Imposto no consumo ou na renda?

Autor Mensagem
LeandroP
Moderador
# 03/out/19 15:48
· votar


-Dan
Tá diminuindo meu salário porque??


Relaxa, mano! É só uma hipófise!

Drinho
Veterano
# 03/out/19 17:49 · Editado por: Drinho
· votar


entamoeba

Não falei nada pra te ofender, se acalme, quero entender como pensa.

Você disse que os mercados não distribuem os recursos existentes e gerados de maneira justa e nem países desenvolvidos referência em igualdade fazem o que você sugere. Você disse que eu não tenho dados para falar sobre o que dá certo e o que dá errado, tudo bem.

Mas me explica na prática como funciona essa tal de democracia igualitária que você sugere onde o que você fala é ouvido e feito.

Como seria? Consegue exemplificar?

brunohardrocker
Veterano
# 03/out/19 18:14
· votar


-Dan
Tá diminuindo meu salário porque??

O que passar de 5k vira imposto para o Biroliro.

makumbator
Veterano
# 03/out/19 20:07
· votar


.Drinho
Mas me explica na prática como funciona essa tal de democracia igualitária que você sugere onde o que você fala é ouvido e feito.


É comunismo. Pronto, expliquei em uma palavra.

Drinho
Veterano
# 03/out/19 20:33
· votar


makumbator
Não calma, vamos ouvir, as vezes ele quer dizer uma coisa e nós entendemos outra.

entamoeba
Membro Novato
# 03/out/19 20:42
· votar


Drinho
onde o que você fala é ouvido e feito.

Quem disse isso foi o Jonas Kahnwald, não fui eu.

Drinho
Veterano
# 03/out/19 21:02 · Editado por: Drinho
· votar


entamoeba
Não tudo bem, mas me explica como funciona.

Seria algo do tipo, todos trabalham e desenvolvem sem empregador, no caso o governo é responsável pelos ativos e também fica responsável por distribuir de forma igualitária e justa o resultado do trabalho para as pessoas.

Ou seria um formato desse tipo sem governo (mais anarquista por exemplo)

?

entamoeba
Membro Novato
# 04/out/19 00:12
· votar


Drinho
mas me explica como funciona.

Não proponho um sistema acabado. Você sempre tenta puxar pra esse lado e esquece que o modelo atual não foi implementado em certo momento, ele foi se formando no tempo, sem muitas guias teóricas.

Pôr racionalidade no modelo, de maneira ética e democrática, é incluir nele mecanismos que conduzam a objetivos que possam ser universalizáveis.

A gente pode pensar nos impostos (por exemplo) como algo que serve para manter a máquina pública, mas também pode pensá-los como meio para corrigir os defeitos do modelo atual.

Que defeitos são esses? São os defeitos que nos afastam de um modelo mais racional e democrático. A desigualdade social, por exemplo, é um bom exemplo de defeito.

E como os impostos podem contribuir para a diminuição da desigualdade social? Certamente, existem várias maneiras. Uma delas seria taxações pesadas sobre quem ganha muito, certo? É uma das estratégias possíveis (certamente, não é a melhor, mas ignoremos isso por enquanto).

Vamos supor que escolhemos essa estratégia e que o efeito dela foi que os ricos pararam de investir no País ou começaram a sonegar. Mantendo o objetivo em vista, que é a redução da desigualdade social, o que podemos fazer a respeito? Recuar e permitir a manutenção da desigualdade não é uma opção!

Podemos experimentar incentivos para a concorrência que estiver disposta a jogar por essas regras, podemos aumentar a exigência por transparência, podemos ser punitivistas e pegar pesado com quem sonegar, podemos dificultar a vida de quem investe fora etc. Pode ser que nenhuma dessas respostas seja a saída, mas a lista de soluções hipotéticas não tem fim.

Baseado em outras experiências e em critérios técnicos, escolhe-se uma saída e põe-se em teste para ver como esses agentes reagem.

