Bochecha sem Claudinho

Autor Mensagem
Julia Hardy
Veterano
# 20/fev/20 21:39


The Doors sem Jim Morrison. Queen sem Freddie Mercury. Mutantes sem Rita e Arnaldo. Pink Floyd sem Roger Waters. Alice in Chains sem Layne, Creedence sem John Fogerty, e a lista segue.

Essas bandas que tiveram vocalistas muito marcantes, que se tornaram até maiores que a própria banda, mas, que insistem em continuar mesmo sem os ditocujos. O que vocês acham? Deveria? Não deveria? Tanto faz?

No caso do Queen, há um hate pra cima deles por causa do Adam Lambert. The Doors tentou continuar(lançou dois discos com o Ray Manzarek nos vocais e deu em nada). Entre outros exemplos.

Lelo Mig
Membro
# 20/fev/20 22:14 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Julia Hardy

Eu procuro sempre analisar por dois lados: O do "fã" e o do "artista".

Pegando um exemplo "grandioso", o Queen. (mas vale prá quase todos):

O Freddie Mercury é uma lenda, insubstituível, quase um "deus" para os fãs.
Mas, o Queen existia antes dele (ele foi o penúltimo a entrar), os caras também fazem parte do Queen, compunham, e os caras vivem de música. Vão se aposentar porque o Freddie Mercury morreu? Vão abandonar o nome Queen em "respeito" ao Freddie Mercury? Sinceramente, não sei se seria o caso.

Alguém pode alegar... ahhh, fundem outra banda, façam carreira solo. Mas, eu acho que, se nos colocarmos no lugar do artista, não é algo tão simples assim.

Além disso, existem particularidades de cada caso... Usando seus próprios exemplos:

O Creedence é foda! Com todo respeito aos demais integrantes, CCR sem John Forgety é tipo Bon Jovi sem Bon Jovi. Botaram um Forgety cover lá, o show é até bacaninha, mas é banda cover.

O The Doors não faria sucesso com nenhum outro vocalista, porque não fez nem com o Jim Morrisson. Poucos sabem, mas o Doors não foi muito famoso nos anos 60. O The Doors é uma banda que foi "redescoberta" e virou cult nos anos 80. Seus álbuns com o Manzarek no vocal são deste período de ostracismo. Depois dos 80, quando viraram cult, voltaram a fazer shows com o Ian Astbury (do The Cult) nos vocais, e acho que foi bem legal, pela possibilidade de ver The Doors, já que muito poucos fora do circuíto de San Francisco do final dos 60 tiveram esta oportunidade.

Acho que é mais ou menos isso...

HortaRates
Membro
# 20/fev/20 22:26
· votar


Pô, curti o tópico. Tem espaço pra muita polêmica kkk

Eu acho que a imagem da banda fica muito ligada ao vocalista, e muitas vezes perde a identidade quando ele é substituído. Mas também não é só ele... Em 2010 eu fui num show do Guns que, de formação original, só tinha o Axl. E não parecia muito Guns também.

Eu entendo o lado da banda em continuar e não trocar o nome, os caras ralaram muito e deram muita sorte pra chegar no topo, não seria justo terem que começar do zero de novo. E se trocar o nome da banda ou irem pra carreira solo, é basicamente o que acontece. Mas quando troca o Frontman, no final das contas a banda fica parecendo um cover dela mesma.

entamoeba
Membro Novato
# 20/fev/20 23:04
· votar


Gosto do Pink Floyd sem Roger Waters

fernando tecladista
Veterano
# 20/fev/20 23:12
· votar


entamoeba
Gosto do Pink Floyd sem Roger Waters

nunca senti falta

Lelo Mig
Membro
# 20/fev/20 23:17
· votar


entamoeba
fernando tecladista

"Gosto do Pink Floyd sem Roger Waters"
"nunca senti falta"


Na verdade, depois do "meia boca" que é The Final Cut, ele sair foi a melhor coisa que aconteceu.

Julia Hardy
Veterano
# 21/fev/20 00:01
· votar


Lelo Mig
fernando tecladista
entamoeba

Entendo por um lado. Mas, o Pink Floyd não existiria do jeito que é sem ele. Inclusive, naquele show de reunião no Live Aid, se não me engano, achei muito cuzona a atitude do Gilmour. O Roger lá todo sorrisos e o Gilmour nem olhava pra cara dele. São duas velhas mesmo.

