Video do Silas Fernandes explicado sobre cabos Planet Waves é tudo isso mesmo?

Autor Mensagem
guilhermefross
Veterano
# set/16
· votar


entre gibsons nao há grandes diferenças com relaçao a construçao acredito eu, é mais acabamento
Entre gibson e epiphone há enorme diferença, entratanto não é impossível uma epiphone soar melhor do que uma gibson; até pq isso é subjetivo. Tem gente que adora sonoridades que eu particularmente detesto, então é algo geralmente subjetivo e não quantificável no meu entendimento

vintagentleman
Veterano
# set/16
· votar


boblau

Mas o projeto de SRV aí tira som até de berimbau, né? É até sacanagem.
Seria do um porcento dos músicos que tocam muito com qualquer merda, tipo o Jack White.
Eles são a exceção, não a regra.
Para esse tipo de cara, qualquer guitarrinha acima de 2000 reais sobra. Aí realmente não faria diferença significativa entre a guitarra de 2.000 e outra de 20.000. Para esses 1%. Para os demais mortais, porém...

boblau
Veterano
# set/16
· votar


vintagentleman

vc sabe que eu penso diferente disso que vc falou?

Eu acho que este cara, por exemplo, tira som de qualquer pau mesmo, mas no instrumento dele é onde ele pode realmente deixar toda a alma dele lavada.

Já nos pé de cachorro, este nível de exigência ainda não aflorou. O cara só vai saber o que isto realmente significa quando se encontrar de alguma forma numa guitarra especial. Acho que depois disso, aí o cara vai tocar em qualquer lixo e vai sair um som excelente.

Quanto mais limpo, cru, um guitarrista passa a tocar, mais ele vai ter que tirar do instrumento aquilo que ele espera, então aparecem as diferenças de um instrumento para outro. Enquanto as latinhas, interfaces, usb's, pedaleiras, etc estiverem sendo necessárias para o guitarrista, menos o instrumento é importante.

Um colega aqui corretamente disse que os avanços tecnológicos dos pedais, amplis, interfaces foi grande, mas a guitarra não mudou nada. É porque sempre aparece um guitarrista novo para nos dizer que o que vale é o instrumento e o músico, não o equipo que vem depois... Depois do Hendrix, Blackmore, Page, Gilmour, Clapton, SRV, fica sempre surgindo um Van Halen, Vai, Gilbert, Moore, Malmsteen, Kotzen, Bonamassa, Mayer para corrigir este rumo....

Não conhecia este Silas, mas ele fala de timbre de guitarra tocando com EMG? Aí nada faz diferença mesmo.... EMG tem som de EMG, pode ser Strato, Berimbau, Les Paul, Gibson, Menphis, PRS.... É tudo som de EMG...

marcelosz
Membro Novato
# set/16
· votar


boblau
...mas a guitarra não mudou nada...
Fato!!! Mas tem bicho mais chato e retrogrado do que guitarrista??? Vc muda uma coisinha de nada e o cara fala : "ahhh.. mas a Strato feita pelo Leo Fender em 1900 e bolinha é melhor....." Difícil!!!

Não conhecia este Silas, mas ele fala de timbre de guitarra tocando com EMG? Aí nada faz diferença mesmo.... EMG tem som de EMG, pode ser Strato, Berimbau, Les Paul, Gibson, Menphis, PRS.... É tudo som de EMG...
Ele passou a usar EMG recentemente quando se mudou para os EUA e conseguiu um endorsement na cara e na coragem!!! Além de usar EMG JH Set, que são meio que híbridos, um tanto quanto passivos digamos...
Fui num workshop dele aqui no DF, cara extremamente humilde e que conhece MUITO (se não me engano já deu aula no IG&T).
Dê uma procurada nuns vídeos antigos do Território da Música (Rig on Fire se não me engano)... O cara saca muito, ele sabe do que está falando.

Fernando de almeida
Veterano
# set/16
· votar


Amago
Dizem que este comentário e polemico, sinceramente não acho que seja, qual a opinião de vocês?
Felipe Stathopoulos
Polêmico nada. Só falou a verdade. Tem muita "viadagem" por aí...

