Gibson põe à venda o imóvel da sua famosa fábrica em Memphis/TN

Autor Mensagem
Del-Rei
Veterano
# 01/mai/18 12:19
· votar


A coisa não tá fácil pro lado da Gibson......

https://www.usatoday.com/story/money/2018/05/01/gibson-guitar-chapter- 11-bankruptcy/567821002/

Um aceno de longe!!!

Snakepit
Veterano
# 01/mai/18 14:45
· votar


Alguma empresa asiática comprará. O valor da marca ainda é imensurável.

Del-Rei
Veterano
# 01/mai/18 16:17
· votar


Snakepit
Sem dúvida comprarão.
Espero que alguém com boa visão e bom senso.

http://cultura.estadao.com.br/noticias/musica,fabricante-de-guitarras- gibson-declara-falencia,70002290704

Um aceno de longe!!!

renatocaster
Moderador
# 01/mai/18 22:02
· votar


A tentativa de diversificação da Gibson com sistemas de áudio para o grande público em geral, por meio de sua filial Gibson Innovations, teria resultado nessa situação extrema.

Esta estratégia começou em 2014 com a compra da empresa de entretenimento holandesa Philips por US$ 135 milhões.


Pqp...

JJJ
Veterano
# 02/mai/18 08:42
· votar


renatocaster

Parece até o teu time... botando um monte de dinheiro em coisa errada... hehehe

Snakepit
Veterano
# 02/mai/18 08:53 · Editado por: Snakepit
· votar


renatocaster
Del-Rei
Não foi a Philips. Eles compraram uma empresa da Philips chamada Woox Innovations, o setor audiovisual da Philips. Pior ainda.

A Philips ainda é uma potência, mas acho que está saindo do mercado doméstico (ou já saiu?), por isso não ouvimos mais falar dela.

Meu primeiro "iPod" foi da Philips, o excelente Philips GoGear de 32Gb. Funciona até hoje! Mas a marca soube a hora de sair desse mercado pois a concorrência é avassaladora.

Delson
Veterano
# 02/mai/18 09:35
· votar


Seria mais uma Fake News?
https://www.instagram.com/p/BiPoZfRlORZ/?hl=pt-br&taken-by=petethorngu itarist

Pete Thorn diz que Joe Bonamassa planeja uma aquisição financeira da Gibson.

Que ele é um dos maiores colecionadores do mundo, isso já sabemos, mas será que ele tem tanta "bala na agulha" assim?

Felipe Stathopoulos
Membro Novato
# 02/mai/18 09:43
· votar


Confesso que nem tô ligando muito pra Gibson, exceto pelo fato de que agora que eu não compro nunca mais a minha LP Standard HP, porque quem tem uma dessas vai esperar o preço chegar na lua pra vender...

O fato é que a Gibson vem sendo bem má administrada há muito tempo. Pararam no tempo e agora pagam o preço por insistirem em vender guitarras para milionários em um mundo em que a maioria dos viventes quer apenas um bom instrumento pra tirar som com os amigos e no seu quarto. Tomara que se recuperem, porém acho difícil, e um transe desses não ocorrerá sem traumas para o produto.

No mais, é o capitalismo malvadão funcionando, belo e moral. Quem para no tempo e administra mal seu negócio, paga o preço...

Minha preocupação mesmo é com a Epiphone.

Será que ela vai junto, apesar de ser uma empresa altamente lucrativa para o grupo, e que vende bem mais que a Gibson? Será que eles irão derrubar a qualidade? Irão baixar mais ainda o preço? Irão vender a empresa? Irão "emancipá-la", tornando-a como se fosse uma sua "sucessora"?

JulianoF.
Membro Novato
# 02/mai/18 09:58
· votar


A gibson não vai ser vendida.
Chapter 11 é reorganização financeira, e não liquidação. Basicamente, eles vão continuar operando o "core business" (que são guitarras) e esse chapter 11, é exatamente isso, permitir que eles continuem produzindo e vendendo guitarras Gibson e Epiphone.