É claro que existem saídas melhores, talvez não tributar tanto, mas incluir uma série de medidas que tirem poder de quem tem mais dinheiro. Enfim, a estratégia não importa muito, o que importa é que existam ações coordenadas com base em metas bem definidas de correção dos problemas do sistema vigente.

...

E retomando a frase que vocês não entenderam:

[A democracia] Iria bem se eu pudesse falar e isso surtisse algum efeito!

Gente, se o povo não tiver voz, não é democracia. Não se trata de falar o que quiser sem que haja consequências. Isso é insuficiente para que possamos chamar um regime de democracia! Até um regime totalitarista pode permitir isso!

Quando digo que o que eu falo deveria "surtir algum efeito" não estou dizendo que minha fala deveria ser acatada, mas ouvida!

jureleito
Membro Novato
# 04/out/19 06:09
· votar


Esse negócio de desigualdade social é a maior bobagem que existe, pelo menos do jeito que é contada, essa palhaçada do "1% mais rico".

O que importa é o grosso da população, economia é como se fosse uma escada o enorme puxa grande que puxa o médio que puxa o pequeno.

"Desigualdade social" é desejável, suponhamos que o seu patrão ganhe exatamente o mesmo que você, ele te paga e fica sem nada, se o cara tem 30 funcionários, óbvio ele vai ter que ter mais dinheiro que os 30 juntos, se o cara tem 300, vai ter que ter mais que os 300.

E depois a galera fica nessa ******* de desigualdade social, a regra é, os caras de cima puxarem os que estão embaixo e assim em diante.

Outra coisa é o fator tempo, mas aí já é outro assunto.

Drinho
Veterano
# 04/out/19 07:08 · Editado por: Drinho
· votar


entamoeba
Vamos ver se eu entendi.

A gente pode pensar nos impostos (por exemplo) como algo que serve para manter a máquina pública, mas também pode pensá-los como meio para corrigir os defeitos do modelo atual.

Ok, uma vez que você citou imposto eu entendi que você concorda com um sistema econômico de iniciativa privada (mercado) que fique na mão dos indivíduos e em algum momento o governo vai tributar para se manter e devolver á sociedade de alguma forma.

Se eu entendi certo, até aqui, isto já existe, a europa é o melhor exemplo disso, (se está funcionando da melhor forma é outra história, mas isso já existe). A parte boa é que dessa vez você não deu a entender que é comunista, se fosse comunista tudo já seria do governo e ele não precisaria tributar, você não iria sugerir imposto.

Estou correto até aqui?

Que defeitos são esses? São os defeitos que nos afastam de um modelo mais racional e democrático. A desigualdade social, por exemplo, é um bom exemplo de defeito.

E como os impostos podem contribuir para a diminuição da desigualdade social? Certamente, existem várias maneiras. Uma delas seria taxações pesadas sobre quem ganha muito, certo? É uma das estratégias possíveis (certamente, não é a melhor, mas ignoremos isso por enquanto).


Perfeito e isso também já existe. Noruega, Dinamarca, Finlândia, Suécia e por aí vai...

Vamos supor que escolhemos essa estratégia e que o efeito dela foi que os ricos pararam de investir no País ou começaram a sonegar. Mantendo o objetivo em vista, que é a redução da desigualdade social, o que podemos fazer a respeito? Recuar e permitir a manutenção da desigualdade não é uma opção!

Podemos experimentar incentivos para a concorrência que estiver disposta a jogar por essas regras


Quando você diz incentivo eu entendo que você, com a mão do estado vai dar uma vantagem á alguém, mesmo que custe a desvantagem de outro alguém (que muitas vezes pode já estar no piso da cadeia) por um fim desejável, seja por via de desoneração fiscal e seja lá pelo que for. Entendi certo? Se eu entendi certo o seu conceito de igualdade tá meio injusto não tá não? Você, dando vantagem a alguém em detrimento de outro alguém está promovendo desigualdade usando um fim nobre como justificativa, para mim é algo criminoso. O Brasil inclusive é mestre nisso, na maior parte das vezes por fim eleitoral (crime) e em algumas vezes por fim social.

podemos ser punitivistas e pegar pesado com quem sonegar,

Isso também já existe, sonegar é crime em qualquer lugar do mundo.

