Minhas cordas de guitarra não enferrujam mais

Autor Mensagem
Ramsay
Veterano
# dez/14


O fato é que desde que passei a adotar os procedimentos a seguir, as minhas cordas de guitarra nunca mais enferrujaram, mesmo depois de um ano ou mais de uso, elas continuam cromadas, como saíram de fábrica e sem nenhum traço de ferrugem.

Para isso funcionar duas regras são importantes:
1) Não suar nas mãos e principalmente nos dedos.
2) Usar cordas com um mínimo de qualidade de D'addario pra cima, nada de Nig, Sit ou similares.

O que é necessário:
1) uma flanela limpa
2) Um Fast Freet velho e vencido ou algo similar.
3) Oleo de máquina Singer que se encontra em quaisquer supermercados.

DETALHE: Não é preciso limpar as cordas antes de tocar, só depois.

PROCEDIMENTO:
Após terminar de tocar:
1) Pinguem algumas gotas (duas ou três) na almofado do fastfreet velho e não precisa fazer isso toda vez que for limpar as cordas. Basta verificar com o dedo se ainda existe algum resíduo de óleo Singer na almofada do fastfreet vencido.

2) Pegue a flanela limpa e coloque-a entre o indicador e o polegar de modo a formar um sulco que envolva toda a corda e passe em toda a extensão de cada uma das seis cordas.

3) Após isso, pegue o fast freet velho com gotas de óleo e passe com força por cima de cada uma das seis cordas.
Se ficar algum resíduo de óleo nos captadores, limpe com a flanela.

E, pronto, pegue a guitarra, sem tocar nas cordas, e guarde no case ou no bag.
É até difícil de acreditar como esses procedimentos funcionam tão bem e mantém as cordas como novas, mesmo após um ano ou mais de uso.

É óbvio que esse processo só deve ser feito a partir de cordas novas e confiáveis, porque se as cordas já estiverem enferrujadas, aí não tem jeito.

Testem e vejam por vocês mesmos!!

krixzy
Veterano
# dez/14
· votar


Ramsay
O problema não é enferrujar, o problema é o timbre que vai embora logo, fica um timbre sem presença.

Alex guitar man
Veterano
# dez/14
· votar


na ora de tocar não vai oleo na mão?

Flipe J.
Membro Novato
# dez/14
· votar


krixzy
E afinação que vai embora, principalmente da casa 12 em diante

Hitman
Veterano
# dez/14
· votar


krixzy
O problema não é enferrujar, o problema é o timbre que vai embora logo, fica um timbre sem presença.

..eu fico doido com isso

Ramsay
Veterano
# dez/14 · Editado por: Ramsay
· votar


Colegas, raciocinem, não existe nenhuma base teórica que afirme que o timbre se deteriora, até porque o aço é um material estável e desde que seja mantido o cromo das cordas o som não se deteriora, pelo menos nas três cordas primas.
Já nos bordões a história é diferente, porque são cordas compostas.
Mas, mesmo assim não tenho notado grande deterioração no som dos bordões.

É óbvio que cordas novas de bordões sempre serão melhores, por algum tempo, que as usadas, mas, nas primas, não havendo ferrugem o som não se deteriora e se mantém intacto.

Ramsay
Veterano
# dez/14 · Editado por: Ramsay
· votar


na ora de tocar não vai oleo na mão?
Alex guitar man
Não, porque o excesso vc já tirou com a flanela antes de guardar no case.

O problema não é enferrujar, o problema é o timbre que vai embora logo, fica um timbre sem presença.
krixzy
Cara isso é mito. depois que passei a fazer os procedimentos as cordas primas, mesmo depois de um ano ou mais mantém o mesmo timbre de quando foram compradas.

E afinação que vai embora, principalmente da casa 12 em diante
Flipe J.
Só se for na sua guitarra. Nas minhas aqui não acontece nada disso.

Iversonfr
Veterano
# dez/14
· votar


Ramsay

Que bacana, vou testar na próxima troca de cordas! ainda mais que não sou muito fã de Elixir e mantenho 4 encordoamentos. Se der certo vai ser muito legal. Se ela não enferrujar não vejo sentido em perder timbre, muito menos desafinar.

MoCóTo
Veterano
# dez/14
· votar


vish a palma da minha mão da um pouquinho de suor :(
mais vou tentar assim msm pq elixir ta caro pra caralho

krixzy
Veterano
# dez/14 · Editado por: krixzy
· votar


Ramsay
Cara isso é mito. depois que passei a fazer os procedimentos as cordas primas, mesmo depois de um ano ou mais mantém o mesmo timbre de quando foram compradas.

