pedais que até hoje não vi utilidade

Autor Mensagem
Luiz_RibeiroSP
Veterano
# 10/fev/20 16:09 · Editado por: Luiz_RibeiroSP


Tenho certo tempo tocando guitarra, experimentei muita coisa, e nunca entendi por que muitos guitarristas tem 10 pedais. Só de imaginar carregar isso por ai ja me desanima, fora o custo da fonte ou fontes para ligar tudo isso.
Como sempre precisei pensar no transporte tive que usar apenas o necessário, e no final o necessário foi sempre suficiente o que me fez não entender pra que tanto pedal. Dentre alguns tipos, em especial alguns nunca entendi sua necessidade.

Booster: aumenta o volume quando aciona, vi usarem muito em solos, testei algumas vezes e achei bem dispensável mesmo com outro guitarrista tocando junto. O que me assustei foi ter pedais de quase 1000R$ que fazem apenas isto.

Compressor: Montei um e funcionou bem de primeira, minha alegria precedeu uma decepção pois o efeito é um dos mais discretos que existem. Apenas senti que o pedal me fez perder dinâmica o que odiei. Mas no baixo, seguindo uma dica do Bertola eu adorei e uso sempre.

Pedal afinador: É caro, consome corrente da fonte, ocupa espaço, é mais pesado que um afinador de outro modelo. Uso um antigo afinador da korg, GT-2. Afino a guitarra, desligo do cabo e pronto. Quando acontecia de desafinar no palco não era nada que não pudesse ser resolvido em segundos pegando o la do baixo.

Noise gate: Não resolve, o chiado continua la, o que ele faz é abaixar o volume quando a relação sinal/ruido tente a 1. Prefiro tentar solucionar o problema de outra forma ao invés de usar ele.

Equalizador: Este é legal, único que até pensaria em ter se precisasse. Mas nunca precisei.

Talvez eu mude de opinião conforme aparecer cenários das quais ainda não vi. Hoje uso no máximo 3 pedais. chorus ou delay com uma distorção e meu querido tremolo. E tremulo tenho certeza que é dispensável para muitos.

BrotherCrow
Membro Novato
# 10/fev/20 16:28
· votar


Luiz_RibeiroSP
Bom... eu uso pouco pedal. Vivo sem pedal de boa, dependendo do amp. Mas todos esses que você falou eu consigo ver aplicação.

Booster: pra dar mais volume pra solo acho meio inútil sim. Pra empurrar um amp ou overdrive, acho válido.

Compressor: só uso pra base limpa. É pra ser discreto mesmo.

Afinador: uso o Boss TU-3. É um bom buffer pra começo de cadeia, e serve pra cortar o aúdio entre as músicas ou na hora de trocar de guitarra.

Noise gate: com ganho muito alto, acho essencial. Às vezes só o ruído dos pedais de distorção boostados, sem contar qualquer ruído introduzido pelo instrumento, já justifica. E quando você tá tocando o chiado some de qualquer forma embaixo de toda a distorção.

Equalizador: pô, aí já acho que é o pedal mais útil de todos. Com eq vc transforma totalmente uma distorção, ou dá boost, ou modela um som limpo... ficar sem eq é dureza.

Mas no fim das contas pra mim é drive leve na frente do amp e reverb no loop.

acabaramosnicks
Membro Novato
# 10/fev/20 16:34
· votar


Booster
Pode ser usado para evitar perda de sinal ao longo da cadeia, ou fazer como eu e usar pra empurrar a distorção da válvula. Realmente, não faz sentido custar mil reais, o meu booster eu mesmo fiz e (pra mim) funciona melhor que outros de marca que usei antes.

Pedal afinador:
É pra quem não quer se preocupar com bateria do afinador de clip e não tem pedaleira digital (elas têm afinador junto)

Noise gate
Se a relação sinal/ruído for grande suficiente, o ruído não aparece enquanto se toca, mas se vc deixa o volume do amp muito alto o ruído pode ser suficiente pra incomodar, daí o gate ajuda bastante. Também ajuda muito (como trapaça) pra quem faz stacato rápido.

