Avaliem minha voz cantando MPB

Autor Mensagem
MetalJames
Membro
# 05/abr/20 10:43


Olá, pessoal!

Estou começando com a ideia de postar certas interpretações online, nisso, postei no YT e no SoundCloud. Queria que avaliassem, o link das playlists estão abaixo.






https://soundcloud.com/jamesinterpreta/sets/minhas-interpretacoes

-

Valeu!

Ningen
Veterano
# 05/abr/20 20:53 · Editado por: Ningen
· votar


Timbre bem peculiar.
A primeira não gostei tanto, o violão tá muito na frente... Acho que deveria ter deixado o gravador mais próximo da sua boca.
A segunda me surpreendeu, me soou bem agradável musicalmente.

Claro, há coisas a se melhorar. Mas tô com preguiça de analizar tecnicalidades. rsrs

LeandroP
Moderador
# 05/abr/20 22:22
· votar


MetalJames

Sua voz é bem diferente, e muito bonita!
Além de ser afinado.

Vai com fé no seu repertório!
Gostei!

Tipo 8
Membro Novato
# 06/abr/20 16:09 · Editado por: Tipo 8
· votar


Um timbre de criança.

Eu trabalharia numa voz como a sua para limpar bem a dicção, que está muito arrastada, no fraseado e dar um pouco mais de projeção.

MetalJames
Membro
# 07/abr/20 03:23
· votar


Ningen

Ainda estou testando formas melhore de gravar com o Zoom H5, provavelmente comprarei um condensador XLR AT2020 pra deixar dedicado pra minha voz e posicionarei o Zoom apenas no violão, que poderá variar entre esse clássico e um folk. Acho que assim, a captação será mais encorpada e detalhista. Obrigado pelos toques!

-


LeandroP

Show! Eu agradeço.

-

Tipo 8

Sim, realmente é um timbre de criança. Acabei me acostumando a cantar assim, mas pretendo gravar algo mais agressivo cantando com drive assim que comprar o meu próximo violão, que será um folk e permitirá mais punch na voz, sinto esse violão clássico muito restritivo, retendo-se a MPB, Bossa Nova e estilos similares. Agradeço os toques quanto a limpeza na dicção e mais projeção!

Ah, caso você não conheça, vou te deixar duas músicas, uma dessas, inclusive, é uma das que toco no vídeo acima. A referência dela já é pra se cantar assim.






-


Forte abraço a todos!

Ningen
Veterano
# 07/abr/20 03:58
· votar


MetalJames

provavelmente comprarei um condensador XLR AT2020 pra deixar dedicado pra minha voz

Legal. Mas até lá dá pra fazer muita coisa com seu gravador. Um cara que pra mim faz isso bem é o Josh Turner. Tá certo que ele tem uns 10 anos de youtube rsrs mas dá pra se inspirar. Inclusive tem vídeo dele detalhando seu processo de mixagem.



Mais uma com um timbre "de criança" que gosto rs:



Lelo Mig
Membro
# 07/abr/20 17:50 · Editado por: Lelo Mig
· votar


MetalJames

Mano, o fato de ser um timbre infantil, pessoalmente, prá mim não é defeito não... é singularidade, estilo, é diferente. Eu achei muito interessante. Gostei!

Se der uma limpada nos "arrastos" e lapidar a dicção, como sugeriu nosso amigo Tipo 8 vai ficar muito legal.

E olha, essas melhoras, não é porque esta ruim, e sim para melhorar mais ainda.

Você é afinado, têm um jeito particular, tem um estilo. Escolhendo o repertório adequado a este timbre, aí que vai ficar show.

Tua voz é muito mais legal que a do Moreno Veloso. Gostei bastante. Parabéns.

Gansinho
Veterano
# 08/abr/20 01:16
· votar


Particularmente não gosto desse jeito falado de cantar, nem do timbre infantil...
Mas você é afinado.

Tipo 8
Membro Novato
# 08/abr/20 14:27 · Editado por: Tipo 8
· votar


Particularmente não gosto desse jeito falado de cantar, nem do timbre infantil...

Vou dizer que esse modo de cantar falando é bom desde que tenha uma certa firmeza, senão dá a impressão de frase muito largada, com cortes secos.

