Influencia X Identidade

Autor Mensagem
Shafik
Membro
# ago/13


Bom dia caras!
Eu gostaria de levantar um questão em que eu me cobro muito, que é a identidade ( diga-se vocabulário do guitarrista, como ele interpreta o som do instrumento, como ele FALA com a guitarra) e o ato de se aprender a tocar som de terceiros ( lendas, virtuosos e os sem técnicas tmb ). Eu acredito que quando iniciante o ato de se aprender um som de terceiros, é bem legal, da um gás nos estudos ("pow, já sei tocar musica Led!!") e de certa forma você acaba aprendendo sim alguma coisa, mas por outro lado, você absorve muito do compositor/guitarrista da musica em questão, e isso se transforma em influencia, onde no final das contas você acaba soando igual ao mesmo, pelo simples fato de já conhecer os fraseados ou os "desenhos" que o cara faz, e acaba aplicando isso ao seu som, no que implica naquele comentário que nenhum guitarrista (que compõe) gosta escutar: " Pow isso me parece tal musica de fulano de tal"
Enfim, claro que esse dilema se encaixa a quem quer ter um som próprio e tentar inovar ( se isso ainda é possível ) no mundo da guitarra, mas e vocês, o que acham do assunto!?

BrotherCrow
Membro Novato
# ago/13
· votar


Shafik
Cara, acho que hoje em dia é difícil "reinventar a roda" quando se trata de tocar guitarra. Todo mundo começa aprendendo algo dos artistas que admira. Você citou o Led Zeppelin, que é um ótimo exemplo, porque o Jimmy Page era um músico de estúdio que tocava tudo que aparecia na frente e absorvia influência de muita gente. Mesmo ao longo da carreira da banda ele continuou mudando e agregando coisas novas ao som (a influência oriental, o reggae até um pouco do som dos punks que desprezavam o Zeppelin!). Minha opinião é só que, se vc vai aprender algo de outro guitarrista, aprenda direito. Entenda a escala que o cara usa, tente descobrir por que ele usou tal técnica em tal solo, tente entender o jeito como ele compõe, em vez de só decorar. Às vezes você aprende mais com uma boa entrevista do que com a tablatura!

ALF is back
Veterano
# ago/13
· votar


Shafik
eu já acho importante que parte do aprendizado seja estudar e tirar composições...
até pq é inevitável vc aprender a escala pentatonica, tocar um lick q vc pensa ser seu, e se dar conta de q vc já ouviu ele varias vezes em musicas diferentes...
Pra falar com a guitarra, é necessário desenvolver a musculatura da lingua (dedos), incorporar um vocabulário, e ter com quem falar...acho tudo isso importante no aprendizado!

SuicideGuy
Membro
# ago/13 · Editado por: SuicideGuy
· votar


Shafik
Eu como a esmagadora maioria comecei querendo ser igual ao guitarrista X, depois comecei a gostar mais do guitarrista Y e quis ser igual a ele e assim por diante (eu tentava imitar até a altura da alça do cara no corpo). Hoje estou viciado em aprender técnicos e teorias que são comuns a todos os guitarristas, pois quero o meu próprio som. Pretendo ser o menos influenciado possível. Quero um dia influenciar e não ser influenciado. Sei que isso parece soar quase impossível as vezes. Mas ao contrário do que o BrotherCrow disse, não acho difícil reinventar a roda não. Isso é até fácil. Difícil mesmo é inventar um novo modelo de roda que rode tão bem quanto as que já existem. A todo momento aparece um cara tocando a guitarra de um jeito diferente de tudo que você já ouviu. O problema é que em 99% das vezes você ouve esse som único e pensa: "Mas que p... é essa?".

Enfim, pode ser que eu nunca obtenha sucesso, mas quero meu próprio som, minha própria tunada de guitarra, minha própria altura de alça. Quero que você ouça minha música pela primeira vez e diga: "Ahh isso é do SuicideGuy não é?".

Mas eu só tenho esse pensamento pq estou pensando em ser realmente profissional (viver disso caso dê certo). Se o cara vai fazer isso por hobbie ou não pretende viver disso, acho legal ele querer sempre soar como alguma guitarrista já consagrado, não vejo nada demais nisso. Não importa como você vai fazer, o importante é ser feliz. É antes de começar a tocar pensar onde você quer chegar. Depois disso seguir o caminho certo até lá.

