Mini's Heads valvulados ou os Heads Potentes convencionais?

Autor Mensagem
Melchiades
Veterano
# mai/15


Estou com uma dúvida, tenho um Mesa Boogie Dual Rectifier Solo Head de 100w e também tenho um Mesa Boogie Mini Rectifier 25w.......... Eu não tenho banda e nunca tive....mas gosto do som pesado com pressão sonora quando toco no Dual 100w..... Mas como tenho amps com timbres iguais, preciso mandar um deles embora e estou na dúvida em qual deles debo ficar comigo......pois quero comprar outro Amp com timbre menos comprimido, menos metal......está é minha dúvida.......devo ficar com o Mini e começar a envestir em Heads pequenos ou vender ele é procurar outro head convencional potente para tocar rocknroll ..

Hitman
Veterano
# mai/15
· votar


Melchiades
Voce geralmente toca alto?

Que som mais ou menos pretende ter com o segundo amp?

Eu no seu lugar seguraria o dual e mandaria o mini pro saco mas isso com minhas preferencias de headroom, timbre, etc etc... tem que ver o que te atende melhor..

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# mai/15
· votar


Melchiades
Mesa Boogie Dual Rectifier Solo Head de 100w
Pra que vc tem isso?
Eu não tenho banda e nunca tive
Menos sentido faz ainda...
devo ficar com o Mini e começar a investir em Heads pequenos ou vender ele é procurar outro head convencional potente para tocar rocknroll ..
O seu de 25 nada tem de "pequeno"...
Aliás, tocar rocknroll pra que se vc "...não tem banda nem nunca teve..."?

Hitman
Veterano
# mai/15
· votar


Mauricio Luiz Bertola
Mesa Boogie Dual Rectifier Solo Head de 100w
Pra que vc tem isso?
Eu não tenho banda e nunca tive
Menos sentido faz ainda...

Se o cara gosta/quer e pode pagar, acho um motivo valido o suficiente.
Se for na base de pura necessidade pouquos avancariam da Memphis, jennifer da vida, zoom 505 II e seu atomic drive por que apesar de querer outra coisa nao exatamente necessario.
Mesmo vale para a mania da classe media alta brasileira ter carro grande (SUV) sem necessidade alguma mas por algum motivo isso ninguem questiona.

*dito em um tom suave e nada agressivo.

Corriga-me se estiver errado

Melchiades
Veterano
# mai/15
· votar


Já tive N amps, desde valvestate....vulcano....frontman.....valvulados... Até chegar aonde eu queria que era o Mesa Dual..... Estou com ele faz tempo......mas como apareceu um Mini num rolo peguei e estou com dois agora..... E o som de ambos são iguais, tirando a pressão sonora nas 2x12.
Se eu mandar embora o Mini vou comprar um pedal da Bogner Red pra ter mais sons Vintage, que o Mesa não tem de nada....
curto desde Led Zeppelin à Cannibal Corpse .... E não existe Amp que cubra esta gama .... É isso!

Melchiades
Veterano
# mai/15
· votar


Tenho a guitarra como Hobbie desde 1987, sempre curti Heavy Metal e Hard Rock, e nunca toquei não por falta de oportunidade....não toco bem mesmo ... Faço barulho...... Mas a pressão sonora que um Amp potente proporciona é Loko!

Hitman
Veterano
# mai/15
· votar


Melchiades
Se eu mandar embora o Mini vou comprar um pedal da Bogner Red pra ter mais sons Vintage, que o Mesa não tem de nada....
Corrigiria isso pra "esse Mesa"
Os solos sao dificeis pra conseguir esse som mesmo, apesar de ja ter visto timbres exelentes na onda com um triple solo.

Da uma olhada no roadster. Canal 1 e 2 sao completamente diferentes do solo ou ate mesmo o Mark V.

Melchiades
Veterano
# mai/15
· votar


Acho q vou pegar os dois ver a possibilidade de pegar um destes amps. Tenho um amigo em São Jose que deve ter o Roadster Head.

