Alan Domingues - Papo da semana

Autor Mensagem
makumbator
Veterano
# mar/13 · Editado por: makumbator
· votar


janick
Como se isso fosse boa música hahahah...

Pra ele é. É a época do Pixinguinha, Noel Rosa, etc... isso no campo do popular. Já na área erudita (que é a área dele) é o momento da chegada da revolução das ideias da escola de Viena no Brasil.

Mas o importante é observar que cada um tem um ideal do que é bom. Então tudo pode ser considerado lixo ou coisa fina, dependendo dos olhos do observador.

renatocaster
Esse coroa deve ser bastante persuasivo, auheuhauheuha.

É uma pessoa extremamente inteligente e culta, mas ao mesmo tempo simpático e acessível.

Rabbit
Fui fazer um comentário sobre Santana pra ele, ele só faltou me bater. Hehehe

Pois é! heheh!

tchedovollosky
Veterano
# mar/13 · Editado por: tchedovollosky
· votar


Muitas das coisas que a galera aqui (eu mesmo incluído) ama ou considera muito técnico na análise dele não passa de lixo de quinta categoria, sem nenhum apelo artístico. E ele te explica os motivos para o desprezo a essa música, e os argumentos fazem bastante sentido.

acho engraçado que desde que estou aqui no forum vejo todos aqui ''andando em circulos'' quando debatemos temas sobre musicaX vs. musicaY.

por que o que julgamos não passa de gosto, e a nossa opinião é apenas um reflexo disso.

sem mais.

Marc Snow
Veterano
# mar/13 · Editado por: Marc Snow
· votar


GrandeAlan_Domingues,

Tocou num assunto que, diante da sua opinião exposta, é a mais pura verdade.

Existe, hoje em dia, uma imensa facilidade de se gravar e colocar o conteudo na internet e o mesmo ser visto por milhoes de pessoas.

Mas com isso, não há filtros. Entra de tudo. E a quantidade de porcaria que a gente ve, ouve e lê, feita por uma certa escória, com nada na cabeça e muito menos na alma, é assuatadora.

Assim como voce expôs, tambem vejo uma quantidade assombrosa de grandes guitarristas que deixam de aparecer ou aparecem pouco, ou deixam de ter seu trabalho reconhecido por empresas, dando lugar à insetos que não tem nada a oferecer e aparecem por quantidade de views
e likes no face, youtube etc...

Além do mais a maioria de concursinhos nacionais forjados, com músicos medíocres ganhando, sem um júri técnico para dar tal nota/mérito ao "vencedor".

Só aqui neste fórum, consigo citar nomes de grandes guitarristas que, não é nem passar desapercebido, NÂO TEM connhecimento e deveriam ter:

ALAN DOMINGUES
BERETTA
RABBIT
MARCIO ANDRE
HOMEM CUECA...e outros montes que não lembro agora.

Aí, o que esses caras tem que fazer, já que pelos meios normais, o reconhecimento MERECIDO, não vem???

Postar videozinhos rasgando seda no youtube, falando de um assunto mais do que batido, ou postar um video falando o famoso "Deus te abençõe" no final para arrebanhar publico, vale a pena???

Até quando vai valer aparecer desse jeito???

Outra coisa: Criar uma porrada de emails temporarios para ficar votando nos seus concursinhos, fazer SUB4SUB para ganhar views no youtube... Implorar joinhas em comunidades...

Isso é um assunto que realmente daria dias para tratar.

Quem me conhece sabe que aqui no forum, coisa de há um tempo atras, toda semana eu postava uma jam diferente. Digitem (ehtm) na busca e verão.

Fazia isso do nada, pŕa confraternizar com o pessoal. E via nos comentários as coisas mais absurdas do mundo, neguinho se pegando por que recebia criticas, neguinho que não aceitava.

Tambem via inumeros comentarios de neguinho que não tinha a mínima capacidade de comentar querendo criticar. Ou seja, um mar de atrocidades.

Bom, todo mundo sabe que musicos (guitarristas) adoram ter seu ego inflado. Mas aqui não cabe nem isso. É uma questão de justiça!!!

A mediocridade aparece na midia, ganha concursos, bate recorde em views, em contrapartida de muito guitarrista bom que está aí no anonimato, porque não concorda com panelinhas e nem quer forjar sua reputação ou seu caráter.

makumbator
Veterano
# mar/13 · Editado por: makumbator
· votar


Marc Snow
É uma questão de justiça!!!