EDIT:
Quando eu vejo músicos infelizes tentando soar como seu ídolo, na verdade não tem nada a ver com ele soar diferente. Na maioria das vezes o cara que corre atrás e trabalha duro consegue soar como o ídolo. O problema de infelicidade está no cara que diz que quer soar como o ídolo, mas na verdade está se enganando, pois o que ele sempre quis na verdade é SER ESSE ÍDOLO. Gente, é impossível SER alguém que já existe. Se alguém quer ter o mesmo som do ídolo, deveria ficar feliz quando conseguisse e não se martirizando sempre com a sensação de que falta algo. Ninguém nunca vai ser o próprio.

Shafik
Membro
# ago/13
· votar


Eu como a esmagadora maioria comecei querendo ser igual ao guitarrista X, depois comecei a gostar mais do guitarrista Y e quis ser igual a ele e assim por diante (eu tentava imitar até a altura da alça do cara no corpo). Hoje estou viciado em aprender técnicos e teorias que são comuns a todos os guitarristas, pois quero o meu próprio som. Pretendo ser o menos influenciado possível. Quero um dia influenciar e não ser influenciado. Sei que isso parece soar quase impossível as vezes. Mas ao contrário do que o BrotherCrow disse, não acho difícil reinventar a roda não. Isso é até fácil. Difícil mesmo é inventar um novo modelo de roda que rode tão bem quanto as que já existem. A todo momento aparece um cara tocando a guitarra de um jeito diferente de tudo que você já ouviu. O problema é que em 99% das vezes você ouve esse som único e pensa: "Mas que p... é essa?". Enfim, pode ser que eu nunca obtenha sucesso, mas quero meu próprio som, minha própria tunada de guitarra, minha própria altura de alça. Quero que você ouça minha música pela primeira vez e diga: "Ahh isso é do SuicideGuy não é?".Mas eu só tenho esse pensamento pq estou pensando em ser realmente profissional (viver disso caso dê certo). Se o cara vai fazer isso por hobbie ou não pretende viver disso, acho legal ele querer sempre soar como alguma guitarrista já consagrado, não vejo nada demais nisso. Não importa como você vai fazer, o importante é ser feliz. É antes de começar a tocar pensar onde você quer chegar. Depois disso seguir o caminho certo até lá.EDIT:Quando eu vejo músicos infelizes tentando soar como seu ídolo, na verdade não tem nada a ver com ele soar diferente. Na maioria das vezes o cara que corre atrás e trabalha duro consegue soar como o ídolo. O problema de infelicidade está no cara que diz que quer soar como o ídolo, mas na verdade está se enganando, pois o que ele sempre quis na verdade é SER ESSE ÍDOLO. Gente, é impossível SER alguém que já existe. Se alguém quer ter o mesmo som do ídolo, deveria ficar feliz quando conseguisse e não se martirizando sempre com a sensação de que falta algo. Ninguém nunca vai ser o próprio.

Cara, MUITO OBRIGADO por participar desse meu tópico, fico feliz com teu ponto de vista. O verdadeiro propósito desse tópico é de fato uma questão particular minha, mas agora vou esclarecer justamente por esse tipo de comentário feito o teu.
Eu toco guitarra a quase dois anos ( creio que 1 ano de violão e 1 de guitarra saca?), e des dos primórdios eu sempre achei incrível como uma pessoa conseguia mudar os dedos no braço do violão e ele mudar o som, ( isso parecia impossível para uma pessoa como eu), pq meu irmão já tocava violão popular queles fala.... então a partir do momento em que eu decidi aprender violão/guitarra, eu quis entender COMO ele funciona, e percebi que é infinito, que uma escala desse tipo de instrumento tem possibilidades infinitas, e decidi que não queria ser como todo mundo que toca o negocio, que na MINHA imagem ERA a seguinte: Aprende cifra > Compra livrinho de banca de 1,50 do Daniel, Bruno e Marrone, Capital e "tirava".. enfim... era assim, pq eu sempre convivi com esse tipo de "instrumentista", eu queria ( e to quase lá ) ter o meu "jeito de anda", " vocabulário", "fraseado", "padrão.. enfim creio que você entendeu, de INTERPRETAR o instrumento de uma maneira que eu goste, que eu me familiarize e que eu me expresse bem.
Com esse objetivo me propus a não tocar nada de ninguém ( no que se diz a estudar, entender pq de ouvido sempre sai uns chicréte que agrunda e num sai da cabeça >.< ) para eu não pegar o "jeito" de andar ou falar ou frasear do artista em questão.
Comclusão, todos meus amigos me chamam de louco, sempre com vários argumentos tipo: "manu quer dizer que se vc pega um violão numa roda de churras se num sabe toca um nada?".... dentre outros vários que nem vo colocar pq se não o post fica mais grande do que tá...
Eu sou do tipo de guitarrista que se você falar assim: Cara, vamo faze um som junto! O que se toca? - eu vou responder - Cara toca num toco nada assim não, mas vamos vê o baruio que se faz ae, as vezes sai alguma coisa né..."
Enfim é mais ou menos esse o motivo se é que vc entendeu alguma coisa...

