Idolatria da mediocridade

Autor Mensagem
Rebuke
Membro Novato
# 15/jan/21 11:45


Quantos baixistas medianos você vê por aí tocando tudo fora de tempo, cheio de ruído e sendo endeusado?

Tem coisa nesse mundo da música que é realmente fora da minha compreensão, essa é uma delas...





Buja
Veterano
# 15/jan/21 12:16
· votar


Da até dó do cara que ta batucando, coitado.

Tirando esses solos de baixo, que a maioria acho uma merda,
(alias acho merda em qualquer instrumento, aqueles solos sem melodia que parece uma cuspição de notas)
tem muito baixista que não aprendeu o basico, que é: ouvir a musica e saber se posicionar dentro dela.

Acontece, especialmente no rock, do baixista nao ter tido uma formação no instrumento.
O cara é atuoditada, pegou o baixo (por nao ter opcao) e saiu tocando como se fosse um quarto instrumento da banda.

O baixo tem uma finalidade muito diferente da guitarra, teclado e voz. A função dele é dar cama para a muscia deitar em cima.
Nao é como a voz que tem que estar na frente, ou a guitarra que tem que dar melodia, ou o synth que vai colorir a musica.
O baixista tem que nao ser notado mesmo (claro tem exceções ne). O mesmo vale pro baterista.

Quando voce começa a perceber demais o baixo na musica, ou a batera, de duas é uma:
Ou a banda teve maturidade e criou uma musica excepcional feita para o baixo/batera aparecer mesmo OU
A banda ta fazendo merda naquela musica.

A segunda opcao eu vejo frequentemente, em bandas grandes até.

ejames
Membro Novato
# 15/jan/21 14:55
· votar


Buja
Aí é que tá... Se o John Entwistle não fosse exatamente um cara que não teve uma formação no instrumento e não tivesse saído tocando como se fosse um quarto instrumento da banda, o The Who ainda seria o The Who?

BrotherCrow
Membro Novato
# 15/jan/21 16:07
· votar


Pra mim o defeito do Entwhistle era sair solando sendo que não fazia o feijão com arroz direito. Mas era o estilo da banda, então tá perdoado. Mas voce vê um cara tipo o Chris Squire (pra citar um contemporâneo dele), que sabia meter solo sem negligenciar o ritmo e ainda mandava um backing vocal responsa...

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# 15/jan/21 16:50
· votar


Rebuke
FCBR, né (revele-me sua identidade lá).
Kkkkkk
Abç

Rebuke
Membro Novato
# 15/jan/21 16:59
· votar


O meu ponto é que as pessoas não tem critério. Leiam alguns dos comentários:

Levels of difficulty for a Bass Player:
Beginner
Easy
Intermediate
Advanced
Master
Theoretically Impossible
John Entwistle


John Entwistle was the mozart of the bass guitar, his perfect mastery of this magnificent instrument still dazzles the listener as 'thunderfingers' astounds even after death. R.I.P. Sir John!

This is so fucking incredible. Words do not do justice.

This was his first time performing with an acoustic bass. I think it's safe to say he did pretty damn good for himself

Truely one of the best, I can't understand for the life of me how someone could dislike this video.

Aí, eu pergunto: fosse um "zé ninguém" tocando do mesmo jeito, seria considerado o melhor do mundo?

Rebuke
Membro Novato
# 15/jan/21 17:02
· votar


Buja
Acontece, especialmente no rock, do baixista nao ter tido uma formação no instrumento.

Não é por ser do rock. O problema é ele kkk

Lelo Mig
Membro
# 15/jan/21 17:09
· votar


Rebuke

Relaxa cara!

Entwhistle foi baixista do The Who, uma banda importante, onde nenhum músico era grande coisa mas fizeram coisas legais e a banda se tornou influência e referência para muitos músicos. Entwhistle fez coisas legais e muito baixista bom gosta dele, seja por conta do estilo, da criatividade, pegada, etc... não importa.

