Vale investir em um RIBBON para tocar ao vivo?

Autor Mensagem
Ismah
Veterano
# jan/15


Me fizeram essa pergunta hoje. A ideia é microfonar uma Marshall1960A.

Sabe-se que é uma pequena fortuna um mic desses, e ele tem uma razoável sensibilidade. Encontrei kits da AUSTIN que me chamaram a atenção - até porque eu quero um desses pra estúdio.

esdras_63
Veterano
# jan/15
· votar


Ao vivo não consegue um bom som só com sm57?

Ismah
Veterano
# jan/15
· votar


esdras_63

A ideia é um "hanging" com um ribbon, pra diferenciar mesmo... e ter um som melhor...

Não é pra mim, mas eu também não sou lá fã do SM57, prefiro o e609 ou e906 ma$$$$$...

esdras_63
Veterano
# jan/15
· votar


Ismah
Pois é. Isso é muito relativo. Tem que ver se o Ribbon vai aguentar a pancada de som (eu não entendo muito mas tem nas especificações a quantidade de som que aguenta) e se vai ter o som que teu amigo quer. Se der tudo certo, por que não? Pra mim o sm57 já da conta hahaha, mas é legal variar sim

Ismah
Veterano
# jan/15
· votar


esdras_63

É esse meu medo kkk

RafaelBernatto
Veterano
# jan/15
· votar


Ismah

Talvez procurar um que tenha uma chave de atenuação...

Ou um bichinho desses:
http://www.sontronics.com/stpadphase.htm

MMI
Veterano
# jan/15
· votar


Ismah

Vale investir em um RIBBON para tocar ao vivo?

Cada um decide o que "vale a pena", é muito relativo. Depende da aplicação, mas não curto muito o SM57 também (para gravação). A maioria dos ribbons aguentam o volume sonoro de uma 4x12 tranquilamente e com sobras, então falar em atenuação para este tipo de microfone é bobagem, não precisa. Ele não aguenta a estrada, o que é bem diferente, é delicado demais, caiu quebrou.

Em resumo: são excelentes, amplificadores ficam ótimos neles, com graves mais fortes e definidos, o que eu gosto e alguns estilos são fundamentais. Eu não levaria um desses para palcos e turnês, para isso um condensador de diafragma grande é muito melhor.

Obs.: um ribbon precisa quase sempre de um bom pré, o que nem sempre se encontra na estrada.

Ismah
Veterano
# jan/15
· votar


RafaelBernatto

De nada me serve uma chave de atenuação se a cápsula está clipando (o que deve ser BEM difícil de acontecer). Valeu a dica filho!

MMI

Fora essa parte do "caiu, quebrou", crê que ele aguente as trepidações e solavancos da estrada (literalmente)?

Quanto ao pré, viajam com a mesa de som, e o pré para o ribbon, seria parte do pacote.

MMI
Veterano
# jan/15
· votar


Ismah

Não são tão absurdamente frágeis, mas solavancos podem estragar a fita sim. Eu não compraria um para isso. Mas na década de 50, 60 eram muito comuns e faziam turnês com esses mics.

Ismah
Veterano
# jan/15
· votar


MMI

Para voz?

Fernando
Veterano
# jan/15
· votar


MMI
Depende da aplicação, mas não curto muito o SM57 também (para gravação)

Por que não curte o SM57, MMI? Quais mics prefere e por quê?

Abs!

RafaelBernatto
Veterano
# jan/15
· votar


Ismah

Sim sim... o Esdras que falou na sensibilidade do mic.. E na "porrada" que ele aguenta... Confundi.. :)

Ismah
Veterano
# jan/15
· votar


Fernando

Pelo mesmo motivo provável que 90% dos demais: falta de graves.

Os Sennheiser MD421, MD441, e906 e e609, são os queridinhos. O SM7 é pouco conhecido, mas com captação exímia nos graves.

Iversonfr
Veterano
# jan/15
· votar


Ismah

Cara, você tem o E906 e não está satisfeito com ele? Nossa eu curto bastante ele viu. Sei que é óbvio, mas não conseguiu nem tirando da frente do cone e nem com o switch que ele tem ?

