Lá em 432hz soa melhor que em 440hz E Provas?!

Autor Mensagem
Balls Balls Balls Of Steel
Membro
# jul/13


Pois bem, estou procurando fontes em todo canto e não acho, até agora parece ser um belo monte de bosta, mas sou desinformado ainda para poder falar.

Alguém sabe algum link mais exclarecedor do que pseudo-cientistas do youtube? É muito difícil confiar em alguém afirmar que uma música soa mais bela em tal frequência, visto que efeito placebo com músico é mato...

Motoqueiro Alienigena
Membro Novato
# jul/13
· votar


Balls Balls Balls Of Steel
Mas se a guita afinada com o A 432hz ao invés do A em 440hz for tocada junto com uma música ou outros instrumentos afinados "normalmente" (440hz) não ia soa ruim, ou like crap como dizem os americanos?

Motoqueiro Alienigena
Membro Novato
# jul/13 · Editado por: Motoqueiro Alienigena
· votar


cara não sabia, pesquisei no google agora.. wow

http://mauromuller.wordpress.com/2013/01/05/mais-sobre-a-frequencia-43 2-hz-8-hz/

brunowebguitar
Veterano
# jul/13
· votar


Balls Balls Balls Of Steel
Um monte de teorias da conspiração e nenhuma explicação técnica.
Se não me engano tem um tópico aqui que fala muito bem sobre essas diferenças entre as frequências na afinação, só dar uma pesquisada que você acha.

Motoqueiro Alienigena
Membro Novato
# jul/13 · Editado por: Motoqueiro Alienigena
· votar


Balls Balls Balls Of Steel
Cara, afinei meu violão aqui e sempre que afino de ouvido e depois passo o afinador ele sempre esta um pouco fora.. e mudei meu afinador aqui para 432hz e afinei, cara ficou interressante, quase do mesmo jeito, se não "igual" quandoa afino de ouvido, mas tem que ser bom deouvido para notar...

:O

brunowebguitar
Veterano
# jul/13
· votar


Motoqueiro Alienigena
Trocando a afinação assim realmente é muito difícil de perceber a mudança. Mas experimenta gravar o som das duas afinações e coloca lado a lado pra ver a diferença que da...

waltercruz
Veterano
# jul/13
· votar


Balls Balls Balls Of Steel
Cara, andei lendo sobre isso um tempo atrás.

Exceto especulações holísticas, não vi nada de concreto. Soa diferente.

Talvez tenha um fundo de verdade, mas até agora não vi base concreta nenhuma.

makumbator
Veterano
# jul/13 · Editado por: makumbator
· votar


Balls Balls Balls Of Steel

Soa diferente, só isso. Há consequências de psicoacústica e mesmo mais ou menos percepção de brilho e peso dos instrumentos, mas não é nada esotérico ou "new age".

Na verdade não existe na prática padrão nenhum, pois nem mesmo o 440Hz é usado de maneira uniforme por todo o mundo. Já disse aqui no FCC e repito: na música erudita o lá em 440Hz é provavelmente o menos usado em muito lugares.

Aqui no Brasil na área erudita praticamente só se usa o 442Hz (como em vários outros países), há lugares em que se prefere o 444, 445, 447, 450 etc...

Na música folclórica realmente de raiz muitas vezes nem se afina com um padrão determinado "cientificamente", e ele com isso foge bastante do 440Hz

Sem contar a a música antiga, em que se usavam vários outros padrões (os mais comuns eram 415, 418 e 430, dependedno da época, lugar e estilo)e sistemas de divisão da oitava diferentes do temperamento igual (e esse sim tem mais influência na sonoridade musical). Nas execuções atuais ditas "autênticas" desse repertório também não usam o 440Hz.