Baseado em outras experiências e em critérios técnicos, escolhe-se uma saída e põe-se em teste para ver como esses agentes reagem.

Até o momento, tudo o que você falou existe e foi testado em algum lugar do mundo. Então não entendo quando diz que o que você sugere não é posto em prática, é claro que é.

É claro que existem saídas melhores, talvez não tributar tanto, mas incluir uma série de medidas que tirem poder de quem tem mais dinheiro. Enfim, a estratégia não importa muito, o que importa é que existam ações coordenadas com base em metas bem definidas de correção dos problemas do sistema vigente.

Pois é, os países de bem estar social fazem isso e eles estão no topo do ranking de desenvolvimento humano e em posição alta no ranking de liberdade econômica também.

O mercado é livre, o país fica rico, algumas pessoas ficam ricas inevitavelmente, se fosse possível extinguir o rico eles já teriam conseguido com toda a certeza do mundo pois o alvo desses caras há anos é a igualdade, eles tributam pesado no fim da cadeia para devolverem ao povo de alguma forma e tá todo mundo feliz.

Essa é a social democracia europeia do bem estar comum, eu li 3 vezes o que escreveu, eu entendi errado?

-Dan
Veterano
# 04/out/19 09:26
· votar


É incrivel como o bait do fantasma do comunismo voltou em 2019.

Vocês tem ciencia de quão gado isso é?

-Dan
Veterano
# 04/out/19 09:32
· votar


Para ilustrar o tópico:

Para quem acha que não existe desigualdade, para quem acha um crime o governo tentar equalizar as coisas tirando de quem tem mais, mesmo que para um fim nobre.

https://nacoesunidas.org/banco-mundial-quase-metade-da-populacao-globa l-vive-abaixo-da-linha-da-pobreza/

O mundo atual já é um crime quando toda a "riqueza" acumulada por estas 3,4 bilhões de pessoas correspondem à mesma riqueza das 26 pessoas mais ricas do mundo....

Drinho
Veterano
# 04/out/19 10:00 · Editado por: Drinho
· votar


-Dan
a "riqueza" acumulada por estas 3,4 bilhões de pessoas correspondem à mesma riqueza das 26 pessoas mais ricas do mundo....

Isso todo mundo sabe, estou perguntando para entamoeba o que ele faria se ele fosse governo para solucionar, uma vez que não se pune "crime" mas sim criminoso.
Taxação pesada de rico já existe.

É a história do estupro, é impossível combater o "estupro", só é possível combater o estuprador.

Drinho
Veterano
# 04/out/19 10:10 · Editado por: Drinho
· votar


-Dan
E com relação a história do comunismo no brasil, começou a se falar mais nisso por conta dessas histórias de foro de são paulo, de Lula ficar de conversa e mandando dinheiro pra essa gente, mas também acho improvável de acontecer da mesma forma que um regime de extrema direita também, todo mundo falava de ditadura bolsonarista e não tem nada disso também, pode até ser que tenha gente que queira, acredito que tenha mesmo, mas não vai acontecer....

Hoje os poderes vão se alternar entre social e liberal democracia sem ir para extremos certamente.

LeandroP
Moderador
# 04/out/19 10:26 · Editado por: LeandroP
· votar


Drinho
E com relação a história do comunismo no brasil, começou a se falar mais nisso por conta dessas histórias de foro de são paulo

Na realidade, o fantasma do comunismo no Brasil, começou a incomodar logo no começo do século XX, com as intentonas.

