Bochecha sem Claudinho

Autor Mensagem
gabrissk
Veterano
# 21/fev/20 11:33
· votar


Sobre o Alice in Chains, não acho que o Layne fosse maior que a banda.

Layne + Jerry Cantrell, aí talvez. Afinal, esse último escrevia a maioria das letras, criou todos aqueles riffs memoráveis além de participar daquelas harmonias que todo mundo aprecia tanto.

Buja
Veterano
# 21/fev/20 11:37
· votar


Se Zac Brown Band mudar de vocalista, a banda acaba com certeza!

acabaramosnicks
Membro Novato
# 21/fev/20 13:19
· votar


AiC
Layne era o ser humano mais adequado que já existiu para as excelentes composições do Cantrell.
A banda perdeu muito do que era por não tê-lo mais, mas continua uma boa banda, com boas músicas e bons músicos.

BrotherCrow
Membro Novato
# 21/fev/20 14:37
· votar


Lelo Mig
Botaram um Forgety cover lá, o show é até bacaninha, mas é banda cover.
Vi o Fogerty solo ao vivo também, e o show solo dele também é basicamente um CCR cover. O que deixa a pergunta: por que não volta logo pra banda de uma vez?

O The Doors é uma banda que foi "redescoberta" e virou cult nos anos 80.
Em grande parte por causa do filme com o Val Kilmer. O Doors com Ian Astbury era massa.

JJJ
Existem exemplos de todos os tipos:
- Barão sem Cazuza conseguiu emplacar vários sucessos.
- Legião sem Renato Russo não rolou...

No caso do Barão sem Cazuza você tem o Frejat que é um puta músico. No caso do Legião você tem o Dado e o Bonfá que são dois pregos.

Beto Guitar Player
A primeira fase com o Barret, eu diria que é a mais chata.
Sério?! Escuta com atenção cara, os dois primeiros são ótimos! A carreira solo do Barret tem umas coisas legais também.

Buja
O Iron tentou. O que foi o Iron sem Bruce?
Sei que sou minoria mas pra mim os discos mais legais são os com o Di Anno.

Até o tristania que é cheio de "vocal", quando saiu a vibeke, eu parei de escutar,
mesmo sabendo que a mariangela (sei la se é esse o nome dela mesmo) cantava opera
profissionalmente antes de entrar na banda e dava show na vibeke.

Nem liguei quando a Vibeke saiu, porque pra mim o que matou a banda foi ter saído o Morten Veland.

Buja
Veterano
# 21/fev/20 14:57
· votar


BrotherCrow
Sei que sou minoria mas pra mim os discos mais legais são os com o Di Anno.

Tambem sou dessa minoria. As musicas que mais gosto do Iron, teve a voz dele.
Mas que, dinherísticamente falando, foi um desastre pro Iron.

porque pra mim o que matou a banda foi ter saído o Morten Veland.
Foi triste mesmo. Mas como eu nao conhecia muito o tristania antes disso, nao senti tanto.

Lelo Mig
Membro
# 21/fev/20 15:02 · Editado por: Lelo Mig
· votar


BrotherCrow

"O Doors com Ian Astbury era massa."

Também acho. E no caso do Doors, como falei, muito pouca gente teve a chance de vê-los com o Jim... então, acho que foi necessário um revival.

Com relação ao Queen, vou ser massacrado aqui, mas tudo bem...

Eu prefiro o Queen com o Paul Rodgers do que com o Lambert.

Apesar de o Lambert ser "técnicamente e performaticamente" mais próximo do Fred Mercury, eu achava a versão com Paul Rodgers mais legal.

Paul Rodgers é um cantor incrível, com um estilo consolidado e cantou com seu estilo, imprimiu sua forma de cantar as canções do Queen, nunca tentou ser um Freddy Mercury, até porque já era conhecido antes do Queen nascer.




Um outro exemplo, não citado é o AC/DC.

Eu prefiro com o Bon Scott, mas muita gente prefere com o Brian Johnson, e o álbum de maior sucesso é com ele... então, a manutenção da banda foi um acerto.

