Lista de produtos inclusos na retaliação comercial aos EUA

Autor Mensagem
Prometherion
Veterano
# mar/10 · Editado por: Prometherion


Fonte a notícia aqui

Lista: Parte 1
Parte 2


8518.22.00 --Alto-falantes múltiplos montados no mesmo
8518.30.00 -Fones de ouvido, mesmo combinados com
microfone, e conjuntos ou sortidos constituídos
por um microfone e um ou mais altofalantes
8518.50.00 -Aparelhos elétricos de amplificação de som

E vão taxar mais ainda os amps. PQP!!

Penta_Blues
Moderador
# mar/10
· votar


Bom dia!!!

Prometherion
Pois é. E na briga do rochedo com o mar, que se f@#! é o marisco...
Valeu!!!

ogaitnas
Veterano
# mar/10
· votar


Na falta do que fazer, já que aqui produzem similares com qualidade inferior ao equipo gringo, vamos taxar e f**** com o consumidor brasileiro que importa os produtos...

mum
Veterano
# mar/10
· votar


Só pq eu ia comprar meu fone agora, sacanagi!

makumbator
Veterano
# mar/10
· votar


Mas lembrem-se que a culpa por toda essa situação é dos EUA, e não do governo brasileiro, que tentou negociar por meses a suspensão dos subsídios ilegais americanos(mesmo após o Brasil ter ganho na OMC o direito legal de retaliar).

Os americanos não só não abriram mão dos subsídios ilegais que praticam, como ainda ameaçaram o Brasil com uma espécie de contra retaliação em outras áreas(totalmente ilegal). Não retaliar seria errado e uma atitude extremamente submissa.

Infelizmente eu tenho que concordar com a atitude do Brasil nesse caso, mesmo lamentando os efeitos ao consumidor final de alguns produtos.

Prometherion
Veterano
# mar/10
· votar


makumbator
É verdade, o Brasil nessa não tá errado, mas a gente se ferra mesmo assim. Não tem pra onde correr.

mum
Veterano
# mar/10
· votar


O esquema eh comprar contrabandeado, dai nao tem imposto nenhum hahahhaahah, brinks!

ogner
Veterano
# mar/10 · Editado por: ogner
· votar


edit geral

rafael_cpu
Veterano
# mar/10
· votar


makumbator

Mas lembrem-se que a culpa por toda essa situação é dos EUA, e não do governo brasileiro, que tentou negociar por meses a suspensão dos subsídios ilegais americanos(mesmo após o Brasil ter ganho na OMC o direito legal de retaliar).

Os americanos não só não abriram mão dos subsídios ilegais que praticam, como ainda ameaçaram o Brasil com uma espécie de contra retaliação em outras áreas(totalmente ilegal). Não retaliar seria errado e uma atitude extremamente submissa.

Infelizmente eu tenho que concordar com a atitude do Brasil nesse caso, mesmo lamentando os efeitos ao consumidor final de alguns produtos.


Falou tudo!

T+

HALzheimer
Veterano
# mar/10
· votar


Penta_Blues
Pois é. E na briga do rochedo com o mar, que se f@#! é o marisco...

EXATO!

E a mariscada ainda diz q o governo brasileiro está certo... lamentável!

ogaitnas
Na falta do que fazer, já que aqui produzem similares com qualidade inferior ao equipo gringo, vamos taxar e f**** com o consumidor brasileiro que importa os produtos...

EXATO! Na falta(?) do q fazer, o governo brasileiro aumenta os impostos...

Muito conveniente... até a desculpa esfarrapada já vem no pacote: culpa dos EUA!

MMI
Veterano
# mar/10
· votar


makumbator

Verdade. pena que vai sobrar para o consumidor...
Ainda bem que já tenho os meus! rsrsrs

Abç

renanguitar777
Veterano
# mar/10
· votar


alem dos 60% de imposto ainda iremos pagar mais essas porcentagens q estao colocando?