O fato é, que em função da ignorância, da falta de conhecimento, começaram a distorcer as ideias do comunismo. Não que eu defenda o regime comunista, mas não era como se pintava. Realmente tocavam o terror e causando medo na população ignorante.

Impressionante que, mesmo entrando na segunda década do século XXI, este terror ainda produz efeito na mente do pessoal.

-Dan
Veterano
# 04/out/19 10:33
· votar


LeandroP
Impressionante que, mesmo entrando na segunda década do século XXI, este terror ainda produz efeito na mente do pessoal.

Olavo pautando comportamento.

entamoeba
Membro Novato
# 04/out/19 11:59 · Editado por: entamoeba
· votar


Drinho

Dei exemplo de algo que fosse tangível para você! O que não existe, nesse caso, é a priorização da meta (acabar com a desigualdade) em detrimento de coisas secundárias, como, por exemplo, os interesses do investidor.

Outro exemplo: educação. Liberal quer que faculdade seja fábrica de mão de obra qualificada e obediente. Puro pragmatismo de mercado. Isso vai contra uma perspectiva que visa a racionalização da democracia, pois ignora a formação (em um sentido lato).


você concorda com um sistema econômico de iniciativa privada (mercado) que fique na mão dos indivíduos

Não, não concordo. A economia de mercado é uma péssima alocadora de recursos, do ponto de vista moral, humano, democrático. Mas mudanças nesse âmbito não se fazem sem muito estudo e da noite para o dia.


jureleito
Esse negócio de desigualdade social é a maior bobagem que existe, pelo menos do jeito que é contada, essa palhaçada do "1% mais rico".

Se você preza pela democracia e é capaz de entender que ter muito dinheiro permite que o sujeito compre poder político, sua afirmação é contraditória.


os caras de cima puxarem os que estão embaixo e assim em diante.

Conto da Carochinha liberal. São os de baixo que empurram os que estão em cima. Capitalismo é um grande esquema de pirâmide.

jureleito
Membro Novato
# 04/out/19 12:58
· votar


O mundo atual já é um crime quando toda a "riqueza" acumulada por estas 3,4 bilhões de pessoas correspondem à mesma riqueza das 26 pessoas mais ricas do mundo....

As I said, isso é a obviedade da obviedade, se esses caras não tivessem esse dinheiro todo o resto do mundo todo iria ser mais pobre e mais miserável por consequência.

E mais, é só ver aonde é a maior parte dessas pessoas abaixo da linha da pobreza e porquê, mas nego faz uma salada para quase dizer que por causa de fulano ser rico aí a galera é pobre.

Impressionante que, mesmo entrando na segunda década do século XXI, este terror ainda produz efeito na mente do pessoal.

Graças a Deus, regime baseado em escravidão, to fora, se o Estado detém o controle dos meios de produção ele controla o preço, se ele controla o preço não existe mercado, e a economia interna do país(ou a área em que o regime atua) vai se definhando.

Vocês estão tentando resolver um problema pela solução que lhe parecem mais lógica a primeiro momento mas não é assim.

-Dan
Não achei esses número de 26 pessoas na matéria, não que seja relevante, eu lembro uma vez que fiz um cálculo se tirássemos o dinheiro do "1% mais rico" pelo menos aqui do Brasil e distribuíssemos pra população, só pra população economicamente ativa(tirei crianças) se não me engano deu 1.000 e pouquinho isso de uma vez só, lógico não resolve a vida de ninguém, e no meu prognóstico o país iria para o caminho da miséria mais rápido que um foguete, as empresas deles(quem tem) iriam ficar sem o aporte financeiro, eles deixariam de investir em outras(todos investem), daí tirando esse dinheiro do "1%" iria existir outro "1%", lógico, quem estiver abaixo deles passaria a ser o 1%, daí insegurança jurídica, fuga, todo mundo iria sair, só não sairia quem não tivesse condição, digo todo mundo até a classe média iria sair por medo, ou seja, miséria atrás de miséria, pois se não tem uma classe alta pra dar emprego pra média, e essa também não está, quem da emprego pro pobre, classe média baixa? Ou seja o caminho da miséria liquido e certo, isso tudo por causa de 1.000 reais, fora a quantidade de pessoa que iria morrer por causa disso.