Essas opiniões que você colocou aí é coisa de fã, e fã só fala bosta. Seja fã do Rachmaninoff ou do Mc Merda.

entamoeba
Membro Novato
# 15/jan/21 17:56
· votar


Buja
O baixo tem uma finalidade muito diferente da guitarra, teclado e voz. A função dele é dar cama para a muscia deitar em cima.

Credo. Isso é uma humilhação para os baixistas.

entamoeba
Membro Novato
# 15/jan/21 18:00
· votar


Rebuke

Não sou fã de The Who, mas, na boa... medíocres somos nós! De que adianta ser aquele músico que tem o tempo perfeito, mas que ninguém dá a mínima. Só outros músicos têm essas frescuras, o público em geral acha que Entwistle tá no tempo e arregaçando!

Rebuke
Membro Novato
# 15/jan/21 21:00
· votar


entamoeba

O público não sabe porra nenhuma. Por isso aplaude esse tipo de coisa.

fernando tecladista
Veterano
# 15/jan/21 22:49
· votar


essa é uma delas...

o segundo vídeo tem um problema grande de mixagem, se queriam dar uma destacada no baixo, fizeram demais
ficou uma guitarra abelhuda em falante só e a bateria só escuto caixa e o bumbo parece uma caixa de papelão

baixo já tem o problema da região de frequência, não combina muita nota próxima e muita nota rápida,
o estilo da banda não é dream theater

o baixista que solar deixa ele lá fazendo mi mi mi mi mi e tá bom
================================================

Tem coisa nesse mundo da música que é realmente fora da minha compreensão
você tem uma compreensão, outros veem a música por outra perspectiva
você está analisando a técnica do músico, o sincronismo da música

outros associam momentos da vida dele pelo que viveram com aquela música
por exemplo:
digamos que a pessoa vai fazer aula de violão
em um mês ela aprende tocar
"Have You Ever Seen The Rain"
3 acordes (aquele com C7 não existe) um batidão no violão (estilo fogo e paixão do wando)
a pessoa chega no churras toca essa música, abafa na rodinha, pedem pra ele tocar de novo ele toca todo mundo bajula, uma mpça ali no canto vem conversar com ele sobre o violão, rola um namoro e se casam....

meu... creedence é a banda mais importante da vida dele
ele passa a ter todos os discos do creedence, tocar todas as músicas, idolatra , venera...
ele não se importa se a música pede um C7 e no original não tem
não se importa que consegue tocar 70% das músicas sem precisar fazer pestana
um dia aparece um "metaleiro' e fala pra ele
puta bandinha de merd4, som fraco, mesma batida em toda música, esse dueto parece coisa de sertanejo...

o cara do começo da história voa no pescoço do metaleiro com unhas e dentes de ódio por isso

Rebuke
Membro Novato
# 16/jan/21 10:05
· votar


fernando tecladista

Pode ser a banda da vida do sujeito. Isso não muda o fato que nos vídeos que eu postei, o cara não está tocando bem. De qualquer forma, eu nem entrei nessas subjetividades. O ponto é o endeusamento.

Ningen
Veterano
# 16/jan/21 10:25 · Editado por: Ningen
· votar


Ninguém idolatra a mediocridade. Se a pessoa idolatra, é porque aquilo lhe é bom. Não tem nada a ver com você, isso.

Afinal, quanto maior o saber, maior o sofrimento; e quanto maior o entendimento maior o desgosto. Eclesiastes 1:18

Se ferrou, coleguinha kkkkkk. Até a Bíblia tá ligada no seu rolê.

A mudança no gosto das pessoas, a necessidade de estudo, técnicas, para que o gosto delas se encaixe ao seu, é muito mais absurdo que a ideia de idolatrar o baixista aí.

Se você achou que estudar técnica resultaria em idolatria, "achou errado, otário" -Choque de Cultura.

entamoeba
Membro Novato
# 16/jan/21 16:24
· votar


Rebuke
O público não sabe porra nenhuma.