Equalizador
Cria espaço na mix pra outros ou se destaque sem mudanças drásticas de volume. Este não sai do meu set nem a pau, eu uso no loop pra mudar a cara do preamp, fica ligado praticamente o tempo todo. Pode ser usando também pra criar uma grande mudança de timbre em trechos de músicas.

engraçado que hoje meu set é só um gate, um boost e um eq, tudo pedal que vc acha inútil kkkkk

Beto Guitar Player
Veterano
# 10/fev/20 16:36
· votar


Booster

Não tenho, mas já boostei muitas vezes usando o próprio EQ.


Compressor

Tenho um que funciona também como sustain. Eu gosto do som limpo que produz, ele traz pra frente sons muito baixos e empurra sons muito altos. É basicamente a função dele.

Pedal afinador

Para isso, eu uso uma pedaleira simples que fica ligada o tempo todo.

Noise gate

Nunca usei, mas acredito que se bem regulado, funciona bem, principalmente em equipamentos com muito chiado e distorções gritantes.


Equalizador

Eu tenho um que, como disse antes, usava bastante como booster, mas pode ser muito bem explorado, cortando frequências chatas, principalmente agudas.


Fora os que citei que tenho, eu tenho um wha, distortion, overdrive, chorus (adoro esse). Uso uma fonte simples com 12 pontas que me sobram bastante. Carrego tudo num case já montado com todos os fios e cabos necessários. Basta abrir, plugar, ligar e tocar.
É claro que hoje em dia em nem toco mais, então não tem tanto utilidade pra mim, mas na época de banda era uma mão na roda.

Buja
Veterano
# 10/fev/20 16:41
· votar


Booster

Acho legal, mas muitas vezes dispensavel, e facilmente substituível por um virar de chave seletona ou um girar de knob de volume.
Acho o pedal de volume muito mais interessante que um booster.

Afinador
O mais inutil de todos. Serve pra coisas bem específicas, mas é mais hype que tudo.

Noise gate
Muito importante pra quem usa singles e manda um lick aqui e ali no meio da musica, e fica 4 compassos sem tocar nada.
Esse pedal, apesar de eu nao ter nem precisar usar, nao acho tão inutil assim.


Equalizador
Esse deve ser porque eu nao tive necessidade até hoje. Mas reconheco que é um pedal mao-na-roda, principalmente, para baixistas.

Buja
Veterano
# 10/fev/20 16:45
· votar


Outro pedal que digamos, pode ser super util, como completamente inutil, é o pedal de pre-amp.
Quem toca nessas casas que so tem mesa + pa, eta pedalzinho bacana!
Mas pra quem leva seu combo, nao vejo porque ter um.

Luiz_RibeiroSP
Veterano
# 10/fev/20 18:03
· votar


Só um adendo, durante os mais de 10 anos de banda nem sei quantos lugares toquei, lugares bons foram uns 4.
Todo o restante foram bares de rock em garagem ou palcos improvisados em praças. Chega no lugar tem uma pilha de amplificadores wattsom, sonorus, irmãos vitale,etc. Mesmo se eu ligar um klon centaur todo o restante não ajudava.
Isto desmotivou bem eu comprar coisas, principalmente caras pois poderia ser furtado, assaltado, quebrar no palco quando sobe um bando de bêbado pra sequestra o microfone....teve vezes que eu pensei que todos iriam sacar suas gladius e se confrontar.
Algo que acho muito importante é um testador de tensão ou multímetro, pra quem sabe usar, queimei duas vezes uma fonte onner porque a unica tomada 220v ficava no palco.ainda bem que eu sabia consertar e a fonte apesar de simples aguentou e protegeu meu pedal.

Del-Rei
Veterano
# 10/fev/20 19:39
· votar


Luiz_RibeiroSP

Booster
Como você faz pra um solo sobressair? Não precisa ser um pedal de booster especificamente. Pode ser um outro drive ou até um EQ. Tocando em banda com duas guitarras e tentar destacar solo sem um boost é impossível. Eu usava EQ pra isso.

