Produtor de Rock brasileiro ou arriscar gravação no exterior e tentar ser independente ?

Autor Mensagem
Healt
Membro Novato
# set/15


Sou compositor e cantor, estou pretendendo gravar uma demo em casa mesmo com o equipamento que tenho(cusabse 7.5, Forte da Focusright,1 guitarra PRS e microfone AKG XLS II) e depois levar pra um produtor de rock, vejo uma galera descendo o cacete no Rick Bonadio, fico me perguntando se n vale a pena gravar no exterior mesmo com a alta do dolar.
PS: falo bem inglês mais gostaria de cantar em pt

Em resumo ainda n tenho nada pra mostrar ainda estou compondo e desenvolvendo uma identidade mais apos eu ter uma DEMO, qual o melhor caminho ?

erico.ascencao
Veterano
# set/15
· votar


Healt
Tenho visto muitos vídeos do Lisciel Franco e do Paulo Anhaia e neste processo passei a entender melhor o papel do produtor musical aqui no Brasil. Partindo desta perspectiva, na minha opinião, acho que você não deve seguir este caminho.

Num primeiro momento, você poderia gravar uma demo em casa com o objetivo de registrar o seu trabalho, sem se preocupar necessariamente com a qualidade da gravação. Com este trabalho em mãos, aí sim seria um momento oportuno de chegar para um produtor, apresentar o material e desenvolvê-lo. Um produtor, além de regravar o material com qualidade para divulgação, te ajudaria na estruturação das suas composições - afinal, esta é a função do produtor. Por fim, eu acho que seria melhor um produtor brasileiro, pelo fato de você querer cantar em português, e que tenha experiência no estilo em que você quer seguir.

Healt
Membro Novato
# out/15
· votar


Sera que mesmo cantando em pt um produtor gringo seria ruim ? na sua opnião um produtor então é necessário.

O estilo seria rock com uma pegada e arranjos eletronicos, que produtores vc indicaria ?

Quanto a Demo eu pretendo fazer praticamente a musica toda em casa tentando deixar como se fosse produto final mesmo e dai procurar refinar no estudio pra gravação.

MMI
Veterano
# out/15
· votar


Healt

Explica melhor.

Dá a sensação que você está pensando num produtor musical. Mais ainda, pelas suas perguntas, fica a impressão que você está bem cru nisso.

Você quer gravar no exterior? Como domina o Inglês, com certeza você vai achar excelentes estúdios e gente muito capacitada. Dificilmente aqui, com raras exceções, você vai ter os mesmos resultados. Mas um produtor musical gringo nem sempre vai fazer soar brasileiro seu trabalho se for trabalhar também no arranjo e composição. Se for trabalhar na gravação, mix e master, é diferente. Mas produtor pode se referir à produção executiva e comercial, que é outro papo completamente diferente.

Dependendo da sua meta, alguma coisa pode se fazer necessária, eventualmente tudo.

erico.ascencao
Veterano
# out/15
· votar


Healt

Eu não sou a pessoa mais indicada pra te recomendar um produtor, pois não conheço muitos. Não sei se o Ismah aqui do FCC tem contatos deste tipo de profissional.

O que eu imagino que seria mais produtivo é gravar a demo em casa para você mostrar a um produtor como você pensou na estrutura da música. Chegando num estúdio, um produtor musical terá a missão de analisar as suas composições, propor melhorias em termos de estrutura e arranjo, entre outras coisas. Com isso, elas devem ser regravadas utilizando equipamentos profissionais e sob a supervisão do produtor, para aí sim se chegar num produto final.

Tudo isto que eu estou falando parte do pressuposto que você tem a ideia de conduzir este trabalho de forma profissional e não simplesmente como hobby.

MMI
Veterano
# out/15
· votar


erico.ascencao

O problema não é achar nomes. Conheço um monte, eu mesmo trabalhei com isso já, mas bem mais modestamente. Mas o cara precisa definir o que quer, como é o projeto, como é o staff, o estilo e o limite de grana. Já participei de projetos de orçamento de alguns milhões para gravar e lançar um CD, no fim o prejuízo, depois das vendas, foi de quase 1,5 milhão - de gente que sabia o que estava fazendo. Entenda que ele começou dizendo que o Bonadio não serve e que estava pensando em ir para fora...