Prometherion
Veterano
# mar/10
· votar


renanguitar777
Acho que sim, legal né :D

makumbator
Veterano
# mar/10 · Editado por: makumbator
· votar


HALzheimer

Não é desculpa, é a realidade. Mesmo assim, o Brasil hoje mesmo se ofereceu para negociar, e os EUA aparentemente recusaram. Segundo o Financial Times

Há alguns anos, uma situação parecida com essa aconteceu envolvendo a Austrália e EUA. Os australianos também tentaram evitar a aplicação da retaliação, e buscaram a negociação. Sabe qual a resposta do responsável americano? "Não vamos negociar nada, comemos países como o seu no café da manhã" É esse o nível de prepotência. E com a Austrália, um país muito mais avançado que a nossa república de bananas.

Os americanos querem que os outros abram o mercado para eles, mas não aceitam a negociação livre quando a coisa envolve o mercado americano(a velha retórica de faça o que eu mando, não o que eu faço).

E agora corre o rumor que os EUA irão retirar o Brasil da lista de preferências de compras do governo americano como uma contra retaliação. Atitude desonesta também, obviamente.

A mais eficaz retaliação brasileira será no âmbito das patentes e de proteção intelectual, em que a OMC autorizou o país a não pagar determinados royalties. O que vai BARATEAR alguns medicamentos importados.

Esse é um dos focos do governo brasileiro, pois as farmacêuticas americanas são poderosas, e ao serem atingidas diretamente dessa forma, pressionam o governo dos EUA para que retire o subsídio agrícola ilegal.


renanguitar777

A aplicação varia em cada produto da lista. Lembrando que isso vale APENAS para produtos de empresas americanas, um importado similar europeu ou japonês(por exemplo) não sofre a retaliação.

O aumento só pode ser até o valor da decisão da OMC. Nos prazos e no montante total da causa.

Caso os EUA mudem de atitude(ou o Brasil negocie outra saída), a retaliação é automaticamente retirada.

HALzheimer
Veterano
# mar/10
· votar


makumbator

"Não é desculpa, é a realidade."

Cara, ninguém aqui vai ser idiota ao ponto de negar q os alguns americanos são sacanas, imperialistas, desonestos e as multis da indústria farmacêutica são poderosas e blá, blá, blá...

Mas isso é tudo muito óbvio.

Outras coisas, quase tão óbvias, passam batido, pq a mariscada fica do lado do mar ou fica do lado do rochedo... do governo A ou do governo B...

Aí, não aparecem saídas + razoáveis...

Retaliação? Bem, o governo americano cedeu ao lobby do algodão, prejudicando ao consumidor de lá e o governo brasileiro resolve retaliar, também prejudicando o consumidor de cá?

Pois é, também é "realidade" q nosso governo está ferrando o consumidor brasileiro. Vai negar?

E, mesmo assim, tu afirma q está do lado do governo brasileiro?

Pô, reformula aí...

E reafirmo: Sim, TAMBÉM é desculpa. E das mais convenientes.

A veracidade de alguns fatos q tu refere não descaracteriza uma outra realidade, ampla e notória: a voracidade fiscal do estado brasileiro!

Será q é tão difícil perceber q existem outras maneiras de materializar esta propalada "retaliação", sem punir o espoliado consumidor brasileiro?

Quer um exemplo?

Se a intenção é desestimular a importação de produtos made in USA, por que não estimular a produção nacional, reduzindo impostos s/ os made in Brazil similares?

Ahhh... alguma anta vai argumentar q não existe folga de caixa para redução da carga tributária, mesmo sabendo q a grana rola solta nas meias e cuecas da classe política.

Ou quem sabe, algum expert(o!) vai declarar q não houve tempo para resolver problemas de logística na identificação dos similares, ignorando q essa lenga Brasil-OMC-USA se arrasta faz anos...
Obs: prá aumentar impostos o fisco é rápido em identificar os "similares + convenientes", não é mesmo?

