Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      Hammond não é tudo - Em defesa dos transistorizados

      Autor Mensagem
      Leo Synth
      Veterano
      # out/09
      · votar


      trata de um artigo publicado em revista paga - no caso a Teclado e Audio.
      Já li esse artigo e achei muito interessante. Tenho todas as edições da Teclado & Audio e muitas delas têm também muitas matérias falando sobre Hammond, inclusive uma sobre o pré amplificador do B3, mecanismo de Leslie e coisas muito específicas. A Keyboard Magazine também tem muita coisa sobre hammond.

      _Rattu_
      Veterano
      # out/09
      · votar


      expedifer

      Na verdade essa preferência de instrumentos antigos, a válvula ou transitores, na minha opinião, passam mais de "saudosismo" que outra coisa

      Não entendo o ponto de vista de pessoas como você. Você quer ter um órgão, mas não quer que seja um de verdade, quer uma amostra digital, uma emulação? A coisa real é muito mais viva, muito mais presente e mil vezes mais rica. Eu era guitarrista e aprendi com o fanatismo de alguns colegas que o digital NUNCA vai sequer se aproximar do analógico, simplesmente por que um é imitação do outro.


      Explico: uma boneca inflável é uma emulação de mulher, mas NÃO é um mulher. Você pode ter "resultados quase realísticos" com a boneca, mas aquilo ali vai continuar sendo uma boneca, não importa o quanto você queira acreditar que é uma mulher. Existe a mulher, e a emulação da mulher. Mesmo que possa escolher a mulher, você escolhe a emulação, só pela facilidade?

      e outra. Se todo mundo se enfiar nessa de digital e os analógicos acabarem, de onde os próximos teclados vão tirar suas "amostras de alta qualidade"?

      questão complicada essa...

      El_Cabong
      Veterano
      # out/09
      · votar


      Experimente um Hammond (mesmo que de simuladores ou VSTs) sem Leslie e sem Vibrato/Chorus/Phaser/Overdrive pra comprovar o quanto o som dele sem efeitos é reto e sem graça. Entre as coisas que fazem do som do Hammond único (corrija se eu estiver errado) só consigo me lembrar mesmo do grande número de vozes, controláveis por drawbars e as percussões. Fora isso, onda senóide.

      Tirando todos os efeitos fica a onda senóide, mas também o ruído das tonewhells. Este ruído, que na minha opinião é o diferencial !!

      Jonathas Lacerda
      Veterano
      # out/09
      · votar


      Acho que o purismo deve ter um limite. E digo ainda: piano acústico, hammond e rhodes de verdade fica muito bonito numa gravação de DVD. No estúdio e mesmo em shows eles são perfeitamente substituíveis e com vantagens por versões digitais destes.

      Mesmo pensando assim, eu queria ter um daqueles novos Rhodes Piano Mark 7 da www.rhodespiano.com e um Hammond B3, mais para dar aquele afago ao ego (leia-se G.A.S) do que qualquer outra coisa.

      Leo Synth
      Veterano
      # out/09
      · votar


      digital NUNCA vai sequer se aproximar do analógico, simplesmente por que um é imitação do outro.
      E os Hammond digitais atuais? Podem ser considerados instrumentos legítimos? questão complicada essa...

      Victorblues
      Veterano
      # out/09
      · votar


      _Rattu_

      Sensacional analogia da boneca inflável com os equipamentos digitais!!!

      +1

      ThyagoAmaral
      Veterano
      # out/09
      · votar


      _Rattu_
      Ahhh cara pensa o lado positivo as "infláveis" não tem TPM, não usam cartão de crédito, não tem preliminares, rola os 3 tipo... essas coisas que facilitam as nossas vidas!!! ;)

      Mas merece um ponto sim!

      El_Cabong
      Veterano
      # out/09
      · votar


      Mas qualquer dia eles inventam a boneca robô, que faz tudo que a mulher faz!!
      Aí o digital vai ficar empatado com o original !!! He He.

      ThyagoAmaral
      Veterano
      # out/09
      · votar


      El_Cabong
      Cara eu recebi um email... que é perfeito d+... na verdade já tinha recebido um uma vez e a gente via q era "mulher" mas esse é boneca mesmo... perfeita =X

      Digam os emails que eu mando pra vcs e vcs comentam aqui... =]

      _Rattu_
      Veterano
      # out/09
      · votar


      Victorblues
      Valeu, cara!

