Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      Valvulados: saturar o power amp acima de ~15W é barra pesada hein!

      Autor Mensagem
      MauricioBahia
      Moderador
      # mai/10 · Editado por: MauricioBahia
      · votar


      ogner: Tava...Hehehe!! Ele usava só 2 pedais no chão e a Zoom e o THD em cima do head....

      Então era verdade! hehe.

      _________________________


      Vou pedir um desse pro papai noel!!!!!!

      http://zvexamps.com/

      Fofo! hehe

      Manubio: A noite eu tento postar um som com ele saturando, vou pegar um protetor para mim.

      Boa sorte! hehe


      B.Neri

      Que sonzeira que postou hein!

      Show!

      Vlw!

      wiskeria
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      não é barra pesada, a partir do 6 só aumenta saturação e quase nada de volume. Depende a banda, claro que em apartamento fica alto mesmo, mas ensaio e principalmente show rola de boa.
      Lembre-se que a saturação vem sempre de pré e power juntos em altos volumes, vc não consegue dizer assim:
      Agora estou ouvindo o pré saturar ou
      Agora estou ouvindo o power saturar....
      São ambos e as el84 saturam com facilidade.

      _deep_
      Veterano
      # mai/10 · Editado por: _deep_
      · votar


      galera...so pra esquentar um pouco o papo, tambem tenho um blues JR...
      ele tem dois estagios de amplificacao: pre e power e cada um deles com seu respectivo potenciometro que controla o nivel de sinal q passa pelo circuito, acho q a confusao comeca com o nome dos botoes.

      botao Volume: controla o primeiro estagio da amplificacao, o famoso PRE AMP, amplifica e distorce o sinal.

      botao Master: controla o sinal depois de ja ter passado pelo PRE, a funcao principal e' apenas amplificar o sinal.

      porem como sabemos as valvulas tem um certo "defeito" que as fazem distorcer o sinal qdo ele e' mto alto.

      As valvulas do pre tem caracteristicas q possibilitam que o sinal seja distorcido mesmo em baixos niveis de sinal, diferente das valvulas do power q distorcem pq "nao dao conta do recado".

      Logo, se vc aumentar o botao volume tera o nivel de saturacao desejado, nesse caso basicamente o botao master controla apenas o nivel de amplificacao desse sinal ja distorcido, ou seja a altura do som que vai sair no alto falante.

      Porem a distorcao tao desejada vem da saturacao dessas valvulas do power que devido ao seu "defeito" nao conseguem simplesmente amplificar o som sem distorce-lo, entao se vc deixar o potenciometro do power (botao master) completamente aberto, o sinal enviado para as valvulas sera enviado como ele foi recebido, nao sera reduzido, ou seja, as valvulas do power nao conseguiram amplifica-lo sem adicionar a famosa distorcao.
      Nesse caso se vc abrir todo o master e controlar o volume para que ele apenas amplifique o sinal num nivel adequado ao seu quarto por exemplo, sem que ele adicione distorcao do pre.......vc tera sim distorcao do power em volumes aceitaveis, obviamente a magica e' maior qdo vc vai aumentando o nivel do pre, nao necessariamente com a intencao de adicionar distorcao, pois ate certo nivel do pre, o sinal continua clean...

      Essa questao de saturar o power usando o amp no talo e' o unico recurso para amps que nao tem controle de pre, onde vc reduz o sinal nessa fase e deixa o power fazer seu trabalho....

      pra mim essa questao esta mto bem explicada na serie de videos do topico fixo do forum, onde o cara mostra com graficos inclusive cada um dos estagios e o q acontece com o sinal.

      Mauricio Bahia....faca um teste ai no seu blues JR, deixe o master no talo(ou quase) e controle o volume p a altura do som que vc quer...vc tera a distorcao do power, pois as valvulas irao trabalhar no limite ja que o "atenuador" da entrada do power esta fora da jogada.
      Obviamente a distorcao 'e mais light que a do pre...

      se falei besteira, pls provem o contrario hehehhe

      abraco

      MauricioBahia
      Moderador
      # mai/10 · Editado por: MauricioBahia
      · votar


      wiskeria: vc não consegue dizer assim:
      Agora estou ouvindo o pré saturar ou
      Agora estou ouvindo o power saturar....


