Trio sonata (Oferenda Musical) de Bach - com guitarras (Makumbator & Die Kunst der Fuge)

Autor Mensagem
makumbator
Veterano
# jun/11 · Editado por: makumbator


Salve galera!


Eu e o usuário Die Kunst der Fuge gravamos juntos uma versão com guitarras do Largo da Trio sontata em dó menor, da Oferenda Musical, de J.S. Bach(BWV 1079).

Essa peça foi originalmente escrita na forma trio sonata, com flauta, violino e contínuo de base. Eu fiz a transcrição das guitarras(e gravei a parte originalmente do violino), editei a parte do cravo(no programa Sibelius 6, usando o VSTi Pianoteq 2.3), gravei o contrabaixo acústico com arco para o contínuo com o cravo e mixei o resultado final. Ele gravou a parte referente à flauta. A realização do cravo foi extraído da edição da Dover de 1992.

Para quem não sabe, no contínuo barroco (base harmônico-rítmica)não se escrevia a execução completa, apenas a linha de baixo com cifras de acordes(mas é cifragem barroca, diferente da moderna, confiram na partitura original).

O executante cria de improviso o acompanhamento da mão direita do cravo(e toca a parte já escrita da linha de baixo), seguindo sua própria criatividade, o estilo da peça e do compositor. Ainda hoje a realização de contínuo é uma matéria importante no estudo de um cravista. A realização que usei foi feita pelo cravista J.P. Kirnberger.

Além de um instrumento harmônico, era costume empregar ao menos um instrumento grave para reforçar a linha de baixo, por isso gravei também o contrabaixo acústico com arco, que toca a mesma linha executada pelo grave do cravo, mas oitava abaixo. Em conjuntos maiores podia-se aumentar ainda mais os membros do contínuo, inserindo cello barroco, tiorba, alaúde, etc.

Observem que não há uma única voz solista. As duas guitarras tem a mesma importância de solo, uma vez que toda a peça é feita em contraponto a duas vozes. Por essa razão, cada uma delas está um pouco deslocada do centro do panorama sonoro, para facilitar a separação espacial. A minha linha(originalmente do violino) está um pouco mais à direita, e a dele(originalmente da flauta) um pouco mais à esquerda.

Ouçam como ao mesmo tempo em que cada melodia faz o solo, ela também acompanha e complementa a outra voz solista, essa é a essência do contraponto: melodias independentes, que se interrelacionam harmônica e melodicamente. Não são meras linhas secundárias de suporte a uma melodia principal, e sim entidades independentes que juntas criam a voz de um solo múltiplo.


Trio sonata(ou sonata trio) foi a forma mais importante do Barroco instrumental, e consistia em 3 linhas instrumentais. Duas delas solistas, e uma terceira para a base(o contínuo). Era comum que ao menos quatro músicos tocassem uma trio sonata, uma vez que o continuo normalmente tinha reforço de mais instrumentistas de base. Normalmente se divide em 4 movimentos(mas algumas vezes havia apenas 3 ou mesmo 5 movimentos).

Quase sempre foram feitas no esquema: lento – rápido -lento –rápido, e boa parte das peças foi escrita para 2 violinos e contínuo. Essa forma musical teve seu ápice nas trio sonatas de Corelli(1681-1694), mas Handel, Purcell e o próprio Bach também escreveram belas trio sonatas.

http://www.youtube.com/watch?v=QctLTdag-RM



Aqui o link do mp3 da peça:

http://www.box.com/s/nkawfp8or4gvne58ewi0

Aqui link da base de cravo e contrabaixo acústico, para quem quiser tocar:

http://www.box.com/s/kta5xs2mhw6jefku6cmo

Aqui link da base de cravo e contrabaixo acústico + guitarra II, para quem quiser tocar apenas guitarra I:

http://www.box.com/s/e0iebmquiyh17n6xcrnu

Aqui link da minha transcrição para guitarras e contínuo(apenas notação tradicional, sem tab):

http://www.box.com/s/j7f1zuaag4ctth8j6j1r

Aqui link da partitura em sua versão original(para flauta e violino):

http://imslp.org/wiki/Musikalisches_Opfer,_BWV_1079_%28Bach,_Johann_Se bastian%29