Eu não vejo sob a ótica da justiça. Acho que alguns se saem melhor que outros na divulgação de acordo com a tendência da época, uma espécie de evolução natural aplicada a esse campo. Nem sempre o mais apto é o melhor sob determinados aspectos, mas se ele é o mais adaptado ele tem vantagem, mesmo que essa vantagem seja fora do campo estritamente musical. Gostemos ou não, é algo que conta para as empresas da área, por exemplo.

edalko
Veterano
# mar/13
· votar


Marc Snow
Falar neguinho é politicamente incorreto... kkkkkkkkkk

edalko
Veterano
# mar/13 · Editado por: edalko
· votar


Marc Snow
Sabe o que eu vejo, que antes o cara levava a fita K7 de suas demos a uma gravadora. Com a maior sorte do mundo ele era selecionado, e com maciço marketing era lançado no mercado nacional.
Muitas eram as K7, mas no universo de internet hoje, era uma quantidade risível.
Então vc tinha dois mercado: o informal, que resultava das apresentações minimalistas de uma banda que acabava por ganhar repercussão local e depois nacional, e o formal, resultante da ação das grandes gravadoras.

Hoje, o marketing pessoal impera, e não é necessário sair fazendo shows. Vc grava qualquer merda em casa, joga no youtube e reza para que resulte num video viral, que vai lhe trazer fama e grana.
Quer coisa mais absurda que o "Pra nossa alegria"??
E não pára por aí. Dada a maciça quantidade de informação lixo que temos hoje, o nível mediano de aceitação do que é bom começa a decair, e as pessoas já não tem parâmetros decentes para avaliar, com competência, o que é bom e o que é ruim.
Daí vemos dentro dos vários nichos da música brasileira (funk, samba, pagode, rock (?), axé) a presença de porcarias 99% comerciais, que não traduzem a regionalidade e nem as origens do movimento musical a qual levantam bandeira.
Eu, sinceramente, não sei aonde a tecnologia, mídia, marketing, etc vai nos levar. Só sei que não dá mais para pensar em música como há 10 anos atrás, muito menos há 20 anos.
Sei lá se hoje ter um stack com amp valvulado, trocentos pedais, etc não é uma intenção retrógrada de querer viver num mundo que não mais de coaduna com a realidade.

makumbator
Veterano
# mar/13
· votar


edalko
Sei lá se hoje ter um stack com amp valvulado, trocentos pedais, etc não é uma intenção retrógrada de querer viver num mundo que não mais de coaduna com a realidade.

Eu acho que vai chegar uma hora que guitarra, amp valvulado, cenário de bandas de rock e tudo mais vai ser tão antigo quanto uma viola da Gamba (que é um instrumento maravilhoso, mas completamente fora de época). Ao que parece esse processo hoje é ainda mais rápido do que era antes do séc XX.

Mas é assim mesmo, a música muda, e não apenas nos aspectos técnicos, mas também nas suas estruturas socias.

GabrielRhoads
Veterano
# mar/13
· votar


Exatamente. Existe muitas pessoas q conquistam o posto de "bom" pq ele faz o "marketing" dele sabe, tipo ele fica falando q é o bom, é esperto e objetivo, e isso nao só a guitarristas e a musica mas em todas as profissões e expressões artisticas ou nao.

É exatamente aí o erro, o cara ganha moral por uma coisa que não é.
Vou tentar dar uma comparada. Se o cara tem um headstock Gibson a moral como músico sobe para 50% a mais do que um cara que tem uma Tagima, por mais que o cara seja muito melhor.

Lelo Mig
Membro
# mar/13 · Editado por: Lelo Mig
· votar


makumbator

Esse seu exemplo é ótimo e muito bem colocado... Tenho um amigo violinista (não o vejo há alguns anos porque ele ingressou numa orquestra nos E.U.A), que para ele Pink Floyd, Led Zeppelin e etc, são umas grandes bostas, que fazem música primitiva com harmônias pobres, escalas repetitivas e com (como ele se refere) "intuição tribal".... sem estudos preliminares e sem conhecimento "decente".

Aí muito neguinho aqui, vai ficar ofendido com isso e mandar eu matar o sujeito...só que em nossa visão, fazemos o mesmo com os funks, pagodes e sertanejos.

Hoje, se meu amigo violinista rabiscar no papel (como fazia quando éramos jovens) prá "provar" que a música do Pink Floyd é pobre e infantil, invés de ficar puto como eu ficava aos 20 anos eu vou falar: Ok, você provou que é uma merda mais eu gosto, beleza?