      Então, como é possível diferenciar o som?

      Neste vídeo, o cara demonstra, com sons, o power e pré.

      http://forum.cifraclub.com.br/forum/10/228120/

      não é barra pesada, a partir do 6 só aumenta saturação e quase nada de volume. Depende a banda, claro que em apartamento fica alto mesmo, mas ensaio e principalmente show rola de boa.


      Infelizmente, pra mim, a coisa não rola tão suave assim.

      Abs

      ogner
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      MauricioBahia

      Da pra perceber sim....Os drives gerados pelos diferentes estagios são notórios com TODA certeza!!!

      Nos videos do Antony ( topico fixo ) ele demonstra, aqui no meu Woodstock é possivel perceber tb...

      se falei besteira, pls provem o contrario hehehhe (2)

      MauricioBahia
      Moderador
      # mai/10
      · votar


      ogner: Da pra perceber sim....Os drives gerados pelos diferentes estagios são notórios com TODA certeza!!!

      Pois é, mas segundo o wiskeria, isso não seria possível.

      se falei besteira, pls provem o contrario hehehhe (3)!

      hehe

      _deep_
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      MauricioBahia
      ogner
      entao concordam comigo?????

      MauricioBahia
      Moderador
      # mai/10 · Editado por: MauricioBahia
      · votar


      _deep_: entao concordam comigo?????

      Sim. Eu li rapidamente o que você explica e, agora, novamente. Está claro.

      A questão primordial é conseguir saturar mais ou menos sem ficar surdo. :-) Ter flexibilidade. Obviamente que estou falando de ambiente relativamente pequenos. Com num estúdio pra ensaios ou no quarto.

      Abs!

      ogner
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      _deep_

      Bem, acho que concordo. Hahuehuahe!! Mas não resolveria o problema do tópico, eu imagino....Deixando o Master do B.Jr no talo com 1 pentelhésimo de Volume vai ficar alto pra dedéu e ainda não vai conseguir " O timbre" ......Não??

      Acho que o Ideal, mas ainda assim não resolve é achar o ponto combinado dos 2 knobs ( oq vai ser alto pra ter " o timbre" )

      _deep_
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      sim, ai vc usa o botao de volume do amp :o)

      desde que o sinal q sai do pre esteja num nivel suficiente p fazer que as valvulas do power nao consigam amplifica-lo sem gerar a desejada distorcao...

      _deep_
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      ogner

      nao fica tao alto assim, ta pra usar no apto na boa..e' o meu caso.

      sem duvida, a medida q vc vai aumentando o volume a magica vai acontecendo, mas dessa forma vc garante q as valvulas do power vao sempre trabalhar no limite

      MauricioBahia
      Moderador
      # mai/10 · Editado por: MauricioBahia
      · votar


      _deep_

      Cara, eu acho que já fiz esse teste. Na verdade, já fiz alguns testes depois que aprendi que o "power" era o "cara". Lembro que colocando o "Master" no talo, o "Volume" tinha que fica bem baixinho e qualquer mínimo aumento do volume é aquela "esporreira"! hehe

      Vlw!

