Os americanos e seu conservadorismo

Autor Mensagem
g.wilhelms
Veterano
# abr/12
· votar


Até 1968, esse era o nome. Nossos pais e avó são "estadosunidenses".

Sim, depois da proclamação da República em 1889 este era o nome, e antes dele era Império do Brasil, agora eu pergunto, alguém falava Estados Unidos do Brasil ou Império do Brasil? Não, as pessoas falavam apenas Brasil, diferente do que ocorre com os EUA, pois as pessoas falam Estados Unidos, ou então Estados Unidos da América.

Só eu odeio esse papo mimimi de "america é todo o continente mimimi

Não é questão de odiar ou não odiar, é questão de geografia, ou vai me dizer que a América não é um continente?

Cavaleiro
Veterano
# abr/12
· votar


Coisa de comunista ficar de mimimi com americanos e chamar de estadunidenses, imperialistas, norte-americanos e etc.

As pessoas apegam-se demais a terminologia, o problema é quando usam para fins de classificação subversiva ou massa de manobra pela linguagem. "Os caras se denominam americanos, acham que mandam em todo mundo".

Joseph de Maistre
Veterano
# abr/12
· votar


Aprendam a falar direito, pô.

O gentílico mais preciso para se referir aos EUA é "ianque" (é o que eu geralmente uso, não obstante toda a carga pejorativa que certos partidos de esquerda impingiram ao termo nas últimas décadas).

Esse negócio de "estadunidense" é uma invenção de comunistas analfabetos com complexo de inferioridade.

g.wilhelms
Veterano
# abr/12
· votar


Coisa de comunista ficar de mimimi com americanos e chamar de estadunidenses, imperialistas, norte-americanos e etc.

Sabia que ia ter alguém para dizer isso, rsrs. Mas não, eu não sou comunista e nem anti-EUA, na real acho o comunismo tão conservador e reacionário, quanto qualquer sistema de extrema-direita. Os extremistas, independente de serem de direita ou esquerda, são uns vermes em qualquer situação. Eu chamo de estadunidenses, porque também é correto chamar de estadunidenses, se alguém duvida, é só pesquisar. Acho importante chamar a atenção para determinadas palavras que usamos sem nos darmos conta de sua significação. Se alguém quiser chamá-los de americanos, que chamem, mas eu continuarei chamando eles de estadunidenses. E só para constar, eu sou "liberal", o que inclui ser a favor do liberalismo econômico. Viu como não os odeio?

brunohardrocker
Veterano
# abr/12
· votar


Caramba, e eu zombei da colocação do cara na página anterior. A discussão tomou aquele rumo mesmo.

snowwhite
Veterano
# abr/12
· votar


Vou mudar o título do tópico para OS IANQUES E A CENSURA

brunohardrocker
Veterano
# abr/12
· votar


snowwhite

Não, muda pra "Como se denominam os habitantes dos EUA?"

Cavaleiro
Veterano
# abr/12
· votar


Os extremistas, independente de serem de direita ou esquerda, são uns vermes em qualquer situação.

Eu acho o extremismo uma posição tão válida quanto qualquer outro, o único problema é o que já apontava Descartes. Ele dizia que nunca seria extremista porque se você estiver errado em suas convicções e estiver em um ponto entre os dois extremos, terá errado menos.

E eu já penso diferente, eu não gosto das pessoas que estão no centro, em cima do muro. Porque embora a opinião delas seja válida, representa essencialmente uma ausência de convicção. Respeito mais quem é de extrema esquerda do que aqueles que se dizem do centro.

g.wilhelms
Veterano
# abr/12
· votar


Eu acho o extremismo uma posição tão válida quanto qualquer outro

Discordo completamente. Falei extremista me referindo a pessoas que saem matando as outras pelos seus ideias, e eu não acho que isso seja nenhum pouco válido, não acho que nada que fira a democracia seja válido. Terroristas religiosos são extremistas, o pessoal das Farc também...

Cavaleiro
Veterano
# abr/12 · Editado por: Cavaleiro
· votar


g.wilhelms

Mas eu estou falando de convicção política, não de crimes, e muito menos de religião.

Farc é narcotráfico e terroristas religiosos estão seguindo os dogmas da sharia, não tem a haver com a discussão.

Crimes são abomináveis em qualquer instância.

nada que fira a democracia

Eu defendo a análise a partir de quatro quadrantes, direita, esquerda, concentração de poder do estado e diminuição do poder do estado.