Equipamentos:

Makumbator:
Guitarra: Jackson DX10 DFS
Pedal: ESI Prodrive II
Encordoamento: Elixir
Cabos: Di Marzio e Planet waves
Amplitube 3 (caixas virtuais e efeitos)

Contrabaixo acústico: Hofner alemão
Arco modelo francês: Márcio Rupf
Encordoamento: Pirastro Obligato e Thomastik Dominant
Mic: Behringer B2-Pro

Cravo: VSTi Pianoteq 2.3 (sampler F.E. Blanchet 1733),
Editado no Sibelius 6

Daw: Cubase 5
Reverb de convolução: Reverence
Interface de áudio: Fast Track Pro


Die Kunst der Fuge:

Guitarra: Condor Les Paul Custom Set Bk
Pedais: Behringer GDI e Behringer Digital Delay 100
Cabos: Santo Angelo
Banquinho para o pé esquerdo: Dolphin.
software: Revalver MK II -> Recabinet Complete 2.0 ->
Simulação de falantes Marshall Vintage, 4x12
Daw: Reaper



A Oferenda musical(Das musikalische Opfer) é uma das obras primas de Bach, e é um conjunto variado de peças para as mais diversas formações, todas baseadas de alguma forma em um tema melódico criado pelo rei Frederico(II), o Grande(1712-1786), monarca da Prússia. Foi composta como resultado de sessões de improviso que Bach e o monarca fizeram em 1747. Frederico, o grande, era flautista, além de ser reconhecidamente um amante da literatura francesa e das artes de uma forma geral. É o que se chamava de "déspota esclarecido".

Aqui um trechinho extraído da Wikipédia sobre a peça:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Oferenda_musical


"A coleção tem sua origem num encontro entre Bach e Frederico II em 7 de maio de 1747. O encontro, que se deu na residência do rei em Potsdam, foi conseqüência do filho de Bach, Carl Philipp Emanuel Bach estar ali trabalhando como músico da corte.

Frederico queria mostrar a Bach uma novidade. O pianoforte foi inventado uns poucos anos antes e o rei tinha esse instrumento experimental, alegadamente o primeiro que Bach viu.

Bach, que era bem conhecido por seu talento na arte da improvisação, recebeu um tema, o Thema Regium ("tema do rei"), para improvisar uma fuga.

Segundo Gaines,a proposta de Frederico, na realidade era para humilhar o velho Bach, pois o tema fornecido fora construído de tal forma que imaginava-se impossível aplicar a ele as regras da polifonia(por ser muito cromático).

Inicialmente Frederico ordenou que Bach improvisasse sobre o tema uma fuga a três vozes, o que para espanto do Rei e admiração de todos os presentes Bach fez de imediato, segundo noticiado. Insatisfeito o Rei mandou que ele, desta feita, improvisasse uma fuga a seis vozes, uma tarefa considerada impossível por todos, inclusive os músicos do Rei, os melhores e os mais competentes da época.

Bach, que então contava com 62 anos, e que mal chegara de viagem e fora convocado ao palácio sem ter tido tempo de descansar, se desculpou alegando exaustão da viagem, e em 15 dias mandou para o Rei sua resposta ao desafio na forma da Oferenda Musical.

Que Bach, aparentemente entendeu o objetivo escuso por trás da proposta do Rei é mais ou menos evidente (embora não possa ser provado) pelo nome que ele deu ao conjunto de peças, já que em alemão Opfer não significa apenas Oferenda, mas também pode significar uma oferta de uma vítima em sacrifício."


Espero que gostem! E desculpem o texto imenso, mas o Bach merece!