JJJ
Veterano
# out/15 · Editado por: JJJ
· votar


Se você puder ir pra fora, vá. E não estou falando só por motivos musicais. Mas tem que estar preparado, com espírito de imigrante... Ou seja: não pode ficar de mimimi, "não faço isso", "não faço aquilo". Vai ter que ralar e fazer, eventualmente, o que não quer (a menos que você tenha dinheiro sobrando, claro... aí você faz o que quiser... rs).

Healt
Membro Novato
# out/15 · Editado por: Healt
· votar


Primeiro gostaria de agradecer a atenção que, erico.ascencao, MMI e JJJ estão me dando neste poste.

Bem na verdade eu iniciei esse poste pois estou bem perdido, por isso todo comentário é muito bem vindo. Eu não tenho a menor ideia do que um produtor eh capaz de fazer, imagino que um produtor para a produção executiva e comercial não é o que quero agora, pois estou pensando somente na qualidade da gravação e do trabalho ser a melhor possível.

Eu comentei o bonadio mais não conheço o trabalho dele so comentei que muita gente acha que ele não eh um bom produtor.

Eu pretendo cantar em português mais de maneira alguma gostaria que minha música soa-se brasileira, pelo contrário quando eu ouço os primeiro 5-10s consigo perceber se uma música é brasileira ou internacional, é exatamente disso que quero fugir como musico tenho a sençação que toda musica brasileira sem excessão tem uma qualidade inferior a internacional, e eu gostaria de gravar um trabalho de qualidade competitiva com as músicas internacionais.

Em resumo eu cantaria em portugues mais não tenho a menor intenção de que meu trabalho soe ou tenha qualquer tipo de influencia de qualquer banda ou cantor brasileiro.

O que gostaria de vocês são direcionamentos do tipo,
-Faça um demo
-Registre sua música no orgão (não sei qual, para n roubarem os direitos autorais de sua musica)
- Envie para produtor tal ou Procure produtores internacionais exemplo...

Conheço inclusive alguns lugares aonde é possivel vc gravar na sua casa enquanto o produtor esta do outro lado do mundo. Inclusive o Cubase que uso tem uma ferramente integrada onde isso é possivel,(gravação em casa) o produtor do outro lado precisa usar o cubase tb entretanto.

Minha intenção é me informar aqui no forrum de quais são as possibilidades de um musico que tem uma DEMO com as música ja com toda estrutura e até alguns arranjos e que não tem a menor intenção de soar como algo produzido no brasil, e que obviamente tem poucos recursos ( sou formado, profissional autonomo e tenho como ganhar 4-5 mil por mes )

Tenho conhecimento avançado em teoria musical, aprendi tudo em inglês e estudo diáriamente , sou cantor, guitarrista, toco piano, tenho boas noções de gravação pois ja tomei alguns cursos sobre, meu equipamento é (cusabse 7.5, Forte da Focusright,1 guitarra PRS ,microfone AKG XLS II, 1 Teclado Oxygen 49, diversos plugins do Komplete 9 Ultimate e diversos samples para fazer arranjos de bateria)

O estilo musical é Rock com uma pegada de musica eletronica, um produtor que domini todos os effeitos possíveis de guitarra para ter um som pesado de metal, arranjos com pegadas eletrónicas, não gosto de fazer comparações mais gostaria que a integração de musica eletronica e rock no meu trabalho fosse similar a integração de rock e música eletronica do Linkin Park

Mais uma vez obrigado pela atenção e estou na expectativa de ouvir bons conselhos de vcs.

Fernando
Veterano
# out/15 · Editado por: Fernando
· votar


Um produtor gringo não vai ter o devido conhecimento do mercado brasileiro ou da música brasileira, mas pelo jeito você não quer isso, quer apenas a qualidade de áudio gringa, certo?

Então vai fundo. Mas não aconselho a você gravar aqui e trabalhar com o cara "online". GRANDE parte da "sonoridade gringa" se faz na captação. Viaje pra lá e grave em um estúdio gringo. Caso contrário não sei se você chegará ao resultado almejado.

Você citou o Linkin Park, já é um ponto de partida: veja quem já produziu a banda, entre no site do produtor, ouça o portfólio - se curtir, manda uma mensagem pro cara, veja quanto ele cobra, se rola de gravar no estúdio dele etc. Sendo viável, faz uma demo e vai pra lá gravar. Essa é a situação ideal.

Se não está disposto a ir pra lá, sugiro pesquisar um produtor brasileiro cujo portfólio você curta. Com a demo na mão, trabalhe as músicas e grave com ele em um bom estúdio, que vai garantir qualidade na captação. Aí você manda mixar e masterizar nos EUA com o produtor do Linkin Park, por exemplo.

