Enquanto isso, na bozolândia

Autor Mensagem
makumbator
Veterano
# 15/mar/20 14:00 · Editado por: makumbator
· votar


Silspiders
Você quando comparou o meu erro com conhesidencia... Tava zoando também.

Claro! Ou melhor: indeed!

Hehehe!

Silspiders
Membro Novato
# 15/mar/20 14:05
· votar


E o corretor fez bem o trampo de sugerir "subliminarmente"; aqui só basta escrever 'sub' que ele já sugere como segunda opção.

Silspiders
Membro Novato
# 25/mar/20 21:12
· votar


"Numa guerra, as sociedades sacrificam jovens de 20 anos os mandando para batalhas, onde muitos morrerão. Pergunta sincera, de adulto (exclui sensacionalistas hipócritas): se vc tivesse 80 anos, vc aceitaria se sacrificar por seus filhos e netos? E se for essa a dura escolha?"

Rodrigo Constantino

Pigeonsslayer
Membro Novato
# 25/mar/20 21:57
· votar


Silspiders

Eu posso ficar anos sem ouvir declarações desse Rodrigo Constantino, pois não importa a janela de tempo, o que virá será a fala de um crápula burro.

Silspiders
Membro Novato
# 29/mar/20 07:35
· votar


gente, estourou pneu no rosto do cara ele morreu e foi atestado COVID-19

Pigeonsslayer
Membro Novato
# 30/mar/20 11:27
· votar


Silspiders

Eu hein, não vou nem calibrar mais o pneu do carro, depois dessa epidemia. Kkkkkk

Silspiders
Membro Novato
# 30/mar/20 14:23 · Editado por: Silspiders
· votar


Cê viu essa porra, véi!?

makumbator
Veterano
# 30/mar/20 14:30
· votar


Pigeonsslayer
Eu hein, não vou nem calibrar mais o pneu do carro, depois dessa epidemia. Kkkkkk


Para desbaratar essa fake news, basta enviar aquele vídeo antigo do russo que voa ao estourarem uma câmara de pneu em que ele estava sentado. O cara sobreviveu, logo, pneus não matam ninguém.

Lelo Mig
Membro
# 30/mar/20 15:01
· votar


Silspiders
Pigeonsslayer

"Rodrigo Constantino"

Nunca ouvi falar nesse sujeito. Tô perdendo alguma coisa?

entamoeba
Membro Novato
# 30/mar/20 15:15
· votar


Lelo Mig
Tô perdendo alguma coisa?

Tá. É tipo um Olavo, mas o Olavo acha ele um idiota.

Constantino é ótimo para entender a estupidez do economicismo liberal.

Era bem ativo no Orkut.

Pigeonsslayer
Membro Novato
# 30/mar/20 16:08
· votar


Lelo Mig
Nunca ouvi falar nesse sujeito. Tô perdendo alguma coisa?

É mais um desses babacas neoliberais de quarto que só sabem repetir fórmulas que pegaram de última hora no site do Instituto Mises. Era colunista da Veja (ou ainda é, não tenho certeza). Não sei bem as credenciais do sujeito. Pelas poucas declarações e comentários que vi do tal, dá para perceber que é do tipo que venderia a mãe na bolsa.

Pigeonsslayer
Membro Novato
# 30/mar/20 16:09
· votar


makumbator
Para desbaratar essa fake news, basta enviar aquele vídeo antigo do russo que voa ao estourarem uma câmara de pneu em que ele estava sentado. O cara sobreviveu, logo, pneus não matam ninguém.

Nunca vi. Tens o link?

Silspiders
Membro Novato
# 30/mar/20 16:20 · Editado por: Silspiders
· votar


Tô perdendo alguma coisa?

Apenas um exemplo do que a arrogância da estupidez pode proporcionar... Mas isso você tem exemplo a todo momento.