Aqui um exemplo (lá4 = 415Hz e em temperamento desigual Werkmesiter III):

http://www.youtube.com/watch?v=MmzazFIGpYg

Aqui para comparar, uma execução moderna da ária da suíte BWV 1068 de Bach (com instrumentos modernos e temperamento igual, técnica moderna, etc...):

http://www.youtube.com/watch?v=RxasYyoXgHo

Aqui uma execução "autêntica" (com instrumentos de época, temperamento desigual, lá 415 Hz e técnica e estética barroca):

http://www.youtube.com/watch?v=l6Xa4ik3IXE

waltercruz
Veterano
# jul/13
· votar


makumbator
Bela aula! :)

Lelo Mig
Membro
# jul/13 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Balls Balls Balls Of Steel

O makumbator já deu a resposta perfeita... qualquer coisa além disso é besteira.

Até porque se tocar um Lá de 432 Hz e depois de um tempo um de 440 Hz, nem o Hermeto Paschoal percebe a diferença entre eles.

A única coisa que importa é que todos os instrumentos estejam afinados no mesmo padrão Hz, se é 432, 440 etc, pouco importa. O que faz orquestras, principalmente, usarem outros padrões, além da tradição e cultura, é a necessidade em função de alguns instrumentos de afinação mais rígidas, porque é fácil você afinar um instrumento de corda, com precisão, em qualquer padrão, mas o mesmo não vale para um Oboé, por exemplo. Então existe a necessidade de manter o melhor padrão em Hz para esses instrumentos.

Balls Balls Balls Of Steel
Membro
# jul/13
· votar


Lelo Mig
Dizem teorias que a frequência em 432hz, por estar em "harmonia" com vibrações da água, teria um efeito em cadeia sobre a acústica. Bem efeito borboleta mesmo...

Mas são só teorias, nada provado.

Lelo Mig
Membro
# jul/13 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Balls Balls Balls Of Steel

Cara, aí é pessoal... nada contra essas teorias e as respeito.

Contudo, pessoalmente, sou um homem cético, meu mundo é o da ciência.

Qualquer coisa que não passe num teste científico, preciso, em ambiente controlado e com todo o protocolo científico aceitável, prá mim não passa de especulação, crença, sobrenatural e etc, portanto, desprezível.

Mas, repito, é opinião pessoal.

makumbator
Veterano
# jul/13 · Editado por: makumbator
· votar


Balls Balls Balls Of Steel
Dizem teorias que a frequência em 432hz, por estar em "harmonia" com vibrações da água, teria um efeito em cadeia sobre a acústica. Bem efeito borboleta mesmo...

Mas são só teorias, nada provado.


Muito disso é reflexo da antiga música dos corpos celestas (ou música das esferas) que é uma teoria vinda da Grécia antiga, e que perdurou com algumas modificações até boa parte do séc XVII. É basicamente o cálculo das frequências dos corpos celestes em função de seu movimento.

Mas não possui fundamento real. O que se faz modernamente é tentar forçar e relacionar essa antiga teoria com as descobertas das partículas emitidas por corpos celestes e do universo em geral (radiação de fundo, por exemplo). Mas nada disso tem relação com música, e nem efeito "new age".

É basicamente pseudo-ciência.

Lelo Mig
mas o mesmo não vale para um Oboé, por exemplo. Então existe a necessidade de manter o melhor padrão em Hz para esses instrumentos.

Inclusive, muitos instrumentos de sopro modernos nem são construídos para serem afinados em 440Hz (que é considerado muito baixo para qualquer orquestra). O instrumento fica quase todo aberto, já caindo e desmontando...hsahsah! 432Hz então a maioria nem chega. Teria que ser instrumento feito como os de "época", que vão até 415 Hz facilmente.

fernando tecladista
Veterano
# jul/13
· votar


É muito difícil confiar em alguém afirmar que uma música soa mais bela em tal frequência, visto que efeito placebo com músico é mato...

lembrei dessa coisa de afinar instrumento 1/2 tom abaixo porque acham que fica mais \m/ \m/

Balls Balls Balls Of Steel
Membro
# jul/13
· votar


makumbator
Na verdade essa nova tem um fundamento científico, pois toda matéria possui uma frequência de vibração.