Quanto ao timbre infantil eu não faço nenhuma objeção SE a voz da pessoa for assim mesmo e não uma fabricação. Neste caso tem que ver o cantor no dia a dia. Sou contra vozes fabricadas, timbres modificados de propósito. Normalmente não fica bom e tira o que tem de mais importante que é a "impressão digital", ou seja, as características naturais da voz que fazem com que a pessoa identifique o cantor. Poderia se dizer que a voz fabricada também daria uma característica (não-natural), sim, porém, dificilmente com saúde vocal.

Como eu venho de uma linha de estudo do tipo In Vox Veritas, acho sempre melhor a voz real.

Siruiz
Membro Novato
# 08/abr/20 14:31
· votar


Gostei!

O que mais gostei:
Do modo como vc faz um vibrato afinado que soa espontâneo, muito bonito e profissional

Do que não gostei:
Da dicção de algumas palavras, o estilo do canto é muito delicado e acaba pedindo uma dicção delicada também

Gansinho
Veterano
# 08/abr/20 14:44 · Editado por: Gansinho
· votar


Tipo 8
Vou dizer que esse modo de cantar falando é bom desde que tenha uma certa firmeza, senão dá a impressão de frase muito largada, com cortes secos.

Eu quis dizer por gosto pessoal mesmo. Não curto MPB justamente por esse estilo falado de cantar. Acho muito chato. Não gosto de timbres infantis também.

Tipo 8
Membro Novato
# 08/abr/20 16:14
· votar


Acho muito chato.

Se salva pouca coisa.

Lelo Mig
Membro
# 08/abr/20 18:30 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Gansinho
Tipo 8

Considerando que a voz dele é naturalmente assim, sem dúvida, há muitos limites.

Mas, como não sou "contra" que ninguém cante, desde que cante afinado, acho que ele têm de, justamente, trabalhar este canto "frágil" como um estilo. Tirar proveito de sua falta de potência já que nunca será um Ronnie James Dio ou Elvis Presley.

Independente de gosto pessoal, existem cantores que tiraram bom proveito de suas singularidades, e mesmo, deficiências.

Eis aqui alguém que, pessoalmente, acho um exemplo de alguém que soube tirar grande proveito de uma voz infantil e transformar em estilo. (Quem já ouviu uma entrevista dela, sabe o que estou dizendo, parece uma garotinha de 11 anos falando).
*Propositalmente uma versão ao vivo:




Outro exemplo cheio de estilo (ao vivo, claro!)



MetalJames
Membro
# 09/abr/20 08:58 · Editado por: MetalJames
· votar


Legal. Mas até lá dá pra fazer muita coisa com seu gravador. Um cara que pra mim faz isso bem é o Josh Turner. Tá certo que ele tem uns 10 anos de youtube rsrs mas dá pra se inspirar. Inclusive tem vídeo dele detalhando seu processo de mixagem.

Eu conheço o Josh, ele foi um dos caras que me influenciaram a pegar esse Zoom. Eu vi os três vídeos dele a respeito do uso dos gravadores, posicionamento e edição - muito bons, por sinal. Ele obtinha uma qualidade melhor e mais cheia porque esse Zoom H2 que ele usava capta maiores ângulos que o meu Zoom H5. O Zoom H2 funciona até mesmo em 360°, já o meu zoom H5 é restrito aos 90º, os microfones XY do H5 (stereo) são fixos em 90°, apenas os microfones do H1, H1n, H4n e H6 são giráveis para atingir 120°. O Josh, inclusive, está aposentando o H2, vejo ele utilizando mais o H6.

Eu tava entre o H4n e o H5, optei pelo H5 por ter o mesmo pré do H6 e ter a possibilidade do microfone modular. Ainda estou aprendendo a utilizar o H5 em questões de posicionamento e aparentemente é uma boa utilizar o violão na entrada P10/XLR como uma forma de encorpar o som, entende? Adicionando 30-50% do piezo do meu violão (Fishman Presys 301) apenas como complemento sonoro, captando o som das cordas principalmente pelo microfone XY. Na gravação do Tim Maia eu utilizei assim, já na do Moreno Veloso foi apenas captado pelo microfone XY e a minha boca não ficou tão direcionada para o Zoom H5.

Obrigado pela sugestão, conhecer esse mic tá sendo um trabalho mais minucioso do que o costumeiro pra mim. Por exemplo, acho mais fácil conhecer o sistema e os efeitos de uma pedaleira multi efeitos. Esse mic é muito dinâmico quanto ao posicionamento, até pela limitação dos 90°, é um trabalho de conhecimento gradual e cumulativo.

