Suíte Cello e Partita flauta(Bach) no baixo

    Autor Mensagem
    makumbator
    Veterano
    # set/07 · Editado por: makumbator


    Olá Galera!

    Gravei o Prelúdio e a Sarabanda da suíte N. 1 para cello e a Bourreé e a Sarabanda da partita para flauta solo, tudo de J.S. Bach.
    Usei baixo de 6 cordas, e por isso toquei tudo oitava acima do que está escrito, para compensar a transposição do baixo e soar tudo na oitava original do cello no caso da suíte. Todos os acordes e intervalos harmônicos são do original mesmo.
    A partita não está na mesma oitava da flauta(logicamente), e coloquei uns acordes e intervalos harmônicos que não estão no original(obviamente, por ser instrumento melódico).

    Ouvindo posteriormente, acho que corri um pouco no Prelúdio, principalmente poderia ter valorizado mais os pedais no grave(que é como os cellistas fazem), agora toco com essas pequenas mudanças, mas enfim...
    Valorizei bastante a dinâmica em todas as peças(principalmente na Sarabanda, em que fiz pianíssimo em certas partes)

    Links:
    Prelúdio Suíte I para cello:
    http://www.4shared.com/file/24700435/a6db9e33/Preldio_Sute_I_de_Bach.h tml

    Sarabanda Suíte I para cello:
    http://www.4shared.com/file/24699687/13e10ce4/Sarabanda_Sute_I_de_Bach .html

    Bourreé Anglaise da Partita para flauta solo:
    http://youtu.be/5v7BL58eir8

    Sarabanda Partita para flauta solo:
    http://youtu.be/rxa8F4xlrvg

    Ouçam e opinem!!!! Todo o tipo de crítica é bem vinda!
    Tchau!

    conehc
    Veterano
    # set/07 · Editado por: conehc
    · votar


    makumbator
    achei bem legal, pena que algumas partes estão com uns chiados chatos de picos dee tensão da hora da gravação.. a Bourreé ta com um audio bem legal apesar do som sumir meio que repentinamente as vezes mesmo com o fone, a Sarabanda foi a que eu mais gostei, bem limpa, som claro, achei o timbre mais legal tb...

    no mais gostei bastante da execução, nem da pra falar tanto do timbre em si porque vc abusou do "hall" ne?

    usou qual baixo? gravou como?

    so uma coisa que recomendo a quem for ouvir: fones... na caixinha o som some de vez enquando, em determinados casos isso é perfeitamente normal pra esse tipo de musica, momentos calmos contrastando com alegria, violencia e por ai vai...

    makumbator
    Veterano
    # set/07 · Editado por: makumbator
    · votar


    conehc

    Beleza! Obrigado por ouvir!

    so uma coisa que recomendo a quem for ouvir: fones... na caixinha o som some de vez enquando, em determinados casos isso é perfeitamente normal pra esse tipo de musica, momentos calmos contrastando com alegria, violencia e por ai vai...

    Realmente, os pianíssimos em caixinha de PC desaparecem mesmo.


    no mais gostei bastante da execução, nem da pra falar tanto do timbre em si porque vc abusou do "hall" ne?

    Tasquei reverb(e um pouquinho de delay rápido também)heheheeh...é que eu adoro reverb tipo "igreja" hahahah!!!! E pra esse tipo de música solo até acho legal( A gravação que mais gosto da suíte de cello, do Rostropovich, foi gravada em uma catedral, busquei esse som). Vc deve ter notado que a Bourreé tem menos, devido a ela ser mais rápida, então tirei um pouco.

    a Bourreé ta com um audio bem legal apesar do som sumir meio que repentinamente as vezes mesmo com o fone

    Talvez seja o efeito de "eco" que a peça tem escrita. Tem uma frase que faço em um nível de volume, e depois repito a mesma frase piano(na parte B há o mesmo efeito com uma frase parecida com a da parte A), mas talvez devesse ter reforçado mais isso, para que não ficasse parecido com um erro de execução...

    achei bem legal, pena que algumas partes estão com uns chiados chatos de picos dee tensão da hora da gravação..

    Há mais chiado em umas músicas que em outras, e pensei em tirar mais com o noise reduction, mas sei lá, ia sugar muito o som. A Sarabanda da Suíte também acho que foi a que ficou mais limpinha na execução.

    usou qual baixo?