Esse parâmetro de "desigualdade social" é totalmente equivocado, para uma economia forte você TEM que ter bilionários, trilionários, cada vez mais, óbvio a quantidade de dinheiro que eles mexem e o risco é na mesma proporção, se eu quero aumentar meu lucro eu invisto mais, lembra "fulano perde 500 milhões e passa ser o 99° mais rico do mundo", não que ele irá se matar por isso mas é assim que funciona, dito isso, é óbvio que a quantidade de ganho que esses caras tem é MUITO maior que a média da população e em muito menos tempo.

Para você levar uma massa de pessoas para ganhar mais demora muito mais obviamente, isso porque eles estão puxando lá em cima, se não tivesse os milionários, bilionários puxando a fila esquece.

Sobre o assunto de imposto, o dos lucros e dividendos me parece bem bom, imposto sobre o consumo é a maior perversidade que existe, o cara não tem renda, o que faz? Vamos taxar no que ele mais precisa pra sobreviver.

Por mim acabe com esses "direitos" todos, converta isso diretamente no salário mínimo(não tudo, dê uma margem pra dar mais emprego), tire imposto no consumo ao máximo, você vai ter mais renda e o cara pra investir vai pagar bem menos nos produtos, tudo que ele pagar vai ser uns 30, 40% mais barato, daí sim começa a ser uma país sério.

jureleito
Membro Novato
# 04/out/19 13:28
· votar


entamoeba
Conto da Carochinha liberal. São os de baixo que empurram os que estão em cima. Capitalismo é um grande esquema de pirâmide.

Uai, nada se exclui, quem paga o salário?
Sim, óbvio, você presta o serviço, você ganha seu salário, o cara lucra, "você também", já que você tinha 0, e como eu disse o cara que tem 300 funcionários tem que ter mais dinheiro que os 300 juntos, lógico que ele vai ganhar mais pelo montante, esses 300 ajudam ele, e ele ajuda os 300, se você não o ajudasse você nem seria contratado a priori, outra coisa que os debaixo ajudam também é no consumo.

Se você preza pela democracia e é capaz de entender que ter muito dinheiro permite que o sujeito compre poder político

Justiça serve pra isso, para entender o sistema de justiça e poder de polícia é anterior ao capitalismo, sem eles nada seria possível, sim o judiciário também é corrompível, guess what, todos somos, nem precisa ser por dinheiro, porque é um amigo, um conhecido ou por outros motivos. Você está colocando o dinheiro como o fiel da balança no fator humano, não é, a questão é humana e não necessáriamente o dinheiro, que tem sua parcela mas não é o decisivo, e mesmo que você não permita que pessoas tenham "muito dinheiro"( o que já vai acarretar na miséria generalizada) sempre haverá quem tenha mais num sistema, mesmo que todos tenham o mesmo, sempre haverá alguém disposto pagar mais por algo e alguém receber por isso, não é o dinheiro é a canalhice humana.

Drinho
Veterano
# 04/out/19 13:54
· votar


Não, não concordo. A economia de mercado é uma péssima alocadora de recursos, do ponto de vista moral, humano, democrático. Mas mudanças nesse âmbito não se fazem sem muito estudo e da noite para o dia.


Entendi, em função de, na sua opinião, não ser possível fazer mudança sem estudo neste sentido você não se arriscaria dizer que os ativos devem ficar na mão do governo também?

entamoeba
Membro Novato
# 04/out/19 14:14
· votar


jureleito
Justiça serve pra isso

Não estou falando só de corrupção, estou falando de lobby, estou falando do controle sobre a produção cultural, de controle sobre a informação etc.


quem paga o salário?

