Sobre a experiência de tocar em trio (guitarra, baixo e bateria)

Autor Mensagem
Adler3x3
Veterano
# fev/16
· votar


Insufferable bear

O filme parece antigo, mas a dupla manda bem.

Ismah
Veterano
# fev/16
· votar


erico.ascencao
Já sugeri uns playbacks para determinadas músicas e os caras se mostraram abertos. Por enquanto, vamos atacar o que for possível na marra mesmo.

São opções. BUT, não valeria a premissa de que menos é mais? Na minha cabeça, não cabe bem isso no estilo, se perde a dinâmica do ao vivo, e fica preso ao Playback.

erico.ascencao
Veterano
# fev/16
· votar


Adler3x3: Outro bom exemplo é o Rush, nos primórdios, por incrível que pareça o disco que mais gosto deles é o primeiro, com a formação básica de bateria, guitarra e baixo, mais simples mas nem por isto simplório.
Depois foram evoluindo e nas apresentações incluíram outros músicos contratados.


O Rush nunca teve músicos contratados ao vivo - com exceção da mini-orquestra na turnê do Clockwork Angels, em 2013. Com a invasão dos sintetizadores nos arranjos, o Geddy Lee começou a tocar umas partes de teclado com a ajuda do Alex Lifeson. Algumas partes inviáveis de serem reproduzidas ao vivo são tocadas através de samplers.

erico.ascencao
Veterano
# fev/16
· votar


Nas minhas aulas de canto, que geralmente transcendem para aula de música em geral, meu professor sempre fala em respeitar os arranjos originais quando se toca covers. Não que isso signifique tocar exatamente igual, porque é praticamente impossível dada a indisponibilidade de equipamentos e técnicas idênticas às usadas nas gravações originais; mas pelo menos deve-se respeitar a intenção que o compositor/intérprete teve ao registrar aquela obra.

Acho que está aí um grande desafio pra este nicho específico dos covers. As dicas que o Maurício Bertola são extremamente válidas, tanto que muitas bandas deste formato se utilizam destes recursos para criar seus arranjos - tá aí o The Edge, um dos mestres neste quesito. Agora, quando se fala de tocar um Iron Maiden em trio, aí o bicho pega, tem que se respeitar o máximo possível os arranjos originais.

FELIZ NATAL
Veterano
# fev/16
· votar


erico.ascencao
meu professor sempre fala em respeitar os arranjos originais quando se toca covers....mas pelo menos deve-se respeitar a intenção que o compositor/intérprete teve ao registrar aquela obra.

Qual a argumentação dele, quer dizer por que é interessante fazer isso? De certa forma não seria criativamente limitador, e anularia a possibilidade de dar novos rumos a uma canção por meio de outras interpretações?

Lelo Mig
Membro
# fev/16 · Editado por: Lelo Mig
· votar


FELIZ NATAL

"De certa forma não seria criativamente limitador..."

Acho que existe uma certa confusão com relação a cover e releitura.
Eu não faço covers... só releituras, rearranjos. Mas sou livre, faço música porque quero e gosto. Minha ligação com a música, hoje em dia, é puramente a livre expressão artística.


Mas quando, durante muitos anos, toquei em bares e danceterias e vivi de música, toquei muitos covers. A galera que frequenta estes lugares querem o mais próximo possível do original; eles estão pagando por isso. Eu vivia de música, tocava mesmo não sendo muito minha praia, já que o meu trabalho autoral, levado em paralelo, não rendia dinheiro.

Agora, (é opinião pessoal).... Não vejo sentido em fazer covers quando não se almeja tocar em bares por dinheiro ou ao menos diversão.

FELIZ NATAL
Veterano
# fev/16
· votar


Lelo Mig

Entendi.

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# fev/16
· votar


Lelo Mig
Também não fazemos "covers", e acho isso muito chato.
Aliás, se vou ver uma banda tocar em um bar ou show, não quero ouvir a mesma coisa. Pra isso eu tenho o disco ou vou ao show da banda original.
Abç

Lelo Mig
Membro
# fev/16
· votar


Mauricio Luiz Bertola

"Aliás, se vou ver uma banda tocar em um bar ou show, não quero ouvir a mesma coisa. Pra isso eu tenho o disco ou vou ao show da banda original."

Mas você é músico! A grande maioria do público não pensa assim...

Têm neguinho que acha, por exemplo, o "U2 cover" melhor que o original.....kkkkkkkkkk.

Ismah
Veterano
# fev/16
· votar


Mauricio Luiz Bertola
Aliás, se vou ver uma banda tocar em um bar ou show, não quero ouvir a mesma coisa. Pra isso eu tenho o disco ou vou ao show da banda original.
2

6Strings
Membro Novato
# fev/16
· votar


Mauricio Luiz Bertola
Lelo Mig

Acho muito interessante esse esquema de "releitura" de músicas, porém não é pra qualquer um. Na minha opinião isso exige conhecimento, cuidado e acima de tudo bom gosto.

Das releituras que vejo por aí acabo não gostando de mais da metade...parece que têm gente que têm prazer em pegar uma música consagrada e estragar tudo...

Adler3x3
Veterano
# fev/16
· votar


erico.ascencao

Tens razão o Rush não é o melhor exemplo para o uso de músicos contratados.

Por isto que me referi ao primeiro Álbum deles, é um exemplo de um trio, mas não é um bom exemplo no uso de músicos tercerizados.
Mas o sentido permanece, uma vez que um trio se consolide, nada impede que depois use músicos contratados.

Vocês vão trabalhar também com música autoral?

