Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      Desisti do Reaper, voltei para o cubase 7

      Autor Mensagem
      makumbator
      Veterano
      # set/16 · Editado por: makumbator
      · votar


      mahohnikk
      Xpand!2

      Esse está disponível em VST pra qualquer DAW. Comprei por 1 dólar na pluginboutique.com

      mas os instrumentos dele eu achei menos intuitivos do que os da concorrência (eu faço instrumentais, mixo e masterizo).

      A versão elements do Cubase é muito capada. Tem que ser pelo menos a Artist pra valer a pena em relação aos plugins e instrumentos virtuais que o acompanham. Eu uso o Cubase full e original desde a versão 6 (atualmente uso a 8.5 pro) e gosto bastante. Mas é tudo questão de gosto, no fim das contas

      Calime
      Veterano
      # set/16 · Editado por: Calime
      · votar


      Já usei Cubase, Audacity e Adobe Audition...a uns 2 anos uso mais frequentemente o Reaper, e consegui me sair mto bem com ele, e sinceramente? Fiquei nele pela questão de ser algo que "conversa" bem com mto plugin, e tbm achei que a quantidade de instruções sobre ele espalhadas aí pela net é consideravelmente maior. Mas de tudo, o que conclui é que a melhor DAW é a que vc mais se adapta. No geral diferem alguns aspectos operacionais, mas no fim das contas dá tudo no msm. Sem chorumelas....

      Ismah
      Veterano
      # set/16
      · votar


      A leveza do Reaper também é indiscutível... É um código direto...

      Dizem qu'eram 6Mb na primeira versão...

      Felipe Stathopoulos
      Membro Novato
      # set/16
      · votar


      Pessoal, bom dia, me desculpem a pergunta de noob, mas tô com a seguinte situação:

      Tenho gravado minhas demos em casa no Audacity. Apesar de negada torcer o nariz, meu som é simples, um grunge/hardcore sem muita frufrução e sem arranjos megalofodásticos, e o Audacity me quebra bem o galho, embora dê um trampo da gota...

      O grande problema que tenho com ele é que ele não aceita plugins e vst´s de nada, e eu não consigo bolar a bateria que desejo para gravar em cima, tendo que usar a bateria "quadradona" da pedaleira. Já tentei gambiarras de tudo que é jeito, pensei até em comprar um EZ Drummer da vida, mas tá completamente fora do orçamento (€ 180!).

      Daí, seguindo a dica dos amigos aqui do fórum acabei comprando (ainda não recebi, mas deve estar pra chegar) a interface Steinberg Ur22 MkII, e consta que essa interface vem com a possibilidade de você baixar o Cubase (não sei a versão) que parece que também é da Yamaha.

      No entanto li e ouvi muito falar do tal Reaper, que consta ser "free". Assim sendo, e observado que não quero ter de aprender tudo de novo, porque perdi um tempo monstro pra aprender (maomeno) a mexer com o Audacity, pergunto:

      1) Confio no programa que - supostamente - vem com a interface (Cubase) ou desencano dele e vou pro Reaper? Qual dos dois é mais simples e intuitivo, inclusive para baixar/instalar, observando-se que vou instalar num PC antigo e com windows 7 (vou comprar um PC mais novo/poderoso mais pra frente, mas por enquanto é o que tem)?

      2) Conseguirei com algum deles (Cubase ou Reaper) bolar e gravar levadas de bateria, viradas, pausas, etc.? Existe um vst que venha com eles e que me permita fazer uma track de batera sem ter que comprar um EZ Drummer ou algo similar?