SuicideGuy
Membro
# ago/13
· votar


Shafik
Rapaz, eu até me desculpo com você. Eu dei uma resposta baseada na minha experiência pessoal, mas foi uma resposta genérica pra todos os guitarristas que gostam mais de "identidade" e todos os que preferem "influência". Acabei não focando minha resposta na sua pessoa, pois achei que você queria só levantar o assunto de uma forma que atingisse a todos.

Bom, eu entendi o que você quis dizer sim (embora eu não tivesse dado o foco que você queria na sua pessoa). Entendi ainda melhor com sua segunda postagem no tópico. O que eu posso dizer, agora direcionando a você é que está tudo dentro da normalidade cara. Você começou pegando músicas de terceiros pq tem mesmo que ser assim, por mais que você aprenda teoria e prática, sua primeira música executada não vai ser uma composição própria. Mas agora que você está mais entendido você não só quer se aperfeiçoar sem pegar trejeitos e fraseados de outros guitarristas, como traçou uma meta onde pretendo tirar o próprio som e própria identidade. Estou acertando até o momento?

Mas bem, se você pretende trabalhar com isso, vai ser inevitável que você em algum momento tenha que tocar músicas de outros artistas, tanto a pedido do público quanto a pedido de quem te contratou, ou simplesmente por estar dentro do contexto do evento onde você vai tocar. Acho bacana você querer fazer seu próprio som quando seus amigos te chamam pra tocar (o Red Hot Chilli Peppers cria músicas exatamente do jeito que você descrever, na base do "toca ai, vamos ver o que sai). É preciso ter muita personalidade pra isso, e você está indo bem em termos de atitude. Só não fique com medo de pegar outras músicas e técnicas, não por causa das rodinhas de violão, mas pelo fato disso também acrescentar a você como músico e de abrir um leque maior de possibilidades.

Bom espero ter entendido melhor sua colocação e como você tornou ela pública, espero que também possa absorver algo da bom da opinião que eu tentei expressar sobre a sua colocação. ^^
Abraços!

felipelfln
Veterano
# ago/13
· votar


Todo artista começa copiando alguem. Eric Clapton (li na biografia dele), John Mayer, Guthrie Govan (ele disse num vídeo), a maioria.... Não tem nada de errado nisso. O importante é descobrir o que vc gosta de tocar, descobrir seu som e essa vai ser sua identidade. Zakk wilde tem um estilo bem peculiar, mas tudo o que ele faz sao licks de penta que outros guitarristas ja faziam, porem com mais ganho e uma pegada equina.

BrotherCrow
Membro Novato
# ago/13
· votar


felipelfln
Essa da "pegada equina" foi boa. Mas é real, até o Malmsteen que às vezes fala em entrevista que nem escuta rock (só música clássica) gravou um disco de covers que era quase metade Ritchie Blackmore.

Skapunk
Veterano
# ago/13
· votar


Minha opinião, músico (guitarrista, pianista, percussionista) é gente normal igual todo mundo, ouve música, vai em shows (deveria, pelo menos), o diferencial é que ele gosta de música a ponto de querer fazer música. Ele sempre será influenciado. No caso dos guitarristas, a influência será ou por guitarristas ou até por coisas nada a ver com guitarra ou com rock especificamente. É isso que eu acho legal e que começa a imprimir um estilo no cara. Não ter medo de experimentar. De querer ir além.

