???? o som da arte ????

    Autor Mensagem
    entamoeba
    Membro Novato
    # 18/fev/20 15:26




    Lelo Mig
    Membro
    # 18/fev/20 17:16
    · votar


    entamoeba

    Interessante. Gostei.

    TendTudo
    Membro Novato
    # 18/fev/20 17:27
    · votar


    É estética e não estática

    makumbator
    Veterano
    # 18/fev/20 18:30
    · votar


    entamoeba

    Gostei de vários dos trabalhos. Muita gente odeia esse tipo de material, mas acho bem interessante.

    Casper
    Veterano
    # 18/fev/20 18:48
    · votar


    Vento:



    entamoeba
    Membro Novato
    # 19/fev/20 13:56
    · votar


    makumbator
    Muita gente odeia esse tipo de material

    Me incomoda quando é feito porcamente. Veja que, mesmo usando materiais bem simples, há um capricho de execução, há uma harmonia visual no final. Você não fica reparando no desleixo ou na qualidade dos materiais usados.


    Casper
    Vento

    Muito bom!

    TendTudo
    Membro Novato
    # 19/fev/20 14:05
    · votar


    entamoeba
    Quantas árvores foram usadas?

    Buja
    Veterano
    # 19/fev/20 14:13
    · votar


    o som da arte

    o ruido da arte

    Casper
    Veterano
    # 19/fev/20 14:54
    · votar


    Aqui:

    http://www.jiri-suchanek.net/en/

    Tem diversas instalações interessantes.

    TendTudo
    Membro Novato
    # 19/fev/20 15:42
    · votar


    Buja
    É que tu tá no fubazinho

    Ismah
    Veterano
    # 19/fev/20 17:53
    · votar


    Conceitualmente, é o que se faz na síntese sonora. A soma de N fatores constantes, para obter um resultado, que então é modulado em diversas alturas.

    No primeiro caso, não há uma altura bem definida, mas um ciclo constante.
    No segundo caso, postado pelo Casper, o som não é constante (só tem som enquanto o vento soprar), mas as alturas são definidas - talvez elas mudem conforme a velocidade do vento, nunca me ative a isso.

    Casper

    Impressão minha, ou é pentatônico?

    Casper
    Veterano
    # 20/fev/20 07:42
    · votar


    Caro Ismah:

    Se o artista teve o capricho de "sintonizar" cada tubo...
    Eu penso que ele cortou em diversos comprimentos e distribuiu de forma que o resultado é aleatório, a intensidade e direção do vento que influencia diretamente na escala.

    Tem esse abaixo que é interessante também:




    Beto Guitar Player
    Veterano
    # 20/fev/20 11:56
    · votar


    Pink Floyd approves.

    Eu acho que seria bem interessante como elementos de determinadas músicas. Alguns ruídos lembram, inclusive, sons da natureza, como chuva, por exemplo.

    Singles
    Membro Novato
    # 20/fev/20 12:14
    · votar


    Isso ai tem la em brumadinho mg.. inhotim..

    JJJ
    Veterano
    # 20/fev/20 12:20
    · votar


    Isso é muito bom de se ver (e ouvir) ao vivo.

    Beto Guitar Player
    Veterano
    # 20/fev/20 12:41 · Editado por: Beto Guitar Player
    · votar


    Por coincidência estava assistindo Bob Esponja ontem, um episódio chamado SpongeHenge.



    TendTudo
    Membro Novato
    # 20/fev/20 15:53
    · votar


    Casper
    Isto tá mais pra retorno da múmia

    TendTudo
    Membro Novato
    # 20/fev/20 16:06
    · votar


    Casper
    Mumy In utero
    Dá pra fazer isto no violão?

    Lelo Mig
    Membro
    # 20/fev/20 16:20
    · votar


    Casper

    "Eu penso que ele cortou em diversos comprimentos e distribuiu de forma que o resultado é aleatório"

    Concordo.

    Além de que, neste primeiro caso, são tantos tubos cortados, que mesmo que aleatórios a chance de muitos produzirem notas "bastante precisas" e até mesmo intervalos é muito grande.

    Uma vez fiz um carrilhão (cortina, percussivo, sem preocupação com notas só efeitos) em casa, cortando um tubo de bronze aleatoriamente, e fiquei surpreso com o número de notas precisas que haviam ao tentar identifica-las depois.

    Ismah
    Veterano
    # 20/fev/20 20:05 · Editado por: Ismah
    · votar


    Eu já penso realmente ao contrário. Até porque não é difícil de achar intervalos, prova disso são os sinos dos ventos.

    Como o tubo é de mesmo diâmetro, segue-se Pitágoras e/ou a série harmônica pra achar... Reparem que ao multiplicar por 2 e seus múltiplos, 3 e seus múltiplos, temos as mesmas notas em oitavas diferentes.
    Números que a característica de não serem múltiplos de mais ninguém, são de um grupo especial: os números primos. Logo, as notas diferentes, se dão da multiplicação por números primos...

    X cm = tônica
    3 * X cm = terça maior
    5 * X cm = 5X = quinta
    X6 = terça
    X7 = sétima maior
    X9 = nona maior/segunda maior
    X11 = algo entre a quarta justa e a quinta diminuta

    Já temos 7 notas, sendo que o usual são 5 a 7 no sinos de vento...
    Entretanto uma peça com 11 vezes o tamanho da original não se vê... Aí é que está o pulo do gato, se dividir cada peça por qualquer múltiplo de 2, vai subir uma oitava. Deixando as peças com comprimentos aproximados, elas estarão também aproximados - não necessariamente dentro da mesma oitava.

    Matematicamente, o fator de transposição de oitavas seria 2^n | n>0...

    No exemplo, talvez fique mais fácil de entender...
    Diagmos que o tubo inicial X, tenha 10 cm

    X = 10
    3X = 30 se dividir por 2 = 15 ou se dividir por 4 = 7,5 cm
    5X = 50 / 4 = 12,5
    7X = 70 se dividir por 4 = 17,5 ou se dividir por 8 = 8,75 cm
    9X = 90 / 8 = 11,25
    11X = 110 = 13,75

    Obviamente, cortar uma peça com precisão de 0,05 mm é difícil, mas como soa isolado, a precisão não é tão relevante assim. E obviamente, o próprio material tem alguma variação na homogeneidade.

    Também existe o desvio de oitava, que é previsto já por Pitágoras, que termina seu ciclo na quinta do lobo... No entanto, também existe no violino, no trompete, na voz, e demais instrumentos que não tenham a altura das notas definidas. Se conviveu bem com isso, até que se inventou algum instrumento com altura de notas definidas - provavelmente a flauta - e cagou com tudo.

    Tendo um instrumento com altura de notas definidas, também teremos que ter um temperamento - que é a distribuição dessa diferença de afinação pelo desvio de oitava, ao longo da escala. E toda vez que existe um destes, obrigatoriamente os demais instrumentos se afinam nele.

    Deduzo que por isso que o sax não é muito usual em orquestras e naipes de metais.

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a ???? o som da arte ????