Gibson faz video falando que vai processar todo mundo

Autor Mensagem
lamas92
Membro Novato
# 01/jul/19 10:04
· votar


Acho bem bacana os comparativos às cegas. No YT do Andertons tem váaaaarios.
Se vc fechar os olhos e escolher apenas pelo som, pode se surpreender...
Marcas como Fender, Gibson, Rolex, Ferrari e outras marcas agregam valor aos objetos.
Quem pode, paga e fim. Quem não pode, compra o paralelo, o similar, a cópia chinesa... (e alguns mudam componentes pra chegar próximo ao original)
Se vale? Sei lá, cada cabeça é uma sentença.

Vale pagar apenas pelo custo da marca? Pra revender, vale!
(falou o cara de strato Tagima e LP Epiphone...)

The Man Who Sold The World
Veterano
# 01/jul/19 10:47
· votar


Eu acho esses reviews guitarra de 10 reais versus guitarra de 1 trilhão tudo furada
Primeiro de tudo, a gente basicamente nunca sabe onde os caras tão ligando essas guitarras
Segundo, a nossa realidade como consumidor no Brasil, é MUITO diferente lá de fora
Agora a parte que mais pega pra mim
GUITARRA NAO É SÓ TIMBRE, a minha primeira guitarra foi uma condor rx10, ela veio com o tensor quebrado, ela tinha SERIOS problemas de afinação, dava choque e a mão dava umas raspadas nas sobras dos trastes do lado do braço
Aí voce me pergunta e o timbre dela? E eu te digo, po, ela nao soava ruim, nunca troquei o captador dela, mas lembro que no quesito timbre, ela era razoável (minha fender custou umas 25 vezes o que a condor custou, mas não é 25 vezes melhor)
Mas eu não tomo choque, a fender não desafina mesmo com alavanca (passando grafite no nut)
Isso que eu nem contei da minha Phoenix les Paul que a ponte tava no lugar errado daí ela não afinava as oitavas
Mas tenho ctz que se eu ligar nos amplificadores que tenho hj, a diferença de timbre é de 5% no máximo entre elas e minhas guitarras atuais

The Man Who Sold The World
Veterano
# 01/jul/19 10:55 · Editado por: The Man Who Sold The World
· votar


Moral da história:
Podem sonhar que uma guitarra de 500 pila é melhor que uma de 8k, é pra isso que esses vídeos servem
Mas não é e digo mais, não é no teu quarto que uma guitarra boa se prova, é no palco e no estúdio, você tem um instrumento confiável em mãos
Parem de pirar galera, e pelo amor, não tô menosprezando as guitarras de entrada, já tive dessas e era a única coisa que eu podia ter na época, mas como diria o poeta "cada um no seu quadrado"

T-Rodman
Veterano
# 01/jul/19 11:42
· votar


é soda.
como a premissa que hoje em dia o povo adota "instrumento mediano e amps bons", difícil de achar em questão de timbre uma guitarra ruim, se observado isso - do amp ou interface serem bons.
Agora a impressão pessoal é outra coisa. Nesse lado, acho que qualquer um com experiência só de pegar na guitarra e tocar uns 3 acordes já sabe o que te agrada ou não. Como reviewers dizem, o som não fica ruim - mas não dá pra tocar mais de 1 música sem antes ter de afinar novamente, sem você se irritar com o instrumento, sem o instrumento começar a chiar do nada...
Eu to brincando com uma 'telecaster custom 72' e pra isso eu comecei comprando uma Tagima T-750 sem sequer tê-la testado. Passado a lua de mel, já encanei com o braço dela. Tenho um braço de reposição de telecaster da Mighty Mite, que acho que já vou colocar lá - resolvendo uma das coisas que não me agradou - o braço. Depois vou testar algum par de PAF nele. Talvez assim eu fique mais feliz com esse instrumento, já que a encanação do momento é ter uma guitarra nessa config, tipo isso
https://www.youtube.com/watch?v=74XyKR4lTsA

Lembrei de um vídeo arguindo do porquê que o Jimmy Page nunca usou P90, se as guitas com esse captador soam tão bem, e tão Led Zeppelin - aí o pessoal respondia sobre isso, que no palco não tinha como uma guitarra com P90 na época soar bem, porque pegava interferência elétrica, chiava, etc - e hoje em dia com os captadores p90 mais novos, com blindagem, com fiação nova, e, principalmente, tocando em estúdio, o som é muito mais atraente - e eu tb adoro P90, lol.
https://www.youtube.com/watch?v=pJMpRf70EQ8

amplexos

T.

felipe bento pereira
Membro Novato
# 01/jul/19 13:23
· votar


só quero saber como vai ser os próximos capítulos dessa novela!!! hahahahaha
quero ver o circo pegar fogo!

