O malvado consumidor e o seu covarde direito de ação

Autor Mensagem
Duvideiro
Veterano
# out/08 · Editado por: Duvideiro


As associações de instituições financeiras têm reclamado publicamente do malvado consumidor e o seu covarde direito de ação.

Almoços de confraternização com o presidente do STJ foram realizados para reclamar dos abusos deste consumidor contra as frágeis e filantrópicas instituições financeiras, vítimas desta maléfica ferramenta que é o direito constitucional de ação.

E o STJ, verificando os abusos cometidos por estes consumidores, já se posicionou: "não há abusividade na cobrança de juros de 400% ao ano", quanto mais porque os consumidores têm recebido excessivos 10% ao ano de recomposição salarial e abusivos 0,62% ao mês de rendimento na caderneta de poupança.

Ora, se o consumidor "assinou tem que cumprir", principalmente porque o contrato foi feito somente em seu proveito! Ora, este consumidor está de má-fé!

O que está pensando este malvado consumidor ? As instituições financeiras só querem trabalhar em paz, ajudando os consumidores que estão em dificuldades financeiras, cobrando seus jurinhos filantrópicos, que mal conseguem mantê-las funcionando, lutando para sobreviver no Brasil.

Juros de meros 400%, crescimento em progressão geométrica, bilhões e bilhões de lucratividade, o maior crescimento de todos os tempos, o que é isto perto do poder do opressor e abusivo consumidor, de sua hipersuficiência, de seus absurdos lucros de 0,62% ao mês na poupança e de seu salário que cresce a abusivos 10% ao ano.

O que está pensando este malvado consumidor, só porque a Constituição Federal, um mero pedaço de papel, que lhe garante um tal direitinho de ação, essa maléfica ferramenta, ele se prevalece para abusar das pobres instituições financeiras.

Os consumidores estão tramando! Antes era a indústria do dano moral, agora é a indústria das ações revisionais! (Ao menos alguém está promovendo uma revolução industrial, coisa que o governo não consegue fazer).

Assim não dá! Se o malvado do consumidor continuar exercendo o seu maléfico direito constitucional de ação contra as bondosas e filantrópicas instituições financeiras, que mal conseguem se manter com algumas dezenas de bilhões de lucro ao ano e cobram taxas de juros que visam exclusivamente ajudar aqueles que estão em dificuldades, elas terão que decretar falência, quadro que já está se afigurando há tempos!

Conclusão: Buscar a Justiça é má-fé! Procurar os seus direitos básicos garantidos pela Constituição Federal é abuso! Oferecer dinheiro "fácil", com juros de 400% ao ano, sem qualquer cautela quanto se o consumidor terá condições de cumprir o contrato e não avisar os resultados do endividamento que poderá ser gerado, bem como os prejuízos para o seu sustento e de sua família, isto é um exercício de cidadania!



e tenho dito...

DrBrodsky
Veterano
# out/08
· votar


se o consumidor "assinou tem que cumprir"

Simples assim.

DrBrodsky
Veterano
# out/08
· votar


Texto mais babaca que eu já vi na minha vida.

lumiojo
Veterano
# out/08
· votar


Assim não dá! Se o malvado do consumidor continuar exercendo o seu maléfico direito constitucional de ação contra as bondosas e filantrópicas instituições financeiras

tá, eu só li isso, mas que besteira heim!

Ronin
Veterano
# out/08
· votar


DrBrodsky
se o consumidor "assinou tem que cumprir"
Simples assim.


Graças aos céus, mesmo com seus zilhões de problemas, o judiciário brasileiro (e de diversos outros países) não pensa como você.


Mas, concordo que o texto seja bobo.

marcelomendes
Veterano
# out/08
· votar


pô gente, é só um texto irônico, bacana até.

Clauber guns
Veterano
# out/08
· votar


Vou espera sair o filme pra tirar minhas conclusões!

Thiago Yoshiki
Veterano
# out/08
· votar


NOOOOOOOSSA!!!


É um texto irônico tah pessoal?




Agora se você achou bobo, é melhor abrir o olho pq isso ae tah escancarado que é ridículo, ja o conteúdo do texto também!

kbza
Veterano
# out/08
· votar


Ridiculo... mesmo o texto sendo irônico, induz o pensamento de que as instituições financeiras são lobo em pele de cordeiro, e desconsidera que a pessoa concordou com os termos do contrato quando o assinou.