Compressor
Acho útil pra sons limpos quando rola dedilhado. Principalmente em situações de shows em que a adrenalina e movimentação de palco te fazem alterar um pouco a intensidade de dedilhados... o compressor nivela tudo, pra não sair som muito alto nem muito baixo. Pra som distorcido não faz muita diferença pra mim.

Um aceno de longe!!!

Luiz_RibeiroSP
Veterano
# 10/fev/20 20:26
· votar


Del-Rei
Nunca fiz nada para sobressair solo. toquei muito tempo em power trio

Lelo Mig
Membro
# 10/fev/20 20:51 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Luiz_RibeiroSP

Independente de qualquer coisa, acho que depende muito de duas coisas fundamentais:

- O estilo de música que você toca.
- O estilo de guitarrista que você é.

Eu nunca pretendi ser um guitar hero, mesmo quando eu tocava bem. Meu negócio sempre foi "fazer parte da banda" estar inserido na música. Sempre me preocupei muito com a harmonia e as possibilidade de timbres. Tirando os grandes mestres dos 70, quando veio a nova era de guitar heros dos 80, enquanto meu amigos ficavam doidos com Eddie Van Halen e Randy Rhoads e as grande possibilidades técnicas, por exemplo, eu estava muito mais voltado as grandes possibilidades sonoras de The Edge e Adrian Belew, por exemplo.

Me tornei um guitarrista que têm um estilo definido, uma assinatura, mas com um som, um timbre e etc, diferente em cada música. Nunca em minha vida seria um Angus Young que soa "timbristicamente" falando, exatamente igual de sua primeira música gravada nos anos 70 até hoje.

Me defino como um guitarrista com cabeça de tecladista.

Durante uma época toquei muito progressivo autoral, então meu querido, só de modulação eram 3 (phaser, chorus e flanger), usava 3 distorções (1 drive leve, 1 distorcion mais porrada e 1 fuzz), 1 delay, 1 oitavador, 1 sustain, 1 equalizer e 2 expressões (1 volume e 1 wha)... só aí 12 pedais.

- Usava sustain principalmente em bases "groovadas/funkeadas", ficam muito boas com sustain + wha.

- Usava equalizer justamente para ter uma opção de mudança radical no timbre da guitarra no meio de uma canção de forma rápida e fácil.

Nunca me adaptei a noise gates, justamente por achar que "roubam timbre".

Houve uma época que tive muito equipo, não por ostentação, mas justamente para poder soar diferente em cada canção.

Obviamente, cada pedal adicionado à cadeia, cada guitarra incorporada ao set (cheguei a colocar 3 guitarras e 2 violões num palco) são problemas adicionados.

Os tempos são outros, obviamente eu também fui influenciado por guitarristas que tinham esta característica da sonoridade acima da técnica, como Alex Lifeson (além dos 2 citados acima) e aquela "grandiosidade" do final dos anos 70.

Hoje, não há mais muita necessidade disso.

Drinho
Veterano
# 10/fev/20 21:13
· votar


é algo pessoal....

Eu ja tive uns pedais, inclusive alguns com o som muito legal, mas no fim das contas cheguei a conclusão que a guitarra plugada direto em um amp de dois ou tres canais resolvia pra mim.....

se for pensar num cara tipo the edge acredito que faz sentido porque aquela salada de coisas faz parte da personalidade do som do cara....

só que isso não acontece em 99% dos casos, o sujeito aciona um pedal que se não estivesse acionado não mudaria nada na vida dele nem na de quem tá ouvindo, tem muito fetiche aí, mas é normal de guitarrista, muitas vezes o cara faz porque se sente bem mas a relevância do som final nem faz o som ser melhor ou pior, principalmente se for um cara que toca bem, um cara bom arranca som de arrebentar até de violão de aço...

no meu caso só faz sentido por exemplo ter um pedal se eu vou num lugar sem meu amplificador ou neste lugar não tem amplificador, ou se tem não tem distorção embutida...

ai faz sentido, no meu som tem distorção e a falta dela inquestionavelmente prejudica o meu resultado final, pra esta situação eu invisto no pedal, no mais não...

