Quando aumentamos muito o volume de um som, ele perde qualidade?

    Autor Mensagem
    PedroMMI
    Membro Novato
    # 21/set/19 00:55


    Da mesma forma que quando aumentamos uma imagem para além do seu tamanho original?

    Del-Rei
    Veterano
    # 21/set/19 01:07
    · votar


    Depende.
    Se as ondas começarem a estourar, perde sim.

    A melhor forma de visualizar isso é através de algum programa tipo DAW onde você pode abrir o áudio em pista e ver o gráfico das ondas.

    Um aceno de longe!!!

    PedroMMI
    Membro Novato
    # 21/set/19 01:27 · Editado por: PedroMMI
    · votar


    Depende.
    Se as ondas começarem a estourar, perde sim.

    A melhor forma de visualizar isso é através de algum programa tipo DAW onde você pode abrir o áudio em pista e ver o gráfico das ondas.

    Um aceno de longe!!!


    Mas o som tem um volume original né? quando tiramos esse som do volume original dele, a qualidade não é afetada?

    Ramsay
    Veterano
    # 21/set/19 01:36
    · votar


    PedroMMI
    Vc não está sendo claro na sua dúvida, explique melhor.
    Ao meu ver, a altura do som só perde qualidade quando o amplificador que está produzindo o som não tem potência suficiente para reproduzir esse som.

    makumbator
    Veterano
    # 21/set/19 01:58
    · votar


    Ramsay

    Não sei se ele está se referindo a amplificadores, imagino que seja uma dúvida mais no âmbito de edição de áudio.

    PedroMMI

    Você se refere a que exatamente? manipulação (aumentando o ganho) de áudio já gravado? Apenas aumentar o volume de reprodução de um som já gravado?entrada de sinal em amplificadores? esclareça melhor.

    Del-Rei
    Veterano
    # 21/set/19 02:12
    · votar


    PedroMMI
    Mas o som tem um volume original né? quando tiramos esse som do volume original dele, a qualidade não é afetada?

    Cara. De fato você não está sendo muito claro na sua dúvida.

    Quando gravam uma música (não sei se é de música que você está falando), em regra, ela é finalizada de forma que fique o mais alto possível, sem que perca a qualidade (estoure os picos das ondas). Se você tentar aumentar mais, possivelmente haverá picos de distorção (independente do volume na sua caixa de som) e perda de qualidade.

    Um aceno de longe!!!

    PedroMMI
    Membro Novato
    # 21/set/19 03:13 · Editado por: PedroMMI
    · votar


    Minha dúvida é saber se a lógica da perda de qualidade de uma imagem quando redimensionada "para cima" e pra fora de sua resolução original, também vale para um áudio já gravado.

    Quando aumentamos a intensidade de um áudio (supondo que essa intensidade seja superior a intensidade na qual ele foi gravado), a qualidade desse áudio não é afetada?, já que a intensidade dele está acima da original na qual ele foi gravado?

    Desculpem se minha dúvida ainda não estiver muito clara, mas não sei explicá-la melhor...

    Lelo Mig
    Membro
    # 21/set/19 09:23 · Editado por: Lelo Mig
    · votar


    PedroMMI

    Não!

    Você esta imaginando uma onda sonora como uma imagem, no sentido de resolução, como se fosse pontos gráficos (retícula) numa impressão ou pixels numa imagem digital. O som não é assim. Lembre-se que no caso de imagens a pixelização, retículagem e etc são um "falseamento" uma "simulação" de uma imagem real. Quando você vê uma árvore na tela da TV não é como ver uma árvore real num parque.

    Em som é um pouco diferente. Se você tiver um som gravado, teoricamente, poderá amplia-lo (aumentar o volume) ao infinito, a "onda não perde qualidade" ao ser ampliada porque ela não é algo "palpável" que se dilui ou se compacta. Em verdade uma onda não têm "tamanho". Volume de som é potência energética não volume físico.

    Mas, disse que é em teoria, porque na prática existem limites físicos, muitas probabilidades e obstáculos para limitar. Ex: seu equipo não processa com tanta eficácia uma onda tão amplificada, o ampli à partir de certa potência distorce, os falantes não vibram perfeitamente com tanta potência e distorcem... amplificação e reprodução altíssimos e perfeitos e seu tímpano estoura.