Sua opinião vai estar ligado a uma das duas primeiras variáveis e outra entre a terceira e quarta.

A etimologia da palavra democracia está no governo pelo povo, se você a defende em sua totalidade, na verdade está defendendo a anarquia que é um extremo no quadrante de diminuição do poder do estado.

snowwhite
Veterano
# abr/12
· votar


Cavaleiro
E eu já penso diferente, eu não gosto das pessoas que estão no centro, em cima do muro. Porque embora a opinião delas seja válida, representa essencialmente uma ausência de convicção. Respeito mais quem é de extrema esquerda do que aqueles que se dizem do centro.

O problema dos extremista não está na ideologia pessoal. Mas esta posição geralmente precede ações práticas de extremismo como invasões, guerras, regimes de exceção com cerceamentos de liberdade de pesnamento e expressão e outros. O centro é uma posição de abertura à negociação, não necessariamente estar em cima do muro. E estão sempre uma relativamente em oposição à outra, sendo estas duas posições as que se estabeleceram nas sociedades modernas.

Eu, por exemplo tendo ao centro direita. Ou seja, não concordo com as posições de esquerda, mas não sou de extrema porque estaria compactuando com ações extremistas como a instituição de um regime autoritário que fizesse valer a ideologia de direita sobre as demais.

brunohardrocker
Veterano
# abr/12
· votar


Cavaleiro
E eu já penso diferente, eu não gosto das pessoas que estão no centro, em cima do muro. Porque embora a opinião delas seja válida, representa essencialmente uma ausência de convicção. Respeito mais quem é de extrema esquerda do que aqueles que se dizem do centro.

Mas não é bem por aí.

A opinião "do centro" pode muito bem ser uma convicção ponderada. Alguem que buscou conhecer os dois extremos e filtrou o que achava correto de ambos.

E as posições podem não corresponder somente a uma linha reta. Se pensar num triângulo, temos 3 pontos distintos.

Cavaleiro
Veterano
# abr/12
· votar


snowwhite
s não sou de extrema porque estaria compactuando com ações extremistas como a instituição de um regime autoritário que fizesse valer a ideologia de direita sobre as demais.

Não concordo, a partir da análise que eu comentei no post anterior:

Eu defendo a análise a partir de quatro quadrantes, direita, esquerda, concentração de poder do estado e diminuição do poder do estado.

Sua opinião vai estar ligado a uma das duas primeiras variáveis e outra entre a terceira e quarta.

A etimologia da palavra democracia está no governo pelo povo, se você a defende em sua totalidade, na verdade está defendendo a anarquia que é um extremo no quadrante de diminuição do poder do estado.


No caso o totalitarismo e a descentralização podem ocorrer tanto pela esquerda ou pela direita.

Um exemplo é o socialismo e o livre mercado, o fim do socialismo utópico é delegar o poder do povo, e o livre mercado em sua totalidade converge para a ausência do estado ou ao menos uma minimização do seu poder.

O mesmo pode ocorrer no vetor do totalitarismo.

Cavaleiro
Veterano
# abr/12 · Editado por: Cavaleiro
· votar


brunohardrocker

Mas aí ele não é centro, é centro-direita ou centro-esquerda.

Que na verdade é até meu caso, eu me considero direita mas não extremista, compactuo mais com Friedman do que com Mises.

Eu tô falando do centro-centro mesmo.

Como eu disse, defendo a análise por quadrante.

Para analisar em triângulo o terceiro fator deveria ser uma convicção distinta, não um misto dos dois ou ausência.

Como a restrição tripla do gerenciamento de projetos na 3ª edição do PMBOK, mas aí estou fazendo uma conversão de análise de projetos para política, mas acho que é bem adaptável haha

snowwhite
Veterano
# abr/12
· votar


Cavaleiro
Eu defendo a análise a partir de quatro quadrantes, direita, esquerda, concentração de poder do estado e diminuição do poder do estado.
O que se percebe é que tanto nos quadrantes esquerda como direita, quando se tende ao extremismo, haverá concentração de poder do Estado porque aumentam as pressões sociais e o Estado assume a rédea, nem sempre pelo viés do diálogo.

François Quesnay
Veterano
# abr/12
· votar


Bloody yanks won't learn that it is football, not soccer.

g.wilhelms
Veterano
# abr/12
· votar


Farc é narcotráfico e terroristas religiosos estão seguindo os dogmas da sharia, não tem a haver com a discussão.

Crimes são abomináveis em qualquer instância.


