Contra-baixo VS Cello

    Autor Mensagem
    CarolineR
    Membro Novato
    # 22/fev/19 11:23 · Editado por: CarolineR


    Olá galera, preciso de uma sugestão aos que entendem a respeito desses dois instrumentos.

    Estou querendo iniciar meus estudos em um deles, porém, só posso escolher um deles no momento e por isso queria escolher um que me desse uma base boa e que me permitisse pegar o outro com maior facilidade. Gosto muito dos dois e queria me dedicar a ambos, mas como preciso escolher fico nesse impasse em qual me daria a melhor base, tanto no jeito de tocar quanto aos conhecimentos técnicos de teoria musical.

    Tipo, se eu tocar cello eu consigo pegar mais fácil um contrabaixo depois? Ou se eu iniciar com um contrabaixo eu consigo ter maior facilidade no aprendizado do Cello?

    Ajuda luciano

    Ismah
    Veterano
    # 22/fev/19 12:49
    · votar


    Eu vejo como instrumentos diferentes. A parte prática, articulações e tudo mais, serão próprias de cada um e disso não tem como escapar.
    Porém ambos poderão te dar uma base teórica, aplicável para qualquer outro instrumento.

    The Man Who Sold The World
    Veterano
    # 22/fev/19 13:01
    · votar


    CarolineR
    a minha opinião é que a escolha do instrumento antes de tudo deve ser do que vai te dar mais vontade de estudar e praticar
    isso além de tudo, facilita na hora de partir pra outro instrumento, pois a sua noção de teoria musical já estará mais apurada, porém pra tocar outro instrumento bem, ainda requer dedicação e estudo

    makumbator
    Veterano
    # 22/fev/19 13:36 · Editado por: makumbator
    · votar


    Eu toco o contrabaixo acústico com arco e em orquestra. São instrumentos bem diferentes, apesar de em uma orquestra de cordas ou sinfônica eles em geral participarem da mesma função (função baixo).

    A afinação dos dois é bem diferente. O cello é afinado em quintas (do agudo para o grave: A, D, G, C) e o contrabaixo é afinado em quartas (do agudo para o grave: G, D, A, E). O contrabaixo é transpositor de oitava abaixo, então toda a musica escrita para ele soa 1 oitava mais grave do que está escrito. Já o cello não é transpositor. Com isso, muitas vezes o contrabaixo está tocando 1 oitava abaixo do cello.

    O arco do contrabaixo pode ser o francês (que é o tipo que eu uso) ou o alemão (também chamado de Dragonetti). O cello tem apenas um tipo de arco, que é o mesmo tipo francês.

    Em termos de arcadas e golpes de arcos é basicamente igual. Aliás, todos os golpes são feitos em toda a família dos violinos.

    A digitação é absolutamente diferente. No contrabaixo acústico são 3 dedos em duas escolas diferentes (1,2,4 ou 1,3,4). No contrabaixo o dedo 4 opera junto com o 3 na primeira escola, e o dedo 2 fica junto do 3 na segunda escola. Perto da metade da escala dá para fazer extensão (nas duas escolas, e nesse caso vira 1,2,3,4) No cello temos a digitação 1,2,3,4.

    Ambos os instrumentos tem a posição de capo parecida.

    CarolineR
    Membro Novato
    # 22/fev/19 13:46
    · votar


    Certo, mas neste caso, como um musico que possui experiência neste campo, qual sua consideração a respeito da facilidade de partir de um para outro?

    Digo, qual seria mais complexo em sua totalidade? Tenho para mim que se iniciar os estudos naquele que for mais difícil, ao pegar para estudar o outro terei uma facilidade maior apesar das grandes diferenças entre eles.

    CarolineR
    Membro Novato
    # 22/fev/19 13:55
    · votar


    makumbator

    Certo, mas neste caso, como um musico que possui experiência neste campo, qual sua consideração a respeito da facilidade de partir de um para outro?

