Giannini Classic T vs. Meteoro MGV 30

Autor Mensagem
acabaramosnicks
Membro Novato
# 01/nov/19 10:01
· votar


Matikas
Palavra de quem tem ampli valvulado pequeno:
Se vai tocar ao vivo (alto) e tua guita tem humbuckers, já fica difícil tirar um clean totalmente clean. Daí cê pega o EQ de apenas um knob, complica mais pra chegar no som que vc quer. Eu com um ampli desses deixaria o master no talo, o EQ no talo, e ficaria brincando só com ganho do ampli, volume da guitarra e tone da guitarra.
Mas já que tem a opção do gianinni com 20w, vai nesse que tu tá mais tranquilo. Bate melhor com tua proposta.

Ismah
Veterano
# 01/nov/19 15:00
· votar


Amp com um tone, é ame ou deixe-o. O Ampeg Jet J12, tem um som maravilhoso, mas tem som de Jet... O ZT Lunchbox tem som ótimo, mas tem som marcante...

Quanto ao loop, cara... É uma coisa muito mais mítica, do que real. Dá para se virar perfeitamente sem o loop. Ainda mais que tu não usa distorção...

Não sei que amp usa hoje, mas um 8 W não tem nada de som limpo, praticamente. E valvulado distorce bem cedo, é característica do troço.

Quanto a perda de qualidade do sinal com a POD, tá estranho o papo. Lido a 5 anos com ela, e nada a reclamar. O que talvez tu estranhe, é que passando pelo pré do amp, o timbre é processado mais uma vez. Pessoalmente, como técnico, gosto muito de usar sinal em linha, pois se reduz em muito os problemas vindos do palco. Todavia, se timbra em cima do som do PA, ou o mais próximo do ideal possível.

Se a ideia é usar ela ou não, é algo que precisa ser decidido, pois são universos bem diferentes.
Para usar as emulações da HD500, é preciso boa potência para amplificar esse sinal. Não vai ser um valvulado pequeno que vai entregar isso - além de mais alguma distorção, compressão e por aí vai...
Um dos sistemas que uso, é um Fender Hot Rod Deluxe, com a POD no input e no loop. Na prática, soa tão bem como soava no Meteoro, salvo o que difere, que já comentei acima. Apenas há o recurso de sempre adicionar ganho, em função do foot do amp.

Matikas
Membro Novato
# 01/nov/19 17:17
· votar


Então, realmente vejo o Giannini como um amplificador mais versátil. Eu ultimamente estou tocando mais em casa, e as vezes toco em algumas igrejas ou eventos aleatórios, o que usando a POD é muito prático. Basta conectar e mandar o som pro PA. Mas sinto muito a falta de um amplificador de qualidade pra ouvir realmente a guitarra. Atualmente estou sem amplificador, apenas tocando com a POD e um headset bacana. Fico em dúvida entre o sollo + a Pod, ou o Giannini + a Pod.

Há uma outra possibilidade um pouco mais distante, que seria dar a Pod e uma grana em um Laney VC30 cm falante HH invader. Eu tenho a impressão que ele é um AMP espetacular. Clean bonito, drive pra blues, bom de renegociar futuramente. Mas aí eu ficaria apenas com o amp e a guitarra.

Realmente o que foi dito acima sobre amp com poucos recursos controláveis eu concordo. Por exemplo o fender champ 600. Ou gosta ou nem chega perto. Mas acredito que eles sejam amplificadores de quarto e no máximo estúdio, o que não parece ser exatamente a proposta do Sollo 8 mini. Acredito que ele seja perfeito para quarto, mas que também vai bem em apresentações microfonado. A questão realmente é a falta de EQ. Eu não entendo bem a respeito de pedais de EQ, mas eles dão conta do recado em uma situação como essa do Sollo 8 Mini ? O fato do pedal equalizar o sinal da guitarra antes de chegar ao amp não interferia no resultado, quando comparado ao EQ de um cabeçote normalmente que "suponho" que equalize o som do sinal da guitarra e juntamente o som do amplificador.