T-Rodman
Veterano
# 01/jul/19 22:23 · Editado por: T-Rodman
· votar


Gibson mandou um press release 'pedindo desculpas', rs
https://www.youtube.com/watch?v=I0t1dec5jyA

https://myemail.constantcontact.com/Gibson-Pivots-From-Confrontation-T o-Collaboration.html?soid=1129474305186&aid=e5n9UgqBZls

makumbator
Veterano
# 01/jul/19 23:26
· votar


https://myemail.constantcontact.com/Gibson-Pivots-From-Confrontation-T o-Collaboration.html?soid=1129474305186&aid=e5n9UgqBZls


Bullshit!

Ismah
Veterano
# 02/jul/19 18:19
· votar


The Man Who Sold The World

Audi é a divisão esportiva da VW. Um Golf topo, custa metade de um A4 TT ou menos, e tem o mesmo conforto...
Por que a diferença de preço? Apelo, marketing, estética...

Enzo Ferrari já dizia a trocentos anos atrás, que ganhar corridas é o que vende carros... Fica a esperança de que algo do possante de corrida, esteja no DNA do irmão menor...
E as vezes está... A Fórmula 1 no passado, e hoje a Fórmula E, é um campo importante para o desenvolvimento...

Enquanto todo mundo queria ser Slash, as coisas iam bem para a Gibson.
Hoje todo mundo quer ser outra coisa, e aí as coisas vão mal...

Ainda além... Eu bato nessa tecla a algum tempo, o uso da madeira nobre, é muito mais ligada as propriedades que levam ela a ser nobre, do que o timbre...
Timbre, é um jogo de ganhos e perdas. Dá para mudar algumas coisas e ganhar num lado, evidentemente, perdendo no outro... Mas...
Nem todo mundo tem conhecimento, quiçá interesse, para saber isso... Aí que entram as referências... Se o Slash chega no timbre XYZ, com a guitarra que ele usa, é possível que eu também chegue...

E bem, em tudo é assim... O custo de uma guitarra fuleira envenenada, um carro 1.0 com turbo, ou uma bike chinelo "turbinada" (meu caso), é o mesmo ou mais elevado, de comprar de cara um mais ou menos superior... E o benefício, muito raramente é sequer equivalente - se tentar economizar, aí f... de vez... - já que no pingado, a margem de lucro é sempre maior que numa venda grande...

Casper
Veterano
# 02/jul/19 22:23
· votar


Caro Ismah:

Quando todo mundo queria ser o Slash, a guitarra
era só um detalhe na cadeia do timbre:

Slash Rig

T-Rodman
Veterano
# 03/jul/19 00:56
· votar


Bike pelo menos eu sei que com 70k eu compro a melhor e mais moderna bike do mercado e pronto, rs. E passado uns anos sai uma melhor ainda pensando 5 quilos, ou monto uma usando peças NOS de uns 3 anos atrás e fico na faixa dos R$ 10k nos 8kg, quadro carbono de 700usd, ultegra 10v ao invés de Di2, roda zonda e o mesmo pneu 700x25 que usam em Roubaix.
Guitarra hum, passada a marca de 10k numa moderna do ano não tem limite uma custom, master build ou uma original dos anos 50~70.

Lelo Mig
Membro
# 03/jul/19 09:54 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Hoje o caminho da guitarra é o quarto, a interface, o pc, softs e o Youtube.

Neste caminho existem muito mais possibilidades. Antigamente era em Studio ou ao Vivo onde chiados e microfonias eram sócios da banda.

Não falo em melhor ou pior, falo que mudou.

Os instrumentos melhores, hoje em dia, são em maior quantidade e opções. Em compensação, os piores são melhores.

lamas92
Membro Novato
# 03/jul/19 10:24
· votar


Slash Rig
Humilde.
E ainda dizem que o batera é que se ferra carregando tralha...