      ThyagoAmaral
      Ahhh cara pensa o lado positivo as "infláveis" não tem TPM, não usam cartão de crédito, não tem preliminares, rola os 3 tipo... essas coisas que facilitam as nossas vidas!!! ;)

      hahahahahaha, é verdade, cara, mas tenho certeza: Experimente começar a esquentar com uma mulher analógica e no meio do processo, corra pra boneca digital... broxada na certa. Ce descobre que a boneca digital é oca e tem gosto de borracha. Quebra um galhão, mas, sendo honesto, putz velho, não é o ideal, certo?

      El_Cabong
      Tomara que isso nunca aconteça. Nos livros do Isac Asimov sempre dá merda esse negócio de humanos criando robôs pra serem humanos. hauhuaha :)

      lusojunior
      Veterano
      # out/09
      · votar


      _Rattu_
      Em tempos idos você seria queimado em praça pública, sua casa destruída, o terreno salgado e sua descendência seria perseguida até a terceira geração.

      Ainda bem que esse tempo passou, rsrsrs.

      Bom, meu irmão é baixista e por um tempo debatíamos sobre a necessidade de fazer soar em algumas gravações os ruídos característicos da parte acústica do baixo (trastejamentos, dedo deslizando nas cordas, etc.).

      Ele sempre defendia que tirar essas "imperfeições" em estúdio descaracterizavam o "verdadeiro" som do instrumento, e eu queria o som parecido com o que eu tinha no teclado.

      Entre idas e vindas, chego à conclusão de que ele está em parte certo. Para algumas músicas ainda acho que um baixo gordo e redondinho, sem qualquer ruído estranho é ideal.
      Mas para aquelas levadas mais pancada, nada melhor do que curtir todas as nuances do instrumento, acho que dá até mais prazer de tocar e poder tirar mais efeitos na mão mesmo.

      Quanto às válvulas, transistores e digitais no nosso mundo...

      Tem algumas coisas que infelizmente as simulações digitais ainda não dão conta de fazer.
      Mais pelo custo desproporcional que teriamos hoje: sairia muito mais barato comprar um original do que o software e hardware necessários para essa emulação.

      Os guitarristas não abandonam os pedais analógicos até hoje, mesmo com o salto de qualidade e o trizilhão de efeitos disponíveis nos digitais justamente porque às vezes procuram um som mais "orgânico".

      Com os tecladistas é assim também, não é? Todo mundo fica babando por um equipamento vintage.

      O mesmo equipamento soa diferente dependendo do ambiente em que é tocado. Com um tecladinho fubega às vezes a gente faz uma apresentação inesquecível por causa da acústica incomum de um lugar. É uma coisa muito subjetiva e que por muito tempo a tecnologia não deve traduzir ou repetir, apenas tentar imitar.

      Uma leslie com um dos falantes meio bichado pode dar aquele efeito "wow, que som é esse?" que fica registrado NAQUELA gravação e que ninguém consegue imitar.

      Nós temos uma grande atração pelas pequenas imperfeições, afinal, somos todos humanos... ainda (desfecho sinistro, não?)

      tecladoprofusao
      Veterano
      # out/09 · Editado por: tecladoprofusao
      · votar


      lusojunior
      Com os tecladistas é assim também, não é? Todo mundo fica babando por um equipamento vintage.
      Precisa ser vintage? Eu fico sonhando com o Andromeda e o Prophet '08 hehe...

      O mesmo equipamento soa diferente dependendo do ambiente em que é tocado. Com um tecladinho fubega às vezes a gente faz uma apresentação inesquecível por causa da acústica incomum de um lugar. É uma coisa muito subjetiva e que por muito tempo a tecnologia não deve traduzir ou repetir, apenas tentar imitar.
      Eu lembro da patada que ficou o som do meu PSR deu no Teatro Ziembinski, no Rio.. Cara, que som! NUNCA tinha escutado o teclado falar tão bem...
      E tenho trauma de escutar o desempenho medíocre de um cubinho de guitarra tímido e insosso, que nem me lembro a marca, com um N364, na igreja que eu tocava antes...


      Seguinte... O pessoal desviou de "Hammond X o resto" pra "Analógico X Digital"...
      O lance é o seguinte: muita gente defende o objeto, e não o método. Ou seja, o importante é seu "O" Hammond, só ele e fim de papo ou o que importa é ser um toneweel de verdade?