Cara acho isso meio impossível manter o timbre de quando elas são quando novinhas, e é principalmente nos bordões que onde percebo a falta de presença, sei não, mas se vc diz, vamos ver se mais alguém faz o que vc disse e tem o mesmo resultado.


Edit: vou tentar a experiencia.

Ramsay
Veterano
# dez/14
· votar


krixzy
Com esse procedimento os bordões quase não escurecem, mas, como são cordas compostas é realmente difícil que elas mantenham o som de quando eram novas.
Mas, eu realmente não tenho do que me queixar, até porque não uso muito os bordões.

Flipe J.
Membro Novato
# dez/14
· votar


Ramsay
Então que cordas mágicas que não perdem a afinação ao longo do tempo vc usa? tbm quero

Ramsay
Veterano
# dez/14
· votar


Flipe J.
Cara, o que faz perder a afinação são as tarrachas e não as cordas.
Não sei de onde vc tirou isso.

makumbator
Veterano
# dez/14
· votar


Ramsay
Cara, o que faz perder a afinação são as tarrachas e não as cordas.
Não sei de onde vc tirou isso.


Ao longo do tempo cordas muito velhas diminuem não só a capacidade de segurar a afinação, como também passam a dar "notas falsas" (com a intonação levemente comprometida) em alguns pontos de seu comprimento. Isso é devido a deterioração do material (e convenhamos que 1 ano com encordoamento de guitarra é um tempo bastante longo).

No caso de instrumentos de cordas não temperados isso é parcialmente resolvido meramente afinando "no dedo" um região que esteja com problemas (mas mesmo isso causa desconforto).

Um outro fenômeno parecido é a corda alterar o padrão de vibração na mesma nota, também por estar muito desgastada, e com isso ela altera a afinação ao longo do movimento (mesmo em corda solta). Sem contar a perda de potência sonora (que é algo um tanto irrelevante em instrumentos elétricos, mas primordial nos acústicos)


No contrabaixo acústico corda muito velha costuma subir ou descer o tom levemente após ser tocada e ser deixada soando. Fica um tanto feio. Isso é algo comum no acústico, pois como o encordoamento é bastante caro (na faixa de 350 a 450 reais) é comum a gente ficar com ele ao menos 1 ano no instrumento, e então se observa facilmente esses problemas surgindo e se agravando. Corda de guitarra é muito barato perto do que se gasta no contrabaixo acústico.

Troquei o encordoamento do meu acústico no meio do ano, e a diferença de som, potência sonora e afinação é brutal (e o encordoamento era da mesma marca e modelo de antes), sem contar o "ronco" característico de acústico que só corda mais nova proporciona.


E isso é comprovado até cientificamente. Lembro de ler artigos sobre estudos do assunto há alguns anos, se não me engano foi em revista da sociedade internacional de contrabaixo, feitos justamente para se determinar em quanto tempo médio uma corda começa a falhar a intonação e a perder a potência sonora.

Edson Caetano
Veterano
# dez/14
· votar


Não sou muquinha kkk(mão de vaca), mas tenho muitos instrumentos e para alimentar de cordas novas todos eles eu teria que fechar uma sociedade com algum fabricante kkk

O fato é que manter as cordas por 1 ano (ou mais) é normal aqui em casa, e o que fica fácil de notar é que se elas tiverem cuidados básicos de limpeza e conservação duram por muito tempo

Perde timbre? Não a ponto de incomodar
Perde afinação? Está tudo afinando

Imagino que a comparação com os instrumentos do amigo Makubantor (contra baixos) não seja tão justa, porque a quantidade de material é muito maior, imagino que as propriedades físicas sejam notadas mais facilmente

E para fechar, dúvido que um cara que toque diariamente sua guitarra, com um único exemplar, consiga manter o encordoamento por muito tempo, simplesmente porque o estresse do material faz com que as cordas mais finas estourem kkkk

krixzy
Veterano
# dez/14
· votar


Edson Caetano
Perde timbre? Não a ponto de incomodar

Incomoda sim cara, principalmente quem faz muita base nos bordões, a diferença é enorme, acho que pra quem passa tanto tempo como vc já deve ta acostumado e não percebe isso, mas nas minhas guitarras, eu limpo bastante as cordas apos tocar, elas se mantem brilhando tranquilo, mas o timbre, depois de umas 3 semanas já começa a ficar sem presença, meio morto, da pra sentir os resíduos das cordas saindo na mão quando vc toca por muito tempo.