Depois desses mics na minha opinião seria os Royer 121 da vida. Ele tem um aumento na região de 60-70hz onde a maioria dos mics corta. To falando isso só pq vi no gráfico dele uma vez que fui pesquisar pq tanta gente usa lá fora. Nunca toquei com um mas sei lá, vai que você ta com grana! rs

Ismah
Veterano
# jan/15
· votar


Iversonfr

Mais uma vez, não é pra mim. É precisamente, pro guitarra da banda que sou roadie. Ele encarnou no ribbon e eu quero ter certeza que não vou apoiar uma cagada.

Mas não tenho o Sennheiser - igualmente ele não iria pra estrada. O custo é alto, para a pouca diferença.

MMI
Veterano
# jan/15 · Editado por: MMI
· votar


Ismah

Para voz?

A primeira patente de microfone foi de Thomas Edison, para telefone em 1877. A patente do primeiro condensador é de 1916, depois veio o dinâmico ("moving coil") em 1923 e foram para a rádio BBC, logo depois os ribbon (no mesmo ano até) e por último os shotgun em 1963. Os microfones mais vendidos da história, o SM-57 e SM-58 são de 1966 e para mim são excelentes para palcos, mas curiosamente SM significa "Studio Microphone".

Para a gente vale falar de microfones para amplificação, quando apareceram as válvulas, isso lá para 1930. O primeiro ribbon fabricado em escala, fizeram uns 50, foi o RCA PB-31 (criado em 1931). Em 1932 New York ganhou de John Rockfeller em parceria com a Radio Corporation of America (RCA) o Radio City Music Hall, feito de alumínio, ouro, vidro, mármore, elevadores hidráulicos para ser um palco moderno e importante mundialmente, "por ter maior clareza e realismo que qualquer condensador da época", instalaram 40 microfones PB-31 pelo palco para microfonação de todos espetáculos feitos lá. Ficaram até 1980 quando reformaram e trocaram o sistema de som. por lá passaram peças de teatro, cinema, corais, orquestras, bandas e artistas como Sinatra, Ella fitzgerald, John Denver, Itzhak Perlman, Jose Carreras, Ray Charles, BB King etc. Quase todos usaram os PB-31.

Elvis Presley usou muito o Shure 55 (dinâmico), mas também usou uns ribbon RCA. Bing Crosby (é um exemplo de como soa um ribbon) e Frank Sinatra usaram também para voz. Era um microfone mais caro já naquela época e nem todos shows podiam ser feitos com eles, muitos eram com dinâmicos.

Um dos mais históricos ribbon mics é o RCA 44. Acho que só de olhar a cara dele você vai notar que já viu em shows e filmes antigos, talvez até em desenhos animados. O RCA 44 foi o ribbon de custo reduzido, sucessor do RCA 77, e foi um sucesso comercial em radios e estúdios. Ele tinha uma chave seletora (que atuava no transformador) onde tinha "V", para voz, e "M" para música de forma geral. Basicamente atenuava as frequências baixas no modo V. Ou seja, um microfone desenhado para instrumentos e voz, muitos guitarristas de jazz ainda usam esse mic em estúdio.

Em resumo, os ribbons foram uma versão mais cara de microfones, mas a mais fina tecnologia de captação de uma época. Usaram muito em rádios, estúdios, entrevistas, eventualmente palcos para as mais variadas aplicações, até para fotos de capas de discos.

Os gambiarreiros do fórum vão gostar de saber que é um mic que dá para fazer um homemade...

Obs.: para o guitarrista da banda, no seu caso... Isso tá parecendo que vai dar m... O bicho vai quebrar e ele vai ficar puto! rs

Lelo Mig
Membro
# jan/15
· votar


Ismah

Não usaria... pelos mesmo motivos já citados pelo MMI.

E por mais um (que adiciono aqui, por ter certa experiência com sonorização em palcos):

Eles fazem toda diferença num studio, ambiente controlado, mas ao vivo, dependendo das condições e equipos essa "melhora" não será significativa. Então o custo x benefício passa a ser de alto risco, porque eles são delicados e caros.

Ribbon bom = Ribbon caro!