      Pra mim todo instrumento eletromecânico é irreprodutível com perfeição (que seja uma Tonante-Fender, não importa), mas às vezes as "imitações" são boas o suficiente pra situação.


      Nós temos uma grande atração pelas pequenas imperfeições, afinal, somos todos humanos... ainda (desfecho sinistro, não?)
      ...Ou não... (desfecho mais sinistro? hehehe)

      ThyagoAmaral
      Veterano
      # out/09
      · votar


      tecladoprofusao
      Viu o email?

      Marcos Martini
      Veterano
      # out/09
      · votar


      ThyagoAmaral
      hhh cara pensa o lado positivo as "infláveis" não tem TPM, não usam cartão de crédito, não tem preliminares, rola os 3 tipo... essas coisas que facilitam as nossas vidas!!! ;)

      Mas merece um ponto sim!



      Até + de um ponto!!! Mas komo só tem um. Aki um ponto !!!

      gravehero
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      Fala galera...! Bom... queria deixar minha humilde opnião sobre o tópico! Imagine o seguinte, existem cabos que custam de 10 reais até 300 reais o mesmo metro; guitarras que custam 200 reais, e outras que chegam até 15.000 reais. Qual a diferença? TUDO!!! Mas não vamos falar de cabos nem de guitarras....! Agora... comparar um orgão transistorizado com um Hammond... é o mesmo que falar que as 2 guitarras acima são iguais...! Claro que a Leslie ajuda... mas acho que só ela... ajuda uns 40% no máximo... o restante, é o instrumento e o som que o músico tira dele...! Por melhor que seja o teclado ou o orgão... não dá pra se comparar com um Hammond legítimo...! São diversos detalhes que farão desse melhor que os transistorizados... mas nem vou entrar nesses "detalhes". Só acho que quando a gente tem a mesma caixa, no caso, uma Leslie igual, e 2 orgãos diferentes, daí a gente consegue começar a perceber as diferenças em detalhes...! Agora com certeza um Casio... bom... nem vo falar.... daqui a pouco vão falar até que o teclado da Sandy & Junior, que acende a tecla, se você ligar na Leslie vai ficar igual um Hammond...! Valeu!

      tecladoprofusao
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      ThyagoAmaral
      Vi sim... kkkk...

      É um bom exemplo de quão perfeito pode ser uma emulação "digital"... a parte "crítica" da coisa fica bem parecida, mas não tem como disfarçar que o "instrumento" no todo não é real...

      gravehero
      Agora... comparar um orgão transistorizado com um Hammond...
      Então o XK1 não é "um Hammond"? ;)

      gravehero
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      Pow cara... o XK1 tem samples... drawbars reguláveis... Nada a ver com os modelos que o pessoal tava discutindo acima, daqueles que só tem um liga/desliga para cada drawbar! XK1 na minha opnião é um excelente Hammond pelo preço que ele custa.

      adao chagas
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      gravehero

      Eu garanto que é possivel fazer um teclado da Sandy&Junior ligado à uma Leslie valvulada soar mais parecido com um "hammond" do que um Hammond ligado à um amplificador convencional. Eu tive um Hammond eletromecânico sem caixa Leslie durante quase 15 anos e sei do que estou falando.

      tecladoprofusao
      Veterano
      # nov/09 · Editado por: tecladoprofusao
      · votar


      Mais uma vez, Casio + Leslie:





      =)

      XK1 na minha opnião é um excelente Hammond pelo preço que ele custa.
      O XK não custa uns 5 a 6 mil? Acho que não poder regular a drawbar é uma limitação justa num órgão de R$400...

      E mais... O som do Hammond (como todo eletromecânico) é feito de 3 partes: captação, pré-amplificador e amplificador. No caso do Hammond, respectivamente toneweels, pré-amplificador valvulado e Leslie. O tao falado "valvulado" que diferencia ele dos outros é o pré-amp. Ou seja, isso seria tecnicamente apenas 1/3 do instrumento.

      Mauro Lacerda
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      Taí um dos grandes trunfos do Tokai TX: uma puta Leslie...

      gravehero
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      Pow... Com certeza uma Leslie faz toda diferença... Mas pow coloca um Xk1 numa Leslie e um Casio numa Leslie igual... Se você não conseguir perceber diversas diferenças na qualidade...vá lavar os ouvidos! Digo o seguinte: esquecendo a Leslie, claro que há diversas diferenças...!