Curto o Silas Fernandes e já acompanho o trabalho dele desde a época em que poucas pessoas o conheciam (desde a banda Katsbarnea e o começo dele no IGT e tudo) ...
O cara manda muito bem mesmo e conhece pra caramba ... mas o lance que ele falou de guita de 2k obamas pra cima é tudo igual eu já não concordo 100% ... não e bem por aí - tem as viadagens, com certeza, mas uma guita de 2K soar melhor que uma de 10K, por exemplo, pode acontecer mas isso é uma EXCEÇÃO e não uma REGRA ...
Na maioria das vezes, com certeza uma guita de 10K vai soar melhor que uma guita de 2k (supondo guitas de mesmo modelo e estilo, só mudando o material+mão de obra adequadas ao preço).


boblau
Agora, acredite se quiser, que tem muito segredo para timbrar uma guitarra escondido entre madeira/ferragem/elétrica/captador - a isso tem mesmo....
Opa, infinitas possibilidades ...

madeira/ferragem/elétrica/captador/ cordas >> Isso só guitarra - se acrescentar na análise os cabos+pedais/pedaleira+cabos dos pedais+amplificador(pré+power SS e/ou Valvulado eou digital , etc)+falante(quantidade, tamanho, material, etc) + Mão direita (dedos ou palheta) + mão esquerda + técnicas , ETC - aí complica ... dá uma tese de mestrado/doutorado ...

boblau
Veterano
# set/16
· votar


marcelosz
O cara saca muito, ele sabe do que está falando.

Não estou criticando ele não. Mas é estranho alguém falar de timbragem usando EMG. E este vídeo dele é recente.

Fernando de almeida
O cara manda muito bem mesmo e conhece pra caramba

Como dito acima, não conheço e não critico o cara não. Aliás esta opinião dele é compartilhada por 99,9% dos guitarristas, então ele está certo. Só tem 0,1% errado.

dá uma tese de mestrado/doutorado ...

sem dúvida, mas eu estou colocando no contexto de alguém passar esta fase de sofisticar o rig com todos estes acessórios e voltar para trás, porque descobriu um instrumento que tem o som que ele imagina e após isso, começa a desmontar o rig porque entende que tudo atrapalha. Aí o cara começa a dar valor a madeiras, ferragens, captadores, elétrrica, cordas (lembrou bem) e menos valor ao que está depois disso.

Chega no ponto em que o guitarrista volta tanto que ele quer tocar só com um cabo, no máximo um reverb num ampli de qualidade. Qualquer coisa que ele coloca no meio, atrapalha. Aí chamam o cara de "viad****".

Vc, eu e provavelmente os outros 99,9% dos guitarristas não vão entender ou escutar estas diferenças, mas ela está lá e para o músico, exceçào, virtuoso, "viad****", etc. ela é grande e sensível.

Muita gente que fala que não tem diferença nenhuma, nunca tocou numa Fender de 2,5 kg. Meu amigo, o bicho grita e pula que nem cabrito. Aí vc acha que vão vender um instrumento destes por 2k? Pra que? Dá para vender por 10k, 20k. Não se deve rasgar dinheiro não....

Mas vai aparecer o cara que vai dizer que no fone de ouvido dele do Iphone isto não faz a menor diferença. Tem total e absoluta razão. Não faz mesmo. Mas o músico "viad****" não pensa assim e grava e toca com o que ele tem de melhor para nos dar.

SkyHawk
Membro
# set/16
· votar


Sou fãn do Silas, os videos do Território da Música são ótimos (setup on fire).

rafael_cpu
Veterano
# set/16
· votar


SkyHawk
Sou fãn do Silas, os videos do Território da Música são ótimos (setup on fire).


+1

sandroguiraldo
Veterano
# set/16
· votar


boblau
É tudo som de EMG
Mas qual é o problema? Se for esse o timbre dele, fica até mais fácil reproduzir em outros formatos de guitarra.

Ismah
Veterano
# set/16
· votar


É tudo som de EMG...

Çerto meu amigo bob, aí tu usa um pedal de drive, um booster ou mesmo o pré do amplificador, e todas as guitarras soam igual em cada caso, porque todas tem um mesmo pré... rsrs

A captação ativa não muda tanto o som como se pensa. Muita gente eu já vi usando captadores clássicos como os 59, e circuito ativo, principalmente quando tocam com cabos.

Novamente, é isso que deixa a guitarra tal qual era a 50 anos atrás...

Fernando de almeida

Dando uma de chato, amplificador digital ainda não existe. Existe processamento digital (Kemper Profiling, Peavey Vyper, Fender Mustang...), mas a amplificação é analógica, na melhor hipótese classe D (nenhuma relação D com Digital, apenas a sequência alfabética nas classes), por usa eficiência.

acabaramosnicks
Membro Novato
# set/16
· votar


Eu tenho vergonha de um dia ter pensado também que EMG soa tudo igual. Talvez soe tudo igual, mas tem todo um conjunto de variáveis pra resultar no timbre, então não é porque é EMG que o som vai ser X e ponto final. Quem pensa isso tá marcando. Aposto que nunca tocou num EMG, ou se tocou não analisou "de perto" mesmo. Escute Black Label Society, Metallica, Killswitch Engage e Rammstein. Tem tudo som de EMG? Para, vai...