      MMI
      Veterano
      # mai/10 · Editado por: MMI
      · votar


      Pô, tive um dia cheio e vi que esse tópico andou muito.
      Realmente, quando usava um Rivera de 60W no talo, tudo no 10, com uma Les Paul era alucinante o volume. Isso dentro do meu apartamento. E olha que nunca tive reclamações de som alto. Talvez meus vizinhos ficaram surdos antes de mim.
      A questão de energia sonora muito alta (para não dizer "volume" e confundir com o botão de pré-amp de alguns amps, como o Blues Jr) é muito complexa. Essa é a exata razão que o Zachary Vex Criou o Zvex Nano Amp com apenas 1W. Isso já responde ao amigo erico.ascencao , existe sim válvula de 1W que é a usada nesse Zvex, mas é rara, militar, totalmente incomum no mundo das guitarras. Mas vou te contar que um bom pré empurrando um Zvex no talo ligado num falante de 12, incomoda os vizinhos e muito. De noite, nem pensar.
      O problema é que pouquíssimos microfones aguentam a energia sonora de um amp de 100W no talo. Isso chega fácil a 120 dB, o que é capaz de arrebentar muito microfone. É certo que um Shure SM-57 é o mais comum dos microfones para guitarras, aguenta esse tranco e é o sonho para muito guitarrista para comprar e ter em casa para gravar. A questão é que ele não é o excepcional para tudo e um dos grandes limitantes é detonar um microfone condensador, por exemplo. Não só estragar um microfone como pode ocorrer distorção do som no microfone, na captação e seu super timbre valvulado-saturado de seu super ampli ir para o saco simplesmente porque o microfone não aguenta o bicho. Tudo isso eu digo para quem é maluco e não se importa com sua saúde auditiva, já que 85 dB já pode causar dano auditivo e isso não é alto não. Diria que se vc tem que falar alto para conversar num quarto onde seu ampli está tocando, já quer dizer que você está bem próximno do limite de possível dano auditivo. O Clapton e o Pete Townshend por exemplo, podem ser ídolos e exemplos e certas coisas no nosso mundo, mas eu jamais gostaria de ser surdo e com zumbidos como eles.
      Eu já falei em alguns tópicos sobre válvulas, especialmente as 12AX7 que funcionam no pré e são chaves para a distorção, como o amigo Bog notou. Se o amigo mexesse mais nas válvulas notaria muito mais mudanças, acho que as 12AX7 são mais sensíveis e variam mais do que as de power, de um modo geral. Só que quando falei de válvulas alguns aqui chegaram a falar umas abobrinhas e até me chamar de "ouvido de ouro". Pelo menos não sou só eu...
      Quanto a retirar válvula de power para reduzir a potência, no artigo que postei lá no início e que fala sobre "dummy load" ele fala disso também. Muitas vezes não é tão simples assim, mas meu conhecimento de eletrônica é limitado para falar dos problemas e complexidades disso.
      Quanto ao Electro-Harmonix 22 Caliber já li que não dá para esperar coisas excepcionais dele, ele é excelente pelo tamanho e preço dele, mas não dá para esperar o som de umas válvulas fritando com ele.
      Essa foi uma das maiores razões pelas quais nos meus muitos anos de GAS acabei por montar um rack com o power 20/20 com El-84 e atenuador THD, porque um cabeçote Rectifier de 150W é capaz de derrubar o prédio...
      Aquele alto falante Eminence é novíssimo parece que está para ser lançado, não sei ao certo.
      Abç.

      Bog
      Veterano
      # mai/10 · Editado por: Bog
      · votar


      Jinkxs
      Pra tocar em casa, sozinho, no quarto.... um bom SS + pedaleira é uma opção à um custo relativamente baixo.

      Cara, eu acho que já experimentei quase tudo quanto é tipo de coisa - incluindo aí uma (ótima) pedaleira num amp SS. Já tive também um ótimo amp digital (Vox AD30VT), e realmente acho que essas são "boas" opções para tocar em casa. Só que a textura, a dinâmica, e a sensação de tocar no valvulado são simplesmente diferentes...

      Eu me acostumei a defender que o valvulado só mostra a que veio MESMO com o volume alto. Não, não estou falando de fritar o power até ele distorcer bastante. Isso já acontece quando o power COMEÇA a saturar. Em um Fender Champ, é com o volume um pouco acima da metade - um pouco alto, no limite do que seria um "volume de quarto". Já para ter isso em amps de 15w é complicado - e repito, não estou falando do power fritando, e sim do começo da saturação, que é onde o som começa a ficar com a dinâmica mais evidente.

      Continuo achando que em baixos volumes um valvulado de 15w não soa tãaaaaaaaao melhor que um Roland Cube da vida. O que estamos procurando, creio eu, é exatamente um jeito de reverter esta situação, hehehe.