Drinho
Veterano
# 30/mar/20 17:59
· votar


Pigeonsslayer

O que você tem contra ideias liberais cara?

makumbator
Veterano
# 30/mar/20 18:20 · Editado por: makumbator
· votar


Pigeonsslayer

Nunca vi. Tens o link?

Achei aqui. Mas na verdade era airbag colocado dentro de um pneu (não lembrava disso) mas serve:

https://www.youtube.com/watch?v=MPolRUz3_qo

Pigeonsslayer
Membro Novato
# 01/abr/20 23:17
· votar


Drinho
Pigeonsslayer

O que você tem contra ideias liberais cara?


Primeiramente, foi mal pela demora em responder. Eu trabalhei ontem e anteontem o dia todo (tô em regime de revezamento) e ao chegar em casa tive alguns problemas pessoais pra resolver. Hoje fiquei no home office e terminando de resolver uns trampos em casa, então só tive tempo (e cabeça) para postar algo menos "miojo" agora.

A pergunta não deveria ser o que eu tenho contra as ideias liberais, pois, apesar de divergir de uma boa parte delas (já me auto rotulei de centro esquerda, então dá pra ter uma ideia),outras me parecem até bem aceitáveis. Por exemplo, eu sou a favor de uma maior liberdade econômica para as áreas que possam ser desempenhadas por particulares, desde que para as áreas críticas para a sociedade o estado faça uma regulação mínima do mercado.

Se há algo que me oponho, como eu já havia dito sobre o Constantino, é a estes liberais que tomam teses e premissas como verdadeiros dogmas, como se pudessem ser aplicadas independentemente da realidade socioeconômica ou da cultura de um povo, ou ainda à parte das variações conjunturais.

Outra coisa que me oponho é associação entre o rótulo de liberal e o ódio ao serviço e ao servidor público. Vc mesmo já chamou o Silspiders de parasita uma ou outra vez aqui no fórum, após ele ter revelado a informação de que é servidor público - em tempo, eu também sou, e se quiser me rotular assim, o problema é seu. Isso vem aliado à ideia apregoada por neoliberais de que se o indivíduo não produz bens de consumo, nada produz, e estaria assim se apropriando das riquezas geradas pelos outros.

Eu queria até entender melhor este pensamento, visto que o tecido social não é (e não tem como ser) composto apenas por quem produz bens de consumo. A sociedade tem demanda por produtos, mas também por serviços. E dentre o amplo leque de serviços há aqueles essenciais e outros supérfluos (porém com algum valor agregado para alguém), os que podem ser prestados pelos particulares, os que podem ser prestados associativamente entre iniciativa privada e setor público e, ainda, aqueles que só podem ser prestados pelo setor público, por exemplo, o poder de polícia.

Aí, temos um ponto de conflito bem grande, uma vez que eu vejo muitos liberais com a tendência em buscar dinheiro através do rentismo. Só fazendo uma ponderação prévia, não sou (totalmente) avesso à ideia de viver de renda. Não acho que seja algo simples para qualquer pessoa, e se alguém consegue jogar o jogo, que seja. Porém, conceitualmente, como o rentista não produz bens e/ou serviços e obtém suas riquezas do endividamento alheio, para mim estes são os verdadeiros operadores do parasitismo na sociedade. Repito, só o são porque o jogo é assim e eles apenas jogam conforme as regras.

Mas a minha maior divergência com neoliberais, sem dúvida alguma, é a visão (não de todos, mas de uma boa parte) de educação e saúde como meras mercadorias. Pra mim, educação e saúde jamais serão mercadorias. Na minha visão, estas duas áreas são ativos estratégicos de qualquer nação e devem ser ofertadas pelo estado a todo o povo, com algumas mínimas ressalvas.