Healt
Membro Novato
# out/15 · Editado por: Healt
· votar


quer apenas a qualidade de áudio gringa, certo?
exato, é isso que quero.

Obrigado pelos conselhos Fernando, Caso eu não tenha dinheiro suficiente pra bancar tudo isso lá fora você aconselharia algum produtor no mercado brasileiro ? se possível indique 2.Sera que Bonadio é a melhor opção no brasil pra rock ?

Fernando
Veterano
# out/15 · Editado por: Fernando
· votar


Healt
Não acho, cara. Bonadio é voltado pra vendas, pra marketing, pro mainstream. Claro que ele manja muito, mas você quer sonoridade acima de tudo, não é? Pesquise bandas brasileiras alternativas nessa pegada de rock com eletrônico (eu gosto da sonoridade da Scalene, por exemplo, acho bem "gringa"). Tem muita banda boa aí. Ouça os discos, se curtir muito algum, pesquise quem produziu/gravou/mixou.

Essa é a melhor maneira de você levantar nomes de bons produtores que tenham a ver com seu estilo.

MMI
Veterano
# out/15 · Editado por: MMI
· votar


Healt

OK, agora ficou mais claro. Eu imaginei isso.

Para começo de conversa então... O Bonadio é um dos maiores produtores nacionais, ninguém precisa perder tempo discutindo isso. Como andou em evidência, participando de reality na TV, um cara de sucesso, sempre vai ter gente para criticar e falar que faz melhor. Mas falar que faz melhor eu mesmo posso falar que sou o maior produtor do mundo, o maior guitarrista do mundo, o maior engenheiro de som do mundo, só que não, nunca vou provar isso nem para a opinião da minha mãe que tem uma opinião suspeita. Falar é fácil, quero ver fazer... E na net criticar é bem simples, todo mundo é PhD em tudo, os caras em evidência não são isso tudo etc. Mas entenda que você tem o direito de não achar o trabalho do cara isso tudo, mas saiba que o cara venceu na vida como produtor musical e é bom pra caramba no que faz. (não sou puxa-saco dele, eu mesmo, no meu estilo, não gravaria com ele)

A questão é que com 30 mil reais você não vai gravar com o Rick Bonadio assinando como produtor. Para colocar um cara como ele no seu staff, você vai pagar a gravação, mix e master no mínimo no estúdio Midas. Se você vai fazer toda a produção musical no Midas com o Bonadio, no mínimo tem uma gravadora e produtora comercial fazendo seu CD acontecer. Ou seja, uma coisa puxa a outra e o conjunto é bem grande, principalmente na hora de pagar.

Eu conheço produtores gringos de primeira linha. Realmente existe a possibilidade de enviar arquivos e receber a mix/master pronta, muitos trabalham assim. Só faz sentido se for um produtor melhor que os brasileiros, óbvio, então tem que ser um de primeira linha. Como qualidade é proporcional ao preço, este produtor vai querer receber (bem, em dólares, a R$ 4,50) condizente ao seu trabalho, na qualidade que ele deseja e aceita trabalhar. Isso quer dizer, por exemplo, que um dos produtores renomados dos EUA que conheço aceita material gravado aqui no Brasil de um estúdio só (Na Cena), não adianta gravar no Mosh ou no Midas, por exemplo. Mesmo assim ele cobra bem caro porque sabe que vai ter trabalho, quase o mesmo preço de pagar uma passagem de classe executiva ida e volta e o acréscimo para ele participar pessoalmente da gravação. São trabalhos profissionais, não pense que é coisa para amadores, principalmente em relação ao orçamento.

Como desconfio que seu orçamento e sua intenção não é essa, não penso que seja por aí. Pega um dos grandes estúdios que citei, faz um orçamento e deixe claro sua intenção de soar bem, "não como brasileiro". Aceite suas limitações, especialmente orçamentárias. Com isso em mente, se não atingirem o objetivo, não pague.

Healt
Membro Novato
# out/15
· votar


Vou fazer o seguinte então pq se n vai ficar muito superficial o tópico e vocês não vão conseguir me ajudar, vou fazer o orçamentos em algumas gravadoras internacionais, no midas, vou procurar tb o produtor da banda Scalene, depois vou postar aqui os resultados.

Casper
Veterano
# out/15
· votar


Caro Healt:

Andrey Vakhnenko é um nome a ser considerado.