E eu ficava puto, porque ele mexia com meu gosto, meus sentimentos. Porque se eu tivesse que rabiscar num papel uma progressão melódica para dizer á ele que Brahms (apenas como exemplo) era uma bosta, eu não tinha competência. Ele se sobrepunha a mim em conhecimento musical, no sentido científico da palavra conhecimento.

Só que tenho que estar pronto, para ouvir "eu gosto e ponto final" de alguém que curta pagode, por exemplo. Porque se eu me coloco mais capacitado para julgar música do que o "funkeiro", teu maestro de 90 anos, tem mais competência que nós aqui no FCC para afirmar que Rock é uma grande bosta musical de técnica pífia e harmônia ridícula.......por exemplo. (não tô dizendo que é pessoal, tô usando como exemplo).

tchedovollosky
Veterano
# mar/13
· votar


makumbator
é verdade, a guitarra que é um instrumento popular que aos poucos ( ou não ) vai ficar cada vez mais underground :( :( :(

é igual a guitarra portuguesa, ouvi um som do Carlos Paredes no youtube e fiquei pensando: como pode um som tão bonito e maravilhoso, ser desconhecido dessa geração! mas no fundo eu infelizmente sabia a resposta.

deixo à vocês o que me encantou:


Marc Snow
Veterano
# mar/13 · Editado por: Marc Snow
· votar


Tambem acho que a musica não precisa ser complexa para ser boa e agradar aos ouvidos. Mas que tenha pelo menos um senso musical, que muiitas vezes é abafado pela letra e o cantar.

bereberê bereberá, eu quero tchu eu quero tchá... realmente é a prova que vivemos em um país de mamelucos balbuciando um dialeto para xucros

MauricioBahia
Moderador
# mar/13 · Editado por: MauricioBahia
· votar


Eu penso que tudo é relativo e não há uma verdade, mas várias, depende do ponto de vista de cada um. Muita gente, quase instantaneamente, julga que uma coisa é 100% ruim ou boa. Isso, pra mim, não condiz com a realidade. Até o cara mais boa praça ou a coisa mais legal pode, intrinsecamente, tomar ações ou mesmo ter pensamentos ruins dentro dos preceitos de nossa sociedade. Tudo e todos parecem ter várias facetas. É o caso da Internet que, além do mais é veloz, muito persuasiva e sedutora. Um "Jekyll & Hyde" cibernético.

O que me resta é observar e tentar tirar extrair o que há de bom pra aplicar na minha vida e, se possível, ajudar alguém. Por falar em ajudar, muitas vezes um bom esporro faz muito bem, hehe, mas pode respingar nos outros. Por isso considero que medir as palavras pode ser um bom modo de dizer a sua verdade sem machucar, apesar do risco.

Enfim, pra tudo há consequências, mas a pior coisa é não fazer nada. Sem ação você para e, se parar, morre! E viva a revolução!!! :D

ps. vou postar essa última frase no meu FB! hehe

tchedovollosky
Veterano
# mar/13
· votar


Enfim, pra tudo há consequências, mas a pior coisa é não fazer nada. Sem ação você para, e se parar, morre! E viva a revolução!!! :D


onde eu assino? =P

Lelo Mig
Membro
# mar/13
· votar


MauricioBahia

De qualquer forma esse tópico se mostrou muito interessante e revelou "maturidade inteligente" em usuários que eu não esperava.

Não, subestimando ninguém, mas pelo contrário, me surpreendendo com alguns que poderão, mesmo sem saber, serem fornecedores dos sucessos de amanhã.

Tópico maduro e de muito bom nível!

Megadave
Veterano
# mar/13
· votar


Aprendendo muito com o tópico. Apesar de tudo acredito que nosso papel é filtrar e ter bom senso em tudo que falamos, escrevemos e julgamos com base na mais sincera expressão individual independente da época, mercado, música ou pessoa. Claro que com RESPEITO, porque por mais que seja um babaca, é uma pessoa, pois existem n formas de dizer a mesma coisa, seja uma crítica ou um elogio. Tenho amigos que estão até hoje se enganando porque meia dúzia de babacas iflam o ego só para ganhar atenção do pseudo famoso... ou sei lá o que se ganha elogiando só por elogiar. Ótimo topico.

