Acordes novos e sem nomenclatura?

    Autor Mensagem
    Guilherme_Vieol
    Membro Novato
    # 13/mai/19 15:28


    Algum nome de uso popular para esse acorde:
    Acorde maior com sexta e quinta bemol. Exemplo: E6(b5) E - G# - A# - C#
    Ele é quase um diminuto com exceção da terça.
    Se alguem souber um outro nome pra esse acorde pode me mandar por favor

    vinibassplayer
    Veterano
    # 13/mai/19 16:20 · Editado por: vinibassplayer
    · votar


    como vc montaria esse acorde no braço da guitarra?

    nao to com violao à mao aki mas nao imagino uma forma pratica de fazer um acorde com essa diferença de apenas um tom.. nao da pra fazer na msm corda, e é uma bela esticada fazer na corda debaixo

    Beto Guitar Player
    Veterano
    # 13/mai/19 16:29 · Editado por: Beto Guitar Player
    · votar


    Guilherme_Vieol

    Não tem nome popular, é isso aí que você escreveu mesmo...

    Mi com sexta e quinta bemol, ou;
    Mi com sexta e quinta diminuta (E6dim5);

    Acho que a forma mais fácil seria assim:



    e------0------------------------------------------------
    B------2------------------------------------------------
    G------1------------------------------------------------
    D------2------------------------------------------------
    A------1------------------------------------------------
    E------0------------------------------------------------


    Ken Himura
    Veterano
    # 13/mai/19 20:48
    · votar


    Guilherme_Vieol
    Acordes não-tonais ou tonais não-diatônicos não têm nome próprio no geral. Existem algumas exceções (acorde Tristão, acorde místico, acorde Salmos(1), acorde das Luzes do Norte etc), mas as exceções são porque alguma coleção de notas desempenhou um papel fundamental em alguma composição importante.


    ----
    1 - Esse, na verdade, é só um voicing do acorde de mi menor que o Stravinsky usou como ponto estrutural na Sinfonia dos Salmos. Ele é composto por dois grupos bem separados no registro que soam agressivos juntos, com bastante batimento e, também, que reforça a 3a do acorde ao invés da fundamental.

    Kywes
    Membro Novato
    # 13/mai/19 21:56
    · votar


    Esse acorde ta parecendo a 2ª inversão do acorde de A# meio diminuto.

    makumbator
    Veterano
    # 14/mai/19 01:12
    · votar


    Kywes
    Esse acorde ta parecendo a 2ª inversão do acorde de A# meio diminuto.

    Sim, acho que daria para chamá-lo de A#Ø/E

    Ismah
    Veterano
    # 14/mai/19 01:20
    · votar


    Acho que a busca no "meu" dicionário de acordes, fala por si só...

    https://www.scales-chords.com/findnotes_en.php?n1=E&n2=G%23&n3=A%23&n4 =C%23&n5=&n6=&optbass=1&piano=1

    Mauro Lacerda
    Veterano
    # 14/mai/19 02:12
    · votar


    Eu chamaria de C#m7/E , no piano ficaria mais fácil (para mim) ver o acorde completo e para arranjar.

    Mauro Lacerda
    Veterano
    # 14/mai/19 02:12 · Editado por: Mauro Lacerda
    · votar


    Duplo.

    beto_piccoli
    Membro Novato
    # 14/mai/19 07:00 · Editado por: beto_piccoli
    · votar


    Esse acorde ta parecendo a 2ª inversão do acorde de A# meio diminuto.

    Exatamente.

    Outra opção, já que o Mi (E) é a referência, seria considerar esse acorde um E6(#11). A quinta justa estaria omitida (o que é muito comum). Assim você pode aplicar o acorde em praticamente qualquer Mi maior ;)

    Experimente jogar a #11 (A#) uma oitava acima. Assim a intenção fica mais clara.

    makumbator
    Veterano
    # 14/mai/19 11:46
    · votar


    Mauro Lacerda

    Não pode ser um C#m7/E por causa do A#. No C#m7 há o B (sétima menor), mas não tem um Bb ou A#.

    LeandroP
    Moderador
    # 14/mai/19 14:08
    · votar


    makumbator
    Mauro Lacerda

    Até porque, um acorde menor com a terça menor no baixo é grafado como um acorde maior com 6a maior.

    Em vez de C#m7/E eu chamaria de E6, que não é o caso do acorde do tópico.

    É mesmo uma inversão do acorde meio-diminuto.