      B.Neri
      Consegui distorcer o power hoje e teho que te falar que não é o drive que vc está esperando.

      Eu não sei bem o que o Bahia está esperando, mas sei o que EU tenho como característica do drive de power: overdrive mais arredondado, menos granulado que o do pré. Não necessariamente uma distorção pesada.

      erico.ascencao
      Fala-se muito em distorcer o power e tal.

      Repito aqui o que eu disse acima: para o valvulado mostrar a que veio, não é preciso necessariamente fritar o power. O ponto aqui não é só a distorção, e sim a dinâmica. Quando o power COMEÇA a saturar, a dinâmica já aparece.

      Essa tal "dinâmica" a que me refiro é difícil de explicar, mas basicamente dá a sensação de que o timbre muda bastante no decorrer de cada nota, ou de acordo com a força da palhetada. Em simuladores e transistorados, pode estar presente em algum grau, mas normalmente é uma variação no ganho, e que aparece só quando a diferença "na mão" é grande. Em um valvulado com o power começando a saturar, mesmo diferenças sutis na mão fazem uma diferença grande no som. Isso dá uma sensação de que o amp está "vivo" e "conversando" com você. Acaba sendo mais gostoso de tocar.

      MMI
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      Bog

      Assino am baixo. +1 para vc.

      Bog
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      _deep_
      As valvulas do pre tem caracteristicas q possibilitam que o sinal seja distorcido mesmo em baixos niveis de sinal, diferente das valvulas do power q distorcem pq "nao dao conta do recado".

      Na verdade, as duas distorcem pelo mesmo motivo.

      Não é bem que as válvulas do pré distorçam em "níveis baixos" não. O que acontece quando você coloca o volume no máximo e reduz o master é que o sinal de entrada fica em 100%, fazendo o pré distorcer. Depois, este sinal - que está alto para caramba - é reduzido antes de entrar no power. Ou seja, o pré também distorce poque "não dá conta do recado".

      _deep_
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      Repito aqui o que eu disse acima: para o valvulado mostrar a que veio, não é preciso necessariamente fritar o power. O ponto aqui não é só a distorção, e sim a dinâmica. Quando o power COMEÇA a saturar, a dinâmica já aparece.

      Essa tal "dinâmica" a que me refiro é difícil de explicar, mas basicamente dá a sensação de que o timbre muda bastante no decorrer de cada nota, ou de acordo com a força da palhetada. Em simuladores e transistorados, pode estar presente em algum grau, mas normalmente é uma variação no ganho, e que aparece só quando a diferença "na mão" é grande. Em um valvulado com o power começando a saturar, mesmo diferenças sutis na mão fazem uma diferença grande no som. Isso dá uma sensação de que o amp está "vivo" e "conversando" com você. Acaba sendo mais gostoso de tocar.



      exatamente....vc falou tudo, e' exatamente isso q consigo nessa configuracao que citei acima, a distorcao em si e' minima, mas a dinamica e' outra coisa.....se ligar um boost (sem ganho) fica ainda melhor e em volumes aceitaveis

      ogner
      Veterano
      # mai/10 · Editado por: ogner
      · votar


      Eu me acostumei a defender que o valvulado só mostra a que veio MESMO com o volume alto. Não, não estou falando de fritar o power até ele distorcer bastante. Isso já acontece quando o power COMEÇA a saturar. Em um Fender Champ, é com o volume um pouco acima da metade - um pouco alto, no limite do que seria um "volume de quarto". Já para ter isso em amps de 15w é complicado - e repito, não estou falando do power fritando, e sim do começo da saturação, que é onde o som começa a ficar com a dinâmica mais evidente.

      Continuo achando que em baixos volumes um valvulado de 15w não soa tãaaaaaaaao melhor que um Roland Cube da vida. O que estamos procurando, creio eu, é exatamente um jeito de reverter esta situação, hehehe.


      Yep!!!! Concordo com tudo!!! Eu disse aqui mesmo que não é necessario colocar tudo no talo, percebe-se quando chega o "O momento" e como eu disse também, em amps de 1 canal nem é interessante perder o clean quente/crunch, se quiser chegar num drive adicione um bosterr a seu gosto...E pronto...