Marc Snow
Veterano
# mar/13 · Editado por: Marc Snow
· votar


O cara para fazer amizade com o outro elogia o trabalho (horrível por sinal) e quando vem um criticar vem uma horda de pessoas que não entendem e sabem de nada para defender e criticar quem falou que é ruim.

Isso é o que mais se ve. É o império da falsidade.

Outra coisa tambem são os "famosos" que são "endorsees" usando guitarras falsas (que nem afinam) e fazendo reviews sobre o instrumento querendo passar por legitmo. As famosas "CHIBSONS" ou Gibson Chinesas.

Por que uma empresa "contrata um musico como endorsee" e o mesmo, engana as pessoas com seu instrumento (de trabalho) falso?

A empresa não teria que perder a credibilidade por apostar em um cara desses? Tem muita gente boa, séria, decente, que realmente toca, que suou para comprar seus instrumentos legítmos e que a empresa num contato, fala para o musico:

"Voce não pertence ao nosso perfil". Acho que a base de tudo aí seria a INTEGRIDADE do músico.

Juh_Cruz
Veterano
# mar/13
· votar


Aprendendo muito com o tópico. Apesar de tudo acredito que nosso papel é filtrar e ter bom senso em tudo que falamos, escrevemos e julgamos com base na mais sincera expressão individual independente da época, mercado, música ou pessoa. Claro que com RESPEITO, porque por mais que seja um babaca, é uma pessoa, pois existem n formas de dizer a mesma coisa, seja uma crítica ou um elogio. [2]

MauricioBahia
Moderador
# mar/13
· votar


tchedovollosky

hehe. Fica uma semana deitado na cama, imóvel, que você literalmente morre!

Lelo Mig

O bom é poder discordar (ou não) sem ser agredido. Hummm... Será que isso é bom mesmo ou uma arma pros maldosos? Nunca se sabe.

Ces la vie!

Marc Snow
Veterano
# mar/13
· votar


Falando tambem da parte de Integridade e Seriedade, presenciei um caso recente de um "famosinho", endorsee, que se sujou vendendo instrumentos importados à preços de banana que deu o cano em muita gente, puxou o carro e ficou por isso mesmo.

E a empresa continua lá, apoiando o estelionatário e o povinho otário dando likes e joinhas no Youtube... Eta paisinho desgraçado esse braziu (eu escrevo dessa forma sempre)

Pepe Le P
Veterano
# mar/13 · Editado por: Pepe Le P
· votar


Desenvolvimento de senso crítico... esse aspecto educacional melhoria vertiginosamente nosso convívio em comunidade e as pessoas seriam mais "livres" pra escolher o que realmente gostam.

Qualquer um tem o direto de gostar do que bem entender... mas a sacanagem (na minha opinião) aparece quando esse gosto é moldado muito mais por influência "externa" do que interna... quando a pessoa passa de apreciador de música para consumidor de música (usei música como exemplo, mas vale pra qualquer coisa).

Gostar de alguém ou algo primordialmente porque "ta na moda/mídia" ou porque "todo mundo gosta" é uma coisa pobre pra mim (embora eu a compreenda como necessidade de inserção em um grupo social + falta de criticidade/personalidade própria)...

Agora, nada impede a pessoa vir de fato a apreciar heavy metal, jazz, baião, dodecafonismo ou o sertanejo.

Rednef2
Veterano
# mar/13 · Editado por: Rednef2
· votar


Creio que também a culpa é de nós musicos. Quantas vezes não aparece um carinha bom ai, fazendo um som legal, e ouvimos comentarios tipo : "Prefiro David Gilmour"?

Ou então alguma banda nova que faz um som legal, mas deixamos de apoia-los porque "não chega aos pés do Black Sabbath"?

Acho que devemos também pensar isso. Será que a culpa é só da midia?

Pepe Le P
Veterano
# mar/13
· votar


Rednef2
Eu por exemplo to cansado de ser crucificado por fãs por fazer comentários do tipo: "muito bom, achei melhor que o original"...

O cara que é muito fanático nem está aberto a possibilidade de um cara fazer um cover/releitura/etc. que fique melhor (seja gravado, executado, arranjado, etc.) que o original.

rcorts
Veterano
# mar/13
· votar


makumbator

Seu maestro deve ter dois posters no quarto: um do Adorno e outro do Horkheimer.

renatocaster

makumbator

E vai ficar te explicando porque está te metendo bala (e você vai até concordar com alguns argumentos...hsahsahas)

Esse coroa deve ser bastante persuasivo, auheuhauheuha.