    Washburn Bantam XB-600 de seis cordas, captação original e com ativo Bartolini de 2 bandas. As cordas estavam novas, o que ajudou muito.

    gravou como?

    Gravei com Compressor DBX, Bass V amp Pro(com e delay dele incluso) e o Reverb do Virtualizer Pro(gosto bastante dos reverbs dele). Gravei usando a saída Stereo do Bass V amp Pro, por causa do delay e reverb stereo. Registrei no BR-532 da Boss, um gravadorzinho digital muito bom(fora de linha atualmente), no PC só mixei...

    maquiro
    Veterano
    # set/07
    · votar


    makumbator

    Cara, show de bola! Obrigado por ter postado. Por coincidência, estou justamente "tirando" esse Prelúdio. Como não sei ler partitura "de carreirinha", estou praticamente decorando compasso por compasso. Seu post é um grande incentivo para ir até o final. Estou usando a versão do livro "Bach for Bass", que baixei no Emule. Valeu!

    Gostei muito mesmo, mas concordo que o Prelúdio poderia ser mais lento, ficaria mais bonito.

    Parabéns1

    makumbator
    Veterano
    # set/07
    · votar


    maquiro


    Valeu! Realmente o Prelúdio tem que ser mais lento, mas o principal que não fiz quando gravei, e agora faço(ao ouvir atentamente os cellistas) é a valorização dos graves(como aquelas notas G no início das semicolcheias dos primeiros compassos), até por causa da curva do arco que o cello tem que fazer para tocar essa corda solta, vindo das mais agudas, eles atrasam um pouquinho e arrastam o tempo, efeito que fica lindo...e com um caráter menos "máquina"!
    Boa sorte neles! Estou tirando a Suíte I toda, se vc puder gravar mais frente mostre pra gente também! Se vc não tiver os demais movimentos eu posto pra vc as partes.

    maquiro
    Veterano
    # set/07
    · votar


    makumbator

    Já tinha mesmo notado a necessidade de valorizar esses G, deixando até soar um pouco junto com as outras notas (isso é o pedal?).

    Estou estudando também um prelúdio em C maior, aquele da Ave Maria de Gounod (não sei qual é a suite), mas é dureza de fazer num quatro cordas. Tenho um SX SJB75, que é um jazzbass, por isso corto quase todo o agudo para ficar mais parecido com um cello heheheh.

    Uma curiosidade: você toca lendo a partitura ou memorizou a peça toda?

    Logo que tenha aprendido, gravo e posto aqui, ok?

    Abraço

    makumbator
    Veterano
    # set/07
    · votar


    maquiro

    Já tinha mesmo notado a necessidade de valorizar esses G, deixando até soar um pouco junto com as outras notas (isso é o pedal?).

    Essas notas são justamente os pedais(são como se fossem dois instrumentos, um dando os bordões graves para o outro solar as demais notas). Bach fazia isso direto em peças para violino e cello solo. Cria uma idéia de base + solo em uma única linha. Valorize bem esses graves que aparecem ao longo de quase toda o Prelúdio.



    você toca lendo a partitura ou memorizou a peça toda?

    Iniciei o estudo delas lendo, mas com o tempo memorizei naturalmente. Bach é tão gostoso de tocar que a memorização é bem tranqüila.

    Estou estudando também um prelúdio em C maior, aquele da Ave Maria de Gounod (não sei qual é a suite)

    Esse prelúdio é originalmente do Livro I de " O Cravo bem temperado" que é uma coleção de Prelúdios e fugas para Cravo(mas pode ser tocado por outros intrumentos de teclas) com 2 volumes, cada um com 1 Prelúdio e uma fuga em TODOS os tons maiores e menores. Gonoud pegou a base do prelúdio e colocou aquela melodia em cima, mas apenas a base é originalmente de Bach.

    Tenho um SX SJB75, que é um jazzbass, por isso corto quase todo o agudo para ficar mais parecido com um cello heheheh

    Mas vc está tocando oitava acima ou na oitava escrita? O prelúdio pode ser tocado oitava acima em 4 cordas também(lógico que apenas se for de 24 casas). Apesar que no de 6 fica mais fácil. Mas ele fica bonito na oitava grave também!!!!! Na Sarabanda, em um 4 cordas teria que se omitir algumas notas dos vários acordes que aparecem, e essa só fica boa oitava acima, pois esses acordes e intervalos embolam muito na oitava grave.