Julia Hardy
Veterano
# 21/fev/20 15:23
· votar


gabrissk

Não é bem assim. O Layne compôs bastante, se duvidar, até mais que o Jerry. Mas, o substituto é competente e a banda continua lançando bons discos.

BrotherCrow

Sobre o John Fogerty, também não é bem assim. Ele era o vocalista e compôs TODOS os sucessos do CRR. Tanto que a banda nunca mais lançou disco após a saída dele. Ele é o original.

BrotherCrow

Buja

Gosto é gosto. Mas, a fase que foi um desastre foi a do Blaze, não a do Paul.

Lelo Mig

A diferença é que o Paul Rodgers é um cantor de rock. O Adam Lambert, não. Isso faz diferença.

Buja
Veterano
# 21/fev/20 15:27
· votar


Julia Hardy
Gosto é gosto. Mas, a fase que foi um desastre foi a do Blaze, não a do Paul.

Me confundi. Estava referindo ao blaze mesmo.
As musicas que gosto mais sao do virtual xi. Mas nao é pelo blaze, e sim pela composicao mesmo.

BrotherCrow
Membro Novato
# 21/fev/20 17:14
· votar


Lelo Mig
Eu prefiro o Queen com o Paul Rodgers do que com o Lambert.
Só por ter gravado material original e ter cantado as antigas no estilo próprio dele, já dou mais valor.

Julia Hardy
Sobre o John Fogerty, também não é bem assim. Ele era o vocalista e compôs TODOS os sucessos do CRR. Tanto que a banda nunca mais lançou disco após a saída dele. Ele é o original.
Mas ele não é a banda. Meu ponto é exatamente esse: se é pra tocar CCR e não músicas novas, por que saiu da banda?

Buja
Me confundi. Estava referindo ao blaze mesmo.
As musicas que gosto mais sao do virtual xi. Mas nao é pelo blaze, e sim pela composicao mesmo.

Acho a carreira solo do Blaze foda. Mas os discos dele no Maiden... meh.

entamoeba
Membro Novato
# 21/fev/20 17:17
· votar


Iron Maiden sem o Paul Di'Anno nunca mais foi o mesmo.

Lelo Mig
Membro
# 21/fev/20 17:27
· votar


entamoeba

"Iron Maiden sem o Paul Di'Anno nunca mais foi o mesmo."

Concordo... nunca mais foi tão ruim.kkkkk

Julia Hardy
Veterano
# 21/fev/20 17:33
· votar


BrotherCrow

Ele não saiu da banda. A banda parou. Ele foi pra carreira solo. As músicas do CRR são as músicas do John Fogerty. Mesmo que não fossem, o vocalista é o integrante mais importante da banda. Pelo menos, aos olhos do público. A maioria das bandas se ferra quando o vocalista sai. Só consigo pensar no Van Halen como exemplo de banda que continuou fazendo sucesso após trocar de vocalista.

YamiYugi
Membro Novato
# 21/fev/20 17:40
· votar


ninguém ainda falou do Genesis com e sem o Peter Gabriel, o que acham?

eu pessoalmente curto ambas as fases, porém, a fase com o Peter Gabriel torna o Genesis a minha banda de progressivo favorita.

BrotherCrow
Membro Novato
# 21/fev/20 17:48
· votar


Julia Hardy
Ele não saiu da banda. A banda parou. Ele foi pra carreira solo. As músicas do CRR são as músicas do John Fogerty.
Você tem razão. Por algum motivo eu achava que o CCR tinha continuado sem ele. Fui ver e eu estava enganado. Aí é justo, a carreira solo dele é a coisa mais próxima que os fãs mais jovens têm de ver o CCR.

Lelo Mig
Concordo... nunca mais foi tão ruim.kkkkk
Sério que você acha Dance of Death melhor do que Killers? Tipo, o Iron Maiden com Bruce no auge (de Number of the Beast a Powerslave) é a fase que consensualmente se chama de clássica. Mas nada que o Maiden fez depois que o Bruce voltou no Brave New World é tão legal quanto os dois primeiros discos.