Hitman
Veterano
# mai/15
· votar


Vou te mandar uma PM Melchiades

goonies
Veterano
# mai/15
· votar


Hitman

Se o cara gosta/quer e pode pagar, acho um motivo valido o suficiente.

Concordo plenamente!

Se eu fosse escolher por apenas ter 1 ampli, eu escolho um de 50W.

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# mai/15
· votar


Hitman
Se o cara gosta/quer e pode pagar, acho um motivo valido o suficiente.
Você pode até achar isso; é questão sua. Mas que é inútil, é...
Se for na base de pura necessidade pouquos avancariam da Memphis, jennifer da vida, zoom 505 II e seu atomic drive
Discordo. Isso que vc citou é equipo de baixa qualidade, que não se compara a um equipo sequer semi-profissional, embora eu já tenha visto e ouvido caras fazerem sons surpreendentes usando uma 505 e um bom amp...
Mesmo vale para a mania da classe media alta brasileira ter carro grande (SUV) sem necessidade alguma
Também acho isso uma bobagem e uma inutilidade, principalmente porque o transito das grandes cidades não é adequado para carros assim, e, a presença deles "atravanca" ainda mais o que já é complicado; ademais, paga-se ao governo taxas absurdas e não se arruma local para estacionar, ou seja: Mais problemas que soluções, mais necessidade de "aparecer" que necessidade de uso real, mais "arrogância de classe" e egoísmo/egolatria que uso consciente.
O problema a que aludí não é a sua vontade de ter um amp de 100WRMS (vc pode ter o que vc quiser e puder comprar...), mas sim o fato de vc ter um e não tocar em uma banda que toque em palcos grandes, enormes! Nesse caso, é inútil, superdimensionado, (é como usar uma calibre 12 para matar mosquitos!); e isso não é um "juízo-de-valor" sobre a sua pessoa.
Abç

boblau
Veterano
# mai/15
· votar


Para mim, a questão da potência está intimamente ligada a resposta de graves. Os amplificadores de média e baixa potência (de 1 a 30 watts) podem "berrar" bem alto, porque uma guitarra tem nos médios as freqüências mais características. Mas este amplis são incapazes de responder bem os graves presentes dentro do espectro das freqüências de uma guitarra. Os graves simplesmente entram na distorção e desaparecem (eles estão lá, mas bem baixinhos).

Eu já usei amplis de 30 watts, 50 watts e 100 watts ao vivo em palco e na minha opinião, 100 watts estão em uma potência onde os graves aparecem.

Isto pouco tem a haver com o volume em que se toca com o amplificador ao vivo. Estou somente falando de um ampli está em um volume capaz de ter presença frente a uma bateria e um baixo. Se a banda tiver teclado então, aí que os graves desaparecem mesmo.

Claro que se deformarmos totalmente o som da guitarra com múltiplos efeitos de distorção, é normal que estes dispositivos cortem as freqüências mais baixas, aí fica tudo igual e comprimido e tocar com 100w ou 5w dá mais ou menos na mesma.

Ismah
Veterano
# mai/15
· votar


100 watts estão em uma potência onde os graves aparecem.

Concordo em parte. Verdade que os graves precisam dessa potência toda, mas está mais ligado a quantidade de falantes e os capacitores da fonte, que à potência.

Tem a questão de equalização também. Usar um EQ (não pedal de 9 ou 10, mas eq de 31 bandas, ou um paramétrico de 4 bandas), que dá pra puxar os graves pra cima... Elwood Francis usa um 31 ou 32 bandas pra compensar a falta de peso das cordas 007 e 008 do Billy Gibbons.

Veja que se usar um amp de 100W em 50%, teria o mesmo volume de um amp com 10W (usa-se pots logarítmicos geralmente pra volume).

Logo o teste é simples: coloque o volume em 14horas~15horas, se ainda servir, vai fundo, se não parta pra algo menor.

Estaria arrependido dos 100W se o amp tivesse drive.

boblau
Veterano
# mai/15
· votar


Ismah

não sei se me expressei mal, mas vc não entendeu o que eu quis dizer.