Como já disseram nos "posts" acima, boa parte das técnicas já foram inventadas e usadas à exaustão, efeitos e distorções também... Ai é que está. O cara tem todo um universo musical para se inspirar e fazer o seu som. Antes de querer fazer música, é muito bom gostar de música também.

Por mais que eu tenha começado a tocar guitarra porque era fã de Guns n' Roses e de Skid Row, com o tempo eu fui conhecendo Crash Test Dummies, Systers of Mercy, Lacrimosa, Rammstein, Katzenjammer, Pascal Pinon, alguns desses nada a ver com rock n' roll, mas que me ajudam muito a diferenciar meu som... E a diferenciar minhas composições fora do esqueminha Intro, riff, verso, refrão, riff, verso, ponte, solo, verso, fim...

Sem medo de experimentar. Na música tudo é permitido. Abraço.

BrotherCrow
Membro Novato
# ago/13
· votar


Skapunk
Pô, Sisters of Mercy, muito bom!

Shafik
Membro
# ago/13
· votar


Eu não toco absolutamente nada de outras pessoas, admiro muito os solos, as melodias e composições de uma forma geral, mas eu não consigo "me permitir" por hora a "entender" o que eles fazem... o pior (ou não) é que eu não sinto esse desejo mais de querer tirar tal som de tal artista, e sim de aprender mais sobre o próprio instrumento para conseguir finalmente tocar de uma maneira minha. Mas esse é um caminho muito árduo e ingrato de se seguir no instrumento, porque 98% das pessoas que tocam o instrumento não querem e não buscam uma pessoa assim, a galera quer alguém que toque musicas já dos figurinhas, dos virtuosos e dos "sem técnicas". Por isso resolvi mês que vem compra um pedal de loop, pq assim posso fazer meu som sem depender de outros seres humanos, diga-se de passagem os que eu conheço aqui só quer saber de vagina>droga>cerveja>vagina e droga.... >.<
Eu tenho total ciência que ao se propor em tocar som dos caras fodas, agente aprende MUITO também, só que eu ainda não estou nesse momento (pra min), eu estou procurando uma galera aqui em minha cidade que curta um improviso pra ver se dou pernas ao meu estudo, não importa do que seja, blues, rock, metal... mas ta difícil.

SuicideGuy
Membro
# ago/13
· votar


Shafik
É difícil mesmo achar gente que queira fazer um som próprio, já sofri muito com isso também. De qual cidade você é? Conheço algumas bandas que só admitem repertório próprio Brasil a fora, talvez eu conheça alguém próximo de você que possa te ajudar.

OBS: Som próprio ou não, quando você expor sua performance, vão surgir cervejas, vaginas e drogas (o famosos sexo, drogas e rock and roll). Se você conseguir sucesso com repertório próprio a coisa é ainda mais intensa. Então tenha cabeça. Embora todo mundo julgue ser desnecessário dizer, a grande maioria das pessoas não faz a menor ideia de onde está se metendo e das coisas que vão surgir (inclusive os que dizem que não precisam ser avisados).

Shafik
Membro
# ago/13
· votar


HUauhUAhuAhuAuAhua... entendi, eu to ligado dessas consequências e até as desejo *,* ... mas é que tem-se hora pra tudo né... hehe e quando o assunto é hora pra musica eu realmente levo a sério.
Então cara, sou de São José do Rio Preto - SP ....

SuicideGuy
Membro
# ago/13
· votar


Shafik
Em São Paulo só conheço banda autoral em Novo Horizonte e Rio Claro. Conheço também o MindFlow na capital (melhor banda nacional na minha opinião), mas esses ai são gente grande, estão mais tempo fora do pais do que perto da sua casa.
=(

Vira e meche estou tendo contato com alguns músicos de vários lugares, se eu souber de alguém da sua cidade eu pego contatos e te mando mensagem pelo fórum.
Abraços.

Keith.Scott
Veterano
# ago/13 · Editado por: Keith.Scott
· votar


Shafik
Fala cara!!!
Bacana vc ter levantado essa questão! É algo que acontece frequentemente, mas nem sempre é "discutido".
Eu, basicamente, sempre parti do mesmo principio que vc!
Iniciei minha 'carreira' musical no piano, com 7 anos de idade... e com 11 parti para o violão/guitarra. Foi aí que encontrei de verdade a musica, e descobri o que eu realmente queria ser: guitarrista, por essência (apesar de tbm me aventurar com outros instrumentos, sempre secundariamente)!