Stalingrado
Veterano
# jun/11
· votar


makumbator
Muito bonito, meus queridos!
Trabalho sensacional. Vocês devem se unir pra fazer mais disso e apresentar boa música erudita pra galera aqui. Eu mesmo sou muito leigo nesse sentido, mas apreciei bastante essa obra.

Gande abraço!

Die Kunst der Fuge
Veterano
# jun/11
· votar


makumbator

Enfim saiu a nossa tão aguardada (por mim, pelo menos ahaha) colaboração!
Só tenho a te parabenizar pelo seu trabalho na construção da BT e das partituras, além da mixagem, que ficou excelente! Parece até que eu tô tocando melhor depois da sua mixagem ehehehe.

Isso sem contar na sua execução, que eu nem vou ficar elogiando porque seria chover no molhado.

No mais eu gostaria de agradecer pela oportunidade, gostei muito de participar desta gravação e gostei também do resultado final, sem contar que pra mim é uma honra, tanto tocar a música do J.S. Bach, quanto tocar com um dos meus ídolos da guitarra!

Adorei também o seu texto, bem interessante e toca em pontos importantes.
Sobre a história da oferenda musical, que Rei safado esse, hein? Queria porque queria constranger o Bach, onde já se viu mandar o cara improvisar uma Fuga a 6 vozes? E ainda com um tema daqueles hehehehe
Pelo menos isso resultou num excelente conjunto de peças maravilhosas, incluíndo a grande "Ricercare a 6".

Se algum dia eu for banido já sei com qual nick voltar: Das musikalische Opfer.

Abração ae, mestre!

Arimoxinga
Veterano
# jun/11 · Editado por: Arimoxinga
· votar


Die Kunst der Fuge

tinha falado sobre tua pegada ser parecida com a do makumbator e agora não resta duvidas são bem semelhantes e ótimas para o estilo! ótimo trabalho!

makumbator

cara que ótima aula tu passou no teu texto! seria interessante fazer mais coisas desse tipo juntamente com a música. tu poderia me indicar um bom exercicio de contra ponto mesmo que seja só para percepção auditiva coisa bem iniciativa mesmo!?







Bom ao som, ficou muito bom gostoso de ouvir muito bem mixado ficou perfeito em todos sentidos.


Peace!!!

makumbator
Veterano
# jun/11 · Editado por: makumbator
· votar


Stalingrado

Opa! Cumpadi! Obrigado por ouvir e comentar. Fico feliz que tenha gostado.

P.S. E nosso DT?

Die Kunst der Fuge

Agradeço de coração as palavras! E saiba que também gostei muito da sua colaboração na gravação. Nada melhor do que pessoas diferentes para fazer peças com solos em contraponto, pois acaba dando o toque pessoal de cada um. Gostei tanto que repetiremos a dose no futuro!

que Rei safado esse, hein? Queria porque queria constranger o Bach,

Esse tipo de coisa era comum no trato de nobres com os artistas. Muitos pensavam que por serem da nobreza, necessariamente eram mais versados em qualquer assunto que um plebeu(mesmo que o plebeu em questão fosse um mestre na área). Esses joguinhos com pequenas humilhações eram vistas como diversão pelos monarcas...

Mas apesar desse tipo de comportamento, o Frederico II era comprovadamente um grande mecenas, e sem dúvida a arte cresceu bastante no seu reino após ele assumir o trono(principalmente pelo fato de seu pai, o antigo rei, odiar arte, e não ter feito quase nada por ela).



Se algum dia eu for banido já sei com qual nick voltar: Das musikalische Opfer.

Hashashhsa!

Arimoxinga

Valeu amigo! Acho legal mostrar algo do histórico da peça, do estilo musical em questão, etc...
E como sempre, está disponível material para quem quiser tocar também(ou simplesmente ter mais uma base para solar)

Agradeço os elogios!

silvG8
Veterano
# jun/11
· votar


makumbator
Putz, bom de mais!! Nem tenho o que falar. Está tudo MUITO bom!!