Exemplo disso é quando você toca nota X e sua mesa começa a vibrar. Agora, se essa ressonância tem efeito na sonoridade da música, também sou meio cético.

makumbator
Veterano
# jul/13 · Editado por: makumbator
· votar


Balls Balls Balls Of Steel
Na verdade essa nova tem um fundamento científico, pois toda matéria possui uma frequência de vibração.

Exemplo disso é quando você toca nota X e sua mesa começa a vibrar. Agora, se essa ressonância tem efeito na sonoridade da música, também sou meio cético.

Mas o que tem de esotérico nisso? Nada, é física das mais rasteiras. E nem um pouco novo.

O problema é querer atrelar um efeito comum como esse ao comportamento das pessoas, como se houvesse alguma relação entre fazer música no padrão 432Hz (ou qualquer outro) e o efeito que a mesma causa no ouvinte só por causa da frequência de afinação.

Olha só esse trecho retirado do link que o Motoqueiro postou:

"Os instrumentos afinados em “A=432 Hz” parecem se alinhar aos padrões naturais, um fenômeno que pode apoiar a ideia científica disto, estão baseados na quantidade de parciais de “A=432 Hz” de uma escala musical que parece estar correlacionada com o sistema orgânico e a mensuração do movimento planetário, o Sol e Saturno."

Isso é pseudo ciência das brabas!

Qual a relação entre o movimento de alguns planetas distantes e uma nota que você toca na sua casa? Nenhuma!!!

Isso é música das esferas reciclada. E repito: essa teoria foi criada calculando-se qual seria o "som" da órbita de cada planeta, e não tem nem relação com a vibração dos corpos (como você comentou). É bobagem...

Ken Himura
Veterano
# jul/13 · Editado por: Ken Himura
· votar


Eu só gostaria de saber quem foi o "descobridor" desde número, 432. Parece um lance como os de LOST, hahaha!

Outra coisa que me deixa intrigado com a criatividade do pessoal pra essas maluquices é por que uma frequência-base seria mais "natural" que a outra? Visto que ambas são números naturais e podem ocorrer tranquilamente em fontes sonoras da Natureza.

Buja
Veterano
# jul/13
· votar


Motoqueiro Alienigena

http://mauromuller.wordpress.com/2013/01/05/mais-sobre-a-frequencia-43 2-hz-8-hz/


Completamente louco quem escreveu isso dai. Tava numa maconha danada.

Ken Himura
Veterano
# jul/13
· votar


Balls Balls Balls Of Steel
Agora, se essa ressonância tem efeito na sonoridade da música, também sou meio cético.
Ressonância é o "segredo" de instrumentos como a cítara, por exemplo. Procure por "vibração por simpatia" ou "cordas simpáticas".

JJJ
Veterano
# jul/13
· votar


Conforme aumenta a idade, o LÁ vai baixando... até chegar em meio tom abaixo dos 440... hehehe

Adler3x3
Veterano
# ago/13 · Editado por: Adler3x3
· votar


Tudo é relativo.
A própria escala temperada é de certa forma arbitrária.
Muitos instrumentos não tem trastes que limitam as notas.