Muito boa a piada.

makumbator
Veterano
# mar/13
· votar


rcorts

Seu maestro deve ter dois posters no quarto: um do Adorno e outro do Horkheimer.

Pior é que ele é alemão também...hehehe!

ALF is back
Veterano
# mar/13 · Editado por: ALF is back
· votar


é legal citar os exemplos de batidoes de funk, sertanejo universitario e etc pq nascem opinioes interessantes aqui

(pra quem leu até aqui...apertei algum butao q enviou a msg sem querer...kkkkk)

como eu ia dizendo...

mas acho q esse assunto vai fugindo um pouco do tema, até pq a discussão principal abrange os elogios e lambeções de saco de guitarristas hipoteticamente sem tanto contudo, enquanto outros que também mereciam não recebem reconhecimento.
concordo plenamente com o makumbador sobre "o que é bom pra mim pode nao ser bom pra vc"...
nao tem jeito, acho q a coisa vai mto além de tecnica e até de criatividade...a exemplo ainda do Torao, ele nao se enquadra no perfil de guitar hero, mas é extremamente popular na internet e tem seus meritos...ams claro q ser popular na internet nao quer dizer q é um grande e influente musico da historia...daqui 50 anos, claro q ele nao sera lembrado pela sua musica, mas talvez seja pela popularidade e pelo conteudo q continuara (quem sabe!) disponivel na internet, que é relevante sim...nao falo de conteudos só de reviews, mas sim de outros tantos q são mto legais, como utilização de equipamentos e softwares em home studio...se vc tiver paciencia e gostar da coisa, aprende a se virar com suas gravações tranquilamente vendo os videos dele...
esses exemplos são mto importantes pq conseguimos ver bem a diferença entre ser virtuoso e ser popular...as empresas gostam de popularidade, nao vejo problema nenhum com isso!
quanto a hipocrisia de elogios, tbm acho q temos q ter cuidado justamente pq isso é um forum aberto, e criticar demais as coisas faz da pessoa um troll...pois é, tem até nominho pejorativo pra quem critica demais...claro q isso nao é bem visto em meio publico...
o terreno é perigoso!
além do mais, sempre ha o q se elogiar em um conteudo, video ou som...se nao tiver, é pq é muito ruim mesmo, o cara é iniciante ou algo do tipo, ai merece umas palavras de incentivo...entao sempre vc pode colocar palavras gentis, conceitos positivos em seus comentarios...é só ter a diplomacia pra equilibrar as criticas com isso!

GuitarHouse
Veterano
# mar/13 · Editado por: GuitarHouse
· votar


Alan_Domingues
Caro,

também acho que o "mundo dos comentários da internet" é grotesco.

não sei se estou saindo fora do assunto do tópico, mas vejam esse vídeo apenas para reflexão. Acho que é no mesmo sentido, mas por outro ângulo (dos hatters):



ALF is back
Veterano
# mar/13
· votar


GuitarHouse
"não tem q ter raiva de quem tem raiva"
kkkkkkkkkkk
legal, ele cascou o bico! mas é bem isso mesmo...na internet vemos atitudes socialmente curiosas, talvez pelo fato do semi anonimato fazer as pessoas se sentirem imunes às punições, sei la!

MauricioBahia
Moderador
# mar/13 · Editado por: MauricioBahia
· votar


GuitarHouse: mas por outro ângulo (dos hatters):

Odeio haters! hehe

:/

O Chico sempre manda bem!

Valeu!

rcorts
Veterano
# mar/13
· votar


makumbator
rcorts

Seu maestro deve ter dois posters no quarto: um do Adorno e outro do Horkheimer.

Pior é que ele é alemão também...hehehe!


Huuuh! k k k k k k. Aí é tenso.

rcorts
Veterano
# mar/13
· votar


Tem um tema que vejo recorrente hoje em dia que é: bom quando tem técnica. Se for pra analisar apenas por este viés deixa de ser arte e vira treinamento atlético.

Não reduzo as canções do John Lee Hooker em nada perto da música de grandes fritadores de hoje em dia, ou de músicas eruditas. Apesar de também gostar de algumas coisas nessa linhas.

Música pode até ser construída tomando por base algumas fórmulas matemáticas, mas avaliá-la apenas por estes parâmetros é um equívoco tremendo e um infinito de insensibilidade.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Alan Domingues - Papo da semana