E por falar em saudades

Autor Mensagem
entamoeba
Membro Novato
# 20/jan/20 19:44 · Editado por: entamoeba
· votar


Não tenho saudade, mas lamento por não ter vivido algumas coisas.


Nasci e cresci numa casa com laboratório e oficina, cheia de tranqueiras, ferramentas, peças, bugigangas, aparelhos e toda sorte de traquitanas

Tinha isso na casa do meu avô, mas parei de ir para lá na adolescência, porque ficava a mais de mil quilômetros de distância de onde morávamos. Meus pais passaram a priorizar viagens de turismo e deixaram as visitas aos parentes para trás. Lamento não ter tido mais contato com meu avô, que faria 103 anos em 2020, mas nos deixou aos 92.

Também lamento que a minha primeira banda, lá em 1998, não teve recursos para trabalhar com dignidade. Ainda tentei dar continuidade aos trabalhos junto ao guitarrista, mas a história teve um fim trágico. Esperava ele, no domingo de páscoa, para gravar uns sons, mas não apareceu. Sofreu um acidente na madrugada anterior, ficou em coma e veio a falecer depois de três dias. Era como um irmão para mim. Tínhamos vinte e poucos. Fiquei bem estragado da cabeça por causa disso.

Lelo Mig
Membro
# 20/jan/20 20:26
· votar


entamoeba

"Era como um irmão para mim. Tínhamos vinte e poucos. Fiquei bem estragado da cabeça por causa disso."

Nessa faixa etária convivemos o tempo todo com os amigos. A união, o amor de uma amizade é muito poderosa, a ligação é inexplicável.

Hoje, ainda mantenho o mesmo grupo de amigos dos 20 anos, são como irmãos, mas nos vemos pouco, cada um tem sua vida, a unidade permanece, a força da amizade também, mas o convívio é pequeno.

Mas, nesta faixa dos 20 anos... caraca, se pudesse passava 24 hs com os parças! Perder um... putz!

Beto Guitar Player
Veterano
# 21/jan/20 07:43
· votar


entamoeba
Tinha isso na casa do meu avô, mas parei de ir para lá na adolescência, porque ficava a mais de mil quilômetros de distância de onde morávamos.

Puts, no ano passado (2019) eu estava planejando viajar até a casa da minha única avó viva até então, eu já não a via uns 5 ou 6 anos. Estava quebrado de dinheiro, mas queria vê-la. A distância até lá dá uns 1600 km, então não dava pra ir sempre.
Mas, daí uns dois meses antes, ela faleceu. Fiquei muito mal por isso.
Tem coisas na vida que são irreparáveis, essa é uma delas.

sandroguiraldo
Veterano
# 21/jan/20 08:36
· votar


Lelo Mig
"ou até mesmo filho"

Semana passada participei de uma das coisas mais tristes que existem.
Um casal amigo nosso, nossos padrinhos de casamento (e nós, deles) perderam a segunda filha, no parto.

Na verdade houve erro médico, ao que consta, a bebê já estava morta há 2 dias na barriga da mãe. Foi horrível! Houve muita comoção entre a comunidade, todos apoiando, tentando ajudar... já entraram com B.O. e processo contra hospital, médico, enfermeiros... até o prefeito da cidade já está envolvido dado à gravidade do negócio; acontecem muitos casos como esse aqui.

Meu amigo foi carregando o caixãozinho branco, até a sepultura.
Doeu em mim como se fosse meu sobrinho, porque de fato considero eles como meus irmãos mesmo.

entamoeba
Sofreu um acidente na madrugada anterior, ficou em coma e veio a falecer depois de três dias.

Eu tive um amigo no Ensino Médio que, quando eu mudei de cidade, perdi o contato. Anos depois achei um conhecido que me passou o telefone dele.
Tentei por 3 vezes me encontrar com ele, mas todas as vezes acontecia algum imprevisto... assassinaram ele antes que eu o visse. Ainda não chorei essa morte (faz uns 12 anos).

Pleonasmo
Membro Novato
# 21/jan/20 08:44
· votar


Lelo Mig
Saudades dos pais também, perdi eles quando eu ainda era um adolescente, antes mesmo de ter meu primeiro contato com um instrumento musical.

Lelo Mig
Membro
# 24/jan/20 21:44
· votar


Pleonasmo

Caraca mano, tu ficou orfão de pai e mãe na adolescência?

Perece coisa de filme. Deve ser foda.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a E por falar em saudades