As guitarras estão muito bem gravadas, o cravo é praticamente real na mixagem(talvez falte um pouco de impacto, mas eu sei que é VST), muito sincronismo, parece até que gravaram os dois juntos.

Que bom que comecei a visitar o fórum de guitarra! =D

Não dá pra cansar de Bach né?! Realmente é uma obra muito bonita, e a versão de vocês ficou muito boa!!

Continuem com o trabalho!!!! Estou gostando muito de ouvir esse tipo de gravação.

Valeu!

silvG8
Veterano
# jun/11
· votar


makumbator
Die Kunst der Fuge
[OFF]
Mais uma coisa... vocês poderiam me indicar alguma coisa de Bach para piano que seja muito bonita e não tão simples? Deu até vontade de aprender alguma coisa, mas não conheço peças muito diferentes das famosas.
Eu até gosto de Bach, mas no piano acho que perde um pouco desse brilho que vocês mostraram... já no cravo e no órgão........ sem comentários.

Valeu!

theblackstrat
Veterano
# jun/11
· votar


sinistrooo..
voces realmente tocam..heheh
gravem malmsteen ae pra nóis!
parabéns pra voces 2!

makumbator
Veterano
# jun/11 · Editado por: makumbator
· votar


silvG8
Putz, bom de mais!! Nem tenho o que falar. Está tudo MUITO bom!!

Muito obrigado!

o cravo é praticamente real na mixagem(talvez falte um pouco de impacto, mas eu sei que é VST)

O VSTi pianoteq para mim é o que faz melhor o cravo(e existem poucas opções para o instrumento, infelizmente, pois é um dos meus preferidos). O legal é que na versão 2.3 há 2 modelos diferentes de cravos, e com registros diferentes. Esse que usei é menos brilhante deles.



Não dá pra cansar de Bach né?!

Eu nunca me canso dele! Prefiro Bach mal tocado que muito compositor por aí! Hhehehe!

vocês poderiam me indicar alguma coisa de Bach para piano que seja muito bonita e não tão simples?

Bem, não sei o que vc considera como "não tão simples". Mas fugindo das peças mais famosas(cravo bem temperado, variações Goldberg, concerto para 4 cravos e cordas, etc...), há muita coisa boa para teclas por aí:

Concerto italiano para cravo solo - BWV 791
esse eu até gravei o segundo movimento com 2 guitarras:

http://forum.cifraclub.com.br/forum/3/165188/

Concerto para cravo e cordas em ré menor - BWV 1052
Concerto para cravo e cordas em mi maior - BWV 1053
6 Partitas para cravo (Clavierübung parte I)
Suítes inglesas e as suítes francesas (aparentemente, as inglesas são um pouco mais dificeis que as francesas, segundo muita gente)


Uma peça isolada, mas adorável e belíssima, é o Capricho em Bb para cravo(por ocasião da partita de um irmão querido) - BWV 992

Aqui a partitura:

http://imslp.org/wiki/Capriccio_in_B-flat_major,_BWV_992_%28Bach,_Joha nn_Sebastian%29

Mas saindo um pouco de Bach, recomendo as sonatas do Scarlatti, que ficam muito bonitas tanto no piano quanto no cravo. Claro que a dificuldade de cada uma delas varia bastante.


theblackstrat

Valeu por ouvir comentar cara! Agradeço os elogios!

ogner
Veterano
# jun/11
· votar


makumbator
Die Kunst der Fuge

Woou....Ficou bem bacana!!! Mandaram benzão!!
Parabéns!!

Abços!

Nao li o texto ainda, heheheh!!! Mas que instrumentos fazem originalmente as 2 guitarras gravadas??

E vcs gravaram as guitarras numa tacada só?!?! Não né?!

makumbator
Veterano
# jun/11
· votar


ogner

Woou....Ficou bem bacana!!! Mandaram benzão!!
Parabéns!!