E é bem chato pra timbrar, eu tenho salvo preset's de vst's aqui no PC, timbre muito top quando as cordas tão novas, mas quando ficam velhas, o mesmo set soa apagado e sem presença, ai começo a quebrar a cabeça pra timbrar e da mais trabalho, cordas novas fica bem mais fácil timbrar pra mim.

lucas.motorbreath
Membro Novato
# dez/14
· votar


depois que eu passei a usar cordas da Sound Generation, nunca tive problemas com deterioração, mesmo sem limpar constantemente, e outra coisa, essas cordas da SG parecem que não estouram, eu faço bends de um tom e meio e um tom quase sempre e elas estão ai firmonas! E olha que minha guitarra nem é lá essas coisas, em relação ao timbre, pode ser que mude sim com o tempo, mas nada que me incomoda-se tanto.

Calime
Veterano
# dez/14
· votar


Ramsay

Legal sua metodologia. Antes eu me preocupava muito com os gastos, pq comprava cordas no BR, e aqui é mto caro. Isso qdo não comprava as cordas nacionais msm, que não tem como comparar com as boas marcas gringas. Daí qdo comecei a comprar fora, o cenário mudou totalmente, as cordas são mto melhores, e duram mais tbm. Adoto procedimentos simples, como não tocar com as mão mto sujas(lavar antes se possível), e limpar com um pano perfex dps de tocar, mas limpar tranquilo, de boa, e uma vez por semana usar algum produto especifico, ou mesmo um micro óleo, que é tipo um oleo singer melhorado.

Fazendo esses procedimentos, minhas cordas duram bem durante uns 6 meses. Após isso geralmente as troco. Não pela ferrugem, mas sim pela questão de timbre, que de fato pelo que percebo muda.

nivekk
Membro Novato
# dez/14
· votar


Para isso funcionar duas regras são importantes:
1) Não suar nas mãos e principalmente nos dedos.


Meu problema está ai :(

RafaelBernatto
Veterano
# dez/14
· votar


Ramsay

Não entendi a do fast fret... Não conheço esse produto..

Mas se eu entendi, a ideia é só passar óleo singer após tocar? (Com algo que envolva as cordas e retirar o excesso depois?) Passa-Limpa-Passa de novo?

Abç

gL.
Veterano
# dez/14 · Editado por: gL.
· votar


Muito difícil...
prefiro trocar todo mês pra limpar as guitarras também!

Mr.Júnior
Membro Novato
# dez/14
· votar


Bom, eu ja fiz esse tipo de teste na minha guitarra e no meu violão.
E quando troquei as cordas, ficou praticamente outro instrumento.
Como eu sempre tocava na mesma guitarra e não tinha um outro parâmetro para comparar, achava que o som estava ótimo.

Foi a mesma coisa quando comprei um fone de ouvido melhor, quando toquei em um amplificador melhor... não comparando a qualidade de uma corda pior e uma melhor, mas fazendo a analogia de fone ruim com corda velha e fone bom com corda nova.

Mas ja que para o amigo esta funcionando bem, ótimo, pois você economiza nas cordas kkkkkk sendo que eu só tenho equipamento vagabundo, umas 4 trocas de encordoamentos ja paga meu instrumento kkkkkkkkkk

Lembrando que não estou dizendo que alguem que ja comentou ou o criador do post esta errado.
Estou somente comentando a minha experiencia sobre esse assunto.

Edson Caetano
Veterano
# dez/14
· votar


krixzy
Então a guitarra que a gente toca pra valer acho impossível manter mesmo o timbre, as cordas se achatam, então o atrito com os trastes muda... Mas se as cordas estiverem conservadas em uma guitarra que não se usa tanto assim, não acredito em perda de timbre, só por ela estar colocada e afinada

Mas timbre é gosto de cada um, não tenho como discordar de quem troca semanalmente por este detalhe é nem dos que mantém a corda até estourar...

Sei que se a guitarra soar ruim eu vou procurar a razão e se for cordas na hora serão substituidas, com certeza

ogner
Veterano
# dez/14 · Editado por: ogner
· votar


O problema de corda velha pra mim, é muito mais entonação/afinação que o timbre mesmo.... E vou te falar que as cordas atualmente vem perdadendo a capacidade de afinação cada vez mais rapido...Um saco isso!!

Nao gosto do som de cordas novas. Pra mim elas ficam legais a partir de 1, 2 semanas de uso. Mas tenho trocado com muito mais frequência devida a afinação que vai pras cucuias...Sou BEM chato com afinação!! Geralmente elas afinanam bem a corda solta, mas a entonação/afinação pelo braço vai embora....E é chato demais....hehehe

Alex guitar man
Veterano
# dez/14
· votar


ogner
Geralmente elas afinanam bem a corda solta, mas a entonação/afinação pelo braço vai embora....E é chato demais....hehehe

Tenho ódio disso!