Lelo Mig
Membro
# 21/fev/20 00:46 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Julia Hardy

"O Pink Floyd não existiria do jeito que é sem ele"

Isso é indiscutível, ele esta nos grandes álbuns do PF e sua contribuição é monstra, é o maior peso após Sid Barret.

Mas, aqui preciso fazer uma defesa com relação a postura de "tia velha" do Gilmour. Diferente de outras bandas, Gilmour, Mason e Wright, eram bastante "passivos", quase gentlemans.

O Waters, em contra partida, têm um gênio do cão, é violento, foi se tornando um tirano insuportável para o resto da banda.

Uma vez, perguntado sobre o assunto o Nick Mason disse que o Waters não respeitava ninguém como músico, ele se julgava o líder e achava que estava acima por ser o principal compositor e o resto, tocar instrumentos, ele dizia que "qualquer idiota pode fazer".

Quando ele deixou o Pink Floyd, ele tinha certeza que o PF deixaria de existir sem ele, só que o álbum sem ele "A Momentary Lapse of Reason" vendeu mais que o Final Cut.

Aí a relação azedou de vez e Gilmour, que era meio "submisso", ganhou força.

JJJ
Veterano
# 21/fev/20 07:35
· votar


Lelo Mig
Gilmour, que era meio "submisso"

Acho que ele sempre tentou ser discreto, por conta da história de como entrou na banda...

---

Existem exemplos de todos os tipos:
- Barão sem Cazuza conseguiu emplacar vários sucessos.
- Legião sem Renato Russo não rolou...

Casper
Veterano
# 21/fev/20 08:05
· votar


Existe o contrário também, bandas que conseguiram melhorar quando mudaram de formação, em muitos casos perdendo o integrante que era considerado o mais fundamental:

Joy Division -> New Order
Depeche mode
Faith No More

Mas a maioria geralmente degrada.

Casper
Veterano
# 21/fev/20 08:06 · Editado por: Casper
· votar




Beto Guitar Player
Veterano
# 21/fev/20 08:21
· votar


O caso do Pink Floyd, eu diria que a banda possui duas grandes fases.
Com e Sem Waters, Ambas as fases tiveram momentos memoráveis. A primeira fase com o Barret, eu diria que é a mais chata.

brunohardrocker
Veterano
# 21/fev/20 08:49
· votar


Metallica sem Cliff Burton.

-Dan
Veterano
# 21/fev/20 09:20
· votar


queen sem fred nada contra existir, só nao vou escutar

Buja
Veterano
# 21/fev/20 09:36
· votar


Acho que cada caso é um caso.

Nirvana sem Kurt? Realmente nao dava.
Linkin Park sem Chester? System sem Serj?
O Iron tentou. O que foi o Iron sem Bruce?

São os caras que praticamente são o front-man das bandas.
Nao daria e nao deu mesmo. O publico enxerga a banda,
mas querendo ou nao, quem poe a "boca no tombone"
acaba sendo a referencia da banda. Faz parte.

Até metallica sobreviveu e sobrevive bem sem cliff.
Agora metallica sem james? Megadeth sem dave? COB sem alexi?
Seerio, tem que fazer muita força pra funcionar.

Até o tristania que é cheio de "vocal", quando saiu a vibeke, eu parei de escutar,
mesmo sabendo que a mariangela (sei la se é esse o nome dela mesmo) cantava opera
profissionalmente antes de entrar na banda e dava show na vibeke.
Tristania sempre teve voz de vibeke pra mim e pronto.

JJJ
Veterano
# 21/fev/20 09:43
· votar


Rush sem Neil Peart?

Eu até gostaria de ver o que poderia rolar com, digamos, Carl Palmer - que também perdeu o "resto" da banda.

Mas seria outra coisa, não o Rush...

EduJazz
Veterano
# 21/fev/20 10:13 · Editado por: EduJazz
· votar


JJJ

Eu sou capaz de apostar um guaraná mineiro e uma coxinha vegana que isso acontece, mas não com o Carl Palmer: com Mike Portnoy, ainda que pra uma turnê tributo.

6Strings
Membro Novato
# 21/fev/20 10:34
· votar


Lelo Mig

Alguém pode alegar... ahhh, fundem outra banda

Exemplo de sucesso nesse caso: Rage Against the Machine - Audioslave

tito lemos
Veterano
# 21/fev/20 10:39
· votar


EduJazz
Eu sou capaz de apostar um guaraná mineiro e uma coxinha vegana que isso acontece, mas não com o Carl Palmer: com Mike Portnoy, ainda que pra uma turnê tributo.