Quem consome o que eu produzo. Ainda assim, essa lógica é burra! Liberal juvenil não entende porque é tudo economicista. O valor das atividades não pode ser regulado pelo consumo. Se assim fosse, como você remuneraria ciência de base? Como você remuneraria avanços que só surtirão efeitos práticos daqui 200 anos? No modelo liberal, ciência de base vale menos que funk!


Drinho
em função de não ser possível fazer mudança sem estudo

Não disse que não era possível, disse que as coisas precisam ser feitas de maneira estratégica, quando possível, mas sem nunca perder o propósito de vista. É uma questão de calcular a estratégia.


neste sentido você não se arriscaria dizer que os ativos devem ficar na mão do governo também?

Não sei se compreendi a amplitude da sua pergunta.

jureleito
Membro Novato
# 04/out/19 15:37
· votar


entamoeba
Não estou falando só de corrupção, estou falando de lobby, estou falando do controle sobre a produção cultural, de controle sobre a informação etc.


E? Isso já está respondido
"...sempre haverá quem tenha mais num sistema, mesmo que todos tenham o mesmo, sempre haverá alguém disposto pagar mais por algo e alguém receber por isso, não é o dinheiro é a canalhice humana."

Quem consome o que eu produzo

Tava falando do empregador mesmo, que ele é parte do que você produz, se não você não produziria estando empregado e sim como um autônomo, o consumo bate nele, ele te dá o salário.

...Ainda assim, essa lógica é burra...Se assim fosse, como você remuneraria ciência de base? Como você remuneraria avanços que só surtirão efeitos práticos daqui 200 anos? No modelo liberal, ciência de base vale menos que funk!

Apaixonados pela causa, como você remunera um seriado de um anônimo que só você acha que tem potencial?

Além do mais, isso é como é, como saímos da miséria, se você quiser sair da pobreza e miséria aplica-se a "lógica de mercado", não é uma lógica, ninguém sintetizou antes disso acontecer num conjunto de ideias porque isso se dá a partir do interesse das pessoas e suas necessidades, disso se diz mercado, que foi estudado a posteriori e o que melhor que as próprias pessoas para dizer sobre suas necessidades e interesses? Estamos aqui com smartphones usando internet, ou pelo notebook, a comida apesar de crises econômicas é muito mais barata que décadas atrás e foi a evolução do homem para sair da miséria, apesar de sistemas falhos em alguns países e ditaduras estamos saindo...chamar isso de "lógica burra" é muito descolamento da realidade.

Eu nem entrei no mérito se o país tem que botar dinheiro na ciência de base ou não, aliás já tem dinheiro pra educação pública, qual problema fomentar a ciência nesse quesito? Lógico respeitando as finanças do país e com planejamento sustentável subordinado a economia, apesar de que tem gente que esquece.

entamoeba
Membro Novato
# 04/out/19 16:08
· votar


jureleito

canalhice humana
ele te dá o salário
Apaixonados pela causa
isso é como é

Eita nóis...


o que melhor que as próprias pessoas para dizer sobre suas necessidades e interesses?

Pressuposto ingênuo de liberdade, esse papo sempre cai nessa vala.

Se as pessoas são as melhores para dizer sobre as suas necessidades, por que não perguntamos às crianças se elas querem ir à escola em vez de obrigá-las a ir? Por que não as permitimos trocar de pais, caso elas desejem? Se as pessoas são as melhores para dizer sobre seus interesses, por que interditamos viciados em drogas?

Todo liberal é um pires.

brunohardrocker
Veterano
# 04/out/19 17:45
· votar


Como é bom ficar em posição de salto com o paraquedas, aguardando o momento.

Drinho
Veterano
# 04/out/19 17:48 · Editado por: Drinho
· votar


entamoeba

Não sei se compreendi a amplitude da sua pergunta.

