Teclados Roland – Roland BR responde

Autor Mensagem
Buja
Veterano
# 18/ago/20 09:57
· votar


RD2000 nem

Sei nada de teclas hehehe. Mas o nord stage é aquele famoso vermelhinho né? Lembro de ter visto um video da NANN e esse tecladinho so faltava voar.

fernando tecladista
Veterano
# 18/ago/20 14:36
· votar


esse tecladinho só faltava voar.

todos nessa de categoria de preço dele, não falo do preço em si que está voando, mas em termos de qualidade e recursos

os que não voam é problema com o piloto

macaco veio
Veterano
# 18/ago/20 15:50
· votar


fernando tecladista
voam e levam o preço nas alturas e muitos deles vem com piloto automático, KKKKk.

André Luiz Keys
Veterano
# 20/ago/20 10:16
· votar


Buja
Eu nao tenho nenhum produto roland, mas gostaria de ter pelo menos uma dezena deles. Na praia das teclas, queria um RD 2000

Um dos meus preferidos...

Gravei o vídeo oficial dele aqui:
https://www.youtube.com/watch?v=76ROMxwu62c

André Luiz Keys
Veterano
# 20/ago/20 10:18
· votar


macaco veio
André Luiz Keys
Muito educado o seu cormentário, gostei.


Valeu mestre!

O ultimo arranjador que mexi um bom tempo foi o BK5 (não tem som de piano bom não) aquilo é uma merda pra tocar sozinho, tem que gravar tudo antes (é um gravador e não um arranjador), tem horas que o baixo some, tem horas que fica alto pra kacete, não tem como ajustar ao vivo não. A mesma coisa a bateria. Abaixa o baixo a bateria vai junto, uma merda.


Rapaz, ele tem uma seção completa de edição do ritmo, incluindo volumes das partes, e até nota por nota no Style Composer. Acho que vale a pena uma exploração mais profunda dele. Tem um vídeo mostrando como fazer ritmos nele, pra ver que dá pra ir do zero:

https://www.youtube.com/watch?v=aqPOKJxhiMA

fernando tecladista
Veterano
# 20/ago/20 22:10
· votar


André Luiz Keys

já que estão falando do BK-5

nele eu consigo montar um ritmo a partir de um arquivo midi, como existe no antigo E480B, pega o midi, seleciona os compassos está pronto

macaco veio
Veterano
# 21/ago/20 00:11
· votar


Rapaz, ele tem uma seção completa de edição do ritmo, incluindo volumes das partes, e até nota por nota no Style Composer. Acho que vale a pena uma exploração mais profunda dele. Tem um vídeo mostrando como fazer ritmos nele, pra ver que dá pra ir do zero:
Eu sei, eu estudei ele bastante, mas é muito sintetizador pro meu gosto. Gravei um repertorio inteiro na época que eu tocava com um saxofonista. O volume das partes é legal pra voce montar ritmo, esvaziar ou preencher de mais instrumentos no ritmo, etc, mas tudo voce tem que salvar. O teclado E66 tinha os botões separados para aumentar e diminuir o volume da linha do baixo, da linha da bateria, acompanhamento, base da mão esquerda e direita, (balance) tudo separadinho o que era ótimo na mixagem ao vivo que voce controlava o volume no meio da música conforme a necessidade do local e do ambiente que se executava a música (igual um mesario de frente numa banda). Quando voce tem que trazer a mixagem pronta de casa, chega no salão a mixagem é outra. A Roland acabou com isso, botou tudo junto num botão só. Pra quem toca improvisando é péssimo. Pra quê mil e tantos sons, quero pre-sets rapidos com os sons dos instrumentos básicos que existem faceis de chamar com os botões pra cada. O BK5 é um studio, uma gravadora em que voce faz os masters de cada música e fica tudo salvo (pronto pra fazer um disco) e aí voce solta ao vivo como se fosse um DJ. Não tem nada a ver mais com aqueles instrumentos feitos pra tocar sozinho da era de 70 e 80 que eram chamado de orgãos automáticos que vizavam o tocador de orgão (pois a maneira de tocar é diferente do piano, ate as teclas são diferentes, são mais largas e curtas, só que as pessoas aprendem a tocar agora é piano). Outra coisa dispensavel é o joystic do lado esquerdo (a mão esquerda é pro acompanhamento, ela não pode parar e nada de memoria, segura o som é nos dedos) só faz o teclado ficar largo demais. Os teclados arranjadores de hoje não são nada práticos e fazem o tecladista parecer falso (não toca nada), as pessoas vêm e sabem que está tudo gravado e não tem valor nenhum. O ponto positivo da Roland nesses arranjadores era o som, tinham uma especie de compressão ou limiter que ajudava a amaciar o som ao vivo (o que não tinha nos Yamahas, dava cadas estouros nas caixas), alem do efeito stereo muito melhor.