O certo é que tudo esta em movimento.
E a principal força conhecida e estuda pela ciência é a lei da gravidade.
O universo como um todo esta em expansão, em constante movimentação.
Assim também este conceito de nota e afinação universal também é um conceito arbitrário.
Na própria natureza, você pode encontrar um toco de madeira oco, e usar como uma espécie de instrumento e gravar, e depois graças aos recursos tecnológicos medir a afinação.
E tempos depois voltar e medir de novo.
Como o toco esta no ar livre sujeito as intempéries vai estar mais podre e com uma afinação diferente.
E assim até um tronco de arvore vivo, tem uma certa afinação, mas daqui mais um tempo vai ter outra diferente.
Já os metais demoram muito mais para sofrer deterioração.
Pois tudo esta em movimento.
Você afina o violão, e deixa guardado , daqui mais um tempo vai estar com uma afinação mais baixa.
Você pode afinar garrafas de vidro com água, conforme vai adicionando mais água se muda a afinação.
Você pode conseguir até afinar dentro dos padrões da escala temperada.
Mas depois a própria evaporação vai desafinar., e isto é um processo natural, e não tem sentido negativo.
A vida e a morte.
A árvore gera vida com frutos com sementes
A árvore morre.
A semente morre (apodrece), e é absorvida pela terra e renasce como árvore..
O padrão atual da nota lá de 440 hz só foi conseguido graças a evolução da tecnologia de medição.
Antes disto se seguiam outros valores conforme a própria evolução da música e das possibilidades dos instrumentos.
Os instrumentos tem afinações diferentes na história da música.
O mais importante é a sequência das notas num instrumento, e a medida que o músico vai subindo ou descendo as notas estejam compatíveis com a própria matemática das notas musicais, que conforme a sua construção pode ter uma afinação ideal diferente dos padrões.
É puro preconceito afirmar que a afinação de 440 hz é materialista, que é do Rock e de outros estilos, e que a simples diferença de 8 resulta em um desiquilíbrio na pessoa.
Lembro que quase no final da idade média a simbologia dos números evoluiu, na Europa se usavam os algarismos romanos, e para fazer contas tinha que usar o velho Ábaco.
Não existia precisão.
Tente fazer contas com algarismos romanos, até as mais simples são difíceis.
Você pode fazer e dizer que é fácil, mas na verdade você esta transformando os números romanos em número hindus.
Esta lendo em romano mas fazendo as contas em hindu.
E esta raciocinando nos números com os desenhos modernos, e aí fica fácil.
Digo hindus, pois não foram os Árabes que inventaram este sistema, e sim foram os que divulgaram, e os verdadeiros inventores foram os Hindus.
Assim tudo é especulação, pois em boa parte da história não existiam os números para expressar qualquer tipo de afinação.
Assim se for para pesquisar tem que estudar a afinação dos instrumentos mais antigos do mundo que sobreviveram, que acredito que sejam os sinos, mas não sei dizer qual o instrumento musical mais antigo totalmente preservado.

E esta afirmação de 432 hz não se sustenta, nem nos mitos antigos, pois não existiam formas de medição para dizer que eram de 432.
O próprio conceito de hz foi criado muito depois, assim como os próprios números.
E o próprio atual sistema de medição não é perfeito para avaliar corretamente todas as afinações.
Imagine avaliar a afinação do universo?
Dependendo dos instrumentos, de preferência acústicos , pode variar o que soa melhor. Tanto pode ficar melhor em 432 como em 440, e isto também vai depender do tempo de uso das cordas.
Então para melhor análise teria que pegar um outro instrumento, como os de sopro, ou até os de metal (sinos).
Existem maravilhosas músicas feitas no padrão 440 hz que encantam e não tem nada de negativo, muito pelo contrário.
Agora ficar pegando programas que mudam o pitch da música não me parece que vá melhorar nada, muito pelo contrário, (estão pegando um instrumento natural afinado em 440, e forçando digitalmente para ficar com 432, alegam ser naturalistas, mas estão na verdade distorcendo o natural) pois esta se fazendo uma alteração digital de uma gravação analógica (e mudando o som original), e muitos instrumentos podem dar problemas, no caso dos 8hz ocorre uma redução, e conforme a mixagem pode parecer que soa melhor, mas isto é pura ilusão, se fosse o contrário aumentar 8 hz conforme os instrumentos pode soar pior, mas tudo isto é relativo.
E como o Makumbator explicou muitas orquestras usam instrumentos de época, e afinações de época.
E assim no caso destas gravações não faz sentido diminuir 8 hz.
Mas isto dever ser uma coisa que os inventores da teoria dos 432 ignoram.
E existem mixagens e mixagens, eu posso propositalmente usando outras técnicas fazer uma mixagem parecer melhor que a outra artificialmente, sem que a diferença dos 8 hz tenha real importância.
E aí divulgo uma nova teoria, ganho notoriedade escrevo livros e faço softwares e acabo vendendo e ganhando dinheiro.
E muitos na ignorância vão divulgando a nova teoria, que se diz baseada num passado perdido, mas que ninguém conhece, nem mesmo o autor da teoria.