Um outro exemplo de medida que podia ser estudada, menos onerosa aos consumidores brasileiros, seria taxar a remessa de lucros para as matrizes americanas.

Enfim, cara... existem inúmeras possibilidades.

Mas o q já está + do q provado, escarrado e vomitado é q a solução adotada pelo governo brasileiro só poderia ser essa mesma, fácilzinha: aumentar impostos.

Por sorte, eu e tu podemos estar fora do prejuízo direto, mas uma montanha de brasileiros vai se ferrar na esteira desse simplismo, ganancioso e indisfarçável.

Pensa um pouco, cara...

Hendrixiano
Veterano
# mar/10
· votar


HALzheimer

"A mais eficaz retaliação brasileira será no âmbito das patentes e de proteção intelectual, em que a OMC autorizou o país a não pagar determinados royalties. O que vai BARATEAR alguns medicamentos importados.

Esse é um dos focos do governo brasileiro, pois as farmacêuticas americanas são poderosas, e ao serem atingidas diretamente dessa forma, pressionam o governo dos EUA para que retire o subsídio agrícola ilegal."


isso não te faz repensar sua crítica ao governo brasileiro?

HALzheimer
Veterano
# mar/10
· votar


Hendrixiano
isso não te faz repensar sua crítica ao governo brasileiro?

Eu achei q seria desnecessário discutir esse ponto... mas como tu preferiu escorregar na "omissão" do meu reply, ao invés de olhar o conjunto...

A resposta é NÃO!

E sabe por que? Leia na publicação oficial do governo... isso mesmo, a lista completa dos produtos taxados.

Entre outros, tu vai encontrar medicamentos de diversos tipos e produtos utilizados na área médica, como próteses, por exemplo.

Entendeu?

Agora q tu já está + informado, confessa: o q tu acha do governo q promete "BARATEAR alguns medicamentos importados", mas na prática, aumenta os impostos sobre remédios importados?

Enfim, vou acreditar q tu e o Makumbator não tinham essas informações e, por isso, caíram na esparrela oficial.

E, por favor, não viaje na questão dos royalties (e tb dos serviços). A retaliação cruzada é bem complexa e nada foi decidido neste ponto (uns $250bi, do crédito OMC de $800bi).

Prá não ficar nessa de marisco, do lado do rochedo e contra o mar, responde uma pergunta:

Em relação aos consumidores, notaste alguma diferença entre as medidas protecionistas adotadas pelos EUA e a retaliação do governo brasileiro?

Del-Rei
Veterano
# mar/10 · Editado por: Del-Rei
· votar


E viva a China!!
Eu quero minha Gibson!!!

Cata.
Veterano
# mar/10
· votar


vei pqp eh soh comprar hand made, tem mto hand made copia dos marshallzao da vida ai de mto boa qualidade e com um preço que sempre foi mais acessível, duvido que todos que tão reclamando e choramingando aqui tem marshall JCM ou peavey evh original em casa

makumbator
Veterano
# mar/10
· votar


HALzheimer
A veracidade de alguns fatos q tu refere não descaracteriza uma outra realidade, ampla e notória: a voracidade fiscal do estado brasileiro!

Sim, concordo com tudo isso. O estado brasileiro é um dos mais burocráticos e tributadores do mundo, isso também é totalmente óbvio e antigo(de séculos e séculos). Isso não está em discussão.

O fato do país ser pouco generoso(e até hostil) a quem quer produzir internamente, também não está em discussão

Isso tudo em nada altera a atitute ilegal americana. O fato do Brasil ser uma merda nesse campo, não dá o direito dos EUA agirem contra as regras do organismo de comércio de internacional(do qual fazem parte e concordaram com as regras). Caso fosse o contrário, eles não teriam nenhum problema em retaliar.

Um erro não justifica outro. Pois se for assim, então devemos sempre nos curvar frente as condições impostas pelos mais fortes? Só porque ainda não temos as condições ideais de fomento industrial?