E aí camarada? Legal que curtiu! Valeu!

Mas que instrumentos fazem originalmente as 2 guitarras gravadas??

Eu faço o violino(guitarra mais para a direita) e ele faz a flauta (guitarra mais para a esquerda)

E vcs gravaram as guitarras numa tacada só?!?! Não né?!

Vc diz em um take só? Sem emendas? Bem, eu gravei direto, do começo ao fim. Mas não é tão difícil(dá uma olhada na partitura que vc vai perceber), até por ter umas pausas de "repouso" ...heheheh!

overlappingcircles
Veterano
# jun/11
· votar


makumbator
Die Kunst der Fuge
que show!! me inspiraram!!alem da composicao ser lindissima a interpretacao e arranjo me deixou com um gostinho de "quero mais!!"
Parabens a ambos.

tomcykman
Veterano
# jun/11
· votar


makumbator
Die Kunst der Fuge

meus parabéns aos dois! a mixagem está excelente e a execução linda! os timbres também, muito bons. gostei de ouvir do começo ao fim, ficou realmente muito bom!!

abraços e façam mais!

Pepe Le P
Veterano
# jun/11 · Editado por: Pepe Le P
· votar


makumbator
Die Kunst der Fuge

Parabéns! Bela obra primorosamente executada!

De Ros
Veterano
# jun/11
· votar


makumbator
Die Kunst der Fuge


Parabéns aos dois! Ideia e execução primorosas!!
Além de uma linda peça, ainda ganhei de presente uma pequena aula de história da música!

"Típico tópico atípico"* que me faz ter gosto de frequentar o FCC!!!




*repitam isso três vezes rápido! Quase tão bom quanto três pratos de trigo para tres tigres tristes!

ohm777
Veterano
# jun/11
· votar


makumbator
Die Kunst der Fuge

Mandaram muito bem, como o De Ros falou, tópicos como esse que fazem valer a pena o FCC...

A execução está ótima, o arranjo e mixagem também, eu apenas colocaria um pouco menos de pan.

Parabéns aos dois!

axleWs
Veterano
# jun/11 · Editado por: axleWs
· votar


ouvirei mais tarde em casa, ansioso...

Die Kunst der Fuge:

Guitarra: Condor Les Paul Custom Set Bk


agora me deu uma certa desconfiança.... será será? música erudita, bach, condor bk...

Die Kunst der Fuge
Veterano
# jun/11 · Editado por: Die Kunst der Fuge
· votar


Stalingrado

Valeu, grande Ruan!
Fico feliz que tenha gostado. Também foi um bom aprendizado pra mim fazer este som.

Arimoxinga
tinha falado sobre tua pegada ser parecida com a do makumbator e agora não resta duvidas são bem semelhantes e ótimas para o estilo! ótimo trabalho!

Ahahaha Isso é que é elogio :)
Fico muito feliz pelas palavras, brigadão.

makumbator
Agradeço de coração as palavras! E saiba que também gostei muito da sua colaboração na gravação. Nada melhor do que pessoas diferentes para fazer peças com solos em contraponto, pois acaba dando o toque pessoal de cada um. Gostei tanto que repetiremos a dose no futuro!

Valeu, mestre!!!
Num futuro não muito distante ehehehe

silvG8

Olha o meu amigo das teclas marcando presença mais uma vez!
Fico muito feliz que você tenha gostado! Bach é 10! \o\

Mais uma coisa... vocês poderiam me indicar alguma coisa de Bach para piano que seja muito bonita e não tão simples?

O makumbator já indicou algumas, eu indicaria pra você a Fuga BWV 544, em B menor. É para órgão, mas tem uma transcrição para piano do Liszt que é muito boa. Acho esta fuga excelente, ela tem partes fofinhas e partes porradas! Bato cabeça ouvindo até ehehehe

Do mesmo conjunto de trabalhos (6 prelúdios e fugas para órgão), eu indicaria também a Fuga BWV 548, em E menor. Esta tem uma sonoridade que eu acho meio atípica, em comparação com o Bach, acho muito legal.