Não sabe porra nenhuma do quê?

Para mim, quem não sabe porra nenhuma são músicos que se preocupam demais com minúcias técnicas e não com a experiência estética. Para fazer música boa, o sujeito tem que balancear treino e vida! Quem só toca, mas não vive, não tem nada a dizer.

Músicos assim são iguais aqueles retardados do fisiculturismo, que se acham melhores porque são mais definidos. "Faço não sei quantas semínimas por segundo" = "meu percentual de gordura é menor do que x". Ninguém liga!

Mesmo sem gostar de The Who, prefiro um John Entwhistle atropelando notas do que umas bandas chatas pra caralho compostas por sujeitos obtusos super técnicos.

makumbator
Veterano
# 16/jan/21 21:39
· votar


entamoeba
"Faço não sei quantas semínimas por segundo"

Faz a analogia direito. Ninguém se gaba de semínimas. Hahah! Para se gabar tem que usar de semicolcheias em diante. Tipo: faço semicolcheias em 145 bpm, ou faço sextinas de semicolcheia em 130, fusas a tanto, etc...

Rebuke
Membro Novato
# 17/jan/21 07:17 · Editado por: Rebuke
· votar


Ninguén

A mudança no gosto das pessoas, a necessidade de estudo, técnicas, para que o gosto delas se encaixe ao seu, é muito mais absurdo que a ideia de idolatrar o baixista aí.

O gosto pessoal não muda o fato de que ele está tocando mal nesses vídeos postados.

Se você achou que estudar técnica resultaria em idolatria, "achou errado, otário" -Choque de Cultura.


Nunca achei isso. Basta assistir esse senhor tocando baixo pra perceber isso, FDP.

Rebuke
Membro Novato
# 17/jan/21 07:26 · Editado por: Rebuke
· votar


Não sabe porra nenhuma do quê?

Para mim, quem não sabe porra nenhuma são músicos que se preocupam demais com minúcias técnicas e não com a experiência estética. Para fazer música boa, o sujeito tem que balancear treino e vida! Quem só toca, mas não vive, não tem nada a dizer.


Minúcias técnicas? Tocar no tempo e no tom é minúcia técnica?
Enfim, a sua preferência não muda o fato que o João está tocando mal naqueles vídeos.

Rebuke
Membro Novato
# 17/jan/21 07:48
· votar


As pessoas levam as coisas para o lado pessoal com uma facilidade. Eu trouxe à tona um sr que sequer consegue tocar no beat ou tirar uma nota limpa e recebi ofensas pessoais por isso. Deve ser os hormônios adolescentes.

De maneira nenhuma demonizo o fato de alguém gostar do Who. Mas nenhum argumento anula o fato de que nos vídeos citados, há um cara tocando mal. Vocês podem chamar isso de inovador, progressivo e essas coisas todas, mas, para mim, é simplesmente sujo e fora do tempo.

Vou ilustrar para vocês como eu enxergo esse tipo de situação em relação aos músicos que gosto...

Pra mim Milton Nascimento deveria ser tombado pelo IPHAN, pois considero sua obra patrimônio histórico brasileiro. Mas no vídeo abaixo (2:44 em diante) ele está viajando na maionese. Simples assim. É preciso saber dividir as coisas.



Ningen
Veterano
# 17/jan/21 12:35 · Editado por: Ningen
· votar


Rebuke

O gosto pessoal não muda o fato de que ele está tocando mal nesses vídeos postados.

Mas ele não está tocando mal... 1.508 likes para 18 dislikes. A maioria esmagadora do público dele não liga para o que você está falando. Ele só não toca bem pro seu gosto. Nobody yes door. Quem está levando para o lado pessoal, desde o início, é você... rsrs.. Você está fazendo um julgamento, baseando-se nos seus critérios do que é bom ou ruim.

fora da minha compreensão

Compreenda, música, no geral, nunca foi e provavelmente nunca vai ser, essencialmente, acadêmica. Você só acha que ele toca mal, porque estudou, e hoje, enxerga coisas que são obviamente, para o público em geral, irrelevantes, invisíveis. Acho, com todo o respeito, bem simples de compreender.