Tudo esta em movimento.
E música é movimento, as notas se movem.
A escala é arbitrária, pois na natureza não se movem da mesma forma que num instrumento moderno.
E o instrumento é uma invenção que contorna e ajusta estes movimentos, e assim numa sequência de notas soa bem, não importa a afinação.

Adler3x3
Veterano
# ago/13 · Editado por: Adler3x3
· votar


Makumbator

Qual a relação entre o movimento de alguns planetas distantes e uma nota que você toca na sua casa? Nenhuma!!!

É imperceptível.
Mas tudo esta relacionado, e vou tentar explicar.
Todo o universo esta num equilíbrio graças a uma das principais leis do universo que o homem já descobriu "A Gravidade".
E a gravidade esta relacionada com a massa, quanto mais massa mais gravidade.
Assim um asteroide que vagava nos confins do universo certo dia passou perto da terra e foi atraído pela força da gravidade e caiu na terra.
Ao cair na terra , o planeta ficou com mais massa, e em consequência com um poder gravitacional maior, mesmo que imperceptível é inconteste que houve uma mudança, bem sutil.
As cordas que ficam suspensas no violão por exemplo estão sujeitas a lei da gravidade, quanto mais forte a gravidade mais as cordas mesmo presas são atraídas para baixo.
E os astros se relacionam de acordo com a lei da gravidade, uns atraindo os outros quando tem mais força que a força de expansão.
Para tocar instrumentos de percussão a gravidade afeta a força necessária para se bater.
Claro num pequena fração de segundos, dias , e anos isto tudo é insignificante, mas no decorrer dos milênios faz diferença.
E assim todas as afinações no universo estão em constante mudança.
Claro que na nota que você toca na sua guitarra não afetou nada, pois o instrumento foi construído para aguentar as tensões e segurar as afinações por certo tempo.
Mas numa escala mais ampla (universal) afetou às partes do todo.

JJJ
Veterano
# ago/13
· votar


Adler3x3
Bagulho bom esse, hein?


hehehe
brincadeira!

makumbator
Veterano
# ago/13 · Editado por: makumbator
· votar


Adler3x3

tava inspirado hein? Saiba que eu li tudo.

Agora ficar pegando programas que mudam o pitch da música não me parece que vá melhorar nada, muito pelo contrário, (estão pegando um instrumento natural afinado em 440, e forçando digitalmente para ficar com 432, alegam ser naturalistas, mas estão na verdade distorcendo o natural)

Pois é. É o que essas "remixagens" aí fazem. Os caras lá do link vendiam um CD de "cura", que na descrição era basicamente isso. Músicas selecionadas com alteração global do padrão de afinação.

E do que eu ouvi no exemplo é bem possível que várias estivessem fora do 440Hz na origem (tinha música orquestral), e portanto fora do 432Hz com a alteração artificial posterior (provavelmente eles nem sabiam que se usam vários padrões, e acreditaram na lenda que o mundo todo segue o 440Hz).

É imperceptível.
Mas tudo esta relacionado, e vou tentar explicar.


Em um certo nível está mesmo relacionado. Mas como você mesmo colocou, a influência é desprezível. Mas tem um ala de "new ages" (não tenho um termo melhor para chamá-los) que adora pegar qualquer coisa nova na ciência (principalmente na física) e reformular em algo milagroso (é claro) e altamente zen. E quase sempre atrelam a uma teoria qualquer antiga (como nesse caso) só para dar um ar mais "histórico" no lance.

Ken Himura
Eu só gostaria de saber quem foi o "descobridor" desde número, 432. Parece um lance como os de LOST, hahaha!