Se existe má fé, é por parte dos consumidores.

Minow
Veterano
# out/08
· votar


Se existe má fé, é por parte dos consumidores.

Não é má fé, é inocência.

shoyoninja
Veterano
# out/08
· votar


Minow

Não é má fé, é inocência.


Existem casos e casos.

Muita coisa é abusiva sim e o consumidor tem mais é que entrar com ação mesmo.

Mas, pra variar aqui no Brasil, tem muito esperto que tenta tirar proveito das ferramentas que existem para garantir o direito do consumidor, abrindo margem pra esse tipo de reclamação.

Ronin
Veterano
# out/08
· votar


kbza
instituições financeiras são lobo em pele de cordeiro
São a sucursal do inferno na terra. ^_^

Se existe má fé, é por parte dos consumidores.
GHUAHUAHAUHA uhau auahfauhagaau ahguaghauahgauahgauahag auhag auhag auhg auahg auahg auahguagauahg... arf... arf... arf... ghuahuguahgauahaguagahuaguahagauhguhagu gua ahga aguahag auhgaaugauahagug aug ahua gauhguhgu.

Primeiro, a maioria dos contratos, principalmente envolvendo instituições financeiras, são compulsórios. Ou seja... você tem duas opções... sim ou não... negociar não está entre elas... principalmente pq quem discute com você não é quem negocia... você é tratado por um funcionário com pouquíssimo poder de negociação.

Segundo... quanto mais voltado o contrato é para o público menos favorecido, mais latin tem nele. Se você quiser entender 100% do contrato, tem de contratar um advogado, um economista e um contador... mas sei lá quem diabos irá ler o seu contrato com eles.

Terceiro... e falo isto com base em meu irmão que é assessor de desembargador. Você não faz idéias de quantos contratos feitos de forma incorreta, pingando de má fé por parte da empresa/instituição, estão sendo julgados todos os dias pelo Brasil. Eles agem de má fé sim... o tempo inteiro... termos escusos... termos que lidos separadamente parecem dizer uma coisa, mas lidos juntos levam a outro cenário... termos anti-constitucionais ou simplesmente ilegais. A coisa ainda piora quando o vendedor te explica os termos do contrato... e distorce completamente as informações contidas nele (passei por isto com meu corretor de imóveis ao comprar o apartamento - por sorte tenho um irmão, uma cunhada, e ao menos uns três amigos que são advogados).


As instituições agem assim por um motivo simples. De cada 10 contratos 1 ou 2 reclamam da ilegalidade do mesmo... para estes as instituições restituem e fica elas por elas. Os outros 8 elas lucram de ma fé com contratos ilegais, confusos e etc.

r2s2
Veterano
# out/08
· votar


Duvideiro

Hahahaha, excelente o texto. Vc que escreveu? É exatamente isso.

r2s2
Veterano
# out/08
· votar


Duvideiro

E para não perder o costume, aí vão os resumos:

25%

As associações de instituições financeiras têm reclamado publicamente do malvado consumidor e o seu covarde direito de ação.

Almoços de confraternização com o presidente do STJ foram realizados para reclamar dos abusos deste consumidor contra as frágeis e filantrópicas instituições financeiras, vítimas desta maléfica ferramenta que é o direito constitucional de ação.

E o STJ, verificando os abusos cometidos por estes consumidores, já se posicionou: "não há abusividade na cobrança de juros de 400% ao ano", quanto mais porque os consumidores têm recebido excessivos 10% ao ano de recomposição salarial e abusivos 0,62% ao mês de rendimento na caderneta de poupança.

10%

As associações de instituições financeiras têm reclamado publicamente do malvado consumidor e o seu covarde direito de ação.

Almoços de confraternização com o presidente do STJ foram realizados para reclamar dos abusos deste consumidor contra as frágeis e filantrópicas instituições financeiras, vítimas desta maléfica ferramenta que é o direito constitucional de ação.

5%
As associações de instituições financeiras têm reclamado publicamente do malvado consumidor e o seu covarde direito de ação.

r2s2
Veterano
# out/08
· votar


Ronin

Vc percebeu que ele estava sendo irônico né?