Ismah
Veterano
# jan/15 · Editado por: Ismah
· votar


Não achei que ia render tanto.

MMI

Exímia contribuição. Na prática, tirou muitas dúvidas que eu mesmo tinha.

Não mencionou os de cristal.

O melhor foi esse redirecionamento.

Lelo Mig

O cara de fato é meio chegado a essas experiências. Vem de umas mais antigas famílias da região, não me surpreenderia se ele já tivesse um em mãos que veio como herança.

MMI
Veterano
# jan/15 · Editado por: MMI
· votar


Fernando

Por que não curte o SM57, MMI? Quais mics prefere e por quê?

Como já falaram sobre o SM-57, falta de graves e um brilho que às vezes incomoda. Só que acontece dele ser perfeito para algumas situações, especialmente guitarras e caixas de bateria....

O microfone que eu prefiro é uma pergunta muito genérica, depende da situação. Pode ser um condensador grande, um condensador pequeno, um ribbon ou uma mistura deles - não falo de shotgun porque não faço cinema e palcos.

Para o guitarrista em questão, diria para ele gravar em estúdio com ribbon se é que ele gostou, mas levar para a estrada condensadores de diafragma grande para o som ficar próximo, pode experimentar o MD421.

Meus mics de casa são Neumann TLM-103 e KM-184, Royer R121, Shure SM57 e AKG D770, me viro com isso. Outros como o Neumann U-47, U-67, U-87, KM84, AKG C414 etc. são muito bons, mas se tiver no estúdio. Um amigo gringo que é produtor está apaixonado pelo sE Rupert Neve Mic (um ribbon!!!!) para guitarras. Falando nessa marca, tenho usado em casa um sE Reflexion Filter, ajuda! Mas a diferença entre um Neumann U-47 e um Behringer C-1 é menor que a diferença de estúdios e técnicos. Se o cara não tem ambiente e conhecimento, de nada adianta um mic de 10 mil dólares - já gravei uma vez com 4 canais, 3 mics desse porte e um cabo em linha (porque eu pedi, por não ter sentido confiança nos técnicos e produtores), no final na mix se usou o sinal em linha porque os mics saíram uma droga...

MMI
Veterano
# jan/15
· votar


Lelo Mig

Eles fazem toda diferença num studio, ambiente controlado, mas ao vivo, dependendo das condições e equipos essa "melhora" não será significativa. Então o custo x benefício passa a ser de alto risco, porque eles são delicados e caros.

Exato, esqueci de comentar. Quase todo ribbon é com padrão figura 8, pela própria construção. Com um ribbon você terá um microfone aberto e apontado para algum lugar da platéia ou palco. Tem que lidar com isso e nunca vai ser uma boa ideia.

Ismah
Veterano
# jan/15
· votar


MMI

Sempre serão figura 8 os ribbon?

MMI
Veterano
# jan/15
· votar


Ismah

Sempre serão figura 8 os ribbon?

Obrigatoriamente, dada a construção da cápsula - dá uma olhada no vídeo do DIY que você entende, a fita vai captar o som de frente e de trás. Alguns, como os Royer, até tem uma curva de frequências um pouco diferentes, então você pode usar de frente ou de costas dependendo do tipo de som que quer captar.

Existem o Beyerdynamic AMS TG V90R TG V90r Cardioid Ribbon (que talvez seria a melhor resposta para a sua pergunta do tópico) e os Silvia Classic SC-5C, baseado no antigo RCA BK-5, todos cardióides. Na verdade são com um lado da cápsula figura 8 isolada com metal, de forma que o som de trás não atinja. Só conheço de ler e ouvir falar, nunca usei ou conheci alguém falando que usa.

Ismah
Veterano
# jan/15
· votar


MMI

Vi a uns tempos, na loja que frequento, um com chave figura 8/cardióide. Mas poderia ser apenas a aparência de um ribbon clássico (RCA 44BX), escondendo um condenser...

Imaginei que cortaria (ou atenuaria, ao menos) a captação em fig8 bloqueando um lado da fita.

Fernando
Veterano
# jan/15
· votar


MMI
Ismah
Valeu pelas explicações! Voiu pesquisar esses modelos para entender mais.

