Dream Theater lançará novo álbum em 2016

Autor Mensagem
cafe_com_leite
Veterano
# dez/15


Confesso que desencanei de Dream Theater nesse ano de 2015. Cansei mesmo. O último álbum com título homônimo foi a gota d'agua: mangini confirmando sua mão frouxa, a banda querendo reviver formulas e características que deram certo no passado (o que é um pecado pra mim), os timbres do Petrucci deixaram de me agradar e os teclados do Rudess é um saco.

Maas, o novo deles é conceitual! Isso me dá uma injeção de animo para querer ouvir. Segue o texto:


http://whiplash.net/materias/news_796/234718-dreamtheater.html




já saiu até uma nova música da qual eu ainda não ouvi:





cafe_com_leite
Veterano
# dez/15
· votar


porra, é em 2016.


Se algum moderador quiser, por obséquio, corrigir o título, ficarei muito grato.

Lelo Mig
Membro
# dez/15
· votar


cafe_com_leite

Ouvi a faixa que você postou... os caras são bons músicos, não há o que falar, mas como compositores... sei lá....parece um filhote de Rush com Kansas.

Aff.... eu tô muito chato, desculpem!

cafe_com_leite
Veterano
# dez/15
· votar


Lelo Mig
sei lá....parece um filhote de Rush com Kansas.


Mas é isso mesmo. Porém como filho, ele também possui suas próprias características e trejeitos.

makumbator
Veterano
# dez/15 · Editado por: makumbator
· votar


cafe_com_leite

Gostei da música. Ficou meio Rush mesmo! Em geral tenho achado os últimos álbuns da banda medianos. Eles precisam gerar dinheiro, mas musicalmente parece que seria mais saudável terem lançado menos discos, fazendo o intervalo entre eles maior. A produção do DT está muito fordista, a cada X meses tem que ter um álbum. Nesse ponto eu aprecio bastante o Metallica, que evitam lançar álbum anualmente só por lançar.

Gabriel Landim
Veterano
# dez/15
· votar


cafe_com_leite
Infelizmente DT deixou de ter graça pra mim há um bom tempo... último álbum realmente bom foi o Octavarium e o último suspiro com BC&SL.
Além de não se renovarem como você falou o vocal do Labrie torrou o saco de vez... tinham que ter chutado ele e o Rudess e trazido o Derek de volta.
Sempre que ouço os lançamentos recentes fico imaginando como seria a banda com o Jorn Lande... e sim apesar de tudo o Portnoy faz falta demais como compositor.
Prog metal hoje em dia pra mim é Periphery, Tesseract, BTBAM e Mastodon.

makumbator
Eles precisam gerar dinheiro, mas musicalmente parece que seria mais saldável terem lançado menos discos, fazendo o intervalo entre eles maior. A produção do DT está muito fordista, a cada X meses tem que ter um álbum. Nesse ponto eu aprecio bastante o Metallica, que evitam lançar álbum anualmente só por lançar.

Ou o Steve Vai também que demora pra lançar um de estúdio mas quando lança é algo digno.

wellingtoncap
Membro Novato
# dez/15
· votar


Portnoy era metade da banda... Acho que quando saiu desandou o que já não estava lá essas coisas.

LaBrie é uma lástima. Se fosse pra kickar alguém da banda tinha que ser ele. Acho bizarro uma banda desse porte com um vocalista não faz diferença nenhuma (e quando faz a diferença, faz pra pior).

wellingtoncap
Membro Novato
# dez/15
· votar


Gabriel Landim

Pra mim o último álbum bom foi o Train of Thought. Octavarium já achei que foi o começo do fim.

cafe_com_leite
Veterano
# dez/15
· votar


Gabriel Landim
Prog metal hoje em dia pra mim é Periphery, Tesseract, BTBAM e Mastodon.

Também coloco Animals as Leaders nessa lista.

wellingtoncap
Pra mim o último álbum bom foi o Train of Thought. Octavarium já achei que foi o começo do fim.



Octavarium tem músicas muito boas. A última faixa que leva o nome do álbum é uma das grandes da extensa lista de músicas da banda.

cafe_com_leite
Veterano
# dez/15
· votar


A banda vinha trilhando um caminho bacana até o Black Could sonoramente falando. A banda vinha numa transição de um prog 80 a la rush e ia se aproximando de algo mais moderno, como as baita músicas The Glass Prison, The Dark Eternal Night, in The presence enemies. Foi um rompimento legal com o que vinham fazendo até o The Scenes. Mas daí deu esse mal de AC/DC e os caras desembestaram a repetir fórmulas e mais fórmulas.

Espero que o Portnoy volte e acabe com esse marasmo.



