Destruindo Centenas de Guitarras (cenas fortes!)

Autor Mensagem
JJJ
Veterano
# 04/ago/19 18:05
· votar


O vídeo original voltou...

lamas92
Membro Novato
# 05/ago/19 15:15
· votar


Eu não consigo pensar em nenhum erro que irreparável...
Metais? Troca! Cordas? Troca! Elétrica? Refaz e troca!
Bom, o braço...? Tá, se for colado, ok, tem que ver se vale à pena, mas destruir o restante de peças boas...???

Os caras levam pro Oriente pra baratear e destroem com tudo? Entendo não...

Buja
Veterano
# 05/ago/19 15:27
· votar


Nao acho que o defeito tenha sido na guitarra, objeto e sim, em questões contratuais ou judiciais muito mais complicadas.

Gabezorx
Membro Novato
# 05/ago/19 15:51
· votar


E se for uma jogada de marketing, hein? Nos tempos atuais e depois de tantas cagadas da Gibson eu não duvido de nada.

makumbator
Veterano
# 05/ago/19 15:58
· votar


A Gibson poderia ter feito o mesmo que a Atari fez nos anos 80 (quando enterrou no deserto milhares de cartuchos do terrível jogo do E.T.).

https://en.wikipedia.org/wiki/Atari_video_game_burial

Durante muito tempo esse lance da Atari era apenas um rumor (e muitos duvidavam que fosse verdade), mas em 2014 encontraram o local que enterraram e tudo se confirmou.

A Gibson perdeu a chance de criar mais uma lenda se enterrarem tudo no deserto.

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# 05/ago/19 17:03 · Editado por: Mauricio Luiz Bertola
· votar


Apesar do vídeo ser espantoso, não há nada nele que não esteja dentro da lógica do Capitalismo. E isso é feito o tempo todo, tanto nas indústrias quanto no agro-negócio - Aliás, quem inaugurou esse tipo de coisa como parte de uma política econômica sistêmica de recuperação foi o Brasil em 1931/2 com o café.
Esses instrumentos estavam sem comprador e o preço da manutenção do estoque era maior que o preço auferível no mercado.
Entram aí outros fatores, como o fracasso do modelo, custos operacionais, desvalorização cambial da marca e dos produtos caso as partes fossem desmontadas e vendidas no mercado, etc, etc.
A solução pois foi essa (para nós) insanidade vista nesse vídeo.
Existem vários outros vídeos com produtos Guibson (Les Pauls, 335, etc) sendo destruídos circulando na internet.
Portanto, é isso aí: Benvindos ao maravilhoso mundo do Capital!!!
Abçs

JJJ
Veterano
# 05/ago/19 17:33
· votar


Mauricio Luiz Bertola

Sim, Capetalismo é isso mesmo. Mas, mesmo assim, dentro dele, acho que haveria melhores soluções. Até porque, esse tipo de coisa vindo à tona (e hoje tudo vem...) é tiro no pé (como foi).

Buja
Veterano
# 05/ago/19 17:41
· votar


Pra mim jogar fora e destruir não é a melhor forma.

Lembro certa vez duma repercusão que teve quando produtores estavam jogando batatas no lixo, porque o preço tava tão baixo que nao compensava.
Batatas boas pra consumo, sem doença, nada. Perfeitas.
Preferiam jogar no lixão do que dar a alguma instituição para moradores de rua, sei la.

O video é esse:
globoplay.globo.com/v/5557432/

Isso pra mim é o cúmulo da imbecilidade e ganância, tal qual a Gibson fez ai. Gente com pensamento assim, ahhh sei la, me da revolva.

Imagina se a mãe do cara ta nas ultimas precisando de um remedio caro, ou de uma cadeira de rodas, e a industria resolve passar com o trator em cima de milhares de capsulas de um remedio ou destroçar centenas de cadeiras de rodas eletricas, por que o preço nao compensa.

Nao é de dar revolta? Guitarra, até sei la, nao é manutenção da vida, mas se bem que poderiam ser usadas até pra ensinar detento a tocar e se reabilitar. Qualquer coisa seria mais util, do que passar com um trator em cima.

Isso é o cúmulo da imbecilidade.

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# 05/ago/19 17:47
· votar


JJJ
Cara, esse episódio (bem como o que vc citou acima) só demonstra aquilo que eu sempre falo: Grandes Corporações não estão nem aí para o que não seja estritamente lucro.
Eles podem até vir com um discursinho bonitinho, mas na hora do "cadê", seus controladores: Os Bancos, olham para apenas uma coisa: as planilhas de EBITDA; aí então, é isso que rolou no vídeo acima, demissões em massa, fechamento de fábricas, etc... Pessoas, Natureza, Moral, não tem valor algum.
Abç

Beto Guitar Player
Veterano
# 06/ago/19 07:57
· votar


JJJ
Se fosse isso eles poderiam falar claramente. Algo como "infelizmente, houve um defeito de fabricação irreparável, totalmente incompatível com a qualidade que esperamos de nossos instrumentos".