Luiz_RibeiroSP
Veterano
# 10/fev/20 21:53
· votar


Lelo Mig
Drinho

Quando refleti a respeito eu fui bem "umbigocentrico". Gosto pra caramba do Lifeson,The Edge,etc mas abordei a questão como nós meros assalariados que quando pode faz um barulho por ai.
Mas de fato tem a questão do estilo, eu acho que sou mais minimalista e se trabalhasse com musica e tivesse os recursos do rolling stones, continuaria com o som cru. Só iria entrar aquele monte de rack se fosse necessário e recomendado pela produção.
Mas nestes casos deve ter a coisa da fase do cara, de repente chove $, pode ter o que quiser...vai saber se não uso um shimmer. Gosto de umas banda indie esquisita tipo sonic youth, at the drive in, mas tocava ska rock.

Lelo Mig
Membro
# 10/fev/20 22:26 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Luiz_RibeiroSP

Eu entendi.

Mas, só quis salientar que, ainda que tenha muitos que comprem só por ostentação, curiosidade, tem guitarristas que realmente necessitam, por conta da exploração sonora que fazem.

Não dá prá tocar Rush com uma guita + ampli, e basta uma guita + ampli prá tocar AC/DC.

(Veja bem, não têm nada a ver com "melhor vs pior"... "técnica vs filin"..... kkkk e estas presepadas de guitarrista)

Del-Rei
Veterano
# 10/fev/20 22:58
· votar


Luiz_RibeiroSP
Nunca fiz nada para sobressair solo. toquei muito tempo em power trio

Então, no seu contexto talvez não precise. Mas em diversos outros acaba sendo necessário. Certamente várias bandas que você gosta os caras usam esses pedais por necessidade - e não capricho.

Um aceno de longe!!!

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# 10/fev/20 23:03
· votar


Luiz_RibeiroSP
Na minha banda temos um problema assim.
A banda tem dois guitarristas e um deles estava acostumado a tocar sempre em trio e nunca usa booster. Resultado: os solos dele (que é o solista principal) ficam baixos, principalmente para nós, no palco, e isso é muito ruim...
Abç

JJJ
Veterano
# 11/fev/20 09:06
· votar


Afinador uso de clip.
Equalizador eu sempre usei os controles do ampli só.
Booster costuma colorir o som, dar punch, saturar um pouco. Não é só aumento de volume. Mas eu quase nunca uso, também.
Noise gate nunca uso. Se tem ruído demais, a ponto de precisar de noise gate, acho melhor verificar o sistema todo...

Agora... compressor... aí a coisa pega... :)

A primeira vez que tive um compressor (era um Giannini Compressor Sustainer, azul, antigaço), achei que aquilo ia me dar um sustain do k7, mesmo com a guitarra limpa (que sempre usei bastante).

Que decepção... A minha impressão era de que só aumentava o volume mesmo.

Vendi o mais rápido que pude.

Só fui "entender" compressão muitos e muitos anos depois disso.

Daí comprei um Joyo.

Sinceramente? A impressão não foi muito diferente à da primeira vez! Por quê? Porque ambos eram compressores do tipo "transparente".

Daí comprei um MXR Dyna Comp...

Ah. muleque!!! Som clean com um bagulho daqueles, numa base swingada... takipariu... é outro nível!

Conclusão: não gosto de compressão transparente, gosto mesmo é de compressão que colore o som.

LeandroP
Moderador
# 11/fev/20 09:27
· votar


Eu tenho um pedal de booster que utilizo como préamp. É o primeiro na cadeia de sinal. Ele dá uma arredondada no timbre e fica jóia. Deixo ele ligado o tempo todo. Só desligo quando quero jogar o som da guitarra pra trás.

