Sobre bandas ocultarem as logomarcas

    Autor Mensagem
    Ismah
    Veterano
    # abr/15 · Editado por: Ismah


    Galera fiquei tri chateado quando vi algumas bandas tapando os logos dos instrumentos e amps usados...

    Vejam nesse vídeo de um Live do Lacuna Coil, as logos (aparentam serem Mesa) tapadas com fita.



    Ok, é plausível que seja equipamento locado, e os músicos sejam endorsados por outras marcas. Mas não é a primeira vez que vejo isso. Já vi ao vivo isso.

    Vejo que muita gente se orgulha de seu gear, mas será que tem os que se envergonham? Por exemplo, vi um cidadão usando um baixo Sx Jazz Bass com um adesivo tapando o Sx no headstock...

    EDIT: Claro que tem coisas que se acaba ocultando, como rótulos de bebidas, que no caso da minha banda tem patrocínio de uma fábrica de cerveja artesanal. Não tem porque fazer propaganda contra quem está a nosso favor.

    Nell Melo
    Veterano
    # abr/15
    · votar


    Acho idiotice, como se nao fossem sacar qual marca é. Tipo quando aparece refrigerante em algum programa de TV, quem nao conhece a garrafa da coca-cola, por exemplo?

    makumbator
    Veterano
    # abr/15 · Editado por: makumbator
    · votar


    Ismah

    Acho que muito disso em bandas profissionais é justamente o fato da existência de contratos de endosso com outras marcas. É compreensível, embora seja realmente um tanto inútil colocar uma fita no nome de um amp Marshall mas permitir que todo o restante dele, que é bastante característico, apareça livremente.

    Tem também o lado de que muita gente acha que não se deve fazer propaganda de graça (e é isso que um músico faz quando não tem um contrato com uma marca mas a mostra no palco). Nesse ponto eu até concordo bastante. Qual o motivo de trabalhar de graça se tudo nesse mundo é pago? Nesse caso não é questão de orgulho ou vergonha, e sim uma atitude meramente pragmática.

    Ismah
    Veterano
    # abr/15
    · votar


    Nell Melo

    O problema é que vc não vai olhar pra uma garrafa de coca nessas horas... Vai olhar pra logo.

    makumbator
    É compreensível, embora seja realmente um tanto inútil colocar uma fita no nome de um amp Marshall mas permitir que todo o restante dele, que é bastante característico, apareça livremente.

    Os handmakers e clonadores discordaram rsrsrs

    No caso do show do Lacuna Coil o amp não fica visível aos espectadores - eles estão longe do palco. Só deu pra ver por causa da filmagem.

    Mauricio Luiz Bertola
    Veterano
    # abr/15
    · votar


    Ismah
    No nosso mundo, nada é de graça....
    Mais "sem graça" são os caras que "pagam de fo....!" com uma "parede de Marshalls falsos e atrás tem um Engel, Dumble, Mesa, etc....
    Como disse o makumbator:
    Qual o motivo de trabalhar de graça se tudo nesse mundo é pago? Nesse caso não é questão de orgulho ou vergonha, e sim uma atitude meramente pragmática.
    Abçs

    Calime
    Veterano
    # abr/15
    · votar


    makumbator
    Mauricio Luiz Bertola

    Concordo, acho a atitude totalmente condizente e válida.

    Ismah
    Veterano
    # abr/15
    · votar


    Mauricio Luiz Bertola
    Mais "sem graça" são os caras que "pagam de fo....!" com uma "parede de Marshalls falsos e atrás tem um Engel, Dumble, Mesa, etc....

    Pois é, mas não compreendo... Os pequenos querem emprestar a fama de uma marca famosa, e os grandes não emprestar a sua à marca?

    Mauricio Luiz Bertola
    Veterano
    # abr/15
    · votar


    Ismah
    Os pequenos querem emprestar a fama de uma marca famosa, e os grandes não emprestar a sua à marca?
    Isso é porque uns querem se (auto) afirmar...
    Outros, querem se locupletar...
    Abç

    Ismah
    Veterano
    # abr/15
    · votar


    Não sei, mas eu me sinto bem em mostrar que uso marca X (não confundir com ostentar), não acho honrado ocultar/tampar a marca. Afinal é graças ao trabalho deles que eu tenho esse resultado.

    Entendo como entregar os créditos à quem os detém.

    Creio... Estar correto que usar um amp ou instrumento de MARCA, sempre de certo modo é auto afirmação. Afinal temos alguns milhares de luthiers fazendo serviço "melhor" (entenda-se mais como "nos moldes antigos do começo da trajetória dos intrumentos elétricos/eletroacústicos", do que apenas em qualidade) que a maioria das grandes marcas, de produção em larga escala... (perceba que essa frase vem de um purista).

    makumbator
    Veterano
    # abr/15
    · votar


    Ismah
    Afinal é graças ao trabalho deles que eu tenho esse resultado.