E o cara vir falar que uma Fender de 2,5kg que custa 10k soa extremamente melhor do que outra fender que custa tipo 5k; na boa mesmo? Tudo é possível, nunca toquei numa Fender de verdade mas já toquei em guitarras tops no mesmo nível porém outro estilo (não strato), mas ainda assim eu duvido que a diferença é tão absurda assim. Como dito antes, tem todo um conjunto de variáveis para se obter o timbre final, a guitarra é um dos elos da corrente.

Vou procurar depois o vídeo, tem uns caras que gostam desse tipo de brincadeira e fizeram um teste cego tocando em 3 stratos difentes de preços totalmente diferentes. Há diferença, se não houvesse ninguém pagaria caro numa guitarra, mas entre uma de 5k e uma de 10k eu compraria a de 5k, mesmo se tivesse dinheiro sobrando, porque não acredito que a diferença da qualidade valha essa diferença toda de preço. Talvez eu esteja errado, como disse antes, tudo é possível, e a gente muda de opinião naturalmente.

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# set/16
· votar


acabaramosnicks
Infelizmente eu também propaguei esse mito aqui...
Faço um "mea culpa"...
De fato, capts ativos (mormente os EMG's) tem um som mais "padronizado", mas é só...
Abç

Ismah
Veterano
# set/16
· votar


Mauricio Luiz Bertola

Também é "mea" verdade... Os EMG's são os mais populares, mas nem de longe os únicos, e dá para mexer com muita coisa do sinal ali... Aliás, eu estou muito propenso a ativar minhas guitarras, e operar com sinal balanceado...

Calime
Veterano
# set/16
· votar


Ismah

Com qual intuito? Caps, circuitos ou ambos?

Ismah
Veterano
# set/16
· votar


Nenhum dos citados...

- Menos ruído em cabos mais longos (>5m)
- Menos perdas por impedância
- Personalizar e padronizar o setup (planejo operar com modulações em rack, pós captação do amp, onde tudo passa a ser balanceado)
- Satisfação pessoal em projetar e executar alguma coisa rs

dallman
Membro Novato
# set/16
· votar


Ismah

- Menos perdas por impedância

Pedal dedicado de buffer?

Ismah
Veterano
# set/16
· votar


Isso, mas bem próximo da guitarra, antes de ter alguma perda no cabo... Quero o som dos pickups, e só. Se vai ficar bom ainda não sei responder...

Mas não vamos perder o foco... Dizia o Silas, que guitarra é no fim tudo igual, e o custo de produção de uma não ultrapassa 2mil dólares/ 7mil reais.

Eu assino em baixo, porque o que mais vejo é guitarrista comprando algo com expectativa que ali more a solução plena de todos os seus problemas...

Calime
Veterano
# set/16
· votar


Ismah

Não sei se compreendeu..perguntei se pretendo colocar caps ativos, circuito ativo ou ambos...sobre os benefícios eu já tinha ciência.

Calime
Veterano
# set/16 · Editado por: Calime
· votar


Sobre o lance que o Silas falou, eu concordo em partes. A menos que o kra queira algo que um sistema/construção específico o proporcione, e esse seja mais caro, no geral o lance é esse mesmo que ele disse. Quando entram as subjetividades (colecionadores, história, busca paranoica por determinado som/sonoridade, MARCA), o valor tbm torna-se algo subjetivo.

Ismah
Veterano
# set/16
· votar


Calime
Mas existem caps ativos?
Só conheço os circuitos de pré (não é ironia, o que é raro rs)

Realmente não havia entendido. A ideia é só ativar o que eu já tenho, provavelmente nem vou colocar internamente (teria dó de cortar o instrumento), mas numa caixa anexa como se fosse um transmissor.

Calime
Veterano
# set/16
· votar


Ismah

Uai, os EMG's não são ativos?

pedico
Veterano
# set/16
· votar


O segredo é o artista, sua criatividade, bom gosto e genialidade, nada mais. O RESTO É RESTO

Ismah
Veterano
# set/16 · Editado por: Ismah
· votar


Sempre achei eles baseados num pick up "normal", de baixo ganho (mais sustain), pré-amplificado pelo LM4250, TL051 (ou semelhante), afinal funcionam sem bateria.

https://www.youtube.com/watch?v=wKFdtvQsU0U

Aqui o vivente desmonta diversos pick up's

https://www.youtube.com/watch?v=s6meFeRWcqc

Pensava em algo com eletro-imãs, ou como os e-bow...

Calime
Veterano
# set/16
· votar


Ismah

Mas o fato de terem a alimentação não faz dele um cap ativo(qdo alimentados, claro)?