É muita pergunta né. Fazer o que se sou novato! Kkk muita coisa acumulada

Matikas
Membro Novato
# 01/nov/19 17:34
· votar


Agora gostaria de aproveitar a oportunidade pra comentar a respeito do MGV30. Eu gostava muito dele, pois foi meu primeiro valvulado. Antes eu sempre toquei com amplificador ruim, transistor e pequenoS, poucos e. Quando inicialmente peguei o MGV30 senti muita diferença. Afinal é valvulado. Eu gostei bastante nos primeiros meses, mas Muito em breve percebi o quanto ele me dava problema. Parecia carro velho "some um barulho aqui, e aparece outro alí". Parecia impossível resolver todos os problemas do amp, sempre tinha um novo. Era canal com zumbido, falante peidando, chiado, etc. Mesmo assim eu ainda me agradava do som. Tinha por volta de 7 anos de vida na música/guitarra/violão... Acabei vendendo ele meses depois adquiri outro. O que por azar ou pelo fato da qualidade deles também veio recheado de problemas. Ambos que adquiri foram usados, o que pode ser a explicação para tanto problema. No final também tive que me desfazer do amp e parti para as POD, pois eu sabia que não teria problema, e realmente não tive. Eu já possui 3 POD HD. Uma 400 e duas hd500. Não dão problemas, a não ser pelo knob/switch das hd500 que dão defeito e vc tem que trocar o botaozinho do switch, que custa uns 50 centavos na eletrônica. mas é um probleminha crônico e reincidente em algumas unidades da Pod. Enfim, essa é minha experiência com o meteoro e por este fato não tenho mais coragem de adquirir um. Sou pobre e quando gasto em instrumento geralmente é por sacrifício kkk.

O Giannini aparentemente não recebe tantas reclamações a respeito de defeitos, manutenção. Parece que o problema mais comum dele é a luz do Led azul que estraga rápido.

No final, apesar de eu gostar da meteoro pelo fato de ser brasileira, (é importante incentivar e buscar reconhecer o trabalho do nosso povo) não tenho como recomendar esse amp deles, infelizmente. Existem outras marcas brasileiras que fazem um produto bom, mas alguns são bem carinhos pro bolso do brasileiro de classe baixa, então ficamos reféns de amps usados, pedaleiras, transistorisados, ou alguns encontram uma solução contrariando as esposas e gastando as finanças em valvulados e guitarras melhores kkk.

acabaramosnicks
Membro Novato
# 01/nov/19 17:57
· votar


Há uma outra possibilidade um pouco mais distante, que seria dar a Pod e uma grana em um Laney VC30
É um excelente ampli, mas tenha em mente que vc vai perder flexibilidade e praticidade de se ter a pod. Daí vai do gosto.

Eu não entendo bem a respeito de pedais de EQ, mas eles dão conta do recado em uma situação como essa do Sollo 8 Mini ?
Sim, pedais dão conta. A abordagem é outra e vc vai ter que se adaptar, mas funcoina bem. Eu mesmo não largo mão do meu Boss Ge7, uso no loop em todo amp desde que peguei ele em 2012.

percebi o quanto ele me dava problema. Parecia carro velho "some um barulho aqui, e aparece outro alí"
Típico dos Meteoro, os caras fazem umas economias idiotas que acabam cagando nos poucos projetos bons da empresa.


Ambos que adquiri foram usados, o que pode ser a explicação para tanto problema.
Tudo que é feito de matéria se deteriora e precisa de manutenção, mas tem coisas que foram projetadas para durar mais, e outras coisas que foram projetadas pra serem baratas independente da durabilidade.

Quanto ao resto do texto... cara, não tem almoço grátis. Coisa boa custa caro, e são essas que não vão te deixar na mão. Vc pode dar a sorte de sua mesinha behringer durar 10 anos intacta, ou pode dar o azar de sua mackie dar pau no primeiro mês. Como eu disse, tudo se desgasta e se deteriora, logo, eventualmente vai precisar de manutenção, a diferença é que ninguém quer reformar uma guitarra memphis de 200 conto, e as Gibson que o headstock quebra com um sopro são consertadas mesmo a orçamentos obcenos, porque em um caso o cara acha que vale a pena e no outro não, cabe ao dono do equipo dizer quanto ele vale.