    Pode-se pensar o contrário. É por causa do músico que a empresa X ou Y tem um bom resultado financeiro e nome. Elas só existem porque as pessoas fazem e gostam de música. Mas a música no fundo não precisa delas para existir. Mesmo se quebrarem todas essas empresas amanhã a música permanece (de uma forma ou de outra).

    Ismah
    Veterano
    # abr/15
    · votar


    Ah malditos humanos... Por isso prefiro às máquinas...

    makumbator
    Veterano
    # abr/15
    · votar


    Ismah
    Ah malditos humanos... Por isso prefiro às máquinas...

    Então você ficaria ao lado da Skynet? Eu ficaria do lado da rebelião!

    Ismah
    Veterano
    # abr/15
    · votar


    makumbator

    Ficava do lado que sobrevive kkkk

    Mauricio Luiz Bertola
    Veterano
    # abr/15
    · votar


    Ismah
    Ficava do lado que sobrevive kkkk
    Quem assim pensa, geralmente é quem leva a 1ª bala.... Kkkkk....
    Abç

    Casper
    Veterano
    # abr/15
    · votar


    Se eu fosse profissional e não estivesse sendo pago pelo
    fabricante do instrumento/equipamento, certamente
    cobriria tudo com fita preta.

    Só dá para sentir pena de quem tem orgulho de
    mostrar marca de instrumento/equipamento de graça.

    Quando você vai ver uma escultura, por acaso fica
    pensando que marca de martelo ou cinzel o artista usou?

    De Ros
    Veterano
    # abr/15
    · votar


    Quando eu fui à Namm este ano, conversei com alguns amigos sobre uma possibilidade, que inclusive aconteceu com um colega - Ao entrar nos EUA, o instrumento ficar retido na alfandega por estar com passaporte de turista.

    História longa e complicada que não estou a fim de escrever, mas, entrando no tema do tópico, se por acaso acontecesse comigo, eu não teria uma Eagle à minha disposição nos EUA, então, para não deixar de tocar, eu compraria uma guitarra por lá e taparia a marca. Não seria a solução ideal, mas funcionaria, pelo menos.

    Mauricio Luiz Bertola
    Veterano
    # abr/15
    · votar


    Casper
    Quando você vai ver uma escultura, por acaso fica
    pensando que marca de martelo ou cinzel o artista usou?

    Ou um artista consagrado fica colocando plaquinhas em suas obras fazendo propaganda da marca do pincel, das tintas ou do cinzel?
    Abç

    Ismah
    Veterano
    # abr/15 · Editado por: Ismah
    · votar


    Acho interessante as colocações.

    O De Ros vive um caso a parte... Como já disse no primeiro post, pode haver contrato de endorsagem (escrevi o termo certo?!), que torna a coisa plausível. Fora isso acho ridicolo...

    Nós na Dinamite Joe, temos um contrato de patrocínio de uma marca de cerveja artesanal (Altenbrück) e de uma estamparia (essa é nova não guardei a marca ainda).

    No palco só sobe bebida dessa marca ou sem rótulo. E só se usa camisetas da cervejaria e da estamparia, ou de outros apoiadores, seja do evento (caso da festa do Consulado Gremista - Feliz/RS, onde todos vestiram camiseta do grêmio), ou de algum outro apoiador do evento (Carcaças - clube automotivo do antigo roadie da banda, Chopados - grupo que se reúne para ir à festas).

    Não usaria com certeza uma plaquinha, mas também não ocultaria a marca. Sinceramente, acho isso babaquice... Se eu uso Fender, SX, Stinberg, Guitarras Céu (ironia) vou me orgulhar disso... Ou seja vou assumir que estou usando aquela marca.

    Casper
    Só dá para sentir pena de quem tem orgulho de
    mostrar marca de instrumento/equipamento de graça.


    Por que? Acho arrogante essa atitude.

    Quando você vai ver uma escultura, por acaso fica
    pensando que marca de martelo ou cinzel o artista usou?


    Sim, segundo sua analogia, eu fico pensando na marca e modelo de martelo e cinzel... Já me meti em diversos shows pra ver o que a gear usado. Quando ouço um álbum que me agrada, gosto de saber o que foi usado. Acho que por isso sou técnico e não músico kkkk

    makumbator
    Veterano
    # abr/15 · Editado por: makumbator
    · votar


    Ismah
    endorsagem (escrevi o termo certo?!)

    O correto é endosso.

    Guitarras Céu (ironia)

    Nossa, essa então eu escondia mesmo! Se ainda fosse guitarras inferno...

    Sim, segundo sua analogia, eu fico pensando na marca e modelo de martelo e cinzel... Já me meti em diversos shows pra ver o que a gear usado.

    Isso tudo tem sua importância no momento de fazer, mas no resultado final (principalmente para o apreciador) isso é totalmente irrelevante. A arte está no cérebro de quem produz e de quem aprecia e não nas ferramentas usadas.

    BaseGuitar
    Veterano
    # abr/15
    · votar


    Li uma vez em algum lugar que na turnê do primeiro álbum (Frogstomp) o Silverchair tentou um contrato de endorsement com a Marshall, e teriam sido esnobados por serem "novatos", sem nenhuma perspectiva imediata de terem sucesso, o que obviamente daria retorno á marca.