Uma vez eu ouvi: "Fulano se contenta com pouco".. Eu disse: "Ninguém se contenta com pouco, se ele se contenta, é porque lhe é suficiente. Se contentar com pouco seria como subir para baixo. Você pode dizer que ele se contenta com menos. Nunca com pouco." Da mesma forma, não idolatram a mediocridade. Não lhe são medíocres. Talvez por isso não compreenda, você está dando um nó na lógica.

Rebuke
Membro Novato
# 17/jan/21 13:01 · Editado por: Rebuke
· votar


Mas ele não está tocando mal... 1.508 likes para 18 dislikes.

Isso não muda o fato que, nos vídeos em questão, ele está tocando mal. Só reforça o meu ponto. Vou dar um quote em mim mesmo:

De maneira nenhuma demonizo o fato de alguém gostar do Who. Mas nenhum argumento anula o fato de que nos vídeos citados, há um cara tocando mal.


fernando tecladista
Veterano
# 17/jan/21 15:11
· votar


Rebuke
Pode ser a banda da vida do sujeito. Isso não muda o fato que nos vídeos que eu postei, o cara não está tocando bem. De qualquer forma, eu nem entrei nessas subjetividades. O ponto é o endeusamento

sim eu entendi isso, que o cara não está tocando bem
acontece que as vezes o endeusamento não é só pela técnica apurada atual
um endeusamento de uma banda como Dream Theater , de um Jordan Rudess ...é pela técnica apurada


por exemplo eu escuto muito o Emerson, Lake & Palmer (ELP)
gostei mais de ouvir o Greg Lake com a voz caidaça, rouca de velhice do que ouvir as primeiras gravações da banda

um dia ouvi o Robert Plant com o Jimmy Page, deram uma canja, mudaram o tom da stairway to heaven desceram uns dois tons, o Page nesse dia senti que não era a mesma mão das gravações que sempre ouvi, o Plant mesmo dois tons abaixo não cantou como o Plant de antes, sem a mesma emoção, sem a mesma disposição....
mas são os caras, ficou o legado, hoje considerando essa apresentação que vi eles não passariam em um teste cego de um cover de led

Ringo Starr, todos que conheço falam mal dele, que não era um bom baterista, que qualquer aluno de bateria toca melhor que ele toca...
mas o cara conseguiu ficar em uma banda com a projeção que tomou
é endeusado até hoje, não pela técnica dele, pelo legado que deixou

música sempre foi subjetiva e não dá pra colocar critérios matemáticos exatos no que acontece

entamoeba
Membro Novato
# 17/jan/21 15:22
· votar


makumbator
Faz a analogia direito. Ninguém se gaba de semínimas. Hahah! Para se gabar tem que usar de semicolcheias em diante.

Pra você ver como me ligo nessas coisas. "Aprendi" esses nomes em 1995 e até hoje confundo. Mas é isso: "faço sextinas de semicolcheia em 130" bpm.


Rebuke

Ninguém tem o tempo perfeito. Nesse caso, o "tocar mal" vai depender da sua margem de tolerância. O público em geral tem uma percepção do tempo bem menos acurada do que a de músicos treinados.

Rebuke
Membro Novato
# 17/jan/21 15:40
· votar


fernando tecladista

Isso só reforça o meu ponto.

entamoeba

Tocar fora do beat e sem mandar uma nota limpa é tocar mal, pra mim. Enfim, cada um ouve o que quer.

Lelo Mig
Membro
# 17/jan/21 16:59 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Rebuke

Eu entendo o que você colocou e seu ponto de vista.

Apenas (e isso é pessoal), durante muito tempo "briguei" pela limitação das discussões baseadas em "gosto não gosto" porque acreditava que a música (e arte em geral) deveriam ser balizadas por um maior conhecimento. Mas hoje não penso mais assim.