Ouvi a música e achei uma bosta. Poderia citar umas 10 músicas com passagens instrumentais iguaizinhas.

Rachmaninoff
Veterano
# dez/15
· votar


Sou um grande fã do Dream Theater... dos álbuns com o Portnoy. Não importa quão bom tecnicamente o Mangini seja, o Portnoy dava um clima diferente à banda, o Mangini me soa muito burocrático. E o Rudess sempre faz os solos todos iguais, subindo e descendo escala com um vibrato no final, enchi o saco também.

E o James LaBrie, PQP... é simplesmente horrível... ouçam só ele cantando junto com o Charlie Dominici (que nem é lá essas coisas), o vocalista que gravou o When Dream and Day Unite, vejam que diferença.

Enfim... nem me interesso de ouvir qualquer coisa nova do Dream Theater. Vai ser o mesmo som burocrático que vem saindo ultimamente, tudo igual.

Julia Hardy
Veterano
# dez/15
· votar


É verdade que vai ser um álbum duplo? Aff

Não vejo problema em repetir fórmulas. O problema é quando a inspiração não é mais a mesma. Não tem nada na produção atual do DT que se equipare ao Images and Words, por exemplo.

Não precisa ser igual o Metallica que lança um ou dois álbuns por década, mas deviam dar um tempo.

Insufferable Bear
Membro
# dez/15
· votar


Eu não ouço DT desde que sai da minha adolescência guitarrera punhetera, acho que na época do Octavarium, e recomendo a todos.

cafe_com_leite
Veterano
# dez/15
· votar


Julia Hardy
Não vejo problema em repetir fórmulas.


Um som simples e pedreiro como o do AC/DC até permite repetições. É tipo samba, blues, é aquilo e pronto. Já a fórmula do dream theater que é cheia de detalhes e frescuras, a primeira ouvida pode até impressionar, mas quando começa repetir muito enche o saco. É tipo ir numa montanha russa 4 vezes seguida, na quinta não faz mais sentido.

Julia Hardy
Veterano
# dez/15
· votar


Eu entendo. Ninguém tem compromisso ad eternum com a criatividade. Ainda mais uma banda que não para como o DT.

cafe_com_leite
Veterano
# jan/16
· votar


Julia Hardy
Ninguém tem compromisso ad eternum com a criatividade.



Na minha concepção um artista tem esse compromisso sim.

Por isso que hoje não dou mais importância para nomes. Não vejo problema em só gostar de uma música de uma bandinha underground. Essa imagem de ídolo eterno que o século 20 incrustrou na nossa mente não funciona mais nos dias de hoje onde tudo é efêmero, efemero mesmo.

Julia Hardy
Veterano
# jan/16
· votar


cafe_com_leite

Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Arte não é algo domesticavel. Quem dera fosse. Já o público...

Sobre endeusar artistas ou pretensos artistas é patético. Porém, dar crédito a quem merece é correto e até necessário.

cafe_com_leite
Veterano
# jan/16
· votar


Julia Hardy
Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Arte não é algo domesticavel. Quem dera fosse. Já o público...



Com essa minha opnião minha não tenho pretenção de ditar o que é ou não arte ou música boa de maneira universal, é apenas um mecanismo de seleção.


Porém, dar crédito a quem merece é correto e até necessário.



Claro. Tanto é que criei o tópico pra uma banda que não ouço há meses só pelo fato de ter curtido muito há tempos atrás. O problema é quando o nome por trás da arte te influência no julgamento da arte em si.


Um pedreiro fazuma puta casa e fica famoso na região. Daí ele começa a fazer um monte de casa bosta. As pessoas vão parar de confiar nesse cara automaticamente, ele perderá crédito, clientela.

Veja que isso não ocorre na cultura pop. Um exemplo é o tópico da volta do guns and roses.


Por isso que essa imagem de ídolo, de ícone vem se desconstruindo gradativamente pra mim.

entamoeba
Membro Novato
# jan/16
· votar


Essa banda influenciou (negativamente) toda uma geração - sobretudo, do metal. Se pudesse escolher uma banda para nunca ter existido, minha escolha seria o Dream Theater.

cafe_com_leite
Veterano
# jan/16
· votar


Metal é estragado na sua origem. Dream theater é só consequência.

malucobeleza666
Veterano
# jan/16 · Editado por: malucobeleza666
· votar


Gostaria demais que eles se reunissem de novo para fazer mais um álbum do LTE,pra mim aqueles dois álbuns foram sensacionais.