Ismah
Veterano
# set/16
· votar


Na minha concepção não, pois assim volto ao ponto que eu disse...
Qualquer captador poderá ser transformado em "ativo"... E é mais ou menos o que eu planejo... Mas pensando em algo mais complexo... Só falta eu ter um caixa e tempo que vou postar... To fazendo muita coisa ao mesmo tempo.

makumbator
Veterano
# set/16 · Editado por: makumbator
· votar


Ismah

No contrabaixo elétrico eu sempre preferi o esquema de captador passivo com circuito ativo + controle de ligar e desligar do que captadores unicamente ativos (que existem, principalmente no baixo). O fato de poder ter as duas possibilidades (ativo ou passivo) é muito vantajosa (sem contar a segurança de poder continuar tocando se a bateria de 9 volts começar a morrer no meio de uma música ou ensaio).

No meu baixo principal tenho 2 captadores big singles Nordstrand + esquema ativo com controle de liga e desliga, 3 bandas de equalização e uma chave de seleção preestabelecida de Q dos médios.

http://nordstrandpickups.com/products/big-singles/

boblau
Veterano
# set/16
· votar


sandroguiraldo
Mas qual é o problema?

absolutamente nenhum! Cada um entende seu rig como deve soar seu som. Respeito quem usa EMG. São sistemas extremamente balanceados e com sinal alto e muito precisos. Além de serem extremamente silenciosos. Caem como luvas em sons de alto ganho, onde a construção do instrumento não importa para a sonoridade e sim para a estabilidade.

Ismah
Çerto meu amigo bob, aí tu usa um pedal de drive, um booster ou mesmo o pré do amplificador, e todas as guitarras soam igual em cada caso, porque todas tem um mesmo pré... rsrs


Certo com ç mesmo.... achar que um pré de um EMG e sua construção é a mesma coisa de um pré de amplificador valvulado com um captador single de tá çerto mesmo.... só quem nunca tocou com este sistema fala uma coisa destas....

E sim, quanto mais coisas vc colocar depois dos seus captadores, mais vc descaracterizará o som original da guitarra. É óbvio...

Qualquer captador poderá ser transformado em "ativo"...

pode sim, neste seu projeto, cuide somente para que o ganho do captador não seja alto e de preferência nem médio. O equilíbrio virá de conseguir uma boa captação e colocar um sinal baixo na entrada do pré.

acabaramosnicks
Tudo é possível, nunca toquei numa Fender de verdade mas já toquei em guitarras tops no mesmo nível porém outro estilo (não strato), mas ainda assim eu duvido que a diferença é tão absurda assim.

com certeza vc vai ter esta oportunidade. Eu achava que era balela, mas fui convencido do contrário...

Calime

Uai, os EMG's não são ativos?

O conceito de captador ativo da EMG se baseia e uma contrução de um captador com baixa saída (em torno de 2,5k), imãs de Alnico V (normalmente) e um equalizador, compressor e pré amplificação, todos proprietários, na saída, alimentados por uma bateria de 9 V. Isto confere a estes captadores um timbre único, diferenciado e pronto para efeitos e já com saída em baixa impedância que elimina uma série de dores de cabeça.. Além disso, eles não perdem o brilho quando se usa o botão de volume da guitarra.
Quando falo que eles têm som de EMG, é que este sistema costuma não conseguir ter boa definição em sons clean (por conta do ganho alto) e isolam a guitarra do timbre. Então, se a guitarra tem Floyd, ponte fixa, braço colado, parafusado, escala clara, escura, tem formato de les paul, ou cabo de vassoura, pouco importa. Vc vai fazer o seu som daí para frente. com efeitos, amplis, pedaleiras, VST's, etc.
Não tenho nada contra eles não, mas não faz muito sentido falar de valor de guitarra que depende de suas características para timbrar e colocar um EMG nela. Vai ficar com som de EMG.

Existem outros tipos de ativos e prés para guitarras, mas o EMG é o mais comum.

Calime
Veterano
# set/16 · Editado por: Calime
· votar


boblau

Sou da opinião que sim, os EMG's tem uma certa caracteristica comum aos seus caps com maior saída(humb 81/89 e afins), mas acredito tbm em alguma influencia do corpo significativa no resultado sonoro final. Já vi guitarras com emgs iguais de modelo igual na ponte soarem bem distintas(uma schecter semi acustica uma Epi Lespa, ambas com o 81 na ponte).

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# set/16
· votar


Calime
boblau
Na revista "Total Guitar Brasil" desse mês (acabei de comprar), tem uma longa entrevista com o Silas Fernandes em que (além de outros assuntos), fala dos capts EMG que ele usa.
Abçs

Amago
Membro Novato
# set/16
· votar


Na revista "Total Guitar Brasil" desse mês (acabei de comprar), tem uma longa entrevista com o Silas Fernandes em que (além de outros assuntos), fala dos capts EMG que ele usa.
Abçs

Também li

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Video do Silas Fernandes explicado sobre cabos Planet Waves é tudo isso mesmo?