Você disse que o mercado é um mau gestor de ativos e estes não devem ficar na mão dos indivíduos ou mercado (como quiser chamar), (quando eu disser ativos entenda por tudo o que vale por qualquer motivo que seja e gera, pode ser imóveis, fábricas, dinheiro, recursos naturais, carros e por aí vai).
Neste sentido você entende que os ativos devem ficar sob propriedade do governo?

jureleito
Membro Novato
# 04/out/19 18:00 · Editado por: jureleito
· votar


Moralidade, da moralidade se dá a justiça, apesar que nem tudo que é imoral é ilegal e vice-versa, a justiça diz se alguém pode interditar um viciado em drogas ou não, o capitalismo está subordinado ao sistema de justiça que vem da moral(não totalmente) que rege como cuidamos de nossas crianças.

Não existe equivoco na minha frase desde que sejam salvaguardadas exceções que o interlocutor com boa vontade deve ter em mente.

Essa boa vontade é essencial para a qualidade da discussão em busca de uma verdade, a frase foi usada para explicar o fenômeno, como que se deu, e não foi usada de maneira irrestrita, apesar de que se faz necessário cuidar de crianças e tratá-las como exceção pois é de interesse humano, dos próximos para com o outro incapaz, daí existe uma mercado para isso de escolas, professores particulares, babás...como existem clínicas particulares para viciados.

entamoeba
Membro Novato
# 04/out/19 18:10
· votar


Drinho
Você disse que o mercado é um mal gestor de ativos e estes não devem ficar na mão dos indivíduos ou mercado (como quiser chamar), (quando eu disser ativos entenda por tudo o que vale por qualquer motivo que seja e gera, pode ser imóveis, fábricas, dinheiro, recursos naturais, carros e por aí vai).
Neste sentido você entende que os ativos devem ficar sob propriedade do governo?


A curto prazo, realmente não ligo para isso. Acho que modelos cooperativistas têm potencial e que o Estado pode vir a ser algo bem diferente do que conhecemos hoje, mas existem outras coisas que precisam acontecer antes de pensarmos sobre isso.

entamoeba
Membro Novato
# 04/out/19 18:14
· votar


jureleito
Não existe equivoco na minha frase desde que sejam salvaguardadas exceções que o interlocutor com boa vontade deve ter em mente.

Não existe equívoco na sua frase, o equívoco está na sua percepção. Não quis tirar sua frase de contexto, quis tentar te mostrar que você faz juízos equivocados sobre a liberdade individual.

Drinho
Veterano
# 04/out/19 18:21
· votar


A curto prazo, realmente não ligo para isso.

Então é correto dizer que você é um livre pensador, você não sabe se os recursos devem ficar na mão do mercado (que é um mau distribuidor) ou do estado porque acha que a forma de atuação do estado também tem que evoluir, você quer a extinção da desigualdade, porém não a curto prazo porque exige muito estudo e isso levaria tempo.

Estou correto?

entamoeba
Membro Novato
# 04/out/19 18:46
· votar


Drinho
Então é correto dizer que você é um livre pensador, você não sabe se os recursos devem ficar na mão do mercado (que é um mau distribuidor) ou do estado porque acha que a forma de atuação do estado também tem que evoluir, você quer a extinção da desigualdade, porém não a curto prazo porque exige muito estudo e isso levaria tempo.

Estou correto?


Não, não está. Os recursos não devem ficar nas mãos do mercado! Só acho que terei que tolerar isso por muito tempo, porque há muita coisa que precisaria ser feita antes. Livre mercado é um câncer que deve ser tratado com cuidado, intervenções muito precipitadas podem fortalecer a doença.

E medidas para a extinção da desigualdade precisam ser tomadas já! Algumas mudanças não são tão complexas e são urgentes, como a proteção à aposentadoria, o combate à miséria e a taxação sobre quem ganha demais.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Imposto no consumo ou na renda?