Sobre o jogador de vôlei, homofobia e direitos do trabalhador

Autor Mensagem
Wild Bill Hickok
Membro Novato
# 02/nov/21 19:19


Jogador de vôlei falou bobagem ao estilo tiozão boomer e perdeu o emprego e patrocínios, nada de novo por aqui.

Convenhamos que a motivação do desligamento do clube e perda de patrocínio foi puramente financeira e não ideológica. O sujeito do processo é sempre o capital, não os "canceladores".

O certo e a lei são coisas distintas. A mercantilização do identitarismo empoderou uma máquina que é cega e amoral. No final das contas é tudo arbitrário, conforme a visão de quem senta na cadeira de comando da máquina. Mas e quando mudar o "metagame"? E quando o lado B estiver dando as cartas do jogo?.

Dissertem sobre pessoas serem demitidas por conta de publicações na internet. Abaixo a desvalorização da mão de obra do trabalhador, e viva o PCO!

Drinho
Veterano
# 02/nov/21 20:00 · Editado por: Drinho
· votar


Dissertem sobre pessoas serem demitidas por conta de publicações na internet.

Se a publicação colocar minhas vendas em risco, eu demito sem dó e ainda faço uma selfie demitindo para mostrar que minha empresa não compactua com o posicionamento do cara.

Viciado em Guarana
Veterano
# 02/nov/21 20:00
· votar


PCO

O último bastião da direita brasileira.

renatocaster
Moderador
# 02/nov/21 20:17
· votar


Pior que agora o cara vai atrapalhar mais a vida dos outros sendo eleito para algum cargo político em 2022 do que como um mero jogador de vôlei falando merda.

Precisa cobrar postura contra homofobia, mas a galera tá fazendo as coisas sem pensar nas consequências. Aparentemente o exemplo do Bozo sendo eleito presidente não adiantou porra nenhuma pra eles.

Lelo Mig
Membro
# 02/nov/21 22:39
· votar


Acho que tem que matar todo mundo. Ser humano já deu o que tinha que dar... infestou mais que baratas.

ProgVacas
Membro Novato
# 03/nov/21 04:47
· votar


Wild Bill Hickok
Mas e quando mudar o "metagame"? E quando o lado B estiver dando as cartas do jogo?

Ditadura gay, né? Ah, quando chegar essa hora já era.

ProgVacas
Membro Novato
# 03/nov/21 05:03 · Editado por: ProgVacas
· votar


Quanto à demissão do jogador: são as circunstâncias do momento. Não foi o primeiro a sofrer as consequências de atitudes alheias à civilidade.

Patrocínio é ainda mais fácil e justificável. No emprego formal fica complicado ter no quadro um funcionário/jogador com esse histórico de desferir ataque gratuito a um grupo enorme de pessoas. A empresa/clube pode ter funcionários homossexuais, torcedores e adversários gays, e o episódio pode se repetir com a marca estampada. Quebra-se a confiança. A demissão é muito simples, nesse caso. Eu demitiria sem dificuldade, sem pensar muito. Particularmente porque uma pessoa homofóbica é estúpida demais para trabalhar comigo, e se sou quem decide quem fica ou não... Mas profissionalmente seria mesmo a imagem da marca o fator determinante.

...

O jogador Maurício Souza publicou o ataque gratuito homofóbico em uma rede com milhares de seguidores. O pedido de desculpas publicou em rede diferente, desativada havia anos, para menos de 50 seguidores.

Aí a ditadura gay não poderia se calar! Entrou em ação, perseguiu e humilhou o coitado.

Luiz Almeida
Veterano
# 03/nov/21 09:21
· votar


Mas, reproduza a escrita "homofóbica" que ele escreveu...

brunohardrocker
Veterano
# 03/nov/21 09:24 · Editado por: brunohardrocker
· votar


Enquanto isso casos graves de homofobia não são solucionados. Esses cancelamentos, lacrações, demissões, quebra de patrocínios, não são nada mais, nada menos, que a aparência de que algo esteja sendo feito. É o mínimo esforço, é a sujeirinha varrida pra debaixo do tapete. É pura imagem. É gente hipócrita que até ontem (anos em que os mares das redes sociais não eram agitados) não moviam uma palha por causa alguma. E a esquerda cai nessa direitinho. A esquerda acredita nessas coisas como solução. A esquerda gosta de assistir a uma degola em público de alguém que falou bobagem.