Abs!

MMI
Veterano
# jan/15
· votar


Ismah

Vi a uns tempos, na loja que frequento, um com chave figura 8/cardióide. Mas poderia ser apenas a aparência de um ribbon clássico (RCA 44BX), escondendo um condenser...

Provavelmente um condensador. Nunca ouvi falar de um ribbon com tal chave. Estes ribbon cardióides, apesar de não ter achado a imagem deles desmontados, tem um baita bloco de metal bloqueando um lado da fita, não seria uma chavinha que abriria.

Fernando

Pesquise e teste nos simuladores (Guitar Rig da vida, sempre tem, dentro das limitações). São bem legais estes mics. Um excelente uso dos ribbon é para microfonação em estéreo, pesquise por técnica M/S (se quiser ir num texto mais aprofundado, vai nesse)

Ismah
Veterano
# jan/15
· votar


MMI

Duas fitas talves (stereo) como alguns shotguns.

Aproveito o embalo... Preciso de uma captação para um baixo acústico, focado no rock'n'roll.

MMI
Veterano
# jan/15 · Editado por: MMI
· votar


Ismah

Chama O makumbator que é especialista. Tenho minhas ideias, mas essa eu deixo para ele responder. :)

makumbator
Veterano
# jan/15 · Editado por: makumbator
· votar


MMI
Chama a makumbator

A operação de troca de sexo ainda não foi aprovada! Hashsahhsa!

:)

Ismah

baixo acústico pra rockabilly/psychobilly é melhor por captador. E por conta do gênero (que faz uso de slaps) o ideal são sistemas que tem captador no cavalete + outro ponto de captação da escala (pra pegar bastante as batidas e clicks). Em geral esses dois sinais são combinados em um blender (que o músico ajusta a seu gosto) e enviados já mixados para amp e mesa do PA.

Em estúdio se faz uso do mesmo captador, mas combinado com microfone condensador cardióide posicionado apontando para o cavalete (mas em geral "olhando" mais para o lado das cordas graves do cavalete), a distância varia do quanto se quer de presença do instrumento/ambiência.

No jazz e mpb também se costuma combinar captador e microfone mesmo no palco, desde que não seja um palco com muito volume e propenso a muito vazamento no mic. É ideal para situações mais intimistas e de instrumentação mais leve (um trio de jazz, ou violão, percussão leve e voz, etc...)

O sistema ideal (que pega cavalete e escala) é como esse:

http://www.gollihurmusic.com/product/1424-BASS_MASTER_ROCKABILLY_PLUS. html


Mas pode-se até usar captadores "comuns" de contrabaixo (que não pegam a escala), uma vez que esses sistemas especiais são mais caros.

Nesse caso os captadores/preamps podem ser Fishman, Realistic ou mesmo os do grande Germano M (brasileiro). Eu tenho no meu um Germano M e uso o preamp dele ou um Fishman dependendo do som que quero.

A vantagem de certos sistemas é poderem ser retirados do instrumento em poucos segundos, requerendo pouca ou nenhuma modificação. Eu por exemplo não posso ter sistemas "definitivos", uma vez que toco em orquestra, e nesse ambiente o instrumento tem que ser totalmente acústico e sem nenhuma geringonça pendurada nele (mesmo que desligada).

http://www.musiciansfriend.com/orchestral-strings/the-realist-double-b ass-transducer-pickup

http://www.germanom.com.br/captacao_acustico.html

Aqui uma loja ótima exclusiva de contrabaixo acústico, e que tem todos os sistemas usados no mundo:

http://www.lemurmusic.com/BASS-AMPS-PICK-UPS-SPEAKERS-COMBOS/departmen ts/57/

MMI
Veterano
# jan/15
· votar


makumbator

Falha nossa, já foi devidamente editado. :)

Ismah
Veterano
# jan/15
· votar


makumbator
MMI

Já vi que a galera aqui gastou o 13º em novos brinquedos...

Um ukulele, captar com que? (Lembrando que é rock, palco médio, sem condições de um condensador)

Penso que um de rastilho de violão, ou mesmo os de clip pra violão.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Vale investir em um RIBBON para tocar ao vivo?