-


Mano, o fato de ser um timbre infantil, pessoalmente, prá mim não é defeito não... é singularidade, estilo, é diferente. Eu achei muito interessante. Gostei!

Se der uma limpada nos "arrastos" e lapidar a dicção, como sugeriu nosso amigo Tipo 8 vai ficar muito legal.

E olha, essas melhoras, não é porque esta ruim, e sim para melhorar mais ainda.

Você é afinado, têm um jeito particular, tem um estilo. Escolhendo o repertório adequado a este timbre, aí que vai ficar show.

Tua voz é muito mais legal que a do Moreno Veloso. Gostei bastante. Parabéns.


Pois é, não me incomodo com meu timbre e analiso a situação dessa forma mesmo. Em um país onde todo mundo canta igual e os timbres são quase semelhantes (sertanejos, cantoras gospel, a galera do axé, forró), destoar disso é um achievement. Penso que os "arrastos" se dão pela minha postura ao tocar/cantar, por ter apenas um microfone, fica difícil abrir a voz, entende? Me sinto muito fechado e próximo do violão cantando, a posição influencia muito a cantar de maneira mais introspectiva.

Eu agradeço os pontos e elogios!

-

Particularmente não gosto desse jeito falado de cantar, nem do timbre infantil...
Mas você é afinado.


Eu também não gostava. Acho que é questão de costume. Agradeço os pontos!

-

Vou dizer que esse modo de cantar falando é bom desde que tenha uma certa firmeza, senão dá a impressão de frase muito largada, com cortes secos.

Quanto ao timbre infantil eu não faço nenhuma objeção SE a voz da pessoa for assim mesmo e não uma fabricação. Neste caso tem que ver o cantor no dia a dia. Sou contra vozes fabricadas, timbres modificados de propósito. Normalmente não fica bom e tira o que tem de mais importante que é a "impressão digital", ou seja, as características naturais da voz que fazem com que a pessoa identifique o cantor. Poderia se dizer que a voz fabricada também daria uma característica (não-natural), sim, porém, dificilmente com saúde vocal.

Como eu venho de uma linha de estudo do tipo In Vox Veritas, acho sempre melhor a voz real.


Falando a minha voz é aguda, mas não tanto. Eu acredito que a minha forma de cantar expressa o caminho que tracei durante minha relação com a música. Eu toquei e cantei por um tempo em bandas de hard rock e heavy metal, estilos quais os agudos são muito presentes. Ao passar pra MPB, eu acabei me transformando gradualmente em um cantor mais introspectivo (por tocar no quarto e com uma postura dificultada por ter que cantar muito próximo ao violão para que o microfone capte bem) e doce (o dedilhado em um violão de nylon sem fazer uso de baixaria, como eu toco, não cola bem com uma voz muito agressiva, eu acho - embora tenhamos exceções, vide Elis Regina).

A minha voz até tem potência, mas não consigo performar essa potência com um violão de nylon dedilhando. Esses dias tirei "Don't Let Me Down" dos Beatles, até fiz batida no violão, algo que abomino em violões clássicos, mas não acho que ficou tão bom, apesar de afinado. Eu realmente preciso de um violão de cordas de aço pra soltar a voz como soltava nos tempos que cantava hard rock e heavy metal, sinto falta de um punch que só as cordas metálicas são capazes de dar. Assim que eu gravar algo no estilo, posso postar aqui nesse mesmo tópico, não deve demorar para eu conseguir um violão que eu sinta que encaixe com uma voz que se imponha mais.

Eu agradeço os pontos!

-

O que mais gostei:
Do modo como vc faz um vibrato afinado que soa espontâneo, muito bonito e profissional

Do que não gostei:
Da dicção de algumas palavras, o estilo do canto é muito delicado e acaba pedindo uma dicção delicada também


Realmente é difícil conseguir essa delicadeza. Estou me aventurando na Bossa Nova e é incrível como João Gilberto conseguia passear na música. É treino e mais treino.

Obrigado!

-

Eu quis dizer por gosto pessoal mesmo. Não curto MPB justamente por esse estilo falado de cantar. Acho muito chato. Não gosto de timbres infantis também.


Rapaz, eu considero a MPB bastante melódica, até. Cantar "falando" me parece coisa de Cazuza, Padre Marcelo Rossi. Eles não seguram uma nota sequer, mal fazem vibratos.

-
-

Tamo junto, pessoal!