Quando eu assumi prá mim mesmo que 75% das bandas de rock que eu gosto são caras ruins e limitados (que se acham bons) fazendo uma música pobre prácaraio, principalmente harmônica e ritmicamente, e nem por isso eu deveria deixar de gostar delas, as coisas ficaram mais leves prá mim.

Quando eu cansei de ouvir música em língua inglesa (já contei esta história aqui) e abri minha cabeça para ouvir línguas exóticas e fugir do padrão inglês/ocidente que fui submetido desde que era um feto, muita coisa mudou também.

Vou dar um exemplo. Para um ocidental limitado como nós, as japonesas cantam "desafinadas" e a harmonia e ritmo "não conversam" mas para eles é natural.

Hoje acostumei ouço e gosto prácaraio (no começo foi duro).

Hoje, ouço tudo, do mundo todo, em todas as línguas e aprendi que sim, "música se resume apenas a gosto x não gosto".

Repito, isso é apenas minha posição pessoal, de forma alguma é uma cagação de regra de como alguém deva pensar.

Outra coisa; o tempo me fez refletir: Que diabos importa o que um fã pensa sobre seu ídolo ou seu ídolo pensa sobre outro músico?

Imagine um fã de Keith Richards, por exemplo ao ouvir Paco De Lucia? Se não houver conhecimento profundo, qualquer análise teria valor anedótico. Não só pela distância sideral entre os gêneros; Keith e Paco pertencem a diferentes modelos de músicos. Keith é um cara intuitivo, que se ajusta maravilhosamente às suas limitações. Paco era um perfeccionista virtuoso que sofreu diante de seu instrumento.
Você pode imaginar Keith Richards sofrendo para conseguir tocar o que ninguém mais seria capaz de executar?

Prá finalizar, agora já na mentalidade anos 90 prá frente, onde essa merda de coach e positivismo idiota prega que QUALQUER um pode tocar como Paco De Lucia, por exemplo, basta querer e estudar prá caralho.

Mentira! não só a maioria não consegue e não vai conseguir como nenhum chegou nesse nível. A maioria é medíocre e vai morrer medíocre. Se não for medíocre tecnicamente é medíocre como compositor.

E, ainda assim, há quem prefira Keith Richards, com todas suas limitações e quem vai defende-lo com unhas e dentes que é "um puta guitarrista".

Eu entendo quando você fica puto ao notar um endeusamento de alguém que não possui a técnica impecável que justificaria ser idolatrado.

Mas, é batalha perdida e desnecessária meu amigo. Não têm importância.

Buja
Veterano
# 18/jan/21 10:54
· votar


Prá finalizar, agora já na mentalidade anos 90 prá frente, onde essa merda de coach e positivismo idiota prega que QUALQUER um pode tocar como Paco De Lucia, por exemplo, basta querer e estudar prá caralho.

Mentira! não só a maioria não consegue e não vai conseguir como nenhum chegou nesse nível. A maioria é medíocre e vai morrer medíocre. Se não for medíocre tecnicamente é medíocre como compositor.



Tem alguns caras tipo o Paco de Lucia, que eu sei que é 90% esforço, mais uns 5% de tempo, incentivo, oportunidade, sim, mais tem uns 2% ali de genetica pra isso, tem. Tem gente que treina e toca a vida todinha e nao chega ao nivel dum cara desses.

To esses dias ouvindo o Ewan Dobson, e tirando a musica famosinha dele (do chapeu de raiden do mortal kombat), ele tem uma discografia invejavel.
A tecnica da mao direita dele é um absurdo! Cada dedo trabalha independentemente. Ouvindo, é belo, e nao parece nem tao dificil de tocar assim.
Mas quando vai tocar, voce ve a embolação mental que é, e percebe que com muito treino (anos de treino) da pra chegar proximo.
Mas igual, nao chega. Nao chega e nao chega mermo.