Um pedal que eu pretendo tirar da cadeia é o afinador. Tô pensando em pegar um afinador de clipe, pra ficar preso no headstock. Fiz isso uma vez e comprei a melhor marca. Usei por uma semana, até ele parar de funcionar. O que me deixou bolado com afinadores deste tipo. O pior é que vejo todo mundo usando numa boa rs

Buja
Veterano
# 11/fev/20 10:35
· votar


JJJ

Eu acho, que até hoje, nao sei usar um compressor na guitarra. E talvez nunca vou aprender direito.
Aquilo é um ciencia!

Sei que em algumas coisas, faz diferença, por exemplo, tocando country na teleca.
Mas assim, é pouca diferença. É pouca mesmo.
Voce fica com mais impressão de que acionou um crunch levinho do que acionou um compressor.
Talvez seja essa intenção mesmo.

Ja no baixo, faz alguma diferença. Por exemplo, sair do slap e cair no pizzicato, e voltar a slap.
A diferença de "volume" nao é gritante. Nao faz magica, claro. Se seu slap é absurdo de forte
e o pizzicato é mao de moça, vai ficar alto e baixo, do mesmo jeito. Nao nivela feito magica nao.
Mas ajuda, ajuda. E ainda de quebra, da aquela sensação gostosa no som de timbre de corda nova que estala.

É uma delicia cara!

Lelo Mig
Membro
# 11/fev/20 11:09 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Buja

"nao sei usar um compressor na guitarra."

Num passado próximo e durante muito tempo se vendeu uma imagem errada dos compressores, onde o "sustain" era o maior atrativo.

Neguinho achava que comprando um compressor ele iria alongar as notas "ad infinitum" feito David Gilmour ou Santanna e se decepcionava. O compressor até alongava um pouco (na verdade achata) mas não era "igual eu ouvi no solo do Santanna", neguinho da minha geração, comprava sustain achando que ia fazer isso (1:58 minutos):



E se fudia! (hoje existem pedais para fazer isso, que são sustains e não compressores)

Agora, se for prá fazer bases funkeadas e arpeggios de clean ou realçando arpeggios com modulação... compressores são essenciais.

Buja
Veterano
# 11/fev/20 11:13
· votar


Lelo Mig


Sustainzinho bacana hein!

Eu lembro bem dessa epoca. Inclusive me cocei pra comprar um Boss Compressor/Sustainer !!!!
Cai na real na hora quando testei na loja, hahaha. Nao gastei a grana hehehe.

Depois fiquei doido pra ter um sistema sustainiac. Nao peguei por causa do preço.
Depois enlouqueci com o e-bow. Nao tinha a grana, tentei fazer um caseiro. Uma boxta.

Dai desencanei de sustain, e hoje quando quero, encosto a guitarra na boca do amp com boas overdoses de distorcao, e fico feliz rsrs.

Lelo Mig
Membro
# 11/fev/20 11:38 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Buja

"Sustainzinho bacana hein!"

Este solo é incrível.

Santanna, durante os anos 70 fazia o seguinte:

Ele usava um "sustain" feito por um handmade, embutido na guitarra, que era uma espécie de booster. Ao vivo, ele antes da passagem de som dava notas como a deste solo e ia encontrando no palco locais onde dava feedback e marcava o chão com um adesivo. (Sim, eu tenho uma versão dessa música Ao Vivo, gravada em Montreaux nos anos 70, que o Santanna faz esse nota esticada com a mesma duração do studio).

Na hora do show, na horas dos "sustains ducaralho" ele se posicionava num dos pontos marcados, acionava o booster e mandava ver. Se você prestar atenção ele ainda faz isso hoje em dia, talvez pelo hábito, mas bem menos.

Já o David Gilmour sempre recorreu a muita tecnologia, nos anos 70 suas notas prolongadas eram empurradas por Fuzz (que estica as notas prá caralho), só nos anos 80 que passaram a existir "sustains de verdade", como o Philosopher´s Tone da Pigtronix, que é uma maravilha, mas custa um rim e meio.