***Caraca, esse post vai ser grande... foi mal... mas vamo lá!

A questão é que eu SEMPRE ouvi MUITA musica! Sempre!
Cresci ouvindo, por conta dos meus pais, musica classica, rock in roll, e doses bastante grandes de musica internacional... de todo estilo!
E isso sempre me despertou o interesse de conhecer mais e mais e mais estilos, muitas vezes, fora do comum!
Pra vc ter uma ideia, na escola, enquanto meus amigos ouviam *Blink182 (não que Blink seja ruim, tá.. eu curto algumas coisas... é só um exemplo, ok?), eu ouvia [além de Blink e outras coisas "normais"] Peter Gabriel, Phil Collins, Eric Clapton, Roger Waters, Pink Floyd, Men at Work, Eric Johson, TOTO, The Police, Dave Matthews Band, Lee Ritenour, Van Hallen e muitas outras coisas mais... que nem são tãaaaao "fora do comum" assim, mas estavam muito longe de ser a preferencia do restante da turma!
E td isso só me dava mais vontade ainda de descobrir novos estilos!

O fato é que, de lá pra cá... passei a conhecer mais e mais trampos, me interessar por eles, e ouvir... Isso nunca parou, e dificilmente vai parar!
Mas, assim como vc, quase NUNCA peguei uma musica especifica, ou um solo, ou qualquer coisa assim pra tirar... saca? (Não que isso seja errado, ou que eu tenha me esforçado pra que isso não acontecesse...! Comigo foi natural!)
Teve uma epoca em que eu ouvia muito Satriani, Vai (que guitarrista não teve essa fase, né?... rs!), mas se eu 'souber tocar' 4 musicas dos caras, é muito!
Sempre ouvi muito Dream Theater tbm, como outro exemplo... e sempre tive influencia significativa de bandas como Metallica, Sepultura e muitas outras.... mas, aqui acontece a mesma coisa: 'sei tocar' pouquissimas musicas dessas referidas bandas....!

O fato é que tudo que eu sempre ouvi e continuo ouvindo entra na minha cabeça de maneira diferente!
Eu absorvo tudo, ou quase tudo que escuto, e imprimo isso em meu som (minha técnica, minha assinatura) sem precisar necessariamente "tocar" as musicas que me influenciam, ou "tocar como" os caras que me influenciam... entende??

Como eu citei... minha "formação de estilo" (no tocante a influencias) foi dividida em partes: época em que eu ouvia muita musica classica, epoca do rock, epoca do metal, epoca do prog, epoca do jazz... e por aí vai...! Passei por td isso!
Hoje, especificamente na atualidade, o que ouço de verdade é proveniente do POP, do Fusion, do Funk e do Jazz Funk (ou Acid Jazz), do Country Pop Americano e do Blues, e eu continuo absorvendo e agregando as influencias desses estilos como sempre agreguei de todos os outros que sempre ouvi!
E continuo imprimindo traços novos, somando aos antigos, no meu proprio estilo!

Uso meu proprio exemplo pq nunca fui um "camaleao"... (tipo aquele cara que muda radicalmente o proprio estilo de acordo com aquilo que está ouvindo ou gostando naquele exato momento... manja?)... Mas tenho pra mim que sempre fui uma espécie de "liquidificador", ou seja... trituro e misturo na minha massa de bolo TUDO aquilo de bom e que acho que vale a pena ser aproveitado... sem que seja extremamente necessário ficar tirando as musicas e tentando tocar igual ou "ser" como os caras que ouço.
E, no fim, imprimo isso no meu som... da minha maneira!!!! Particular!

E o mais interessante cara... é que se eu, você e os outros colegas aqui do topico ouvirmos as mesmas coisas... muito provavelmente, cada um aprenderá e aplicará o que ouviu de formas diferentes, por que cada um de nós tbm entenderá isso de forma diferente!
Alguns tirarão as musicas pra entender, outros (como eu e vc) apenas ouvirão e estudarão a construção dela... enfim!

