Palhetada por nota | x | Palhetada por corda

Autor Mensagem
T. Forge
Membro Novato
# jul/14 · Editado por: T. Forge


Fui autodidata e desde o início do meu aprendizado solitário procurei algumas técnicas que me eram interessantes. Uma das primeiras foi o treino de ligados (hammer ons e pull offs). Treinei e fui me aperfeiçoando nisso.

Sempre que precisava executar uma frase mais rapidinha, subir e descer escalas ou até uma fritação completa eu utilizava esta técnica e com isso passei a conseguir tocar coisas que sempre quis.

Isso talvez tenha me impressionado um pouco e acabei me tornando refém disso. A partir daí deixei de lado o estudo da palhetada e nunca mais retomei, me tornando um completo desastrado quando o assunto é tocar rápido palhetando cada nota.

Percebi essa "limitação" há muito tempo vendo a maioria dos grandes guitarristas palhetarem nota por nota quando tocam rápido. Pensei: "Poxa, acho que estou fazendo errado. Todos eles tocam assim."

Hoje não vejo mais tanto como uma limitação. Me tornei refém de ligados justamente porque eles sempre me serviram até hoje e a palhetada por corda nunca me atrapalhou. Algumas vezes dificultou uma determinada execução, mas nunca me impediu de executá-la.

Hoje vejo a palhetada por nota mais como uma técnica a mais que eu poderia ter na manga, pois existem coisas com um nível técnico que ainda não atingi e pode ser que, entrando nelas, eu vá precisar desse tipo de palhetada.

Mas enfim, o que vocês pensam sobre isso?

Limitação ou apenas um estilo?

Qual você utiliza? Palhetada por nota ou palhetada por corda? As duas?

Boa tarde.

ogner
Veterano
# jul/14
· votar


T. Forge
Limitação ou apenas um estilo?
Limitação, sem duvida!

Qual você utiliza? Palhetada por nota ou palhetada por corda? As duas?
As 2.

Vc pode fazer as frase com as 2 técnicas sem duvida, mas o efeito, timbre, pegada..o som produzido, são completamente diferentes. Eu não conseguiria viver (ui, dramático ) somente com uma delas!!

krixzy
Veterano
# jul/14
· votar


T. Forge
É amigo, ligados facilita mesmo, mas tem que palhetar tbm, o negocio é correr pro metrônomo.

Uma dica muito importante que deixo pra vc, é sempre alongar todos os seus dedos e pulsos corretamente, depois aquecer com o famoso 1234 subindo e descendo cordas por alguns minutos, vc vai notar a diferença na velocidade logo de cara, alongamentos e aquecimento é fundamental.

ogner
Veterano
# jul/14
· votar


krixzy
é sempre alongar todos os seus dedos e pulsos corretamente, depois aquecer com o famoso 1234 subindo e descendo cordas por alguns minutos, vc vai notar a diferença na velocidade logo de cara, alongamentos e aquecimento é fundamental.
Faz uma diferença considerável isso!! Quando vou para o ensaio e faço o aquecimento antes, é outro ensaio!! Tudo flui melhor!!

Thiago Livgren que toca mais ou menos
Membro Novato
# jul/14
· votar


T. Forge
Cara, eu sou o extremo oposto! Só consigo tocar palhetada por nota (não que eu toque rápido, mas...)! Meus legatos ficam muito sem vida e tal. Tenho que começar a treinar essa bagaça.

raphael.rui
Veterano
# jul/14
· votar


eu tambem sempre aprendi sozinho, e tenho uma dificuldade absurda se for tres palhetadas por corda rapido, engasga tudo. se for duas, ja consigo (nao na velocidade malmsteen, mas algo mais ou menos kk), se eu fizer com ligados ate vai, mas nao é a mesma coisa nunca. prefiro muito o som da palheta, algo que preciso treinar muito.