Mesmo que as nossas taxas de importação dos produtos retaliados fossem próximas de zero, eles ainda fariam o subsídio agrícola.

Tem que ser esclarecido também que as sobretaxas são apenas nos produtos da lista. Provavelmente tem gente por aí no fórum(não é o seu caso, que é bem informado)achando que guitarra fender(por exemplo) vai ter agora 300% de imposto.

Muitos dos itens taxados tem similares europeus e asiáticos de boa qualidade, que são uma alternativa para o consumidor e o lojista.

Claro que vc tem a sua opnião e eu a minha(e até concordamos em vários aspectos de lado a lado), mas assim como vc continua achando péssima a decisão, eu ainda acho que foi inevitável. Não considero que o Brasil tenha comemorado a decisão de retaliar(também não soltei foguete), mas os americanos(na minha visão, e na visão da área específica do governo) não deixaram escolha.

tatus
Veterano
# mar/10
· votar


makumbator, vc é muito prudente em suas colocações mas existem pessoas que gostam de falar pelos cotovelos principalmente na área política, e política é a defesa de interesses, pelo que vejo tem gente aqui que nem faz idéia dos interesses que esta ferozmente defendendo, caso contrário fariam de forma mais clara e objetiva.

Os subsídios dos EUA aos produtores de algodão prejudicam muito mais os Brasileiros do que essas sanções que podem vir a ser impostas há alguns produtos gringos, tanto que essa prática é decisão da OMC, e ela o faz sob as prerrogativas da justiça no âmbito do direito internacional. Não é nenhuma ONU que faz jogo político para favorecer o G8.

Todos os produtos escolhidos para retaliação são de fácil reposição por outros de outras marcas, eles foram muito cuidadosos com isso. Veja que os alto falantes só são os Biaxiais, Triaxiais, etc.. os falantes de guitarra não foram sobre taxados, os amplificadores também temos similares, então só vai atingir quem quiser comprar um Fender nos EUA, mas pode comprar de uma loja do Canadá, da Europa e etc... Não quer dizer marca norte americana, somente procedência, pode comprar da China um produto de marca norte americana como tantos que se encontram por aí. Não se justifica essa revolta toda.

Há produtos na lista que nós nem importamos.

E tem mais, todos reclamam que não temos uma industria de electrônicos descente e que é um absurdo um país como o nosso não poder competir com eles, ou seja, reclamam de qualquer jeito, parecem mulher! Quem sabe se nos fossemos mais protecionistas, como eles são, não seriamos produtores de eletrônicos há muito tempo?

Os EUA são altamente protecionistas e não precisam de decisão da OMC para sobretaxar nossos produtos, é só comparar as taxas da relação entre os dois países, a diferença é tão gritante que não tem como falar que um mercado é mais aberto que o outro, isso seria, piada. Ficaria mais fácil comparar isso com uma relação sexual onde somos passivo e os EUA o ativo. Prefiro pagar uma sobre taxa do que ser um país mais submisso ainda.

Só para lembrar, o FHC ficava 5 horas tomando chá de cadeira de qualquer secretário dos EUA só para poder puxar o saquinho e saber se estava fazendo tudo de acordo com o consenso de Washington, pensando que teria alguma consideração por parte dos americanos por seguir a cartilha deles, e ficamos 8 anos no limbo do crescimento econômico e desenvolvimento social porque aquele FDP queria consideração!!!!! As vezes o mesmo voltava sem ganhar um aperto de mão, exceto o da atendente, quem ele queria ver saia pelos fundos.

Eu acho que tem que sobre taxar só as patentes dos remédios porque são questões de saúde pública, o governo Brasileiro esta sendo até bonzinho, isso porque é a primeira decisão da OMC de muitas que virão.

makumbator
Veterano
# mar/10
· votar


Agora q tu já está + informado, confessa: o q tu acha do governo q promete "BARATEAR alguns medicamentos importados", mas na prática, aumenta os impostos sobre remédios importados?

