Café Central - aqui o Brasil tem jeito!

Autor Mensagem
makumbator
Veterano
# 18/nov/19 18:43
· votar


Lelo Mig

Não acreditavam no pacto Ribbentrop - Molotov, mas ele era verdade. A Ursal pode ser um caso parecido. Não duvide desses comunas globalistas.

Zebreiro
Veterano
# 19/nov/19 05:32
· votar


Ursal

Chávez, Morales e Lulla

Mano, eles chegaram perto da hegemonia. Perigoso

JJJ
Veterano
# 19/nov/19 08:08
· votar


makumbator
A Ursal pode ser um caso parecido. Não duvide desses comunas globalistas.

Falou o maior dos ursalinos...

Zebreiro
Veterano
# 19/nov/19 08:13
· votar


ursalinos

AGENTE INFILTRADO

PAU NELE

brunohardrocker
Veterano
# 19/nov/19 08:40
· votar


entamoeba
Hahahaha... você fantasia, hein, rapagote?!

Agora não adianta falar, mas quem tem olhos, vê. E continuará vendo.

makumbator
Veterano
# 19/nov/19 15:58
· votar


JJJ

Falou o maior dos ursalinos...

Mas minha ursagem só promove o amor livre entre iguais, ao contrário desses comunas ecoterroristas globalistas.

Lelo Mig
Membro
# 19/nov/19 16:18 · Editado por: Lelo Mig
· votar


makumbator

"Não acreditavam no pacto Ribbentrop - Molotov"

Cara, apesar da primeira guerra ter sido desastrosa tanto para alemães quanto para os russos, o pacto Nazi-Soviético foi entre duas potências emergentes, na época, afim de dar um chapéu no resto da Europa e fazer uma "meiuca" do Continente entre os dois (por pouco não daria certo).

Aqui na América Latina, essa cambada de País fudido, não consegue invadir nem o Maranhão.

Eu e meia dúzia de caboclo, com um taco de beisebol, botaríamos estes "Ursal" prá correr debaixo de paulada.

"Revolucionário" Latino non ecziste... tudo cachaceiro fanfarrão.

solitude
Membro Novato
# 20/nov/19 08:37
· votar


Esse pacto não foi pra dividir a Europa entre duas potências emergentes, foi pra atrasar a invasão. O Stalin já sabia desde o início da década de 30 que a URSS seria invadida pelo Ocidente (até porque o próprio Ocidente ajudou o Exército Branco na guerra civil 10 anos antes), esse foi o principal motivo pra ele forçar industrialização daquele jeito, com a justificativa de fazer uma acumulação primitiva socialista e dar um salto nas forças produtivas.

Inclusive, como a gente já sabe pelos documentos que foram liberados de 2000 pra cá, durante a década ele até tentou fazer uma aliança anti-nazismo com as democracias liberais da época (Inglaterra e França, principalmente), antes da guerra começar mesmo. Até duas semanas antes eles ofereceram enviar cerca de 2 milhões de tropas e 9500 tanques (entre outras coisas) pra "travar a ameaça nazista". Mas todas as tentativas foram recusadas porque a expectativa dos liberais era que a aliança fascista destruísse a URSS e eles entrassem pra bater nos restos de quem ficasse sobrando.

Inclusive, fugindo aqui, isso é parte da razão dos EUA terem passado tanto tempo "neutros". Só ficaram lucrando com a venda de armas, e até levaram tropas, mas ou deixaram estacionadas observando a coisa desenrolar ou colocaram pra lutar batalhas menores, menos decisivas. Só foram entrar na Europa, invadindo de fato mesmo, quando os soviéticos começaram a ganhar a guerra, empurrando o exército nazista desde Stalingrado até Berlim. Porque senão a Europa ficaria sob ocupação deles, e o pós-guerra seria algo muito diferente do que a gente viu.

Pedro_Borges
Veterano
# 20/nov/19 17:07
· votar


https://www.terra.com.br/noticias/brasil/politica/lula-pressao-por-pri sao-em-segunda-instancia-vem-das-elites,984b819012f59835fdf8aef4c70a7b 011uj5zykk.html

Quem no passado dizia que rico não era preso, só ladrão de galinha, agora inverte o discurso à sua conveniência.