    E mais uma centena de variáveis, do áudio gravado ao ambiente onde você esta, para influir.

    Essa onda que você "vê" é uma representação gráfica de algo invisível.

    A melhor maneira de você "visualizar" essa energia invisível que se propaga no ar é imaginar jogando um pedra num lago:

    Se vc jogar uma pedra do tamanho de um limão ao cair formará ondas se propagando do ponto central. Se jogar uma melancia estas ondas serão maiores e mais fortes (amplificadas mas iguais em essência).

    Se você jogar um asteróide, o lago não terá volume de água suficiente, não formará as ondas em anéis perfeitos, é potência demais, haverá distorção.

    Entendeu?

    T-Rodman
    Veterano
    # 21/set/19 11:49
    · votar



    Esse vídeo em inglês fala sobre compressores de guitarra em geral, mas logo no começo ele mostra sobre compressão em gravação, clipagem e limiters.
    Basicamente é isso que tenta não zoar o som.

    fernando tecladista
    Veterano
    # 21/set/19 12:21
    · votar


    dentro da tua ideia da imagem que perde definição quando é aumentada

    não acorre no aumento do volume já tá bem explicado acima


    mas não lógica que você pensou, perde qualidade quando você decide esticar o áudio
    por exemplo digamos que sou um DJ produtor sei lá o que, resolvo fazer um remix, pego uma música com BPM em 132 e resolvo deixar em BPM de 100

    ou o inverso minha música tem lá 100 e tem um ataque de prato que dura 10 segundos, se eu encolho ela pra soar em em 140, esse mesmo prato vai diminuir também , isso fica artificial, já que a duração de um prato independe da velocidade da múusica

    The Man Who Sold The World
    Veterano
    # 21/set/19 15:23
    · votar


    PedroMMI
    Tem muita resposta boa e tem muita resposta mais ou menos
    E discordando da maioria, SIM, o áudio digital muito se assemelha à captura de uma imagem, o bitrate da gravação nada mais é da quantidade de "fotos" que serão tiradas da onda de audio, lembram da "definição" dos sons em 8bits?
    A diferença é que uma imagem vai "distorcer" se aumentamos ela ou se acharmos, o áudio conta com algumas variáveis um pouco diferentes
    Basicamente o que vai contar mais é a qualidade da gravação, se foi gravado a um SPL com uma margem razoável (uma média de -10db) teremos uma margem tranquila de ser trabalhar, chegando a 0db sem maiores dores de cabeça, agora se uma fonte sonora é captada com um volume muito baixo, ao tentarmos trazer isso pra cima, vamos acabar trazendo ruídos junto, seja do pré, seja dos conversores, seja do microfone ou seja do ambiente
    Na teoria o áudio não sofre tanto com esse "estica e puxa", na prática sim, pq é impossível obter uma gravação sem nenhuma interferência, por menor que seja

    Lelo Mig
    Membro
    # 21/set/19 16:01 · Editado por: Lelo Mig
    · votar


    Acho que alguns aqui estão confundindo gravação seja física (fita magnética, trilha física, etc) ou digital, com som (vibração que se propaga num meio elástico).

    São coisas absolutamente diferentes. Acho que ele se refere ao som produto final e não no processo.

    Se um som é mal gravado, tem ruído, compressor e etc, não importa, sujo ou limpo ele é som e tudo nele será amplificado com aumento de potência.

    Em tese, posso amplificar até o infinito.

    Não existe "som" digital. Existe informações que convertidas irão excitar objetos que produzirão ondas sonoras.

    Enfim...

    Del-Rei
    Veterano
    # 21/set/19 17:04
    · votar


    Lelo Mig
    Ele não explicou direito a dúvida dele.
    Acho simplesmente que ele tem uma música (ou um áudio qualquer) e quer aumentar o volume porque acha que está baixo. E quer saber se isso deteriora a qualidade do som.

    Um aceno de longe!!!

    entamoeba
    Membro Novato
    # 21/set/19 17:20
    · votar


    PedroMMI
    Quando aumentamos muito o volume de um som, ele perde qualidade?
    Da mesma forma que quando aumentamos uma imagem para além do seu tamanho original?