      De antemão agradeço as opiniões dos amigos.

      makumbator
      Veterano
      # set/16
      · votar


      Minha sugestão: espere chegar a interface e instale o Cubase que virá junto com ela (vai ser a versão AI, que é mais simples). Teste e veja se gosta. Se gostar beleza, se não gostar tente outros (como o Reaper)

      Calime
      Veterano
      # set/16 · Editado por: Calime
      · votar


      Felipe Stathopoulos

      Eu gosto mais do Reaper. Já usei o Cubase e PRA MIM a interface do Reaper é mais intuitiva. Vc não vai perder absolutamente nada escolhendo Reaper, Cubase, ou qualquer outra DAW(tanto em uma possível "qualidade" qto recursos); isso é mais questão de gosto. Se possível, dá uma olhada nos dois, e vê qual vc prefere.

      Sobre o lance das bateras, que eu saiba não. Vc vai ter que baixar algum VSTI. E trampar com o MIDI (esse aqui vc escreve/edita dentro da própria DAW...e tbm acha arquivos já prontos pra baixar aí pela net aos montes). A bateria que recomendo é o Hydrogen. Dá uma lida sobre ele aí pela net e youtube. Isso se sua aplicação for só registrar idéias, pq os timbres dele são bem meia boca. O forte dele é a facilidade de programação, leveza e custo zero. Se quiser qualidade de timbre, vai ter que ir atrás de pelo menos a Drummica (tbm gratuita, porem com bons timbres), que é mais pesada, ou então partir pros Ez Drummer e afins(Superior Drummer, BFD, Addictive Drums), que são pagos e exigem bem mais do pc, alem de terem resultados mto legais qdo bem manipulados.

      Ismah
      Veterano
      # set/16
      · votar


      Felipe Stathopoulos
      observado que não quero ter de aprender tudo de novo, porque perdi um tempo monstro pra aprender (maomeno) a mexer com o Audacity

      TUDO não, mas boa parte das coisas são diferentes... Se tivesse começado com uma DAW de verdade, e não um editor de áudio, estaria apenas trocando a "skin" praticamente... Algumas coisas receberão nomes diferentes (talvez mais técnicos), ou estarão em lugares diferentes...

      Felipe Stathopoulos
      Membro Novato
      # set/16
      · votar


      Ismah

      "Se tivesse começado com uma DAW de verdade, e não um editor de áudio"

      Porra Ismah, vc é foda hein bro? Ahuahuahuahua...

      Cara, prum cabra que gravou sua primeira demo de uma banda inteira com uma mesa de 4 canais numa Tascam analógica (fita K7) de 4 canais, um programa como o Audacity é um sonho de uma noite de verão... Dá pra fazer "de um tudo" com ele, como diria o De Ros... :)

      Mas claro, o trabalho que o Audacity dá e o tempo que toma para se "jumpear" suas limitações são grandes.

      De qualquer maneira, o Audacity "é o que tem pra hoje". Devagarzinho a gente vai "miorando", rsrsrs...

      Abç

      Felipe Stathopoulos
      Membro Novato
      # set/16
      · votar


      Valeu galera, vou tentar o Cubase quando chegar a interface e desde já vou ver se instalo o Reaper e testo ele.

      Também vou dar uma olhada nesse Hydrogen e Drummica. Gostei bastante do primeiro, a princípio.

      Abçs

      Calime
      Veterano
      # set/16
      · votar


      Felipe Stathopoulos

      Pra inicio o Hydrogen é bem legal, e msm dps...pois o lance de criar as ideias nele é bem legal e bem mais facil e prático que editar dentro da DAW ou ficar montando dentro de um EZ Drummer da vida. Eu msm hj crio o básico com ele, e dps dou uma arrumada melhor no arquivo MIDI que ele gera, dentro da DAW, já com o EZ Drummer.

      Wade
      Membro Novato
      # set/16
      · votar


      Eu sequencio bateria no Guitar Pro e daí exporto o midi no final.

      Calime
      Veterano
      # set/16
      · votar


      Wade

      Man, como vc faz em relação ao pan da batera? Falo do lance de jogar chimbal pra um lado, ataque pro outro, bumbo no meio...pra dar a ambiência da batera, saca? Tô tentando melhorar nisso agora. Se vc faz isso, faz por onde, pela DAW ou pelo próprio vsti de batera? Outra coisa: o que deixa em mono e o que deixa em stereo qdo grava?