The Man Who Sold The World
Veterano
# 03/jul/19 11:28 · Editado por: The Man Who Sold The World
· votar


Lelo Mig
Hoje o caminho da guitarra é o quarto, a interface, o pc, softs e o Youtube.
concordo, hoje a qualidade de "tudo" melhorou, a minha primeira guitarra (que eu comprei faz só uns 15 anos) deve ser infinitamente pior que a guitarra da gurizada que ta começando agora e infinitamente melhor de quem começou antes de mim
mas voltando ao assunto gibson, a qualidade de tudo melhorou muito, antigamente o melhor que se te tinha em nivel de simulação eram os PODs, hoje a gente tem Kemper que é absurdo e pra uso residencial, a gente tem o Boss katana, o marshall code que são sensacionais pra se usar em casa/igreja/tocar com os amigos
fora os "pluginho" kkk tem guitar rig, amplitube, waves, UAD, hoje em casa se tira timbres que eu nem sonhava em tirar quando comecei, com uma interfacezinha, um mac e um fone legal

a qualidade subiu muito em comparação ao preço
quem ta começando tem esses amplis ai, quem quer um valvulado de medio custo tem os marshall dsl(tenho um e é sensacional)
quem ta avançado e tem mais dinheiro pega um kemper
a gibson nao acompanhou essa questão do custo x beneficio
hoje as marcas tem que entregar mais pelo preço pedido, como eu disse acima, essas marcas estao virando marcas de iniciantes/ intermediarios
quem toca e gasta mesmo, vai nos handmades ou marcas de nicho/boutique
vejo que a unica que nao aceitou isso ainda foi a gibba
a marshall ja "tunou" sua linha de entrada (com os codes e dsl) a vox tbm (com o mv50)
assim como a fender, PRS...

Buja
Veterano
# 03/jul/19 11:42
· votar


Gibson é marca de boutique.
E boutique já sai do ambito se é bom ou ruim. Boutique é boutique é pronto.
Igual Apple. Se é bom ou ruim, vai de gosto pessoal. Mas nao tem apple barato. E olha que um aparelho é muito mais linear na qualidade que uma guitarra.
Tem gibson boa, tem gibson ruim. Mas sempre é caro.

Eu particularmente, nao gosto de pagar por marca, só pra enriquecer o bolso do dono. Nao tenho tara por status.

Só acho que os handmades do Brasil so deveriam ser mais agressivos no mercado, em vista da queda dos grandes ai. M|as até entendo, nao ha incentivo. Nao é impossivel, mas é triplamente mais dificil navegar em aguas brasileiras =(

Lembro da Walczak. Tive uma guitarra deles, EXCELENTE !!!!!!
Nao foi les paul, mas se fosse les paul, acho que bateria FACIL uma Gibson Standard.

Cadê os caras?! Sim, ouvi toda a historia. Calote aqui, ali, justiça, falencia e tudo. Apesar de que nada justifica, mas quebrar no Brasil nao é nada dificil.
Na verdade, heroi é quem nao quebra aqui.

Juro que nao sei como a Gibson ta quebrando. Nao sei mesmo como conseguiram tal proeza.

HortaRates
Membro
# 03/jul/19 11:49
· votar


Buja
Eu acho que a resposta é mais simples que parece:
A Gibson tava acostumada a vender guitarra pra cacete a 50, 60 anos. De repente, a galera começa a tocar muito menos guitarra. Ao mesmo tempo, as guitarras de baixo custo melhoram em muito a qualidade, surgiram diversos fabricantes de alto nível americanos.
Aliado a isso tem o fato da Gibson não ter diversificado corretamente.
Veja bem: nos últimos 10 anos a Fender lançou uma linha de guitarras chinesas (modern player), amplificadores valvulados (bassbreaker) e agora até uma plataforma de aulas de música online.
O que a Gibson fez? Robot Guitar? E-Tune?
A proeza é a Gibson não ter quebrado antes.

Del-Rei
Veterano
# 03/jul/19 18:27 · Editado por: Del-Rei
· votar


Buja
Gibson é marca de boutique.

Sei não. Embora tenha uma carreira bem consolidada, não vejo como boutique. Hoje eu tenho a impressão de que quem usa Gibson é guitarrista mais oldschool, enquanto quem usa PRS, por exemplo, é guitarrista mais 'refinado'.