    Logo que tenha aprendido, gravo e posto aqui, ok?

    Beleza! Manda bala!

    maquiro
    Veterano
    # set/07
    · votar


    makumbator

    O livro que uso (Bach for Bass) traz, além da partitura, a tablatura, o que ajuda na hora de definir a digitação (oitava acima ou não). Sei que uso muito a oitava acima e que em algumas partes do Prelúdio em C precisarei das 24 casas e meu baixo só tem 21.

    É um ótimo exercício de "saltos" no braço. Sempre toco um trecho de uma dessas peças como aquecimento, para soltar os dedos. Depois fica fácil fazer qualquer linha de baixo convencional.

    makumbator
    Veterano
    # set/07
    · votar


    maquiro

    Também uso um Prelúdio como aquecimento, tocando-o na oitava grave. Realmente não há nada melhor...te deixa pronto para tocar qualquer coisa.hehehe!!!!!
    Vou postar ele aqui pra vc. É a mão esqueda do prelúdio II(Cm) do Livro I do Cravo bem temperado. Toco em duas velocidades como aquecimento, é curto e perfeito, e o final é desafiador!!!!

    ClaudioBass
    Veterano
    # set/07
    · votar


    makumbator
    Gravei o Prelúdio e a Sarabanda da suíte N. 1 para cello e a Bourreé e a Sarabanda da partita para flauta solo, tudo de J.S. Bach.

    Só pude ouvir no final de semana, e honestamente gostei muito, parabéns, ficou nota 11.

    [ ]s

    makumbator
    Veterano
    # set/07
    · votar


    ClaudioBass

    Valeu cumpadi!

    dom de Deus
    Veterano
    # mar/10
    · votar


    makumbator


    execusão muito legal mesmos. mostrou talento ao tocar.

    esse execusão chama muito a atenção.

    makumbator
    Veterano
    # mar/10
    · votar


    dom de Deus

    Fico feliz que tenha apreciado! Obrigado por ouvir e comentar!!

    Mauricio Luiz Bertola
    Veterano
    # mar/10
    · votar


    makumbator
    Cara, MUITO bom (só escutei a Suite I para celo até agora)!
    Adorei a transcrição, execução brilhante!
    è impressão minha ou vc acelerou o andamento?
    Abç

    makumbator
    Veterano
    # mar/10 · Editado por: makumbator
    · votar


    Mauricio Luiz Bertola

    Hhah, pois é, eu até comentei no tópico inicial que na época em que gravei tocava o prelúdio rápido demais, mas atualmente faço-o mais lento(fica mais bonito). E o principal que não fazia na época é valorizar os graves de cada célula(criando pequenos rubatos, e dando menos aspecto de máquina). Mas as outras eu toco praticamente igual.

    Obrigado pelo elogio!!

    The Root Of All Evil
    Veterano
    # mar/10
    · votar


    Foto ilustrativa para este tópico!

    *ouvindo*

    makumbator
    Veterano
    # mar/10
    · votar


    The Root Of All Evil

    Hshahsaahs!!! Eu tinha essa imagem em uns MP3 "Bachianos" aqui em casa!

    The Root Of All Evil
    Veterano
    # mar/10
    · votar


    makumbator

    Tá excelente! Belíssimas interpretações! Nem achei o prelúdio muito acelerado não, já ouvi uns cellistas tocando ele mais rápido que isso ehehe ai fica feio =P

    Todas as outras tão lindas também =]

    Seu timbre é mó bonito parabéns! E as dinâmicas ficaram muito legais e evidentes.

    A última foi a mais linda de todas =]

    Aeee!

    makumbator
    Veterano
    # mar/10
    · votar


    The Root Of All Evil

    Tá excelente! Belíssimas interpretações!

    Puxa, obrigado!

    Nem achei o prelúdio muito acelerado não, já ouvi uns cellistas tocando ele mais rápido que isso ehehe ai fica feio =P

    Sim, também já ouvi nego tocando esse movimento no melhor estilo Malsmsteen com arco!

    Seu timbre é mó bonito parabéns! E as dinâmicas ficaram muito legais e evidentes.

    Valeu! Dinâmica é minha obsessão!

