:: Do movimento K-Pop ::

Autor Mensagem
Buja
Veterano
# 10/jun/19 10:36


Confesso que ouvi pouco e sei pouco.
Alguma coisa gostei, alguma coisa não.
Algumas músicas me lembraram Mariah Carey ou Christina Aguilera.

Porem, isso é uma forma muita rara de se expressar sobre algo que não conheço. Fato é, que está sendo um febre absoluta pela planeta todo.

Como a febre é tanta, gente matando o morrendo por causa disso, tomei tempo em especial pra ouvir o Super Junior M, acho que não é tão mainstream quanto o BTS. Essa banda, apesar de ser k-pop, parece que é um misto de coreia e china. Da um ar nas composições um pouco diferente dos demais. Até que gostei do que ouvi. Guitarras pesadas, porem com muito break e beat. Tempos precisos. Autotune mega calibrado.
E o que achei mais impressionante. São músicas bem trabalhadas, bem compostas.

Acho que estes estilos jovens que vão surgindo sempre terão lugar no público, desde que eu me entendo por gente, qualquer gereno pop vai agradar o publico infantil/iniciante da puberdade, especialmente o feminino. Isso é desde xuxa até hoje.

Lelo Mig
Membro
# 10/jun/19 10:46
· votar


Buja

Estes Boys Groups e Girls Groups sempre existiram, desde que o Pop iniciou nos anos 40 e 50.

As músicas também não mudam... ficam mais modernas, incluem elementos contemporâneos, mas é sempre a mesma coisa.

Não há nada de novo, mas essa não é a função. Isso é feito por empresários, para faturar uma grana... dá certo. Sempre deu.

Mas, dura pouco. Daqui a pouco estes guris somem, aparecem outros e um ou outro entre centenas segue no mundo da música.

A onda agora é esse visual andrógino né? Afinal têm que agradar o público "mamãe quero ser LGBT", porque macho e fêmea não dá mais IBOPE, tem que ser grupo que "molhe as menininhas" e o "menininhos também".

Acho uma bosta e os bons arranjos e alta produção é o mínimo esperado pela quantidade de dinheiro que investem nestas merdas.

Mas, é inofensivo, sempre existiu e os caras, financeiramente, estão melhores do que eu.

Próximo...

acabaramosnicks
Membro Novato
# 10/jun/19 11:09
· votar


Cara, tem uma que me chamou MUITA atenção em um ad no youtube recentemente, se chama rock n roll radio (escrito em hieróglifos indecifráveis).
Não é exatamente uma boy band, eles trabalham numa formação de banda tradicional, duas guita, um baixo e um batera, sendo que um guita canta e os outros fazem backing em certos momentos. Não é exatamente rock, não é exatamente pop; tem uma boa diversidade de tipos de músicas, passando por influências mais pop, outras mais indie, outras mais rock, etc... vale a pena conhecer. Segue abaixo link pra duas músicas que eu gostei.

https://www.youtube.com/watch?v=K5bodRrGdtc

https://www.youtube.com/watch?v=g7lkEWe_eEY

Lelo Mig
Membro
# 10/jun/19 11:27 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Buja
acabaramosnicks

Larguem de viadagem e voltem prá luz.....kkkk.





Buja
Veterano
# 10/jun/19 12:12
· votar


Lelo Mig

Grandes musicas saem de lá, afinal os caras tem um jeito polido técnico perfeccionista muito forte, e uma forma uma tanto excẽntrica de ser rebelde, alem de usar uma tecnologia na musica sempre que caracteriza muito o modo jovem oriental de ser.

Gastei ne kkkkk.

Lelo Mig
Membro
# 10/jun/19 12:47 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Buja

Estas bandas que coloquei vídeo são a primeira japonesa a segunda Koreana.

Não precisa ouvir essa merda de K-Pop Gay prá ouvir "um jeito polido técnico perfeccionista muito forte, e uma forma uma tanto excẽntrica de ser rebelde, alem de usar uma tecnologia na musica sempre que caracteriza muito o modo jovem oriental de ser."

kkkkkk

HortaRates
Membro
# 10/jun/19 12:52 · Editado por: HortaRates
· votar


Lelo Mig
A onda agora é esse visual andrógino né? Afinal têm que agradar o público "mamãe quero ser LGBT", porque macho e fêmea não dá mais IBOPE, tem que ser grupo que "molhe as menininhas" e o "menininhos também".