Buja
Veterano
# 11/fev/20 12:18
· votar


Philosopher´s Tone da Pigtronix


Dei uma pesquisava rapida aqui, parece que ele sustenta alguma coisa sim, mas nada que valha 1000 baroes.
O que ele faz mais é dar aquela mega comprimida na coisa, e soltar o grave devagarzinho.
Sei la, impressao que tive desses 3 videozinhos do youtobe que vi.

Mas sustain mesmo, igual aos que ouço nos discos do As I Lay Dying, acho que so em studio mesmo, com muita edição.
Tem acordes de "Mizões" la que duram mais de 30 seg, e so nao duram mais porque sao interrompidos.
Deve ter um re-amp dos inferno la, uma retroalimentação e um esticamento de cauda que so Deus e o produtor sabem.

gabrissk
Veterano
# 11/fev/20 12:38
· votar


Booster

Na minha experiência, em banda "barulhenta", pra solo é imprescindível. Senão não dá aquele destaque necessário.

Compressor

Antes eu achava que é inútil. Hoje eu gosto muito no meu som limpo, pra dar aquela "estaladinha". Vide a guita clean do Incubus (pra quem curte ou tem curiosidade)

Afinador

De fato, não é tão imprescindível se você usa afinador de clip. Mas tira o medo de acabar a bateria.

Noise gate

Com muito ganho, muitas vezes sobra um chiado horrível. Além disso, se você troca de guita nos shows, pode usar isso pra evitar aquele som de "buzz" ao tirar o cabo de uma guita e por em outra.

Equalizador

Nunca usei, mas é interessante pra quem quer moldar certinho seu som, destacar frequências e tal.

Lelo Mig
Membro
# 11/fev/20 12:39
· votar


Buja

Têm vários modelos do Pigtronix, e eles possuem muitas regulagens, mas com eles é possível conseguir estes sustains sim. Mas são muito caros.

Coloque em 2:10 minutos:



Ou 12:05 minutos



Buja
Veterano
# 11/fev/20 12:47
· votar


Parece que a proposta desse pedal é fazer um sustain real, porem mais organico, sem aquele exagero do sistema sustainiac.

A diferença é que o sustainiac me parece que o captador tem um ima que fica micro-sacudindo a corda, forçando o sustain sem decaimento. Mais artificial.
E esse pigtronix escuta a nota entrando e fica retroalimentando a saida, fazendo a nota durar mais, porem com decaimento.
Mais organico assim.

Até gostei, mas se tivesse milão sobrando aqui, ja iria no sustainiac hehehe.

Lelo Mig
Membro
# 11/fev/20 13:03 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Buja

Eu gosto muito de Fuzz e outras distorções bem podres dos anos 60, tipo as que Hendrix usava.

Com um sustaim bonzinho + fuzz.... dá prá fazer um "combo pobre" e levar as notas longe...rs


Meu fuzz favorito são os "Triangle Buff"... e eles por si só já esticam bem as notas.

Teve uma época quase impossível de conseguir um Fuzz Triangle (o clássico é o Triangle Buff da Electro Harmonix).

Mas, hoje em dia, a EH relançou e a Mooer têm uma versão muito boa e barata do original dos 60.



fontes_rio
Veterano
# 11/fev/20 13:24
· votar


Gosto muito do Equalizer e do Compressor.

Velvete
Veterano
# 11/fev/20 13:33
· votar


Atualizando:

Flanger
Shimmer
Vibrato

Del-Rei
Veterano
# 11/fev/20 14:01
· votar


Velvete
Flanger eu odeio, na verdade, rs.
Shimmer eu gosto, haha.
E vibrato eu nunca usei, mas eu uso tremolo.

Um aceno de longe!!!

BrotherCrow
Membro Novato
# 11/fev/20 14:21
· votar


Um que eu não consigo usar é ring modulator. Já tentei e fica sempre uma bosta.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a pedais que até hoje não vi utilidade