O prêt-à-penser político da internet

    Autor Mensagem
    entamoeba
    Membro Novato
    # 07/ago/21 08:31


    A era da informação já foi. Vivemos a era do pré-pensado! Grande parte das discussões na internet são impasses porque nenhum dos oponentes discute o que pensa, mas discute o pré-pensado. Se você não fez o percurso para construir os seus argumentos, talvez, tenha mais dificuldades para entender quando as inconsistências forem apontadas.

    Os dogmas tomaram o lugar das opiniões e suas bases são firmes porque são socioafetivas. É como discutir futebol, só que não é divertido. O tema não é um jogo idiota, é a realidade que está sendo fabricada e que nos atinge diretamente.

    É difícil discutir na internet, porque as pessoas têm muitos pensamentos prontos. Elas têm opiniões muito rápidas sobre cada acontecimento político. Complicado contra-argumentar com presteza, à menos que você use do mesmo expediente. Isso, porque a discussão política está toda pronta. Na maioria das vezes, nos limitamos a ecoá-las.

    Aí, me aparece alguém como o llamas92, dizendo que está desconfiado da relutância ao voto impresso, como se isso fosse um pensamento autêntico dele. Não foi. O clima de desconfiança foi plantado pelo bolsonarismo.

    Com o pré-pensado, parecemos muito mais competentes intelectualmente. Qualquer idiota consegue se passar por conhecedor de determinado assunto porque ele conhece os fatos, e "contra fatos não há argumentos". Mal sabe o trouxa que fatos são recortes que servem a argumentos. Argumentos selecionam fatos e desprezam outros tantos.

    entamoeba
    Membro Novato
    # 07/ago/21 08:34
    · votar


    Talvez, o lado positivo disso seja que estamos vivenciando a inteligência coletiva. Há uma dialética implícita nesses embates, que já traz a síntese das discussões e uma coleção de fatos que cada um dos lados elegeu como importantes.

    O lado negativo é que não fomos educados para lidar com o pré-pensado. A ideia de pensamento crítico desenvolvida nas aulas de filosofia do ensino médio servem muito mais para provocar questionamentos tolos do que para estimular a crítica prudente.

    ProgVacas
    Membro Novato
    # 07/ago/21 09:00
    · votar


    Jucadobala te acha vagabundo:

    https://forum.cifraclub.com.br/forum/11/339929/p2#9441326

    Wanton
    Veterano
    # 07/ago/21 11:38
    · votar


    ProgVacas
    Jucadobala te acha vagabundo

    É aquele velho moralismo de sempre. Se eu pedir para ele explicar porque ter tempo me desqualificaria, tenho certeza que ele se enrola. Coitado desse jovem, que não tem tempo para escrever três parágrafos.

    makumbator
    Moderador
    # 07/ago/21 11:41 · Editado por: makumbator
    · votar


    ProgVacas
    Jucadobala te acha vagabundo:

    https://forum.cifraclub.com.br/forum/11/339929/p2#9441326


    Se eu fosse milionário (tipo um véio da Havan), o Entamoeba faria parte de minha equipe de mecenato online. Pagaria para que ele ficasse vagabundeando pela internet, postando por aí, entrando em embates virtuais, armando arapucas e tudo mais.

    Há uma beleza no ócio criativo, e se ele tem muito tempo livre, não deveria se envergonhar disso (e isso é sério).

    Wanton
    Veterano
    # 07/ago/21 11:50
    · votar


    makumbator
    faria parte de minha equipe de mecenato online.

    Gradicido!

    Lelo Mig
    Membro
    # 07/ago/21 12:54 · Editado por: Lelo Mig
    · votar


    entamoeba

    Neste ambiente virtual há uma tentação (dá qual não me excluo) de dar pitaco em assuntos que não se domina.

    No mundo real, se te colocarem numa sala com determinadas pessoas, mesmo que adversário político ou ideológico, você fica quieto diante de alguns temas.

    Então, diante desse quadro, a internet, apesar de bastante democrática, fornece uma democracia bem baixo nível, bem ralé, com idiotas opinando o tempo todo sobre assuntos que desconhecem. E muitas vezes, nem é por mal. Sujeito "acha que sabe" ou "sabe errado" e vai pro debate calcado em conceitos equivocados.

    Lembro que quando a discussão sobre Terra Plana estava no auge, alguns alegavam que ela tinha alguma validade porque era importante questionar as ciências. Como se, por exemplo, eu viesse a afirmar que uma melancia é um mamífero estaria, positivamente, apenas questionando a biologia.

    Talvez, o lado positivo, é que alguns interessados irão estudar.

    Quanto a discussão baseada em "paixão" ela sempre existiu em política e continua existindo. Parece um pouco mais acirrada porque no virtual ninguém têm medo de tomar soco e fala sem auto censura, e no mundo real não é assim. Mas, geralmente quem defende muito uma ideologia, não possui empatia, se acha certo, não é capaz de vislumbrar caminhos distintos ou visões diferentes das suas.

    Bem ou mal, democracia onde efetivamente todos participam é bagunça e encrenca. Não têm jeito.

    entamoeba
    Membro Novato
    # 07/ago/21 14:24
    · votar


    Lelo Mig
    Bem ou mal, democracia onde efetivamente todos participam é bagunça e encrenca. Não têm jeito.

    Não acho que seria assim se os debates fossem transparentes e se as pessoas fossem educadas para a participação. Nosso projeto falido de sociedade começa no currículo escolar.


    com idiotas opinando o tempo todo sobre assuntos que desconhecem.

    Ah, sim. E isso é um ótimo exercício! Funciona melhor para quem leva os debates a sério, é claro. A realidade não é uma prova de concurso. Temos acesso a órteses cognitivas e seria burrice não usá-las.

    Acho que a coisa tá feia porque passamos por uma transição. O movimento de hiperespecialização das últimas décadas entrou em confronto com a abundância de informação das redes. A internet faria melhor aos renascentistas, que não punham muitas fronteiras entre os saberes.

    Lelo Mig
    Membro
    # 07/ago/21 15:41 · Editado por: Lelo Mig
    · votar


    entamoeba

    "A internet faria melhor aos renascentistas, que não punham muitas fronteiras entre os saberes."

    Sem dúvida.

    Porém, antigamente, um burro não debatia com o renascentista culto.

    A internet escancarou prá todo mundo um tipo, que existe desde os primórdios, que é o homem que sabe que falar "difícil", uma espécie de estelionatário intelectual. Isso impressiona o ignorante; e como a grande massa é ignorante, quem "fala difícil" costuma se dar bem. Por isso tanto Zé Ruela enfiando "física quântica" desde palestra motivacional até aula de guitarra, sem ter a mínima compreensão do que trata a física quântica. Mas funciona, enfiou física quântica numa conversa mole e caboclo acha que você é um erudito.

    No passado não havia tanto ignorante em roda de pessoas cultas. Por um lado, havia segregação, um preconceito. Mas, por outro, não se dava tanto holofote prá idiotas.

    Como dizem, não há nada pior do que um burro com atitude.

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a O prêt-à-penser político da internet