Infância dos otistas

Autor Mensagem
alanis morre7
Membro Novato
# jan/17


Contem aqui algum causo marcante da infância de vocês.

brunohardrocker
Veterano
# jan/17
· votar


Periodo melhor e mais feliz da vida.

Insufferable Bear
Membro
# jan/17 · Editado por: Insufferable Bear
· votar


Período pior e menos feliz da vida, por incrível que pareça.

Uma vez eu criei bolhas nos dedos jogando Street Fighter EX Plus Alpha no PSX tentando completar todas as missões.
Links de um frame que se fodam.

Samá Samutte
Membro Novato
# jan/17 · Editado por: Samá Samutte
· votar


3 anos de idade:

Estava brincando na porta da casa do meu tio, em cima de um trator. Por algum motivo eu fiquei preso ao cabeçalho que engatava o trator à carreta. O motorista deu a partida, eu cai, e ele me arrastou por uma rua de cascalho. Chegando à esquina, havia aquelas valetas que se formam por causa da enxurrada, e ali eu cai. Quase morri. Quebrei um braço e abri a testa (tenho a cicatriz até hoje, deve ter dado uns 8 pontos).

Uns 6 anos de idade, não me recordo direito:

Um vizinho havia aberto um poço que serviria de fossa para a casa dele. À noite choveu e encheu o poço. No outro dia, um colega e eu fomos até lá. Havia um sapo lá dentro e começamos a jogar pedras nele. Em um dado momento, ele me empurrou lá dentro. Por sorte - eu creio que por Deus - um vizinho viu a cena, correu até lá e me resgatou. Quase morri novamente. Fui roxo para o hospital.

Uns 9 anos:

Meu irmão, um colega e eu estávamos brincando com aquelas carretinhas que se acoplam em motos. Resolvemos, então, que eles subiriam na carreta e eu os arrastaria. Eles subiram e eu a levantei, quando eles começaram a andar para a frente. Não aguentei o peso e soltei a carreta em cima do meu pé. 12 pontos em dois dedos.

Uns 13 anos:

Estava, um colega e eu, rampando de bicicleta em uma pista de motocross que havia perto de casa. Peguei velocidade e rampei; durante o salto, soltei a bicicleta e ela caiu na minha frente. Ao cair, minha perna desceu na ponta do eixo da roda traseira. Um rasgo que me rendeu uns 6 pontos. O pior foi ter que correr a pé até à casa (1 km mais ou menos), com aquela gordura do lado de fora da perna e todo mundo me olhando desesperados.

Wade
Membro Novato
# jan/17
· votar


Troquei muito a bunda com os amigos.

st.efferding
Membro
# jan/17
· votar


Fui amigo do Wade.

Wade
Membro Novato
# jan/17
· votar


( ͡° ͜ʖ ͡°)

alexandrecoppo
Veterano
# jan/17
· votar


Lembro poucas coisas da minha infância, lembro que quando tinha uns 6 anos eu estava dentro de uma construção e um caibro se soltou do telhado e caiu na minha cabeça, tomei alguns pontos. Outra vez desmaiei na sala de aula brincando de quem conseguia fazer as veias do pescoço saltarem, mais dois pontos na boca, algumas quedas de bike principalmente andando sem as mãos.

Adler3x3
Veterano
# jan/17 · Editado por: Adler3x3
· votar


Menos de 1 ano.

Me lembro quando tinha menos de um ano.
E fui pescar no porto de Porto Alegre e pesquei dois lambaris.

Me lembro também do marinheiro de um navio que estava próximo, ele pegava os peixes com um balde que arremessava lá de cima.

Depois na volta para casa me lembro andando de bonde com o meu pai.

Lá pelos dois anos.
Me lembro do falecimento do meu irmão, a casa estava cheia de gente e aquele ambiente sinistro.

Lembro de uma enchente em que água entrou em nossa casa e molhou todo o chão.

Lembro da minha babá Joana, que era muito carinhosa comigo.

É inesquecível a salada de frutas que tinha no Mercado Municipal de Porto Alegre.

Lá pelo três anos

Me lembro das viagens que fiz com o meu avô andando de charrete pelo interior do Rio Grande do Sul, cheguei até ir a Passo Fundo, e fui num evento tradicional do CTC local, que ficava nos arredores da cidade, lembro da casa que fiquei hospedado, que era uma casa grande, a sala e os cômodos tinham lindos afrescos com paisagens rurais no teto.
Naquele tempo as pessoas recebiam as outras muito bem, lembro do meu avô, conversando com o irmão dele.