André Luiz Keys
Veterano
# 24/ago/20 10:27
· votar


macaco veio

Realmente posteriormente ao BK-5, a Roland entendeu essa "falta de botões" e fez o E-A7. Ele tem 156 controles no painel, pra facilitar essa operação ao vivo.

A sonoridade dele é bem similar aos BK / G / E.

Abraços,

André Luiz

macaco veio
Veterano
# 25/ago/20 01:50
· votar


Andei vendo uns videos desse E-A7, pois onde moro agora é ruim de loja de música qualquer tanto, alias Sam ash e guitar center estão acabando, quase não tem loja física mais, é tudo pela internet, o problema é que quase ninguem quer aprender a tocar um instrumento musical mais.
Deu pra ver o que parece ser o quente do teclado, o "Part Level" 6 potenciômetros deslizantes que é até mais prático do que o controle de volume eletrônico por botôes que tinha no E66 (apesar de potenciometro dar mais defeito). Os video só tem pianista que acham que sabem tocar teclado com ritmo eletronico (não têm mão esquerda de organista) e assim ainda não sei se é possivel desligar a memoria do lado esquerdo (tipo tirar a mão e o acompanhamento desligar ficando so o som de bateria). Ficar mostrando sons não interessa (todos os teclados tem sons fieis).
Eles não tiram o Joystick de jeito nenhum, algumas teclas a mais começando na tecla Fa seria muito mais útil, mais vai falar isso pros pianistas e engenheiro eletrônicos que nunca tiveram a vivência de começar lá traz nos anos 70 fazendo contrabaixo no pé e tocar recepções de casamento durante uns 50 anos sempre em teclado duplo ou com dois teclados. Os orgãos antigos de 2 teclados, o teclado de cima e o de baixo eram tão próximos um do outro que com polegar da direita e o dedo mínimo da esquerda dava pra apertar uma tecla do teclado inferior e uma do superior. Sempre toquei com dois teclados mas é tão dificil quando a botaozada fica muito longe das teclas e tem que por o segundo teclado numa posição alta demais para conseguir mexer no painel do teclado que esta embaixo. Eu nunca fui um grande pianista mas fazer uma recepção eu sei e não preciso de acompanhamento automático em acordes ritmando, faço todos os acorde ritmando so com os dedos da esquerda (com os baixos automáticos é manha). Vou pensar, talvez eu compre um EA7 só pra brincar e ser meu último teclado na vida pois recepções de casamento quase não existem mais e quando existe é cada noiva pé de chinelo que so conhecem Annita. Não dá.

Harva
Veterano
# 25/ago/20 18:25
· votar


Já tive alguns teclados Roland em diferentes épocas.

U-20, U-220 D-110. D-50, Fantom, Fantom XA e Fantom G6.

Hoje tenho um V-Synth XT, JD-990 e um VK8M.

André Luiz Keys
Veterano
# 28/ago/20 10:48
· votar


Harva

VK-8M é um cara incrível... ja tive e morro de saudades dele...

Ppithan
Veterano
# 30/ago/20 22:48
· votar


Vou escrever, na esperança que alguém da Roland se sensibilize e seja preocupado com a marca, para criar um histórico de boa reputação e boa vontade.

Meu caso é o seguinte:
Comprei um dos primeiros JUNO-D, lá pelo ano 2005, creio. Não me lembro agora ao certo.
Paguei muito caro por ser um lançamento e por ser da Roland, que imprimia qualidade máxima, da marca...

O usava em um conjunto que eu participava, sendo meu equipamento principal e a frequência de uso era semanal. Como era meu xodó, o tratava como uma preciosidade. Cara e eficiente...