A resposta de graves de um amplificador tem tudo a haver com a potência dele. Para o ampli responder uma freqüência grave no mesmo volume de uma freqüência média, ele dissipa muito mais potência.

E não adianta colocar um equalizador para puxar os graves para cima em um ampli de 10watts pois só vai aumentar a distorção, mesmo que seja um equalizador de qualidade. Muitos guitarristas usam inclusive pedais tipo "Octaver" da Boss para aumentar a distorção e ninguém percebe. Um dos casos mais clássicos é o do Gary Moore. Quero ver quem percebe um pedal desses ligado nas gravações dele.

Um paralelo a isto se dá com amplificação de um baixo. Para responder a baixas freqüências, é necessária muita potência para não distorcer. Outro paralelo são os megafones, que respondem somente médios e tem um volume ensurdecedor e de grande alcance com uma pequena potência, mas totalmente sem graves.

Vc pode colocar vários alto falantes em um ampli pequeno, que mesmo assim ele não vai responder as freqüências mais baixas a partir de um determinado volume (talvez não tenha nem potência para mexer direito os cones dos falantes...).

Estaria arrependido dos 100W se o amp tivesse drive

essa aí eu não entendi....

vintagentleman
Veterano
# mai/15
· votar


Melchiades

Você não faz shows e se um dia fizer o de 25 W será mais que suficiente.

Venda o de 100 W e compre um Orange de 15 W comutáveis para 7W. Resolverá totalmente seus problemas com muita qualidade.

E você cobrirá do estudo até alguns shows (nem tão pequenos assim como de 25 W).

Melchiades
Veterano
# mai/15
· votar


No meu caso é o seguinte:
No local onde toco com poucoseteos quadrados fechado ligado o dual de 100w com 212 Harley Benton v30 em baixo volume 1/2 no Ch3 e 1/4 no master me da um grave porrada no peito............o que não ocorre com o Mini, o Mini tem muito volume, mas não tem a pressão sonora.....por isso deverei vender o Mini e com a grana comprar um pedal Bogner Ecstasy Red e usar no canal limpo do mesa, que tem um enorme headroom.... Pelo menos assim consigo ter um equipo que posso tocar "tentar" desde Led..Ac/dc ..... Até Cannibal Corpse ....VLW.

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# mai/15 · Editado por: Mauricio Luiz Bertola
· votar


vintagentleman
Toquei em uma banda no qual o guitarrista (e meu amigo Sandro Cabeção) tinha (tem) um Mesa Boogie Caliber 22 com caixa 1X12. Fomos tocar em um centro cultural e eu estava usando um Staner BX200 com 2/3 do volume (mais pedais), e ele não passou do 4 e já "cobria" tudo!!! Outra vez fui dar uma "canja" com esse meu amigo e um camarada dele que levou um Marshall JCM800 de 50WRMS e uma 4X12. Ninguém ouviu nada por conta desse maluco... Ele até já vendeu esse amp pois, além de ocupar um espaço enorme, ficava lá na casa dele sem ter como, quando, nem com quem usar...
Abç

Melchiades
Veterano
# mai/15
· votar


Inicialmente eu estava atrás de um Orange Dual Terror..... Achei ótimo o timbre.....primcipalmente quando regulei ele a um nível de drive que não conseguia com meu amp(clean-raw-punch-vintage-modern)....um drive diferente característico.....ai estava Loko atrás deste tipo de Amp para troca ... Estou achando que 2 amps é fria e talvez seja melhor investir em algum pedal tipo o Bogner Ecstasy Red que tem um drive bem legal que cobre uma boa Gama.

Filippo14
Veterano
# mai/15
· votar


Melchiades
Com a grana do Mesa Boogie de 100w você compra esse Orange que tem um timbre diferente do que você tem, com uma caixa 2x12 e um ab/box. Liga os dois amps no ab/box e sua guitarra. Vai ter uma sonoridade melhor que ter um Bogner Ecstasy no clean do Mesa. Fora isso, se você comprar uns falantes diferentes do V30 você terá opções de timbre diferentes e daria para ter uma pressão sonora maior ainda usando as duas caixas ao mesmo tempo em um dos amps, ou seja, 4x12.