Mas falar do Windows? Software? Que possivelmente seria a parte mais fácil de consertar... Ah... sei não...


Essa história de problema no software, pelo que entendi foi dito pelo tal funcionário que soltou o vídeo na net. A Gibson se pronunciou alegando que destruíram uma leva isolada de Firebird X produzidas entre 2009 e 2011, que não tinham reparo e estavam danificadas com componentes inseguros.

Agora, quem está realmente certo, não sei...

felipe bento pereira
Membro Novato
# 06/ago/19 09:30
· votar


o pessoal ta falando que poderia doar!!...
vamos pensar o quão terrível seria pra marca doar instrumentos tidos como refugo, ai teria gente reclamando que eles doaram ou venderam porcaria e é o fim da marca etc etc...
e essas guitarras eram horrorosas mesmo, financeiramente eles perderiam mais se as colocassem em circulação, e como já dito isso é uma pratica comum! grifes também destroem produtos fora de linha (mas nesse caso os produtos estão perfeitos) tem um outro vídeo de um cara dentro da fabrica quebrando e serrando aquelas semi acústicas! só não tinha o porque divulgar isso, só causou rebuliço!!

JJJ
Veterano
# 06/ago/19 09:42
· votar


felipe bento pereira
só não tinha o porque divulgar isso, só causou rebuliço!!

Cara, mas esse é o ponto: não há mais nada que se faça no mundo que alguém não vai ver, filmar, postar, comentar. Quando não é uma pessoa, é uma câmera de segurança, um satélite...

Isso tem que ser levado em conta pelas empresas também, não só pelos indivíduos. Privacidade não existe mais.

Então, se essa era uma prática "normal", tem que deixar de ser. Porque sempre vai causar "rebuliço" ver uma coisa dessas.

HortaRates
Membro
# 06/ago/19 09:48
· votar


As pessoas são muito inocentes. Obviamente a Gibson fez o que fez porque fez um cálculo e viu que sairia mais barato. Se doar fosse mais barato, o teriam feito. Se reutilizar as peças fosse mais barato, o teriam feito.
O grande porém é que a Gibson não incluiu no cálculo o dano à própria imagem que o vazamento deste evento poderia causar. Da próxima, vão incluir, e vão continuar fazendo a opção mais barata. Só vão tomar mais cuidado.

felipe bento pereira
Membro Novato
# 06/ago/19 09:53
· votar


Gibson não incluiu no cálculo o dano à própria imagem que o vazamento deste evento poderia causar.
dá até impressão que eles tão tocando o f...!!! kkkkkkkkkk

HortaRates
Membro
# 06/ago/19 09:58
· votar


felipe bento pereira
Não é que estão tocando o fodas. É que a reação das pessoas é imprevisível.
Já saíram diversas reportagens e relatórios mostrando as condições absurdas de trabalho nas fábricas que montam os iPhones na China, por exemplo. Eram praticamente escravos, altos índices de suicídio, salários ridículos, etc.
Isso nunca diminuiu venda de iPhone.
Agora destruir guitarra diminui venda da Gibson.
Pra mim não faz o menor sentido. Não tem como culpar o analista.

felipe bento pereira
Membro Novato
# 06/ago/19 10:00
· votar


não há mais nada que se faça no mundo que alguém não vai ver
se tivessem feito isso dentro da empresa poucos saberiam e provavelmente nem teria registros!!
Mas naaaao!! tinha que levar pra praia só pra se exibir, agora tá ai ooo!! mas ache necessário a destruição mas não a exibição!! acho que muitos aqui também pensam assim!!

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# 06/ago/19 18:16
· votar


HortaRates
Exatamente.
felipe bento pereira
Jovem, Grandes Corporações estão "tocando o f...-se" desde sempre para você.
Abçs

MMI
Veterano
# 06/ago/19 20:27
· votar


JJJ

quem me passou o link foi o Curly. Manda abraços pra galera das antigas (não mandou não, mas eu mando por ele... hehehe).

Nossa, perdi o contato com ele, mas era um super cara. Manda um abraço, apesar de não ter mandado nada. kkkkkk

JJJ
Veterano
# 06/ago/19 21:28 · Editado por: JJJ
· votar


MMI

Já falei pra ele dar as caras aqui de novo, que o panorama está bem mais tranquilo agora (tranquilo até demais, né? rs), mas ele não me pareceu muito animado...

Acho que não seria legal eu passar o contato dele sem consentimento; mas eu mando o abraço e daí se ele se animar a voltar ou entrar em contato... fica por conta dele, ok?

ATUALIZANDO: mandei o abraço. Reproduzo a resposta: "Grande Mauricio, abraço pra ele também!".

Aproveitei pra reiterar o convite pra ele voltar pra cá...

MMI
Veterano
# 07/ago/19 07:37
· votar


JJJ

Eu o entendo. Deixa ele quieto. :)

JJJ
Veterano
# 07/ago/19 07:59
· votar


MMI

Olha... acabou de me responder... disse que volta se algum moderador conseguir reativar o nick dele. Quem sabe sua lembrança o animou...