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# fev/16
· votar


Lelo Mig
Cara, eu não me considero músico. Sou apenas um cara que toca (mal) músicas (algumas)...
Agora, sou um homem de cultura, e isso me dá uma gama de possibilidades de apreciação dos vários ramos da arte que boa parte das pessoas não tem, pois não puderam desenvolver isso (como eu não desenvolví outras coisas...), bem como senso crítico; portanto sou, e me considero uma exceção (sem falsa modéstia) nesse caso.
Isso não quer dizer que eu não possa achar que as pessoas deveríam se esforçar mais por adquirir senso crítico o suficiente para entender e justificar (na medida do possível), as suas escolhas e percepções.
6Strings
Na minha opinião isso exige conhecimento, cuidado e acima de tudo bom gosto.
Concordo plenamente; se é que posso emitir tal opinião...
Abçs

Drinho
Veterano
# fev/16 · Editado por: Drinho
· votar


Eu adoro tocar com trio....
Eh desafiador, tem que ter atencao!

trio de instrumentos neh, se for 4 e um deles soh canta ok .....

Fazer um trio soar grande eh coisa de macho!

Insufferable Bear
Membro
# fev/16
· votar


Na minha opinião isso exige conhecimento, cuidado e acima de tudo bom gosto.

Se a banda não tem isso que não toque em público, ué.

Lelo Mig
Membro
# fev/16
· votar


Drinho

Em trio é sempre melhor! Com duas garotas, então, aí é o paraíso!

makumbator
Veterano
# fev/16
· votar


Lelo Mig

Eu toco em trio pra casamento com duas moças bonitas. Invejem-me.

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# fev/16
· votar


makumbator
Não invejo não, pois minha mulher ía me matar....
Kkkkkkkk.......

Lelo Mig
Membro
# fev/16
· votar


makumbator

"Eu toco em trio pra casamento com duas moças bonitas...."

E quem tá falando em música?.....kkkk

"inveja mode on"

Adler3x3
Veterano
# fev/16 · Editado por: Adler3x3
· votar


Makumbator

Invejar não, mas sim admirar, e de preferência que você não ficasse no meio, mais para o fundo como fica um baixista, e conforme o pan, toma-se posição de um dos lados, assim eu me concentraria nas belezas.
A inveja cega, e desta forma não enxergaria direito.
E admirar não é pecado.

rsss...

makumbator
Veterano
# fev/16
· votar


Adler3x3
Lelo Mig

Acho que vocês só curtiram por eu estar no meio do trio, né não? Hahahah!

Lelo Mig
Membro
# fev/16
· votar


makumbator

"por eu estar no meio do trio, né não?"

Um dia fui numa dinâmica de grupo e a psicóloga disse: Em ordem, e de forma resumida, apresentem-se, digam o que fazem e porque.

O primeiro levantou e disse: Meu nome é João, sou médico, porque sempre gostei de ajudar as pessoas.

O segundo disse: Meu nome é Roberto, sou engenheiro civil, porque desde criança gosto de construir coisas.

A terceira disse: Meu nome é Maria, sou lésbica, porque quando vejo mulheres, peitos e bundas fico doida!

Na minha vez eu disse: Oi, sou o Lelo Mig e até alguns minutos atrás eu achava que era músico. Mas acabo de descobrir que sou lésbica!


Adler3x3
Veterano
# fev/16 · Editado por: Adler3x3
· votar


Makumbator
Por estar no meio.
Você esta com ciúmes pelo nosso interesse.

É que uma das belezas representa a fidelidade, a outra beleza o amor a bondade, a inocência da virgem, virtudes essenciais de um bom casamento.
Mas tudo na vida não é perfeito...
É que você esta com ciúmes, pois na posição que fica não pode enxergar direito, pois esta concentrado em outras coisas.
Então você neste caso em particular, representa os ciúmes, o ciumento, que deve ser evitado numa relação marital.
Enquanto nós só estamos a admirar estabelecidos numa posição privilegiada, e depois na festa, enquanto você toca nós estamos junto com outras comensais apreciando e provando outras delícias mais sutis.

renatocaster
Moderador
# fev/16
· votar


makumbator

Eu toco em trio pra casamento com duas moças bonitas. Invejem-me.

Makumbator Safadão, o novo fenômeno!

makumbator
Veterano
# fev/16
· votar


renatocaster
Makumbator Safadão, o novo fenômeno!

só o cachê que é um pouco menor...

Ismah
Veterano
# fev/16
· votar


makumbator

O teu ou das musicistas?

MauricioBahia
Moderador
# fev/16
· votar


O lance de tocar em trio é que todos tem que cumprir muito bem seus papéis pois não há espaço para erros, apesar de menos gente. hehe

Em suma, o amadorismo/"safadorismo" não se dão bem com trios. Fica evidente demais.

Bom trio elétrico pra vocês! Axé! :D

renatocaster
Moderador
# fev/16
· votar


MauricioBahia

O lance de tocar em trio é que todos tem que cumprir muito bem seus papéis pois não há espaço para erros

E o Nirvana? Hehehe!

MauricioBahia
Moderador
# fev/16
· votar


renatocaster: E o Nirvana? Hehehe!

Esses aí podem errar que tá tudo certo. Até melhora!

Kkkk

makumbator
Veterano
# fev/16
· votar


Ismah

O teu ou das musicistas?


hahaha! Igual. Eu tento alegar que pela histórico de homens ganharam mais que as mulheres eu precisaria reduzir a parte delas e passar a diferença pra mim, mas como feministas que são não aceitaram...

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Sobre a experiência de tocar em trio (guitarra, baixo e bateria)