Com esses amplificadores não teria sentido ter pedais de distorção aos montes, só fuzz e boost.


Abração

Rafael A.
Veterano
# mai/15
· votar


Já tive oportunidade de tocar em alguns amps de responsa nesses estúdios de ensaio. Já toquei num Dual recto, num JCM 900 e num Hiwatt, todos valvulados de 100w de potência.

A "pancada no peito" realmente é demais, ainda mais com as 4 x 12. Mas mesmo com outra guitarra, baixo e bateria, o volume ficou pouco abaixo da metade. E ainda fiquei com os ouvidos "apitando" por um dia, haha.

Aliás, mesmo no estúdio que tinha Marshall MG100, transistorizado, sobrava potência. apesar que ficou nítido que ele rende menos que os valvulados.

Também tenho um valvuladinho de 15w e 1 falante de 12', e o bicho tem graves, hein. Moro em casa, e tenho condição de aumentar bem o volume.

Enfim, a lógica, já que os dois amps tem o mesmo som e vc não usa toda a potência dele seria ficar com o menor e fazer verba com o maior. Mas meio que vc já respondeu o que quer: ficar com o maior, já que o menor vc obteve num rolo...

E pelo que já toquei no grande, ele é bem versátil mesmo em volumes não tão altos. Aí, acho que vai da sua necessidade de quanto caixa vc quer gerar.

Iversonfr
Veterano
# mai/15
· votar


Melchiades
por isso deverei vender o Mini e com a grana comprar um pedal Bogner Ecstasy Red e usar no canal limpo do mesa, que tem um enorme headroom

Ter um ampli desse tamanho pra usar dessa maneira acho um desperdício total, usar 1/4 do master é muito pouco. Creio ser mais negócio vender o 100w e ficar com o Mini pois apesar de não ter a mesma pressão sonora como você diz, é muito mais usável e aproveitável. Com a grana do Dual você consegue comprar uma infinidade de amplis. E se puder completar um pouco de grana, uma ideia é o Mark V, que tem opções de 90W, 45W e 10W. Não tem o mesmo som do Dual em questão de timbre, mas em versatilidade pro que você quer, parece ser uma excelente opção.

Hitman
Veterano
# mai/15
· votar


Galera...

Podem achar um total disperdicio mas eu nunca conheci ninguem que comprou um rectifier pelo som do power saturado. Som desses amps esta completamente no pre. Eu mesmo detestava tocar alto o suficiente para saturar o power dele.
LOGO.... nao eh um amp para se tocar no 11 o tempo todo como um marshall da vida. Com um pouco de volume ele funciona muito bem em casa sim.
Fora a questao dos graves que o boblau mencionou que eh algo que eu tambem defendo nesse forum o tempo todo e sempre eh a mesma briga.
15w< eh inutil, voce nao toca em estadio, voe vai ficar surdo, etc
15w> perfeito, melhor som, pode tocar em casa.

Ismah
Veterano
# mai/15
· votar


boblau (vale pro Hitman também)
E não adianta colocar um equalizador para puxar os graves para cima em um ampli de 10watts

Esse é o erro crasso: dar ganho no que falta. Equalizador não serve pra isso (à menos que ele vá atuar como booster), vc tem que cortar o que sobra, não adicionar o que falta. Claro, com isso vai ter menos volume, o que justifica um amp de média potência.

Concordo PLENAMENTE que vale um amp com uma potência razoável (por volta de 50W), e uma (ou mais) 4x12" - ainda acho coisa de fresco, dizer que vai fazer dodói na coluna. Mais que isso é subutilizar equipamento em maior parte dos casos, como tocar em bares e pubs, e blá blá blá...

essa aí eu não entendi.... (falando de ter me arrependido do amp de 100W)

Cara 100W num overdrive leve, passariam pra cerca de 192W, e num drive mais pesado, passaria tranquilo dos 250W... isso é volume pra carvalho... Não teria lugar pra usar ele a priori.