      EDIT: Mos o ponto do tópico é justamente como chegar nesse "momento" com volumes razoaveis...Algumas saidas, alias muitas, algumas varias eu nem conhecia já foram colocadas aqui...

      Mas eu com um Single Ended de 10w não precisava de mais nada!! Hehehe

      Guguminator
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      Confesso que peguei o bonde andando e nem li o tópico inteiro, mas vi uma idéia bem interessante da eminence em termos de atenuação.

      A atenuação seria obtida reduzindo a eficiência do falante, vou repassar o link:

      http://www.eminence.com/fdm.asp

      Estou curioso pra ouvir o resultado.

      Jinkxs
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      Bog

      Entendi a questão da dinâmica... é bem isso mesmo.
      Mas olha um vídeo de um amp de 5w.... pra comecar a saturar o power o som tem que estar beeem alto....



      E esses amps pequenos, normalmente são single-ended e possuem apenas 1 canal... ou seja, não dá pra abrir o "volume" e deixar o "master" em 2 ou 3 pra ter uma distorção de préamp. Ou se toca alto e tem saturação ou se toca baixo e consegue um cruchinho (no máximo).

      Esses amps tem pouco headroom e cruncham rápido, (com um pouco mais da metade do volume....) mas mesmo assim são altos.

      Acho que pra quem mora em ap. um atenuador ainda é necessário.

      Queria pegar um desses..... mas vou deixar mais pra frente.

      Manubio
      Veterano
      # mai/10 · Editado por: Manubio
      · votar


      Vamos lá, liguei o VC-30 e fiz o que disse que iria fazer, consegui dar uma gravada aqui, não fiquei timbrando para conseguir verificar as alterações no som, realmente com o volume de um Laney VC-30 e sem protetor no ouvido vc ficaria surdo fácilmente, para se ter idéia, quando cheguei no meu limite, volume no 7 e drive no 8-9, mesmo com o protetor no ouvido já estava muito alto, meu corpo posicionado a 2 metros do amp estando de frente para ele parecia estar em um show, quando o grave bate no corpo, a mesa do pc vibrava de leve, além das portas e etc.

      VAMOS OUVIR?
      Configurações do Laney VC-30
      Falante Celestion Seventy 80 12"
      Chave Bright On
      Bass 5-6
      Middle 4-5
      Treble 4
      Reverb 4
      Tudo foi gravado com minha Epiphone Zakk Wylde ligada na entrada Low do Laney

      Volume no 3, Drive no 3
      Assim é como eu normalmente uso este amp em casa, ou em ensaios pequenos, percebe-se uma grande quantidade de agudos.

      Volume no 4, Drive no 4
      Como estava interessado em saber como o drive deste amp ficava em volumes mais altos, eu aumentei um pouco o drive, já se percebe um aumento nos graves, talvez por causa do falante de 12"

      Volume no 5, Drive no 4-5
      De novo aumentei um pouquinho o drive, e um no volume, continua um ganho no drive, o som parece mais cheio, muito mais bonito na minha opinião do que quando tava no V3D3, mas precisaria ter equalizado o canal, Nesta fase eu coloquei o protetor no ouvido.

      Volume no 6, Drive no 5
      Alto é a palavra, eu estava ouvindo ainda mais abafado com o protetor no ouvido, eq ruim, mas o som mais cheio.

      Volume no 7, Drive no 5
      Drive parece ter aumentado mesmo não tendo mexido no volume. Assim até parece que tem como tocar rock com o Laneyzinho.

      Volume no 7, Drive no 7
      Volume muito alto, me incomodava mesmo com o protetor no ouvido, percebi que o drive do amp não é nada fraco.

      Volume no 7, Drive no 8
      Só para teste mesmo, afinal, sem eq fica muito ruim, mas ainda assim, já se percebe uma enorme diferença.