O fato é que hoje, depois de muito tempo, eu realmente descobri qual é o meu "estilo" de musica preferido... aquele que eu mais gosto e tenho facilidade e compreensão pra tocar... e tem a ver com essas ultimas influencias (atuais), que eu citei logo acima...! É o estilo no qual eu me enquadro... me encaixo perfeitamente!
Mas... mesmo não tocando coisas da praia de (exemplos) Dream Theater, Yes, David Gilmour, Genesis e de todas as outras referencias que tenho, adquiridas ao longo dos meus anos, eu ainda continuo imprimindo traços dessas influencias, mesmo que inconscientemente, no meu som final!

Ou seja, TUDO o que faço e toco, hoje (no estilo no qual me enquadro).... é o resultado complexo dessa misturança toda!!!

E, como eu disse... dificilmente isso vai parar!
Pq eu vou continuar ouvindo tudo que ouço, vou continuar descobrindo coisas novas, e vou continuar recebendo influencias pesadas de tudo aquilo que eu gostar e achar interessante!
É por isso que nós, musicos, estamos sempre em evolução...! E no meu modo de ver, essa evolução nunca termina... e esse é um dos motivos!


E cara... eu acho isso um barato!
Essa é a graça da musica!
É por isso que ela é infinita!

Como disse felipelfln:
Zakk wilde tem um estilo bem peculiar, mas tudo o que ele faz sao licks de penta que outros guitarristas ja faziam, porem com mais ganho e uma pegada equina.

Vê...?
Wylde entendeu e absorveu suas influencias e referencias, e naturalmente as aplicou no seu som, do seu jeito, criando sua propria assinatura...!

Comigo... é exatamente assim que funciona! ;)

Skapunk
Veterano
# ago/13
· votar


Keith.Scott

Boa, Keith...

Basicamente concordo com tudo que você escreveu... A identidade e o estilo musical do cara vai surgindo... E outra, apesar de ser grande fã de Guns n' Roses (se bem que há meses não ouço "as clássicas"), sei tocar apenas o riff inicial de Sweet Child e só porque foi a primeira coisa que eu quis aprender (claro, sei tocar a música toda no violão, na boa e velha progressão de acordes)...

Meu, tem muita gente produzindo muita coisa por ai... e muita coisa boa tá rolando...

Atualmente eu ando visitando sites e blogs europeus e vendo muita gente criando coisas fantásticas. Não dava pra eu ficar só ouvindo Guns e querendo ser o Slash. É só assim que o músico se desenvolve, ou seja, tu não cria um estilo sem conhecer e absorver o máximo a sua volta.

E complementando o que o autor do Tópico disse, dá uma olhada aqui no fórum.. Dá uma boa olhada nos posts. Você só vai ver neguinho falando de bandas mais batidas que tapete de casa de velhinha. Nada contra, cada um ouve o que quer, mas ai quando você vai no show do cara, ele fica naquele solo interminável de chato (incluindo dez técnicas, feeling até sair pelo nariz), no mesmo esqueminha de sempre, sem nenhum tesão musical... fica meio "Deja vu"...

Abraço.

Metal_Owns
Membro Novato
# ago/13
· votar


Skapunk
mas ai quando você vai no show do cara, ele fica naquele solo interminável de chato (incluindo dez técnicas, feeling até sair pelo nariz), no mesmo esqueminha de sempre, sem nenhum tesão musical... fica meio "Deja vu"...

só eu que curto isso sempre?
Shafik
quero ver como você vai se virar na execução das músicas que você mesmo compôs, sabendo só 1234, variações, e escalas..

Keith.Scott
Veterano
# ago/13 · Editado por: Keith.Scott
· votar


Skapunk
Exato, cara!!
É é exatamente assim que eu vejo a coisa! Não estou dizendo que é a unica maneira, nem tão pouco defendendo que só assim se aprende alguma coisa! De jeito nenhum, que fique claro!
Só estou dizendo que, COMIGO [e pelo jeito com vc tbm], é assim que funciona... minha cabeça entende e aprende as referencias assim... ouvindo, curtindo e estudando a construção da musica... e não necessariamente tirando ela pra tocar...!
Igual a vc!