Pigeonsslayer
Membro Novato
# 01/abr/20 23:23
· votar


makumbator
Achei aqui. Mas na verdade era airbag colocado dentro de um pneu (não lembrava disso) mas serve:

https://www.youtube.com/watch?v=MPolRUz3_qo


Noooossa cara! que retardo mental. Conseguiram superar (em babaquice) outra brincadeira idiota que tava circulando nas escolas do Brasil antes da pandemia de coronavírus:



makumbator
Veterano
# 02/abr/20 00:16 · Editado por: makumbator
· votar


Pigeonsslayer
Noooossa cara! que retardo mental.

É. Russos brincando em momentos de folga é isso aí! A única coisa positiva do vídeo é que o cara claramente participou de maneira consentida (ao menos isso), ao contrário dessa outra brincadeira (que como surgiu, sumiu da moda).

Não sei você, mas quando eu era criança tinha uma parecida com essa que o pessoal fazia na escola, na rua, etc... uma pessoa chegava em um amigo desavisado pra conversar, enquanto o outro se posicionava silenciosamente atrás pra fazer a cama de gato, aí o que conversava simplesmente empurrava o amigo que tropeçava e caia de costas (com o risco de bater a nuca no chão). Brincadeira altamente perigosa.

P.S.

No vídeo do airbag dá pra notar que o cara teve um concussão com a pancada (ele fica todo lento e sem reação).

Lelo Mig
Membro
# 02/abr/20 00:54 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Pigeonsslayer

Minhas opiniões com relação ao liberalismo são muito, muito semelhantes as suas. Também não sou contra mas tenho sérias restrições com relação a alguns pontos, muitos iguais aos que você colocou.

Apenas incluo uma coisa que alguns liberais radicais que defendem a inexistência ou ausência total do Estado, não entendem.

EXISTEM SERVIÇOS QUE NÃO DÃO LUCRO! E aí como faz?

Um exemplo clássico é o da saúde. Saúde é muito, muito caro. Não é possível fazer saúde barata. Pode-se investir pesado em prevenção, que é barato, diminui-se o número de usuários, mas os que precisarem continuará muito caro. E num sistema 100% privado, visando lucro, a prevenção seria indesejada.

Uma diária de UTI, simples, custa em média 1.200 reais, ou seja, é inviável para a grande maioria pagar e sonhar com uma Nação em que todos possam pagar é mais inviável ainda.

A Alemanha, por exemplo, que possui um dos melhores sistemas de saúde do mundo usa o modelo de seguro social para pagar a assistência médica à população, ou seja, são alíquotas que incidem diretamente na renda do trabalhador, mas, ao contrário dos EUA, todo mundo está coberto, e as empresas não visam o lucro. E os contribuintes são os donos das organizações envolvidas através de conselhos e sindicatos.

Falei só da saúde, mas tem pelo menos umas 10 coisas que não podem ser privadas e umas 200 que precisam ser fiscalizadas.

Drinho
Veterano
# quinta às 07:23 · Editado por: Drinho
· votar


eu sou a favor de uma maior liberdade econômica para as áreas que possam ser desempenhadas por particulares, desde que para as áreas críticas para a sociedade o estado faça uma regulação mínima do mercado

Eu também.

Outra coisa que me oponho é associação entre o rótulo de liberal e o ódio ao serviço e ao servidor público. Vc mesmo já chamou o Silspiders de parasita uma ou outra vez aqui no fórum, após ele ter revelado a informação de que é servidor público - em tempo, eu também sou, e se quiser me rotular assim, o problema é seu. Isso vem aliado à ideia apregoada por neoliberais de que se o indivíduo não produz bens de consumo, nada produz, e estaria assim se apropriando das riquezas geradas pelos outros.