Filippo14
Veterano
# 09/abr/20 09:22
· votar


Cara, gostei bastante, concordo muito com a questão do arrastado e tal, mas achei muito bom mesmo. Uma questão que ninguem falou, mas eu senti foi um pouco de tempo, ritmo. Nao acho que deveria ser cravado no metronomo, longe disso, mas acho que o ritmo devia ser mais constante. Se aumentar ao longo da musica, que seja mais gradual. Achei que as vezes o tempo deu uma sambada. De resto, achei muito bom. Voce devia tentar gravar mais vezes. De repente gravar tudo separado, fazer coisas ate mais rebuscadas, pq achei bem legal.

Abração

Ningen
Veterano
# 09/abr/20 14:24
· votar


MetalJames

Realmente há uma diferença boa aí. 120 vs 90 graus. Isso explica o porquê de o gravador cair bem quando ele faz os duetos.

H1, H1n, H4n e H6 são giráveis para atingir 120°.
Na verdade H1 e H1n não giram para abrir o ângulo. O H4n sim. E tem também o módulo girável, que serve no H5 e H6 e que abre até os 120º como você disse.

O Josh, inclusive, está aposentando o H2 vejo ele utilizando mais o H6.
Ele tá chique agora rsrsrs. Usando até mics de fita. Porém, sobre ele utilizar mais o H6 recentemente, impressão sua. Desde a época que ele postou as originais está 6 x 4 pro H2 rsrs.

Esse mic é muito dinâmico quanto ao posicionamento, até pela limitação dos 90°, é um trabalho de conhecimento gradual e cumulativo.
Verdade. Boa sorte aí nos estudos!

Tipo 8
Membro Novato
# 09/abr/20 17:10
· votar


Estou me aventurando na Bossa Nova e é incrível como João Gilberto conseguia passear na música.

Gosto é gosto mesmo, não tem jeito.

Eu particularmente acho João Gilberto uma grande desgraça, um desserviço ao canto, aliás pra mim nem dá pra chamar de canto.

Ningen
Veterano
# 09/abr/20 17:30
· votar


Segundo o Gansinho então, respondendo ao título do tópico, tá ótimo. Exatamente do jeito que ele não gosta. Bem no estilo. kkkk

Gansinho
Veterano
# 09/abr/20 22:39
· votar


Tipo 8
aliás pra mim nem dá pra chamar de canto.

É exatamente esse meu problema com MPB... Tem muito cantor que pra mim nem canta, apenas fala afinado. É chato demais haha

MetalJames
Membro
# 10/abr/20 10:43 · Editado por: MetalJames
· votar


Cara, gostei bastante, concordo muito com a questão do arrastado e tal, mas achei muito bom mesmo. Uma questão que ninguem falou, mas eu senti foi um pouco de tempo, ritmo. Nao acho que deveria ser cravado no metronomo, longe disso, mas acho que o ritmo devia ser mais constante. Se aumentar ao longo da musica, que seja mais gradual. Achei que as vezes o tempo deu uma sambada. De resto, achei muito bom. Voce devia tentar gravar mais vezes. De repente gravar tudo separado, fazer coisas ate mais rebuscadas, pq achei bem legal.

Abração


Penso em gravar separado, sim. E pra gravar separado seria o metrônomo seria indispensável. O lance é que "amoleci" com o tempo e me restaram apenas esse violão (Rozini RX 213 ATN de tampo maciço, feito no Brasil) e uma escaleta, vendi minha guitarra e pedais pra investir em outros hobbies. Penso em voltar a tocar guitarra, iria simplificar a minha relação com o instrumento pegando uma boa guitarra de ponte fixa (tele, SG) ou uma boa strato + uma Zoom G3XN. Larguei a guitarra por achar chato ter que ficar ligando vários pedais pra tocar (apesar de eu ter um pedalboard que facilitava nessas horas) e pela falta de praticidade da minha ponte (era uma floyd rose e segurava bem a afinação, mas vocês sabem como floyd rose é complexa em comparação com ponte fixa ou comum).

Talvez eu compre um controlador pra preencher com ambiência as minhas gravações, só voz e violão deixa alguns espaços vazios na música. Mas só vou poder pensar em qual vai ser meu próximo instrumento depois que pegar um violão dreadnought de cordas de aço, provavelmente será um nacional Rozini RX 320 ATN com cutway - gostei da marca.

Realmente sinto que amoleço muito ao cantar e perco a constância na interpretação. Vou dar uma trabalhada nisso. Agradeço o ponto!