Tem tudo haver com a discussão. As Farc tem um posicionamento político extremista, no caso de extrema-esquerda, e os crimes que eles cometem são em nome desse posicionamento. Porém é perfeitamente possível ser de esquerda ou direita, sem aderir a idéias extremistas, e sem com isso ser centrista.

brunohardrocker
Veterano
# abr/12
· votar


Cavaleiro

Mas eu entendo "estar em cima do muro" com uma falta de opinião mesmo, não como uma opinião de centro. Quem está em cima do muro é porque não concluiu nada, não assumiu nenhuma posição.

Quem filtrou o que achava correto de dois extremos, assumiu uma posição. E acho muito fácil encontrar falhas em qualquer linha de pensamento. Para que defenderíamos também as falhas?

François Quesnay
Veterano
# abr/12
· votar


Mas eu entendo "estar em cima do muro" com uma falta de opinião mesmo, não como uma opinião de centro. Quem está em cima do muro é porque não concluiu nada, não assumiu nenhuma posição.

uma resposta simples para uma questão complexa sem dúvida envolverá violência e/ou preconceito.


por isso, em cima do muro ftw.

snowwhite
Veterano
# abr/12 · Editado por: snowwhite
· votar


Cavaleiro
brunohardrocker
A opinião "do centro" pode muito bem ser uma convicção ponderada. Alguem que buscou conhecer os dois extremos e filtrou o que achava correto de ambos.

Eu vou mais por esta idéia. Pra mim em cima do muro é diferente de ser de centro.

g.wilhelms
Veterano
# abr/12
· votar


Normalmente quem é de esquerda e direita, compra um pacote de idéias, mas e se eu não quiser concordar com todas? Posso apoiar o aborto e a eutanásia, que são bandeiras da esquerda, e apoiar o livre mercado, que é uma bandeira da direita, isso apenas citando um exemplo. É como o camarada falou:
Quem filtrou o que achava correto de dois extremos, assumiu uma posição. E acho muito fácil encontrar falhas em qualquer linha de pensamento. Para que defenderíamos também as falhas?

brunohardrocker
Veterano
# abr/12
· votar


Cavaleiro
Para analisar em triângulo o terceiro fator deveria ser uma convicção distinta, não um misto dos dois ou ausência.

Sim, só dei o exemplo de triângulo. Mas acho até interessante analisar utilizando circulos e intersecções, que a gente aprendia em matemática lá na setima serie.

As opiniões são um emaranhado. Tipo, você ainda vai encontrar um vegan não-feminista ou não-comunista, embora eu relacione uma coisa com a outra automaticamente na minha "estereotipização".

Cavaleiro
Veterano
# abr/12
· votar


brunohardrocker

Se você é centro-centro mesmo, você tem uma ausência de opinião mesmo.

Quem filtrou o que achava correto de dois extremos, assumiu uma posição. E acho muito fácil encontrar falhas em qualquer linha de pensamento. Para que defenderíamos também as falhas?

Mas este é o meu ponto, se você se apropriou de conceitos de algum dos outros extremos para formar a sua opinião você já não é mais centro na minha opinião.

Se você é centro direita, por exemplo é justamente porque concorda com parte das convicções da direita, discorda de outras e pode até concordar com algumas posições da esquerda. (só concorda mais com a direita do que com a esquerda). O que muda são os níveis.

As únicas situações que você seria realmente centro seriam se concordasse e discordasse dos dois no mesmo nível ou tivesse uma espécie de agnosticismo relacionado a política.

Mas acho perigoso ficar filtrando muito porque acaba tornando-se ainda mais inviável e vira uma salada mista ideológica.

Cavaleiro
Veterano
# abr/12
· votar


g.wilhelms

Como eu disse, aí você é centro-direita ou centro-esquerda.

snowwhite
Veterano
# abr/12
· votar


g.wilhelms
Normalmente quem é de esquerda e direita, compra um pacote de idéias, mas e se eu não quiser concordar com todas? Posso apoiar o aborto e a eutanásia, que são bandeiras da esquerda, e apoiar o livre mercado,

Exatamente.

François Quesnay
Veterano
# abr/12
· votar


Normalmente quem é de esquerda e direita, compra um pacote de idéias, mas e se eu não quiser concordar com todas? Posso apoiar o aborto e a eutanásia, que são bandeiras da esquerda, e apoiar o livre mercado,

por isso mesmo eu apoio a desoneração da folha de trabalho e o aumento das arrecadações da Previdência...

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Os americanos e seu conservadorismo