Ódio é uma palavra forte, eu vejo apenas como indignação, ódio leva a discussão para um lado equivocado.
Não tem a ver com produzir determinada mercadoria, um serviço do qual as pessoas demandam tem seu valor, mesmo que não se agregue mais valor, não é disso que se trata.
A história do parasita tem a ver com outros fatores, fatores estes que permitem garantias para uma classe que se entregasse o mesmo tipo de serviço na iniciativa privada, certamente seria demitida em 30 dias.
O risco do funcionário preguiçoso/incompetente na iniciativa privada é do dono da empresa, diferentemente do setor público.
O rentista é o dono do recurso e você pode parar de alimenta-lo, não pegue dinheiro emprestado e você matou um parasita.
Um funcionário público preguiçoso, na prática, você não mata nem com quimioterapia. Não estou dizendo que não possam existir bons funcionários públicos ok? Meu problema não é pessoal com você ou com o Silspiders, já falei que tenho um monte de funcionário público na família e me dou bem com todo mundo. Meu problema é com o nível de proteção descarada á uma classe que deveria estar sujeita as mesmas variáveis de qualquer outra pessoa e este nível de proteção só é possível porque há uma população passando fome (no caso do brasil) para sustentar.

Na verdade, não sou só eu que penso dessa forma, muita gente pensa dessa forma, inclusive pessoas que passam longe do "liberalismo".

Aí, temos um ponto de conflito bem grande, uma vez que eu vejo muitos liberais com a tendência em buscar dinheiro através do rentismo.

Não são os liberais que querem viver de renda, qualquer pessoa quer viver de renda.
Ser funcionário público já é bom, ser rentista é 400 vezes melhor evidentemente. Para exterminar o rentista, basta não pedir dinheiro para ele, ou levar o juro para próximo do zero, se é simples ou não, aí é outra história.

Pra mim, educação e saúde jamais serão mercadorias.
Eu também acho, mas não são todos que pensam desta forma. Em termos de Brasil ninguém nega que o serviço público seja uma porcaria, incluindo saúde e educação, mas há países que não e tá tudo certo.

É comum as pessoas confundirem um sujeito que defende práticas liberais que inclusive existem e estão vigentes em boa parte do primeiro mundo com um sujeito anarcocapitalista que defende uma coisa que não existe em lugar nenhum.

Silspiders
Membro Novato
# quinta às 08:10
· votar


A história do parasita tem a ver com outros fatores, fatores estes que permitem garantias para uma classe que se entregasse o mesmo tipo de serviço na iniciativa privada, certamente seria demitida em 30 dias

Eu sou funcionário público estadual e federal e também funcionário em escola particular e entrego para os três empregos o mesmo serviço.

No colégio particular estou há 10 anos.

Não tem lógica o que você está dizendo. Está sendo determinista em um campo que possui uma quantidade gigantesca de variáveis. Isso é ideia fixa em pouco conhecimento.

Drinho
Veterano
# quinta às 08:18 · Editado por: Drinho
· votar


Silspiders

Novamente, meu problema não é pessoal com você ou com o Pigeonsslayer e não estou dizendo que não possam haver bons funcionários públicos que gostam do que fazem e deem seu melhor.

Estou me referindo aos maus funcionários que você sabe que existem aos montes, principalmente no Brasil.

Silspiders
Membro Novato
# quinta às 08:27
· votar


Fora que o serviço público é precarizado pelo próprio poder público e isso parece que o Drinho nunca leva em consideração, sei lá por quê. Talvez porque poderia enfraquecer o seu já fraco argumento acerca do assunto e assim, portanto, anulá-lo completamente, ou por qualquer outra razão relacionada a cognição mesmo.

Como exemplo o fato de na cidade de São Paulo os cemitérios estarem recebendo cerca de 40 corpos por dia com suspeita de COVID-19. É lamentável, mas a maioria dessas pessoas foram reportadas como testadas, porém aguardam resultados.

Os resultados não saem porque os funcionários públicos são parasitas e não gostam de trabalhar... não! Porque são em quantidade insuficiente. Certo que vivemos um excepcionalidade, mas mesmo assim são poucos. Porque os liberais que estão no poder querem enxugar o máximo o estado, sem qualquer concepção de que na saúde e educação o estado deve ser forte.