Quanto ao DT de fato, achei essa Gift of music simplesmente uma bosta, e olha que sou fã dos caras.Posso estar sendo ingênuo e inocente,mas acho que eles não lançam tantos álbuns exclusivamente por dinheiro não, sei lá, você percebe nos vídeos,entrevistas que a parada é literalmente a vida dos caras.

Rachmaninoff
Veterano
# jan/16
· votar


malucobeleza666
Gostaria demais que eles se reunissem de novo para fazer mais um álbum do LTE

Também sou fã do Liquid Tension Experiment, mas já rolou briguinha por causa dele. Em julho de 2012, num show do Dream Theater em New York, Tony Levin se juntou a Petrucci, Rudess e... Mike Mangini pra tocar "Paradigm Shift". Como o LTE foi um projeto idealizado pelo Portnoy, ele ficou puto e, poucos meses depois em Tokyo, tocou "A Change of Seasons" e "Acid Rain" junto com o Tony MacAlpine, Derek Sherinian e Billy Sheehan. Mó climão... acho que LTE já era.

Lelo Mig
Membro
# jan/16 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Rachmaninoff

"acho que LTE já era."

A partir do momento em que só o Tony Levin não foi/é do DT, o próprio Portnoy já disse, em diversas entrevistas, que não faz sentido continuar com um projeto onde a maior parte são integrantes do Dream Theater. Exceção somente para algumas aparições comemorativas.

Julia Hardy
Veterano
# jan/16
· votar


cafe_com_leite

Essa analogia com pedreiro é estranha, mas eu entendi o que você quis dizer. É justamente por isso que acontecem reuniões como essa do Guns. As pessoas acham que vão voltar para 1991, 1992 e reviver aquela época. Não vão. No caso do DT, a volta do Mike não resolveria muita coisa também. Sinceramente, não vejo nada demais nas bandas atuais dele.

malucobeleza666
Veterano
# jan/16
· votar


Rachmaninoff
Também sou fã do Liquid Tension Experiment, mas já rolou briguinha por causa dele. Em julho de 2012, num show do Dream Theater em New York, Tony Levin se juntou a Petrucci, Rudess e... Mike Mangini pra tocar "Paradigm Shift". Como o LTE foi um projeto idealizado pelo Portnoy, ele ficou puto e, poucos meses depois em Tokyo, tocou "A Change of Seasons" e "Acid Rain" junto com o Tony MacAlpine, Derek Sherinian e Billy Sheehan. Mó climão... acho que LTE já era.


E o que eu mais curto é que esse show clássico do LTE ae de 2008 é muito bom,consegue ser 2x melhor do que a versão de estúdio dos álbuns.Mó treta a parada então né? Podemos esquecer então...haha. Valeu por ter postado os links, não curti a Acid Rain não, especialmente o teclado do Derek,passa nem perto da do show de 2008.

cafe_com_leite
Veterano
# jan/16
· votar


Julia Hardy
No caso do DT, a volta do Mike não resolveria muita coisa também. Sinceramente, não vejo nada demais nas bandas atuais dele.

Não afirmou que náo e nem que sim:

A banda com Portnoy vinha trazendo algumas mudanças sonoras a cada álbum.

A banda já vinha repetindo fórmulas ainda com ele na banda.



Sei lá. Acho que uma hora ele volta. Esse Mangini não tem sangue parece, não me desce. Músicas com lifiting shadows que tem aquele prartinho cool no começo, são coisas que não se vê mais no DT.

cafe_com_leite
Veterano
# jan/16 · Editado por: cafe_com_leite
· votar


Aí que tá o tal do feeling. Talvez o Mangini seja mais técnico que o Portnoy, mas a inspiração que o cara colocava nas canções infelizmente não se vê com magini e suas 500 baquetadas por segundo.




O cara usou o tátátum de mil e uma formas durante todos os álbuns e não soam de maneira cansativa. A porra do feeling é muito importante.

Julia Hardy
Veterano
# jan/16
· votar


Por isso eu disse que não tem nada na produção atual deles que se equipare ao passado.

Julia Hardy
Veterano
# jan/16
· votar


Fico pensando se o tal Aquiles Priester tivesse entrado no DT. Teriam debandado pro metal melódico? Sei lá.

malucobeleza666
Veterano
# jan/16
· votar


Julia Hardy

Fico pensando se o tal Aquiles Priester tivesse entrado no DT. Teriam debandado pro metal melódico? Sei lá.


Credo..esse cara não tem a mínima condição de compor numa banda estilo DT.Gostaria de ver o Thomas Lang,acho ele bem criativo,mas enfim, acho que aquele lance de escolher o batera foi mais fachada mesmo, acho que o Mangini já estava escolhido antes mesmo daquelas audições.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Dream Theater lançará novo álbum em 2016