Outra coisa, se for pegar o Vc30, evite pegar o 2x12, é pesado pra diabo, mesmo pra levar no carrinho de mão é ruim.

Ramsay
Veterano
# 02/nov/19 00:59
· votar


Matikas
O Gianinni Classic-t tem a vantagem de ter mais potência e ter reverber (se bem que reverbers valvulados são sempre meia boca).
O sollo Mini 8 tem a vantagem de ser um amp que trabalha em classe A, ao contrário do Classic T que trabalha em classe AB.
Devido a isso, o Sollo mini 8 vai te dar um som bem mais vintage e clássico do que vc obteria com o Gianinni Classic-t.
Então, se ao invés de potência vc prioriza qualidade sonora "Vintage" fique com o mini sollo 8.
E, em caso contrário, escolha o Gianinni classic-t.

Ismah
Veterano
# 02/nov/19 05:04
· votar


Matikas
acredito que eles sejam amplificadores de quarto e no máximo estúdio, o que não parece ser exatamente a proposta do Sollo 8 mini

Os que citei, ambos pertencem ao mesmo músico, e ambos já foram para palco.

Eu não entendo bem a respeito de pedais de EQ, mas eles dão conta do recado em uma situação como essa do Sollo 8 Mini ?

Mais ou menos! Um tone stack de um amp, já é um eq mais ou menos pré-configurado. Um eq gráfico, altera ligeiramente o timbre, mesmo com tudo em zero - e não tem questão de marca A, B ou C, é inerente ao modo de funcionamento, e da bagunça na fase que cria. Um paramétrico, afeta muito menos o sinal, mas é mais chatinho de usar.

O fato do pedal equalizar o sinal da guitarra antes de chegar ao amp não interferia no resultado, quando comparado ao EQ de um cabeçote normalmente que "suponho" que equalize o som do sinal da guitarra e juntamente o som do amplificador.

Mais ou menos também. Existe uma sequência de coisas, mas usando o eq no loop, é praticamente uma extensão do tone stack. Todavia, não dá pra pirar muito com isso, é só testar e tirar SUAS conclusões.

Afinal é valvulado

O que não quer dizer bom... Valvulado é caro (ponto), e não tem almoço grátis, se custa pouco, tem alguma mutreta.

Ambos que adquiri foram usados, o que pode ser a explicação para tanto problema

...

a não ser pelo knob/switch das hd500 que dão defeito e vc tem que trocar o botaozinho do switch

Já efetuei a limpeza umas 3 vezes, basta passar um álcool isopropílico ou limpa contato. JAMAIS WD40 ou similares.

Matikas
Membro Novato
# 02/nov/19 14:19
· votar


Já efetuei a limpeza umas 3 vezes, basta passar um álcool isopropílico ou limpa contato. JAMAIS WD40 ou similares.


Essa limpeza resolveu o problema do mal contato e impediu que ele ocorresse novamente? No meu caso já troquei o mesmo switch 2 vezes e não entendo o motivo de apenas o mesmo switch dar problema.

Matikas
Membro Novato
# 02/nov/19 14:23
· votar


O sollo Mini 8 tem a vantagem de ser um amp que trabalha em classe A, ao contrário do Classic T que trabalha em classe AB.
Devido a isso, o Sollo mini 8 vai te dar um som bem mais vintage e clássico do que vc obteria com o Gianinni Classic-t.


Mais vintage devido a ser Class A, que promove um sinal mais "puro"? Interessante, eu imaginava o sollo como um amp de som mais moderno que o Giannini.

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# 02/nov/19 14:35
· votar


Matikas
Cara, eu nem sei porque tantas dúvidas...
Compre o Classic T e seja feliz...
Simples assim...
Abç

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Giannini Classic T vs. Meteoro MGV 30