Ronin
Veterano
# out/08
· votar


r2s2
Vc percebeu que ele estava sendo irônico né?

O kbza? Estava?
Acho que devia ser regra colocar carinhas no final quando estamos sendo irônicos, rssss. ^_^

r2s2
Veterano
# out/08
· votar


Ronin

Putz, malz aê, nem percebi que vc estava respondendo a ele.

Foi mal

Duvideiro
Veterano
# out/08
· votar


r2s2
nao nao... eu tirei de um site voltado justamente para esclarecer isso ai acima, voltado para a area de banda larga no brasil.. Associação Brasileira dos Usuários de Acesso Rápido. Ironicamente, ABUSAR... www.abusar.org

a discussão é voltada principalmente para essas questões contratuais, e essa entidade, organização, grupo, sei lá.. realmente conseguem frutos. foi a partir de ações deles, que conseguiram aquela velha historia de speedy autenticar sem provedor.

compensa dar uma lida, pois já sabemos que temos um serviço precário em telecom,e há vários artigos que mostram que o buraco é mais embaixo

Fenrisulfr
Veterano
# out/08
· votar


"assinou tem que cumprir",

Só eu concordo com isso?

Black Fire
Gato OT 2011
# out/08
· votar


O direito de ação não pressupõe que ele só assina um contrato se quiser?

Jonas TRITON
Veterano
# out/08
· votar


Fenrisulfr
Eu concordo, mas por outro lado acho que a ANATEL no caso deveria se impor mais e realmente fiscalizar práticas quase que criminosas das companhias de telecom.

Fenrisulfr
Veterano
# out/08 · Editado por: Fenrisulfr
· votar


Black Fire
O direito de ação não pressupõe que ele só assina um contrato se quiser?



Isso é vdd... eu que trabalho com cobrança do Itau sei disso... sempre tem um mané: "mas esse juros é abusivo"... concordo com isso, mas ele aceitou... eu penso assim, o que deve mudar é a lei que permite eles cobrarem esses juros... mas assinou o problema é teu...vende a mãe, mas tem que pagar


PQP que sono...

makumbator
Veterano
# out/08
· votar


Fenrisulfr

Mas por outro lado, muita gente entra na justiça para rever juros compostos e outras ilegalidades dos bancos, e boa parte vence a ação, sendo então aplicados juros judiciais não compostos, o que reduz EXTREMAMENTE as dívidas de cartão de crédito e similares.

Dogs2
Veterano
# out/08 · Editado por: Dogs2
· votar


discursinho liberal esse de falar que o consumidor é tirano, sob quaisquer aspectos (satifazer a demanda, etc)

makumbator
Veterano
# out/08
· votar


Black Fire
direito de ação não pressupõe que ele só assina um contrato se quiser?

Mas quando o contrato tem itens ilegais ou draconianos(o que é bastante comum), isso o invalida, sem contar textos que dão margem a interpretação múltipla. Portanto, não é tão simples assim quanto "assinou tem que cumprir".

Pati Cobain
Veterano
# out/08 · Editado por: Pati Cobain
· votar


Xá pra lá...

Black Fire
Gato OT 2011
# out/08
· votar


makumbator
Mas o consumidor ao assinar não está concordando com os itens ilegais e draconianos?

makumbator
Veterano
# out/08
· votar


Black Fire

Mas eles não são válidos! Não importa se a pessoa concorda com eles ou não. Esses itens são legalmente nulos. É como se eles não estivessem no contrato(pois são ilegais).

DrBrodsky
Veterano
# out/08 · Editado por: DrBrodsky
· votar


makumbator

Mas eles não são válidos! Não importa se a pessoa concorda com eles ou não.


Bem vindo a um país comunista!

Vou sair daqui pra comprar uma Ferrari e depois entrar com uma ação pra não pagar porque eu tá caro demais.

DrBrodsky
Veterano
# out/08
· votar


Se não podia/queria pagar, por que pegar empréstimo?

Depois usam a força coerciva do estado pra roubar as empresas que lhes serviram.

Isso pra mim é o m ais puro mal caratismo.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a O malvado consumidor e o seu covarde direito de ação