Adler3x3
Veterano
# out/15 · Editado por: Adler3x3
· votar


Healt

Antes de mais nada primeiro você tem gravar a sua música demo.
E se realmente for uma música como você acha que pode ser de qualidade fazer o registro na Biblioteca Nacional.
Como até hoje você não gravou nada de oficial acho uma loucura querer procurar um produtor fora do Brasil.
E uma música só, não faz sentido sair do país ainda mais para fazer a primeira gravação profissional na vida.
Tem que ter mais músicas para compensar, mas esqueça este negócio de gringos.
isto não existe é uma aventura descabida, e ainda mais ficar babando o ovo destes gringos off line.
Até mesmo aí no seu estado tem bons produtores de música sim.
No Brasil já se fazem gravações a mais de 100 anos cara.
Vamos valorizar o Brasil, claro com críticas construtivas mas sem esculhambar.

Comece fazendo tudo aqui no Brasil mesmo, tenha os pés no chão.
Converse com músicos experientes, e aí na Bahia o que mais existem são músicos experientes.

Rachmaninoff
Veterano
# out/15
· votar


Eu concordo com o Adler3x3. Em termos de qualidade de gravação, não há nada feito lá fora que não possa ser feito no Brasil. Nos anos 1980 havia toda aquela história de protecionismo da indústria nacional e não havia equipamentos de ponta por aqui... mas hoje a tecnologia está democratizada, é possível fazer gravações de excelente qualidade em casa, gastando relativamente pouco.

E também concordo com o MMI: pagar um produtor não vai fazê-lo gostar de você. Ele só vai fazer o trabalho dele, te entregar o resultado, e depois cair fora. Se você quer conquistar um produtor, deve mostrar um trabalho de qualidade que interesse ao tipo de música que ele produz... se ele curtir, vai te bancar e produzir de graça.

MMI
Veterano
# out/15
· votar


Rachmaninoff

Se você quer conquistar um produtor, deve mostrar um trabalho de qualidade que interesse ao tipo de música que ele produz... se ele curtir, vai te bancar e produzir de graça.

Bancar e produzir de graça? Só se esse "conquistar um produtor" for no sentido sexual da coisa... kkkkkk

Calime
Veterano
# out/15 · Editado por: Calime
· votar


Rachmaninoff

hoje a tecnologia está democratizada, é possível fazer gravações de excelente qualidade em casa, gastando relativamente pouco.

Concordo plenamente, com um adendo: o fator humano é, de MUITO longe, o mais importante em toda essa cadeia, tanto em relação a quem faz as musicas/arranjos, passando por quem executa e tbm da parte de produção, mixagem e master. Equipamento hoje em dia é o de menos, já ví gente gravando com equipos xinocas e tirando sons que ninguém acredita qdo sabe como foi.

Claro, existem tbm limites pra isso, mas sim, é bem possível gravar bem em ksa

se ele curtir, vai te bancar e produzir de graça.


É, isso é aí é bemmmm improvável de ocorrer, eu pelo menos nunca ví nesses tempos modernos; esse tipo de coisa me soa como algo romântico, que TALVEZ tenha ocorrido num passado distante.

Rachmaninoff
Veterano
# out/15
· votar


MMI
Bancar e produzir de graça? Só se esse "conquistar um produtor" for no sentido sexual da coisa...
Calime
bemmmm improvável de ocorrer, eu pelo menos nunca ví nesses tempos modernos

Então me atualizem sobre o mercado atual... como as novas bandas estão surgindo? As bandas estão dando a bunda para os produtores?

makumbator
Veterano
# out/15
· votar


Rachmaninoff
As bandas estão dando a bunda para os produtores?

Pode ser o contrário também...

MMI
Veterano
# out/15 · Editado por: MMI
· votar


Rachmaninoff

Então me atualizem sobre o mercado atual... como as novas bandas estão surgindo? As bandas estão dando a bunda para os produtores?

São tempos difíceis para o mercado da música. Quem sobrevive no que restou do mercado sério, teve que ser altamente profissional.

Vamos supor que o Sr X, produtor novo, mas competente e que está trabalhando com boas bandas, esteja cobrando 3 mil por música, barato. As bandas que eu curti e que me levaram a contratá-lo pagaram isso, assim como eu. Aí você foi lá e "conquistou" o cara e ele fez de graça para você e mais, bancou. Isso é justo? Isso é ser profissional? Isso não é um amadorismo extremo e desrespeito com os clientes? Será que isso não é um tiro no pé e consequente sepultamento da carreira profissional de produtor? Essa notícia vai cair bem em quem respeitou e pagou pelo serviço?