Me lembro da minha primeira ida a escola, que ficava perto da Catedral de Canela, no RS.
Lembro de algumas missas que estive presente, dos detalhes da obra que estava em construção, lembro do padre numa missa noturna movimentando o incensador, e aquela bruma resultado do efeito das velas acessas.

Lá pelos 4 anos ou antes.

Lembro da mesa rotatória de madeira, que veio da Alemanha dos meus antepassados, onde eram servidas as refeições na pousada no meu avô.


Lá pelos 5 anos

Me lembro de ter ido visitar a hidroelétrica de Salto, toda aquela maquinaria e o som alto da água.movendo as turbinas.

Me lembro do nascimento do meu segundo irmão, dos preparativos da minha querida mãe de ir para a maternidade.

Lá pelos 7 anos
Me lembro da viagem de avião de Porto Alegre para Curitiba, principalmente dos motores, e da vista do mar, e que quando pousou na cidade, estava nublado.
Lembro da linda aeromoça que me servia os doces.
Meu pai trabalhava na Cruzeiro do Sul.

Me lembro quando brincava com o meu primo mais velho em que ele fazia testes de um micro-submarino que tinha inventado no repuxo da praça do homem nu em Curitiba.

E outras lembranças, são tantas, qualquer dia junto com as fotos vou montar um caderno.

Wuju Wu Yi
Membro Novato
# jan/17
· votar


Ah, minha infância como um todo foi marcante. Mas se for falar alguma coisa que foi estranha e não sei explicar até hoje, foi um dia no auge dos meus 6 anos aproximadamente, um carro desses que vendem pão estava passando e eu estava perto dele e coloquei o pé na frente sem querer. Os peneus passaram lentamente por cima do meu pé de criança de 6 anos e bem, não aconteceu nada, nem roxo, nem dor, nada.

Alguém ai poderia me dizer que é fisicamente normal um carro de meia tonelada passar por cima do pé de uma criança bem lentamente e não acontecer nada?

makumbator
Veterano
# jan/17
· votar


Wuju Wu Yi
Alguém ai poderia me dizer que é fisicamente normal um carro de meia tonelada passar por cima do pé de uma criança bem lentamente e não acontecer nada?

Se o solo não for muito rígido é perfeitamente possível não acontecer nada (ou machucar muito pouco perto do que se esperaria). Outro detalhe é que a meia tonelada não estava apoiada toda naquele ponto.

Jack Holland
Veterano
# jan/17 · Editado por: Jack Holland
· votar


Samá Samutte

Vc era um capetinha, hein?


Wuju Wu Yi

Foi nesse momento que vc sentiu a mão de deus te dando o primeiro livramento?

Jack Holland
Veterano
# jan/17
· votar


Me lembro quando tinha menos de um ano


Começou a pepagem

Johnny Favorite
Veterano
# jan/17
· votar


Jack Holland
Me lembro quando tinha menos de um ano


Começou a pepagem

hahahahahahha

Wuju Wu Yi
Membro Novato
# jan/17
· votar


makumbator

asfalto. mas mesmo distribuído, ainda seria demais pra o pé de uma criança certo?

Jack Holland

não, fiquei sem entender. até hoje tento encontrar alguma explicação física para tal. ora ou outra penso sim que Deus pode ter me protegido.

st.efferding
Membro
# jan/17
· votar


Samá Samutte

Vc era um capetinha, hein?


LOL

makumbator
Veterano
# jan/17
· votar


Wuju Wu Yi
asfalto. mas mesmo distribuído, ainda seria demais pra o pé de uma criança certo?

Sei lá. Teria que ver o estado desse asfalto (os do Brasil varonil são desnivelados e cheios de buracos, vai ver seu pé ficou em um buraco ou depressão).

Johnny Favorite
Veterano
# jan/17
· votar


Quando muito criança, não sei exatamente a idade, me lembro que todo domingo meu pai comprava um gibi da turma da monica e depois me levava até a casa do meu avô para assistir futebol e ele, meu avô e meus tios as vezes saiam quase na porrada pq meu avo era corintiano e metade dos filhos eram corintianos e metade palmeirenses. Minha falecida avó apartava a briga. Esse lugar, a casa do meu avô era muito legal, tinha um pomar enorme, uma barbearia (meu avô além de tocar na fanfarra da cidade e ser boxeador era tbém barbeiro), uma rinha de galos e um boteco cheio de bêbados do outro lado da rua. Mais velho um pouco eu gostava de ir lá comprar cigarros pros meus tios pq os bêbado pagavam uns guaraná pro moleque fio do idevaldo (eu).

com cerca de 5 anos meu pai me deu de presente um telescópio pra ver o cometa Halley.