      _Rattu_
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      gravehero

      Cara, a discussão que iniciei aqui não era na intenção de dizer que o Hammond é ruim, ou que exista órgão melhor que Hammond, nem de longe. To juntando grana pra pegar um TX5, mas quando tiver grana de verdade, compro um B3! ;)

      A minha idéia era tentar de alguma forma "desmitificar" o som dos Hammond tonewheel como o único órgão que pode ser usado e respeitado. Tem toneladas de órgãos combo (literalmente!) à venda na internet e as pessoas não se interessam, olham com desdém, ignoram, sempre preferem teclados digitais etc. Esses transistorizados ficam ótimos com efeitos também, por que tem todo o "peso" (não literalmente, por favor) que os analógicos tem e os digitais não. O meu Arbon com o controles topados tem um grave de ensurdecer, uma presença monstruosa, nunca vi isso em nenhum digital, e isso é algo que eu consegui num órgão REAL de R$500.



      A todos que se interessaram pelo meu argumento: abaixo uma gravação mal gravada (trecho de uma música minha chamada "Give it to me" da minha banda Cine Rex) que fiz com meu Arbon transistorizado ligado numa simulação de Leslie. Parece "Som de Videogame"? Claro que tem som de transistorizado e não de tonewheel, mas não soa muito mais quente e interessante através do simulador leslie?

      http://www.armazenaweb.com.br/OSCYNDP5RV8Z/Arbon.mp3.html

      _Rattu_
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      só lembrando: o meu Arbon tem "key click" real.

      ;)

      Mauro Lacerda
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      _Rattu_


      Muito legal...Excelente aquisição.

      Cleber Vaz
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      _Rattu_
      Bom o som do mp3!
      Quantos Kilos pesa esse Arbon?

      _Rattu_
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      Cleber Vaz

      Esse Arbon é relativamente leve. Pesa com case, pernas e pedal uns 30 kg, sempre lembrando que é tudo de madeira, ferro, teclas de marfim... só coisa realmente sólida e densa. É possível carregar sozinho sim, ele ocupa menos espaço que um teclado comum (só tem 4 oitavas), cabe perfeito no bagageiro do meu Corsa hatch e ainda por cima, por já ter pernas e ter a tampa flat, dá pra colocar um sint pequeno (Microkorg, Alesis Micron, Minimoog etc.) ou controlador MIDI em cima dele. É mais conveniente do que inconveniente com certeza.

      Mas pensa ai:

      quanto será que pesa um DX7 ou D50 ou TX5 + stand + case rígido de madeira? Com certeza é algo perto desses 30kg.

      Cleber Vaz
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      _Rattu_
      Realmente é bem leve esse Arbon, o DX7 sem nada já pesa 15Kg imagina com hard case e etc
      Me diz uma coisa; você por acaso tem os esquemas eletronicos desse Arbon? Fico curioso quanto ao que tem dentro dele hehe pois com certeza vai além de transistores

      _Rattu_
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      Cleber Vaz

      Posso te fazer umas fotos do interior dele, mas adianto uma coisa engraçada.

      Rapaz, assim que recebi, eu abri o órgão pra dar uma olhada e fiquei assustado.Tem umas três plaquinhas de circuito dentro apenas (no power e nas 2 sessões de chaves para vozes e eq) e no meio dele tem uma porrada de tubos pretos parecidos com válvulas, um pra cada tecla, nunca vi coisa parecida nem imagino o que são!

      fui olhar a parte das teclas. Bizarro. Cada uma das quatro voz é como se fosse um cabo rígido encapado só pela metade. Quando você liga uma voz, o cabo é girado a parte desencapada encosta
      nos contatos das teclas nas vozes, que são como se fossem arames... 4 arames pra cada tecla, um pra cada voz.

      o bicho é quase mecânico, pelo que vi!

      fernando tecladista
      Veterano
      # nov/09 · Editado por: fernando tecladista
      · votar


      _Rattu_´

      olha as fotos desse aqui:
      http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-102808424-orgao-arbon-antigo-co m-pedaleira-preciza-reparos-_JM

      falando disso lembrei,

      devo ter uma foto que copiei do ML no PC de casa
      é neste estilo também

      _Rattu_
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      fernando tecladista

      cara, é igualzinho o da foto! O que diabos sao esses tubos pretos? Os transistorizados yamaha, vox e farfisa nao tem isso dentro pelas minhas pesquisas...

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Hammond não é tudo - Em defesa dos transistorizados

      305.243 tópicos 7.886.937 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2018 Studio Sol Comunicação Digital