Isso foi extremamente ignorante e preconceituoso. Decepcionante, mas não surpreende.

O visual andrógino sempre foi moda na China/Korea (Japão não sei dizer, pois não conheço japoneses). É o padrão de beleza deles. O visual deles é o que se considera bonito na cultura deles, é não tem nada a ver com o movimento em prol da tolerância em sexual e de identidade de gênero que vem ganhando força (e que infelizmente os baby boomers têm tanta dificuldade de aceitar).

Por décadas os EUA ditaram os padrões de beleza e consumo do mundo ocidental. Agora isso tá claramente começando a mudar. Eu não gosto, mas vai ser algo interessante de se ver.

Buja
Veterano
# 10/jun/19 12:56
· votar


Essa Inlayer eu curti....bastante!
Nao é tanto DT (onde as musicas são extremamente desacopladas) nem tanto Govan (onde tem uma tecnica absurda carente de melodia as vezes), já que nenhum dos dois me leva ao delírio.
A musica tem liga e tem mix. Ela tem padrão, fica facil de degustar logo de primeira. Nao curto muito banda que tem que fazer uma força absurda pra gostar.
Tem banda que é igual jurubeba. Voce bebe uma, duas, tres, e ainda sim acha amargo pra dedéu. Bebe porque nao tem outra coisa. E leva uns bons tempos de cachaça pra falar que bebe jurubeba, mas ainda assim não gosta tanto quanto pinga. Gosto de banda mais pinga, daquelas que voce bota uma pitada de sal em cima, e já ta otimo.

Lelo Mig
Membro
# 10/jun/19 13:03 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Buja

Banda "Jurubeba" Japonesa......

Prog Rock de Macho feito por 3 Japas Girls... é bem Jurubeba e som propositalmente bem Vintage (por isso nem coloquei antes)....mas eu gosto bastante, acostumei me embriagar neste amargo indigesto.



Buja
Veterano
# 10/jun/19 13:06
· votar


Lelo Mig

É bastante estranho todo mundo tocar em seminima e o baixo bater 3 notas, a guitarra bater 4, o teclado 2 notas (detalhe, em tons polifonicos de nintendinho), e a bateria fazer uma virada...
Que trem mais quebrado dos inferno. Tem que ter o cérebro picado em 5 pedaços pra entender a musica hehehehe.

Lelo Mig
Membro
# 10/jun/19 13:39 · Editado por: Lelo Mig
· votar


HortaRates

"Isso foi extremamente ignorante e preconceituoso. Decepcionante, mas não surpreende."

Lá vêm a turma do politicamente correto... num pode mais nem zoar um coreano viadinho que lá vêm a patrulha... tá bom, desculpe, eu me retrato.

Tudo macho, até nesta banda aqui, por exemplo:




Buja

Mas... desvirtuei seu tópico... voltemos ao K Pop.

Esse é bão!




T-Rodman
Veterano
# 10/jun/19 18:18
· votar


essa ficou famosa antes, pq é a moça que canta junto com o Psy, Gangnam Style:


é, acho que os EUA produziam boys band aos montes. Daí foram perdendo campo para o R&B, o rap, os MC's da vida e é o que tem hoje em dia nos EUA. Pra quem sentiu falta de produções feitas para garotas de 13 anos, bom, a Coréia do Sul nunca deixou de produzir isso, e acabou ocupando os hits de todos os lugares.

Japão também tem j-pop, mas acho que também tá meio que morrendo, sem coisas novas, só os mesmos ficando mais velhos, tipo o boys band Arashi, que fazia sucesso até na coréia... 10 anos atrás, rs.
https://www.youtube.com/watch?v=0VUX4c-y514

Bandas de j-rock, também estão ficando mais velhinhas. Essa por exemplo que é bem rock, morreu lá por 2001. se pá é do último show deles:
https://www.youtube.com/watch?v=cJ5OsNFLb-w
da década de 2000 pra frente o que tem bastante é banda 'indie' de j-rock, onde acho que a mais conhecida é o Asian Kung Fu Generation que até já veio no Brasil tocar no animefriends:
https://www.youtube.com/watch?v=vtpYwSR6ihs

ou seja, o k-pop taí pra quem quiser consumir, rs. Com a internet, qualquer coisa fica mais fácil de ser consumido, a começar de trilhas sonoras feitas para animes no caso das bandas japonesas, e das músicas de novelinhas coreanas. Talvez daí seja a fonte mais comum de onde o povo em geral vai conhecer e curtir música k-pop, rs. Eu por exemplo, lembro de cabeça dessa música, de um seriado que tem no netflix:
https://www.youtube.com/watch?v=7dTesnDsceE

amplexos

T.

