O malvado consumidor e o seu covarde direito de ação

Autor Mensagem
james_the_bronson
Veterano
# out/08
· votar


DrBrodsky

Mas não é esse o assunto. O assunto é abuso e quando alguém se beneficia da ignorância e desespero do pessoal...

Simples assim...

james_the_bronson
Veterano
# out/08
· votar


eu tenho bom senso, como a grande maioria das pessoas.

Ninguém é obrigado a contrair empréstimos.

Ou seja: Todo mundo que pega empréstimo tem como único objetivo possuir mais dívidas...

DrBrodsky
Veterano
# out/08
· votar


Não acho que a população em geral seja idiota e histérica ao ponto de proibir modalidades comerciais que exijam mais de dois neurônios de uma das parte. Proibamos também vários outras transações complicadas.

Se essas ações judiciais incluírem um teste cognitivo e psicológico para saber se o cliente eram um completo idiota e louco e a empresa sabia disso, eu até concordaria.

DrBrodsky
Veterano
# out/08
· votar


james_the_bronson

Ou seja: Todo mundo que pega empréstimo tem como único objetivo possuir mais dívidas...

Não, quem pega empréstimo deve achar que poderá honrar. Isso é o fato mais óbvio do mundo que vocês tão tentnado reverter.

De novo: não ponha palavras na minha boca.

makumbator
Veterano
# out/08 · Editado por: makumbator
· votar


DrBrodsky

O contrato não é um pedaço de papel. O contrato é o acordo.

Logo, não importa o que a empresa escreveu ou considera, não tem contrato.


Mas aí que está, uma vez que se pode colocar tudo no contrato(mesmo que ilegal), está aberta a porta para todo o tipo de tramóia amparada pela lei. E nesse caso, dependendo de como for redigido o texto, haverá "acordo", mesmo que eu nem saiba(como no exemplo do envio indevido).
Dentro do universo daquele contrato, havia sim o acordo firmado, uma vez que o recebimento era a única condição para a aceitação, o que é totalmente injusto!

Essa regra de anulação de contratos com itens ilegais é aplicada no mundo todo(é uma das bases do direito, e isso não tem nada de comunista), pois se não for assim, seria possível via contrato, tornar legais atos já considerado ilegais pela legislação. Isso arruinaria o próprio sistema legal. E essa regra é para proteção não apenas das relações entre as pessoas, mas das próprias empresas com outras empresas e pessoas.

Alguns países apenas não possuem a regra de contrato draconiano(ou seja, aquele que mesmo não tendo nada ilegal, é claramente favorável a uma das partes apenas, penalizando a outra). Há países em que um contrato assim seria válido, e outros(como no Brasil) que ele pode ser questionado na justiça(claro que o limite do draconiano pode ser subjetiva). Mas a de impedimento de itens ilegais é algo mais do que justo, é até lógico.

Black Fire
Gato OT 2011
# out/08
· votar


makumbator
Se é assim, então tá.

james_the_bronson
Veterano
# out/08
· votar


DrBrodsky
Não, quem pega empréstimo deve achar que poderá honrar. Isso é o fato mais óbvio do mundo que vocês tão tentnado reverter.

De novo: não ponha palavras na minha boca.


eu tenho bom senso, como a grande maioria das pessoas.

Ninguém é obrigado a contrair empréstimos.


Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a O malvado consumidor e o seu covarde direito de ação