6 anos - quebrei o braço subindo um muro de pedras no sitio do meu avô em Jandaia do Sul. Não tinha hospital lá na época, então tive que ir de ônibus pra Maringá com o braço quebrado mesmo.

10 anos - eu fui me pagar de fodão pra uma menina que gostava e fazer uma manobra com a minha bmx e tomei um tombaço e me detonei, fiquei um mês sem conseguir andar e todo ralado.

quando tinha uns 10 anos estava no orelhão na calçada de uma praça que tinha uma descida animal. Um moleque lá perdeu o controle da bike e me atropelou. Eu tive que levar incríveis 28 pontos na batata da perna. 14 internos e 14 externos.

11 anos - eu fazia kung fu e pra treinar tinha que atravessar um bairro em maringá que tinha um brega e altos malaco e esse bairro tinha rixa com o meu, uma vez tive que fugir pq era vários, tive que pular num rio pra não levar tiro de estilingue.

12 anos - ganhei o campeonato de futebol de salão inter-colégios fazendo 4 gols na final.

12 anos - levei uma pedrada (que não era pra mim) na testa no colégio.

Quando tinha 13 anos eu era totalmente virgem ai a mina mais linda da rua, 3 anos mais velha que eu, da qual eu tinha completo pavor tamanha a beleza, me chamou pra ir pra casa dela e me desvirginou somente pq eu ia mudar de cidade. Parece pepagem mas não é.

13 Anos - Nos meus ultimos dias em Maringá fiz teste pra faixa preta no Kung Fu Chui Lung Chuan. Fomos pra outra cidade fazer o teste, veio o mestre do Brasil (não lembro o nome do cara), fizemos uma luta coreográfica com ele lutando com vários alunos com espadas e tal. Depois o teste contra outros candidatos. Eu estava com muita raiva, não queria me mudar de cidade então eu fui lá bati de verdade no meu adversário, ele era mais fraco e lento. Fui reprovado no teste. Fiquei revoltado.

Wuju Wu Yi
Membro Novato
# jan/17
· votar


makumbator

cara, garanto que não tinha buraco. o asfalto era plano e senti bem o carro passar lentamente pelo meu pé. apenas não doeu e nem aconteceu nada.

makumbator
Veterano
# jan/17
· votar


Wuju Wu Yi
cara, garanto que não tinha buraco.

Mas você tinha 6 anos. Seu testemunho e lembrança após tantos anos não é muito confiável.

e senti bem o carro passar lentamente pelo meu pé.

Uma depressão no asfalto não precisa ser tão funda a ponto do pneu não tocar no seu pé. Acredito que bastaria ser funda o suficiente para que o pé não recebesse a maior parte da carga (mesmo sendo tocado pelo pneu). Levando-se em conta que um pé de uma criança de 6 anos é pequeno, acho bem provável que um leve desnível na quantidade certa te salvou. Claro que foi uma tremenda sorte.

Wuju Wu Yi
Membro Novato
# jan/17 · Editado por: Wuju Wu Yi
· votar


makumbator

Eu vejo o lugar onde aconteceu sempre, é plano cara. O lugar nunca foi reformado. Sua ideia é boa, mas não da pra ser o caso.

Sei que é difícil entender. Estou tentando entender desde quando aconteceu.

No auge dos meus 6 anos eu pensei que era um super-herói tipo o superman por causa disso.

Johnny Favorite
Veterano
# jan/17
· votar


Wuju Wu Yi
No auge dos meus 6 anos eu pensei que era um super-herói tipo o superman por causa disso.

tenta de novo.

makumbator
Veterano
# jan/17
· votar


Wuju Wu Yi
Eu vejo o lugar onde aconteceu sempre, é plano cara. O lugar nunca foi reformado. Sua ideia é boa, mas não da pra ser o caso.

Ué, mas você não tinha 6 anos? Agora você tem quantos anos, 7? Acho que foi a bastante tempo não é? Você acompanhou com boa frequência e atenção desde aquela época até hoje aquele ponto específico do asfalto? Tem relatórios de suas medições do nível? Obviamente o asfalto não é o mesmo daquela época (não dura quase nada o asfalto brazuca. E se fosse o mesmo só haveria crateras hoje).

Outra coisa é que você pode ter uma lembrança falsa dos eventos daquele dia.