    Guilherme_Vieol
    Membro Novato
    # 14/mai/19 17:42
    · votar


    Mas da pra considerar ele um E6(#4) ou E6(b5) ou E6(#11)?

    Guilherme_Vieol
    Membro Novato
    # 14/mai/19 17:44
    · votar


    Muito engraçado pensar nesse acorde como um C#m6, ele contém tanta tensão por conta do trítono que seria muito estranho considera-lo assim

    LeandroP
    Moderador
    # 14/mai/19 18:19
    · votar


    Guilherme_Vieol

    Saber o acorde que vem antes e depois ajuda a compreender melhor a função do o acorde e o seu nome. Por exemplo, um X7(#5) tem o mesmo formato do X7(b13), porém, com origem em escalas diferentes.

    Mauro Lacerda
    Veterano
    # 14/mai/19 23:16
    · votar


    makumbator
    LeandroP

    Saquei, bom saber.

    Synth-Men
    Veterano
    # 15/mai/19 07:29
    · votar


    Mano o acorde é de acordo com a escala do tom.

    Se tu tá em E vai ser E6(b5) E - G# - A# - C#
    Se tu tá em A, pode ser um C#7/E
    Se tu tá em G# pode ser G#(4)/E

    E ainda pode ser isto tudo no tom de "E".

    Trilhando este seguimento, você terá base, para quais acidentes, dissonâncias, empréstimos modais, utilização de modos gregos, escalas.

    Se ficar filosofando muito, a musica não sai e nem a explicação.

    Guilherme_Vieol
    Membro Novato
    # 15/mai/19 09:37
    · votar


    Se ficar filosofando muito, a musica não sai e nem a explicação.
    Minha música só sai depois da filosofia plenamente esclarecida adsakdsoadosaoa

    Mas sim, ficou como E6(b5)

    C#m7(#5)
    D#m7(#5)
    E6(b5)

    Guilherme_Vieol
    Membro Novato
    # 15/mai/19 09:38
    · votar


    Agradeço a todoos, um bom dia!

    Gutovysk
    Veterano
    # 15/mai/19 18:22
    · votar


    É o acorde A# meio-diminuto.

    Com essa disposição fica mais fácil de ver: A# C# E G#

    Se fosse: A# C# E G seria A# diminuto.

    abraços,

    Carlos Correia
    https://www.tecnicasdecomposicao.com.br

    beto_piccoli
    Membro Novato
    # 17/mai/19 08:34
    · votar


    Saber o acorde que vem antes e depois ajuda a compreender melhor a função do o acorde e o seu nome. Por exemplo, um X7(#5) tem o mesmo formato do X7(b13), porém, com origem em escalas diferentes.

    Perfeito, podemos encontrar várias combinações dessas notas que correspondem aos mais diversos acordes, mas é o "ambiente harmônico" que vai dizer qual é a sua função e, consequentemente, qual a melhor forma de notação.
    No caso, temos um conjunto de notas que formam a tétrade de A#m7(b5), ou A# meio-diminuto. As funções mais comuns do acorde meio-diminuto são como 2º grau da escala menor (numa progressão iiø7 - V7 - i, por exemplo) ou como um 4º grau "aumentado", um #ivø7 (normalmente esse acorde antecede um iv). *Quando escrevo os graus dos acordes em números romanos, o algarismo minúsculo significa acorde menor e o maiúsculo significa acorde maior.

    Dependendo da situação ele pode, por exemplo, indicar uma inversão de um C#m6 como tônica ou um 4º grau menor, subdominante.
    Ou ainda pode estar substituindo um F#7(9). Por incrível que pareça, apesar do acorde nem ter a nota F#, é uma das opções mais comuns de uso desse tipo de acorde.
    Harmonia e suas interpretações. O que importa é reconhecer o som dessas relações e tentar aprender a aplicar as sonoridades quando necessário.

    Impossível não filosofar um pouquinho, mas com certeza, o som e a prática é que importam!

    beto_piccoli
    Membro Novato
    # 17/mai/19 08:38 · Editado por: beto_piccoli
    · votar


    Guilherme_Vieol

    Muito engraçado pensar nesse acorde como um C#m6, ele contém tanta tensão por conta do trítono que seria muito estranho considera-lo assim


    Fugimos um pouco do assunto, mas assista esse vídeo sobre aplicações e sonoridades desse acorde:



      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Acordes novos e sem nomenclatura?