leticiariel.oficial
Membro Novato
# 10/jun/19 23:23 · Editado por: leticiariel.oficial
· votar


Lelo Mig
As músicas também não mudam... ficam mais modernas, incluem elementos contemporâneos, mas é sempre a mesma coisa.

Isso acontece com gêneros.
Como as milhares bandas de hard rock, glam, e outros, tudo cuspido e lambido. Uma vez meu namorado trocou as tags de duas músicas de black metal, de bandas distintas, para testar o conhecimento de uma pessoa que se dizia fã e ela nem se quer soube diferenciar. Um pouco por ser poser, mas também porque não dá mesmo. (Pode ser ignorância da minha parte, fica aí o desafio).

E por mais leigo que qualquer um seja no assunto, da pra perceber uma sonoridade diferente de uma boy band americana e uma coreana.
Eu não sei dizer o que é, mas está lá.
Existem semelhanças sim.
Existe uma fórmula.
Mas desconsiderar o trabalho de um artista por ele ser "vendido", isso é errado até mesmo no funk.
O artista que não consegue se vender não é ninguém.
Acredito que o mundo da musica está "uma merda" porque estamos cheios de músicos bons que não sabem se vender.
Se o cara consegue ser um pouquinho original dentro de um gênero ele acaba ficando diferente, isso justifica o sucesso de BTS, não sei apontar exatamente onde, não sou fã, na verdade nem escuto, mas nunca se ouviu falar numa banda de kpop antes dessa forma. Vocês acham mesmo que é só o mesmo de sempre? Antigamente o kpop era "coisa de quem via anime".
Eu acho impressionante esse crescimento. O que eles tem que os outros não tem?

Buja
Super Junior é maravilhoso (não só o m), eles têm algo que vai além do genérico.
Eu achava que nunca ia gostar dessa história de boyband até conhecer eles.
Infelizmente já estão velhos demais para o público que conquistaram então acho que mesmo com a volta de todos os integrantes jamais serão um BTS da vida.
Sem falar que é quase uma pedofilia, um bando de cara de 30 anos com garotinhas de 13 querendo namorá-los.

Lelo Mig
Membro
# 10/jun/19 23:45
· votar


leticiariel.oficial

"Mas desconsiderar o trabalho de um artista por ele ser "vendido", isso é errado até mesmo no funk."

Não é errado nem certo Letícia... é subjetivo.

A música deixou de ser arte, é entretenimento. O "artista" atual nem sabe o que é arte. Esta aí para entreter, levar diversão e principalmente ganhar dinheiro. Nada contra, mas não é o que me seduz.

Prefiro arte ruim do que entretenimento bom. Arte no sentido de manifestação de ordem estética com a finalidade de estimular a reflexão e o pensamento crítico.

Não tenho nada contra, repito, mas também não sou politicamente correto, se acho uma merda, acho e pronto.

Minha opinião não faz a miníma diferença ao cenário.

Casper
Veterano
# 11/jun/19 07:44
· votar


Caro Lelo Mig:

Prefiro arte boa do que entretenimento ruim.

HortaRates
Membro
# 11/jun/19 08:30
· votar


Lelo Mig
A música deixou de ser arte, é entretenimento. O "artista" atual nem sabe o que é arte. Esta aí para entreter, levar diversão e principalmente ganhar dinheiro. Nada contra, mas não é o que me seduz.

Eu concordo com você na sua preferência. No geral prefiro músicas que induzam ao pensamento crítico e à reflexão. Mas eu gosto de músicas que são simplesmente divertidas também (pra mim).

Mas a música sempre foi entretenimento, e acho que sempre foi mais entretenimento do que reflexão e crítica social. Artistas historicamente são membros da elite dominante. Por mais que as obras primas de Beethoven e Bach sejam maravilhosas, e dificilmente alguém não as chamaria de arte, creio que ninguém também as chamariam de crítica social. Para que foram feitas as obras de Wagner, senão para o entretenimento da elite da época?