Quero a opinião do LeandroP

LeandroP
Moderador
# 20/nov/19 19:51
· votar


Pedro_Borges

É o mesmo que disse o JJJ

Lelo Mig
Membro
# 20/nov/19 20:03 · Editado por: Lelo Mig
· votar


solitude

"Esse pacto não foi pra dividir a Europa entre duas potências emergentes"

Esse era o interesse "secundário" dentro desse acordo. Tanto é que os soviéticos anexaram todos os seus territórios conquistados diretamente à URSS, como a Carélia finlandesa, os três estados do Báltico, a Polônia Oriental e a Bucovina, e os alemães anexaram a Polônia Ocidental, a Alsácia-Lorena e a Eslovênia.

Se não acontecesse a guerra, você acha que esta marcha de conquistas e divisões ia ter parado aí?

A guerra já estava em 1941 quando o pacto se rompeu por conta de diferenças ideológicas entre Hitler e Stalin e, principalmente, com relação ao interesse de expansão do III Reich a terras eslavas e interesse claro dos nazistas nas reservas econômicas da URSS.

makumbator
Veterano
# 20/nov/19 20:20
· votar


Lelo Mig
quando o pacto se rompeu por conta de diferenças ideológicas

Traçando um paralelo, você acha que o pacto URSAL-FORO de SP vai ser rompido em breve por conta de diferenças ideológicas internas da esquerda delirante?

Wild Bill Hickok
Membro Novato
# 20/nov/19 21:30
· votar


ursalinos

Ursoes do Ot, uni-vos!

Lelo Mig
Membro
# 20/nov/19 22:38
· votar


makumbator

O pacto Ursal foi rompido quando acabou a cachaça no churrasco do Chavez.

solitude
Membro Novato
# 21/nov/19 15:24 · Editado por: solitude
· votar


A Alsácia-Lorena não fazia parte do acordo não.

Eu digo que tá errado falar que existia a intenção de dividir a Europa entre 2 poderes emergentes porque não havia esse tipo de interesse expansionista na URSS a esse momento, não fazia parte da ideologia deles ou do Stalin (a partir dos anos 30 não tem diferença entre as duas coisas né rs).

Até porque eles eram, ao menos na superfície, socialistas, e portanto não tinham o interesse clássico por trás desse tipo de expansionismo/colonialismo (acumulação de capital).

Toda a doutrina de política externa deles era baseada no Marxismo-Leninismo com a visão de "socialismo em um só país" que o Stalin desenvolveu com o Bukharin depois de falharem as tentativas de revolução comunista em outros países da Europa. A partir desse momento eles adotaram uma posição totalmente isolacionista.

Daí a ideologia por trás das negociações de todos os acordos, desde Rapallo em 1922, era só baseada em separar o que os marxistas chamavam de "poderes imperialistas" (na época, eles diziam Reino Unido, França e Alemanha) pra "impedir uma futura coalizão" e "se defender quando os que sobrassem invadissem".

Então até com o Molotov-Ribbentrop o esforço foi pra controlar pontos estratégicos de defesa, porque eles tinham certeza absoluta de que seriam invadidos (o Stalin dizia em 1930 que seriam 10 anos, errou 1 por ano, vai).

Foi até bom falar da Finlândia porque a própria Guerra de Inverno demonstra isso: em primeiro lugar, queriam tirar Leningrado do alcance das artilharias finlandesas, porque os finlandeses "não tinham soberania real, já que não eram poderes imperialistas, e portanto não conseguiriam continuar neutros"; em segundo lugar, queriam controlar as entradas pelo mar Báltico, pra não serem invadidos por essa via. Inclusive é por isso que a princípio eles tentaram vários acordos, até alguns onde eles cediam mais território que a Finlândia, mas por uma série de motivos isso não deu certo e eles resolveram tomar à força.

Veja que tudo gira em torno dessa visão, dessa interpretação das relações de forças no cenário internacional. Isso se expressa até mesmo nas políticas internas, quando a gente vê a justificativa do processo de industrialização forçada: "precisamos desenvolver as forças produtivas a qualquer custo e o mais rápido possível pra criar a máquina de guerra e resistir à invasão", etc. Os Marxistas-Leninistas de hoje ainda defendem exatamente a mesma visão.

Então a resposta pra isso aqui:

Se não acontecesse a guerra, você acha que esta marcha de conquistas e divisões ia ter parado aí?

seria basicamente que sim, da parte dos soviéticos teria parado por aí, não fazia parte dos interesses deles não. Eles queriam ficar isolados, se defendendo quando atacados, e "esperando a revolução acontecer no centro do capitalismo" pra eles terem "a liberdade pra abandonar a ditadura do proletariado e alcançar o comunismo". To colocando em aspas porque não é interpretação minha, é o que eles achavam/acham. A gente pode discordar ou concordar deles, mas é por aí.