    A última foi a mais linda de todas =]

    Legal que gostou!


    Aeee!


    Yeah!

    The Root Of All Evil
    Veterano
    # mar/10
    · votar


    makumbator
    Valeu! Dinâmica é minha obsessão!

    É minha preocupação.
    Fico imaginando de algum dia tocar por exemplo com um instrumento tipo piano, com uma dinâmica tão ampla, só que tocando guitarra... e com distorção.

    Dai não adianta bater mais fraco ou mais forte.

    A única idéia que eu tive pra contornar isto seria usando um pedal de volume e controlar as "dinâmicas" com o pé.

    makumbator
    Veterano
    # mar/10
    · votar


    The Root Of All Evil

    Eu tenho costume de tocar na formação de guitarra e piano(com distorção inclusive). Realmente dá trabalho ampliar a dinâmica da guitarra(perto do piano, a guitarra não tem quase nada de variação dinâmica, ainda mais se comparar o som distorcido).

    Nunca usei pedal de volume, no meu caso bastou usar pouco drive(pois obviamente quanto mais drive mais o som fica comprimido), aliado ao controle na palheta. Nos momentos mais extremos, apelava para o botão de volume do instrumento.

    Experimente tocar com um pianista, vai ser um ótimo exercício para moldar o controle dinâmico só na sua mão. Mas eu tive sorte de achar dois pianistas que eu sei que gostam de tocar acompanhando guitarra com drive, a maioria odeia...

    The Root Of All Evil
    Veterano
    # mar/10 · Editado por: The Root Of All Evil
    · votar


    makumbator
    Nunca usei pedal de volume, no meu caso bastou usar pouco drive(pois obviamente quanto mais drive mais o som fica comprimido), aliado ao controle na palheta. Nos momentos mais extremos, apelava para o botão de volume do instrumento.

    O negócio é que eu acho muito feio o som que sai da guitarra com drive e palhetado fraco... fica um som crunch e eu odeio crunch!

    Não gosto de usar o botão de volume também porque vai que tem uma passagem que eu tenho que fazer uma escala e ir crescendo constantemente? Ai não dá...

    Quandoe u toco sem ganho eu gosto de brincar com a dinâmica só na palhetada, mas com ganho eu acho muito feio.

    Dai veio a minha idéia, um pedal de volume colocado depois do pedal de distorção faria o volume variar sem modificar o timbre e ainda permitiria a liberdade da minha mão direita =]

    Mas eu tive sorte de achar dois pianistas que eu sei que gostam de tocar acompanhando guitarra com drive, a maioria odeia...


    Sortudo!
    Bom, tem a Cheshire Cat mas ela mora em outro estado ehehehe

    Por enquanto só o Garritan mesmo =/

    makumbator
    Veterano
    # mar/10
    · votar


    The Root Of All Evil
    O negócio é que eu acho muito feio o som que sai da guitarra com drive e palhetado fraco... fica um som crunch e eu odeio crunch!

    Com o drive fraco eu acho bonito. Mas com muita distorção também acho que fica feio tocar fraco.

    Não gosto de usar o botão de volume também porque vai que tem uma passagem que eu tenho que fazer uma escala e ir crescendo constantemente? Ai não dá...

    É, tem que ter uma pausinha(nem que seja mínima) para dar tempo de manipular o volume do instrumento(mas tem nego que é cobra nisso, o que não é o meu caso).

    Dai veio a minha idéia, um pedal de volume colocado depois do pedal de distorção faria o volume variar sem modificar o timbre e ainda permitiria a liberdade da minha mão direita =]

    Sim, eu também já usei pedal de volume nesse esquema, mas gosto mais de mudar na mão, porque a variação no timbre fica mais natural do que baixar o volume no pedal. Mas para uma variação extrema, também acho válido. Vc só não pode trocar totalmente o controle de dinâmica na palheta pelo pedal de volume(pois vira uma muleta...hehee)

    Bom, tem a Cheshire Cat mas ela mora em outro estado ehehehe

    Por enquanto só o Garritan mesmo =/


    Faça uma vistinha artística a ela!

    dom de Deus
    Veterano
    # mar/10
    · votar


    gostei da foto muito bem montada.


    coloquei ela na area de trabalho rsrsrsr

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Suíte Cello e Partita flauta(Bach) no baixo