Eu até gosto de Bach, mas no piano acho que perde um pouco desse brilho que vocês mostraram...

Sim, depende da interpretação do cara, né? Sei que é bem famoso, mas acho que este brilho está presente no piano do Glenn Gould.

theblackstrat
sinistrooo..
voces realmente tocam..heheh


Valeu, rapá!

gravem malmsteen ae pra nóis!

Ahahahaha Pra isso já tem gente mais especializada por ae no fórum, o Sidguitar, por exemplo.

Die Kunst der Fuge
Veterano
# jun/11
· votar


ogner

Valeu Óggy!!! Brigadão por comentar, fico feliz que tu tenha gostado!

E vcs gravaram as guitarras numa tacada só?!?! Não né?!

Eu gravei em um take só também, mas a minha teve uma nota errada ehehehe
Mas fiquei uma semana inteira pra memorizar a música, acho que nunca mais esqueço... ou não.

overlappingcircles

Bach é sempre inspirador! /o/
Valeu, mestre, fico muito feliz que você tenha gostado :)

tomcykman

Brigadão, cara!
Valeu por marcar presença mais uma vez!
Fico feliz que você tenha gostado do começo ao fim ehehe :)

Pepe Le P

Valeeeu! \o\
Que bom que gostou :)

De Ros

Brigadão, mestre! Fico feliz que tenha gostado!
Essa vai pro mp3? *chato* ehehehe

"Típico tópico atípico"*

Eita, mal consegui falar isso uma vez rápido...

ohm777
Valeu ohm! Feliz que você tenha gostado! Brigadão.

A execução está ótima, o arranjo e mixagem também, eu apenas colocaria um pouco menos de pan.

Bem, o Pan é legal pra reproduzir a distribuição dos instrumentos num palco de concerto, fica assim mesmo quando você ouve.

axleWs

Será, será, será? :)

Bigtransa
Veterano
# jun/11
· votar


makumbator
Die Kunst der Fuge
Que belo desempenho! achei a peça muito bonita e a versão de vcs sensacional.... tb gostei muito dos textos do makumbator.... abraços aos 2....

Natis
Veterano
# jun/11
· votar


Agoraaaa eu fiquei com medoo a cinco minutos atrás eu estava ao piano tentando tocar exatamente essa música,aí eu ligo meu pc eu vejo esse tópico(OH COINCIDÊNCIA)!

pulando esse fato ficouuuu muito legal essa versão!

makumbator
Veterano
# jun/11
· votar


overlappingcircles
tomcykman
Pepe Le P
ohm777
Bigtransa

Muito obrigado pessoal! Fico feliz que tenham gostado!
Com certeza escrevi demais na primeira postagem(como sempre), mas fazer o que? Hhsahsahsah!

overlappingcircles

me deixou com um gostinho de "quero mais!!"

Haverá mais!! Hhehe!

axleWs

Ouviu? Gostou? Odiou? Marromeno? Hheheheh!
Nos deixe suas impressões, sejam elas quais forem!

Valeu!

Arimoxinga

esqueci de comentar contigo sobre material de contraponto.

Há muitos livros sobre o assunto, alguns com vários séculos de tradição. Mas o meu preferido é o um bem recente(e brasileiro). Gosto dele por ter uma base teórica forte(muitos são meras coleções de exercícios), além de uma parte introdutória sobre tema e motivo.

Aqui a obra:

Contraponto, uma arte de compor, de Lívio Tragtenberg, editora Edusp



Mas se vc quiser algo totalmente prático do começo ao fim, aqui está:

Exercícios preliminares em contraponto, de Arnold Schoenberg, editora Via Lettera


O do Schoenberg vc acha escaneado pela web, o do Tragtenberg nunva vi em PDF por aí, mas pode ser que encontre também.