E aí, moderas? Isso é possível?

lamas92
Membro Novato
# 07/ago/19 08:57
· votar


makumbator
A Gibson poderia ter feito o mesmo que a Atari fez nos anos 80 (quando enterrou no deserto milhares de cartuchos do terrível jogo do E.T.).

E hoje esses cartuchos são lenda urbana, ainda mais quando caem nas mãos de colecionadores!

Pra quem pediu falência há meia hora atrás, essa jogada de marketing soa no mínimo arrogante...

fontes_rio
Veterano
# 07/ago/19 09:21
· votar


Daí você conclui que não há razão para essas guitarras custarem tão caro.
Lógico que aqui no Brasil tem a agravante da carga tributária, que é quase metade do preço da guitarra.

Felipe Stathopoulos
Membro Novato
# 07/ago/19 10:06
· votar


Tudo muito estranho nisso aí.

Que diabos de "componentes inseguros" são esses? Acaso tem uma bateria de plutônio dentro da guitarra? Oras...

Não faz o menor sentido, mesmo do ponto de vista financeiro, ao contrário do que alguns acima apregoaram: o livre mercado detesta desperdícios...

E mais: produtos doados para a caridade geralmente não pagam imposto e podem ser inclusive abatidos nas declarações de impostos da empresa.

Ora, custava muito doar as guitarras, mediante a assinatura de um mísero termo de isenção de responsabilidade, para escolas públicas? Garanto que mesmo lá na America ia chover diretor de escola se comprometendo a pagar o frete para receber os instrumentos. Nesse caso os possíveis ganhos de marketing para a empresa seriam enormes! Imaginem uma propaganda dessas: "Gibson doa guitarras para escolas públicas de periferia". Ora, qualquer estagiário de propaganda pode ver que isso daria uma excelente campanha publicitária!

Ou então que desmontassem as guitarras, reutilizassem os captadores e o que pudesse ser reutilizado e vendessem os corpos para quem quisesse querer comprar. Garanto que ia chover comprador. Lembrando que as guitarras da Gibson são, em tese, feitas à mão, ou seja: o trabalho seria quase o mesmo...

Enfim, por qualquer ângulo que se olhe não há justificativas.

Mais uma da longa lista de mancadas da Gibson. Parece que tem gente lá dentro que faz questão de sabotar a marca...

Felipe Stathopoulos
Membro Novato
# 07/ago/19 10:12
· votar


E outra: Ok, as guitarras eram feias bagaray mesmo. Mas será que eram tão ruins, mas tão ruins que ninguém pagaria, sei lá, metade do preço original por elas???? Duvido!!!

Isso se chama "queima de estoque": um fabricante quer se desfazer de um produto que não deu certo, então ele vende pela metade, ou um terço do preço.

Digo mais: se os corpos dessas guitarras são basicamente os mesmos das Firebird "originais" (neck through) elas deviam ter um sustain du cacete!!! Duvido que nego não pagasse metade ou um terço do preço para tê-las

Resumindo: NÃO FAZ SENTIDO!

Tem gente sabotando a Gibson... E faz tempo...

HortaRates
Membro
# 07/ago/19 10:41
· votar


Felipe Stathopoulos
O próprio fato de que a Gibson fez o que fez é o melhor argumento de que foi a opção financeiramente mais vantajosa. Você pode não conseguir enxergar o sentido, mas muito provavelmente é porque não conhece a legislação americana e nem possui acesso aos números internos da empresa. Pode ter certeza que pra eles, fez sentido.

Filmar e postar o vídeo foi sim, sabotagem.

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# 07/ago/19 10:47
· votar


HortaRates
O próprio fato de que a Gibson fez o que fez é o melhor argumento de que foi a opção financeiramente mais vantajosa. Você pode não conseguir enxergar o sentido, mas muito provavelmente é porque não conhece a legislação americana e nem possui acesso aos números internos da empresa. Pode ter certeza que pra eles, fez sentido.
Concordo. Porém, nem sempre o que "faz sentido" empresarialmente falando, é ético ou moralmente sustentável (o que, pensando de forma "capitalística", pouco importa...).
Filmar e postar o vídeo foi sim, sabotagem.
Porque?
Será que temos que viver em um mundo de sigilos, mentiras, ocultações? É uma pergunta à ser respondida...
Abç

renatocaster
Moderador
# 07/ago/19 11:28
· votar


JJJ
Olha... acabou de me responder... disse que volta se algum moderador conseguir reativar o nick dele. Quem sabe sua lembrança o animou...

E aí, moderas? Isso é possível?


;)

JJJ
Veterano
# 07/ago/19 11:37
· votar


renatocaster

Beleza. Se der, é uma bela recontratação pro fórum... hehehe

entamoeba
Membro Novato
# 07/ago/19 11:39
· votar


Porra! Não dava para lixar o headstock e meter um logo da Epiphone?

Acho a Firebird muito mais foda que Les Paul.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Destruindo Centenas de Guitarras (cenas fortes!)