      Calime
      Veterano
      # set/16
      · votar


      Se outros usuários puderem opinar aí sobre essa questão de panorama, e como fazem a distribuição do pan das peças, será algo bem válido. Sei que não existe receita de bolo, e as percepções são distintas e pessoais, mas vai que experimentando as diferentes opiniões, se chega a um resultado ainda melhor que ao que se está acostumado.

      No geral eu tento dar um perspectiva do ouvinte, como se eu estivesse de frente pra bateria escutando alguém tocar. Fico mto na dúvida de fazer isso na DAW ou no vsti; geralmente faço pela DAW msm, uma vez que o EZ Drummer 2 não dá mto recurso para alterar isso.

      ps: antes que me perguntem, no geral tenho feito mais gravinas dentro do metal/rock.

      Wade
      Membro Novato
      # set/16 · Editado por: Wade
      · votar


      Calime

      O Guitar Pro se não me engano exporta o midi mono. Todo o trabalho de pan eu faço já na DAW dentro do plugin (no caso aqui, no Superior Drummer).

      Quando eu coloco o SD na track com o midi, ele já reconhece cada peça e já coloca um pan "pré-definido". Mas daí vou mudando conforme o meu gosto.

      o que deixa em mono e o que deixa em stereo qdo grava?

      Eu, particularmente, procuro deixar a bateria como se eu tivesse de frente pra ela, vendo o baterista tocar.

      Geralmente a "fórmula" que uso é a seguinte:

      Bumbo: 5% pra direita (lá na frente coloco o baixo 5% pra esquerda)
      Caixa: centro
      Hihat: 15% pra direita
      Primeiro tom: 50% pra direita
      Segundo tom: 20% pra esquerda
      Surdo: 50% pra esquerda
      Primeiro over: 80% pra esquerda
      Segundo over: 80% pra direita
      Sala: centro

      Vai de gosto. Eu gosto dessa configuração.

      Calime
      Veterano
      # set/16 · Editado por: Calime
      · votar


      Wade

      Será que tem diferença em fazer esses pan na DAW ou no vsti? Penso que em questão de facilidade, no caso do EzDrummer 2, é bem mais fácil e simples fazer isso na DAW.

      Wade
      Membro Novato
      # set/16
      · votar


      Calime
      Em resultado dá no mesmo. A diferença vai ser só na praticidade e gosto.

      Na real, mesmo quando trabalho com bateria vst, eu crio uma track pra cada peça e mando o sinal daquela peça pra track e aí trato como se fosse uma bateria captada normalmente. Nesse caso, o pan é na DAW mesmo.

      Calime
      Veterano
      # set/16
      · votar


      Wade

      Pois é assim que tô indo mesmo. A batera eu geralmente monto o MIDI, daí abro o EZ pra executar, e gravo pras mandadas, cada peça em seu canal. No EZ os Overs estão em um canal apenas, em stereo, assim tbm os tons e o surdo, que tbm estão em apenas um canal. Caixa, bumbo, hi hat cada um em seu canal separado. Nesse caso, acho que no EZ fica melhor fazer o pan na DAW msm.

      Jabijirous
      Veterano
      # set/16
      · votar


      Wade
      Na real, mesmo quando trabalho com bateria vst, eu crio uma track pra cada peça e mando o sinal daquela peça pra track e aí trato como se fosse uma bateria captada normalmente. Nesse caso, o pan é na DAW mesmo.

      Pra cada peça tu usa um track (midi) e depois manda pra track de áudio?

      Wade
      Membro Novato
      # set/16
      · votar


      Jabijirous
      Não.

      Eu abro o midi inteiro em uma track e coloco o Superior Drummer nessa track, daí ele reconhece o midi dentro do plugin.