Então duvido que não tenha havido nenhum recapeamento ou mudança no solo em mais de uma década. Aonde você mora, na Transamazônica?

brunohardrocker
Veterano
# jan/17
· votar


Me lembro quando tinha menos de um ano


Benjamim Button

Wuju Wu Yi
Membro Novato
# jan/17 · Editado por: Wuju Wu Yi
· votar


makumbator

Não passa muitos carros, logo não se desgasta. tem buracos em outros lugares, mas no local específico continua como era.

Outra coisa é que você pode ter uma lembrança falsa dos eventos daquele dia.

Difícil. Mesmo com 6 anos eu fiquei surpreso, então trago a memória comigo até hoje. Mesmo naquela época pensei que meu pé ia ficar hiper roxo. Eu lembro claramente que passou por cima devagar, eu senti.

A possibilidade que eu vejo como mais plausível depois de tantos anos, seria o pneu estar meio murcho. Mas é um completo palpite, eu não tenho recordação ou meios para saber ou comprovar.

obs: Cara, eu não sei se tinha exatamente 6 anos. Mas era próximo disso para um pouco mais.

makumbator
Veterano
# jan/17
· votar


Wuju Wu Yi
não passa muitos carros, logo não se desgasta.

Claro que se desgasta. As intempéries também afetam muito o asfalto (não apenas o trânsito). É altamente improvável ser exatamente o mesmo dos seus 6 anos. Não haveria nada dele se fosse o mesmo sem nenhuma manutenção.

Difícil. Mesmo com 6 anos eu fiquei surpreso, então trago a memória comigo até hoje.

Isso é o que você pensa. Não digo que sua memória obrigatoriamente mudou alguma coisa, mas é perfeitamente possível, ainda mais em eventos marcantes.

A possibilidade que eu vejo como mais plausível depois de tantos anos, seria o pneu estar meio murcho.

Pode ser uma combinação de fatores também.

alanis morre7
Membro Novato
# jan/17 · Editado por: alanis morre7
· votar


Aos 6 anos eu sofri um acidente na cabeça e, como consequência, passei a ter crises frequentes de epilepsia. Eu fazia uns exames loucos em que enchiam meu couro cabeludo de eletrodos e tomava uns remédios anticonvulsivos que deixavam meu cérebro muito mais lento que o das outras crianças, ou seja, além de tudo fiquei retardada. Mesmo assim, as malditas crises continuaram. Era oficialmente o fundo do poço, e os remédios ainda jogaram lama em cima.

Um dia, o médico disse à minha mãe que se os episódios epilépticos não parassem até os 9 anos de idade, eu teria que conviver com essa porcaria de doença imbecil pelo resto da vida. Isso foi um pouco antes do meu oitavo aniversário. Percebendo que as coisas iam de mal a pior, meus pais ficaram bem desanimados.

Só que meu organismo insubordinado de koi fish conseguiu se livrar daquelas crises estúpidas antes dos 9. \o/

Beijinho no ombro, Epilepsia.

Wuju Wu Yi
Membro Novato
# jan/17 · Editado por: Wuju Wu Yi
· votar


makumbator

Claro que se desgasta. As intempéries também afetam muito o asfalto (não apenas o trânsito). É altamente improvável ser exatamente o mesmo dos seus 6 anos. Não haveria nada dele se fosse o mesmo sem nenhuma manutenção.

Cara, eu não lembro de reformas, mas não tenho certeza. Eu lembro que foi algo que me deixou com dúvidas até hoje. Mesmo não tendo doído, eu senti uma pressão gigantesca no pé. Apenas não machucou.

Eu acho que se fosse por uma questão do asfalto, eu teria percebido mesmo naquela época porque era/é um local muito familiar, que eu provavelmente teria notado e não teria ficado tão em dúvida.

Eu continuo achando que se for por alguma explicação física, foi o pneu, e seria algo que meio que contraria minhas memórias, pois nelas o carro estava normal. Na verdade eu tinha sinceras expectativas que alguém me falasse que é possível o carro passar por cima sem machucar.

Olha isso cara:


A minha situação obviamente não foi a mesma. Mas fico tão em dúvida sobre ela quanto sobre este video.

Wuju Wu Yi
Membro Novato
# jan/17
· votar


alanis morre7

Eu fazia uns exames loucos em que enchiam meu couro cabeludo de eletrodos

Também já fiz. Não lembro o motivo.

alanis morre7
Membro Novato
# jan/17 · Editado por: alanis morre7
· votar


Wuju Wu Yi

Eu fazia sempre e lembro de ter passado por uma bateria de testes cognitivos também.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Infância dos otistas