Quando completou UM ANO e UM MÊS de compra (13 meses), ele simplesmente parou de funcionar...
Ligava, acendiam suas luzes e LEDs, mas nenhum som saía mais...
Surpreso e chateado, até conversei com várias pessoas, técnicos e tentativas de ressuscitar meu equipamento.
Nada...
Acontece que tudo que dificultou minha vida foi morar no interior, do interior, do interior...
Na época sem muito acesso à telefone, internet precária e rara, acabei fazendo poucos contatos com a Roland,
por e-mail, um tempo depois do acontecido.

Acontece que a Roland não me deu uma luz, não me deu nenhuma esperança de solução e tão pouco algum procedimento
especial de assistência.
Digo isto porque descobri que meu equipamento sofria de um erro de projeto e re-lançaram o Juno-D, com as correções devidas e com uma nova variação de nome.
Tentaram fazer um marketing à época, desviando tecnicamente que o RECALL seria por outras questões e etc, etc, etc...

Em resumo...
Meu sintetizador saiu caro, parou em 13 meses de uso, nunca tive uma orientação da Roland, para facilitar o conserto.
Eu queria uma postura mais considerada, por parte do fabricante.
A única opção da Roland foi "seu equipamento queimou a placa-mãe, pague o conserto que custa uma fortuna e está tudo resolvido".
Achei tão desprezível, tratar o caso deste modo que não aceitei esta opção.

Remontei todo o histórico de anos e anos passados, que eu comprava dezenas de equipamentos Roland, indicava para colegas músicos, orientava para uso doméstico, para escolas, anos repassando a reputação e a qualidade da Roland a todo mundo que me solicitava essa avaliação...
E assim, de repente, a Roland mandou eu "pagar e resolver o caso"....

Hoje, depois de tantos anos, estou com o equipamento aqui comigo. Em estado de novo, pouquíssimas marcas de utilização.
Aparência zerada. Guardei-o sempre na caixa original, plásticos originais, tudo....
Parado como sempre esteve, resolvi agora tentar consertar, pra ver se há algum caminho que seja possível recuperá-lo - e se tiver, sabe-se lá a que preço...

Gostaria MUITO e peço isso encarecidamente, que alguém na Roland possa ler este texto e possa assumir uma postura de quem realmente trabalha na Roland, alguém que mostre que se importa com as pessoas que compram seus equipamentos a anos, que falam da marca e que sempre confiaram na eficiência de cada peça que compôe a marca inteira...
E que possam conversar comigo, tentando achar uma solução que eu poderia considerar justa, no meu caso particular...

Obrigado por lerem até aqui...

PAULO E. PITHAN
54 99984 8938
Marau, RS

André Luiz Keys
Veterano
# 02/set/20 14:50
· votar


Ppithan
Olá Paulo, li seu relato aqui e me preocupa o fato de ter passado tanto tempo sem nenhuma resolução.

Infelizmente com o passar de quase 15 anos, várias peças se tornam indisponíveis, e confirmei pessoalmente com o setor de peças d Roland que a placa principal do JUNO-D, está fora de linha.

Caso estivesse disponível nos dias de hoje, poderíamos tentar algo para resolver seu problema.

Sentimos muito.

Att

André Luiz

Ppithan
Veterano
# 06/set/20 15:11
· votar


Olá, André.

Eu imagino mesmo essa opção. De estar fora de linha.
Minha esperança é alguém possuir essa placa, ainda, em alguma prateleira ou - na pior das hipóteses, importar do Japão, já que há modelo da mesma classe...
Ainda estou tentando acreditar no conserto do equipamento....

Abrçs


Ppithan
Olá Paulo, li seu relato aqui e me preocupa o fato de ter passado tanto tempo sem nenhuma resolução.

Infelizmente com o passar de quase 15 anos, várias peças se tornam indisponíveis, e confirmei pessoalmente com o setor de peças d Roland que a placa principal do JUNO-D, está fora de linha.

Caso estivesse disponível nos dias de hoje, poderíamos tentar algo para resolver seu problema.

Sentimos muito.

