Até que ponto a internet pode deteriorar o mercado fonográfico?

    Autor Mensagem
    Rodrigues
    Veterano
    # mar/08


    Como todos sabemos, a internet vem facilitando a pirataria não só de musicas como tambem de filmes e etc.Durante minhas visitas ao whiplash.net, li uma entrevista em que o King Diamond falava que mais cedo ou mais tarde a internet vai acabar com o mercado musical.Ele inclusive fala que vai chegar uma hora que se você quiser você mesmo terá que pagar e gravar musicas por si só se quiser ouvir algo diferente.
    Ai ficou aquela duvida na minha cabeça.será que a pirataria aliada a internet vão acabar com o mercado musical?
    Postem suas opniões aqui por favor.

    Grow
    Veterano
    # mar/08
    · votar


    pode?

    Rodrigues
    Veterano
    # mar/08
    · votar


    Grow
    Não entendi seu post

    shoyoninja
    Veterano
    # mar/08
    · votar


    vai sim!

    e aí, quando todos pararem de gravar/tocar, eu vou ter a brilhante idéia de divulgar músicas e fazer shows.

    Vou ficar rico, porque ninguém jamais pensaria numa coisa assim!
    ...
    -.-

    já tem tópico sobre o assunto já... mais de um se não me engano

    fernando tecladista
    Veterano
    # mar/08 · Editado por: fernando tecladista
    · votar


    é a evolução natural de tudo, tecnologias vem, tecnologias vão, com isso também vai conceitos de mercado

    só lembrando que a +/- um século atrás não existia música gravada, até que Thomas Edison inventou o fonógrafo, e disseram que a música ao vivo ia acabar e ela ainda continua por ai, os músicos se adaptaram, orquestras diminuiram, mas abriram se outros mercados, durante séculos, não existiu mercado pra música popular, (ou alguem sabe um nome de compositor de música popular do sec 18) só os eruditos

    com o recurso de gravação e tecnicas marqueteiras de jaba, música de trabalho, ritmos da moda, temos o mercado de hoje, que já saturou, perdeu o encanto, hoje o mercado musical aponta para download e fenômenos que brotam pela internet, é tudo rapido, lançou lá, em pouco tempo está aqui, não dá pra esperar até que um cd de uma banda internacional chegue até aqui, a distribuição é falha, lerda, preguiçosa

    exemplo babaquinha foi a música "vai tomar no c*" que virou praga de internet, de e-mail, praga de blog, de celular, youtube....
    da música em si a autora não deve ter ganho um centavo, nem de venda nem de direitos autorais, mas deve ter aproveitado e enchido o bolso com o show de comédia que ela faz, se com essa música tivesse essa putaria de "não, não pode.. é pirataria... é crime.. se tocar tem que pagar ecad... tinha ficado entre os amigos autora até hoje

    ------------------------------------------------

    vai chegar uma hora que se você quiser você mesmo terá que pagar e gravar musicas por si só se quiser ouvir algo diferente.

    ganharei muito dinheiro com isso, vou criar músicas especificas para cada comprador "essa é tua..ficou em tanto"
    todos os ricos da cidade iram comprar e eu venderei músicas por encomenta como faziam os compositores eruditos

    Rodrigues
    Veterano
    # mar/08
    · votar


    fernando tecladista
    só lembrando que a +/- um século atrás não existia música gravada, até que Thomas Edison inventou o fonógrafo, e disseram que a música ao vivo ia acabar e ela ainda continua por ai, os músicos se adaptaram, orquestras diminuiram, mas abriram se outros mercados

    Primeiramente obrigado pela sua opnião.
    Não tinha pensado por esse lado, agora vem a questão: que rumo a industria musical vai tomar?

    Bizet
    Veterano
    # mar/08 · Editado por: Bizet
    · votar


    null

    The Mentes
    Veterano
    # mar/08
    · votar


    Toda essa pirataria é culpa das próprias gravadoras se não me engano... tufo começou quando as gravadoras pediram o fechamento sob ordem juducial da rede Napster ao invés de entrarem num acordo e ganharem dinheiro com isso, aí os clientes do napster foram espalhados por outros servidores gratuitos.

    RockGuy
    Veterano
    # mar/08
    · votar


    Rodrigues
    será que a pirataria aliada a internet vão acabar com o mercado musical?

    Deixo claro que não quero fazer apologia à pirataria, mas sim expressar minha sincera e humilde opnião.

    Se não fosse a internet, eu deixaria de conhecer muitas bandas que hoje eu sou fã. Mas bem que a "pirataria" na internet serviu como um tapa na cara das grandes gravadoras. Cd's que antes custavam 50, 60 reais hoje são encontrados por 20. E ainda tá caro. Quando a onda dos mp3 explodiu, muitas pessoas (eu por exemplo) que pra ouvir um bom rock tinha que pedir emprestado um cd para um amigo ou ligar o rádio na KissFM (sem querer fazer propaganda), tiveram a oportunidade de conhecer novas bandas e aprofundar o conhecimento nas bandas já conhecidas.
    Portanto, tenho certeza que se a internet atrapalhou a indústria fonográfica, foi porque essa explorava os consumidores. Enquanto ela não se adaptar aos novos tempos, diminuindo o preço dos cd's originais, eu e muitos outros continuarão baixando mp3 pela internet.