Mike Portnoy sonha com isso todos os dias. Vai que ele tenha tido a benção do Peart antes de ele morrer? Afinal, eram amigos. Eu gostaria de ver, mas não seria o Rush. Seria um tributo bacana.

tito lemos
Veterano
# 21/fev/20 10:42
· votar


Sei que a grande maioria aqui torce o nariz pra metal melódico, mas coloco aqui mais um caso de banda que está seguindo em frente sem seu mentor: Shaman sem André Matos. Mas tá sendo bonito ver o Alírio Neto no posto, o cara é o vocalista de rock/metal mais completo deste país.

entamoeba
Membro Novato
# 21/fev/20 11:02
· votar


Sepultura sem Max é bom!

Casper
Veterano
# 21/fev/20 11:03
· votar


Shaman é uma banda bem competente, passou por várias formações e continua na estrada. Eu particularmente não aprecio muito, mas respeito o trabalho bem feito.

Casper
Veterano
# 21/fev/20 11:05
· votar


Caro entamoeba:

Esse álbum recente do Sepultura (Quadra) é excelente, um dos melhores até agora de toda carreira da banda.

Lelo Mig
Membro
# 21/fev/20 11:06
· votar


Buja

Megadeth sem dave?
O Megadeth já trocou todo mundo e ninguém percebeu... o Dave é o Megadeth.

JJJ
"Barão sem Cazuza conseguiu emplacar vários sucessos."

Esse caso, prá mim, é um caso à parte, em que todos ganharam. Acho o Barão sem Cazuza melhor que "com" e o trabalho do Cazuza solo, também melhor que o anterior.

tito lemos

Que o Rush faça um ou outro showzinho por aí, com qualquer baterista "tributo", prá ganhar um dindin, ok, vá lá!

Mas, como banda... aposentadoria. Não têm como, pela idade deles e legado, Rush acabou, eles têm que fazer como o Lez Zep fez... foi um acerto.

Se Geddy e Lifeson quiserem continuar juntos, compondo e lançando material novo, EU no lugar deles, contrataria um tecladista, um batera, um vocal, sei lá, mudava o formato, colocava outro nome, tipo "Red Barchetta".... rs

Mas Rush... acabou!

tito lemos
Veterano
# 21/fev/20 11:17
· votar


Lelo Mig
Concordo. Até pq o vocal do Geddy já foi pros vinagres há um certo tempo. O cara desafina a cada notinha um pouco mais alta... Idade. Ele não precisa provar mais nada a ninguém, é um monstro. Poderia seguir destruindo no baixo, em outro projeto.

Buja
Veterano
# 21/fev/20 11:21
· votar


O negocio é que banda nao é time de futebol.
Tipo, curintia, troca todo mundo, todos os 22 do time e todos os da base, troca tecnico e até a diretoria toda, e vai continuar sendo curintia. Agora, a exemplo, exaltasamba, saiu o gordão pericles, acabou, ponto final.

Quando uma banda se forma, ela se forma com aqueles integrantes, tendo como capa de revista o vocalista.
Raras bandas o front-man é outro musico, tipo, o Manowar, que ao frangalhos, sobreviveria bem trocando vocalista, mas morreria trocando baixista.

Lelo Mig
Membro
# 21/fev/20 11:23 · Editado por: Lelo Mig
· votar


tito lemos

Como tanto Geddy como Lifeson sempre foram fãs declarados do Led Zeppelin, com certeza o "episódio Led - Bonham" será considerado pelos dois.

entamoeba
Membro Novato
# 21/fev/20 11:25
· votar


O Blue Man Group já foi substituído 22 vezes e ninguém notou.

Julia Hardy
Veterano
# 21/fev/20 11:26
· votar


Lelo Mig

Entendo que eles tiveram desavenças. Ainda assim, achei a atitude do Gilmour desnecessária.

Casper

A questão é bandas que são automaticamente associadas aos seus vocalistas. O Joy Division teve que mudar de nome. Não tinha jeito. O Depeche Mode eu não conheço direito. No caso do Faith No More, nem houve drama na troca de vocalista. Então, nem é o caso. É parecido com o Pantera. Pra maioria, o Phil Anselmo é o único vocalista da banda e ponto final.

Julia Hardy
Veterano
# 21/fev/20 11:28
· votar


entamoeba

É bom, mas, não é reconhecido como a fase Max. O Sepultura ícone é com o Max e o Igor. Não tem jeito. Mas, eu ouvi algumas músicas do disco novo e gostei bastante. Até o vocal horroroso do Derrick tá legal.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original