Vou Fazer o recomendado nesse tópico!

JJJ
Veterano
# dez/14
· votar


Ramsay
depois que passei a fazer os procedimentos as cordas primas, mesmo depois de um ano ou mais mantém o mesmo timbre de quando foram compradas.

Nahhh.... você ESQUECEU como é o som de cordas novas! hehehe

MMI
Veterano
# dez/14
· votar


ogner

O problema de corda velha pra mim, é muito mais entonação/afinação que o timbre mesmo

Pois é, para mim essa é principal questão. Eu também prefiro as cordas depois de uns dias.




Só para complementar o que a galera falou....

É fato que há alteração do timbre e irregularidade de afinação com o tempo. A corda vai se deformando e alterando sua elasticidade/vibração.

Eu tenho um monte de Elixir aqui, são as cordas que mais uso por não ter outra opção. Hoje estou com 17 instrumentos de cordas aqui, se for para colocar cordas que se deterioram rápido eu paro de tocar e só troco cordas. Já experimentei as D`Addario EXP, Cleartone, DR, Ernie Ball e tudo que encontrei, nenhuma funciona como as Elixir. A que chegou perto foi a Rotosound Nexus. Ainda assim não tem jeito, uma ou outra guitarra acaba sendo raramente usada como o Edson Caetano disse. Mas se essa guitarra não estiver em mínimas condições de tocabilidade, aí que não vai ser tocada mesmo, é aí que entra a questão de cordas boas que duram bem, mesmo sem tocar.

Em algumas guitarras eu uso exclusivamente ou eventualmente (depende) cordas flatwound. As cordas normais flatwound, de níquel, já duram bem mais que as roundwound. Mas na archtop eu gosto de usar as black nylon flatwound (até fiz um tópico de tanto que gosto dessas cordas). Eu já não tenho problema de transpirar nas mãos nem de baixa durabilidade de cordas. Mas com cordas encapadas com nylon preto, aí que não dá para ver cordas deterioradas mesmo (visualmente estão sempre novas)! Como sei que está na hora de trocar as cordas? Elas perdem o brilho (sutil, não me incomoda muito), mas perdem muito a capacidade de afinação, principalmente do meio do braço em diante. Não é pouco não, é bem nítido e isso serve bem de exemplo: não é exclusividade dessas cordas, perda de timbre e afinação acontece em qualquer corda velha. Essas só tem de diferente que o nylon não deixa ver metal escurecido e as mais leves são 012.

Hammer
Veterano
# dez/14
· votar


Para mim o que funciona melhor é a boa e velha flanela depois de tocar...
torso a flanela em uma corda de cada vez e passo...
A regra de ouro para mim é: tocou limpou,

se limpar sempre as cordas duram muito, obvil que o brilho (timbre e cromado) das cordas vão com o tempo, mas elas ainda sim ficam usaveis por um bom tempo....

ao contrario do que foi dito pelo ramsay, gosto muito das cordas Sit, comigo sempre tiveram alem do preço baixo, uma boa durabilidade e mantem a afinação bem razoavel

jprpfera
Veterano
# dez/14
· votar


Na minha opiniao, quem faz show com frequencia tem obrigação de trocar a cada mês...mas idéia é válida!

Lelo Mig
Membro
# dez/14 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Assim como nossos amigos ogner e MMI, também prefiro as cordas com alguns dias de uso, e a perda de timbre prá mim não é problema, porque por gostar delas mais velhas, meu timbre favorito é de corda velha.

Faço uma limpeza, manutenção, parecida com a citada no tópico, mas não é por "pão durismo" é justamente por gostar delas envelhecidas, ficam em média 2 à 6 meses, dependendo do uso que faço.

O que me faz mudar as cordas, não é o timbre, é a afinação. Este é o ponto que me alerta para a hora de trocar.

Mas, uma coisa, galera, não podemos "fingir que não existe"....a Física!

As cordas "deterioram" sim, e até meio rápido. O nome destes fenômenos são dados por um ramo da física chamado mecânica.

- Tração, Flexão, Tensão e Ruptura, Resistência a Desgaste, Resistência a Fadiga e etc.

- Vocês fazem ideia da força aplicada no sentido longitudinal de uma corda quando afinada?

- Fazem ideia da força de um bend, no sentido transversal da corda?

- O atrito no trastes?

Acreditem, se procurarem estes números em Kg/força vão se surpreender, não é pouco não!

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Minhas cordas de guitarra não enferrujam mais