Insufferable Bear
Membro
# 03/nov/21 09:29
· votar


achei viadagem demitirem o cara por conta de twitter
liberade de expressão indo pro saco e progressista defendendo censura... tô morrendo de rir

Insufferable Bear
Membro
# 03/nov/21 09:31
· votar


Patrocínio é ainda mais fácil e justificável. No emprego formal fica complicado ter no quadro um funcionário/jogador com esse histórico de desferir ataque gratuito a um grupo enorme de pessoas. A empresa/clube pode ter funcionários homossexuais, torcedores e adversários gays, e o episódio pode se repetir com a marca estampada. Quebra-se a confiança. A demissão é muito simples, nesse caso. Eu demitiria sem dificuldade, sem pensar muito. Particularmente porque uma pessoa homofóbica é estúpida demais para trabalhar comigo, e se sou quem decide quem fica ou não... Mas profissionalmente seria mesmo a imagem da marca o fator determinante.

wagie wagie, get back in the cagie

ProgVacas
Membro Novato
# 03/nov/21 09:33
· votar


'Como eu vou poder expressar que homossexualismo é aberração e escapar da patrulha esquerdista?'

ProgVacas
Membro Novato
# 03/nov/21 09:37
· votar


Po, liberdade de expressão é assunto tão batido...

Lelo Mig
Membro
# 03/nov/21 09:38 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Falando sério...

Não estou muito por dentro porque o assunto não me interessa, quero que se foda.

Mas, à priori (e me corrijam se eu estiver por fora) um cara perder o emprego por conta de "não achar legal um super homem bissexual", me parece bastante excessivo.

Qual a relevância dessa merda? A quem ofende não gostar de um personagem de HQ?

Qual a capacidade das pessoas em terem sua própria opinião e poderem livremente refutar a de outro? Qual o problema em eu achar que fulano esta certo ou esta errado? Todo mundo é tão idiota à ponto de ser influenciado por conta de qualquer opinião tosca?

Os idiotas, de pouca capacidade intelectual, pouco poder de análise, de criar conceitos próprios e desvinculados de determinado nichos precisam estar de um lado, precisam escolher seu bando, fazerem parte de um grupo para se sentirem protegidos e amparados.

Muito poucas pessoas realmente escolhem seu próprio caminho e pensamento. O que eu acho ou deixo de achar num mundo de gente madura não deveria ter tanto peso ou relevância.

As pessoas são idiotas, são mimados, se acham os certos e o mercado precisa agradá-las para garantir seu lucro.

brunohardrocker
Veterano
# 03/nov/21 10:08
· votar


E assim como bem explicitou a nossa deputada Tabata Amaral: "O PT ignora machismo dependendo do agressor", isso também vale para esses episódios de cancelamentos num geral.
Depende do agressor.

É tudo bem selecionado, para abastecer a narrativa.

ProgVacas
Membro Novato
# 03/nov/21 10:22
· votar


Pra mim gente homofóbica tem que levar essas lições sim.

Galera quer licença pra ser escroto. Não tem.

Wild Bill Hickok
Membro Novato
# 03/nov/21 10:22
· votar


ProgVacas
Mas e quando mudar o "metagame"? E quando o lado B estiver dando as cartas do jogo?

Ditadura gay, né? Ah, quando chegar essa hora já era.


Interpretação tá boa ein?

renatocaster
Moderador
# 03/nov/21 10:36
· votar


A esquerda acredita nessas coisas como solução. A esquerda gosta de assistir a uma degola em público de alguém que falou bobagem.

https://portalimprensa.com.br/noticias/brasil/76526/lista+de+rodrigo+c onstantino+para+boicote+de+intelectuais+e+ironizada+em+abaixo+assinado

Constantino fazendo listinha de cancelamento, filhos do Bozo pedindo boicote às empresas que cancelaram o patrocínio do Mauricio, etc...

Esse enviesamento me incomoda...é importante ter cuidado em afirmar que a cultura do cancelamento é uma bandeira única e exclusiva da esquerda. Dá bastante margem para narrativas falsas também.

Insufferable Bear
Membro
# 03/nov/21 10:36
· votar


Wild Bill Hickok
ProgVacas é libertário, é a mão invisível do MercadoLibre que decide o que é certo e errado.

brunohardrocker
Veterano
# 03/nov/21 10:42
· votar


renatocaster
Constantino
filhos do Bozo

Olha o naipe. E isso é revanchismo. Se é revanchismo é porque a regra diz que a coisa parte tipicamente do outro lado.

brunohardrocker
Veterano
# 03/nov/21 10:45
· votar


ProgVacas
Pra mim gente homofóbica tem que levar essas lições sim.