O que deve morrer são as outras marcas que estão sob o guarda-chuva da Gibson Brands.

Segundo a wikipedia, a Gibson Brands é dona de :
- Cerwin-Vega
- Epiphone
- Esoteric
- Integra
- Kramer
- Maestro
- Onkyo (16.5%)
- Stanton
- Steinberger
- TEAC Corporation (TASCAM) (54.4%)
- Tobias

Essas marcas que provavelmente serão vendidas, a principio.

Felipe Stathopoulos
Membro Novato
# 02/mai/18 10:05
· votar


JulianoF.

A Steinberger é uma que se beneficiaria enormemente em sair do guarda-chuvas da Gibson... Uma baita guitarra top, brilhantemente projetada, mas que nunca "vingou" por conta de seu preço e distribuição de Gibson (sem falar na falta de propaganda) ou seja, cara e difícil de achar no "quintomundistão"...

Buja
Veterano
# 02/mai/18 10:14
· votar


Outra que achei até que ja tinha morrido a anos, era a Kramer.
Kramer é sinonimo de guitarra de metalero dos anos 80.
Nunca vi vendendo nova em lugar nenhum.

renatocaster
Moderador
# 02/mai/18 10:44
· votar


JJJ

Parece até o teu time... botando um monte de dinheiro em coisa errada... hehehe

Hahaha, é mesmo...

alexsatriani
Membro Novato
# 02/mai/18 18:27
· votar


JulianoF.
A gibson não vai ser vendida.

Isso mesmo brother.
http://musicaemercado.org/gibson-recuperacao-judicial-nao-faliu/

entamoeba
Membro Novato
# 02/mai/18 21:55
· votar


Vazou um áudio do Pedrone dizendo que vai comprar...

Lelo Mig
Membro
# 02/mai/18 22:28
· votar


entamoeba

"Pedrone dizendo que vai comprar.."

Melou...o Kiko tava de sócio na parada mas xingaram a mulher dele e ele resolveu comprar a Fender só pra sacanear.

Gabezorx
Membro Novato
# 03/mai/18 08:46
· votar


Toda essa ladainha tá rolando faz um tempão, Gibson, Guitar Center, etc, e pra mim fica a pergunta:

Que diferença vai fazer para nós mortais que não possuímos nem uma epiphone?

JulianoF.
Membro Novato
# 03/mai/18 08:49
· votar


Tão falando nos foruns gringos que o Joe Bonamassa estava entrando junto com a Gibson na reorganização. Deve ser boataria, mas.. o cara manja de Gibson vintage, poderia ser um bom consultor para as Historic.

MMI
Veterano
# 05/mai/18 22:31 · Editado por: MMI
· votar


JulianoF.
alexsatriani

A gibson não vai ser vendida

Na verdade, já foi vendida. Os acionistas, liderados pelo Henry Juszkiewicz, vão cair fora. No artigo da Música e Mercado, isso tem dedo dos brasileiros ligados à marca, mostra que a Gibson não pode pagar seus compromissos e os fundos estão assumindo. Da mesma forma que o grupo do Jorge Lehmann (Ambev) ao comprar a Budweiser botou gente deles lá dentro estudando o negócio e a gestão, a mesma coisa está acontecendo e haverá uma transição na Gibson.

Neste momento não se sabe o que está acontecendo e o que vai acontecer, é muito cedo. Fato é que agora a empresa teve a era Orville Gibson, Gibson Mandolin-Guitar Manufacturing Co. (uma era Loyd Loar), uma época Ted McCarty, a complicada era Norlin e terminou agora a era Henry Juszkiewicz. Neste momento a empresa já está nas mãos dos fundos que deram o aporte da grana, estão vendo o que é a parte boa e a parte podre (alegadamente é a Phillips, talvez). Dizem que o suíço Uli Behringer, dono da Music Group e da empresa que leva o nome dele, foi sondado para comprar a empresa, mas ainda é cedo pois não se sabe ao certo o que é bom e o que é podre ali. Enfim, neste momento tudo é especulação, apenas que o atual grupo será ressarcido e retirado da direção, novos rumos serão tomados.