Cara... Assim como todo mundo que resolveu tocar um instrumento teve que pagar pelo instrumento, pagar um professor, pagar pela manutenção do instrumento, pagar por ensaios etc. as bandas novas tem que pagar para gravar, para contratar um produtor, para mixar e masterizar, para prensar o CD, para distribuir para as lojas. Se você acha que uma banda nova só surge se gravar e produzir de graça, você está enganado. Não existe almoço grátis, especialmente se você se refere a profissionais de verdade e gente bem sucedida.

A época de ouro das grandes gravadoras, onde elas corriam atrás de músicos e bandas para lançá-los, com contratos a peso de ouro acabou. Já era. Gravar um CD hoje é praticamente certeza de prejuízo, por isso que as gravadoras fecharam, foram embora, largaram mão. O sucesso de um CD se mede pelo camelô vendendo o CD pirata ou por downloads (geralmente ilegais e gratuitos). Experimenta fazer uma enquete no fórum, onde todos são músicos e deviam respeitar a profissão, para saber quantos CDs originais o pessoal pagou neste ano. Você vai ver que se juntar os valores de uma galera, o valor total vai ser difícil de dar um salário mínimo. Uma gravação hoje é um gasto de divulgação, para vender shows, para se lucrar de outras formas.

Esse é o mercado atual.

Calime
Veterano
# out/15 · Editado por: Calime
· votar


makumbator

UOuoahouHAOUAhOUHAOHAoU

Rachmaninoff

Com certeza aqui tem gente com mto mais background que eu pra te responder de uma forma mais ampla, mas vou falar sobre o que geralmente tem ocorrido aqui na região onde moro(Grande Vitória-ES):

Nos estúdios mais bem equipados o que tem imperado é gravação de sertanejo e "gospel". Eventualmente algum pagode, forró, e ainda em menor escala reggae e rock. Mas os carros chefe mesmo são o sertanejo "universitário" (disparado) e cantoras gospel. Daí esse pessoal gasta mais grana pra faze-lo.

No caso de bandas de rock, existem algumas variações: raramente alguma banda c alguém ou todos da banda c grana banca um estúdio massa e produtor e talz....mas isso é bemmm minoria, pq retorno financeiro nesse segmento aqui é inviável. Quem acredita no potencial e quer se dedicar invariavelmente sai do estado(praticamente sempre pra SP, raramente pra RJ) em busca de mercado e recursos, e tbm de novas oportunidades, eventos e talz.

Tem uma galera mais underground, segmentada, e nesse nicho tem quem grava porcamente, tem quem grave no bom custo beneficio e raríssimo alguns gravam mto bem, mas isso e bemm raro msm, kkkkkkkk....

Um lance que tem rolado mto tbm é de nego dando seus pulos gravando de forma razoável por conta própria(caso da minha banda), e por vezes até com bons resultados, por fazerem em ksa compensam falta de recurso, com esmero e paciência, mto tempo pra fazer, sem correria de tempo de um estúdio que cobra até pra vc soltar um pum, rs....Daí junta com um amigo que te empresta um equipo, com outro que tem um espaço, outro que na camaradagem empresta e toca uns keys, outro que saca mais de mix e faz tbm na camaradagem (típico "uma mão lava a outra") ou por um valor abaixo do normal e assim vamos levando...

Um outro lance que tem rolado tbm é que, como a galera perdeu um pouco esse lance do som, cd, álbum, e junto c o advento do youtube, nego nao esquenta mais c gravação de áudio, e parte logo pro lance audiovisual, pra lançar no u2b.

Sobre o mercado do ponto de vista nacional, com certeza estou longe de poder te passar algo, pq me falta esse conhecimento.

Calime
Veterano
# out/15
· votar


MMI

Vc foi mais rápido, mas já esperava por sua resposta.

Cara... Assim como todo mundo que resolveu tocar um instrumento teve que pagar pelo instrumento, pagar um professor, pagar pela manutenção do instrumento, pagar por ensaios etc. as bandas novas tem que pagar para gravar, para contratar um produtor, para mixar e masterizar, para prensar o CD, para distribuir para as lojas. Se você acha que uma banda nova só surge se gravar e produzir de graça, você está enganado. Não existe almoço grátis, especialmente se você se refere a profissionais de verdade e gente bem sucedida.


Muito bem colocado! É bem por aí mesmo.