Att

André Luiz


Synth-Men
Veterano
# 08/set/20 15:43
· votar


Ppithan

Então meu amigão! Lugar de teclado com defeito é na manutenção e se possível com a metade do serviço pago, para o técnico começar a correr atrás do problemas. Mesmo que demore, se o técnico não der um jeito, ele vai te informar.

Por mais que você tenha assistência por e-mail e telefone, é nas mãos do técnico que o serviço vai ser realizado. é colocar e ligar 1 vez por semana para ver o status.

No máximo o que um 0800 de vendas de marcas populares podem fazer é te dar o endereço da manutenção mais próxima.

Eu já tive uma experiencia assim. Fiz contato com a marca e fui super bem atendido. Putzs a manutenção era mais de 50KM de minha residencia e possivelmente cara.. Eu pensei bem no desgaste.

Peguei o teclado, limpinho, cheroso, tratado, sem poeiras, em estado de novo (apesar de usado) e coloquei no catinho entre o poste e a calçada, para o lixeiro levar.

Ah! mas e as teclas, o visor, as peças, a carcaça e etc e tals... DANE-SE! resolvi não ter dores de cabeças e lamentações. Parti para outro.

Não existe mais teclados tanques de guerra, iguais a DX7, D50, JV90/80/35 DW8000, SQ1, TS10, K2000, SY99, 85, 77, KORG M1, 01/W. Desde de antes do Juno D, que teclado tem prazo de validade de no máximo 5 anos.

Os que mais resistem ao tempo ai é XP30(ainda prefiro este que qualquer um dos Junos antes do DS) e Motif Classic, até os Tritons da vida engasgam mais que estes últimos dois que citei. O resto é o resto.

Põe teu teclado no conserto se ainda tens disposição, paciência e grana para isto, ou venda-o para reposição de peças.

Só não fique apegado a um só teclado.

Ppithan
Veterano
# 09/set/20 20:04
· votar


Pois é, parceiro....
Mas no fundo ainda quero ver algum esforço da Roland, não só pra recuperar o equipamento, mas recuperar eu, como cliente, e recuperar a marca, com aquela reputação que tinha antigamente...

Mas se não acontecer, vou passar os próximos anos fazendo uma anti-propaganda pesada, em cima da marca, em todas as Redes Sociais, vou fazer muita gente mudar de ideia, na hora de comprar um Roland, até que alguém da Roland venha falar comigo, especificamente sobre meu caso.
Eu tenho muita paciência, muita disposição e muita história pra contar, sobre a Roland, pra todo mundo...

André Luiz Keys
Veterano
# 10/set/20 16:50
· votar


Ppithan
Meu mestre

Estou na Roland desde 2011.. e acredito que neste período não houve um contato seu no Suporte técnico o qual fui responsável por uns bons anos...

Acho que a opção mais sensata neste momento é pegar um técnico bem fuçador que encare o desafio.

Mande um email para suporteroland@roland.com.br

Peça que lhe passem o contato do TÉRSIO BARRETO (comentem que eu pedi).

Ele é um técnico bem experiente, que pode tentar uma recuperação na sua placa que está fora de linha há alguns anos.

Abraços

Synth-Men
Veterano
# 11/set/20 14:43 · Editado por: Synth-Men
· votar


Mas se não acontecer, vou passar os próximos anos fazendo uma anti-propaganda pesada, em cima da marca, em todas as Redes Sociais, vou fazer muita gente mudar de ideia, na hora de comprar um Roland, até que alguém da Roland venha falar comigo, especificamente sobre meu caso.

Com todo respeito, não é este o caminho. Caso contrário não existiriam as autorizadas, mas sim telemarketing te orientando a soldar e retirar peças. A decisão de esperar da Roland algum tipo de orientação e consolo, não é o caminho. O que a Roland pode fazer é orientar você a ir a uma autorizada.

Esqueça que não vai aparecer alguém na porta de sua casa, apertar a sua mão, te dar um abraço, levar o seu teclado pela manhã e aparecer com ele no inicio da noite funcionando. Ao menos no Brasil nunca teve isto.

Ligue para Korg, Yamaha, Kurzweil, Medeli, Casio e qualquer marca popular que será igual. Vão te orientar a ir para autorizada mais próxima e te dar o endereço.