Pelos números, tradição, "grife", as guitarras Gibson não morrem tão já. É a parte boa. Claro que aquela planta enorme e em downtown da fábrica de Memphis, por exemplo, não faz sentido. Mas a viabilidade será melhor estudada. O fato que a produção de manufaturados com "trabalho braçal" no primeiro mundo está cada vez mais inviável. Lembro de conversar com um pessoal do Canadá e da California há uns anos, quando Jean Larrivée estava decidindo abandonar a produção de violões no Canadá, por se tornar completamente inviável e não competitivo. Quem não sabe, ele é um dos maiores nomes da luthieria canadense, mestre de nomes como Linda Manzer e William Grit Laskin. A mão de obra e os custos de produção é muito maior no Canadá e EUA do que, por exemplo, no México, China e Indonésia. Resta saber os próximos passos, é tudo especulativo agora. Consta que não é hora ainda de "investir" em guitarras Gibson (?).

Abs

Snakepit
Veterano
# 06/mai/18 00:20
· votar


JulianoF.
Tão falando nos foruns gringos que o Joe Bonamassa estava entrando junto com a Gibson na reorganização. Deve ser boataria, mas.. o cara manja de Gibson vintage, poderia ser um bom consultor para as Historic.

A Gibson tem gente que entende de guitarra, basta saber usar essa mão de obra corretamente.

O problema é achar alguém que entende de negócio. O problema é administrativo.

Lelo Mig
Membro
# 06/mai/18 00:57
· votar


Snakepit

"O problema é administrativo"

Concordo. O Bonamassa pode ser bom músico, guitarrista de respeito, ter uma puta coleção de guitarras, entender de Gibsons vintages e etc... Mas tocar uma empresa é outra coisa.

Del-Rei
Veterano
# 06/mai/18 09:50
· votar


Lelo Mig
Snakepit
Sim. E abaixar um pouco a bola. Não estamos mais nos tempos em que havia só meia dúzia de fabricantes de guitarras. Embora seja uma empresa tradicional, vejo uns preços inflacionados, principalmente pra qualidade que entrega. Talvez, considerar jogar parte da produção pra China e manter as tops nos EUA....

Um aceno de longe!!!

NeoRamza
Veterano
# 06/mai/18 11:18
· votar


Del-Rei
Talvez, considerar jogar parte da produção pra China e manter as tops nos EUA....

Ou para a Coréia, o que manteria uma qualidade mais alta, se brincar melhor do que a qualidade de hoje em dia. Essa inclusive é a estratégia adotada pela PRS.

Junae
Veterano
# 06/mai/18 16:20
· votar


PRS private stock é fabricada na Coréia?

NeoRamza
Veterano
# 06/mai/18 16:48
· votar


Junae
Não. As melhores são USA.

MMI
Veterano
# 06/mai/18 17:19
· votar


Haviam me falado que os números são absolutamente pornográficos olhando da nossa perspectiva terceiro-mundista. Um amigo me mostrou... Está neste artigo o calendário, a transição e a recompensa (3,35 milhões de dólares para o Berryman e 2,1 para o Juszkiewicz, nada mal, né? Isso mais uns quebrados, como até 1,5 milhões pela Teac).

É notório que nos últimos anos a qualidade da Gibson caiu, em especial depois do processo das madeiras e decorrente aumento do preço das madeiras para luthieria em todo mercado mundial. Hoje a Gibson não faz as melhores Les Paul (modelo), muito menos as melhores guitarras, incluindo aí as Custom Shop e reissues, de forma bastante nítida. Mas tem uma história a ser respeitada, tem tem Clapton, Jimmy Page, George Harrison que tocaram com Gibson, tem Bonamassa, Derek Trucks que tocam ainda e encantam o mundo com a guitarra com aquele logotipo. Isso naturalmente tem um valor, razão pela qual ainda é uma marca muito valiosa. A empresa está sendo reestruturada, acho que ainda não é hora de se falar em Gibson asiática. Penso que a chance é grande de persistir uma Custom Shop e linhas boas, com preços mais altos que os atuais inclusive, fazendo guitarras realmente boas. Isso desvalorizaria as atuais, razão pela qual não é hora de comprar para investir. Por outro lado, competir num mercado mais em conta, com um produto americano mais ou menos em que o ponto alto é um logo estampado no headstock é um tiro no pé... O que é bom é que tem boa margem para melhorar o produto, de Epi até Gibson CS.