Lelo Mig
Membro
# 21/nov/19 17:30
· votar


solitude

Mano, a "Russia" anexou para a formação da URSS: Polônia Oriental, Letônia, Estonia, Lituânia, parte da Finlândia Oriental, leste da Romênia, o norte da Noruega, ilha dinamarquesa de Bornholm. Depois teve a invasão anglo-soviética do Irã.

Ainda a Hungria, A Checoslováquia, a Romênia, a Albânia e depois, como "bônus de guerra" a Alemanha Oriental.

E você diz que "não havia esse tipo de interesse expansionista na URSS"?

Na boa, até entendo seu ponto de vista, mas não concordo. O discurso de "não tinham o interesse clássico por trás desse tipo de expansionismo/colonialismo (acumulação de capital).", como quase tudo do "tratado" socialista, só existiu em teoria. Na prática o que vimos foi bem diferente.

Mas é isso aí... pontos de vistas divergentes. Abraço!

solitude
Membro Novato
# 21/nov/19 19:07 · Editado por: solitude
· votar


Lelo Mig
A URSS foi formada em 1922, esses países que você citou foram "anexados" depois de 1945. E a invasão do Irã não foi pra anexar território, foi pra garantir o corredor de certos recursos durante a guerra porque os aliados (não só a URSS) consideravam que o país tinha "simpatias com os nazistas". Em 1946 os soviéticos já tinham caído fora do Irã.

E é claro que no final da guerra, depois que eles começaram a empurrar o exército nazista de Stalingrado até Berlim, foram aproveitando pra no caminho irem levantando partidos comunistas locais pra governarem esses países na época da reconstrução, e esses países ficariam sujeitos à influência de Moscou no futuro sim. Até nessas situações a intenção principal era mais a criação de uma zona-tampão, com o mesmo raciocínio isolacionista, mas de qualquer forma, isso é outro momento histórico.

O que eu to falando é da doutrina de política externa dos soviéticos no período entreguerras, porque a questão era o pacto Molotov-Ribbentrop. E aí tá bem claro que, nessa época, a preocupação deles era focar na ideia do socialismo em um só país pra se defender na tal da Grande Guerra que eles diziam que tava chegando. É por isso que os soviéticos não se preocuparam tanto assim com a Revolução Espanhola de 1936-39, por exemplo, que foi um palco importantíssimo do período. É por isso também que, depois de superarem as decisões erradas que o Stalin tomou no começo da Guerra de Inverno, eles podiam ter literalmente anexado a Finlândia inteira se quisessem, mas mesmo assim aceitaram o tratado de paz.

O Trótsky era quem defendia uma política externa internacionalista (não necessariamente expansionista porque a palavra não se aplica bem ao Marxismo-Leninismo deles, mas enfim), mas depois que ele perdeu a disputa política nos anos 20 ficou essa ideia que o Stalin criou com o Bukharin mesmo. De entrar no modo tartaruga, buscar autossuficiência, capacidade de autodefesa, e ficar nesse estado esperando "a revolução acontecer no centro do capitalismo".

Eu recomendo bastante a biografia que o Stephen Kotkin tá escrevendo do Stalin, esclarece bem essas coisas, e é feita depois da archival revolution que eu falei, que basicamente deixa obsoleto boa parte do que foi escrito sobre a URSS antes dos anos 2000. Ainda não lançou o 3º volume, mas dá pra achar os 2 primeiros por aí.

entamoeba
Membro Novato
# 25/nov/19 22:27
· votar


Damares convocou entrevista e ficou calada.

Contexto:

"Aposto R$1000 que não vou falar merda na entrevista".

makumbator
Veterano
# 25/nov/19 22:41 · Editado por: makumbator
· votar


entamoeba

Rapaz, ela lacrou em alto nível. Foi ao nível de uma performance artística pós-moderna. Damares pra direção da Funarte. Eu achei bem legal. Se fosse uma feminazi qualquer do femen a esquerda iria adorar. Deixa a Damares lacrar caramba!

JJJ
Veterano
# 26/nov/19 10:50 · Editado por: JJJ
· votar


Pergunta séria pros que ainda nutrem alguma simpatia por esse governo, ainda que seja só pela área econômica - se bem que... - enfim...

Precisava dessa "ala" tão caricata?