Lelo Mig
Membro
# jul/14
· votar


T. Forge

Só sei de uma coisa......o cara que inventou o 1,2,3,4 e suas variações deveria ser condenado a morte!

Tá bom, eu confesso: Eu também treino 1,2,3,4!

makumbator
Veterano
# jul/14 · Editado por: makumbator
· votar


T. Forge

Como já comentaram, as duas produzem efeito sonoro diferente, portanto nem é caso de se opor um formato em detrimento do outro. O ideal é o músico conseguir fazer ambas (mesmo que em muitos casos o cidadão tenha mais afinidade ou preferência por uma delas).

Eu tenho muito mais facilidade em palhetada alternada, mas consigo me virar bem em ligados.

Acho que o "problema" é ver a questão sob a ótica de usar uma ou outra técnica só para conseguir fazer a frase X ou Y mais rápida, e não por realmente ter a intenção de fazer as notas desligadas (palhetada alternada) ou ligadas em virtude de uma escolha estética. Aí sim vira uma limitação.

Luis A.
Membro Novato
# jul/14
· votar


T. Forge

Eu acho importante tmb usar os dedos em algumas situações...

renatocaster
Moderador
# jul/14
· votar


O problema de usar só ligados o tempo todo é que sempre vai soar só como ligados. O efeito do ligado para uma palhetada "pura" é diferente. Assim como o Sweep também é, fingerstyle, etc. A nota ou o conjunto de notas pode ser o mesmo, mas a sonoridade é diferente. Então seria limitação apenas nesse sentido. Porque tende a repetitividade.

Mas não acontece só com vc, acontece inclusive com famosos. Malmsteen, por exemplo. Talvez ninguém perceba, mas ele usa sweep o tempo inteiro. Não só em arpejos, mas na digitação das notas da escala também. É um "truque" que passa batido por muitos.

WendellMP
Veterano
# jul/14
· votar


T. Forge
Minha situação é semelhante, sou autodidata e desde o princípio do aprendizado me preocupei com exercícios para a mão esquerda. Comecei no violão e a transição para a guitarra e o consequente uso da palheta foram mais tarde e eu tive dificuldades, faltava precisão e velocidade. A precisão eu resolvi, mas mesmo assim eu tenho mais velocidade e precisão com minha mão esquerda. Quando preciso de palhetadas rápidas nota por nota me embolo também. Tenho me exercitado para tentar corrigir mas não é nada fácil.
O que eu percebi foi que quando que comecei com a palheta aprendi a tocar com os dedos anular e mínimo da mão direita apoiados logo abaixo das cordas (não sei se deu para entender), isso me ajudou com a precisão da palhetada. Quando preciso de mais velocidade tenho tentado abrir mão desse apoio e apoiar o pulso na ponte ou cordas superiores (não sei se deu pra entender de novo). Tem funcionado pra mim.
A galera com um mais de experiência (e estudo) podem falar melhor sobre isso.
Enfim, bons estudos, e siga fazendo seu som, que é o que importa...

Rachmaninoff
Veterano
# jul/14
· votar


T. Forge
Mas enfim, o que vocês pensam sobre isso?

Comigo aconteceu algo bem parecido. Eu comecei fazendo passagens rápidas com ligados, e deixei de lado as palhetadas alternadas. O que me fez praticar as alternadas foi justamente perceber que eu tinha uma limitação nisso, quando eu entrei numa banda cover do Dream Theater que tem umas coisas impossíveis de serem feitas só com ligados.

Então, sim, considero uma limitação, da mesma forma que é uma limitação você deixar de lado qualquer técnica, ainda mais se tratando de um fundamento básico.