Vejo uns videos de workshop dele explicando a tecnica detalhadamente, com pausa, zoom e tudo mais.
Vai tentar fazer, beira o impossivel, se é que não é impossivel mesmo.

Mas esses são a exceção da exceção. Estando falando de genios, prodígios. Um a cada milhares de pessoas.

Mas quando vejo um cara que tem uns 70 anos, 50 de carreira musical, pegando um instrumento e debulhando pentatonicas fora do tempo
me da até da coceira.

Que dizer que o cara é ruim, que nao mecere o sucesso que fez, que nao teve momento de brilhantismo na carreira?
É um jegue mental burro sem estudo que ficou famoso por pura sorte?
Claro que nao. Obviamente que teve momentos de se admirar.

Mas é o mesmo que botar o pelé hoje dentro da arena maracanã e mandar ele jogar bola e admirar.
Admirar o que? O cara tem 80 anos. Mal mal sabe colocar o pé em cima da bola.
Ver ele tentando jogar bola vai me dar coceira.

Rebuke
Membro Novato
# 18/jan/21 12:56
· votar


Lelo Mig

Nem entrarei nessas subjetividades. Entendo que a virtude do John Entwistle está em outras coisas. Isso não muda o fato de que é um senhor tocando fora do beat e mandando um monte de nota suja nos vídeos.

entamoeba
Membro Novato
# 18/jan/21 13:21
· votar


Eu não gosto de gente que treina! Tem música que soa a treino. Quando você supera a fase de babar mitos super habilidosos, começa a perceber o significado por trás de toda ************ em busca do excesso de precisão.

Nada contra quem toca todo dia! O problema é a primazia do treino sobre a expressão. Se eu quiser ouvir música 100% precisa, faço um MIDI no computador que nenhum ser humano será capaz de superar.

Mas as pessoas não querem ouvir computadores tocando, querem ouvir outras pessoas. Se só a execução precisa fosse importante, o instrumentista já teria saído de cena faz tempo!

O que eu acho uma bosta é venerar a acrobacia! É achar que a música é boa porque tem muita habilidade motora envolvida.Talvez seja fascinante para fisiologistas ou neurocientistas, mas como arte? Qual é o espírito de promover a herói alguém que mexe os dedos com destreza? (Macumba, deixei quicando).

Schelb
Veterano
# 18/jan/21 14:26
· votar


Queria agradecer aí ao Rebuke, que acabou me fazendo conhecer um pouco mais de The Who aqui pra sacar qual era a do baixista .. acho que preciso escutar mais ainda, porque gosto de prog e essa é uma banda que nunca ouvi muito.
Mas enfim, quis escutar porque sempre me chama atenção quando um músico de sucesso é criticado pela sua forma de tocar, até porque tem uma incoerência óbvia nisso né? E porque também, acho bastante injusto pegar dois recortes na vida de um músico pra julgar a técnica dele. Nesses vídeos aí ele não acertou muito, mas não sei se esse era o normal dele, tenho impressão que não deva ser. Ele podia estar num dia ruim, o retorno as vezes num ajudou, as vezes estava cansado num fim de show sendo ele já de mais idade, sei lá.
Num conheço o bastante do cara pra opinar aqui se o cara é tudo isso que dizem ou não, mas com certeza dentro do que eu conheço ele fez um trabalho muito massa no The Who. Com certeza o baixo dele chama muito atenção porque tem bastante protagonismo na música, o que não é muito comum e obviamente ele soube fazer isso muito bem dado o sucesso dele e da banda. O cara parece muito criativo, bastante melódico, improvisa bastante, toca com muita energia .. enfim, acho que vale a pena conhecer o trabalho do cara melhor antes de criticar.

Lelo Mig
Membro
# 18/jan/21 14:58
· votar


Schelb

"gosto de prog e essa é uma banda que nunca ouvi muito."

Só um adendo: The Who não é uma banda prog.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original