    Represália do Silverchair:

    No clipe de Tomorrow, você vê a logomarca da Marshall nos amps coberta por fita preta. E pelo restante da turnê, idem.

    Do Freak Show pra frente tiraram as fitas pretas, mas em seguida o Daniel Johns começou a usar somente as 4X12 Marshall, mas com os heads Soldano.

    Rachmaninoff
    Veterano
    # abr/15
    · votar


    Ismah
    vi um cidadão usando um baixo Sx Jazz Bass com um adesivo tapando o Sx no headstock...

    Já vi um caso semelhante, e era só vergonha por não usar um equipamento "de grife".

    makumbator
    Veterano
    # abr/15
    · votar


    Rachmaninoff

    O primeiro baixo que comprei (no início dos anos 90) era um Frankstein (braço de um, corpo de outro, etc...). O cara que me vendeu (comprei usado) tinha colocado um adesivo da Boss bem em cima do logo (Gianinni). Imagino que tinha sido vergonha.

    JJJ
    Veterano
    # abr/15
    · votar


    makumbator

    Eu ia falar exatamente o que você falou no seu primeiro post. Então vou economizar as teclas e só dar um +1... rs

    Ramsay
    Veterano
    # abr/15
    · votar


    Ao meu modo de ver, marcas notórias e tradicionais, tipo Marshall, Mesa Boogie, Fender, Engl, Bogner, etc, nunca deveriam ser ocultas porque elas mostram o "status" do possuidor.

    Se um músico as oculta, ou é idiota, ou é endorser de outra marca menos conceituada, simples assim...

    makumbator
    Veterano
    # abr/15
    · votar


    Ramsay
    nunca deveriam ser ocultas porque elas mostram o "status" do possuidor.

    Isso sim eu acho idiotice. Não recrimino quem mesmo sem receber deixa as marcas à vista (sendo compreensível nesse caso também não fazer força para que elas apareçam).

    Mas compreendo totalmente a decisão pragmática de não mostrar sem receber, afinal, a empresa não fez favor nenhum para o camarada estar com o tal equipamento.

    Ramsay
    Veterano
    # abr/15
    · votar


    makumbator
    Concordo, mas, vc há de convir que as marcas notórias não tem a mínima obrigação de dar dinheiro a quem quer que seja, porque elas já são famosas pela sua própria história.

    makumbator
    Veterano
    # abr/15
    · votar


    Ramsay
    c há de convir que as marcas notórias não tem a mínima obrigação de dar dinheiro a quem quer que seja

    Claro! assim como nenhum usuário tem obrigação de mostrar o nome dessas marcas.

    Mauricio Luiz Bertola
    Veterano
    # abr/15 · Editado por: Mauricio Luiz Bertola
    · votar


    Aqui existem duas questões:
    O músico que não é famoso, não está numa grande banda, (que na verdade são empresas, com contratos, salários, estrutura, etc), e, que por afirmação, "status" ou gosto pessoal, exibe (às vezes orgulhosamente) uma determinada marca de equipo, pois isso sempre fez parte de seus "sonhos" como músico.
    Também tem o músico famoso, consagrado, que faz parte de uma grande banda com contratos de shows pelo mundo todo, e que, opta por não exibir a marca "A" ou "B" porque, apesar de gostar dela, não possui contrato com a marca (ou outra coisas qualquer). Esse cara é uma pessoa jurídica, faz parte de uma empresa, de uma estrutura, e isso é sério no nosso mundo capitalista. Nada mais compreensível que ele optar por ocultar a marca... Ou mostrá-la se tem contrato com ela... Veja o caso dos guitarristas famosos que recebem DE GRAÇA guitarras das fábricas (Custom shops inclusive!), pelo simples fato de que a molecada ao vê-lo empunhando uma guitarra, vão querer comprá-la (ou mesmo suas "versões populares"); isso é marketing, e reverte lucro para a empresa, e é objeto de contrato entre as partes...
    O tempo do grande Rory Galagher ou do SRV, que tocavam suas guitarras de estimação desde garotos, acabou...

    O cara que me vendeu (comprei usado) tinha colocado um adesivo da Boss bem em cima do logo (Gianinni). Imagino que tinha sido vergonha.
    Aqui é uma outra coisa: Quando eu era garoto (no fim dos anos 70 e início dos 80), NÃO EXISTIAM NO MERCADO qualquer marca internacional. Algo assim era coisa apenas para músicos consagrados, ou gente muito rica...
    Quando punha-mos a mão num "colante" (alguns até faziam de forma tôsca, recostando revistas!!), colocava-mos no equipo, para, tipo, criar um "status", "impressionar a galera", não era por "vergonha" não, era pra impressionar, Kkkkk.... Mas isso foi no passado.... Hoje em dia qualquer um pode ter uma guitarra Fender (até falsa... Kkkk...)!

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Sobre bandas ocultarem as logomarcas