Não sou a favor do estado em diversas áreas por onde está, mas acho que no Brasil ele está no lugar correto. Na educação e na saúde, para garanti-las a todos. Nas riquezas naturais, por exemplo, é um absurdo a privatização, pois não existe qualquer sentido. Petróleo, água, minérios... nada disso pode ir para a iniciativa privada, porque enriquece muito, demais as pessoas, tornando-as poderosas demais até mesmo para a justiça as alcançar.

Ninguém foi preso nas tragédias da Vale ainda. Nem será. Mas, no Rio Doce, onde vivem espécies de peixe proibidas de serem pescadas, ou mesmo de temporada, se um pescador for flagrado pelo IBAMA pescando fora de temporada ou mesmo coletando espécie proibida pode receber sansões, multas.

A Vale, que matou o rio onde essas espécies viviam, ainda não foi verdadeiramente punida por isso.

Em determinados campos a iniciativa privada jamais deveria aparecer.

Silspiders
Membro Novato
# quinta às 08:30 · Editado por: Silspiders
· votar


Novamente, meu problema não é pessoal com você ou com o Pigeonsslayer e não estou dizendo que não possam haver bons funcionários públicos que gostam do que fazem e deem seu melhor.

Drinho, sim, entendi que você não tem mais problemas pessoais comigo, mas tinha, disse que era só encheção de saco, beleza, e também entendi que você se refere aos maus funcionários, sem problema. Só que os maus funcionários estão em toda a parte, porque isso não depende do empregado, mas da pessoa.

Drinho
Veterano
# quinta às 09:33 · Editado por: Drinho
· votar


Fora que o serviço público é precarizado pelo próprio poder público e isso parece que o Drinho nunca leva em consideração, sei lá por quê

Na verdade isso deveria fortalecer o argumento, se o serviço público não presta porque é precarizado pelo poder público (suas palavras) que presta menos ainda, é razoável que nós possamos pelo menos criticar.

É lamentável, mas a maioria dessas pessoas foram reportadas como testadas, porém aguardam resultados.
Você tem razão.

Porque os liberais que estão no poder querem enxugar o máximo o estado, sem qualquer concepção de que na saúde e educação o estado deve ser forte.
Da mesma forma que não são todos os funcionários públicos que são ruins, não são todos os liberais que defendem extinção de serviços de saúde e educação pelo governo, eu acho inclusive que o estado tem que ser fraco em todas as outras áreas que não essas.

Nas riquezas naturais, por exemplo, é um absurdo a privatização, pois não existe qualquer sentido. Petróleo, água, minérios... nada disso pode ir para a iniciativa privada, porque enriquece muito, demais as pessoas, tornando-as poderosas demais até mesmo para a justiça as alcançar.

Estatização ou privatização é uma discussão que não tem como eu te provar que um é melhor que outro. Os dois modelos estão vigentes no mundo, funcionando, inclusive com o sistema privado pagando imposto.
Talvez o modelo privado seja mais lucrativo, mas isso não garante beneficio direto para o povo.
Se a empresa estatal não for ninho de ladrão, não dê prejuízo e não onere cofres públicos em situação de prejuízo, eu também não vejo problema, só vejo como mais um trabalho para o estado que deveria estar preocupado com as coisas que você por exemplo levantou.

Ninguém foi preso nas tragédias da Vale ainda. Nem será.
Isso é mais uma responsabilidade que o estado incompetente não cumpriu, o poder judiciário é sustentado pela população para que resolva este tipo de questão imediatamente.

Em determinados campos a iniciativa privada jamais deveria aparecer.
Se for interessante para a iniciativa privada, certamente ela vai fazer melhor que o estado.
Se não for interessante, resta deixar na mão do estado e aceitar o que vier.

Silspiders
Membro Novato
# quinta às 10:00 · Editado por: Silspiders
· votar


se o serviço público não presta

Suas palavras.

precarizado pelo poder público

Minhas palavras.

razoável que nós possamos pelo menos criticar.

Pode criticar. Também crítico.

De resto é só opinião divergente.