Por mais que eu não goste, acho que, em geral, as músicas da favela fazem uma crítica social muito maior que as bandas que eu curto.

acabaramosnicks
Membro Novato
# 11/jun/19 08:36
· votar


Lelo Mig
No meio de tanto entretenimento depreciativo, vem caras como o BTS trazer uma mensagem positiva e construtiva pra esses jovens desmiolados que não sabem o que estão fazendo da vida. Nunca escutei esses caras, mas acabei de dar uma olhada em umna letra aqui rapidao, e já vi que tem uma sutil intenção de levantar a auto estima do ouvinte e evitar coisas como o suicídio (que vem se tornando pandemico). Ora, se música se tornou entretenimento, que venha mais deste tipo de entretenimento, ao invés desses bagulho que fala de putaria e beber até cair.

Se arte é manifestação de ordem estética com a finalidade de estimular a reflexão e o pensamento crítico, tem várias músicas pop que cabem no conceito.

Entre a música puramente artística e a música puramente comercial (entretenimento) tem todo um range, é toda uma zona cinzenta e difusa, onde cada artista pode não apenas estar em um ponto como pode navegar em diferentes pontos do espectro, afinal, todos temos várias facetas diferentes e queremos fazer coisas diferentes em momentos diferentes.

sandroguiraldo
Veterano
# 11/jun/19 08:41
· votar


as músicas da favela fazem uma crítica social
2019 e tem cara preocupado com crítica social em música do BR...

HortaRates
Membro
# 11/jun/19 08:47
· votar


sandroguiraldo
E quem vai criticar a nossa sociedade, o BTS?

acabaramosnicks
Membro Novato
# 11/jun/19 08:48
· votar


sandroguiraldo
Ora, crítica social se tornou demode, perdeu a relevancia?

leticiariel.oficial
Membro Novato
# 11/jun/19 10:00 · Editado por: leticiariel.oficial
· votar


Lelo Mig



A música deixou de ser arte, é entretenimento

Você pode me dizer quando que a música foi apenas arte?
Eu não consegui pensar em nenhum exemplo.

Bom, não acho que seja questão de ser politicamente correto.
Olhe os Beatles por exemplo, eles eram uma boyband vendida, olhe para a platéia deles naqueles shows do início, as letras românticas, menininhos bonitinhos. Mas credito que além de um empresário foda eles também tinham aquele algo mais revolucionário.
Pode ser o caso do BTS.
Porque eles não são só uma boyband, entende? São uma boyband coreana.
Se eles souberem crescer nisso... Mas é difícil, o público deles é aquele que depois que cresce o gosto muda completamente.

Bem, esse entretenimento é relativo, é diferente em cada caso, porque depende do público. O público é diferente em cada caso.
Criticar esse "conceito" de cada artista é válido, mas é estranho falar como se "os bons artistas" também não fossem entretenimento.
Como o nosso amigo ali falou, BTS têm uma música que é tipo uma autoajuda, por causa da época que vivemos. Sinceramente eu acho isso ridículo. A era sad boy. Ta todo mundo tentando se aproveitar disso. São letras vazias, sempre a mesma porra de mensagem "tudo bem nada estar bem".
É por isso que as chances de serem esquecidos é grande. Cadê o revolucionário?

T-Rodman
Veterano
# 11/jun/19 10:45
· votar


leticiariel.oficial
Se o cara consegue ser um pouquinho original dentro de um gênero ele acaba ficando diferente, isso justifica o sucesso de BTS, não sei apontar exatamente onde, não sou fã, na verdade nem escuto, mas nunca se ouviu falar numa banda de kpop antes dessa forma. Vocês acham mesmo que é só o mesmo de sempre? Antigamente o kpop era "coisa de quem via anime".
Eu acho impressionante esse crescimento. O que eles tem que os outros não tem?