Outra coisa que me deixa intrigado com a criatividade do pessoal pra essas maluquices é por que uma frequência-base seria mais "natural" que a outra? Visto que ambas são números naturais e podem ocorrer tranquilamente em fontes sonoras da Natureza


O mais curioso é que eles pensam que o sistema musical de temperamento igual(ou qualquer outro) é super "natural"... não sabem que o próprio sistema foi uma construção humana aproveitando certas características da natureza, mas sem segui-las totalmente.

Adler3x3
Veterano
# ago/13
· votar


Makumbator

Não tem nada de esotérico, nem de zen nem de new age.

Esotérico é o que esta oculto dentro de um certo conhecimento.
E por estar oculto necessita das chaves corretas de interpretação.
E assim não existem lojas de produtos esotéricos, pois o que esta oculto, oculto esta.
Não é a venda de Incenso , Florais de Bach, Feng Shui, Tao , Cromoterapia, Musicoterapia, Livros espiritualistas, Filosofia, e outros que fazem com que a loja seja esotérica.
O termo esotérico perdeu o seu real sentido no mundo moderno.
Da mesma forma, o "Zen" que é uma forma de pensamento influenciado pelas religiões orientais.
New age, é nova era, um novo ciclo.
E assim deformam estes termos para adequar as suas elucubrações mirabolantes em outro contexto.
Na verdade não detém o verdadeiro conhecimento sobre as coisas que dizem ter.
E assim deformam tudo, e os próprios termos "esotérico", "oculto", ciências ocultas""zen", "new age", "misticismo e muitos outros que com tempo vão perdendo o seu sentido original, e os conceitos se degradam..
Foram fragmentos de um conhecimento fora do contexto que chegaram a mão de pessoas despreparadas, que tentam interpretar o passado, o presente e o futuro de forma totalmente equivocada.
E assim misturam tudo, e fica uma salada só.
A própria Astrologia foi totalmente deformada, e perdeu o sentido, pois na antiguidade muitos planetas do nosso sistema solar eram desconhecidos.
Depois com e evolução da ciência, descobriu-se outros planetas, como por exemplo, Urano e Netuno, e depois Plutão.
Aí o que fizeram, adaptaram.
E recentemente o Planeta Plutão perdeu entre os cientistas o status de planeta.
E agora o que vão fazer? readaptar?

Adler3x3
Veterano
# ago/13 · Editado por: Adler3x3
· votar


Ken Himura
Eu só gostaria de saber quem foi o "descobridor" desde número, 432. Parece um lance como os de LOST, hahaha!

Eu desconfio do seguinte.
Devem ter se baseado na numerologia, e existem diferentes sistemas.
Num sistema:
4+3+2=9
e num sistema o 9 (nove) representa o número da humanidade.
Já o:
4+4+0=8
com o oito deitado representa o símbolo do infinito. (o santo oito dos antigos)
E pode ter mais interpretações complementares.
Eu poderia alegar numa nova teoria que este número é melhor e superior ao 432.
E o melhor de tudo ainda teria o apoio do cálculo de medição da ciência atual que fixa o lá em 440,00
E assim pode-se perceber como se pode jogar com os números fora do contexto.
Mas esquecem que na conta do Hz, podem existir mais números depois da vírgula, depende da precisão em que você esta trabalhando.
Assim o 432.00 pode ser 432,02, que dá outro resultado completamente diferente.
E eu poderia pegar qualquer outra nota para dentro da unidade em hertz para usar no meu próprio sistema de afinações.
Coincidência ou não pegaram a mesma nota o lá que dá 440,00 (com dois zeros após a virgula) e adaptaram também para 432,00.
Muitas notas da escala temperada tem mais números depois da vírgula.
Eu poderia pegar o FA# (fá sustenido) 370.
3+7+0=10
que é ao mesmo tempo o princípio e o fim dizer que é melhor.
1+0=1
Tudo começou no um e evolui ao todo, e depois reduziu-se ao um.
Ou seja tudo saiu do um e volta para o um.
Ou também tudo saiu de Deus e voltara para Deus.
Pronto, por favor afinem tudo em FA#.
E poderia viajar e dizer que a nota mais importante é o FA#.
Nenhuma nota é superior a outra,é o movimento que traz a beleza a música.
Assim a coisa foi forçada no universo relativo dos números.
E acharam que o número 432 é melhor que o 440.
Mas também esquecem, que no mundo oriental ou até entre os nativos de vários continentes existem outras escalas musicais.