      Depois crio mais umas 5 ou 6 tracks vazias. Daí de dentro do plugin eu mando o sinal (já processado, já com som de bateria) de cada peça pra uma dessas tracks.

      Daí fica como se fosse uma bateria captada normalmente, uma peça em cada track.

      Daí só tratar normal peça por peça.

      Calime
      Veterano
      # set/16
      · votar


      Wade

      As ambiências e compressão do próprio VSTI, vc "desliga/zera"?

      Wade
      Membro Novato
      # set/16
      · votar


      Calime
      Algumas sim. Outras eu deixo pra simular como seria o processo de gravação de uma bateria acústica no estúdio. Os mics passando por pré, compressor, eq e limiter antes de ir pra mesa/interface.

      A ambiência eu deixo só a que simula a sala.

      Jabijirous
      Veterano
      # set/16
      · votar


      Wade
      Ah tá. Já estava imaginando a trabalheira danada pra nada hehehehe

      Eu faço isso tb. Inclusive eu já criei um template com todas as saidas do BFD no cubase. Assim eu ganho um pouco mais tempo!

      Wade
      Membro Novato
      # set/16
      · votar


      Jabijirous
      O Superior Drummer já cria todas as trilhas automaticamente quando abro ele dentro do Reaper. Daí só importar o midi pra track principal e já era haha. Uma mão na roda mesmo.

      makumbator
      Veterano
      # set/16 · Editado por: makumbator
      · votar


      Jabijirous

      O Ez drummer 1 e 2 e superior drums criam automaticamente todas as pistas ao serem abertos no Cubase (bastando ir no plugin e selecionar a opção de saída multipista, ao invés da saída estéreo unificada). O mesmo não acontece com o BFD?

      Jabijirous
      Veterano
      # set/16
      · votar


      makumbator
      Não. Se tem eu não conheço. Eu lembro que a versão 1 tinha isso, mas a dois e a três não.
      Quando você abre o bfd ele vem uma saída em stereo. Você tem que endereçar as saídas dentro do bfd e depois habilitar a mesma no cubase!

      Ismah
      Veterano
      # set/16
      · votar


      Calime
      como vc faz em relação ao pan da batera?

      Não querendo contrariar o colega, mas eu faço o oposto do Wade, mixando como se fosse o baterista, olhando pro lado.

      BD - Centro (pois dá mais pressão naturalmente, e é a peça que dá marcação do tempo junto com a caixa).*
      Sn - Centro ou em dois canais, cada um 20% para os lados
      HH - 40~60% direita
      T1 - 80% direita
      T2 - 80% esquerda
      F1 - 30% direita (se não houver condução nele)
      F2 - 30% esquerda
      R1 - 40~60% esquerda
      OH - Stereo a 100% PAN se forem direcionais em XY ou shotgun lado a lado, apontando debaixo pros cantos , 80% se for LR.
      Rm - Depende da captação, posição, frequência que cancelará, mas eu gosto de um PZM captando de costas pra bateria, pegando a sala de fato, ou um bi-direcional o mais longe possível - meu sonho é gravar num farol, torre ou coisa parecida e captar com um bi-direcional a 10m, 15m de altura.

      Todos os tons e bumbo em bus compressor, geralmente com um LA2A ou multibanda.

      Caixa eu gosto solta, mesmo no rock e sertanejo, eu gosto de caixa grande, com um gated reverb que cresce, bem ao estilo reggae. Se a caixa vem magra, geralmente uso um white noise, com side-chain gate (meio pra fazer uma caixa-cachorro de forró).

      Bumbo eu manipulo pouco, depende do estilo. Se for gravado com pedal duplo eu crio uma automação de pan nas passagens jogando cada pedalada uns 20~30% para cada lado, tende a embolar menos, e claro, muita compressão multi-banda.