Drinho
Veterano
# quinta às 10:07 · Editado por: Drinho
· votar


Só que os maus funcionários estão em toda a parte, porque isso não depende do empregado, mas da pessoa.

Exato!
Por este motivo não tem cabimento você dar emprego vitalício com esse volume de benefícios para a classe, pode dar a justificativa que quiser para resolver qualquer outro efeito colateral, inclusive já deram aqui em outras oportunidades.

Eu não to falando de professor de escola pública, se a folha de pagamento inteira fosse para salário de professor e salário de médico eu estaria rindo de felicidade e não reclamando.

Agora, experimenta fazer uma visitinha no Fórum, na SEFAZ, na delegacia de polícia, (não estou falando dos policiais que arriscam a vida na rua), na prefeitura, no prédio da receita federal, com certeza até você concordaria que tem que por boa parte desses funcionários no olho da rua.

O poder judiciário é brincadeira, só falta os caras ganharem um mordomo para dar o nó na gravata deles.

Estabilidade é um direito garantido pela Constituição
Ou seja, à estabilidade. Isso é assegurado pela Constituição de 1988. A estabilidade garante condições necessárias para que o funcionário público possa desempenhar suas funções sem pressões políticas ou de grupos econômicos.


Na prática se criou condições para que ninguém tenha motivo para desempenhar suas funções. O poder econômico continua sendo capaz de lavar a mão de qualquer funcionário público corrupto.

O que que o povo ganhou com isso?
Nada.

brunohardrocker
Veterano
# quinta às 12:15
· votar


Petróleo, água, minérios... nada disso pode ir para a iniciativa privada, porque enriquece muito, demais as pessoas, tornando-as poderosas demais até mesmo para a justiça as alcançar.

Isso aqui me chama a atenção. Porque na mão do Estado também enriquece pessoas, golpeia a democracia e ficam inalcançáveis pela justiça.

Silspiders
Membro Novato
# quinta às 13:10
· votar


Isso aqui me chama a atenção. Porque na mão do Estado também enriquece pessoas, golpeia a democracia e ficam inalcançáveis pela justiça

Deveria lhe chamar a atenção que não enriquece pessoas licitamente, mas por meio da corrupção. Portanto é isso que tem que ser combatido, e não o patrimônio público.

entamoeba
Membro Novato
# quinta às 13:33 · Editado por: entamoeba
· votar


brunohardrocker
Porque na mão do Estado também enriquece pessoas, golpeia a democracia e ficam inalcançáveis pela justiça.

É? Qual o bilionário brasileiro da lista da Forbes é funcionário público?


Drinho
Eu não to falando de professor de escola pública, se a folha de pagamento inteira fosse para salário de professor e salário de médico eu estaria rindo de felicidade e não reclamando.

Que bom que seu problema não é com professores e médicos.


Agora, experimenta fazer uma visitinha no Fórum, na SEFAZ, na delegacia de polícia, (não estou falando dos policiais que arriscam a vida na rua), na prefeitura, no prédio da receita federal

Tem muita força de trabalho subaproveitada na burocracia, não há dúvidas.


com certeza até você concordaria que tem que por boa parte desses funcionários no olho da rua.

Eu não concordo. Acho que essas pessoas deveriam ser alocadas de um modo que as tornassem produtivas. Jogar na rua para quê? Para virarem MEI e inventarem algum produto ou serviço dispensável só para sobreviver?


Em termos de Brasil ninguém nega que o serviço público seja uma porcaria, incluindo saúde e educação

A saúde pública do Brasil é razoável, se levar em conta a pobreza do País e o grau de instrução da população - que adoece por causas evitáveis - fora o calote que o SUS toma dos planos de saúde.

O ensino público superior público é muito melhor do que o privado, que na maioria das vezes só visa o lucro. Não é à toa que as instituições privadas melhor colocadas nos rankings não têm fins lucrativos: todas as PUC, a Unisinos, a FGV etc.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Enquanto isso, na bozolândia