basicamente o que eu vejo é um produtor, um investidor, coaches pra tudo, managers e 5 empregados que desempenham ao máximo sua função, com o apoio de toda locomotiva criada através deles.
Tem umas reportagens que mostram 'a indústria do k-pop', e basicamente a fórmula é essa. É desgastante, não significa sucesso absoluto, tem grupo que deslancha, tem grupo que não sai do zero. Tem famoso que pifa, entra em depressão, comete suicídio. E tem gente feliz escutando eles tanto quanto todo mundo da locomotiva ganhando grana. Mas até aí, é showbiz em geral, não?
como os grupos de k-pop são 'novos' (pro ocidente, já que sempre existiram por lá), sabe lá quando vão durar, mas no ocidente você vê gente trabalhando com produtor uns anos, virando independente em outros, uns viram atores, outros viram só celebridades e viram jurados de outros programas de entretenimento... os boy groups de j-pop seguiram essa mesma linha. Vários são showrunners em programas de tv, alguns fazem novelas, filmes, comerciais, outros vão fazer carreira solo...
uns exemplos:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Fumiya_Fujii - que continuou carreira solo depois de 11 anos no grupo The Checkers (anos 80)
https://pt.wikipedia.org/wiki/Jun_Matsumoto - um mais atual, de um grupo que anunciou encerramento pro ano que vem e está fazendo a turnê de despedida
Falando em anime, um grupo que conheci a partir de uma anime foi esse grupo de garotas que virou uma franquia, possui 134 membros e tem carreira desde 2005.
https://pt.wikipedia.org/wiki/AKB48

e falando em 'causas sociais', acho que a figura que mais me lembra isso no mundo pop asiático, foi Teresa Teng. Ela era de Taiwan, cantava em chinês, japonês, vietnamita e inglês, fez sucesso e foi respeitada na ásia inteira, e praticamente foi esse ícone de integração no oriente.
https://www.youtube.com/watch?v=icFQzErlJC8
https://pt.wikipedia.org/wiki/Teresa_Teng

amplexos

T.

sandroguiraldo
Veterano
# 11/jun/19 11:18
· votar


Postei e sai correndo!

Ismah
Veterano
# 11/jun/19 11:36
· votar


Não li tudo por aqui ainda, mas existem alguns pontos...

The beach boys, é a primeira boy band. Foi criada para rivalizar e serem os Beatles americanos. É difícil saber o porque exatamente que criaram rivais para os Beatles. Dado o contexto do pós-guerra e guerra fria, patriotismo que é marca forte americana, podemos deduzir e supor muitas coisas.

O K-pop, é inofensivo, até que teve apoio estatal. Virou uma possível ferramenta de manipulação social, já que o estado participa, mas não é conhecido como e de que forma...

LeandroP
Moderador
# 11/jun/19 11:38
· votar


leticiariel.oficial
leticiariel.oficial
Bom, não acho que seja questão de ser politicamente correto.
Olhe os Beatles por exemplo, eles eram uma boyband vendida, olhe para a platéia deles naqueles shows do início, as letras românticas, menininhos bonitinhos.


Hum... Não! Olhe pras composições dos Beatles, pros arranjos, pra dinâmica e composição de timbres. E foram evoluindo a cada disco. Não tem como comparar. Mas, concordo com você em todo o resto.

leticiariel.oficial
Membro Novato
# 11/jun/19 12:13
· votar


basicamente o que eu vejo é um produtor, um investidor, coaches pra tudo, managers e 5 empregados que desempenham ao máximo sua função, com o apoio de toda locomotiva criada através deles.
T-Rodman

Mas isso todos eles tem. Por que só o BTS virou essa febre? Não da nem pra comparar com o Psy. Que foi pioneiro no assunto. Você não via canetas do psy por aí por exemplo, apesar de isso ter a ver também com a diferença de público, não da pra dizer que psy foi a mesma coisa.

Por muito tempo esses coreanos tentaram "imitar" os ocidentais e parece que finalmente conseguiram.

Aqueles vídeos antigos de kpop, os visuais eram bem mais zoados do que agora (vou deixar uns links pra vocês compararem).
Os caras realmente queriam se parecer com animes.

Agora eles viraram tumblr. Esses que estão mais no "auge" como BlackPink e BTS. Sem perder a essência de querer se parecer com um anime.

Na moral, antes parecia até que os caras queriam ter o cabelo do Goku kkkk

Tela quadrada de 10 anos atrás: https://youtu.be/veEh0RYy9t4
Um de 7 anos atrás: https://youtu.be/AAbokV76tkU
Um de 2 anos atrás: https://youtu.be/i9mLRuFGHBk
O último parece bem mais "normal", não acham?

leticiariel.oficial
Membro Novato
# 11/jun/19 12:25
· votar


Olhe pras composições dos Beatles, pros arranjos, pra dinâmica e composição de timbres. E foram evoluindo a cada disco. Não tem como comparar

Ah infelizmente eu não entendo muito de música pra poder opinar sobre isso, ainda.
Mas minha intenção não foi exatamente dizer que são iguais.
Foi comparar que ambos são entretenimento.