    Digo, qual seria mais complexo em sua totalidade? Tenho para mim que se iniciar os estudos naquele que for mais difícil, ao pegar para estudar o outro terei uma facilidade maior apesar das grandes diferenças entre eles.

    makumbator
    Veterano
    # 22/fev/19 14:08
    · votar


    CarolineR

    Em alto nível os dois são difíceis. O início de qualquer instrumento não temperado e de arco (coisa que ambos são) é bem lento e muitas vezes frustrante. Muita gente desiste no começo, pois antes de 1 ano em geral quase ninguém consegue tocar nada que preste.

    São duas coisas bem demoradas de se dominar: a afinação dentro da posição e mudar de posição afinado e controlar o arco (sendo o arco por si só um universo a parte).

    Uma coisa que digo é o seguinte: precisa ter o instrumento em casa para praticar. Tem gente que inicia, principalmente no contrabaixo, sem o instrumento em casa, e isso é algo que não funciona.

    entamoeba
    Membro Novato
    # 22/fev/19 15:29
    · votar


    Nunca vi um violoncelo de perto, mas tenho a impressão que as cordas do baixo devem ser muito mais pesadas. Sei lá se é algo a se considerar.

    makumbator
    O início de qualquer instrumento não temperado

    É só levar num luthier e pedir para instalar uns trastes.

    makumbator
    Veterano
    # 22/fev/19 16:10
    · votar


    entamoeba
    É só levar num luthier e pedir para instalar uns trastes

    Ah, o violone grosso (um dos instrumentos barrocos que originou o contrabaixo) tem trastes na primeira parte da escala.

    entamoeba
    Membro Novato
    # 22/fev/19 20:48
    · votar




    entamoeba
    Membro Novato
    # 22/fev/19 20:52
    · votar


    Todo mundo com traste. Os caras tem até uma associação.

    https://www.youtube.com/watch?v=W2IvG1vegSY

    makumbator
    Veterano
    # 22/fev/19 21:00 · Editado por: makumbator
    · votar


    entamoeba

    É, esse é um violone do tamanho de um cello (tenor). O baixo da família é o violone grosso, mas são bem parecidos no formato e técnicas (mas no fundo a família das violas da gamba e violones é altamente confusa):


    https://www.youtube.com/watch?v=sbpZdzeHVik

    Aliás, o formato "caído" das laterais superiores do contrabaixo acústico moderno são um resquício dos violones. As laterais do restante da família do violino é arredondada. O fundo da maioria dos contrabaixos também é reta pela mesma razão (ao contrário dos violinos, viola e cello).

    O bom desses trastes é que são móveis (são basicamente como as cordas, de nylon ou nylon com tripa, e no passado eram apenas de tripa de carneiro), então dá para mudar a afinação de determinados intervalos para atender a um certo temperamento.

    Ismah
    Veterano
    # 23/fev/19 13:33
    · votar


    Existe algum motivo para ter caído em desuso?

    fernando tecladista
    Veterano
    # 23/fev/19 17:04
    · votar


    quanto aos conhecimentos técnicos de teoria musical.
    todo instrumento te dá isso

    makumbator
    Veterano
    # 23/fev/19 19:39
    · votar


    Ismah

    Um dos motivos é a menor potência sonora da família da gamba perto da família do violino (as duas famílias conviveram na moda ao mesmo tempo durante algum tempo). Mesmo com cordas de tripa, a família do violino já podia ser afinada mais alta (o que dava um som mais brilhante). E depois com as cordas de metal aí fechou o caixão das gambas mesmo, pois elas nem aguentam cordas de metal.

    Mas tem também razões estilísticas, a música que surgia era mais afeita a família do violino do que a sonoridade das gambas. Inclusive, poucas gambas sobreviveram pois os luthiers da época passaram a adaptar transformando gambas tenores em cellos (por exemplo). E não havia uma cultura de querer preservar nada, se dava pra mudar neguinho mudava sem problema.

    Ismah
    Veterano
    # 25/fev/19 04:11
    · votar


    Obrigado!

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Contra-baixo VS Cello