      O que eu puder gravar dobrado eu vou. É muita vantagem para escolher timbres depois.
      Pra nada há regra... Já coloquei um flanger, fechando o ciclo a cada 4 compassos nos OH... Guitar Rig na caixa é do carvalho... Um Fender distorcendo...

      * Pra não dar conflito de bumbo e baixo, tem várias maneiras

      - Pego um eq de 32 bandas, jogando cada faixa alternadamente pra baixo e pra cima, e no canal do baixo eu faço o oposto

      - Compressão paralela ou expander paralelo,

      EZ pra executar, e gravo pras mandadas, cada peça em seu canal

      Isso eu faço (fazia, já é mais de ano que não sequencio nada) com o ADDrums...

      No EZ os Overs estão em um canal apenas, em stereo, assim tbm os tons e o surdo, que tbm estão em apenas um canal.

      Isso é um saco...

      Wade
      Em resultado dá no mesmo. A diferença vai ser só na praticidade e gosto.


      Vale lembrar de mandar as vias já mixadas, te impede de mexer nelas depois. Nem ruim nem bom, opção.

      Calime
      Veterano
      # set/16
      · votar


      makumbator
      O Ez drummer 1 e 2 e superior drums criam automaticamente todas as pistas ao serem abertos no Cubase

      Ou msm no Reaper...tbm dá pra salvar o template, daí já vem do jeito que vc gosta. Isso é mto prático.

      Calime
      Veterano
      # set/16
      · votar


      Ismah

      Putz, vi que seu método é mais trabalhoso pra quem ainda não tem prática (eu, por exemplo, kkkk). Eu tô indo pelo ouvidômetro ainda; os resultados tem sido ao menos razoáveis, ao meu ver(tem gente que elogia, mas eu sou cismado, nunca acho bom o bastante pra um elogio sincero, rs...).


      Isso é um saco...

      De fato, essas limitações do EZ são mto chatas msm. É por isso que ele é tido como uma porta de entrada nesses vsti's de batera mais parrudos. Apesar de ter bastante recurso e um som legal, ele tem algumas limitações bem bobas, coisa que ao menos no Addictive, que já usei, não rola: tbm tem bons timbres, e bem mais possibilidades. Mas o EZ, pra quem tá começando, tá bão dimais, sô! Já dá pra brincar mto bem com ele.

      Wade
      Membro Novato
      # set/16 · Editado por: Wade
      · votar


      Ismah
      como se fosse o baterista

      HH - 40~60% direita
      T1 - 80% direita
      T2 - 80% esquerda
      F1 - 30% direita (se não houver condução nele)
      F2 - 30% esquerda
      R1 - 40~60% esquerda


      Canhoto? Haha

      Vale lembrar de mandar as vias já mixadas, te impede de mexer nelas depois. Nem ruim nem bom, opção.

      ???

      Ele perguntou sobre fazer o pan dentro do plugin ou na DAW. Dá no mesmo o resultado.

      Tanto faz colocar um tom 50% pra esquerda dentro do plugin ou na track desse tom (caso esteja trabalhando com peças separadas indo pra tracks individuais).

      O resultado em qualquer um dos casos vai ser um tom 50% pra esquerda.

      Jabijirous
      Veterano
      # set/16
      · votar


      Wade

      Vale lembrar de mandar as vias já mixadas, te impede de mexer nelas depois. Nem ruim nem bom, opção.

      ???

      Ele perguntou sobre fazer o pan dentro do plugin ou na DAW. Dá no mesmo o resultado.

      Tanto faz colocar um tom 50% pra esquerda dentro do plugin ou na track desse tom (caso esteja trabalhando com peças separadas indo pra tracks individuais).


      Exatamente.

      Aqui eu só faço a mandada. O BFD já vem com o pan estabelecido, nem mexo, só mexo quando eu quero experimentar.

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Desisti do Reaper, voltei para o cubase 7

      306.299 tópicos 7.905.478 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2018 Studio Sol Comunicação Digital