Na verdade H1 e H1n não giram para abrir o ângulo. O H4n sim. E tem também o módulo girável, que serve no H5 e H6 e que abre até os 120º como você disse.

Tem razão, acabei de conferir aqui no manual deles. É que quando fui comprar esse Zoom H5 eu pesquisei bastante e acabei juntando algumas informações na cabeça. O H1 e o H1n trabalham apenas em 90°, conferi e o H2 trabalha em 90°, 120° e 360° igual o H2n, porém apenas o H2n tem 4 microfones internos (no H2 não há essa especificação). Sim, tem o módulo do H6 que vai até 120°, mas pelo preço que se paga aqui no Brasil, acho que seria mais interessante pegar um AT2020 ou um Behringer B1.

Acompanho esse cara há um tempo e ele usa um Behringer B1 + captação própria do violão dele (Rozini RX 315) e a qualidade fica massa para o que se propõe. Claro que ele grita ao cantar e eu acho que só cabe fazer isso com um violão de cordas de aço, não sendo uma possibilidade pra mim agora. Percebo que se eu quiser passar uma impressão melhor em minhas produções, devo investir, também, em uma boa câmera:




Ele tá chique agora rsrsrs. Usando até mics de fita. Porém, sobre ele utilizar mais o H6 recentemente, impressão sua. Desde a época que ele postou as originais está 6 x 4 pro H2 rsrs.

Eita, é mesmo! Eu comprei o H5 há uns 4-5 meses e desde então deixei de ver os vídeos do Josh mais assiduamente. Realmente ele ainda está utilizando o H2 em diversas ocasiões. Interessante que ele foi para um evento e lá emprestaram pra ele um H5 e mesmo assim ele tirou um som massa, até hoje foi o único vídeo em que o vi gravando com um H5 e limitado aos 90°. Veja, sequer foi postado no canal dele:




Gosto é gosto mesmo, não tem jeito.

Eu particularmente acho João Gilberto uma grande desgraça, um desserviço ao canto, aliás pra mim nem dá pra chamar de canto.


Oloko! Hahaha

Ao menos pra mim, é muito difícil atingir a maciez (ou falta de energia) que ele produzia ao cantar e isso já demonstra que ele tinha seus méritos ao cantar de forma única - ainda mais pra época. Incômodo eu tenho ao ouvir Cazuza e Engenheiros do Hawaii, aquele Humberto não segura uma nota direito e ainda canta num volume que os instrumentos consomem a voz dele. Também me incomodo com o Belchior, mas com ele é mais pela métrica que ele compunha.

Tipo 8
Membro Novato
# 10/abr/20 11:38 · Editado por: Tipo 8
· votar


Ao menos pra mim, é muito difícil atingir a maciez (ou falta de energia) que ele produzia ao cantar e isso já demonstra que ele tinha seus méritos ao cantar de forma única - ainda mais pra época. Incômodo eu tenho ao ouvir Cazuza

É, a tal falta de energia é incapacidade mesmo. Ele fazia aquilo daquele modo porque era limitadíssimo vocalmente. Creio que esse tipo de música dele tenha sido criada para atender exatamente a essa total falta de capacidade vocal. Não creio que dê para confundir isso com mérito vocal.

Nesse sentido prefiro mil vezes o Cazuza, que pelo menos canta e não apenas sussurra com dificuldade.

Lelo Mig
Membro
# 10/abr/20 11:57
· votar


MetalJames
Tipo 8

Gosto é gosto... então, quero deixar ressaltada a subjetividade abaixo:

Eu até gosto de alguns cantores econômicos e suaves. Na verdade, não gosto de muito malabarismo vocal, muita firula, muito exibicionismo de potência e técnica.

Minha principal questão sempre foram duas (quando falamos de canto popular): Afinação e o encaixe/adequação da voz ao estilo. (timbre é muito importante prá mim, mas como não é algo que o cantor "escolha", pode até melhorar, mas não o define 100%, vou desconsiderar aqui).

Então, o que quero dizer é: Acho bastante possível adequar algumas limitações a um estilo e até transformar isso em algo belo e agradável.

Mas, como sabem, não sou cantor, então vou explicar de uma forma simples:

Eu consigo imitar o João Gilberto, com bastante precisão, o que me comprova que ele não cantava porra nenhuma, ele sussurrava (não vou entrar no campo da sua elogiada divisão rítmica, porque isso é outra coisa).
Eu imito o timbre do Elvis Presley, bastante parecido, mas não consigo cantar uma música dele inteira, apenas uma frase, no máximo um verso, não tenho extensão e muito menos potência para tal.