MMI
Veterano
# mai/15 · Editado por: MMI
· votar


Hitman

A grande questão dessa discussão toda é que tratam a potência como um número apenas. Número por número, o pessoal tem razão em falar que 100W é muito em casa, melhor um de 5W talvez (para tocar em casa). Só que não é só uma questão de número...

Em valvulados o buraco é mais embaixo. Um amp de 5W geralmente é um class A de EL84. Não tem nada a ver com um 100W class AB de 6L6, EL34, KT. Quem dirá um class B, class C... Ou seja, entre um 5W, um 50W e um 100W tem diferença no projeto todo, não é só uma questão de número. Daí que vai ter som diferente.

Hitman
Veterano
# mai/15
· votar


MMI
Esse buraco ai vai bem mais embaixo mesmo! haha

Digo... Se pegar 3 amps em teoria identicos. Single rectifier, dual rectifier e triple rectifier, vai ver uma diferenca boa no headroom e consequentemente nos graves dos 3. Por isso conheco tantos 7 stringers que optam pelo triple, e nao porque o maracana eh uma arena pequena para eles.

Ismah
Veterano
# mai/15
· votar


Salvo pelas opções de retificação, todos teriam modelos iguais em quesito potência (50W), não?

boblau
Veterano
# mai/15
· votar


Claro, com isso vai ter menos volume, o que justifica um amp de média potência.

Aleluia!

Cara 100W num overdrive leve, passariam pra cerca de 192W, e num drive mais pesado, passaria tranquilo dos 250W... isso é volume pra carvalho... Não teria lugar pra usar ele a priori.

Agora que eu não entendi mais nada mesmo. Vc está afirmando que um amplificador que tem uma capacidade máxima de potência de 100 watts de pico, vai aumentar a potência por conta da distorção de um pré? De onde vem esta potência?

Pelo que estudei, um amplificador de 100 watts tem esta potência como potência de pico e quando ele é utilizado para amplificar uma guitarra, sua potência média contínua é de aproximadamente 22 watts, em função das frequências emitidas pela guitarra e seus harmônicos.

O resto é distorção harmônica: num sinal de áudio sem distorção vemos que este é um senóide, isto é, um sinal completamente arredondado, quando observamos um sinal apresenta distorção, este apresenta como uma deformação, sendo que a única diferença entre eles está nos topos e vales de cada sinal, onde no sinal distorcido ele se apresenta achatado, enquanto que no sinal sem distorção ele é todo arredondado.
Este achatamento do sinal de áudio, no sinal distorcido, também é chamado de "Enquadramento". Muitas pessoas utilizam o termo "Enquadrou a onda" para dizer que o sinal de áudio distorceu.

Num som de guitarra queremos duas situações, som com distorção e sem distorção.O volume que alcançamos do som sem distorção é a capacidade que chamamos de headroom. Mas isto ocorre também quando se inicia a distorção. Vc começa a "crunchar" um amplificador normalmente dando power chords e ele mal distorce em uma nota isolada nas primas. Isto ocorre porque o pico de sinal das notas mais graves é muito maior do que das agudas. E um amplificador de maior potência vai responder estas baixas frequências no power e um de baixa potência vai distorcer.

Já falei demais

Luiz_RibeiroSP
Veterano
# mai/15
· votar


boblau
essa potencia de pico não é a PMPO? os 100w não são RMS?

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# mai/15
· votar


Luiz_RibeiroSP
Cara, PMPO não existe. Esqueça essa notação pois ela não significa nada.
Abç

Melchiades
Veterano
# mai/15
· votar


Quando toco com Amp de baixa potência falta aquele punch aquela porrada.. Estou falando a baixos volumes...... Quando ligo o dual 100w da impressão que estou ligando um reator......e a pressão aparece em baixos volumes.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Mini's Heads valvulados ou os Heads Potentes convencionais?