      No geral, realmente um amplificador valvulado muda demais de timbre conforme aumenta-se o volume, seja pelo falante gritando mais, seja pelas valvulas saturando, e realmente fica melhor cada vez que elas saturam mais.
      Hoje mais do que nunca, pretendo conseguir um atenuador para que possa usar melhor meu Laney, do qual faz tempo que ando triste com a dist oferecida, mas a culpa não é dele, e sim minha por querer tocar em harmonia com o resto da banda. Se ele falasse, me diria para colocar ele no talo que ele faz o show sozinho.

      Abraço galera, espero que seja útil.
      Logo pretendo fazer um review sobre o Laney em video.

      PS: só agora me toquei que gravei os dois primeiros com o captador da ponte, e o resto com o do braço, mas tudo bem, na parte em que só vario o volume é o mesmo cap.

      Manubio
      Veterano
      # mai/10
      · votar




      Aqui um outro review, a unica diferença é que meu VC-30 é modelo antigo, que eu acho mais bonito que este ai.

      MauricioBahia
      Moderador
      # mai/10
      · votar


      Manubio

      Pô! Que som lindo desse amp. Show de bola... Bela iniciativa.

      Ouvi aqui rapidinho mas depois ouço com calma. Vou dormir.

      Abs

      Konrad
      Veterano
      # mai/10 · Editado por: Konrad
      · votar


      Bog
      Konrad
      Opa. Colocou qual válvula?

      Para falar a verdade, uma das mais baratas que eu encontrei: Golden Dragon (acho que é chinesa distribuída por uma empresa inglesa, ou algo do tipo). A que veio no amp era uma Electro-Harmonix. Não esperava tanta diferença assim!


      Obrigado pela resposta! vou fazer uns experimentos aqui. Eu ia trocar a do power primeiro... mas.....

      nichendrix
      Veterano
      # mai/10 · Editado por: nichendrix
      · votar


      erico.ascencao
      Liro_Points

      Cara, eu já toquei com Blues Jr, em barzinho lotado, e dá conta tranquilo, sem nem precisar microfonar, um amp 20W-30W dá conta de qualquer espaço pra até umas 200 pessoas sem grandes problemas.

      Eu tenho 2 amps de 60W, um de 40W e um Blues Jr e sinceramente, os de 60, dificilmente passam no 3 ou 4 tocando em casa e isso com a vizinha gritando pra baixar e o pessoal daqui derrubando a porta do quarto pra mandar desligar. Raraz vezes uso eles no Talo, e quando preciso usar acima do 6, pelo bem dos meus ouvidos eu uso aqueles redutores de ruido usados em fábricas, pq não foi uma e nem 2x que fiquei com o ouvindo zumbindo por 3 ou 4h seguidas depois de tocar com os amps de 60W acima do 6.

      informal
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      Manubio

      Legal esse seu review com sons distorcidos. Eu venho desconfiando de algo e agora tenho mais certeza depois de ouvir seus testes. É o que o Bog e o Ogner comentaram aí em cima. Não precisa exatamente que as válvulas do power estejam "fritando" p se ter A distorção. Pelos seus exemplos, o que mais agradou a meus ouvidos foi o V5D5, ou seja, o início da saturação propriamente dita. Aí a dinâmica tão cultuada aparece melhor, pelo menos p mim. Com mais saturação começa a embolar um pouquinho e as notas saem mais sujas, sem tanta definição. São esses testes que venho fazendo em casa para encontrar o sweet spot do meu som e tenho caminhado por aí. Mais uma vez, palmas para os mestres Bog e Ogner. Foram direto ao ponto. Não custa experimentar. Em casa me vejo tentado a colocar tudo no talo porque me falaram que é melhor, mais n tem me satisfeito. Reduzo um pouco e tudo acontece. Vou tentar gravar algo esta semana para demonstrar p vcs.

      informal
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      B.Neri
      Usei uma strato com caps Texas Special. Tentei diminuir o tone para ver se era excesso de agudos, mas mesmo assim a microfonia com o amp no máximo continuou. É alto demaaaais! Virei de costas para ver se diminuia a microfonia e diminuiu um pouco, mas não acabou. (isso com o volume e o master no máximo

      Bem, eu n sei o que acontece com o meu head valvulado de 20 W baseado no Lead and Bass Marshall. Ele tem o mesmo esquema de canais do Plexi/JCM800, 1 canal, 2 entradas duplas hi e low. Pois bem, eu coloco os controles de vol e tone no max, faço jump nas entradas com um cabinho de pedal para aumentar a saturação e ainda assim n é ensurdecedor. Toco em casa nesse esquema sem maiores complicações. Vejo a galera aqui dizer q n consegue abrir o max de um blues jr, fico sem entender. Uso uma fender strato com Lollar Blackface e rola numa boa. Alto más suportável.