LeandroP
Moderador
# 11/jun/19 14:00
· votar


leticiariel.oficial

Sim, eu entendo :)

T-Rodman
Veterano
# 11/jun/19 14:53
· votar


leticiariel.oficial
tentativa e erro, disponibilidade de mercado, mudanças comportamentais, disponibilidade pela internet.

A indústria de entretenimento oriental sempre existiu. Sempre tentaram inovar, cativar seu público-alvo, e por essas e outras foram se desenvolvendo ao longo do tempo. Internet e sua popularização foi capilarizando a normalização do que antes se achava muito estranho - mas que era até comum há décadas lá no oriente, tipo, desde antes de 2000 o 'povo estranho' vai lá fazer desfile em harajuku, por exemplo.
Dai um pouco de gente começa a assistir dorama, outro pouco anime, outro pouco vai pegando as influências de moda e comportamento daqueles lados, a netflix começa a popularizar as séries orientais, daí pra todo mundo começar a consumir a produção deles foi um pulinho.
Certamente o Psy foi parte da equação, e tudo foi gradativamente sendo absorvido pelo ocidente como 'novo'.
O que a gente vê é a popularização em massa por aqui. Por aqueles lados, é a normalidade há um tempão.
Uma particularidade que talvez eu observo é que geralmente o público que vem sendo absorvido pela onda oriental aqui pelo ocidente, na maioria das vezes é gente que curte cultura pop em geral, é de certa forma 'liberal', mas não curte nada de política, de politicamente correto e afins. Pelo menos por minha amostragem, basicamente são gente que curte causas liberais, mas não curtem a agenda progressita, e principalmente suas peculiaridades em limitar a expressão individual de vontade de cada um curtir o que bem entender. Mas até politicos tentam pegar a vibe quando você vê um Bernie Sanders indo passear nas animecons americanas, e quando você chega até a ver uma ação #meetoo contra um dublador de anime que tá rolando nos EUA de Vic Mignogna Vs. Funimation. Só querem ter a experiência colorida deles, sonhar com os idolos, curtir o que melhor podem oferecer, e tocar a vida.

Musicalmente falando, sim, parece que eles vão evoluíndo com o tempo. Onde tem grana, aparece investimento, aparecem novos produtores, aparecem mais músicos e a roda gira maior.

amplexos

T.

leticiariel.oficial
Membro Novato
# 11/jun/19 15:55
· votar


T-Rodman

Lembro que na época que todo mundo estava saindo do Orkut e indo pro facebook eu tinha uma amiga que usava fotos de coreanos, ela só postava sobre isso e tal, aí um dia perguntei pra ela pq ela gostava tanto dos olhos puxados, então ela me apresentou o kpop e eu lembro de não entender como alguém podia gostar daquilo. As danças pareciam ser feitas por aqueles grupos amadores de dança que sempre tem nas escolas, o ritmo não era grudento, não era contagiante e a língua soava esquisita (nega nega nega eles falavam muito isso).
Mas aí tinham algumas músicas legais de vez em quando e fui pesquisando cada vez mais.
Era muito do mesmo. Um monte de Cherry Pie.
Lembro que conheci Super Junior nessa época.
Depois, com o estouro do BTS, voltei a pesquisar sobre Super Junior e virei muito fã, percebi o quanto eles eram diferentes desse "Cherry Pie" mas não entendia pq não são e nunca foram tão grandes como BTS.
Bem, hoje eu olho para as danças e o visual e entendo o por quê.
As danças estão muito mais sérias. Não parecem mais o passinho do romano. Nem nega os bicho falam mais.
Mas na moral, o ritmo ainda é uma bosta. Tem que forçar pra gostar.
Não é contagiante. Só depois que você conhece.
Porém Super Junior não peca no ritmo, pelo menos não pra mim. Só que esse tipo de público quer um "artista completo" e acredito que faltou um lado mais ocidental no SuJu. Como tem no BTS. E as danças.
Assistam Super Junior - Sorry Sorry e vão entender o que eu quero dizer com "passinho do romano"

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a :: Do movimento K-Pop ::