Mande um email para suporteroland@roland.com.br
Peça que lhe passem o contato do TÉRSIO BARRETO (comentem que eu pedi). Ele é um técnico bem experiente, que pode tentar uma recuperação na sua placa que está fora de linha há alguns anos.
Abraços


Esta aí o suporte Roland te ajudando mais uma vez no que pode. O resto vai ser com o TÉRSIO BARRETO.

fernando tecladista
Veterano
# 11/set/20 23:56 · Editado por: fernando tecladista
· votar


Ppithan
Pois é, parceiro....
Mas no fundo ainda quero ver algum esforço da Roland, não só pra recuperar o equipamento, mas recuperar eu, como cliente, e recuperar a marca, com aquela reputação que tinha antigamente...


precisa correr atras, se colocar o teclado em cima do guarda roupa por mais 15 anos ele fica lá, e ninguém fica sabendo, os contatos que você fez por aqui, que o andre fez no suporte, se você não der continuidade pensaram que você resolveu o problema. não vão te ligar "e ai você não falou mais nada, tá tudo bem por ai?"

se depois dos 13 meses não resolveu, talvez uma tentativa uns dois meses depois por algum outro caminho, ou uma outra tentativa depois de mais um ano... mas 15 anos é muito tempo

o que resta depois de 15 anos:
pensar se compensa correr atras de consertar e quanto fica
se vale a pena o conserto, tem Juno D no ML por 1.600, caso goste do teclado em si

ou se depois de 15 anos é de se pensar em vender como sucata, baratinho 500, 400 ou o que falarem que paguam... e comprar coisa nova, na garantia, bonitinho e não morgar se der defeito

alguns teclados que o synth-men citou, eu tenho aqui, comprei usado e só vão pra assistência pra trocar chaves e potenciometrias, mas como ele disse
esse tipo de teclado não existe mais

hoje é descartável, como tudo é
é mais fácil você ver um Golzinho ar 83 rodando tinindo por ai, do que um corsinha sem estar em bagaço, é outra cultura, outro mundo, outro mercado

Ppithan
Veterano
# 14/set/20 18:32
· votar


Bah, show parceiro !!!!

Se não tiver retorno positivo esta semana, de uma assistência, vou procurar ele, com certeza !!!
Valeu MESMO !!!
:-)



Ppithan
Meu mestre

Estou na Roland desde 2011.. e acredito que neste período não houve um contato seu no Suporte técnico o qual fui responsável por uns bons anos...

Acho que a opção mais sensata neste momento é pegar um técnico bem fuçador que encare o desafio.

Mande um email para suporteroland@roland.com.br

Peça que lhe passem o contato do TÉRSIO BARRETO (comentem que eu pedi).

Ele é um técnico bem experiente, que pode tentar uma recuperação na sua placa que está fora de linha há alguns anos.

Abraços


Ppithan
Veterano
# 14/set/20 18:36
· votar


Enfim....

Estou tendo mais retorno AQUI, agora, do que tive por todos os anos de teclado parado !!!!
Muito obrigado pelas respostas, pela consideração e tudo o mais...!

Realmente, não vai adiantar falar mal da Roland, no ocorrido do meu caso.
Se fosse assim, teria que falar mal da Casio, da Yamaha, da Korg, da Technics, etc, etc, etc...

Na verdade, eu tenho é que falar mal do Brasil, mesmo !!!
Porque aqui a coisa parece que não anda direito nunca !

Mesmo assim, tô na fé...!!!
Rsrsrsrsrsrs

VALEU, por enquanto, pessoALL !!!!!
:-)

Ppithan
Veterano
# 17/set/20 16:49
· votar


A Assistência Técnica me retornou...

Cobram R$ 920,00 pra deixar o Juno-D novo, de novo...!!!
Vale a pena ?
Valor é real ou fora de mercado ?

O q vcs acham ?
:-/

André Luiz Keys
Veterano
# ontem às 10:23
· votar


Ppithan

Já é um caminho de esperança né! Muito bom.

Considerando que seu teclado no mercado de usados, deve girar em torno de 1600/1800 a main board é a peça mais cara do teclado normalmente, o valor de peça + mão de obra me parece estar dentro do esperado.

Abs

André Luiz

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Teclados Roland – Roland BR responde