O "guru" e suas maluquices, um partido "balaio de gato" esfacelado, um chanceler perdidinho, um ministro do meio ambiente que parece que veio de Marte, um ministro da educação sem paralelo na História, essa senhora aí, o Huguinho, o Zezinho e o Luizinho... Sem contar as pérolas quase diárias do pai. Precisava disso? Sério? Era esse o preço pra tirar o petê? Não tem ninguém mais "normalzinho" nessa direita brazuca?

Pedro_Borges
Veterano
# 26/nov/19 11:29
· votar


Não tem ninguém mais "normalzinho" nessa direita brazuca?

É uma carência total, pois, os que poderiam ser de direita, se acomodam nos governos em troca de cargos e benesses e passam a defender a esquerda. MDB, DEM e etc. PSDB não conta, pois é uma esquerda disfarçada.

JJJ
Veterano
# 26/nov/19 12:16
· votar


Pedro_Borges
PSDB não conta, pois é uma esquerda disfarçada.

Mas não dá tanta vergonha alheia, pelo menos, né?

brunohardrocker
Veterano
# 26/nov/19 12:35
· votar


O "guru" e suas maluquices, um partido "balaio de gato" esfacelado, um chanceler perdidinho, um ministro do meio ambiente que parece que veio de Marte, um ministro da educação sem paralelo na História, essa senhora aí, o Huguinho, o Zezinho e o Luizinho... Sem contar as pérolas quase diárias do pai. Precisava disso? Sério? Era esse o preço pra tirar o petê? Não tem ninguém mais "normalzinho" nessa direita brazuca?

Toda essa galera não tem poder de despachar nada por decreto, eles precisam que uma caralhada de burocrata, lobista, político, grupo de pressão, oposição, imprensa, os deixem executar suas medidas.

E vocês não criticam esses entraves.

acabaramosnicks
Membro Novato
# 26/nov/19 12:49
· votar


brunohardrocker
A fita é que se tratando dos Bozos, dou graças a Deus que tem os entraves.

Ps: Isso também se aplica a Dilmãe e Molusco. Sabe-se lá que buraco estaríamos se a anta tivesse sido dona do Br por 4 anos

brunohardrocker
Veterano
# 26/nov/19 12:54
· votar


acabaramosnicks

Esses entraves só pensam no próprio umbigo. E o objetivo é 2022.

Vai aceitando.

JJJ
Veterano
# 26/nov/19 18:11
· votar


Tô com o acabaramosnicks... Santos entraves!!!

TWT ICE
Veterano
# 27/nov/19 10:55
· votar


Ai esse ministro que falou que universidades federais plantam maconha e produzem metanfetamina ja levou a PF pra prender os criminosos?

Ou é mentiroso ou é vagabundo e nao quer trabalhar

solitude
Membro Novato
# 27/nov/19 12:44
· votar


TWT ICE
Eu queria muito viver nesse mundo que existe na cabeça da direita brasileira. 100 anos de socialismo, marxismo nas escolas, plantações de maconha na universidade. Porra, a gente vive no paraíso e eu não sabia.

brunohardrocker
Veterano
# 27/nov/19 13:05
· votar


Acho válida a provocação.

Eu não diria a mesma coisa, mas já que alguém disse, antes ele do que eu.

Lelo Mig
Membro
# 27/nov/19 13:19 · Editado por: Lelo Mig
· votar


TWT ICE
solitude

Sabe o que me deixa puto? É que um fidaputa destes não têm a miníma vergonha na cara, estes "conservadores" se comportam feito garotas de programa que falam mal dos clientes pelas costas. A grande maioria é falso moralista e mal caráter.

Esse verme estou DE GRAÇA na USP. E depois ganhou salário, com formação que obteve de graça, ministrando aulas na Unifesp. O pai dele foi professor na USP. O pai dele escreveu um livro chamado Cannabis, nos anos 80, que pregava a dissociação entre uso e criminalização. A mulher e o irmão dele são professores universitários.

Agora o cara vem com essa conversa de plantar maconha em Universidade? O cara tá há décadas dentro delas porque nunca falou porra nenhuma?

É mais um "funcionário público" deste governo Bolsonaro, infestado de pessoas que NUNCA produziram nada na vida, a imagem do próprio presidente que sempre foi um vagabundo inútil.

É um cara que já sofreu acusação de nepotismo na Unifesp e que tentou interditar o próprio pai.

Um sujeito que têm um histórico escolar sofrível, comete erros absurdos de português e só fala bobagem... a imagem de seu presidente.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Café Central - aqui o Brasil tem jeito!