Ismah
Veterano
# 21/fev/20 18:29
· votar


Bem, a vida segue... Um amigo quis sair da banda, e o lembrei justamente que na época que começou ele tinha 22, hoje quase 40.
Só terá uma banda de 18 anos, em outros 18 anos... Meio tarde para dar para trás...

Especificamente, o vocalista acaba sendo o cerne, pois geralmente é ele que faz a vez de porta-voz, para qualquer coisa. Se alguém tiver que meter a cara, será o canário. Raramente não é assim, e só consigo pensar em duas excessões...

-> Epica, onde a Simone Simons é quase uma convidada, e geralmente quem comunica é Mark Jansen (também vocalista). Isso pode ter uma série de motivos. A Simons tinha 18 anos quando, sem nunca ter tido grande experiência de palco, veio a ser vocalista aos 18, e estourou a banda - o que também pode explicar sua postura nos primeiros materiais. Outro ponto, é que a Simons e o Jansen, deram uns amassos, mas hoje ela é casada com outro cara, tecladista do Kamelot... Certamente, tem algum ressentimento, mesmo que remoto e negado até a tumba.
Sei que talvez seja pouco interessante aos homens, mas é deveras interessante.

-> Nightwish, onde todo mundo sabe que o Tuomas é o dono da banda e ele sempre teve essa posição, apesar de aberto a ideias nas composições. A Tarja é um ponto fora da curva, pois ela deu muitas vezes sua interpretação as letras, e se saiu melhor que o próprio Tuomas esperava, e tinha feito.
Na sequência, o veterano Marco Hietala veio pra banda. Sem dúvidas, acredito que ele vê uma inspiração no Marco. É nítido que há um grande respeito de ambas as partes, selando uma forte amizade e parceria. Tanto na biografia, nas entrevistas, e composições. É fato que o Marco mudou os rumos da banda - agora com o duo "the beauty and the beast", que consagrou o gênero no mundo todo.
Com a saída da Tarja, a passagem da Olzon, veio a Floor, e parece que engrenou assim. Começa que ela tem sua banda (ReVamp), e é uma mega macaca velha. Além do que ela tem uma característica bem peculiares: fisicamente ela é uma mulher muito grande (principalmente pro padrão de lá), e isso tem poréns...
O primeiro é que ela tem um pulmão absurdamente grande, que permite emitir notas extremamente longas. Tem entrevistas especializadas com ela, ainda da época do After Forever, que mostram que não é questão de treino ou técnica, e sim de fisiologia.
O segundo, é que ela tem uma força física. Tem alguns vídeos de fãs se sobressaindo, e ela dispensou a segurança. Diferente da Tarja, acredito que o Tuomas não iria obrigar ela a nada, e ela iria se impor.
Como o Hietala tem 19 anos de casa, é segundo vocalista, também é natural que ele tenha mais espaço. Logo, ele é o principal comunicador, mas notadamente não tem a mesma presença da calejada Jansen.

JJJ
Veterano
# 21/fev/20 20:49
· votar


Lelo Mig
Como tanto Geddy como Lifeson sempre foram fãs declarados do Led Zeppelin, com certeza o "episódio Led - Bonham" será considerado pelos dois.

O Peart também teve um filho baterista? hehehe

---

Agora, a melhor troca MESMO foi a do Paul McCartney original pelo clone...

Wild Bill Hickok
Membro Novato
# 21/fev/20 21:16
· votar


Seila, só sei que Sepultura sem Max tá excelente

brunohardrocker
Veterano
# 22/fev/20 11:53
· votar


O Queen poderia seguir com o Brian May compondo e fazendo vocais.



entamoeba
Membro Novato
# 22/fev/20 12:00
· votar


Lelo Mig
nunca mais foi tão ruim.