    Sem contar que um dia o CD irá acabar, e aí a ondinha será vender mp3 pela internet (ondinha essa que já existe). Pra mim é o cúmulo.

    Pronto. Falei.

    Marcelo Machado
    Veterano
    # mar/08
    · votar


    Pra mim é o cúmulo.
    cúmulo pra mim é o cara ter o árduo trabalho,dedicação de treinar seu instrumento,de montar uma banda, de procurar uma gravadora,gravar seu primeiro cd, e o cara vai e baixa o cd completo pela internet e ainda se orgulha disso-"Aeww baixei o cd full dos fulanos"-.
    A internet já acabou com o mercado fonográfico,e a cada dia detona mais,não tem como vender MP3 pela internet,talvez até tenha só que depois vão burlar a proteção e começar a passar de graça novamente.Não é atoa que as bandas antigas nem cogitam mais novos albuns(lógico,tem exceções).

    makumbator
    Veterano
    # mar/08
    · votar


    Marcelo Machado

    Mas a música continua, o mercado musical pode mudar(e para alguns no futuro até acabar), mas a música vai continuar. Ela existe desde os hominídeos, e nunca precisou de "mercado" para continuar existindo...

    cúmulo pra mim é o cara ter o árduo trabalho,dedicação de treinar seu instrumento,de montar uma banda, de procurar uma gravadora,gravar seu primeiro cd, e o cara vai e baixa o cd completo pela internet e ainda se orgulha disso

    Mas também é o cúmulo a pessoa ter todo esse trabalho e a gravadora ficar com quase tudo(e agora nem investir elas querem mais, só desejam a grana sem nada em troca, e estão querendo parte do montante dos shows também). Há um grande advogado da área musical que uma vez disse que se impedisse seus clientes de assinar contratos desvantajosos, nenhum deles NUNCA teria assinado com nenhuma gravadora, pois se ele consegue reduzir o apetite da gravadora e impedir que seu cliente se torne um total escravo, já comemora!

    Bigtransa
    Veterano
    # mar/08
    · votar


    A única coisa diferente depois da internet é que hj as grandes gravadoras não ganham mais dinheiro vendendo discos..... até a década de 70 (antes do surgimento da Virgin records) vender discos não dava dinheiro tb.... a grande fonte de renda das grandes gravadoras vinha de agenciar artistas e vender shows....
    Tais empresas acabavam promovendo grandes turnes percorrendo os EUA e Europa onde se podiam ver nomes como Elvis Presley, Jhonny Cash e Eddie Crockram tocando no mesmo evento... ou Hendrix e Cat Stevens.... Na minha opinião no período citado se fez a melhor música de todos os tempos e o surgimento do "Grande mercado fonográfico" só serviu pra transformar tudo em um grande negócio onde música deixou de ser o mais importante...
    Gosto muito do momento que estamos vivendo.... logo estas "grandes gravadoras" vão falir ou terão q arrumar outro jeito de ganhar dinheiro.... quem sabe não voltam os grandes festivais..... seria bem mais legal....

    Bruno Nigro
    Veterano
    # mar/08
    · votar


    que rumo a industria musical vai tomar?

    Redução drástica de custos, e consequentemente, jabá. O maior problema não está na Internet, muito menos na pirataria. Alguém aqui é da época das fitas K7? Lembram que antes dos CDs e DVDs piratas existiam as fitas... a pirataria tem números consideráveis, mas não afetam a ponto de quebrar as gravadoras, se fosse assim isso já teria acontecido a tempo.

    O grande problema das gravadoras é o mau costume. Quando começaram a época dos contratos milionários para os executivos das majors (na verdade, esses caras são grandes mestres do marketing daí os salários altos). Contratos que garantem mordomias que muitos artistas em começo de carreira não possuem, e pra onde vai o custo disso? Acertou quem disse pro bolso do consumidor. Em números, só com marketing (inclusive o proibido 'jabá'), os caras gastam dois terços do orçamento de cada trabalho.