Meu, tem muita gente produzindo muita coisa por ai... e muita coisa boa tá rolando...
Atualmente eu ando visitando sites e blogs europeus e vendo muita gente criando coisas fantásticas. Não dava pra eu ficar só ouvindo Guns e querendo ser o Slash. É só assim que o músico se desenvolve, ou seja, tu não cria um estilo sem conhecer e absorver o máximo a sua volta.


Vc tem absoluta razão!!
Tem muita gente boa por esse mundo a fora... e muitos deles, infelizmente, nós nem chegaremos a conhecer!
Eu tbm penso e tento fazer o mesmo que vc... absorver o máximo que eu puder a minha volta... sem preconceito com estilo musical!
Se eu acho legal, e é possivel incluir de maneira positiva e eficiente no meu trampo (no que eu toco)... então me serve!!!

Musica é um misto, né cara!
Um misto de sentimento, de compreensão, de inteligencia, de técnica, de experiencias e de concepção...! O problema, é que quando uma dessas coisas se sobressai demais, exageradamente.... a coisa fica chata, e surge o "Deja vu".... bem como vc disse!



Metal_Owns
quero ver como você vai se virar na execução das músicas que você mesmo compôs, sabendo só 1234, variações, e escalas...

Pergunta pro Zakk Wylde, pro The Edge e pro Richie Sambora como eles fazem...

Shafik
Membro
# ago/13
· votar


quero ver como você vai se virar na execução das músicas que você mesmo compôs, sabendo só 1234, variações, e escalas..

Nossa cara, quanta prepotência... quem ve você falando assim acha que você me conhece a 10 anos e já me viu tocar alguma coisa... enfim, não vou nem tirar base por essa tua resposta, de qualquer maneira obrigado pela participação.

@Keith.Scott
Cara, que legal que não sou o único "loco" como meus amigos sempre falam, bom saber que tem mais gente que procura e se preocupa com uma identidade musical própria. Legal tmb saber que você tem o mesmo método que eu de absorção no que se diz respeito a influencia. Você parece ter sido muito privilegiado musicalmente falando, pra estudar piano e tals... eu me inseri no mundo musical através da gaita diatónica ( pra quem não sabe é aquela pequenininha de 10 orifícios que só tem uma pentatónica ), e assim como você ao descobrir o violão/guitarra me apaixonei e me inseri no mundo da musica com mais força.. hehe...

Jm7
Veterano
# ago/13
· votar


Na música, também, nada se cria; tudo se copia (dos famosos).

Ihsen
Membro
# ago/13
· votar


Jm7
Em tudo, basicamente. Aquela história de que é preciso conhecer o que já existe pra criar algo novo ou aprender as regras pra poder quebrá-las é uma explicação simplificada de como funciona o aprendizado em qualquer campo.

jhowbr
Veterano
# ago/13
· votar


veja isto, cristian carvalho é o nome dele:
https://www.youtube.com/watch?v=ZnbA0lsvq1A

Metal_Owns
Membro Novato
# ago/13
· votar


Shafik
te desafio.

caso tenha alguma composição de um estilo mais pesado próximo ao meu estilo, grave e mande pro youtube, e bota link aqui.

Keith.Scott
não faço idéia de quem seja Ritchie Sambora, só ouvi o nome dele em algum lugar. Já escutei o som do Zakk e não curti (timbre sem ataque)

ALF is back
Veterano
# ago/13
· votar


Shafik
cara, uma boa pratica pra vc alavancar sua criatividade e desenvolver o fraseado é participando das jams aqui do fórum...é algo q passa longe de uma jam real, mas é uma pratica legal, onde se aprende muito...a cada jam eu aprendo coisas novas sozinho, eu, a BT...a BT e eu!
pra isso, vc só precisa de um mecanismo de captação!
um software (reaper, é semi profissional e praticamente gratis, pois o trial dele é ilimitado...ele nao corta nenhum recurso, apenas fica te pedindo pra compra-lo a acada vez q vc abre o programa); e uma metodologia pra captar o som...seja microfone de PC microfonando seu amp, ou então ligando a guitarra em linha na placa onboard usando um adaptador p10-p2 de R$1,99
as jams acontecem a criterio aleatorio e é organizada por qualquer um q saiba faze-la aqui no forum...o cara solta uma BT, a galera baixa, sola em cima (grava o solo) e devolve o arquivo da BT + solo pro organizador via email...o cara emenda um solo no outro e no final temos uma musica com um solo atras do outro...no resultado, o cara solta o nome dos participantes e o tempo em q cada um sola, e todos (quase todos) comentam, oferecendo criticas construtivas sobre execução, criatividade, feeling, pegada, timbre, etc
no momento, nao há nenhuma aberta pra solo...só resultados mesmo, como essa aqui http://forum.cifraclub.com.br/forum/3/307660/
abç