      Bog
      Veterano
      # mai/10 · Editado por: Bog
      · votar


      Jinkxs

      Bom, eu tenho 3 valvuladinhos, e acho que dá sim para usá-los em "bedroom levels". O comecinho da saturação em um champzinho (5w, falante de 6") fica mais ou menos no mesmo lugar de alguém ouvindo um rádio ou assistindo a um filme em volume alto. Ainda é tolerável. No talo, nenhum deles é aceitável.

      Lembre-se também que um falante de 12" acaba soando mais alto do que um de 8" nessas situações.

      Eu estou quase decidido mesmo é a investir na minha idéia de não usar um gabinete e sim um simulador ligado em um mini-PA. Pelo menos até o momento, foi a solução mais próxima do ideal que eu encontrei...

      informal
      Aí a dinâmica tão cultuada aparece melhor, pelo menos p mim.

      Eu na verdade não consigo escutar essa dinâmica em gravações. Nem nas minhas. Eu só percebo a diferença quando estou tocando!!! O.o

      Acho que a diferença que eu percebo tem mais a ver com o jeito que o amp responde do que com o timbre propriamente dito. É difícil de explicar. Mas por conta disso, eu ainda penso que para a imensa maioria das pessoas um bom simulador bem regulado no meio de uma mix barulhenta e toda produzida (compressores, eq, ambiência e tudo mais) é indistinguível de um valvulado qualquer.

      Manubio
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      MauricioBahia
      Vlw Bahia.

      Eu já tinha me esquecido o quão bom era o som dele, principalmente em volumes mais altos, em dias assim, nada como ligar só a guitarra no amp e sentir o que ele tem para oferecer.

      Lembro que fiquei 2-3 anos esperando para conseguir comprar um destes, felizmente o dia chegou a alguns aninhos atrás, e sempre que vou a qualquer lugar e me perguntam sobre os timbres, eu sempre digo que é o amp que faz o milagre, o resto só ajuda.

      Abraço

      MMI
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      Lembrei de outra coisa que já tinha visto... A THD, dos atenuadores, faz um adaptador muito interessante que é encaixado no lugar de válvulas 6V6, 6L6, EL34 por exemplo, e adapta EL-84, reduzindo a potência de amplificadores que tem potências mais altas. É o THD Yellow Jacket que faz essa mágica, simplesmente adaptando válvulas EL-84 de menor potência no lugar de válvulas de maior potência, sem necessidade de ajuste de Bias inclusive. A boa notícia é que não é caro, custa ao redor de 50 dólares (sem a válvula), o que pode ser uma opção para o pessoal que tem os amplis mais cavalares, tipo os de 100W.
      Acho que as opções para diminuir o volume de valvulados são mais ou menos essas, um atenuador (talvez o TAD Silencer seja uma opção ao amigo Bog, porque já tem uma simulação de falantes), os "novos" alto falantes e o THD Yellow Jacket para quem tem um amplificador grande. As outras maneiras são com modificações no amplificador, na eletrônica. Ao pesquisar o THD YJ eu achei um artigo que fala dele e fala de modificações eletrônicas , mas isso não é para mim. No fundo, acho que tudo isso mexe no timbre final, talvez os falantes sejam uma boa pedida para quem já usa valvulados com EL-84 e como eu, não acham os atenuadores uma solução maravilhosa. Teria que experimentar...

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Valvulados: saturar o power amp acima de ~15W é barra pesada hein!

      303.552 tópicos 7.855.194 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2017 Studio Sol Comunicação Digital