A parte de propriedade intelectual permite a quebra de patente, o que barateia o preço final(desde que o revendedor repasse ao consumidor final). Nesse caso não há aumento de imposto, e sim o não pagamento de royalties. Realmente a forma nesse quesito não foi decidida, mas apenas a forma, pois a decisão já previa tal ferramenta.

Os remédios que sofrerão aumento são basicamente com princípio ativo de paracetamol e outros também pouco complexos, facilmente substituído por genéricos ou de marcas nacionais ou mesmo importadas de outra origem que não americana. Ninguém vai morrer de câncer por falta de alternativas devido a essa sobretaxa.

Em relação aos consumidores, notaste alguma diferença entre as medidas protecionistas adotadas pelos EUA e a retaliação do governo brasileiro?

Não é essa a questão. Uma retaliação(como o próprio nome diz) é uma resposta a uma agressão anterior. No caso, os americanos infringiram regras da OMC, é simples assim. Perderam na justiça, e agora tem que aguentar o resultado.

Caso não tivessem quebrado as regras, não haveria a retaliação. Seria como culpar por assassinato alguém que matou em legítma de defesa. A morte do agressor só existiu em virtude do ataque.

Reafirmo: a maioria dos itens tem outras opções importadas(e mesmo nacionais) de boa qualidade. Muitos são artigos de luxo ou não essenciais(tem até chiclete). Evidentemente não são todos nessa situação.

Aproveito e também te deixo uma pergunta:

O Brasil então nesse caso específico deveria deixar para lá? Aceitar a atitude americana e continuar a vida?

HALzheimer
Veterano
# mar/10
· votar


tatus
"Ficaria mais fácil comparar isso com uma relação sexual onde somos passivo e os EUA o ativo"


Com essa comparação tu resumiu o problema.

Genial! Por que ninguém pensou nisso antes?


Agora já dá prá deduzir qual é a tua proposta para solucionar litígios na OMC...

Uma suruba ou algo parecido! Hehehhe...


Enfim, teu reply tá recheado de conceitos embaralhados, confusões e bobagens retumbantes.

Sim, com um lugar-comum ou outro é possível concordar.

Mas teu ranço de discurso partidário torna o debate improdutivo.

fill.zanchez
Veterano
# mar/10
· votar


Quero que o USA se fod*!!! Está na hora do Brasil começar a se impor, até porque na próxima década haverá algumas dezenas de países querendo roubar nossa água.

HALzheimer
Veterano
# mar/10
· votar


makumbator

Leia com + atenção...

Não discordei da questão dos royalties. Apenas frisei q "a retaliação cruzada é bem complexa e nada foi decidido neste ponto"

E isso é um fato! A previsão da ferramenta existe, é óbvio, mas não existe qualquer decisão sobre a operacionalização e, até mesmo, sobre a conveniência da utilização!

A única vez, se bem lembro, em q este tipo de retaliação foi utilizada, as consequencias foram nefastas para o "retaliante". Se tu quiser, posso te indicar alguma literatura nesse sentido.

No q concerne à minha pergunta, tua resposta foi evasiva. Pensa um pouco mais e responda, se quiser. Tem tudo a ver com o tema q estamos debatendo...

Em relação à tua pergunta, não vou sair pela tangente...

O Brasil então nesse caso específico deveria deixar para lá? Aceitar a atitude americana e continuar a vida?

É claro q não deve deixar prá lá...

É claro q não deve aceitar os desmandos made in USA!

Acho q essa, também é a tua opinião, certo?

E se tu ler com atenção o q escrevi, vai verificar q eu já referi duas maneiras distintas de atacar o problema:

Se a intenção é desestimular a importação de produtos made in USA, por que não estimular a produção nacional, reduzindo impostos s/ os made in Brazil similares?

Um outro exemplo de medida que podia ser estudada, menos onerosa aos consumidores brasileiros, seria taxar a remessa de lucros para as matrizes americanas.

Conferiu?