De Ros

Obrigado amigo! Sua opinião é muito importante para mim, pois vc sabe que eu sou seu fã há anos!

*repitam isso três vezes rápido! Quase tão bom quanto três pratos de trigo para tres tigres tristes!

Hashshasah! Trava língua!


Natis

"Transmimento de pensação"? Hhashashsa! Bate na madeira!!!!
Obrigado por ouvir e comentar! Agradeço os elogios!

Gilberto Juba
Veterano
# jun/11
· votar


makumbator
Die Kunst der Fuge

Fantástico!!! Merece um registro em vídeo!!! Bonito demais!!! Parabéns!!!

MauricioBahia
Moderador
# jun/11 · Editado por: MauricioBahia
· votar


makumbator
Die Kunst der Fuge

Estou ouvindo com muita atenção e carinho! :) Uma coisa que detectei de cara é a presença enfática das duas guitarras o que me causou um certo conflito. As duas estão com timbres muito similares. Talvez um toque de ambiência soasse melhor pra mim. Eu deixaria uma em segundo plano. Enfim ficou uma "conversa" tensa. Se essa foi a ideia, está perfeito.

O fato é que, independente de qq coisa, está genial!

Parabéns mestres!

Abs

ps. sendo mais preciso, acho que o panorama, no geral, poderia ficar melhor.

makumbator
Veterano
# jun/11 · Editado por: makumbator
· votar


MauricioBahia
Eu deixaria uma em segundo plano. Enfim ficou uma "conversa" tensa. Se essa foi a ideia, está perfeito.

Mas não pode ficar em segundo plano! Lembre-se que isso é música polifônica! Não tem uma melodia principal, as duas são IGUALMENTE principais. E olha que são só duas vozes hein? Se fosse uma fuga a 4 ou 5 vozes(muito comuns no barroco) teríamos ainda mais vozes igualmente principais(nesses casos, até o baixo tem a função de melodia de frente quando faz o motivo em contraponto, ao mesmo tempo em que faz a base).

Claro que caso os timbres fossem mais diferentes, a espacialização seria mais fácil, entretanto, podemos lembrar que a maioria esmagadora do repertório de teclas do barroco é contrapontística, e todas essas vozes se executam no mesmo instrumento(logo, com o mesmo timbre, e todas saindo da mesma fonte sonora).

É que a maioria das pessoas não está acostumada a ouvir música com trama polifônica, em virtude da "ditadura" da melodia única que temos na música há algum tempo(e não apenas na música chamada de popular). O resultado disso, é que atualmente qualquer contraponto(mesmo a duas vozes) é ouvido como confusão sonora.


Mas é isso que eu gosto em contraponto, a sonoridade multifacetada que os instrumentos causam, e as interrelações entre as vozes(que para mim é mais belo que apenas uma delas se destacando)


O fato é que, independente de qq coisa, está genial!

Parabéns mestres!



Obrigado cumpadi! Agradeço por ouvir e comentar suas impressões.

ps. sendo mais preciso, acho que o panorama, no geral, poderia ficar melhor.

Sim, eu pensei mesmo em separar mais no pan as guitarras(até conversamos isso antes de lançar), mas se as jogasse por exemplo 100% para cada lado(elas estão em 55)poderia reduzir o efeito de "intrincamento" entre as linhas, uma vez que elas DEVEM conseguir se relacionar no mesmo plano sonoro.

Gilberto Juba
Fantástico!!! Merece um registro em vídeo!!! Bonito demais!!! Parabéns!!!

E aí camarada? Pensamos em vídeo mesmo, quem sabe mais para frente?

Valeu!

axleWs
Veterano
# jun/11
· votar


makumbator
Die Kunst der Fuge
ahh seus putos, se vocês e o De Ros fizerem que eu goste de música clássica eu vou matar vocês.

SENSACIONAL a bagaça

timbres PERFEITOS, pegada PERFEITA, levada muito boa

minha única crítica é: vcs deixam a galera baixar uma obra prima dessa? PQP ! ! ! !