Will_NSNTP
Veterano
# ago/13
· votar


Vídeo comparando Lá 440 Hz e Lá 432 Hz no violão. Pelo jeito tem uma baita diferença.


Adler3x3
Veterano
# ago/13 · Editado por: Adler3x3
· votar


Nesta peça de Bach.
Me pareceu que soa melhor em 432.
Tive esta impressão.

Makumbator, você que estuda música mais a fundo.
No tempo de Bach a afinação estava mais para 440 ou mais para perto de 432?
Seria 415? quase um Sol#
E se é isto mesmo, a tendência natural seria de que a música soa-se melhor na afinação original, principalmente considerando que é uma obra de Bach.
E outro ponto a música tocada no violão esta respeitando a partitura original, ou é uma transposição?

Assim nós vamos longe...

Adler3x3
Veterano
# ago/13
· votar


Dei uma pesquisada e não encontrei nada oficial numa Lei da França que comentaram que fixou os tais 432.

links:

sobre o diapasão em geral na linha do tempo:

http://www.theodora.com/encyclopedia/p2/musical_pitch.html

sobre a lei francesa de 1859, mas o texto esta em inglês:

http://archive.spectator.co.uk/article/12th-march-1859/14/pitch-reform -in-france-and-england

makumbator
Veterano
# ago/13 · Editado por: makumbator
· votar


Adler3x3
No tempo de Bach a afinação estava mais para 440 ou mais para perto de 432?
Seria 415? quase um Sol#


Dependia um pouco da região, e também do estilo. O mais comum na época e lugar do Bach era o 415Hz. Mas se usava 430 e 418 Hz também para certos estilos (por estilo eu estou englobando os diferentes ambientes acústicos, tamanho do grupo, tipos de instrumentos tocados e estilo musical também).

Mas definitivamente o 415Hz era mais comum e difundido. E é comprovado que Bach preferia temperamento desigual ao igual.

E se é isto mesmo, a tendência natural seria de que a música soa-se melhor na afinação original, principalmente considerando que é uma obra de Bach.

Em geral sim, mas obviamente como você sabe isso depende também da resposta de ressonância particular do instrumento em questão, a acústica do ambiente, etc...

Uma coisa importante de frisar é que o temperamento igual não era usado quase nunca (era conhecido, mas pouquíssimo utilizado). A afinação favorita do Bach ao que se sabe era o temperamento desigual Werckmeister III em 415Hz.

Em geral é assim que a música dele soa melhor, com um lá bem mais baixo que os atuais (próximo de meio tom abaixo do atual) e principalmente em um sistema diferente do de hoje. Nos temperamentos desiguais cada tonalidade soa realmente diferente (tanto que definir o tom a se compor era muito importante, e ligado ao estilo e "afeto" da composição), ao contrário do temperamento igual (em que é tudo igual).

No temperamento igual um dó maior soa igual a um ré maior (analisando-se a relação dos intervalos de cada um). O mesmo não ocorre no desigual, uma vez que há intervalos mais curtos ou longos que outros.

Um efeito legal é que neles as modulações no decorrer de uma música soam também mais interessantes do que no temperamento igual. Tanto que nos métodos de composição da época isso era discutido amplamente.

Apesar do temperamento igual ser realmente perfeito para música com muito cromatismo, e frequentemente modulante.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Lá em 432hz soa melhor que em 440hz E Provas?!