Eu utilizo ambas, ao mesmo tempo, porque isso te dá um nível adicional de expressividade com a guitarra. Um cara que é mestre em dosar as duas técnicas é o venerado mestre Guthrie Govan (na verdade, ele gosta de misturar ligados, alternadas e também chicken pickin'...). Exemplo:



Filippo14
Veterano
# jul/14
· votar


Eu tambem tinha muito esse problema, mas é o que falaram, ajuda muito palhetar tudo, da uma dinamica nova, uma puta expressividade legal, te ajuda a controlar melhor o volume de cada nota. Não digo que seja obrigatorio saber fazer as duas, mas que ajuda bastante isso é verdade. Alias, acho normal uma pessoa fazer uma das duas melhor que a outra, ter as duas no mesmo nivel é foda

ogner
Veterano
# jul/14
· votar


Rachmaninoff
porque isso te dá um nível adicional de expressividade com a guitarra

Essa é a palavra chave.

É como se faltasse o "e" do a, e, i, o, u. não da pra se expressar sem p "e". Na verdade ate da. Mas...

T. Forge
Membro Novato
# jul/14
· votar


Legal as opiniões e depoimentos, pessoal.
Eu estou sendo encorajado a começar a treinar a fundo a alternada. Realmente são sons completamente diferentes. Eu gosto muito do som de um solo de ligados, até mais do que o som das notas palhetadas. Mas saber fazer os dois é o melhor a ser feito.

Rachmaninoff

Esse cara é um monstro. Musicalidade 10.

Nesse vídeo, por exemplo, eu tocaria o solo exatamente como ele faz até os 0:56. Nessa parte ele usa alternada e eu continuaria usando ligado.
Preciso treinar isso.

Luis A.
Membro Novato
# jul/14
· votar


T. Forge

Eu estou sendo encorajado a começar a treinar a fundo a alternada.

Eu uso diferentes técnicas de palhetada, mas passei 4 anos tocando sem palheta para desenvolver outras técnicas e nao ficar dependente dela....

Atualmente eu sinto a necessidade de estudar uma tecnica q eu nao sei o nome, mas consiste em utilizar a palheta e os dedos ao msm tempo, vejo muitos caras do country usando essa técnica....

T. Forge
Membro Novato
# jul/14
· votar


Luis A.
É a famosa chicken pickin', não?

Alex guitar man
Veterano
# jul/14
· votar


Poxa, e eu aqui, usando apenas meus dedos :/ (odeio palheta!!!!!!)

Ismah
Veterano
# jul/14
· votar


Acho que é isso que dá um individualismo a cada um.

Pessoalmente, gosto das duas conforme o estilo a ser tocado. Uma coisa mais country/blues eu gosto de usar ligados, um rock eu gosto de usar palhetada, um pop (inclui o bailão) uso ambas mescladas.

Luis A.
Membro Novato
# jul/14
· votar


T. Forge

É a famosa chicken pickin', não?

Nao necessariamente, o chicken consiste em tocar a nota 2 vezes, primeiro fazendo um mute e depois com som...

krixzy
Veterano
# jul/14
· votar


Thiago Livgren que toca mais ou menos
Meus legatos ficam muito sem vida e tal. Tenho que começar a treinar essa bagaça.

Pode ser uma questão de regulagem da guitarra, uma guitarra bem regulada só de encostar os dedos sai o som da nota claramente.

Ismah
Veterano
# jul/14
· votar


Luis A.
T. Forge

Mas o chicken picken, não é o que em bom português se chama de palhetada híbrida?

Alex guitar man

Finalmente algo que divergimos. Mas estudei um bom tempo flamenco. hehehe

Olhe aqui, acho que vai gostar, e se sentir menos solito.

Lelo Mig
Membro
# jul/14
· votar


T. Forge

Não se preocupe...vc não é o único. Um cara que tem um "problema sério" com palhetada é o Dick Dale.....heheheheh



Luis A.
Membro Novato
# jul/14 · Editado por: Luis A.
· votar


Ismah

Mas o chicken picken, não é o que em bom português se chama de palhetada híbrida?

Nao, o chicken é uma tecnica em q se bate 2 vezes na msm corda, primeiro fazendo um mute, e depois deixando a nota soar (isso tudo feito muito rapido), oq faz um efeito de "som de galinha", uma especie de "p' có"...... srsrsrsr


Edit: aqui tem um exemplo de como se faz um chicken picking no 5:50....