    A imagem não perde qualidade quando é ampliada, a qualidade continua a mesma. Um pedaço de uma imagem ampliada é tão ruim quanto um zoom dado sobre o mesmo trecho da imagem no tamanho original. A quantidade de informação é a mesma. A diferença é que as imperfeições ficam mais visíveis.

    A analogia que você faz está errada porque a amostragem das imagens é informação x espaço (pixels / área). No som, a amostragem é informação x tempo (bits / segundo).

    Assim, uma música desacelerada perde qualidade sonora de maneira análoga a uma imagem ampliada.


    A reflexão acima tem o selo de qualidade entamoeba™️

    entamoeba
    Membro Novato
    # 21/set/19 17:21
    · votar


    Del-Rei
    Ele não explicou direito a dúvida dele.

    Discordo.

    JJJ
    Veterano
    # 21/set/19 17:40
    · votar


    Se estivermos estritamente falando do reino digital, sim. Amplificando muito (aumentando), perde-se definição em vídeo, foto ou áudio. Exceção (que confirma a regra...) para algumas poucas coisas como imagens vetoriais, por exemplo.

    Lelo Mig
    Membro
    # 21/set/19 17:55 · Editado por: Lelo Mig
    · votar


    Resumão:

    Se aumentar girando o pot de volume num ampli infinito com caixas para potência infinita NÃO perde qualidade.

    As distorções ocorrem pela incapacidade dos equipamentos alcançarem determinadas potências ou o ouvido "distorcer" pelo excesso, (acima de 130 de Db vai começar foder).

    Qualquer aumento que não seja desta forma (abrindo potência) não é aumento real. É simulação virtual.

    Porquê "clipa" quando gravamos? Porquê os V.Us indicam que esta saturado?... porquê o equipo "sabe" o limite, há parâmetros usuais, uma média de audição HiFi. Se esta gravação/equalização não clipou, depois, na potência e alto falantes pode socar a bota que não vai "clipar" mais. Vai distorcer se ultrapassar os limites do equipo.

    Del-Rei
    Veterano
    # 21/set/19 21:33
    · votar


    entamoeba
    Discordo

    Tá discordado então! :)

    Um aceno de longe!!!

    Edson_Silva_01
    Membro Novato
    # 22/set/19 08:51
    · votar


    PedroMMI
    Sim
    Se for um amplificador transistorizado. O transistor para audio, quando aumentamos o volume, não tem um comportamento linear. Tem um fenômeno denominado curva de potência. Quando o transistor satura, ao invés de um aumento linear (crescimento contínuo) o aumento passa a ser logarítimico, a corrente que entra na base aumenta mas o ganho vira um log, O transistor esquenta.
    Eu não entendo muito de válvulas (conheço só a teoria) porém eu creio que isso não acontece .Em uma válvula, o cátodo, a grade e a placa correspondem muito próximo ao emissor, base e coletor de um transistor. O fluxo de elétrons é especialmente fácil nesse caso, porque eles estão viajando no vácuo; portanto, não há literalmente nada para atrapalhar.
    Eu estudei o assunto no final dos anos 70 e infelizmente para mim naquela época tinham acabado de abolir o estudo de válvulas nos cursos de eletrônica, para poder incluir o estudo de circuitos integrados (processadores). foi bom por um lado porque eu aprendi a programar microprocessadores (conhecimento que atualmente nao uso para nada...) mas não aprendi nada sobre válvulas (que até hoje é o supra sumo para audio)

    Ismah
    Veterano
    # 22/set/19 16:00
    · votar


    Lelo Mig
    Em verdade uma onda não têm "tamanho". Volume de som é potência energética não volume físico.

    Eu sei que sempre sou o chato, indo pro lado extremamente técnico, mas cuidado... Uma informação errada, ou incompleta, já levou a todos nós a andar em círculos de forma contínua.

    Energia (em J) é a capacidade de realizar trabalho, por definição 1J é a energia para acelerar uma massa de 1kg, a 1 m/s², no espaço de 1m. Potência é a energia em função do tempo (J/s - Joules/segundo).