Outra coisa: tbm concordo c sua visão de mercado. Infelizmente do ponto de vista indústria fonográfica, estamos em um verdadeiro deserto, só sobreviveram os grandes e estruturados e que gostam mto do que fazem, pq se pensar nisso focado no retorno financeiro, é correr pra fechar as portas e investir em outras coisas. E esse lance de descobrir bandas/artistas/cantores pra lançar, acabou. O próprio artista que tem q correr (e muito!) atrás de tudo, de gravação, lugar pra tocar...tudo!

Velvete
Veterano
# out/15
· votar


Calime

Qual sua banda em Vitória? A coisa anda meio desanimadora por lá mesmo...

Calime
Veterano
# out/15
· votar


Velvete

Opa, minha banda é nova, tem coisa de um ano e meio e na verdade ainda nem engrenamos, estamos em fase de incubação, e tivemos duas paradas mto grandes, por conta do nascimento de filhos de dois integrantes, daí amarrou ainda mais. Só tocamos até agora live uma vez, e acho que daqui pro fim do ano role mais um evento. Qdo tivermos material, divulgo aqui.

Velvete
Veterano
# out/15
· votar


Calime

Dá pra gravar um disco em Vitória. Lucrar com as vendas acho bem difícil.

Adler3x3
Veterano
# out/15 · Editado por: Adler3x3
· votar


Na verdade nunca foi fácil viver de Rock no Brasil.
Digo isto como apreciador do gênero e como ouvinte.
O auge para as bandas foi atingido nos anos 80, onde ainda era possível gravar discos e ter algum lucro.

Nos dias de hoje o foco esta nas apresentações ao vivo, a gravação de cd's e distribuição de arquivos digitais é só para ajudar a divulgação do trabalho da banda, esta é a realidade.
A banda tem que ter a capacidade e a estrutura de tocar ao vivo e ganhar dinheiro desta forma.
Isto envolve em tocar bem, ter um bom repertório , ter uma boa logística em fazer vários shows num mesmo mês e para isto tem que ter um empresário dos bons.
E a banda tem que se profissionalizar e ter uma estrutura a altura .
Na praia por exemplo nos anos oitenta se escutava um pouco de rock, era mais samba, hoje em dia por incrível que pareça o que mais se escuta e até com som alto é o sertanejo.
O ambiente do sertanejo seria o do interior, no campo, num acampamento, mas hoje esta em toda a parte.
A música que mais se encaixa no ambiente litorâneo é o samba, mas quem domina hoje é o funk e principalmente o sertanejo.
Hoje esta uma loucura, a logística é fundamental, pegando só dois exemplos:
- No Rock in Rio - Vi uma entrevista de um dos membros do Mastodonte onde ele afirmou que fazem shows a cada dois dias, e a K Perry também, fez um show no RR no domingo e na terça já estava fazendo outro show em Curitiba.
E parece que o problema não é só aqui no Brasil.

E as bandas ou duplas sertanejas tem uma estrutura de causar inveja, estão bem organizados, o que não acontece com o pessoal do rock.
A estrutura deles é de nível empresarial de grande porte.
Pequenas bandas tem mais problemas pessoais que impedem que deslanche, se um músico fica doente para tudo, não tem substituto.
E viver só de gravações parece impossível nos dias de hoje neste estilo de Rock, e assim o melhor caminho é o independente, mas tem que se estruturar, e isto envolve uma boa soma de capital, mas acima de tudo organização.
Não é só a musicalidade que conta, não é só a vontade é uma série de fatores, a estrutura é complexa envolve muitas pessoas, cargos, gerentes, inúmero técnicos, é uma verdadeira comitiva.

Calime
Veterano
# out/15
· votar


Velvete

Dá pra gravar um disco em Vitória. Lucrar com as vendas acho bem difícil.

Claro que sim, como disse em um post aí em cima, temos bons estúdios aqui. Agora lucro, conheço pouquíssimos que CONSEGUIRAM, mas isso a mais de 10 anos atrás. Hoje acho bem pouco provável alguém conseguir isso.

Chapinha
Membro Novato
# out/15
· votar


Falar que o Bonadio é fraco kkkkk, ele é é um dos maiores produtores nacionais e isso não se discute.

Calime
Veterano
# out/15
· votar


Chapinha

Depende da forma que vc vê, se está se referindo a conhecimento, bussines....

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Produtor de Rock brasileiro ou arriscar gravação no exterior e tentar ser independente ?