Então, a diferença entre nossos posicionamentos é q tu achou correto o aumento de impostos. Eu, não.

Considero q outras medidas, já aplicadas com bons resultados em outros países, poderiam atingir os mesmos resultados em termos de retaliação, sem os prejuízos causados pelo aumento de impostos.

Enfim, entendo tua posição e tu entende a minha, certo?

Concordamos em discordar... hehehehe

E fim de papo... essa conversa já encheu o saco.

tatus
Veterano
# mar/10 · Editado por: tatus
· votar


HALzheimer, para gente ranzinza nada esta bom, se eu concordar com vc, vc ainda vai achar alguma coisa para reclamar.
Os pontos abordados são claros e verídicos vc fugiu de todos para criticar uma metáfora realista, nem um pouco inteligente da sua parte já que desta maneira confessa seu completo desinteresse e total desconhecimento sobre o assunto. Vai ler um pouco, olha os dois lados antes de defecar pelos dedos.
A verdade é que nossos produtos enfrentam uma barreira comercial lá infinitamente maior do que os produtos deles aqui, isso em virtude de várias razões quais temo que vc não alcance. Não posso desenhar aqui, sinto muito!
Não falei de vc no meu outro post e vc se sentiu ofendido, ou seja, a carapuça serviu direitinho.
Para bom entendedor meia palavra basta. Você tá longe disso! Como eu disse:
...existem pessoas que gostam de falar pelos cotovelos principalmente na área da política, e política é a defesa de interesses, pelo que vejo tem gente aqui que nem faz ideia dos interesses que esta ferozmente defendendo, caso contrário fariam de forma mais clara e objetiva.

A solução deve ser mesmo:
.....sobre taxar remessas de lucro, .....das filiais que geram empregos, investem e pagam imposto aqui no Brasil... aff, o gênio é vc! kkkkkkkk

HALzheimer
Veterano
# mar/10
· votar


tatus

filiais que geram empregos, investem e pagam imposto aqui no Brasil...

Q beleza! Elaborou um raciocínio.

A conclusão é bobinha... mas já é um começo.

Não entendeu? Troca as filiais das multinacionais pelos contribuintes brasileiros.

Ficaria, mais ou menos, assim:

contribuintes brasileiros que geram empregos, investem e pagam imposto aqui no Brasil

Viu? Alguém tem q pagar o pato, pois é de retaliação q estamos falando, mané.

É claro, tu fingiu q esqueceu disso, prá dar credibilidade ao teu raciocínio perneta.

Mas se tu prefere prefere ferrar o contribuinte brasileiro, ao invés de onerar as multinacionais, ok.

Eu penso diferente.

Mas não vou perder meu tempo, com a tua "metáfora realista" da "relação sexual onde somos passivo e os EUA o ativo"

Tô fora... hehehehehehe

makumbator
Veterano
# mar/10
· votar


HALzheimer

Enfim, entendo tua posição e tu entende a minha, certo?

Concordamos em discordar... hehehehe


Sim, claro. Não tiro sua razão na questão da infraestrutura brasileira e o fomento à produção, quanto a isso concordamos 100%. E sabemos que já passou(e muito)da hora do país(não só o governo, mas cidadãos e empresas) começar a resolver essa questão.

No q concerne à minha pergunta, tua resposta foi evasiva. Pensa um pouco mais e responda, se quiser. Tem tudo a ver com o tema q estamos debatendo...

É que faltou uma frase antes de tudo o que escrevi depois, que seria: "em relação estrita ao consumidor, a diferença é nenhuma".
Realmente ficou parecendo uma fuga da sua pergunta, sem essa frase no começo. Mas ainda pondero e levo em conta o restante da resposta como uma diferenciação digamos que "relativa" entre os casos.



Então, a diferença entre nossos posicionamentos é q tu achou correto o aumento de impostos. Eu, não.