ALF is back
Veterano
# ago/13 · Editado por: ALF is back
· votar


Metal_Owns
aooooow!
the crossroads então manolo?? kkkkk
para com isso vei! ngm aqui quer ser melhor q ngm! é um assunto polemico e tem mtos idolos meus e seus q aprenderam a tocar da mesma forma q nosso amigo Shafik! e diga-se de passagem, aprender da forma q ele aprendeu hj em dia é um desafio monstruoso! quem da aulas de guitarra sabe disso, com tudo mastigado o desgraçado do aluno não aprende, nao quer fazer exercicio, nao quer tirar a musica...imagina sem referencia (por opção!) como deve ser dificil! a força de vontade é um dom q poucos tem!

Lelo Mig
Membro
# ago/13 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Shafik

Cara, passei décadas buscando uma identidade pessoal no instrumento e me orgulho de ter conseguido parte disso. Além de que, fez todo diferencial, durante o tempo que estive ativo, porque haviam dezenas de guitarristas melhores que eu tecnicamente, mas muita gente me requisitou porque diziam "gostar de meu estilo" ou de eu "ter estilo".

Se existem algumas dicas que poderia dar são as seguintes:

- Não se preocupe em tocar sons de seus ídolos da maneira mais precisa possível, isso não irá atrapalhar ou descaracterizar seu estilo pessoal, pelo contrário, ajudará a encontrar sua "assinatura".

- Técnica é fundamental e nunca é demais, mas não é definitiva para estilo. Quer exemplo melhor que o The Edge? Estilo inconfundível e pouca técnica. Técnica lhe ajudará a ser um guitarrista melhor, mas não a ter estilo pessoal. Para criar sua assinatura, siga seu coração, e não as regras. Estilo pessoal depende de criatividade e regras não ajudam para isso.

- O destaque acima, serve para dizer, que um estilo pessoal se cria revolucionando a forma de tocar e não seguindo as ordens do "mestre". Conceitos de "certo e errado" são subjetivos e inimigos da criatividade.

- Dedique o mesmo tempo que estuda música a conhecer seu instrumento. Timbres, regulagens, efeitos e possibilidades sonoras. Brinque, use e abuse do que você gosta, e não do que dizem ser bom ou ruim.

Por último:

Questões como madeira X ou Y?, Captador Z ou W? e etc, são bons para o conhecimento, mas não perca tempo com esse tipo de discussão para buscar seu estilo. Muita gente comete o erro de "perseguir" determinado equipo para obter o som sonhado, e isso é um erro! Tua assinatura esta em seus dedos, em sua forma de tocar e interpretar a música.

Você saberá qual equipo precisa quando tiver um estilo em desenvolvimento e não o contrário.

Algumas discussões sobre equipos, madeiras e captadores, não passam de bobagens inúteis.

makumbator
Veterano
# ago/13
· votar


Metal_Owns
te desafio.

caso tenha alguma composição de um estilo mais pesado próximo ao meu estilo, grave e mande pro youtube, e bota link aqui.


Desculpe, mas pra que estragar um tópico tão bom com uma disputa infantil como essa?

Metal_Owns
Membro Novato
# ago/13
· votar


makumbator
não estou disputando, estou vendo qual será o resultado e ver se será interessante.

ALF is back
não tenho não.

Jm7
"roube tudo que você puder roubar" - Blackmore, Ritchie

ALF is back
Veterano
# ago/13
· votar


Metal_Owns
quem vai desafiar vc agora sou eu!
Te desafio pra um relo de pipa...cerol na linha vale, na rabiola não...e ai? Topa?

Metal_Owns
Membro Novato
# ago/13
· votar


ALF is back
anos sem empinar pipa =/ sem pratica e nao sei onde comprar hu3hu3

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Influencia X Identidade