Ismah
Veterano
# jul/14 · Editado por: Ismah
· votar


Luis A.

Tá mas o mute não é por causa do dedo abafar a corda mais que a palheta?

Aprendi assim como nessa explicação.

EDIT

É sim o que eu falava, só não soube me explicar hehe

ALF is back
Veterano
# jul/14
· votar


T. Forge
eu tbm vejo como uma limitação cara...é 1234 até no rabo...
Aí, quando vc ficar mto bom em 1234 (e nas outras 23 combinações cromáticas SIMPLES) verá que 1234 tbm tem suas limitações...acaba ficando bem fácil palhetas com números pares de notas por corda, pois fica tudo em um mesmo sentido...entao vc se vê novamente nesta situação de precisar melhorar, e começa-se exercícios mais chatos ainda...ai de repente vem um Govan e te mostra que vc deixou de lado os ligados, hibrid e chicken picking, tapping, sweep e o kct a 4...
E lá vamos nos de novo!

Luis A.
Membro Novato
# jul/14
· votar


Ismah

O q esse cara ta fazendo nao me soa a "galinha", é preciso ter o mute pra dar o efeito...

Eu faço o chicken de varias formas, nem sempre eu abafo a msm corda q eu irei deixar soar, às vezes uso dedo, outras vezes palheta, enfim eu vario as técnicas buscando obter o efeito de galinha....

Algumas video aulas brasileiras ainda deixam um pouco a desejar quando comparadas às americanas.... eu sugiro q vc busque informações em aulas gringas, pois eles foram os inventores do estilo....

krixzy
Veterano
# jul/14
· votar


ALF is back
eu tbm vejo como uma limitação cara...é 1234 até no rabo...
Aí, quando vc ficar mto bom em 1234 (e nas outras 23 combinações cromáticas SIMPLES) verá que 1234 tbm tem suas limitações...acaba ficando bem fácil palhetas com números pares de notas por corda, pois fica tudo em um mesmo sentido...entao vc se vê novamente nesta situação de precisar melhorar, e começa-se exercícios mais chatos ainda...ai de repente vem um Govan e te mostra que vc deixou de lado os ligados, hibrid e chicken picking, tapping, sweep e o kct a 4...
E lá vamos nos de novo!


O jeito é elaborar um exercício pra cada técnica e faze-las diariamente, não é necessário passar horas, alguns minutos em cada técnica, regularmente, com o tempo vai se aprimorando gradativamente.

T. Forge
Membro Novato
# jul/14
· votar


Lelo Mig
Hahahahahaha boa.

thmenezes_RJ
Veterano
# jul/14
· votar


Toda técnica que você não tem, é uma limitação. Pensando dessa forma, como nenhum guitarrista do mundo domina todas as técnicas, todos sempre tem alguma limitação. Alguns caras dominam muita coisa, e muito bem, mas sempre falta alguma coisa. Por isso guitarra é um aprendizado eterno.

Por outro lado, optar por utilizar sempre os mesmos tipos de técnica, faz sim um estilo. Que pode, é claro, ser chato, repetitivo e limitado. Mas ainda assim é um estilo.

Por exemplo, um cara que é idolatrado por aí, e praticamente não usa palhetada alternada em frases rápidas, é o Dave Murray. Eu acho ele repetitivo, mas curto o estilo dele.

E no fim, só guitarrista se preocupa com a técnica que o cara tá usando (e é claro que tem que ser assim). As outras pessoas só se preocupam com o som...

Se você é feliz com o seu som, com o que você toca, está ótimo... se não, se sente que alguma limitação atrapalha o que você quer tocar, então corra atrás e estude. Mas não tem porque um cara que só gosta de tocar B.B.King, ficar aprendendo as técnicas que o Malmsteen usa...

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Palhetada por nota | x | Palhetada por corda