Galera quer licença pra ser escroto. Não tem.

Topa seguir o princípio da isonomia e aplicar essas sanções ao famigerado episódio do Lula sobre a cidade de Pelotas?

-Dan
Veterano
# 03/nov/21 10:46
· votar


A tal liberdade é estranha.

Uns protestam contra as declarações do fulano que teve a liberdade ferida, outros protestam pela liberdade do fulano mas não protestam pela liberdade do empregador de demitir um fulano que considera escroto.

Muito seletivo.

Querem liberdade pro cara ser escroto.
Liberdade pro empregador também uai

-Dan
Veterano
# 03/nov/21 10:46
· votar


A tal liberdade é estranha.

Uns protestam contra as declarações do fulano que teve a liberdade ferida, outros protestam pela liberdade do fulano mas não protestam pela liberdade do empregador de demitir um fulano que considera escroto.

Muito seletivo.

Querem liberdade pro cara ser escroto.
Liberdade pro empregador também uai

renatocaster
Moderador
# 03/nov/21 10:46
· votar


brunohardrocker

Todo mundo joga esse jogo...pode até mudar o approach, mas todo mundo joga.

brunohardrocker
Veterano
# 03/nov/21 10:48
· votar


-Dan
Uns protestam contra as declarações do fulano que teve a liberdade ferida, outros protestam pela liberdade do fulano mas não protestam pela liberdade do empregador de demitir um fulano que considera escroto.

Mas e a liberdade para discutirmos a coesão de tudo e de todos?

ProgVacas
Membro Novato
# 03/nov/21 10:48
· votar


Wild Bill Hickok

Tá ótima. O problema são essas palavras que você enfia no texto que fazem ele perder o sentido.

Metagame, lado B

Conversa em códigos e cobra interpretação...

ProgVacas
Membro Novato
# 03/nov/21 10:50
· votar


brunohardrocker

Sim, lamento que um dia Lula tenha feito aquele comentário sem graça. Eu tbm já fiz vários.

Hoje não faço mais, mudei.

Tem gente que não muda.

Insufferable Bear
Membro
# 03/nov/21 11:00
· votar


Liberdade pro empregador também uai
o Drinho defenderia, mas sou wage slave de esquerda e não curto lamber bota

ProgVacas
Membro Novato
# 03/nov/21 11:03
· votar


Insufferable Bear

Não sou não. Só que eu não consigo encaixar homofobia em uma sociedade civil.

Claro, existem exageros, mas o jogador fez sim comentário homofóbico.

E reprovou o Super Homem ser gay bissexual com a frase “Ah, é só um desenho, não é nada demais. Vai nessa que vai ver onde vamos parar...".

Explicando pra você, que não consegue entender: ele ironiza não sei quem, na primeira frase, destacando uma fala que coloca panos quentes em coisas que acontecem em gibi, desenho, porque não passa disso. Na segunda frase ele sugere que se continuar assim, ignorando as coisas que acontecem nos desenhos, sei lá o que ele acha sobre onde "vamos parar", mas ele não considera um lugar com homossexuais muito bom.

Se você, homossexual, não vê que está sendo agredido por sua orientação sexual, ou então até entende assim, mas não liga, não dá para ignorar que existe um sem número de outros homossexuais que saem prejudicados, toda vez que alguém que tem alguma mídia se atreve a fazer comentários homofóbicos por aí.

Jonas Kahnwald
Membro Novato
# 03/nov/21 11:14 · Editado por: Jonas Kahnwald
· votar


Então, acho que muita coisa depende da forma como é exposta. O jogador em questão se diz cristão, e por consequência se pressupõe que acredita na Bíblia.

A bíblia condena atos homossexuais mas não prega nenhum tipo de ódio ou coisa do tipo com o homossexual da mesma forma que a bíblia condena o adultério, ou o sexo antes do casamento, mas não prega ódio aos pecadores.

Jesus conversou normalmente com prostitutas, ladrões, cobradores de impostos e etc. Ensinou seus valores e tratou a todos com dignidade e respeito.

Não vejo ninguém destilando ódio contra quem faz sexo antes do casamento e nem vejo ninguém sofrendo preconceito por ser alguém que prática isso. Aí que entra a questão (independente do comentário do jogador em questão) até que ponto a liberdade de não concordar com uma atitude pode se converter num ataque direto à pessoas que praticam tal atitude

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Sobre o jogador de vôlei, homofobia e direitos do trabalhador