    Existem outros fatores, um deles é o que diz que 'aquele que gosta do artista ou da música ou da mulher do vocalista ou do encarte ou da arte do cd/dvd, compra o original'. E é verdade, talvez não no meio em que a grande maioria aqui viva, cercado de internet, downloads etc. É claro que os números são pequenos, mas eu sou um dos casos em que baixo o cd inteiro, caso goste vou lá e compro o original. Querendo ou não eu estou pagando ao Fulaninho de Tal pelo grande trabalho que ele fez. Se ele recebe menos de R$ 0,20 por cópia vendida, a culpa não é minha, mas eu fiz a minha parte... e posso falar de alma lavada: nunca comprei um cd ou dvd pirata (pelo menos musical/filme) na vida; mas já baixei muito cd na internet que acabei não gostando e não comprando, e em muitos casos deletando o que baixei. Não sou do tipo que repassa o download: tiro da pasta 'saved' dos Limeware da vida... egoísmo? Sim, e pq não?

    O Radiohead com essa de 'pague quanto quiser' no seu último cd, cometeu, na minha opinião uma grande burrice... se der certo, o nosso amigo tortinho teve uma tremenda cagalhada, mas comprova que as pessoas querem, sim, pagar pelo som que ouvem. Só não querem deixar as calças na loja pra levar um 'Led Zeppelin IV' ou 'Back in Black' ou 'Axis: Bold as Love'... o mesmo serve para os DVDs e qualquer outra coisa. A Internet está aí com o mesmo propósito pelo qual ela foi criada: fornecer informações. Resta as gravadores descerem do salto, tirarem o rei da barriga e reaprenderem a vender o produto final, que não é cd, dvd, pendrive, mp3player. Esse produto é a música.

    N.

    Bruno Nigro
    Veterano
    # mar/08
    · votar


    Gosto muito do momento que estamos vivendo.... logo estas "grandes gravadoras" vão falir ou terão q arrumar outro jeito de ganhar dinheiro.... quem sabe não voltam os grandes festivais..... seria bem mais legal....

    Eu também, adoro essas épocas de transição e a volta dos festivais seria ótimo! Grandes platéias, grandes shows... perfeito! E sim, os 70's foram grandes anos em termos de criatividade musical também, no mundo inteiro aliás...

    Bruno Nigro
    Veterano
    # mar/08
    · votar


    A internet já acabou com o mercado fonográfico

    Não, pelo contrário... ela é uma ferramenta importantíssima para esse momento de transição que vivemos. Acredite. O mercado é que se auto-destruiu, pois não se deu os determinados limites esquecendo que um dia a fonte seca.

    Kamus23
    Veterano
    # mar/08
    · votar


    Rodrigues

    Cara eu não abro a mão de 1 CD original, com encarte e tudo certinho, pois alem de poder ouvir com qualidade vou ter pra vida toda, e eu gosto dessas coisas de CD's antigos para colecionar essas coisas.

    E a internet pra mim nesse caso só serve pra conheçer a banda...

    To pensando em até comprar uns vinis para moldurar e pendurar no meu quarto...

    Eu acho que não vai acabar com o mercado fonografico

    Bigtransa
    Veterano
    # mar/08
    · votar


    Marcelo Machado

    As bandas antigas que nem cogitam o lançamento de novos albuns são aquelas que não tem mais onde enfiar dinheiro.... O que eu acho o cúmulo é alguém usar o seguinte raciocínio: Não vale a pena lançar um disco se não vai vender 10000000 de cópias... O mercado é que estava distorcido e não o momento atual.... Esses grandes campeões de vendas vão ter q aprender que a mamata acabou e quem quiser ficar rico agora vai ter q trabalhar.... tem q pegar a guitarra e viajar o mundo tocando.... As grandes bandas se acostumaram mal... essa palhaçada de ficar 2 anos em estúdio e depois de cada turne tirar férias de um ano.... artista tem q trabalhar tb.... Nem se cogitam mais os motivos artísticos.... Um cara escreve um punhado de músicas e quer q as pessoas escutem.... este deve ser o motivo pra se lançar um disco.... e se tem gente q acha q não vale a pena pode ter certeza q não estamos perdendo nada.... com certeza não seria grande coisa....

    Bruno Nigro
    Veterano
    # mar/08
    · votar


    Bigtransa

    Teu ponto de vista é maravilhoso, concordo com ele. Parabéns!

    Rodrigues
    Veterano
    # mar/08
    · votar


    Kamus23
    Cara eu não abro a mão de 1 CD original, com encarte e tudo certinho, pois alem de poder ouvir com qualidade vou ter pra vida toda, e eu gosto dessas coisas de CD's antigos para colecionar essas coisas.

    E a internet pra mim nesse caso só serve pra conheçer a banda...

    To pensando em até comprar uns vinis para moldurar e pendurar no meu quarto...

    Eu acho que não vai acabar com o mercado fonografico


    Eu tambem não abro mão dos cds originais, o problema é que nem sempre temos grana pra ter todos que queremos, ai a net acaba se tornando uma "saída".Porem, se eu tivesse condições, só compraria cds, dvds, etc originais, mas infelismente não é o meu caso.
    Bigtransa

    Teu ponto de vista é maravilhoso, concordo com ele. Parabéns!(2)


      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Até que ponto a internet pode deteriorar o mercado fonográfico?