Die Kunst der Fuge
ahh seu danado. seu rastro de LP.. uiahsduihsaid

abraços e parabéns.

TG Aoshi
Veterano
# jun/11 · Editado por: TG Aoshi
· votar


Die Kunst der Fuge
makumbator
Como esperava, gostei pra caramba! Excelente!

A qualidade da mixagem também! Me chamou muita atenção a presença do baixo, deu um peso especial na peça!

makumbator
MauricioBahia
Claro que caso os timbres fossem mais diferentes, a espacialização seria mais fácil, entretanto, podemos lembrar que a maioria esmagadora do repertório de teclas do barroco é contrapontística, e todas essas vozes se executam no mesmo instrumento(logo, com o mesmo timbre, e todas saindo da mesma fonte sonora).

Ressaltando um pouco o seu comentário sobre os instrumentos de tecla, acho que, no máximo, o que poderia ter sido feito é ter utilizado um timbre que valorizasse mais as variações de articulação, dinâmica e timbre próprio de vocês. Mas pra mim tá excelente assim, não precisa de mudanças.

Mas vou ter que discordar um pouco sobre o comentário das teclas, pelo menos no caso do piano, apesar de ser um caso especial. Pode até ser sutil pra um ouvinte desacostumado, ou leigo, mas o piano dispõe de um imenso leque de variações (articulação, dinâmica, cores e até timbre) que é muito mais que suficiente pra fazer diferenciações e dar destaque as vozes, sejam quantas forem.

Insomniac_
Veterano
# jun/11
· votar


Muito bacanaudo! Guitarras com timbre lindo!

makumbator
Veterano
# jun/11
· votar


TG Aoshi
Mas vou ter que discordar um pouco sobre o comentário das teclas, pelo menos no caso do piano, apesar de ser um caso especial. Pode até ser sutil pra um ouvinte desacostumado, ou leigo, mas o piano dispõe de um imenso leque de variações (articulação, dinâmica, cores e até timbre) que é muito mais que suficiente pra fazer diferenciações e dar destaque as vozes, sejam quantas forem.

Ah sim! Concordo com sua retificação! Quando disse "mesmo timbre" estava me referindo à diferença que instrumentos diversos causam, mas obviamente, dentro do mesmo instrumento sempre se pode obter variações timbrísticas(principalmente no piano, em que isso é muito grande).

Mas realmente no cravo,(usando-se o mesmo registro), a variação é bem menor que no pianoforte (que é um instrumento criado apenas no finalzinho do barroco e que só se firmou no rococó, e mesmo assim sem a exuberância de matizes que se desenvolveu depois). Mas ainda assim sempre se pode(e se deve) mostrar cada voz de maneira mais articulada possível, independente do instrumento em questão.

Como esperava, gostei pra caramba! Excelente!

A qualidade da mixagem também! Me chamou muita atenção a presença do baixo, deu um peso especial na peça!


Opa! Agradeço os elogios! Realmente o contrabaixo dá um toque a mais. Agradeço os demais comentários também! Obrigado!

axleWs


Então o senhor acabou ouvindo e comentando, hein? Hhahhsahsa!

Valeu cara!

Insomniac_


Muito obrigado amigo!

MauricioBahia
Moderador
# jun/11 · Editado por: MauricioBahia
· votar


makumbator: É que a maioria das pessoas não está acostumada a ouvir música com trama polifônica, em virtude da "ditadura" da melodia única que temos na música há algum tempo(e não apenas na música chamada de popular). O resultado disso, é que atualmente qualquer contraponto(mesmo a duas vozes) é ouvido como confusão sonora.

Você tramou isso tudo com o Die Kunst der Fuge só pra me confundir! Seus covardes...

Abraços! :)

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Trio sonata (Oferenda Musical) de Bach - com guitarras (Makumbator & Die Kunst der Fuge)