Só acho que os handmades do Brasil so deveriam ser mais agressivos no mercado

Essa parte é bem complicada. Geralmente a maioria dos clientes de handmades nacionais buscam alternativas mais baratas em relação aos equipamentos originais importados. Se o preço de um JCM800 novo fosse 4k, duvido que o Pégasus ou Micro800 vendessem como vendem. Acaba que o handmade nacional apareceu pra suprir uma necessidade do músico brasileiro, e vai se manter assim.

Dificilmente você verá um fabricante nacional que tenha se consolidado no mercado pelo seu produto diferenciado (talvez a Dunamiz...). A maioria faz cópias mais em conta. Podem até ser melhores que as originais, mas não têm nome consolidado, logo, menos valor. Se pensar na revenda então....

Até porque, a lei da demanda define o mercado. Em regra, quem busca equipamento não quer algo desconhecido. Quer o que já conhece e gosta. Se os handmades começarem a fazer equipamentos diferentes de tudo que há consolidado no mercado, não vão vender. Ninguém conhece. Pra criar uma demanda de produtos novos, é necessário investir PESADO ($). É preciso investir uma grana que se eles tivessem, provavelmente não seriam pequenos fabricantes...


HortaRates
A proeza é a Gibson não ter quebrado antes.

Uma marca consolidada dessa não quebra assim. Tem muita gente pra comprar quando chegar no fundo do poço. Mas de fato a marca passou as últimas décadas se apoiando em uma tradição que não se sustenta mais só com o nome. Surgiram trocentos fabricantes. Surgiram novas demandas. Demorou pra abrir os olhos.

Um aceno de longe!!!

Ismah
Veterano
# 03/jul/19 21:51
· votar


Casper

Eu sou fã dele, nada anormal... O que saberia na época, é o que todo mundo sabia: LP + Marshall... Era o que aparecia...
Em geral, sequer se imaginava o backstage... Hoje existe essa informação, e com acesso fácil... Então mesmo que havia mais, se desejava a LP e o Marshall, isso ajudou a vender amps...
O dinheiro não dava pro JCM800, mas um Valvestate talvez?
A grana não comprava uma Gibson CS, mas uma Studio talvez?

Verdade que a Gibson não investiu no ramo de entrada, logo abriu espaço para a concorrência. Com a popularização das fresas CNC, outras marcas começaram a fazer uma linha mais abrangente, indo da primeira guitarra, até a que está na mão da banda internacional. Com a qualidade equivalente, menor preço e mais opções...

T-Rodman
com 70k eu compro a melhor e mais moderna bike do mercado e pronto

Com 70 k tu também compra uma das excelentes guitarras... E bem, um instrumento histórico, é outra história, não se paga pelas propriedades técnicas.
Essa comparação fica injusta quando se parte para esse lado mais "subjetivo".

T-Rodman
Veterano
# 04/jul/19 10:25
· votar


eu até acho que em termos de guitarras, uns 15k a gente chega no limite delas. Daí pra frente começa a ficar realmente muito subjetivo a precificação delas.

Eu vi um video essa semana de um cara tacando pedra na Gibson e também na Fender, e em partes ele tem razão.
O foco é muito em cima de 'vintage', som 'vintage', 'tradição', etc - e receio que tem um mercado pra isso. Mas também, tem quem não aguenta mais o mesmo reissue de instrumento. Tava xingando a linha inteira "Vintera"
Eu mesmo falo que curto Fender, mas a Fender que imagino é a moderna, sem aqueles pedaço de ferro torto que machuca a mão, rs. Ja já essas builders de body parts pegam todo esse mercado aí. Olha que massa esse site que constrói o corpo e braço que desejar:
https://www.warmoth.com

amplexos

T

lamas92
Membro Novato
# 04/jul/19 13:13
· votar


T-Rodman
O legal da Warmoth é que vc escolhe tudo, desde a madeira, os cortes para captadores e curvas de conforto, acabamentos, ferragens, escudos e elétrica, (prontos ou não), parafusos, braços, trastes... tudo.
Vc monta (e não é barato) do jeito que quiser! Outro dia fiquei brincando aqui no site. Só faltou um número de CC (que não o meu) pra completar a festa...