Isso mesmo, mas ponderando que eu considero a retaliação ruim(e não uma festa da vitória "marxista" sobre o império do mal). Na minha visão essa retaliação é o cenário "menos pior" em virtude da atitude americana. Até porque não criaremos as condições de infraestrutura da noite para o dia(mas é claro que se não se começar, nunca a teremos).

E até gostei do cuidado que o governo teve em escolher os produtos. O Brasil poderia ter sido bem mais incisivo(o que é claro prejudicaria anida mais as relações com os EUA, mas ainda assim era possível de ser feito).

Não sei se vc viu hoje, mas o Brasil vai receber um representante americano, e as medidas ainda nem foram implantadas(pois há 30 dias para entrarem em vigor). Em suma, vc também tem que reconhecer que o país está sendo até bastante razoável na condução desse problema específico.

Lembrando que a minha opnião no caso não foi forjada por ranço de discurso partidário(sei que escreveu isso para outro usuário). Até porque, discordo de boa parte das práticas desse governo, mas nesse caso, como vc já percebeu, achei que agiram de maneira correta(dentro do quadro possível). Também não considero sua posição radical e desprovida de boas razões. Mas no fim das contas, não é a gente que decide...hehehe

HALzheimer
Veterano
# mar/10
· votar


makumbator

Também não considero sua posição radical e desprovida de boas razões.

É recíproco!

E admiro a tua elegância e consideração.

Abçs,

Zero Zen
Veterano
# mar/10 · Editado por: Zero Zen
· votar


makumbator

Aproveito e também te deixo uma pergunta:

O Brasil então nesse caso específico deveria deixar para lá? Aceitar a atitude americana e continuar a vida?


Boa pergunta ! Mas aí eu fico lembrando de como o nosso governo reagiu quando Evo Morales invadiu (com o exército) as empresas lá sediadas, ocupando e desapropriando, rasgando contratos comerciais, só para entregar os negócios da Petrobrás para a PDVSA da Venezuela.

Ou quando o misto de Bispo/Garanhão/Presidente Paraguaio resolveu desrespeitar os acordos comerciais de Itaipú e impôs um novo preço para a energia gerada, unilateralmente.

Quais foram as atitudes do Governo Brasileiro nestes dois casos. Ele levou os casos à OMC ? Não ! Botou o rabo no meio das pernas e aceitou bonitinho ! Resultado disso: os aumentos !

Pior ! Decidiu emprestar mais dinheiro do contribuinte (pelo BNDES) para financiar obras na Bolívia, expandir a distribuição de energia em Assuncion e no Sul do Paraguai e construir o metrô de Caracas (o usurpador indireto e beneficiário direto por duas vezes).

Outros países resolveram levar o caso a sério.

Acho que o Brasil deveria agir de maneira uniforme:

- Fui prejudicado, recorri à OMC... ou
- Todo mundo avança no que é meu e eu nunca fiz nada, porque fazer agora ?

O que não dá para aguentar é este comportamento dúbio.

tatus

E tem mais, todos reclamam que não temos uma industria de electrônicos descente e que é um absurdo um país como o nosso não poder competir com eles, ou seja, reclamam de qualquer jeito, parecem mulher! Quem sabe se nos fossemos mais protecionistas, como eles são, não seriamos produtores de eletrônicos há muito tempo?

Acho que você não se lembra que as importações estavam proibidas desde 1976 até o Governo Collor. Naquele período a indústria nacional não fez mais do que predar o mercado interno com produtos de baixa qualidade. Não havia concorrência, logo, não precisavam de investimento em qualidade.

Tinhamos excepcionais Gianninis, Martins Sons, Palmers, Finchs, Tonantes. Modelos tão atuais que ficavam décadas sem alterações. Essas porcarias é o que nos legou o protecionismo.

Sem concorrência não há competência. Tudo tende à estagnação.

E falando em protecionismo... Que tal uma tarifa de importação de 60% ? Que nome se pode dar a isto ?

T+.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Lista de produtos inclusos na retaliação comercial aos EUA