Então, definitivamente, analisando pela minha capacidade, limitadíssima, como cantor, João não cantava nada.

Também não gosto... mas gosto é outra coisa. Tem cantores que eu gosto e não são grande coisa.... aí é outro assunto.

Tipo 8
Membro Novato
# 10/abr/20 13:11 · Editado por: Tipo 8
· votar


Lelo Mig

Cantor popular muito raramente tem técnica. Canta como acha que deve ou como consegue. O que mais pega pra mim é se o cara consegue fazer o mínimo e como interpreta com esse mínimo, ou seja, no final das contas, o dizer de forma convincente (neste caso, Cazuza dizia as coisas de modo muito convincente).

Já no caso do João Gilberto, eram dois problemas. A incapacidade vocal e uma maneira de dizer as coisas que acaba é não dizendo nada. Era apagado, igual o cantar do Chico Buarque. São pessoas que não conseguem expressar nenhuma emoção através do canto. Maior pecado que alguém pode cometer ao tentar cantar (penso eu).

Claro que não impede que alguém goste, mas no meu caso, onde o foco é o cantar e cantar bem, não dá para ouvir por mais de um minuto ou dois.

Lelo Mig
Membro
# 10/abr/20 13:27
· votar


Tipo 8

"no meu caso, onde o foco é o cantar e cantar bem"

Pois é, eu te entendo. E o João, bem ou mal, como só sussurrava, ainda conseguia se manter no tom, já o Chico Buarque que "se aventura" a cantar, desafina prá k7.

Você mencionou a interpretação... realmente, havia me esquecido dela, ainda que se encaixe onde digo "encaixe/adequação da voz ao estilo".

Mas, têm uns caras que nem afinados conseguem se manter... aí é foda.

E do mesmo jeito que sussurrar não é cantar, o contrário, têm outros que se esgoelam achando que impressionam como cantores. Tem uns que parecem que vão cuspir as amígdalas a qualquer momento.

Ningen
Veterano
# 10/abr/20 17:27 · Editado por: Ningen
· votar


MetalJames

Acompanho esse cara há um tempo e ele usa um Behringer B1 + captação própria do violão dele

Vou ser o hater agora. Não gostei. Esse som plugado aí de aço, apesar das dobras que ele colocou, me dá agonia rsrs.

Dá trabalho encontrar um posicionamento ideal porque cada música tem sua pegada, sua própria relação volume voz-violão, mas, particularmente, gravaria só com o condensador.

Isso aqui foi só um ensaio mas acabo preferindo esse tipo de som, mais natural. Inclusive com o microfone mais distante da voz ela chega com essa compressão que o ar propicia que gosto.

Contudo, normal, cada um com sua estética.

Siruiz
Membro Novato
# 10/abr/20 19:06 · Editado por: Siruiz
· votar


(erro)

Siruiz
Membro Novato
# 10/abr/20 19:07
· votar


João era intérprete de Orlando Silva antes da bossa, tem algumas gravações dele dessa época disponíveis. Cantava muito...

Tipo 8
Membro Novato
# 11/abr/20 10:42
· votar


Siruiz

Não encontrei tais gravações. A coisa mais antiga que achei no youtube é de 1957, e era a mesma coisa.

Lelo Mig
Membro
# 11/abr/20 11:26 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Siruiz

Pelo que sei João gostava do modo como Orlando Silva cantava. Mas nada além disso.

Orlando Silva foi o oposto do João, puta voz potente, imponente, vibrante, cheia de brilho e graves ressonantes. Foi um cantor popular gigante e cheio de estilo. Orlando é uma lenda.

Acho que João Gilberto não cantaria isso nem que nascesse de novo:



Siruiz
Membro Novato
# 12/abr/20 02:48 · Editado por: Siruiz
· votar


Tem gravações dos tempos de um grupo que ele participava, salvo engano "garotos da lua" , interpretava no estilo de Orlando Silva, e, já deve ter cantado essa imagino.
Mas se você não gostou das gravações de fita recentemente encontradas de 1957, então acho que não vai gostar mesmo.

Ps: acho que o MetalJames deve estar contente de ter conseguido uma aprovação generalizada num tópico onde nem João Gilberto conseguiu, rs.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Avaliem minha voz cantando MPB