O Maiden do Paul é mais interessante porque é mais punk! O do Bruce, que foi o meu favorito por muitos anos, é mais produzido. Nessa transição, muito se ganhou e muito se perdeu. O que foi perdido, hoje, tem mais relevância para mim.

Abri minha playlist ativa (ela varia bastante) e contei 7 músicas com o Paul e 3 com o Bruce. Fiquei até surpreso, porque achei que seria mais equilibrado. O fato é que acho a fase do Bruce mais enjoativa (depois de 27 anos de audição).

Lelo Mig
Membro
# 22/fev/20 14:31 · Editado por: Lelo Mig
· votar


entamoeba
BrotherCrow

Caras, prá ser honesto, dei uma zuada... nunca fui muito fã de Iron Maiden (ainda que reconheça muitas qualidades na banda). Uma delas, as letras bastante acima da média no mundo rock'n'roll.

Mas, o único período que o Iron realmente me impressionou (apesar de não ouvir mais porque enjoei) é tudo que foi feito de Piece of Mind até Seventh Son.

Prá frente e para trás, até posso gostar de uma coisa ou outra, porque a banda sempre foi decente, mas não me é essencial.

K2_Loureiro
Veterano
# 22/fev/20 15:32 · Editado por: K2_Loureiro
· votar


Bochecha sem Claudinho, sou eu assim sem voceeeeee

Kkkk desculpem, não resisti.

Mas eu curto o Alice in Chains na fase atual...

Julia Hardy
Veterano
# 22/fev/20 20:30
· votar


O Iron Maiden é enjoativo. Principalmente dos anos 90 em diante. Não tenho muito mais paciência. Mas, Iron Maiden é com Bruce Dickinson, não tem jeito.

LviLasboa
Membro Novato
# 26/fev/20 09:31
· votar


Quanto ao QUEEN, seria melhor se fosse com o Marc Martel ao invés do Adam Lambert. Ao menos se assemelharia mais ao Freddy.

Agora, sobre o Pink Floyd...Eu sou muito fã do Gilmour, então eu curto muito a fase pós Waters mesmo sabendo da importância dele para a banda em seus primórdios.
Acho que na verdade ele se perdeu na liderança e queria impor a sua visão sem abrir espaço para que os outros integrantes pudessem também dar pitacos de como deveriam construir suas músicas.

Falando sério, vocês levantaram boas questões sobre bandas sem seus integrantes, mas ninguém falou sobre o Calypso, este sem Joelma nunca mais foi nada! :D
(Banda Eva sem Ivete também!)
Desculpem, ainda estou bêbado do Carnaval.. hahahah

entamoeba
Membro Novato
# 26/fev/20 10:03
· votar


LviLasboa
Ivete

A modinha escrota do axé morreu há muito tempo! Ivete é só uma baiana branca que a Globo resgatou dos destroços daquele gênero insuportável.

Nunca mais ouvi falar de Joelma ou de Calypso. Daqui, de onde vejo, esse gênero musical acabou (se recolheu ao regionalismo).

Lelo Mig
Membro
# 26/fev/20 13:14
· votar


"A modinha escrota do axé morreu há muito tempo!"

Axé sempre foi um lixo só comparável ao funk no quesito bizarrices e mal gosto.

Pior que têm gente tentando ressuscitar essa merda... trazendo de volta Cumpadi Washigton e outras merdas desse naipe de volta.

Ismah
Veterano
# 26/fev/20 13:20 · Editado por: Ismah
· votar


Lelo Mig

Lembrei desse vídeo...
O que tange música, é lá no minuto 5:30. Apesar de a introdução tratando de cinema, ser longa, é muito prática para o propósito musical também. Cabe nota que o Anderson "Gaveta", é músico, compositor, arranjador e produtor.


https://www.youtube.com/watch?v=qtBsl4cXYEM

entamoeba

Porque não existe mais Calypso... Existe a Joelma solo, que faz um som na mesma linha que é o Pablo VIttar, e a Banda X, do antes Chimbinha, e agora Ximbinha...

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original