Wailler
Veterano
# 07/mai/18 19:26
· votar


Hoje a Gibson não faz as melhores Les Paul (modelo), muito menos as melhores guitarras

Estou por fora do mundo da guitarra há alguns anos, então venho perguntar:

Falando de guitarras com produção em linha, porque as Gibson não são as melhores guitarras/Les Paul? Qual seria a marca melhor que a Gibson no ramo de Les Paul/SG?

Pergunto apenas por curiosidade mesmo! Como disse, não venho acompanhando lançamentos, reviews e etc.

Drinho
Veterano
# 07/mai/18 20:43
· votar


Penso que a chance é grande de persistir uma Custom Shop e linhas boas, com preços mais altos que os atuais inclusive, fazendo guitarras realmente boas.

é o que eu faria se fosse o controlador

Delson
Veterano
# 08/mai/18 09:03
· votar


Seria mais uma Fake News?
https://www.instagram.com/p/BiPoZfRlORZ/?hl=pt-br&taken-by=petethorngu itarist


Era fake news mesmo.

Joe Bonamassa desmentiu a notícia no instagram.
https://www.instagram.com/p/BigOGOjnMoh/?taken-by=joebonamassa

Aproveitando pra falar que é aniversário dele e do Robert Johnson.

Luiz_RibeiroSP
Veterano
# 08/mai/18 22:51
· votar


MMI

Hoje a Gibson não faz as melhores Les Paul (modelo), muito menos as melhores guitarras, incluindo aí as Custom Shop e reissues, de forma bastante nítida

Você que manja dos paranauê, se eu quiser comprar uma guitarra do Jaydee que faz replicas de Gibson, é só eu entrar em contato com ele e encomendar ou ele escolher pra quem vai vender?
Li não sei onde que com o Dumble era assim, só vendia pra certo publico seleto
Eu se pudesse compraria uma dessa

MMI
Veterano
# 09/mai/18 10:21
· votar


É hora de um estudo administrativo gerencial, analisar números... Não dá para falar nada agora, ainda mais a gente que não tem acesso aos números. Fato é que do jeito que estava não dá certo.

Wailler, guitarra de linha melhor que a Gibson tem aos montes, dependendo do parâmetro que você analisa: PRS, Suhr, Tom Anderson, Benedetto, Collings, Vigier, Grosh... Depende qual Gibson e qual guitarra você analisa, pode até entrar na conta uma Music Maker, Zaganin. Tudo que os luthiers querem são padrões, uma linha básica. Se considerar isso, pode por de John Page, Ruokangas a Dunamiz.

Fato é que é quase unanimidade que a Gibson diminuiu muito a qualidade nos últimos anos. Mas já fez guitarras excepcionais, sem dúvida, e é de se respeitar muito que já fez. Mas seria fácil deslocar as Studio para o México ou Asia, por exemplo, até as Standard mesmo. Acho que a Custom Shop mais difícil de sair de solo americano - se bem que nem tudo que sai da CS é tão legal, precisava melhorar a qualidade.

Luiz_RibeiroSP, não sei... Nunca me interessei. Tem umas coisas que se vê que tem uma hype enorme, outras eu só acreditaria se pudesse experimentar. Algumas marcas ganham as benesses de algum famoso, outras caem nas graças de algum colecionador que tenta alavancar os preços (lembra da tal Les Paul do fulano israelense? Eu não caio, não é isso não). Uma recente que gostei muito foi do baixo do Marcus Miller, que curtiu uns malucos e fizeram uma linha de baixos com o nome dele, barato, na Coréia.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Gibson põe à venda o imóvel da sua famosa fábrica em Memphis/TN