T-Rodman
Veterano
# 04/jul/19 13:28 · Editado por: T-Rodman
· votar


lamas92
olha aqui uma guitarra que o cara que tava xingando a Gibson e a Fender montou, com peças da Warmoth
https://youtu.be/qUgIebn-i5M?t=681
(antes do tempo ele fica tacando pedra nas duas empresas, mas do tempo ai pra frente ele mostra a guitarra e o porquê que ele montou assim)

esse é outro video da Warmoth mesmo fazento um teste com madeiras diferentes com mesmo shape e acessórios
https://www.youtube.com/watch?v=7k_A8GhN0L8

vendo esses 2 videos me deu uma coceira de fazer uma telecaster custom 72 com 2 HH PAF num corpo de mogno, braço flamed maple com escala em ébano... aí vi o preço e voltei pra realidade, rs. vou aqui brincar com o corpo de uma Tagima T850 e um braço da Mighty Mite que eu já tenho por aqui, lol

JJJ
Veterano
# 04/jul/19 22:51
· votar


o cara que tava xingando a Gibson e a Fender

E meteu o logo fake da Fender... ¬¬

Synth-Men
Veterano
# 06/jul/19 10:20
· votar


Chaves del Ocho sobre o vídeo do cara da Gibson:

- Era melhor ter ido ver o filme do Pelé.

Sammy morgan
Membro Novato
# 06/jul/19 16:33
· votar


Esse assunto é bem interessante. Mas de acordo as leis de apropriação intelectual, a Gibson pode,sim, processar essas outras marcas.

The Man Who Sold The World
Veterano
# 06/jul/19 16:40
· votar


Sammy morgan
pelo que o pessoal anda comentando na internet, não pode, pelo menos algumas marcas, como a Dean
por exemplo a Dean produz essas guitarras que a Gibson está acusando de cópia ja pelo menos a 30 anos
acho que tem um prazo pra processos de quebra de patente e dizem que a Gibson já perdeu esse prazo
já as empresas de falsificação, essas acho que podem sim ser processadas, inclusive devem

felipe bento pereira
Membro Novato
# 08/jul/19 09:54
· votar


já as empresas de falsificação, essas acho que podem sim ser processadas, inclusive devem

só empresas ou oficinas de luthieria também? porque o que não falta é cara que copia modelos de guitarras famosas por ai, sem falar das trocas de decalque!!...
pra mim é tudo falsificação!

JJJ
Veterano
# 08/jul/19 10:13 · Editado por: JJJ
· votar


felipe bento pereira
pra mim é tudo falsificação!

Pois é...

Aí o sujeito fala "o negócio é meu, eu faço o que eu quiser". Sim, se você quiser pegar seu tênis chulé e escrever nike ou adidas na base da caneta, problema seu e ninguém tem nada com isso.

Só que tênis não dura muito e nem é objeto de revenda. Já uma guitarra... daqui a pouco está aí solta no mercado e quem garante que se vai saber se é fake ou não?

The Man Who Sold The World
Veterano
# 08/jul/19 10:24
· votar


JJJ
Tem um cara que vira e mexe pessoal cita no ML, lamentável
felipe bento pereira
Uma oficina de luthieria é uma empresa
Abraços

felipe bento pereira
Membro Novato
# 08/jul/19 10:35
· votar


uma duvuda! a Epiphone ainda pertence a Gibson?

Uma oficina de luthieria é uma empresa
mas como são "cafés pequenos" duvido que sofram algumas sanções!!

Ismah
Veterano
# 09/jul/19 19:23
· votar


Lelo Mig

O ciclismo está nessa... Rolos interativos são incríveis, só falta baratear (mais uns 5~10 anos)...

Del-Rei
A maioria faz cópias mais em conta. Podem até ser melhores que as originais, mas não têm nome consolidado, logo, menos valor. Se pensar na revenda então...

Mas aí que está... Não tem nome e nem terão, pois não oferecem nada de diferente...

Em regra, quem busca equipamento não quer algo desconhecido. Quer o que já conhece e gosta.

Porque é mais lógico... Se eu sei que modelo XYZ funciona pra fulano, pra mim pode ser que funcione também...

Se os handmades começarem a fazer equipamentos diferentes de tudo que há consolidado no mercado, não vão vender

Não é necessariamente preciso fazer coisas diferentes de tudo. Não é preciso reinventar a roda. Se fosse feita uma parceria como a Wampler tem com o Brad Paisley, mas falta interesse, sobre tudo... Nem vamos tocar no preconceito...

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Gibson faz video falando que vai processar todo mundo