    No cotidiano pouco importa, mas são conceitos bem fáceis de confundir, e aqui eles importam...

    fernando tecladista
    digamos que sou um DJ produtor sei lá o que, resolvo fazer um remix, pego uma música com BPM em 132 e resolvo deixar em BPM de 100

    Cara, tu ainda está nos anos 80... Uma CDJ é um hardware dedicado, e o Virtual DJ a versão em software. Pelo menos a 10 anos, ambos conseguiriam resultados satisfatórios nesse exemplo. Não sei te responder como, mas a coisa funciona de um jeito incrível.

    Lelo Mig
    acima de 130 de Db vai começar foder

    Mais ou menos... Baiano tem fama de gostar de "som que coça a orelha", que significa pelo menos 10 dB acima disso... E hoje, já se considera criminalizar esse tipo de coisa, como se faz com tabagismo...

    Lancei uma discussão num grupo de áudio que foi interessante. Até onde se sabe, o som mais alto que temos notícia, foi a erupção do Krakatoa em 1800 e bolinha... Algo estimado em 300 dB, que deu algumas voltas no planeta, interferiu em clima ao redor do mundo e pode ter inpirado o céu na pintura "O grito", do Munch... Mas e a forma de onda?

    Em tese, o vácuo total é o mínimo atingível, mas não há limite conhecido para a compressão atmosférica. Acreditamos que se comporta como um amplificador classe A, e concluímos tender a uma capacidade infinita, pelo menos no que tange compressão.
    Porém, a pressão atmosférica é o que garante um equilíbrio com a pressão interna. Logo, num momento de compressão, seguido de rarefação tão grande, a gente poderia literalmente explodir.

    Edson_Silva_01

    Caramba... Que sopa...

    O transistor para audio, quando aumentamos o volume, não tem um comportamento linear. Tem um fenômeno denominado curva de potência.

    Não sei se é correto afirmar que a curva de potência é um fenômeno, encaro mais como uma propriedade dos semicondutores.
    O ponto é que uma válvula também é assim, e a curva é mais pronunciada que no transistor - mesmo num antigo.

    Quando o transistor satura, ao invés de um aumento linear (crescimento contínuo) o aumento passa a ser logarítimico, a corrente que entra na base aumenta mas o ganho vira um log, O transistor esquenta.

    Correto, é em função das harmônicas geradas. O cálculo é complexo, mas harmônicos ímpares, basicamente cria cancelamentos nos picos das ondas... Enquanto válvulas geram harmônicas pares

    Edson_Silva_01
    Membro Novato
    # 22/set/19 23:16
    · votar


    Ismah
    Fenömeno é todo fato ou evento que pode ser descrito e explicado cientificamente.

    Palavra básica e "coringa' no Lattes .

    entamoeba
    Membro Novato
    # 23/set/19 00:10
    · votar


    Edson_Silva_01
    Fenömeno é todo fato ou evento que pode ser descrito e explicado cientificamente.

    De onde saiu essa definição?

    Edson_Silva_01
    Membro Novato
    # 23/set/19 00:50
    · votar


    entamoeba
    Consta nos dicionários:
    fenômeno
    substantivo masculino
    1.
    tudo o que se observa na natureza.
    2.
    POR EXTENSÃO
    fato ou evento que pode ser descrito e explicado cientificamente.
    3.
    FILOSOFIA
    apreensão ilusória de um objeto, captado pela sensibilidade ou reconhecido de maneira irrefletida pela consciência imediata.
    4.
    POR EXTENSÃO•FILOSOFIA
    no kantismo, o objeto do conhecimento na relação que estabelece com o sujeito humano que o conhece, e captado segundo a perspectiva da intuição (espaço e tempo) e das categorias inatas do intelecto.
    5.
    fato ou acontecimento raro e surpreendente; prodígio, maravilha.
    6.
    POR METONÍMIA
    ser ou objeto com algo de anormal ou extraordinário.
    "ele é um f. em matemática"
    Origem
    ⊙ ETIM lat. phaenomĕnon,i 'fenômeno, aparição', do gr. phainómenon,ou 'coisa que aparece'
    Semelhantes
    efeito

    Ismah
    Veterano
    # 25/set/19 22:01
    · votar


    Ok, como disse, não sei... O que não invalida o restante em nenhum dos casos...

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Quando aumentamos muito o volume de um som, ele perde qualidade?