos que há razões em seus depoimentos.

Torço para que tudo se resolva bem e a empresa demonstre o profissionalismo e a qualidade compatíveis com o peso da marca.

Grande abraço a todos!

Fedunamiz1
Membro Novato
# 12/mar/21 07:24
· votar


Lamentável mesmo o desfecho do post no Facebook, obviamente que as palavras do Spilack não condizem com a postura da empresa.

Não há dúvidas de que ele tem sido a cara da empresa no último ano pois temos um acordo muito bom na produção dos vídeos, a quem interessa vou explicar melhor esse acordo.

Eu e o Spilack somos grandes amigos desde 2016 sempre gostei muito do trabalho dele com o String mas amizade veio mesmo de uma forma muito natural, em 2018 ele encomendou uma Jr singlecut e pagou por isso como qualquer outro cliente, nesse meio tempo sempre aproveitavamos as visitas dele pra gravar um vídeo ou outro mesmo q na gambiarra como fazíamos na oficina antiga lá no bixiga, depois da mudança já no começo da pandemia ainda fizemos alguns vídeos com o Marcelo da MG e com o Hector, mas como eu e o Fabra não temos muitos recursos e conhecimentos sobre gravação de áudio os resultados não foram dos melhores, apesar de q as imagens nos agradaram muito, tendo isso em mente eu chamei o Spilack pra me ajudar com o áudio, ele sem pensar duas vezes foi lá e nos ajudou, mostrou o equipamento dele e fizemos alguns vídeos mostrando os amps da MG Music, até então era apenas um brother ajudando outro brother, repito o Guilherme é meu amigo à muitos anos. Ao vermos q se eu e o fabra quiséssemos fazer os áudios dos vídeos nos mesmos teríamos que investir um tempo nisso e aprender umas coisas, e meus queridos tempo é uma coisa q nem eu nem o fabra temos, depois a vimos a agilidade do Spilack em montar o set e gravar tudo de uma forma rápida e eficaz não deu outra já viramos pra ele e perguntamos quanto ele cobrava pra fazer esse serviço por vídeo, chegamos a um valor mas mesmo antes fechar negócio eu já comentei se ele não gostaria de receber em guitarra, ele no mesmo momento já aceitou rs

A partir dai passamos a fazer mais vídeos com ele fazendo a captação do áudio, desde o início a ideia era trazer outros guitarristas mas com a pandemia isso ficou complicado, sem contar q pra bater a agenda de todo mundo é bem difícil, mas mesmo assim já temos alguns guitarristas na manga para os próximos vídeos, porém isso não é um problema muito grande pois o próprio Spilack tem um play q nos agrada muito e pra nós nunca tivemos problemas com ele aparecendo nos vídeos, assim Tb como nunca tivemos problemas com o Guty Rodrigues quando ele aparecia mais no vídeos, e nenhum outro artista q de alguma forma vinculou seu nome com o da empresa.

O Spilack tem o trabalho dele bem desenvolvido nas mídias sociais e YouTube e se expõe bastante nesses meios, entretanto não se vê ninguém falando que ele maltratou Fulano ou Ciclano por aí, aliás sempre só ouvimos elogios ao respeito dele, e se tivesse uma vírgula pra falar dele antes de tudo nós nem teríamos começado os trabalhos com ele, temos muitos clientes que não só são fans do trabalho dele como q Tb pedem pra q a gente grave um vídeo dele com as guitarras deles, eu acho isso muito bom e valorizo muito q nossos clientes gostam e apreciam os vídeos q fazemos.

Tendo isso em vista, a situação em q a empresa se encontra diante de uma discussão acalorada no Facebook é extremamente delicada, tive uma longa conversa com o Spilack e ele entendeu q a imagem dele está vinculada a nossa imagem e q as palavras dele podem serem vistas como as palavras da empresa aos terceiros e sente muito q tenha chegado a esse ponto.

Ficou decidido que a atuação do Spilack em nossos videos se mantém e q a partir de agora ele por ser "garoto propaganda" da marca, sempre irá entrar em contato comigo antes de se pronunciar sobre algo q se refira a empresa se uma situação dessas se repetir. (o que é difícil q aconteça mas nunca se sabe).

Grande abraço!

Ainda disposto a fazer o melhor possível!

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a (Vídeo) Minha Dunamiz ficou pronta!